Você está na página 1de 7

1 INTRODUÇÃO TEÓRICA

Quando precisamos operar equipamentos que trabalham com tensão e/ou correntes elevados,
usamos como elemento de interface de comando a partir de um circuito eletrônico o relé.
O relé é um dispositivo que serve para abrir ou fechar os contatos num circuito, como mostrado
na Figura. A parte principal do relé é o eletroímã, constituído pela bobina B, armadura A e núcleo
ferromagnético N. A bobina é alimentada por tensão e corrente i. Quando isto acontece é gerada
pela bobina uma força magnética que atrai a armadura, que gira em torno do ponto D. Uma peça
metálica CDE é ligada a armadura, e se desloca junto com ela. Outra peça metálica FG é fixa. A
finalidade do relé é estabelecer ligação entre os pontos G e E, através da parte metálica GF-CDE.

Figura 1: Partes Principais do Relé

Se não houver corrente circulando pela bobina não há indução magnética então a mola M matem
levantada a armadura A e os contatos F e C abertos. Se houver circulação de corrente pela
bobina é induzida uma força magnética capaz de vencer a força da mola M e atrair a armadura A
que gira ao redor do ponto D, fechando os referidos contatos, permitindo a circulação de corrente
I entre os contatos G e E.
Entre as vantagens do uso de relés, podemos citar:
● A corrente i que o relé utiliza para operar independe da corrente I que ele controla
mediante a abertura e fechamento de seus contatos. Deste modo, através de uma
pequena corrente i podemos controlar uma grande corrente I;
● A corrente i pode ser controlada por um circuito eletrônico e pode ser da ordem
milésimos de Amperes, e o relé opera rapidamente, em tempos da de milésimos de
segundo;
● A corrente I que circula pelos contatos controlados pela energização da bobina pode
ser grande, da ordem de Amperes;
Até os anos 1980 os relés eram, largamente, utilizados na implementação de lógicas de controle,
tais como a do controle da circulação de trens, por serem robustos e duradouros, os relés vitais.
Os bases dos relés eram montados sobre uma placa isolante de um bastidor. Os contatos das
bobinas e dos contatos, propriamente, ditos eram interligados por fios. Razão pela qual essa
implementação era denominada de “wired logic”, que na tradução literal significa lógica fiada.
A figura apresenta o diagrama simplificado do relé. A bobina é ligada aos terminais 1 e 2, que
enquanto desenergizada mantem a alavanca de contato caída, conectando os contatos central e
inferior 4, razão pela qual este contato é denominado normalmente fechado (NF), e o contato
superior 5 aberto denominado normalmente aberto (NA). O estado normal corresponde ao estado
dos contatos enquanto desenergizada a bobina.
Figura 2: Diagrama Simplificado do Relé

Em suma, o relé, também denominado relê, pode ser entendido como uma chave liga-desliga é
acionada por um campo magnético gerado pela bobina quando energizada.

2 PARTE EXPERIMENTAL
2.1 Circuito
Monte o esquemático do circuito da figura.

Figura 3: Circuito a ser montado para a experiência

Inicialmente deixe os contatos entre a fonte VBobina e a bobina do Relé (caixa com terminais + e
– e contatos NA Contato_Rele), cujo contato é nomeado Contato_Rele no estado aberto,
literalmente, falando. Isto irá simular a chave Liga do no estado aberto. Isto se justifica porque o
QUCS realizada a simulação, se tivéssemos colocado uma chave no estado fechada.
Edite as propriedades dos componentes do circuito para os valores indicados.
Atribua o estado inicial para a chave Desliga como fechado. Esta chave simula o botão de
emergia, em geral do tipo soco, que abriria os contatos e desligaria a tensão para a carga.
As simulações a serem realizadas serão do tipo Tensão Constante. As variáveis a serem exibidas
no diagrama tabela serão:
● Tensão na bobina do relé através da ferramenta NAME aplicada na bobina do relé;
● Corrente fornecida pela fonte do circuito do contato do relé, que é igual a corrente na
carga,
● Tensão na Resistência de Carga pela opção NAME do nó da resistência de carga.
O QUCS não realiza dinâmica do circuito. Portanto a visualização do estado do contato se dará
pela determinação da tensão na carga, que simula o equipamento cuja operação é controlada
pelo circuito, como por exemplo, um motor de corrente contínua.

2.2 Simulação no Estado Desenergizado da Bobina


Realize a simulação com a bobina do relé no estado desenergizado, para tanto deixe o circuito no
estado inicial acima indicado. Apresente a tabela da simulação. Justifique os valores encontrados.
2.3 Simulação no Estado Energizado da Bobina
Realize a simulação com a bobina do relé no estado Energizado, para tanto ligue a fonte à bobina
do relé através de fio de ligação. Apresente a tabela da simulação. Justifique os valores
encontrados.
2.4 Simulações do circuito com a Chave Desliga no Estado Aberto
Mude nas propriedades da chama o seu estado inicial para aberto.
Repita as simulações nos estados desenergizado e energizado da bobina do relé.
3 RELATÓRIO
3.1 Cálculo e Comparação das Variáveis Medidas
Calcule a corrente controlada quando o Contato_Rele estiver fechado e quando estiver aberto.

Quando o Contato_Rele estiver fechado, a corrente controlada será de 40 A. Já quando ela


estiver aberta a corrente será de 2e-10 A.

Calcule a corrente de controle, quando a fonte VBobina estiver ligada e desligada à bobina do
relé. Considere a resistência da bobina do relé é de 450Ω.

Quando estiver ligada será: I = V/R = 12/450 = 0.027 A.


Quando estiver desligada será: I = V/R = 0/450 = 0 A.

Compare os valores medidos com os valores calculados. Justifique a diferença.

Os valores apresentados foram satisfatórios para ambos os cálculos e medições.

3.2 Descrição de Funcionamento do Circuito


Apresente a descrição do funcionamento do circuito incluindo as imagens comprobatórias de tal
funcionamento.
O funcionamento se dá através da circulação de uma corrente pela bobina do relé, criando
um campo magnético que atrai um contato, fazendo com que ele feche ou abra circuitos. Quando a
corrente cessa, tal efeito de abrir ou fechar é revertido. Possuem alguns tipos, cada qual sendo
escolhido para uma determinada situação.
3.3 Formato do Nome do Relatório
A presente o Nome identificador do arquivo do relatório no seguinte formato

Nome_Sobrenome – Lab 2 – 2021-MM-DD.extensão

Onde:
Nome é o primeiro nome do aluno,
Sobrenome é o último sobrenome do aluno,
MM: dois dígitos do mês,
DD: dois dígitos do dia de envio do Relatório por e-mail.

Você também pode gostar