Você está na página 1de 52

PRINCÍPIOS DE

MATEMÁTICA

Prof. Joctã L. Galvão


EMENTA DA DISCIPLINA:

1. Conjunto dos Números Naturais (ℕ) e Inteiros


(ℤ).
2. Operações com Frações e Números decimais.
3. Razão e Proporção.
4. Porcentagem.
5. Regra de Três Simples. Regra de Três
Composta.
6. Sistema de Medidas (Massa e Capacidade).
7. Cálculos de Gotejamento (gota e microgota).
8. Diluição de medicamentos.
9. Rediluição de medicamentos
INFORMAÇÕES IMPORTANTES: Modo de avaliação

A AVALIAÇÃO SERÁ COMPOSTA POR 4 ATIVIDADES:

1 LISTA DE EXERCÍCIOS

2 ATIVIDADE AVALIATIVA COM 6


QUESTÕES

3 SEMINÁRIO

4 AVALIAÇÃO FINAL
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

2 DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

4 EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

Em alguns casos de prescrição médica, é


recomendado a administração de medicamento
por infusão venosa, ou seja, o medicamento será
administrado diretamente na veia do paciente.
Para esse tipo de procedimento é necessário fazer
o controle dessa infusão. Esse controle é feito por
meio de cálculos de gotejamento, tornando, assim,
o procedimento mais eficiente e seguro.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

O cálculo de gotejamento é feito a partir de


algumas fórmulas e suas variações, mas antes de
apresentar essas fórmulas, precisamos apresentar
alguns conceitos relacionados a ele:
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

EQUIPO: O equipo é um dispositivo para infusão,


controle de fluxo e dosagem de soluções parenterais. Ele
conecta o recipiente de soluções (frasco ou bolsa) ao
dispositivo de acesso venoso (cateter intravenoso). Os
componentes do equipo para infusão incluem: ponta
perfurante com protetor adequado pra garantir a
esterilidade; entrada de ar com filtro; câmara gotejadora
transparente e flexível; filtro de partículas; tubo flexível;
pinça rolete anatômica de precisão; injetor lateral com
borracha autocicatrizante e aba de proteção; conector
luer slip ou luer lock.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

EQUIPO: há equipo de infusão macrogotas (ou gotas)


e o microgotas. A utilização de qualquer um deles, vai
depender do tipo de controle e velocidade de gotas que
se precisa controlar.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

FRASCO OU BOLSA: é o local onde estará o


medicamento a ser administrado no paciente. Na bolsa
existe a entrada onde permitirá a conexão com o
EQUIPO.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

CATETER INTRAVENOSO:
O cateter intravenoso é utilizado para a cateterizarão
periférica de curta e média permanência. Um dispositivo
que serve para administrar soluções e drogas em grande
quantidade diretamente nas veias
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

BOMBA DE INFUSÃO (PERFUSÃO): é um


aparelho eletrônico digital que serve para fazer um
controle mais rígido de infusão de medicamento. Por
meio dele, é possível fazer o controle de gotejamento de
maneira mais precisa.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

MACROGOTAS ( GOTAS): é a quantidade de


gotas que contém em um ml. É possível considerar que
em cada 1 ml possui 20 gotas. Então, sempre que
quisermos transformar ml para gotas, multiplicamos por
20.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

MICROGOTAS: é a quantidade de microgotas que


contém em um 1ml. É possível considerar que em cada 1
ml possua 60 microgotas. Então, sempre que quisermos
transformar ml para microgotas, multiplicamos por 60.
A partir dessas informações é possível concluir que em
cada 1 gota há 3 microgotas.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

FÓRMULA DE GOTEJAMENTO EM
HORAS: quando um medicamento for
prescrito para ser infundido em tempo dado
em ou horas (por exemplo: 6/6 horas, 8/8
horas, 12/12 horas), precisaremos usar uma
das duas fórmulas seguintes, uma pra
encontrar a quantidade de gotas por minuto e a
outra para encontrar a quantidade de
microgotas por minuto.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

FÓRMULA DE GOTEJAMENTO EM
MINUTOS: quando um medicamento for
prescrito para ser infundido em tempo dado
em ou minutos (por exemplo: em 30 minutos,
em 45 minutos, em 50 minutos.), precisaremos
usar uma das duas fórmulas seguintes, uma
pra encontrar a quantidade de gotas por
minuto e a outra para encontrar a quantidade
de microgotas por minuto.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO EM HORAS (gotas):

EXEMPLOS:
1ª)Em quantas gotas por minuto deve ser controlado o gotejamento
para que 500 ml de soro glicosado sejam administrados em 8 horas.

2ª)Em quantas gotas por minuto deve ser controlado o gotejamento


para que 0,6 litro de soro glicosado seja administrado em 7 horas.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO EM HORAS (microgotas):

EXEMPLOS:
1ª)Em quantas microgotas por minuto deve ser controlado o
gotejamento para que 600 ml de soro glicosado sejam
administrados em 8 horas.

2ª) Em quantas microgotas por minuto deve ser controlado o


gotejamento para que 1 litro de soro glicosado seja administrado
em 6 horas.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO EM MINUTOS (gotas):

EXEMPLOS:
1ª)Em quantas gotas por minuto deve ser controlado o gotejamento
para que 100 ml de uma solução sejam administrados em 45 minutos.

2ª)Em quantas gotas por minuto deve ser controlado o gotejamento


para que 0,6 litro de soro glicosado seja administrado em 360 minutos.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

CÁLCULO DE GOTEJAMENTO EM MINUTOS (microgotas):

EXEMPLOS:
1ª)Em quantas microgotas por minuto deve ser controlado o
gotejamento para que 250 ml de uma solução sejam administrados em
30 minutos.

2ª)Para uma solução de 200 ml em 30 minutos, utilizando equipo de


microgotas, devem ser infundidas quantas microgotas por minuto?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

DESAFIOS:

1ª) Para infundir um soro fisiológico 0,9% de 1000 mL em 24 horas a um


paciente usando equipo de macrogotas e microgotas, quantas gotas e
microgotas serão administradas por minuto, respectivamente?

a) 09 macrogotas e 38 microgotas.
b) 22 macrogotas e 58 microgotas.
c) 20 macrogotas e 60 microgotas.
d) 14 macrogotas e 42 microgotas.
e) 10 macrogotas e 60 microgotas.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

DESAFIOS (QUESTÃO DE CONCURSO:

2ª) Banca: CONTEMAX – Foi prescrito 800 ml de soro fisiológico a 0,9%


para correr em 5 horas, qual a velocidade de gotejamento em microgotas por
minuto?

a) 55 microgotas por minuto.


b) 120 microgotas por minuto.
c) 53 microgotas por minuto.
d) 160 microgotas por minuto.
e) 150 microgotas por minuto
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM:

1 CÁLCULOS DE GOTEJAMENTO (GOTA E MICROGOTA).

DESAFIOS (QUESTÃO DE CONCURSO:

3ª) Banca: CESGRANRIO – Calcule o tempo necessário para infundir 100 mL


de antibiótico com um gotejamento de 200 microgotas por minuto?
a) 0,5 hora
b) 1,5 horas
c) 4,5 horas
d) 2,0 horas
e) 5,5 horas
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

A diluição de medicamento consiste na


alteração de concentração de uma substância já
reconstituída, ou seja, já em seu estado líquido e
colocada na dosagem correta, de acordo com a
receita, ou prescrição médica. Para se diluir um
medicamento, é necessário pegar a ampola com
o medicamento em estado liquido e juntar a
algum outro liquido (diluente), como por
exemplo água estéril, cloreto de sódio 0,9% e
glicose 5%.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO X RECONSTIUIÇÃO

Aprendemos que diluir significa diminuir a taxa


de concentração de determinada substância
liquida, ou seja, é misturar alguma substância
que já estava em seu estado líquido com outra
substância também líquida e assim fazer com
que diminua essa concentração de substância.
Vamos para exemplos cotidiano e depois
passaremos para exemplos com medicamentos.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO X RECONSTIUIÇÃO
Veja o exemplo do café que tomamos todos os dias
em casa: Imagina que alguém tenha passado um
café e ele tenha ficado muito “grosso” (ou seja,
muito concentrado). O que precisamos fazer para
diminuir a taxa de concentração desse café? A
resposta seria colocar mais café ou mais água?
Com certeza diríamos: colocar mais água. Essa
adição de água, para diminuir a taxa de
concentração (para deixar o café mais “ralo”) do
café, pode ser considerado como diluição.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO X RECONSTIUIÇÃO
Então, o processo de adicionar líquido
em algo já líquido, para diminuir a taxa
de concentração, se chama diluição. Mas
o que seria RECONSTITUIÇÃO, então?
Vamos usar novamente exemplo
cotidiano para exemplificar.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 RECONSTIUIÇÃO:
Lembra da história do café “grosso”
(muito concentrado) e depois que se
acrescentou mais água ele ficou ralo
(menos concentrado)? Pois bem. Agora
imagina esse café ainda em pó e sentimos
a vontade de tomar um café. Ao misturar
o pó do café com a água, é como se
estivéssemos fazendo o processo de
“reconstituição”.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 RECONSTIUIÇÃO:
Portanto, reconstituição é o processo
onde se “mistura” algum líquido (soro,
por exemplo) com um medicamento em
pó, para torna-lo líquido novamente.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

Para se fazer a diluição de forma correta, fazemos


uso de regra de três simples. De um lado da regra
colocamos os valores e grandezas iguais (mg, por
exemplo) e do outro lado os valores e grandezas
também semelhantes (ml, por exemplo), junto
com a incógnita que se pretende achar. Também é
necessário verificar a prescrição médica e a
quantidade da dosagem a ser administrada no
paciente. Vejamos uns exemplos para entender
melhor.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

1º Exemplo:
Frasco-ampola de Keflin de 1g ( Cefalotina Sódica) Deve-
se diluir de preferência por um volume de 5 ml de solvente,
assim obtém-se uma solução total de 5ml. Quanto de
Keflin existe em cada ml?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

RESOLUÇÃO:
Antes de resolver a questão, é necessário transformar
grama (g) para miligrama (mg). Em seguida, fazemos uma
regra de três simples: Se em 500 ml houver 1000 mg de
cefalotina sódica, em 1 ml terá quanto mg desse
medicamento?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

RESOLUÇÃO:
Antes de resolver a questão, é necessário transformar grama (g) para miligrama (mg). Em seguida,
fazemos uma regra de três simples: Se em 500 ml houver 1000 mg de cefalotina sódica, em 1 ml terá
quanto mg desse medicamento?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

2 DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

2º Exemplo:
Quantos ml de água destilada são necessários para diluir 80
mg de gentamicina e obter 20mg em 0,5 ml?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

RESOLUÇÃO: Quantos ml de água destilada são necessários para diluir 80 mg de gentamicina e obter
20mg em 0,5 ml?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

1 CÁLCULO DE PENICILINA CRISTALINA:

3º Exemplo:
PM (prescrição médica): Penicilina Cristalina 4.800.000 UI
EV (endovenosa). Temos disponível na unidade frasco
ampola de 10.000.000UI. Quantos ml serão necessários
aspirar da ampola, para satisfazer a prescrição médica?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

RESOLUÇÃO: Algumas informações são necessárias para resolvermos essa questão:

INFORMAÇÃO SOBRE A PENICILINA: Antibiótico de largo espectro largamente utilizado em


unidades hospitalares tem frasco-ampola em apresentações mais comuns com 5.000.000 UI e 10.000.000
UI . (UI é uma unidade de medida chamada Unidade Internacional, utilizada para algumas vitaminas e
outros medicamentos).
Em cada frasco de ampola que contenha 5.000.000 UI, equivale a ml de penicilina cristalizada.
Já em frascos de ampola que contenha 10.000.000 UI, equivale a 4 ml de penicilina cristalizada.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

OBSERVAÇÂO:

BURETA: é um instrumento laboratorial que possui formato cilíndrico, estreito e com uma torneira na
extremidade inferior. Esta torneira pode ser feita de vidro ou polietileno, e serve para controlar com
bastante exatidão a quantidade de solução líquida que sairá pela passagem
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

Vamos retomar o exemplo: Foi prescrito Penicilina Cristalina 4.800.000 UI, na unidade tem-se o
frasco ampola de 10.000.000UI. Como proceder?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

A rediluição de medicamento consiste na alteração de


concentração de uma substância já DILUÍDA, ou
seja, já em seu estado líquido e colocada na dosagem
correta, de acordo com a receita, ou prescrição
médica. Para se rediluir um medicamento, é
necessário pegar a ampola com o medicamento em
estado liquido e juntar a algum outro liquido
(diluente), como por exemplo água estéril, cloreto de
sódio 0,9% e glicose 5%, a fim de conseguir uma taxa
de concentração cada vez menor.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

Portanto, a rediluição é “diluir mais ainda o


medicamento, aumentando o volume do solvente
(Água Destilada, SF, SG ou diluente para injeção),
com o objetivo de obter dosagens pequenas, ou seja
concentrações menores de soluto, porém com um
volume que possa ser trabalhado (aspirado) com
segurança”.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

QUANDO SE UTILIZA A REDILUIÇÃO?


Utiliza-se a rediluição quando se necessita de doses bem
pequenas, como as utilizadas em: neonatologia, pediatria e
algumas clínicas especializadas
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

COMO PROCEDER?
Quando há uma prescrição médica, onde a dose do medicamento
aplicada é muito baixa, que não seria possível ser aspirada pela
seringa, na medida correta, o ideal é fazer a rediluição. Por esse
motivo, para conseguir a mesma quantidade prescrita pelo
médico sem alteração do medicamento, é necessário acrescentar
mais solvente (algum líquido. Água destilada, por exemplo), até
conseguirmos o valor ideal para aspirar o medicamento
prescrito. Vejamos alguns exemplos:
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

EXEMPLOS: Foi prescrito Aminofilina 15mg IV,


tem-se na unidade, ampolas de 240mg/10 ml. Como
proceder?
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

RESOLUÇÃO: o primeiro passo é


ver o que foi prescrito e comparar
com o valor que temos disponível no
frasco e fazer uma regra de 3
simples.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

RESOLUÇÃO: o segundo passo


é ver quanto mg do medicamento
contém em 1 ml do solvente. Pra
isso, fazemos uma nova regra de
três simples:
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

RESOLUÇÃO: o terceiro passo é ver


se o valor encontrado é pequeno
demais para ser aspirado. Caso seja,
poderemos acrescentar mais solvente
(água destilada, por exemplo) para
aumentar o volume e diminuir a taxa
de concentração do medicamento.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

RESOLUÇÃO: Feito isso, faremos uma nova regra


de 3 simples e, então, encontraremos um valor que
pode ser aspirado e medido corretamente.
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

VÍDEO FIXAÇÃO:

RECONSTITUIÇÃO NA PRÁTICA: https://youtu.be/k-


BzXOYwwrw :
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

VÍDEO FIXAÇÃO:

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTO NA PRÁTICA:


https://youtu.be/u3bVl6mWraE :
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

VÍDEO FIXAÇÃO:

CÁLCULO DE DILUIÇÃO DE MEDICAMENTO:


https://youtu.be/aPoPDA-lTLk :
CÁLCULOS RELACIONADOS À ENFERMAGEM

DILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS:

3 REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTOS: PROCEDIMENTO E CÁLCULO

VÍDEO FIXAÇÃO:

CÁLCULO DE REDILUIÇÃO DE MEDICAMENTO:


https://youtu.be/XjW-c7B0mLY
"OBRIGADO, ATÉ
A PRÓXIMA"

Você também pode gostar