Você está na página 1de 17

Lesão do Lábio

Superior de Anterior
para Posterior (SLAP)
Estagiários: Izabella Pereira e Josué Queiroz
Fisioterapeuta: Fernanda Nabarrete
SLAP
Lesão no lábio superior da glenóide, que pode acometer o tendão da
cabeça longa do bíceps.

Ocorre, geralmente, concomitantemente com outras lesões do ombro


(instabilidade glenoumeral, rupturas do manguito rotador, rupturas do
tendão do bíceps).

Os sintomas, incluem: dor (principalmente com atividades acima da


cabeça), crepitações ao movimento, sensação de instabilidade e/ou
perda de força. A dor pode estar localizada profundamente no ombro ou
irradiar para os aspectos anterior ou posterior do ombro.
Estruturas afetadas
Estruturas afetadas
Mecanismo de Lesão
As lesões SLAP podem ter origem traumática ou degenerativa por
movimento repetitivos.

Os mecanismos comumente reconhecidos, incluem:


Lesão por tração no braço;
Cargas de compressão direta, como uma carga axial de uma
queda em um braço estendido;
Atividades repetitivas suspensas, como arremessar uma bola ou
movimentos aéreos;
Lesão por tração direta do tendão do bíceps também tem sido
sugerida como etiologia das lesões SLAP.

Avaliação
Histórico que inclua o mecanismo da lesão e o grau de trauma
sofrido durante a lesão;

O paciente deve ser questionado quanto à localização, qualidade e


duração da dor ou sintomas;

A inspeção e o exame físico devem incluir as articulações


glenoumeral, esterno clavicular e acromioclavicular. A palpação
deve incluir toda o ombro e as estruturas ósseas e de tecidos
moles circundantes.
Avaliação
Testes Especias utilizados:

Provocação da dor;
Testes de instabilidade (apreensão anterior e realocação);
Testes de impacto (Hawkins, Neer, arco doloroso);
Testes relacionados ao bíceps (teste de compressão ativa de
O'Brien, teste de Yergason, teste de Jobe).

Como método de diagnóstico por imagem pode ser utilizada a


ressonância magnética ou artroressonância.
Avaliação
Tratamento Conservador
Muitos pacientes alcançam resultados satisfatórios e são capazes de
retornar ao esporte sem cirurgia, recomenda-se um programa de 3 a 6
meses de tratamento não-operacional como a primeira linha de gestão.
Baseado em:

Ganho da flexibilidade posterior do ombro;


Diminuição do déficit de rotação interna do ombro e perda de adução
horizontal, força, resistência e controle neuromuscular da musculatura
do manguito rotador e região periescapular para restaurar a função
do ombro.
Tratamento Cirúrgico
As lesões SLAP foram identificadas em 6% a 26% das artroscopias de
ombro de todas as causas.

A principal razão para o tratamento cirúrgico é a falha do tratamento


não cirúrgico. Outros fatores, principalmente a idade do paciente, o tipo
de atividade esportiva, o nível de participação do indivíduo (recreativo,
amador, profissional) e o grau dos sintomas são considerações
importantes.

As opções cirúrgicas incluem desbridamento, reparo, tenotomia do bíceps


e tenodese do bíceps. Utiliza-se tachinhas, grampos ou âncoras de sutura.
Tratamento Cirúrgico
Tratamento Pós-Operatório
Referências Bibliográficas
Boesmueller, S., Tiefenboeck, T.M., Hofbauer, M. et al. Progression of function and pain relief as indicators for returning
to sports after arthroscopic isolated type II SLAP repair—a prospective study. BMC Musculoskelet Disord 18, 257
(2017). https://doi.org/10.1186/s12891-017-1620-3. Disponível em
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5470215/. Acesso em: 10 jun 2022.

LEVASSEUR, Matthew R; et al. SLAP tears and return to sport and work: current concepts. Journal Of Isakos, [S.L.], v.
6, n. 4, p. 204-211, jul. 2021. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1136/jisakos-2020-000537. Disponível em:
https://www.jisakos.com/article/S2059-7754(21)00008-0/fulltext. Acesso em: 10 jun 2022.

MILIARI, Filippo; et al.. SLAP lesions: current controversies. Efort Open Reviews, [S.L.], v. 4, n. 1, p. 25-32, jan. 2019.
Bioscientifica. http://dx.doi.org/10.1302/2058-5241.4.180033. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6362364/. Acesso em: 10 jun 2022.

Sarıkaya Baran; et al. Comparison of the clinical results of isolated Bankart and SLAP 5 lesions after arthroscopic
repair. Jt Dis Relat Surg. 2020;31(2):223-229. doi: 10.5606/ehc.2020.74750. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7489155/. Acesso em: 10 jun 2022.

TAKEUCHI, Yasutaka; et al. Superior Labral Injuries in Elite Gymnasts: symptoms, pathology, and outcomes after
surgical repair. Orthopaedic Journal Of Sports Medicine, [S.L.], v. 8, n. 7, p. 232596712093500, 1 jul. 2020. SAGE
Publications. http://dx.doi.org/10.1177/2325967120935001. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7361489/. Acesso em: 10 jun 2022.

Você também pode gostar