Você está na página 1de 5

REMÉDIOS PARTES

CONSTITUCIONAIS IMPETRANDE
INSTRODUÇÃO Pode ser qualquer pessoa, natural ou jurídica.

Sinônimos: ações, garantias, writs. Pessoa Jurídica pode ser impetrante, mas nunca paciente
de habeas corpus, pois esse remédio relaciona-se com
- Os remédios constitucionais não constituem direitos;
direito de locomoção, algo impossível a esse tipo de Pessoa.
- Garantias e direitos são diferentes;
Estrangeiro pode impetrar habeas corpus, desde que este
- As garantias protegem os direitos. Exemplos: a garantia seja redigido em vernáculo (língua portuguesa)
do habeas corpus protege o direito de locomoção; a
Não podem ser impetrantes de habeas corpus:
garantia do habeas data protege o direito de informação de
caráter pessoal. • magistrados; (mas podem conceder habeas
corpus de ofício, sem necessidade de uma

REMÉDIOS provocação)

• delegados;
CONSTITUCIONAI • Ministério Público, salvo se for em benefício do
réu. Considere-se, com atenção, o seguinte
S JUDICIAIS exemplo em contrário:

ART.5° IMPETRADO
Autoridade pública ou particular.
HABEAS CORPUS O habeas corpus e o habeas data são dois remédios
LXVIII – conceder-se á habeas corpus sempre que alguém gratuitos, mas apenas o primeiro dispensa a assistência de
sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação um advogado.
em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso
Não necessita de advogado.
de poder
Embora, em regra, a entidade coatora para o habeas corpus
- Pode ser repressivo e preventivo (sofrer ou se achar seja de natureza pública, nada impede que um particular
ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade impeça direito de locomoção, a exemplo de um segurança
de locomoção) de bar que bloqueie a saída de um cliente que por ventura
tenha perdido seu cartão de consumação.
- Origem no mundo: Magna Carta, 1215
PACIENTES (AQUELES COM DIREITO DE LOCOMOÇÃO
- Origem no Brasil, a primeira vez em que o habeas corpus
VELADO)
surgiu foi em 1830, no Código Criminal do Império, seis
anos depois da primeira Constituição promulgada no país. Menores, mesmo os infratores.
Apareceu, depois, na Constituição de 1891.
Mesmo sendo ambulantes, animais não podem ser
- A princípio, o habeas corpus relacionava-se com todos os pacientes de habeas corpus pelo fato de não constituírem
quesitos, posto que nem sempre existiu o Mandado de titulares de direito.
Segurança. Hoje, o habeas corpus é restrito ao direito de
MOMENTOS
locomoção. O que não for da competência nem do habeas
corpus nem do habeas data, relaciona-se ao Mandado de O habeas corpus pode ser preventivo ou salvo conduto,
Segurança. ocorrendo da antes da violação do direto de locomoção, ou
repressivo (liberatório), quando se dá após violão do direito
- Direito de locomoção: ir, vir e permanecer.
de locomoção.
- Gratuito
É possível a existência de habeas corpus coletivo. Um - Pode ocorrer individual ou coletivamente
exemplo máximo de tal afirmação se verifica em uma ação
da Defensoria Pública da União que visava beneficiar todas
as mulheres em situação de prisão que estivessem
- Diante do exposto na lei, entende-se que quando as
gestantes ou que tivessem filhos de até 12 anos, para que
questões de prova trazem o termo “remédio residual”,
fossem presas em seus domicílios. Inclusive, o STF
estão se referindo ao mandado de segurança.
entendeu que isso deveria ser regra.
- É possível impetrar mandado de segurança contra agente
NÃO SABE HC PARA de pessoa jurídica que aja com atribuições de pessoa
pública.
O habeas corpus é o remédio principal, mas não é uma cura
para todos os males. Há, sim, situações em que não é - É cabível impetração de mandado de segurança contra o
cabível a sua impetração, por exemplo: agente público que aja como tal.
- Questionar a perda de patente militar; - Não cabe mandado de segurança nas situações em que o
público age como se particular fosse.
- Questionar a pena de multa, quando ela for a única
aplicada ou aplicável; - Entende-se por direito líquido e certo como aquele pode
ser demonstrado de plano, demandando prova pré-
- Discutir a pena acessória de perda de função pública;
constituída, meramente documental.
- Pleitear a restituição de coisa apreendidas, inclusive
passaporte MOMENTOS DA IMPETRAÇÃO
O mandado de segurança pode existir na forma preventiva,
- Buscar direito a visita íntima em presídios;
quando antes da violação do direito líquido e certo, e na
- O plenário do STF, contra decisão de turma de tribunal; forma repressiva, quando depois deste.

- Como Substitutivo de recurso ordinário? para o STF, cabe; PRAZO


para o STJ, não cabe. O prazo do mandado de segurança, aplicável na forma
repressiva, é decadencial (não prescricional) e é de 120
- Para pleitear colaboração premiada
dias.
- Contra decisão de indefere pedido liminar (as hipóteses de
Só é possível tratar de prazo decadencial de 120 dias
relativização da Súmula 691/STF;
quando o mandado de segurança se dá na forma
- Contra pena já extinta. repressiva.

HABEAS DATA DESISTÊNCIA


A regra de desistência do mandado de segurança se dá
Direito de informação de caráter pessoal
contrariamente ao estabelecido no Direito Processual Civil.
gratuito Segundo este, até o momento da contestação, é possível a
desistência do processo; a partir do momento em que a
MANDADO DE SEGURANÇA outra parte comparece, a desistência só poderá ocorrer
com sua anuência.
LXIX – conceder-se-á mandado de segurança para proteger
direito líquido e certo não amparado por habeas corpus ou Na regra do mandado de segurança, a desistência é possível
habeas data quando o responsável pela ilegalidade ou a qualquer tempo, antes do trânsito em julgado,
abuso de poder for autoridade pública ou agente de pessoa independentemente do consentimento do impetrado. É,
jurídica no exercício de atribuições do Poder Público. ainda, possível a desistência após prolação de sentença, se
tal for favorável ao impetrante.
- O direito líquido e certo de informação é protegido pelo
habeas data. O direito líquido e certo de locomoção é SITUAÇÕES QUE NÃO PERMITEM O MANDADO DE
garantido pelo habeas corpus. SEGURANÇA

- Direito líquido e certo (residual) Contra decisão judicial transitada em julgado;

- Pago Contra decisão interlocutória de juizado especial;


O não cabimento de mandado de segurança contra Nesse sentido, o Mandado de Injunção surge para
decisão interlocutória de juizado especial se combater a síndrome da inefetividade das normas
justifica pela própria natureza dele, posto que é constitucionais. Faz-se necessário, portanto, observar a
rápido, simples e admite pouco recurso. norma constitucional em questão e perceber se ela carece
ou não de um complemento.
Decisão interlocutória é aquela que resolve
eventuais problemas intermediários entre o A competência para julgamento do Mandado de Injunção
despacho e a sentença. depende de quem é o omisso.

Contra decisão passível de recurso com efeito suspensivo; O MI permite, atualmente, que o Judiciário crie normas
(sentenças normativas), a exemplo do disposto sobre certos
Caso, em determinada situação, se impetre tipos de greve, como a dos servidores públicos.
recurso que já possua efeito suspensivo, como
uma apelação, o mandado de segurança não terá MI X ADO
efeito.
MI – Regulamentado pela Lei n. 13.300/2016; realizado por
Para dar efeito suspensivo a recurso do MP que não o qualquer juiz ou tribunal. No controle difuso, as decisões
possui. são inter partes, ou seja, afetam apenas partes do
processo.
A decisão proferida no Mandado Segurança não
produz efeitos patrimoniais em relação ao período ADO – Regulamentada pela Lei n. 9.868/1999; realizada
pretérito. Não é cabível MS contra ato de gestão apenas no STF, tem só nove legitimados. Em regra, a
negocial de entidade exploradora de atividade decisão do controle concentrado é erga omnes, ou seja,
econômica. para todos.

Contra ato de gestão negocial de entidade exploradora de MANDADO DE SEGURANÇA E MANDADO DE


atividade econômica (caso em que o público age como INJUNÇÃO COLETIVOS
particular); e
CABIMENTO
Contra lei em tese.
Determina a Constituição Federal:

LXX – o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado


MANDADO DE INJUNÇÃO por:

LXXI - conceder-se-á mandado de injunção sempre que a a) partido político com representação no
falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício Congresso Nacional;
dos direitos e liberdades constitucionais e das
b) organização sindical, entidade de classe ou
prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à
associação legalmente constituída e em funcionamento há
cidadania;
pelo menos um ano, em defesa dos interesses de seus
Origem: 1988 membros ou associados;

Teoria concretista- resolve o caso concreto, vai solucionar a O exposto acima também se aplica ao MI.
decisão
O requisito supracitado de um ano é válido apenas para
Omissão legislativa ou falta de norma regulamentadora associações.

Pode ocorrer individual ou coletivamente LEGITIMADOS

Pago Os legitimados constituem-se de:

Está-se, aqui, diante de uma norma constitucional de • Partidos políticos;


eficácia limitada, que possui aplicabilidade indireta,
• Entidades de classe;
mediata e dependente de complemento legislativo, que
deve ser realizado não pelo constituinte, mas pelo • Defensoria Pública (para o mandado de
legislador ordinário. injunção); e

• Ministério Público (para o mandado de injunção).


Ministério Público e Defensoria Pública não estão entre os Ação Civil Pública, de acordo ao determinado na Lei n.
legitimados para o Mandado de Segurança Coletivo, e sim 7.347/1985.
para o Mandado de Injunção.
Alguns julgados do STJ afirmam que, dada a semelhança
No MIC, a associação não necessita de autorização expressa entre ACP e AP, o Ministério Público também poderia
dos associados nos casos de substituição processual; tal ajuizar AP.
autorização será necessária somente quando a associação
estiver cumprindo papel de representante. COMPETENCIA PARA JULGAMENTO
É preciso frisar que Ação Popular, Ação Civil Pública e Ação
O cabimento dos MS e MI coletivos obedece à mesma
de Improbidade Administrativa não possuem foro especial.
lógica dos individuais. Onde couberem aqueles estes
Portanto, quem julga a Ação Popular é o juiz de primeiro
também caberão.
grau.

AÇÃO POPULAR Eloquente exceção a essa regra foi verificada por ocasião da
demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em
Roraima. Atendendo a pressões internacionais, a União
LXXIII – qualquer cidadão é parte legítima para propor ação realizou, em determinada ocasião, uma marcação em faixa
popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público contínua delimitando uma reserva indígena. De acordo com
ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade a lei, toda reserva indígena é de propriedade da União.
administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico Nesse ínterim, um Senador de Roraima impetrou AP contra
e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má fé, isento o então Presidente da República, questionando o referido
de custas judiciais e do ônus da sucumbência. ato. O juiz de primeiro grau, que recepcionou a Ação,
encaminhou-a ao STF, que, de acordo com o art. 102, I, da
Ato lesivo CF, é responsável por julgar questões que envolvam
conflitos federativos.
A ação popular é, via de regra, gratuita, salvo em casos de
comprovada má-fé. Esse tipo de remédio visa Conflito federativo se dá entre os membros da federação.
questionamento de ato lesivo ao meio ambiente, à

REMÉDIOS
moralidade administrativa, ao patrimônio histórico etc.

QUEM PODE AJUIZAR AP


Qualquer cidadão pode propor uma AP, ou seja, qualquer
brasileiro que possua capacidade eleitoral ativa. O Direito
CONSTITUCIONAI
Civil preconiza que pessoas entre 16 e 18 anos são
relativamente incapazes, o que significa que, nos atos da
S
vida civil, elas precisam da assistência dos pais. No entanto,
essas pessoas, desde que possuam capacidade de votar, se
quiserem propor AP, não precisam ser assistidas, pois aqui
ADMINISTRATIVO
os direitos em questão não são civis, e sim políticos.
S ART.5°
QUEM NÃO PODE AJUIZAR AP?
DIREITO DE PETIÇÃO
Em regra, é vedado ao estrangeiro proposição de AP. A
única exceção se verifica no caso de português em situação A garantia constitucional dada a qualquer pessoa de
de equiparação, conforme o exposto no art. 12 da CF apresentar requerimento ou representar aos Poderes
Públicos em defesa de direitos e contra abusos de
Todos os que não podem votar estão impedidos de propor autoridade.
AP, tais como sindicatos, associações, sociedades de classe
e pessoas jurídicas, entre outros. Gratuito

A Lei de Ação Popular n. 4.717/1965, estabelece que, nos DIREITO DE CERTIDÃO


casos em que os cidadãos desistam de ajuizar uma AP, o
Ministério Público pode prosseguir com a ação. A mesma XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do
lei, no entanto, não afirma que o MP pode ajuizar tal pagamento de taxas:
remédio constitucional. O que cabe a ele, MP, é ajuizar
a) ............;
b) a obtenção de certidões em repartições públicas, para
defesa de direitos e esclarecimento de situações de
interesse pessoal; ”
Para Nina Ranieri, certidões "são documentos oriundos de
autoridade ou de agente do Poder Público, que nessa
qualidade provam ou confirmam determinado ato ou fato.
São provas documentais, sendo esta sua finalidade.
Constituem garantia em favor de terceiro da veracidade do
afirmado. As certidões podem ser administrativas ou
forenses. Compreendem, em geral, a doutrina e a
jurisprudência o conceito de certidão em sentido lato."
Continua a citada jurista, consignando que "a moderna
doutrina administrativa, em consonância com o
desenvolvimento tecnológico, não distingue entre
certidões, cópias ou fotocópias de documentos."

Gratuito

REMÉDIO
CONSTITUCIONA
L JUDICIAL DO
ART.129
AÇÃO CIVIL PÚBLICA

É regulada pela lei n.7.347/1985 e possui vários


legitimados, destacando-se o Ministério Público e a
Defensoria pública.

A Ação Civil pública difere da Ação popular. Esta é ajuizada


por um cidadão; aquela, em regra, pelo Ministério Público e
pela Defensoria Pública.

Três direitos podem ser tutelados na ação civil pública:


difusos, coletivos em sentido estrito e individuais
homogêneos.

Você também pode gostar