Conceito de Segurança Empresarial: “É um conjunto de medidas, capazes de gerar um estado, no qual os interesses vitais de uma empresa estejam livres

de interferências e perturbações”. Conjunto de medidas: A segurança empresarial não depende apenas do departamento de segurança da empresa, mas envolve todos os seus setores e todo o seu pessoal. Estado: significa uma coisa permanente. É diferente de uma situação, que é temporária. Interesses vitais: Os interesses vitais de uma empresa não estão apenas em não ser roubada ou incendiada. O mercado, os segredos, a estratégia de marketing, pesquisas de novos produtos devem igualmente ser protegidos. Interferências e perturbações: Nada deve impedir o curso normal da empresa. Deve-se prevenir não apenas contra incêndios e assaltos, mas também contra espionagem, seqüestros de empresários, greves, sabotagem, chantagem, etc.  Grau de segurança:

Não existe segurança perfeita, total ou absoluta. O que existe é a segurança satisfatória.  A segurança é satisfatória quando:

- É capaz de retardar ao máximo uma possibilidade de agressão; - É capaz de desencadear forças – no menor espaço de tempo possível – capazes de neutralizar a agressão verificada.  Importância da segurança empresarial:

As empresas não beneficiam apenas os seus proprietários, acionistas ou empregados que nelas trabalham diretamente. Empresas sadias e prósperas beneficiam toda uma região e um universo infindável de pessoas, entre outros, com os seguintes benefícios: geração de impostos, comercialização de matérias primas; incremento dos transportes; expansão das redes de telecomunicações e do sistema financeiro; disputa de mão de obra qualificada; crescimento da construção civil; construção de escolas e hospitais; fortalecimento do comércio do comércio e da agricultura. A obra de Fayol: Henri Fayol, criador da Teoria Clássica da Administração, em sua obra “Administração Industrial e Geral”, publicada pela primeira vez no ano de 1916, em Paris, enumerou seis funções “essenciais” dentro de uma empresa:

3) França Ação Governamental junto às empresas. .1) Funções Técnicas 2) Funções Comerciais 3) Funções Financeiras 4) Funções de Segurança 5) Funções Contábeis 6) Funções Administrativas Infelizmente. Infelizmente ainda prevalece a improvisação. limpeza e manutenção. . Segurança Empresarial no Exterior: A segurança Empresarial é considerada nos países desenvolvidos como uma ciência extremamente complexa. grandes empresas têm negligenciado o item “Segurança” em seus organogramas. com ênfase para Administração de Segurança. 2. Formação do pessoal de segurança é sempre deficitária. 3. Segurança Empresarial no Brasil: 1. prevalecendo o “quebragalho”. estudada em nível de graduação e pós graduação nas mais variadas universidades.Universidade de Ohio: Programa para alunos externos. 2) Japão Os Executivos aprendem técnicas de contra-espionagem industrial e Segurança Empresarial já no curso de graduação.Universidade de São Francisco: Bacharelado em administração. Exemplos: 1) Estados Unidos .Universidade de Detroit: Mestrado em ciências da Administração de Segurança. Geralmente o chefe de segurança também é o responsável por serviços como transporte. Para melhorar o nível de segurança das empresas: .

Decisão da alta direção da empresa. Rígida obediência ao Plano Elaborado e permanente atualização (gerenciamento). 3) As medidas de Segurança não devem impedir ou dificultar a atividade normal da empresa. ROBERT BROW Métodos Utilizados pelos Espiões: 1. sem despertar a suspeita da companhia que serve de vítima”. da seguinte forma: 1. escuta 2.militar estrangeira: extrair. os segredos. Itens a serem observados num planejamento de segurança Empresarial: Administração da Segurança – Proteção Perimetral – Serviços de Vigilância – Controle Interno – Prevenção e Combate a Incêndios – Espionagem – Proteção contra furtos – Prevenção de Assaltos – Segurança dos computadores – Possível Ação Terrorista – Sistema de identificação – Greves e Paralisações – Iluminação – Abastecimento de energia elétrica – Combustíveis e materiais perigosos – Segurança Pessoal – Segurança familiar e Residencial – Eventos Especiais – Pontos e questões críticas. Princípios básicos da Segurança Empresarial: 1) Segurança é prevenção. roubo . Ação individual (“lobo solitário”) 2. Ação organizada (grupos especializados) Fases do processo de espionagem: 1. Espionagem Empresarial: Objetivos da Espionagem: “O objetivo de uma operação de espionagem empresarial bem sucedida é a mesma da espionagem político . acompanhamento 3. de forma continuada. Prevenção é treinamento. 2. específico para a empresa. Processamento: a) análise de vulnerabilidades b) Implantação 3. 2) O investimento em segurança é proporcional ao risco que se corre.Através de um Plano Integrado de Segurança.

... corrupção Alguns Sintomas da Espionagem Empresarial: 1.......... Um concorrente lhe “passa uma rasteira”... fotografia 5.. infiltração 6. chefes. ainda em estoque na fábrica ou nos revendedores.. pouco antes ou ao mesmo tempo que o seu.. e faz cair as vendas do modelo anterior.. 2. Uma campanha de publicidade precede e prejudica a sua que estava prestes a ser lançada... 8..... etc. notícias e informações.. O próximo lançamento de seu novo modelo é amplamente difundido com detalhes.. 02) A importância de um sistema de segurança é em função das ameaças que pesam sobre o que ele protege. pede demissão para trabalhar numa firma concorrente.Ativas Defesas à Distância. 9. 03) O valor de um sistema de segurança mede-se por seu ponto mais fraco.Físicas Defesas Móveis. . é lançado no mercado. Um produto novo. 5.. técnicos.... Um de seus diretores..De Inteligência 01) Um sistema de segurança compreende um conjunto de medidas... Houve na empresa.4. Pedem-lhe com mais freqüência que a costumeira. 3.. Queda inexplicável do volume de vendas ou de negócios em certos setores ou no total do mercado... 4.... Tipos de Defesa: Defesas Estáticas..... comparável ou idêntico ao seu. tendo em vista fabricar eventualmente seu produto.... um roubo que lhe pareça curioso. sob licença.. 7. fora do comum ou dificilmente explicável.. com ou sem arrombamento...... 6...... Firmas estrangeiras solicitam estudos. Para se defender da espionagem: A defesa é feita através de medidas de “Segurança Interna”.....

10) Todo o sistema de Segurança deve comportar no mínimo um elemento de surpresa para o agressor. 05) O acesso as informações secretas é limitado unicamente às pessoas que têm necessidade de conhecê-las em razão de suas funções. Ação Emergencial e Administração de Crises: Conceitos: Emergência: “Uma combinação imprevista de circunstâncias. Riscos Provocados por Ação Humana: 1) Sabotagem 2) Greves e paralisações 3) Ação de guerrilhas . os documentos ou materiais secretos devem estar sempre colocados sob uma responsabilidade bem definida...” Crise: “Dificuldade acentuada que poderá ser debelada com ações específicas. A segurança deve ser compreendida. 09) Tudo o que serve para proteger um segredo é secreto. 6) Terremoto.” Riscos Naturais: 1) Incêndios 2) Explosões 3) Desabamentos 4) Epidemias 5) Vendavais.. 08) Trancados ou não. Os riscos devem ser agrupados e os segredos divididos. maremoto. raios. que exigem ação imediata.. admitida e aprovada por todos. 06) 07) As pessoas vulneráveis não devem ter acesso às informações secretas. 11) 12) As medidas de segurança jamais devem atrapalhar a marcha da empresa.04) Um sistema de segurança deve reduzir ao mínimo a demora de intervenção da defesa e retardar ao máximo a possibilidade de uma agressão.

.) 3) Operações: a) Formação de uma Brigada de Emergência b) Administração de recursos humanos e materiais c) Coordenação com forças militares.4) Atentados terroristas 5) Convulsão social 6) Distúrbios civis Objetivos de uma Operação Emergencial e de Administração de Crises: 1) Enfrentar a situação 2) Operar em condições anormais 3) Restabelecer a normalidade Método de Ação: 1) Educação preventiva a) Programa de treinamento b) Estabelecimento de metas c) Conscientização 2) Coleta e análise de informações a) Análise de riscos b) Investigações c) Canal de comunicação com forças de segurança (polícia. defesa civil. policiais e de Defesa civil. Metodologia operacional em ação emergencial e em administração de crises: a) Estabelecimento de um “comando” b) Criação de uma “central de operações” c) Prioridades para vidas humanas d) Primeiros socorros e) Ação da defesa civil .. bombeiros.

são retirados da fábrica para evitar as pressões dos supervisores. Adotada em 1979. Só a coordenação do movimento sabe com antecedência onde haverá paralisação. Prevaleceu em 1984. 2) Evolução das táticas de greves. e) “Operação tartaruga”: usada freqüentemente. d) “Vaca Brava”: Foi a tática usada na greve de 1985 pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais. máquinas paradas”: o operário em greve não sai do seu posto de trabalho. Para Evitar Greves: Renomeadas consultorias de Recursos Humanos. batem cartões e. baseada nos seguintes princípios: 01) Formar uma equipe profissional para negociar. Basta que pare um setor vital e todo o resto terá sua produção comprometida. c) “Pipoca”: A greve vai pipocando em empresas diferentes. Joga baralho para passar o tempo. copiada da experiência dos operários alemães. inclusive fornecedores. numa operação “arrastão” comandada pela coordenação do movimento. Violência. 03) Manter um canal de comunicações para detectar insatisfações antes que os ânimos se acirrem. têm aconselhado a tática da “Negociação contínua” para evitar greves. 02) Munir as chefias. 05) Desenvolver a capacidade de ouvir e analisar as reivindicações. com noções sobre comportamento e relações humanas. f) “Abelha”: É a mais recente. 04) Tomar a iniciativa. A orientação na empresa é “pinta uma. nos vários níveis da empresa. É uma tática que dispensa a paralisação da empresa como um todo. Ação grevista extremamente organizada. 07) Estabelecer diretrizes para a negociação. que detenha informações sobre produtividade e custos de produção. b) “Arrastão”: Todos entram na empresa. nacionais e estrangeiras. É uma tática que exige agilidade e muita mobilização. mas não trabalha. pula dois”. movimento que durou 54 dias. . 06) Exigir clareza e definição das reivindicações.f) Recuperação material Algumas considerações sobre greves: 1) Autolatina. Ocorreu em 1978. a) “Braços cruzados.

por parte de diversos países. Segurança Pessoal do Empresário: Causas do aumento da criminalidade: 1) Convulsão social. pelas seguintes razões: 1) O assalto oferece risco ao assaltante. . 4) A repressão do tráfico de drogas. 3) No seqüestro pode se estipular uma quantia. 12) Não exceder a média de quatro horas de conversação em cada etapa da negociação. e esses por falta de dinheiro. agendar encontro informal com um representante de cada parte. o seqüestro dificilmente oferece risco ao seqüestrador. 3) Aumento do consumo e comercialização de substância entorpecentes e psicotrópicas. com presos políticos. acabou por deixar desempregados inúmeros traficantes “intermediários”.: Falange vermelha. 13) Diante de impasse. O Surgimento dos Seqüestros: Recentemente os assaltado passaram a ser substituídos pelos seqüestros. 4) Apogeu das comunicações. 09) Iniciar negociações somente depois de reunir todas as informações sobre as reivindicações. 10) Agir de maneira franca e clara.08) Não demonstrar surpresa diante das reivindicações – absorvê-las com profissionalismo. 11) Evitar reações emocionais – mostrar tolerância nas discussões. No assalto conta-se com a sorte. 2) Os bancos passaram a manter cada vez menos dinheiro em caixa. 14) Negociar até a exaustão. Assaltos à bancos: De todas as modalidades criminosas aprendidas pelos criminosos comuns com os terroristas a que mais proliferou foi a dos assaltos à bancos e estabelecimentos financeiros. Êxodo rural seguido do favelamento. Ex . na sua maioria terroristas. 2) Convivência no presídio dos criminosos comuns. passaram a se dedicar aos seqüestros.

que difundiu suas técnicas aos grupos latino-americanos. indicaram o local onde estaria Roberto Medina. ocorrido em 1975. armada em uma sala deserta. provoca grande comoção entre parentes e amigos da vítima. vulgo GUGU. confessou que se inspirou no manual das “Brigadas Vermelhas”. ou seja. Ex . por sua vez. 5) Outra técnica é manutenção do seqüestrado em um compartimento fechado e isolado. grupo terrorista da Itália. O chefe dos seqüestradores. José Augusto. 4) Uma das técnicas é manutenção do seqüestrado em uma barraca de camping. comandante da OTAN na Itália. foi libertado. a “compartimentação”.5) O seqüestro envolve sempre uma vida querida. aprenderam seus métodos através do manual das “Brigadas Vermelhas”. Quando “Preá” e “Professor” foram detidos pela polícia. 3) O primeiro empresário brasileiro seqüestrado com a utilização das técnicas das “Brigadas Vermelhas” foi o joalheiro paulista Américo dos Santos. Após 38 dias desaparecido. em São Paulo em 1983. Métodos Utilizados Pelos Seqüestradores: 1) São métodos terroristas. num conjunto . 2) Os criminosos políticos. com a utilização das técnicas hoje utilizadas no Brasil. foi o general norte-americano James Dozier. contendo geralmente: a) Revestimento em madeira b) Uma caixa de som c) Um olho mágico de fora para dentro d) Um conjunto de regras. 8) Até mesmo a organização das quadrilhas adota um sistema similar aos dos grupos terroristas dos anos 70. escritas em um papel afixado na parede e) Um vaso sanitário f) Um colchão 6) Todos os grandes seqüestros ocorridos em São Paulo tinham essas características: a) Antônio Beltran Martinez – 1986 b) Luiz Salles – 1989 c) Abílio Diniz – 1989 7) A primeira vítima das “Brigadas Vermelhas”. o que geralmente. aprendidos com os criminosos políticos dos anos 60 e 70.: Seqüestro de Roberto Medina.

.: a) Rei Hussein. nada poderá detê-lo”. d) Dificultar o acesso ao empresário e altos executivos através de “barreiras” de proteção: . Evitando o Seqüestro: 1) Evitar o otimismo exagerado: “Isso pode acontecer aos outros mas nunca acontecerá a mim ”. da Jordânia – vive sob constantes ameaças. b) Dirigir o mais rápido que a lei permitir. Procurar um ponto de equilíbrio. membros superiores da organização haviam mudado os planos. da França.Observação de um perímetro . alarmes.Segurança rotineira . Ex . Ou pessimismo cético: “Se alguém estiver mesmo a fim de me pegar. b) Treinamento do pessoal em segurança. b) Presidente Charles De Gaule.habitacional em Niterói.Criação de uma “área protegida” . Evitar infiltrações.Estabelecimento de um refúgio seguro. sobreviveu a 31 atentados. c) Segurança física (portões. guardas). “Maurinho Branco” e “Casacão”. Por isso procuram sempre o alvo mais fácil. Na Rua: a) Variação de horário e trajeto. 2) Os seqüestradores são profissionais e não querem errar. Fazer investigação social. Lá chegando a polícia nada encontrou. 3) É perfeitamente possível conciliar as atividades empresariais e particulares com um esquema de segurança. Possíveis Locais de Seqüestro: 1) no trabalho 2) na rua 3) no lar 4) cuidados com a família No Trabalho: a) Atenção com os funcionários.

menos traumatizante será a experiência. No Lar: a) Muros altos. procure fazer amizade com eles. Faça um plano de fuga. g) Estar preparado para as humilhações. má alimentação. privações. Pode haver seqüestradores. encomendas. d) Lembre-se que apenas 3% dos casos de seqüestro terminam com a morte do refém.). d) Circuito fechado de TV e) Ao receber visitas.: polícia. por mais impossível que possa parecer.. vegetações.c) Vidros e portas fechados e travados. c) Trancas seguras e confiáveis. i) Procure ocupar o tempo fazendo exercícios físicos.. Ex . escrevendo. Isso pode ajudar nas negociações. f) Evitar trafegar atrás de veículos do tipo furgão. certifique-se de sua idoneidade. Por mais difícil que possa parecer. g) Só usar “seguranças” se forem adequadamente treinados. Elimine obstáculos naturais (árvores.. f) Cães de guarda. e) Evitar o centro das ruas. c) Procure saber o máximo possível sobre seqüestros. b) Boa iluminação. os filhos e amigos sobre isso. O Comportamento do Seqüestrado e as Negociações: a) Esteja mentalmente preparado. b) Converse com a esposa. f) Tome nota mental de tudo que se passa e não provoque os seqüestradores. h) Evite o ódio aos seqüestradores. . Quanto mais souber. memorizando detalhes do local. g) Comunicação fácil com a segurança h) Abrigos.. etc. d) Trafegar sempre mantendo uma certa distância para fugas. Estabeleça metas. ausência de sono. Preferir sempre as laterais.. e) A melhor hora para escapar do seqüestro é a hora da abordagem. manutenção..

Repousar um pouco. Planejamento Emergencial: a) Tem por objetivo a administração da crise. e tente convencê-los a se entregar. tais como advogados. Deixe isso para os seqüestradores. d) Procurar desgastar os seqüestradores. O Refém Depois da Libertação:     Procurar cuidados médicos e assistência psicológica. de que no momento. tentando inverter os papéis: de pressionadores a pressionados. antes de voltar à sua atividade normal. assessores de segurança. estão em igualdade de condições. captura e prisão dos criminosos. Ser o mais claro possível em seu depoimento na polícia. Evitar atitudes de culpa ou de revolta . libertação do refém. etc. Assim a polícia poderá testar-lhes o estado de espírito. negociações. k) Nunca negociar com a polícia.j) Em caso de cerco da polícia. tente sensibilizar os seqüestradores. c) Exigir provas de que a vítima está viva. b) Deve-se contar com a assistência de pessoas preparadas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful