Você está na página 1de 1

O QUE O TEMPLO DE DEUS DEVE FAZER

OUTUBRO DE 2021

2 Coríntios 6: 16-18
“Que acordo tem o templo de Deus com os ídolos? Pois nós somos o templo do Deus vivo ”(v.
16).
Não pode haver comunhão entre crentes e descrentes quando se trata de assuntos proibidos pela
Palavra de Deus. Esse é o ponto básico de Paulo em 2 Coríntios 6: 14-18 , onde ele diz que os
cristãos não devem estar em jugo desigual com os incrédulos (ver v. 14). Freqüentemente, esse
versículo é citado para argumentar que os cristãos não devem se casar com não-cristãos, o que
certamente é uma aplicação adequada do ensino de Paulo. Afinal, os crentes são chamados a se
casar apenas com outros crentes (veja 1 Coríntios 7:39 ). No entanto, a instrução do apóstolo se
aplica além do casamento. Se uma parceria com um incrédulo exige que desobedecemos a
Palavra de Deus, estamos desigualmente ligados a esse não-cristão.
Paulo apóia seu ensino sobre esse assunto de duas maneiras. Primeiro, ele faz uma série de
perguntas para as quais “nenhuma” é a resposta óbvia (vv. 14-16). Uma das perguntas até
implica que estar em jugo desigual com um não-cristão é levar Cristo a uma espécie de acordo
com Satanás. ( Belial , um termo que significa "sem valor", passou a ser usado pelos judeus para
o próprio diabo; ver v. 15.) Se aqueles que estão unidos a Cristo estão em uma parceria proibida
com os descrentes, então eles trouxeram Jesus de acordo com o diabo.
A segunda maneira pela qual Paulo apóia seu ensino sobre o jugo desigual entre crentes e não
crentes consiste em uma série de citações bíblicas. Em 2 Coríntios 6:16 , Paulo cita Levítico 26:
11–12 , onde Deus fala de Sua habitação entre Seu povo da velha aliança no tabernáculo /
templo. Essa habitação santificou o santuário da velha aliança de forma que trazer ídolos iria
contaminá-lo e torná-lo impuro. Sob a nova aliança, os crentes são o templo onde Deus faz Sua
morada ( 1 Coríntios 6: 19-20 ; 1 Pedro 2: 4-6 ). Portanto, envolver-se com os incrédulos de tal
maneira que violamos a Palavra de Deus contamina o templo da nova aliança.
Em 2 Coríntios 6: 17-18 , Paulo cita Isaías 52:11 e o junta a uma paráfrase de 2 Samuel 7:14 . A
citação de Isaías chama os exilados judeus na Babilônia, especialmente os sacerdotes que
carregavam os vasos sagrados do templo, a deixar a terra impura onde estavam peregrinando e
retornar à Terra Prometida. A passagem de Samuel é a promessa de Deus de ser o Pai do rei
davídico, e a promessa se estende a todo o povo de Deus em Cristo, pois somente pela fé
estamos unidos a Jesus, o rei davídico final ( João 1: 12–13 ). Porque Deus é nosso Pai em
Cristo, que também nos fez um sacerdócio real ( 1 Pedro 2: 9 ), devemos nos separar do mal,
assim como Isaías primeiro chamou o povo no exílio para fazer.

CORAM DEO Vivendo diante da face de Deus

O fato de termos sido feitos templo e sacerdócio em Cristo tem consequências necessárias.
Essas realidades objetivas sobre quem somos em Cristo significam que devemos nos esforçar
para nunca estar em jugo desigual com a injustiça dos não-cristãos. Quando entramos em
relacionamentos com descrentes que nos forçam a violar a Palavra de Deus, tornamos o templo
de Deus impuro, e Deus não Se agrada de habitar em impureza. Nossa comunhão com Ele está
prejudicada.