Você está na página 1de 2

TED – N2

Pesquise sobre a utilização de gerenciamento de projetos no setor público. Cite as suas principais
características e vantagens.

A evolução do serviço público no Brasil:

As teorias do gerenciamento de projetos no setor público são caminhos possíveis para o


desenvolvimento do país e efetividade das ações do setor. Mas nem sempre essas metodologias
foram colocadas em prática pelos governos.
Até a década de 1930, era adotado o modelo patrimonialista no Brasil. Isso significa que cargos
públicos eram utilizados para o bem próprio e o dinheiro público se misturava com o dos gestores.
Com a reforma burocrática, Getúlio Vargas propôs a implantação de um modelo com forte
intervenção estatal e criou estatutos e órgãos para padronizar e fiscalizar o setor público. Este sistema,
inspirado em Max Weber, começou a introduzir no aparelho administrativo a centralização,
impessoalidade, hierarquização e separação do público e privado, transformando a administração
pública em um setor eficiente.
Contudo, a extrema racionalização dos métodos trouxe algumas disfunções para o modelo, que
passou a focar apenas no modo como as coisas eram feitas, deixando de lado a finalidade dos
processos.
Para corrigir esses desvios, a reforma de 1967 modernizou as iniciativas, criando uma administração
mais eficiente e propícia ao crescimento econômico. Portanto, é possível dizer que essa reforma
introduziu na administração pública procedimentos gerenciais do setor privado, abrindo espaço para
participação do capital privado, por meio de sociedades de economia mista.
A partir desse momento, gestores públicos começam a perceber a importância do planejamento,
gerenciamento e utilização de sistemas racionais para colocar em prática programas e ações.
Em 1995, a reforma gerencial, por meio do Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado, tentou
trazer a governança para o setor público. O objetivo era implementar políticas públicas de modo
descentralizado e com mais autonomia, foco nos resultados, redução de custos e melhoria no
atendimento ao público.

A importância da gestão no setor público:

O gerenciamento de projetos refere-se à aplicação de conhecimentos, técnicas e metodologias que


visam atingir as necessidades e expectativas criadas pelo gestor para um determinado projeto. Assim
como ocorre no setor privado, o setor público também carece de gestores que organizem e
metrifiquem ações.
Ainda que de forma tímida, o Brasil tem evoluído ao longo dos anos buscando alternativas para
melhorar a qualidade dos serviços prestados pelo Estado e a diminuição de custos de cada ação
desenvolvida. Portanto, é preciso que gestores públicos reconheçam a necessidade de uma gestão
estratégica e inovem em métodos que garantam a governança sem ultrapassar os limites de cada
dirigente. Independentemente da esfera, gestores públicos sofrem com o principal desafio de atender
um grande número de pessoas, com qualidade, informações corretas e padronização nos
atendimentos. Dessa forma, o gerenciamento de projetos no setor público se torna uma necessidade
para evoluir e consolidar um modelo de gerência eficiente.

Benefícios do gerenciamento de projetos no setor público:


Os governantes possuem governabilidade, pois foram eleitos para tais cargos, contudo, é um grande
desafio para os líderes alcançarem plena governança, ou seja, criar mecanismos de liderança e
controle para conseguir colocar em práticas ideias e ações.
Assim, a prática do gerenciamento de projetos se faz necessária. Confira os principais benefícios desse
método.

Redução de custos:

Um dos principais objetivos da administração pública contidos na Constituição Federal de 1988 é a


eficiência. Ou seja, executar os serviços com qualidade e respeitando o orçamento público. Assim, ao
gerenciar projetos com métricas e planejamento, fica mais fácil identificar gargalos ou excesso de
gastos que devem ser modificados.

Melhora na gestão de pessoal:

No serviço público, é comum que alguns setores fiquem sobrecarregados e outros ociosos por
algumas sazonalidades ou tipos de serviço. Portanto, o gerenciamento de projetos ajuda o gestor a
perceber como os servidores estão dispostos no organograma e melhorar a gestão de pessoal, se for
necessário.

Transparência nos processos:

A publicidade é outro princípio fundamental da administração pública. Assim, o gerenciamento de


projetos dá mais transparência aos processos tanto para os gestores quanto para os cidadãos que
têm direito ao acesso dos dados para a prestação de contas. Esse direito está garantido pela Lei nº
12.527/2011 – Lei de Acesso à Informação, que legisla sobre o acesso a informações de órgãos e
instituições públicas.

Visualização da viabilidade dos projetos:

No setor público, todos os projetos e ações devem ter seus gastos estipulados no orçamento público.
Por isso, sem dotação orçamentária específica é inviável colocar algo em prática. Assim, para
mensurar corretamente a viabilidade dos projetos, quantitativo da equipe e cronograma, gerenciar o
projeto se faz necessário para não criar expectativas equivocadas.

Facilidade na criação de planos estratégicos:

Desde o desenvolvimento dos modelos de gestão no Brasil, os dirigentes perceberam a importância


dos planos estratégicos e de parâmetros quantitativos para verificar a execução dos projetos. Logo, o
gerenciamento com sistemas padronizados facilita a criação de planos estratégicos, mostrando o que
funciona, o que deve ser alterado e otimiza o uso de recursos disponíveis.

Identificação dos principais problemas:

O setor público sofre com vários gargalos que dificultam uma boa execução do serviço. De fato, há
vários empecilhos que não podem ser solucionados de forma simples, mas identificar os principais
problemas e reclamações é o ponta pé inicial para propor mudanças eficientes.
Portanto, é dever do gestor público zelar pelo direito dos cidadãos e utilizar ferramentas e métodos
que facilitem na organização de prioridades e possíveis soluções para cada problema.

Você também pode gostar