Você está na página 1de 15

Carlos António Micael

Martinho Miguel Francisco

Delicio Farnela Campine

Nomen José Augusto Cancondo

Sama Colher Raice

Jacinta Azevedo da Graça

Eusébio Fulede Manejo

Felicidade Damião Chimpesse

Trabalho de hidrobiologia

Licenciatura em ensino de Biologia com habilidade em ensino de química

Universidade púnguè

Extensão de Tete

2022
Carlos António Micael

Martinho Miguel Francisco

Delicio Farnela Campine


Nomen José Augusto Cancondo

Sama Colher Raice


Jacinta Azevedo da Graça
Eusébio Fulede Manejo
Felicidade Damião chimpesse

Tema: Ecologia do ecossistema Limnico


Licenciatura em ensino de Biologia com habilidade em ensino de química

Trabalho da cadeira de Hidrobiologia, a ser


apresentado no departamento das ciências e
matemática, como parte dos requisitos de
avaliação. Sob a orientação do Mestre: Juliana
Luísa Manuel Paulo

Universidade púnguè
Extensão Tete
2022
Índice
Introdução..........................................................................................................................................3
Hipótese.............................................................................................................................................4
Objectivos..........................................................................................................................................4
Objectivo geral...................................................................................................................................4
Objectivos específicos........................................................................................................................4
Metodologia.......................................................................................................................................4
Desenvolvimento do trabalho............................................................................................................5
Ecologia do ecossistema Limnico.......................................................................................................5
Ambientes do ecossistema da água doce ou limnico.........................................................................5
Lagos e seus habitantes.....................................................................................................................5
Habitantes da água doce....................................................................................................................8
Poluição limnica...............................................................................................................................10
Metais pesados................................................................................................................................10
Pesticidas,........................................................................................................................................11
Eutrofização.....................................................................................................................................12
Protecção de ecossistema limnico...................................................................................................12
Conclusão.........................................................................................................................................13
Bibliografia.......................................................................................................................................14
Introdução
Neste trabalho iremos abordar sobre Ecologia do ecossistema Limnico também é chamada
de ecossistema da água doce, englobam os córregos, lagos lagoas, reservatórios
subterrâneos e rios. O ecossistema de água doce cobre apenas 0,8% da superfície terrestre,
sendo responsável por 0,009% da água total do planeta. Dentro desse ecossistema,
encontramos uma divisão: ecossistemas lênticos, lóticos.
Lêntico – Neste ecossistema, a água é de baixo fluxo ou ainda parada, como os lagos,
lagoas, poças e reservatórios, podendo ser de água salina, doce, em ambiente continental ou
costeiro, totalmente ou parcialmente circundados por terra. Analisando de um ponto de
vista geográfico e de pequena duração, essas formações são consideradas relativamente
recentes.
Lótico – É o ecossistema de água em rios, córregos e riachos, com águas correntes que são
definidas – do ponto de vista hidrológico – como calhas por meio das quais são
transportadas as descargas da água superficial. Transportam substâncias cinéticas levando-
as para o mar, de uma forma geral. Além disso, deslocam também o material insolúvel,
especialmente sob a forma de erosão e no curso inferior sob a forma de sedimentação.
Interferências nos ecossistemas de água doce.
o mundo tem mais água doce do que o suficiente para cobrir todas as necessidades. Sobre
tudo neste trabalho também iremos falar da poluição da água doce que compreende não só
as modificações das propriedades físicas, químicas e biológicas da água, mais também a
condição de substâncias liquidas, sólidas ou gasosas capazes de tornar as águas improprias
para os diferentes usos a que se destina.
Hipótese
Um dos maiores desafios da Ecologia do ecossistema Limnico é o estudo das reacções
funcionais e produtividade das comunidades bióticas de lagos, rios, reservatórios e região
costeira em relação aos parâmetros físicos, químicos e bióticos ambientais, independente de
seus teores salinos. Apresenta ilimitado campo de actuação na pesquisa básica (estrutura e
função dos ecossistemas aquáticos) e aplicada (controle da qualidade e quantidade da água,
usos múltiplos de lagos e reservatórios, etc.). Também tem importante papel no
monitoramento e recuperação dos corpos de água
Objectivos
Objectivo geral
Compreender sobre Ecologia do ecossistema Limnico

Objectivos específicos
Definir o ecossistema limnico
Perceber os principais lados naturais e artificiais
Perceber os principais poluentes limnico
Metodologia
De modo a alcançar os objectivos predefinidos, recorreu-se a pesquisa bibliográfica quanti-
qualitativa, isto é, consulta de algumas obras, dicionário, livros, artigos disponíveis na
internet sobre Ecologia do ecossistema Limnico ou ecossistema das águas doce.
Desenvolvimento do trabalho
Ecologia do ecossistema Limnico
Ecologia do ecossistema Limnico ou ecossistema das águas doce – é o estudo das
reacções funcionais e produtividade das comunidades bióticas de lagos, rios, reservatórios e
regiões costeiras em relação aos parâmetros físicos, químicos e bióticos ambientais.
Ambientes do ecossistema da água doce ou limnico
São divididos em sistema lóticos (são águas correntes dos rios, riachos e córregos.) e
lenticos (são as águas paradas, que estão sempre sendo renovadas. exemplo: poca de água,
lagoas, lagos, mar cáspio)
Lagos e seus habitantes
Lagos – são corpos da água interior sem comunicação directa com o mar e suas águas tem
em geral baixo teor de íons dissolvidos.
Hutchinson (1957) na sua monografia treatise onlimnilogy firma: os lagos parecem, á
escala de anos ou da duração da vida humana, tracos permanentes da paisagem, em bora
sejam geologicamente transitórios, nascem geralmente de catástrofes, para amadurecerem e
morrer lenta e imperceptivelmente.
A intervenção dos lagos realizada por toda parte, revelou que possuem uma grande
variedade de combinações de propriedades, tornando défices seleccionar uma base para
uma classificação natural. Hutchinson, na sua monografia refere nada menos do que 75
tipos de lagos baseados na geomorfologia e origem. no entanto, pode-se conseguir uma boa
introdução ao fascinante assunto da ecologia mundial dos lagos, considerando três
categorias:
– A série oligotrófica-eutrofica dos vulgares lagos de água límpida, baseada na
produtividade
– Tipos especiais de lagos
– Albufeiras
Série oligotrófica-eutrofica – os lagos podem ser classificadas em, qualquer região, de
acordo com a produtividade primária, como foi proposto pelo limnologista pioneiro alemão
Thienemann. a produtividade ou fertilidade de um lago depende dos nutrientes recebidos a
partir do escoamento local, da ideia geográfica e da profundidade
Os lagos oligotróficos típicos (pobres em alimentos) são fundos com o hipolimmnion maior
do que o epilimnion e tem uma produtividade primária baixa. As plantas litorais são
escassas e a densidade de plâncton é pequena, embora o número de espécies poça ser
grande.
Tipos especiais de lagos – podem ser mencionados sete tipos especiais de lagos.
a).. Lagos distróficos, de água castanha, húmicos e turfosos: geralmente tem alta
concentração de ácido húmico na água, os lagos turfosos tem margens em que surgem
massas de turfa (onde o pH é em geral baixo) e acabam em se transformar em turfeira.

b). Lagos fundos e antigos, com fauna endémica: o lago Baikal na Rússia é o mais famoso
dos lagos antigos. é o mais fundo do mundo, e foi originado por movimento da crosta
terrestre durante a era Mesozoica.
c). Lagos salgados dos desertos: encontra-se em áreas sedimentares de drenagem em climas
áridos, onde a evaporação excede a precipitação (donde resulta a concentração de sais).
Exemplo: lado Great salt.
d). Lagos alcalinos dos desertos: ocorrem em áreas ígneas de drenagem em climas áridos:
pH e concentração de carbonatos elevados. Exemplo; lago pyramed, nevada.
e). Lagos vulcânicos: são lagos ácidos ou alcalinos associados a regiões vulcânicas ativas
(e recebendo águas do magno); condições químicas estremam, biota restrito. Exemplos:
alguns lagos japoneses e filipinos.
f). Lagos Meromícticos (parcialmente misturados), quimicamente estratificados: em
contraste com a maioria dos lagos, em que as águas do fundo e da superfície se misturam
periodicamente (isto é, lagos holomícticos ou totalmente misturados) alguns lagos
apresentam-se permanentemente estratificados pela extracção de água salina ou de sais
libertados dos sedimentos, que criam uma diferença de densidade permanente entre as
águas de superfície e de fundo.
g). Lagos polares: as temperaturas da superfície mantem-se abaixo de 4 oC, ou ultrapassam
este nível apenas durante um breve período instável em que não há gelo e se pode verificar
circulação. As populações de plâncton crescem rapidamente durante este período, muitas
vezes acumulando gordura para o longo inverno.
Albufeiras:
É um lago de origem artificial, localizado a jusante de uma barragem ou represa,
normalmente concebido para armazenar água numa régia seca, para dar mais vida a um
ambiente ou que resulta da construção de uma hidreléctrica.

Os lagos artificiais variam, naturalmente de acordo com a região e a natureza da drenagem.


Geralmente são caracterizados pelo nível variável da água e pela forte turvação. A
produção de benton é, em, geral menor na albufeiras do que nos lagos naturais. o balanço
de calor, nas albufeiras, podem definir grandemente daquele que ocorre nos lagos naturais e
depende do tipo de barragem se a água for descarregada pelo fundo, o que será o caso de
barragens destinadas a produção de energia hidráulica eléctrica, então transfere-se para
jusante a água fria, rica em nutrientes mas pobre em oxigénio, ao mesmo tempo que a água
quente fica retida na albufeira.
Habitantes da água doce
Como os seres vivos da água doce (ou em qualquer outro habitante) não estão dispostas
numa ordem taxinómica, é útil uma classificação com base ecológica. em primeiro lugar,
podem ser classificados segundo os nichos principais, com base na sua posição na cadeia de
energia ou de alimentos, como se segue:
Atróficos – plantas verdes e microrganismos sintéticos.
Fotógrafos (Macroconsumidores) – primários, secundários, etc; herbívoros, perdedores,
parasita, tec.
saprótrofos (Microconsumidores ou decompositores) – subclassificados de acordo com a
natureza do estrato orgânico decomposto.
Dentre estes níveis tróficos, é em geral instrutivo reconhecer as espécies que actuam como
dominantes primário.
Acessoriamente, os organismos aquáticos podem ser classificados de acordo com a sua
forma de vida ou abito de vida, com base no seu modo de vida, podem ser:
Bentos – seres vivos fixos assentem sobre o fundo ou vivendo nos sedimentos do fundo. Os
animais bentos podem ser divididos, de acordo com o seu modo de alimentação, em
filtradores e comedores de sedimentos (uma amêijoa e um caracol aquático)
perifiton – seres vivos (animal ou plantas) fixados ou ligados a caule e folhas de plantas
com raiz, ou a outras superfícies situadas acima do fundo.
Plâncton – organismos flutuantes cujos movimentos são mais ou menos dependentes das
correntes. Enquanto alguns componentes do zooplâncton possuem movimentos natatórios
activos que os ajudam a manter a posição vertical, o plâncton no seu conjunto é incapaz de
se deslocar contra a corrente.
Nécton – seres vivos nadadores que se deslocam a vontade (e portanto são capazes de
evitar as redes para plâncton, frascos de colheita, etc). Peixe, anfíbios, grandes insectos
aquáticos e outros.
Neuston – seres vivos mantendo-se ou nadando na superfície.
Finalmente os organismos podem ser classificados de acordo com a região ou sub-habitat.
Nas lagoas e lagos, são em geral evidentes três zonas, nomeadamente:
Zona litoral – a zona de águas pouco profundas, em que a luz penetra até ao fundo;
tipicamente ocupada por plantas com raízes nos lagos e lagoas naturais, mas não
necessariamente em tanques de terra.
Zona limnética – a zona de água profunda até a profundidade de efectiva penetração da
luz, chamado o nível de compensação que a profundidade em que a fotossíntese compensa
a respiração. a comunidade desta zona é composta unicamente por plâncton, nécton e por
vezes neuston.
Zona profunda – a área do fundo e das águas profundas abaixo do nível de penetração da
luz.
Nos cursos de água são, no geral, evidentes duas zonas principais.
Zona dos rápidos – águas baixas onde a velocidade da corrente ‘e suficientemente grande
para deixar o fundo livre de sedimentos ou vasas de matérias soltos. Esta zona é ocupada
especialmente por organismos béticos ou periféricos que permanecem aderentes ou fixos ao
substrato firme, assim como nadadores vigorosos como os peixes rápidos (tratas, por
exemplo).
Zona de remanso – constituída por águas mais profunda, onde a velocidade da corrente é
pequena e a vasa e outras matérias soltos tendem a sedimentar no fundo, dando origem a
um estrato brando, desfavorável para os bentos de superfície, mas favoráveis aos
organismos escavadores, ao nécton e, em alguns casos, ao plâncton.
Poluição limnica
A Poluição das Águas é definida como sendo o lançamento ou infiltração de substâncias
nocivas na água, causada pelas actividades industriais, mineradores, esgotos, porém o
principal agente poluidor das águas são as actividades agrícolas.
Metais pesados
Acredita-se que os metais talvez sejam os agentes tóxicos mais conhecidos pelo homem.
Grandes quantidades de chumbo eram obtidas de mineiros, como subproduto da fusão da
prata e isso provavelmente tenha sido o início da utilização desse metal pelo homem. o
elevado desenvolvimento industrial ocorrido nas ultimas décadas, tem sido um dos
principais responsável pela contaminação da água, seja pela negligencia no seu tratamento
antes de despeja-las nos rios ou por acidentes e descuidos cada vez mais frequentes, que
propiciam o lançamento de muitos poluentes nos ambientes aquáticos. Dentre estes
poluentes podem citar os metais pesados, outro grande problema para a saúde humana.
Metais pesados são elementos químicos metálicos, de peso atómico relativamente alto, que
em concentrações elevadas são mais tóxicos á vida. as actividades industriais, tem
introduzido metais pesados nas águas numa quantidade muito maior duque aquela que seria
natural, causando grandes poluições.
Os metais pesados mais poluente podem ser:
Chumbo (Pb) – polui o solo, a água e o ar, desta forma contamina os organismos vivos,
devido a seu efeito bio acumulativo, em toda a cadeia alimentar (trófica).
O chumbo é utilizado na fabricação de reciclagem de baterias de automoves, indústria de
tintas, pintura em cerâmica e soldagem.
Mercúrio (Hg) – é absorvido pelos organismos vivos e vai-se acumulando de forma
contínua durante toda a vida. Pela contaminação da água ou do solo, entra com facilidade
na cadeia alimentar, representando um perigo para o homem que se alimenta de peixes. O
mercúrio é utilizado no molde industrial, certas indústrias de cloro-soda, garimpo de poro e
lâmpadas florescentes.
Cádmio (Cd) – contamina a água, o ar e o solo, é bio cumulativo em toda a cadeia
alimentar (trófica), provocando intoxicação nos seres humanos quando ingerem peixes
contaminados com cádmio. O cádmio é utilizado na soldadura, tabaco e nas baterias e
pilhas.
Sobretudo o grupo notou que as pilhas, bactérias e lâmpadas contém metais pesados, no
entanto após o uso estas matérias devem ser depositadas no local apropriado, para que poça
abaixar a poluição das matérias pesadas.
Pesticidas,
Os pesticidas também chamados por agro-tóxicos contaminam as águas ao infiltrarem no
solo. Os agro-tóxicos podem alcançar os ambientes aquáticos através da aplicação
intencional, deriva e escoamento superficial a partir de áreas onde ocorreram aplicações. A
agricultura irrigada é um dos factores que mais contribuem com a degradação da qualidade
da água de rios e açudes. As práticas agrícolas são antiquadas, como as plantações seguindo
as líneas descendentes das águas e não as curvas de nível, o que permitiria uma maior
penetração da água no solo e provocaria um menor arrasto de solo com o escoamento
superficial. Destaca-se ainda que a fragilidade de numerosos estudos de irrigação não tem
propiciado a preservação ambiental. Pelo contrário, tem favorecido a salinização dos solos
e a desertificação, além do assoreamento dos corpos d’água. Neste contexto, merecem
revisão a inúmeros projectos de irrigação implantados nas diferentes bacias do Estado.
Outro factor é o desmatamento de grandes áreas para a agricultura irrigada, que, no geral,
são destinadas à monocultura. Destas áreas, escoam águas carregadas de agro-tóxicos e
nutrientes que aceleram a eutrofização dos corpos d’água e causam seu assoreamento, a
perda de oxigénio dissolvido e a mortalidade de peixes. Estes efeitos, no seu conjunto,
alteram a qualidade e impedem seu uso para consumo humano e industrial (REDE, 2007).
Eutrofização
É o excesso de material orgânica na água (nitratos, fosfatos, sulfatos etc), causando o
aumento das bactérias e consumo de oxigénio. As mesmas liberam o dióxido de carbono
para água. As algas capturam energia solar e dióxido de carbono dissolvido realizado a
fotossíntese e aumento de seu número. Sem o oxigénio os animais aquáticos aeróbicos
morrem.
Consequência da eutrofização
– A morte das algas e plantas enraizadas (falta da luz para a fotossíntese)
– A morte de peixes e outros animais (falta de oxigénio)
– Proliferação excessiva de algas e cia bactérias
Protecção de ecossistema limnico.
A protecção do ecossistema da água doce é algo muito relevante e preocupante, visto que, o
falar da protecção inclui o não coloca lixos em rios, lados e outros ambientes aquáticos e,
principalmente preservar a mata envolta desses locais. Essa mata protege contra erosão e
assoreamento. Ao logo do trabalho abordamos assunto relacionado a poluição da águas,
porem, o acto da protecção existe muitos materiais que usamos nas casas cujo contem
matérias pesadas, nomeadamente, pilhas, bactérias, lâmpadas. Esses recursos após ser
usados não se pode se jogar no ambiente aquático sobretudo poderá provocar a morte dos
organismos da aquela região.
Conclusão
Neste trabalho demos a conhecer a classificação dos lagos (naturais e artificias), habitantes
do ecossistema limnico e exemplos da poluição limnica. Em relação a estudo dos lagos o
grupo tomou conhecimento que existe lagos naturais, que é, originado a partir do
armazenamento constante de grandes volumes de água em depressões que se formam de
maneira natural. Essas depressões podem ser formadas de diversas maneiras, a forma em
que o lago é originado é que da nomenclatura para determinar o tipo de lago.
Lagos artificiais variam, naturalmente de acordo com a região e a natureza da drenagem.
Geralmente são caracterizados pelo nível variável da água e pela forte turvação. A respeito
da poluição limnica concluímos que o excesso de material orgânica na água (nitratos,
fosfatos, sulfatos etc) causa o aumento das bactérias e consumo de oxigénio. Sem o
oxigénio os animais aquáticos aeróbicos morrem. Entre tanto as pilhas, bactérias e
lâmpadas contém metais pesados, no entanto após o uso estes matérias deve ser depositado
no local apropriado, para que poça abaixar a poluição dos matérias pesados.
Bibliografia
Livro-fundamentos-de-ecologia-odum
AGUA ONLINE. Revista digital da água, do saneamento e do meio ambiente. Disponível
em: <http://www.aguaonline.com.br/ > Acesso em: 22 de jun. De 2007
(envenenamento).
https://www.ecodebate.com.br/2012/08/24/agrotoxicos-e-a-poluicao-das-aguas/

Você também pode gostar