Você está na página 1de 4

FACULDADE DOM BOSCO

Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004


Cornélio Procópio/Paraná

CAROLINE DE SOUZA BONFIM

RESENHA DE FILME
“UP – ALTAS AVENTURAS”
Cornélio Procópio-PR
2018

CAROLINE DE SOUZA BONFIM

RESENHA DE FILME
“UP – ALTAS AVENTURAS”

Trabalho apresentado ao Curso de


Graduação em Psicologia, da Faculdade de
Ensino Superior Dom Bosco de Cornélio
Procópio –PR, como requisito parcial para a
aprovação na Disciplina de Psicologia e
Pesquisa I.

Professor(a): Amanda M. Reis


Cornélio Procópio-PR

2018

VENCENDO O LUTO, SUPERANDO AS PERDAS

BONFIM, Caroline de Souza


Acadêmica do curso de Psicologia
Faculdade de Ensino Superior Dom Bosco
carolinebonfim@live.com
Professora: Amanda M. Reis

DOCTER, P. H. Up – Altas Aventuras. Emeryville, Califórnia, Estados Unidos: Pixar


Animation Studios, 2009. 96 min.

Peter Hans Docter, mais conhecido por Pete Docter, nascido em 9 de outubro
de 1968 na cidade de Bloomington, no estado americano de Minnesota, é um
cineasta aclamado por dirigir inúmeros sucessos do estúdio de animação americano
Pixar, como Monsters, Inc., além de contribuir para os mais bem-sucedidos filmes de
animação em todo o mundo.
A história do filme gira em torno de dois personagens principais, Carl
Fredricksen, um idoso, rabugento, aposentado e vendedor de balões, e Russel, um
jovem escoteiro que busca conquistar novas aventuras.
Carl, em sua infância, se apaixona Ellie, sua cara-metade, já que ambos eram
aventureiros e fascinados por aviação, tendo como sonho flutuar para a América do
Sul. Deste momento em diante os dois não se separam, até que Ellie adoece e
acaba falecendo. A trama se inicia, quando Carl, aos 78 anos, mesmo de luto, busca
realizar o sonho de sua finada esposa, e com inúmeros balões anexados à sua
casa, a utiliza como transporte para alcançar seu destino. Russel, sem querer,
acaba decolando junto nesta viagem, e Carl tem que aceitar a companhia deste
pequeno que tem como finalidade ajuda-lo no que for possível, já que busca se
tornar um escoteiro sênior. Mesmo sendo apegado aos seus bens materiais, por
serem as últimas recordações físicas de sua esposa, o velho acaba por abrir mão de
seus pertences para ajudar seus novos amigos.
O filme é uma animação de comédia dramática surrealista, onde o
personagem Carl é parcialmente baseado em um dos maiores atores de cinema de
todos os tempos, Spencer Tracy.
Com um toque de emoção, o filme mostra como o luto é enfrentado através
do sentimento de um idoso, que através de frustrações e fracassos, descobre que,
mesmo após de uma grande perda, ainda é possível conquistar novos objetivos e
aliar-se à novas amizades, deixando explícito que esta, dotada de amor, é mais
gratificante e importante do que itens materiais simbólicos, e que a verdadeira
lembrança estará sempre presente na memória de cada um. Através da distinta
idade dos dois personagens principais, é possível analisar como as gerações se
modificam de forma contínua através do tempo, e como as ações de cada um são
provenientes da época em que vivem, mesmo convivendo em uma mesma realidade
atual.
Indica-se este filme para todos os públicos, que mesmo por se tratar de uma
animação, acaba por abordar enfrentamentos psicológicos, trazendo consigo uma
mensagem expressiva e familiar. É, também, de ampla utilidade para acadêmicos
dos cursos de Psicologia e Pedagogia, por possuir como temas centrais o luto, o
enfrentamento diante dele e a diversidade de ações interligadas ao âmbito
educacional de cada personagem.

Você também pode gostar