Qualquer pessoa pode cantar bem?

Qualquer pessoa pode melhorar bastante a qualidade do seu canto, desde que tenha vontade, persistência e um método adequado. Para isto, o melhor caminho é buscar a orientação de um profissional (professor de canto, preparador vocal, regente ou fonoaudiólogo especialista em voz cantada). Isso não significa, é claro, que todo mundo pode se tornar um cantor de nível profissional: as pessoas são únicas, cada uma tem seus talentos individuais, com maior facilidade ou dificuldade para o aprendizado em diferentes áreas. O importante é que praticamente todo mundo pode fazer progressos, ou seja, pode aprender a cantar de uma forma mais agradável.

Quais são as características de uma voz bonita? A voz bonita é uma voz saudável. É fácil de emitir e agradável de escutar. Tem presença, preenche o espaço, alcança o ouvinte. Não é forte demais como um grito, nem frágil como um sussurro. Seu som é natural, podendo variar do grave ao agudo sem perder suas características próprias. Uma voz firme, sem falhas, bem articulada e com boa sonoridade. Em alguns estilos de canto popular estas características são secundárias - o mais importante é ter uma voz pessoal, expressiva, interessante. Alguns traços que seriam considerados imperfeições ou defeitos, como por exemplo a soprosidade ou a rouquidão, podem ganhar status de recursos vocais que enriquecem a interpretação. No entanto estas vozes frequentemente resultam de um grande esforço vocal, e podem

2 gerar problemas vocais, principamente quando o cantor não tem orientação de um profissional. O conceito de beleza (em qualquer área) varia muito, e está vinculado a fatores sócio-culturais, regionais, históricos e até individuais. Como diz o ditado, “gosto não se discute”. Mas também não se discute a necessidade de proteger a sua voz, para que você possa cantar durante muitos e muitos anos – este é um dos objetivos da técnica vocal.

O que é preciso para ser um cantor de sucesso? O cantor precisa conhecer sua própria voz e gostar de escutá-la. Tratar bem dela, encarando-a como instrumento de prazer. Igualmente importante é cuidar bem do ouvido, pois a percepção musical (“ouvido musical”) é imprescindível para se conseguir uma afinação precisa e uma interpretação interessante. Um cantor procura ampliar cada vez mais o seu conhecimento: ele ouve todo tipo de música, lê sobre os estilos vocais, pesquisa canções para seu repertório, procura conhecer a biografia de compositores e cantores. Estuda música. Lê jornais e revistas. Está sempre interessado em se atualizar. Além disso é preciso ter vivência musical, presença de palco, comunicação com o público, um repertório interessante. Estas qualidades ajudam bastante, e podem abrir portas; mas não são uma garantia, pois não existe uma fórmula infalível para se conquistar o grande público. O sucesso tem razões que a própria razão desconhece...

3 Qual a diferença entre um bom cantor e um bom intérprete? Muita gente acha que um “bom cantor” é aquele que canta afinado, com um timbre agradável e com razoável potência (volume) de voz. Já o termo “bom intérprete” costuma descrever o artista que diz bem a letra de uma canção, transmitindo ao ouvinte a emoção contida nos versos. Os ouvintes especializados costumam usar critérios mais específicos - por exemplo, o conceito de afinação é muito mais rigoroso, a qualidade vocal é avaliada minuciosamente, e a interpretação vai ser comparada com outros cantores dentro do mesmo estilo musical. Pessoalmente, acho que um bom cantor tem que ser necessariamente um bom intérprete. O domínio da técnica é muito importante mas não é suficiente. E mais: a interpretação vai muito além da letra - na própria melodia, o artista encontra um sentido, traduz uma emoção, conta uma história. Prova disso é a música instrumental, onde não há voz humana, e também o canto que usa só sílabas, sem palavras1. Outra experiência interessante nesse sentido é escutar músicas cantadas em uma língua que não conhecemos. Por exemplo, mesmo sem entender uma única palavra, é emocionante ouvir o coral sueco Amanda Ensemble cantar “Någonting Värmer” ou “Morfar Har Berättat”! Resumindo, um bom cantor precisa unir técnica e interpretação, treinamento e intuição, usando com competência a voz para transmitir um sentimento, causando emoção em quem escuta.
1

O “scat singing” do jazz, por exemplo.

e também nos esportes e nas ciências. No outro extremo. mas principalmente a proteção e a saúde da voz. descobridores. São os grandes gênios. vemos algumas pessoas que estudam muito. Você quer cantar bem por toda a sua vida. e fazem pouco progresso. Ou seja: pode progredir até certo ponto usando apenas a observação.4 Por que algumas pessoas cantam tão bem sem nunca terem estudado? Algumas pessoas são excepcionalmente dotadas de talento para a música vocal. tentando imitar os seus cantores favoritos. a vida toda. O estudo vai facilitar o seu percurso. pode se encontrar em algum ponto entre estes extremos. assim como a maioria das pessoas. inventores. Há pessoas assim em todas as artes. Estas pessoas têm a habilidade de extrair uma enorme quantidade de informações a partir do mundo que as cerca. cansativo e às vezes frustrante. sem precisar da referência de um . mas o processo é lento. Outros têm a criatividade tão efervescente que sua produção artística ou científica parece não depender de qualquer influência externa: são pioneiros. agilizando o aprendizado e evitando boa parte dos erros desnecessários. É preciso também lembrar que estudo de canto visa não só o aperfeiçoamento. e não somente por alguns anos! O que é “ouvido absoluto”? Ouvido absoluto é a capacidade de emitir e/ou identificar uma nota musical. Você.

Eu não sei ler música. Voltando à nossa analogia. improvisação. esta parece ser uma habilidade inata. pode (e deve!) ser treinada. seria como o arquiteto que compreende e utiliza as relações entre o espaço disponível e os objetos que vão ocupá-lo.5 instrumento ou de um diapasão. Existem músicos fantásticos que têm ouvido absoluto. Posso cantar mesmo assim? Sim. Fazendo uma analogia. O ouvido absoluto não é necessáriamente indicador de talento musical. e outros igualmente maravilhosos que não têm. É comum que uma pessoa comece a estudar canto e depois de um certo tempo sinta vontade de pesquisar mais. Este tipo de percepção. O mais importante para se fazer música é ter um bom ouvido relativo – ou seja. história da música e tudo o mais que tiver relação com a área. Embora as pesquisas sejam controvertidas. sem precisar consultar o metro. mas sim de uma excelente memória para sons. ela pode procurar aprender teoria e percepção musical. através da experiência e da observação. seria como um arquiteto que olhasse para um salão e soubesse as suas medidas exatas. ou de ter uma visão mais aprofundada da música. harmonia. o ouvido capaz de compreender as relações entre as notas que formam melodias e harmonias. você pode perfeitamente cantar sem conhecer teoria musical. Muitos cantores (inclusive profissionais) desenvolvem a percepção musical apenas de forma intuitiva. Em conseqüência disso. . que é totalmente natural e intuitiva para alguns.

Por exemplo. o domínio da linguagem musical aguça a sua percepção para detalhes cada vez mais sutis das músicas que você escuta – ou seja. Este conhecimento também facilita a comunicação com músicos – você vai falar a mesma linguagem que eles. ou um lembrete com uma “dica” para um trecho difícil. para entender uma passagem mais difícil ou para se lembrar de um trecho qualquer da canção. Para que serve a teoria musical? Estar familiarizado com a teoria e com os conceitos musicais é uma grande vantagem para qualquer músico profissional ou amador. ou seja. entender as sugestões e as brincadeiras. Você também vai poder anotar suas idéias musicais para uma nova interpretação. mas não é uma condição para cantar. não é um pré-requisito. você pode consultar a partitura para ajudar a memorizar a melodia. você vai se tornar um ouvinte mais especializado. fica mais fácil aprender músicas novas. participar mais ativamente nos ensaios. Do mesmo jeito que você escreve a letra das músicas para facilitar o aprendizado. . Além disso.6 Sem dúvida este conhecimento é enriquecedor.

piu-í etc). reforçar a capacidade respiratória. é_____ etc) ou ainda com combinações de fonemas (mui-mui-mui.usados por quase todos os professores de canto são frases musicais bem simples. Geralmente são feitos sem acompanhamento especial. que são mais parecidos com pequenas peças musicais. como “do-re-mi” ou “do-remi-fá-sol”. Na Bibliografia você encontrará uma lista de livros que trazem vocalises gravados com acompanhamento em CD. e outros que trabalham dois ou mais destes aspectos. . Existem outros vocalises que têm objetivos específicos. desenvolver a projeção e a ressonância. Há também vocalises mais avançados. com belas melodias. pois preparam de forma gradual a musculatura da laringe para o trabalho – seja uma apresentação musical. uma aula de canto.7 O que são vocalises? Vocalises são exercícios vocais para o canto. cantadas em bocca chiusa ou humming (um som de “M” feito de boca fechada) ou então sobre vogais simples (á_____. uma peça de teatro ou qualquer outra situação em que se requer um uso intenso da voz. como por exemplo aumentar a extensão vocal. melhorar a articulação e a dicção. Os mais tradicionais . uma palestra. Estes são vocalises de aquecimento.

Há controvérsias. mas é importante que você use a técnica vocal para cantar. Isso me parece desestimulante e contraproducente. a musicalização3 e o repertório (interpretação). 2 3 . para tornar o aprendizado mais proveitoso e divertido. Se você está começando e ainda não tem muitos recursos vocais.8 Eu tenho que estudar técnica vocal antes de poder cantar minhas músicas? Não2. Por isso. consiste em desenvolver a técnica vocal. A musicalização é um conjunto de práticas que ajudam a desenvolver o “ouvido” musical. a melhor maneira de adquirir uma boa técnica vocal é combinar exercícios e músicas. e não para ficar apenas fazendo exercícios. em meu entender. escolha músicas que não apresentem muitas exigências vocais. Mesmo se sua voz apresenta problemas. Como vou aprender a interpretar as músicas? Não se pode ensinar alguém a interpretar uma canção. existem formas de aplicar a técnica vocal estudada a pequenos trechos de músicas adequadas às suas possibilidades vocais. ou está muito despreparada. mas expresso aqui a minha opinião. mas existem formas de buscar a sua própria forma pessoal de cantar. Estudar canto. Assim você poderá aplicar os progressos técnicos às músicas do seu repertório. A técnica vocal serve exatamente para você cantar.

postura. emissão. é preciso que o . nem podem atrapalhar a execução da música.9 Um bom exercício é ouvir várias versões da mesma música feitas por diferentes artistas. para que você possa fazer uma escuta posterior. devem estar completamente automatizadas. em diversos estilos. O cantor precisa se concentrar na mensagem. ou com "aquela" nota mais aguda? É por isso que o tempo de treinamento de um cantor é longo . As questões técnicas não podem ocupar a sua mente durante a performance.ou seja: respiração. pois a técnica vai sendo aos poucos internalizada. O objetivo do estudo de canto é ter a técnica totalmente resolvida . nos sentimentos que deseja expressar. revendo e analisando os resultados.não basta aprender a usar bem a voz. etc. com vários arranjos. Outros exercícios que desenvolvem idéias para a interpretação: experimente cantar uma música em vários tons diferentes. relaxamento. Já pensou que horrível subir ao palco preocupado com a respiração no final “daquela” frase. Este trabalho de interpretação deve ser gravado. ou mesmo uma única palavra. Não ouça só gravações de cantores: procure conhecer as versões instrumentais (sem canto). Habitue-se a ouvir um instrumento diferente do seu tocando a música que você quer cantar. A técnica vocal prejudica a interpretação? Não. Procure dar mais importância a uma frase da música. depois experimente enfatizar outra frase. de tal forma que elas façam parte da produção normal da sua voz.

passando a fazer parte do seu modo natural de falar e cantar. os músculos. o aparelho fonador se acostumem a se comportar de uma maneira especial. Em cada aula você vai fazendo pequenos progressos. encontrando um jeito melhor de emitir uma frase. o melhor da história é descobrir prazer no próprio processo de aprimoramento. inventando uma forma mais expressiva de cantar um verso. você terá mais opções para escolher. ou seja. você vai ter uma voz “técnica” para fazer exercícios e uma outra voz “normal” para cantar. O objetivo do estudo é fazer o aluno “se esquecer” da técnica – e isso só acontece quando a técnica se torna orgânica. Se você quer cantar realmente bem não deve ficar ansioso por resultados rápidos e notáveis: ao contrário. experimentando enfatizar esta ou aquela palavra ou tentando cantar uma frase inteira sem respirar no meio. Mas fique atento para não se fechar em um único estilo: não tenha receio de experimentar diversos tipos de música. Ora. Quais os tipos de música que eu posso cantar? Você deve cantar as músicas das quais você gosta. E também é por isso que precisamos sempre transferir a técnica usada nos exercícios para as músicas do repertório – se não. Aumente seu repertório – assim. Cante o que lhe dá prazer.10 corpo. . o normal para o cantor é a técnica. e tem vontade de estudar. da interpretação. Procure encontrar exercícios interessantes que estimulem o apetite pelo aprendizado e aceite o desafio da persistência. Esta é a técnica que atua a favor da expressão artística. Estas são as músicas que você conhece bem.

autores ou nacionalidades. ou se ainda não adquiriu um bom fôlego. ao contrário. Algumas pessoas são naturalmente dotadas de um tipo de voz que se adapta melhor a um determinado estilo e não a outros. escolha o samba-canção. O repertório não precisa ser definitivo: ele vai mudando de acordo com o seu momento. você quer justamente mostrar que tem uma voz muito firme e um excelente controle da respiração. Isto vai permitir que você dê ênfase ao balanço. Se você tem dificuldades em manter afinadas as notas muito longas. Como escolher o repertório certo para mim? O repertório “certo” para você é aquele que você gosta de cantar e consegue cantar bem. para . Se. Ao contrário. a bossa lenta. Ouça. pois seu repertório tem que ter a sua cara. O importante é que você se identifique com estas músicas. Compare. encare as dificuldades como desafios e você estará motivado a superar estas barreiras. nem todo mundo pode cantar igualmente bem todas as músicas. a balada. sua interpretação. mas isto não deve ser visto como uma limitação absoluta. Pode incluir músicas de diversos estilos. Dentro das suas preferências.11 Existem alguns fatores que favorecem ou dificultam a execução das melodias. fique longe das baladas lentas. com o seu preparo musical e vocal. É isto que torna o canto uma experiência tão fascinante! Experimente cantar em diversos estilos. ao suíngue. Conheça a sua voz. Grave. preferindo os ritmos mais rápidos. procure músicas que evidenciem o melhor de sua voz e de sua interpretação.

É assim que você vai emocionar os ouvintes: cantando para eles a sua verdade artística. Depois de aprender bem uma música. Esta é a realidade da música popular. 107 ou o website ou www. Outra prática muito útil é o uso do microfone e caixas de som. ou use um programa de computador como o Band-in-aBox4. que amplifica o som e faz você ouvir mais intensamente a sua voz.pgmusic. Mas o melhor método para conhecer bem sua voz é fazer gravações com frequência. Procure gravar cantando as músicas do seu repertório.com .12 expressar as suas emoções. cante-a usando acompanhamento (se possível) e microfone. peça a um amigo pianista ou violonista para gravar também o acompanhamento no tom escolhido. Isto cria uma espécie de concha acústica. e você precisa se habituar a ouvir sua voz na situação real em que ela vai ser usada. Se possível. 4 Ver o artigo “A Informática e o Estudo de Canto” na pág. Como posso saber qual o som da minha voz? Uma forma simples (embora possa parecer meio estranha) é cantar virado para um canto de parede. Para isso você não precisa de um estúdio profissional: basta ter um equipamento razoável e saber operá-lo.

mas tudo isto pode ser feito respeitando o seu estilo e características pessoais. Você poderá fazer pequenos ajustes na forma de produzi-la. a articulação. como. Seu repertório poderá ser mais diversificado. diminuindo o esforço para cantar e garantindo boa voz por muitos e muitos anos. ou excessivamente anasalada. 45 . ganhando assim em espontaneidade. Ao conquistar maior domínio sobre a produção da sua voz. mas isso não vai modificar a sua identidade sonora. Você estuda canto para proteger seu aparelho fonador6. a flexibilidade. por exemplo. fácil de ser reconhecida. então procure um profissional competente (um fonoaudiólogo ou um otorrinolaringologista. Se você tiver algum problema vocal importante. pois você conhecerá novos recursos vocais. as pregas vocais. 5 6 . a extensão. conforme o caso) para um trabalho paralelo. trabalhando todos os aspectos da voz7.13 O estudo de canto pode mudar as características da minha voz? O estudo de canto popular deverá enfatizar as melhores características da sua voz. personalizada.100 Os órgãos responsáveis pela produção da voz. 2002. p. você ficará mais à vontade para dar asas à interpretação. incluindo a laringe. as cavidades de ressonância e a musculatura diretamente envolvida no processo. O cantor popular procura ter uma voz única. Ver BRANDI. uma voz sempre rouca. Com isso você amplia seu potencial vocal. 7 Por exemplo. ou muito trêmula. na sua conduta vocal5. ou seja. a afinação.

b. um lamento. Samba a. Geralmente evita-se uma voz excessivamente “limpa”. mas deve ter vitalidade. Bossa-nova – é o oposto: procura-se um naturalismo absoluto. Valorizase o “vozeirão”. Também é importante ter capacidade de improvisação. Uso controlado do vibrato para dar expressividade a alguns trechos.14 Qual a voz ideal para cada estilo? Estas são as características mais típicas de alguns estilos: Seresta – pede vozes mais próximas à estética lírica. vozes coloquiais como numa conversa íntima. com muita ou com pouca intensidade. É fundamental ter domínio do texto musical . Samba-canção – pode ter diversas leituras. com ataques bruscos (“grito de guerra”). como por exemplo terminar a última frase com uma nota bem longa e bem aguda. melódica e harmônica (ainda que intuitiva). Os finais devem causar impacto. usa-se muito portamento (o cantor “arrasta” uma nota para cima ou para baixo). Blues – a voz deve ser mais rouca.compreensão rítmica. As vozes podem ser límpidas ou soprosas. às vezes sussurrantes. os arroubos na interpretação. Samba-enredo: voz potente. geralmente com algum tipo de rouquidão ou aspereza. Depende da opção do intérprete e do tipo de arranjo usado. mais próxima à seresta ou ao jazz. Uso constante do vibrato (aquele “tremido” na voz). Samba urbano: não precisa ser tão energético. cristalina. Jazz – não há um padrão vocal definido. passando um sentimento de tristeza. roucas ou cristalinas. . e é comum usar vibrato nos finais de frases. energética.

É mais fácil cantar em português ou em línguas estrangeiras? É mais fácil cantar num idioma em que você tenha fluência. Ao mesmo tempo e paradoxalmente. admite ampla escolha de recursos vocais. mas há uma tendência a favor das vozes mais “cheias”. O vibrato é feito com esforço muscular. havendo movimentação visível de pescoço e cabeça. Mesmo que alguém traduza para você. é complicado captar todas as nuances e sutilezas de uma poesia em uma língua que você não domina. Pop/rock suave – abrange toda a gama imaginável de tipos vocais. Qual palavra merece destaque? Qual sílaba pode ser prolongada? Qual pode ser mais articulada? Cada língua tem uma sonoridade característica. pela atitude no palco e pelos arranjos do que por características vocais. Distingue-se muito mais pela postura estética. sempre com uso do vibrato. Sertanejo – valorização dos sons agudos. existe uma valorização dos cantores de rock com treinamento lírico. Há uma valorização das regiões mais graves femininas e mais agudas masculinas.15 Bolero – também depende muito da proposta estética de cada cantor. A sonoridade da voz pode ser anasalada. Isto não quer dizer que uma língua seja mais difícil ou mais fácil do que . A voz deve ser agressiva. que geralmente são emitidos com bastante volume. metálica. que atingem notas muito agudas com grande potência e clareza. gritada. Você memoriza e interpreta melhor um texto quando você entende o que está sendo dito e como está sendo dito. transgressora. Heavy metal – atitude é fundamental.

Um é a familiaridade – ouve-se muita música popular em inglês.16 outra: são apenas diferentes. o jazz e o blues ao inglês americano. e os exercícios eram muitas vezes feitos em italiano. . é “fácil” cantar música erudita em italiano: parece que os sons da língua conduzem a voz para este tipo de emissão. italiano ou português de Portugal. É como usar um figurino. Por mais que exista hoje uma tendência à globalização. Mais dois fatores contribuem para este fenômeno. Por exemplo. o bolero e o tango. De certa forma. O segundo fator é que cantar numa língua que não é a sua língua nativa pode ajudar a compor um personagem. todo o estudo de canto se baseou nos padrões da ópera. é fácil associarmos as canções românticas às línguas latinas como francês. Nas lojas e websites que vendem música em todo tipo de formato (cd. Até mesmo no rádio. faixas em mp3). Durante muito tempo. O mesmo costuma ser sentido com relação à música popular: muitos cantores acham mais fácil cantar em inglês do que em português (independentemente de sua nacionalidade). seja pela tradição cultural ou apenas pela maneira como combina os sons das vogais e das consoantes para formar palavras. ainda é preponderante a presença da língua inglesa na área da música popular. que ajuda a diminuir a timidez e permite que o cantor se entregue à interpretação sem se sentir muito exposto. e o samba e a bossa-nova. não é mesmo?! Bem. ou uma máscara. a grande maioria da oferta é de músicas em inglês. televisão e cinema isto ocorre. cada língua sugere um estilo de cantar (ou alguns estilos). ao espanhol. dvd. ao português do Brasil. Você pode imaginar um bolero cantado em alemão? Jazz em italiano? Samba em chinês? Difícil.

a caminho do trabalho. Não é preciso passar várias horas praticando. ou ainda na hora do telejornal. Uma aluna minha teve enormes progressos vocais depois que passou a fazer os seus vocalises diariamente nos intervalos da telenovela que acompanhava! . Aos poucos. coordenando a respiração e a emissão vocal. de relacionar letra e melodia. Se você conseguir destinar quinze minutos por dia a um programa de treinamento vocal. Ouça todos os detalhes da maneira de articular as palavras. lentas e rápidas. treinar regularmente facilita muito este processo.17 Se você quer cantar em português. você vai ficar muito à vontade para descobrir o prazer de cantar no nosso idioma. Diversifique os estilos: procure ouvir músicas atuais e antigas. Qual a frequência mínima dos exercícios? Duas vezes por semana – o ideal é fazer quatro ou cinco. fixando um horário para a sua prática? Mesmo que você não tenha muito tempo. e não exige muito tempo. O estudo de canto é um treinamento no qual você automatiza uma série de movimentos musculares. ou no carro. ou durante o banho. em poucas semanas vai se surpreender com os resultados! Que tal criar uma rotina de trabalho vocal. de distribuir os tempos na música. em arranjos originais ou relançamentos. pode se habituar a vocalisar antes do banho. o melhor caminho é escutar muitos intérpretes brasileiros.

especialmente se você já tem experiência ou se está atualmente fazendo aulas com um professor. pode ter somente aulas de interpretação. pessoal. Como eu posso fazer os exercícios em casa? Para ajudar a resolver este problema. Para isso você fará exercícios vocais regularmente em casa (veja a próxima pergunta). Eles podem facilitar e acelerar o aprendizado. . ou aulas “de repertório”. vários autores publicaram livros com CDs contendo exercícios (a maioria em inglês. pois sem isto você vai esbarrar com dificuldades técnicas que reduzirão os recursos artísticos que está justamente buscando desenvolver.18 Posso estudar canto sem fazer nenhum exercício? Se você já tem um bom domínio de técnica vocal. E lembre-se de fazer sempre um bom aquecimento vocal antes de cantar. apara quaisquer arestas que possam existir no seu repertório. Estes livros estão listados na bibliografia. mas há alguns em português). Mas é preciso que você tenha uma voz bem treinada. Neste tipo de aula você treina estilo. bem colocada. Veja também a próxima pergunta. para suas interpretações. busca uma sonoridade própria.

O livro “Por Todo Canto”10 traz CDs com 40 vocalises gravados em diversos ritmos (bossa-nova. Você pode (e deve) ler sobre a história do jogo. Você também encontra ótimos livros sobre História da Música.cuidando da voz"8. blues. É comparável a aprender. procure um professor de canto. Há boas sugestões também no livro “260 Dicas para o cantor popular9”. você precisa vivenciar o canto. Malu. São fontes preciosas de informação sobre o canto. por exemplo. 8 9 . Ed. biografias de cantores e livros sobre improvisação. Mas para aprender a cantar. arranjo e composição. você precisa entrar em campo! No livro "Higiene Vocal . Diana e COOPER. a evolução das regras e das técnicas de preparação dos atletas.19 Existe algum livro que ensine a cantar? Existem livros que trazem informações importantes sobre a voz e que são úteis para todos os cantores (espero que este seja um deles!). Ed. Mara e PONTES. reggae e outros). você encontra conceitos básicos sobre a produção vocal e conselhos para proteger a sua voz. a jogar futebol. Precisa praticar com alguém que faça comentários construtivos sobre a sua performance. Paulo. samba. oferecendo uma forma fácil e divertida para treinar a técnica aprendida nas aulas com o seu professor. Revinter SANDRONI. Clara. Mas nenhum livro substitui o cuidado ao vivo por um bom profissional da área.Lumiar 10 GOULART. Se for o BEHLAU. mas para aprender a jogar. Ele tem por objetivo complementar os seus estudos. 2002. Se você quer realmente preparar a sua voz para cantar.

Quanto maiores o seu conhecimento e a sua criatividade. mas é apenas isso.20 caso. que facilitam muito a expressão e a produção artística. nem cria nenhuma forma de arte (embora às vezes ele nos dê esta impressão). Um processador de texto não faz poesia. Estes aplicativos são excelentes auxiliares. O computador. não faz nenhuma descoberta. Mas aprender a cantar exige a interação com um ser humano (ao menos no atual estágio de desenvolvimento tecnológico). mais você poderá aproveitar os programas disponíveis. Com ele você dispõe de uma “banda virtual” para estudar e ensaiar. sugestões e exemplos a partir do que ocorre num dado momento. Existe algum programa de computador que ensine a cantar? Existem programas de computador que auxiliam no aprendizado de canto. que gera arranjos a partir de cifras dadas (é preciso ter conhecimento de teoria musical e harmonia para usar este programa). A informática é uma ferramenta muito poderosa. . Um bom exemplo é o programa Bandin-a-Box. sozinho. envolve crítica. um sequenciador não cria um tema musical. comentários. um software gráfico não retrata uma paisagem. ele irá encaminhá-lo para um fonoaudiólogo ou para um otorrinolaringologista. Envolve um modelo.

Adolescentes e crianças podem fazer. música. administração etc. Com que idade se deve começar a estudar canto? É possível começar a estudar canto em qualquer idade. um trabalho mais amplo. é que encontram tempo para se dedicar a atividades prazerosas e criativas como o canto. informática.21 Existe algum curso de canto à distância. Há casos de pessoas que nunca cantaram. O que já existe na WEB são sites que dão algumas informações sobre canto. visando objetivos mais abrangentes. Criar esta estrutura é uma tarefa que demanda investimento alto e conhecimento de diversas áreas – educação. permitindo que tenham acesso a grande variedade de estilos . webdesign. É tarefa complexa e multidisciplinar. técnica vocal. planejamento instrucional. Mas de forma alguma isto equivale a um curso de canto. e só na terceira idade. conselhos. via internet? Até agora não existe um curso deste tipo. voz e música. Estas pessoas fazem progressos notáveis. incentivando a criatividade. São dicas. a invenção e também aprimorando a escuta. a capacidade respiratória. depois de aposentados e com os filhos já criados. melhorando não só a própria voz como também a auto-estima. além do estudo da técnica vocal propriamente dita. o humor. sugestões. Eles podem fazer um trabalho de iniciação musical utilizando a voz. o tônus muscular e a comunicação com familiares e amigos.

quando a voz muda. como fazer movimentos que expressam sentimentos. perdendo as características de voz infantil. que acompanha o crescimento corporal geral. Para isso. O controle fica mais difícil e se mistura à busca de uma identidade adulta e aos questionamentos típicos da adolescência. e da ação dos hormônios. p. O efeito sonoro que percebemos é conhecido: a voz se torna mais grave. É um período complicado! 11 BEHLAU.22 musicais. com repertório variado e que incorpore às apresentações alguma atividade cênica. que sempre aumenta a motivação do coro. Este fenômeno é fruto do crescimento da laringe. 2001. o ideal é que crianças e adolescentes participem de algum coral bem dinâmico. a muda é mais radical e podem surgir problemas durante o período de transição – a voz sai mais grave numa hora e no instante seguinte sai “fininha”. mais cheia.como mantê-lo relaxado e com boa postura. Eles também precisam aprender a conhecer e lidar com o próprio corpo (inclusive enquanto cantam) . ocorrendo ao redor de 13-15 anos nos meninos e de 12-14 anos nas meninas (nos meninos a mudança é bem mais perceptível do que nas meninas). que atingem novos níveis11. 54-61 . nos homens. Na puberdade. é preciso parar de cantar? A muda vocal faz parte do desenvolvimento de todas as pessoas. Nas mulheres a mudança é mais sutil e costuma transcorrer sem maiores traumas. quais movimentos facilitam a emissão da voz etc.

a escolha de repertório. Os cuidados com a respiração. Para esta "liga" acontecer. fazem observações críticas para ajudar os colegas etc. principalmente se a muda vocal está sendo vivenciada de maneira problemática. com o apoio e com a emissão vocal são importantes para adultos e crianças. A diferença muito grande .as imagens usadas para esclarecer a técnica. tudo é diferente! Além disso. Meu filho de 6 anos pode fazer aula junto comigo? Não. o vocabulário usado nas aulas. A extensão vocal e as regiões a serem trabalhadas são diferentes. é preciso que haja uma boa dose de identificação entre os participantes. trazendo problemas de timbragem entre as vozes mesmo que não se trate de um coral. mas as formas pedagógicas de treinar estes aspectos são diversas.23 Provavelmente não é este o melhor momento para se começar a cantar. quando se trabalha técnica vocal em grupo é preciso cuidar da combinação entre as vozes presentes! Outro fator fundamental é a escolha dos recursos didáticos . se o menino ou a menina já costuma cantar e participa de uma atividade musical bem orientada. que ficam entusiasmados com o progresso dos colegas. a dinâmica da aula (o tempo de concentração em uma mesma tarefa é muito menor nas crianças do que nos adultos). sugerem repertório para um ou outro. No entanto. o mais interessante num grupo é a troca de idéias entre os próprios alunos. bem como as exigências. cantar pode ser um excelente apoio psicológico para este momento. não há razão para se afastar – ao contrário. A sonoridade é outra.

você vai aprender a controlar a respiração para cantar (além de adquirir uma série de bons hábitos vocais) e então provavelmente cantará com menos esforço. Em quanto tempo vou aprender a cantar? Esse tempo varia de uma pessoa para outra. formando uma comunidade harmoniosa. auto-estima. pois depende de aprender e internalizar uma série de novos hábitos. Se você é iniciante. vai levar aproximadamente dois a quatro meses para notar alguma melhora na emissão de sua voz. É por esta razão que este processo tem que ser divertido. pois envolve toda a formação cultural e musical. preferências de estilos musicais. dificuldade em aceitar as mudanças corporais e psicológicas associadas à idade (na adolescência e na "envelhescência"). Na maioria dos casos. É muito difícil conseguir este objetivo misturando crianças e adultos. para que não se perca a motivação antes de conseguir resultados. podendo ainda esbarrar em problemas como auto-imagem. mas cada grupo deve ter um "perfil" claro. concepção estética.24 de idade pode se tornar uma barreira para esta interação. o aperfeiçoamento vocal é um trabalho a médio/longo prazo. você pode . Depende da sua situação atual e do seu objetivo. e também em função do significado que atribui à expressão “aprender a cantar”. Claro que as diferenças existem e são até desejáveis. ou seja. de tal forma que cada participante colabore direta ou indiretamente para o desenvolvimento musical/vocal dos outros. Durante este período. onde você está e onde quer chegar. Depois de seis a oito meses de estudo.

Se você já tem consciência de como seu corpo se comporta ao cantar e consegue evitar as condutas de esforço. onde você vai buscar atingir o máximo de seu potencial. à prática da musculação. Se alguém descobrir outra maneira. Esta prática é que deve ser feita sempre. há todo um universo de pesquisa musical. você vai ter que fazer seus exercícios em casa (se tiver muita disciplina e determinação) ou freqüentar regularmente a academia de ginástica. Trata-se de um treinamento . por favor me avise! Como preparar minha garganta para cantar? O instrumento do cantor é muito mais do que a “garganta”. Quem canta é você. Você precisa praticar por tanto tempo quanto queira estar "em forma". O seu instrumento é o corpo. pode praticar em casa sozinho. Vou precisar fazer aula de canto por toda a vida? Não. não apenas a sua garganta.25 esperar um desenvolvimento significativo tanto na qualidade da voz como na musicalidade. A aula de canto é necessária para que você consiga reconhecer sua maneira de emitir a voz. Nem todo mundo gosta de fazer exercícios sem o acompanhamento de um professor – por isto é comum que as pessoas prefiram manter a aula de canto por longos períodos. E depois disso.comparável. por exemplo. . Enquanto você quiser ter músculos definidos. o organismo como um todo.

e também ter mais disposição e energia para o trabalho e para o lazer. Mesmo num dia “péssimo”. melhorando assim a sua disposição depois de um show bem realizado. tomar chá de limão com mel. beber em excesso. alimentar-se mal. E esta realização não pode depender de fatores externos: o cantor tem que ter os recursos técnicos e interpretativos disponíveis. ainda que não se vá fazer um show especialmente inspirado. disponível. internalizados. automatizados.. Cantar é um ato natural. Estou me manifestando contra o uso compulsivo e ritualístico destes mecanismos: não se pode depender disto para ter um bom desempenho. a saúde em geral. Há cantores que não sobem num palco sem mastigar três cristais de gengibre. . e inversamente. própolis e agrião. tudo que é nocivo para o organismo faz mal para a voz. pingar descongestionante no nariz … não tenho nada contra os descongestionantes. fumar. seja para a vida. Dormir pouco. Tudo que é benéfico para o organismo faz bem para a voz.26 O condicionamento físico. com a voz sempre inteira. um mínimo de correção tem que ser atingido – até porque o cantor tem o privilégio de ter um trabalho que gera prazer ao ser feito. Ele deve estar sempre pronto para isto. desde que sejam usados com indicação médica.. etc. evitentemente fazem você cantar melhor.. com moderação e em caso de real necessidade. é óbvio que nada disto pode fazer bem – seja para a voz. estar relaxado. ter uma boa postura. Respirar bem. Mas atenção: cuidar da saúde e do bem-estar não deve ser confundido com os rituais de preparação para cantar. chás. o bemestar no mais amplo sentido da palavra – inclusive o psicológico – são fundamentais para um bom desempenho vocal. que faz parte das atividades cotidianas do cantor.

Se você está preparando um show. Outra indicação: as dificuldades musicais específicas (por exemplo.”. e não precisamos nos lembrar dela. uma tendência a ficar rouco. Como existe uma grande distância entre a sua performance e a do professor.. Essa técnica não se limita à garganta: envolve todo o corpo. Não basta aprender a respirar bem e saber como usar os recursos vocais: é preciso praticar e automatizar este processo. “ah. ou vai gravar um disco. canta você. Dito de outra forma: só podemos utilizar realmente a técnica que já está internalizada.. É melhor fazer aula individual ou em grupo? Depende. Por outro lado. para eu ouvir. podem ocorrer pensamentos como “eu nunca vou conseguir cantar assim”. com o professor dando toda a atenção a você. Mas atenção: alguns problemas vocais têm que ser avaliados pelo otorrinolaringologista e/ou pelo fonoaudiólogo. ou já faz parte do nosso comportamento inconsciente. na aula individual você está em contato apenas com o professor. a mente e a alma. com o ritmo ou com a afinação) podem ser resolvidas mais rapidamente numa aula individual. Também é necessário que a aula seja individual quando se tem algum problema na voz (por exemplo. A aula individual obviamente proporciona um contato pessoal.27 Por isso é que há necessidade de intenso trabalho de preparação a longo prazo. talvez seja melhor ter aulas individuais. responder a cada dúvida e focalizar cada problema. A técnica só se torna um aliado útil quando ela já está assimilada. uma voz muito soprosa. porque eu canto muito mal. muito fraca. Ele vai acompanhar cada detalhe. sendo ele sua única referência. uma extensão muito pequena). É claro que é tarefa do professor saber .

Já no grupo. Cada um pode aprender com os erros e com os acertos dos outros alunos . Outra vantagem é que seus colegas de grupo provavelmente vão trazer sugestões e exemplos de músicas que você não conhecia. pois todos se alternam como público e cantor. enriquecendo o seu repertório. . O professor passa a ser também um orientador.28 lidar com estes sentimentos. ampliando a sua compreensão harmônica e tornando mais precisos o seu ritmo e a sua afinação. problemas. motivando e trabalhando junto com os alunos. você encontra seus pares. e vê também que todos têm defeitos. dificuldades. No grupo você tem oportunidade de se expor em todas as aulas a um pequeno “público” especialmente compreensivo e tolerante. Estas mini-apresentações são extremamente gratificantes e representam uma prática fundamental para diminuir a inibição e a timidez.todos participam ativamente do processo de aprendizagem. A comparação fica mais favorável. Você vê o crescimento dos colegas. Além disso tudo. você vai poder fazer exercícios (vocalises) a duas ou mais vozes. compreendendo e diluindo o natural sentimento de “inferioridade” (entre aspas mesmo) do aluno.

29 Como funciona uma aula de canto? O que se aprende numa aula? Seja individual ou em grupo. que se aplica à maioria dos casos. . uma aula de canto deve proporcionar ao aluno a oportunidade de se exercitar e se desenvolver em duas grandes áreas: • • • Técnica vocal noções sobre o funcionamento do seu aparelho fonador (como é que a voz é produzida) exercícios para controlar e melhorar a respiração para o canto exercícios vocais (vocalises) para treinar e aperfeiçoar:  a emissão e projeção da voz  a dicção e a articulação  a extensão vocal  a afinação e o ritmo  o timbre (a qualidade vocal) Interpretação pesquisa e ampliação do seu repertório dentro da música popular brasileira e internacional prática orientada. experimentando diversos recursos interpretativos gravação e audição comentada sobre a sua interpretação das canções escolhidas prática de uso do microfone busca de um estilo pessoal treinamento do “ouvido” musical (percepção musical) • • • • • • Este é um esquema genérico. Algumas vezes uma aula de canto pode estar inserida em um programa mais amplo de aperfeiçoamento vocal.

você pode ser um ator que foi chamado para participar de um musical – então sua aula vai focalizar o repertório desta peça. o programa das aulas vai ser personalizado: ele será montado em função da situação. você passa a procurar por todas as melodias (ou vozes) presentes na canção. dos interesses e das necessidades específicas de cada aluno. ou mesmo a letra. É o caso dos cantores profissionais. pura e simplesmente. que têm objetivos claros e disposição para um treinamento mais longo e aprofundado. Por exemplo. Ou talvez você queira descobrir se é mesmo tão desafinado quanto dizem aqui. É bom lembrar que existem também muitas diferenças entre os professores: cada um vai dar maior ou menor importância a cada um dos itens citados. construir uma consciência vocal para você. Outro caso bastante comum é o do aluno que acabou de se aposentar e quer usar o tempo livre recém-conquistado para cultivar o canto como um novo hobbie. a principal função da aula será despertar a sua musicalidade. enriquecer a sua escuta musical. criando o hábito de ouvir mais profunda e completamente. Acho importante o exercício da observação musical. Nestas situações. buscando apenas o prazer pessoal de ouvir sua voz ficar mais bonita. artístico e pessoal. Com as aulas. O cantor popular deve estudar canto lírico? .30 musical. ao invés da escuta superficial que só percebe a melodia.

A técnica vocal deve ser voltada para as formas de cantar música popular. Também os mecanismos psíquicos. e vai ter orientação sobre como interpretar estas músicas conforme os cânones do bel canto. contribuindo para melhorar sua emissão vocal. humanos. Quais as semelhanças entre o canto lírico e o popular? Os mecanismos físicos de produção da voz são basicamente idênticos em ambos os casos. . ansiedades. bem como o repertório e a interpretação correspondentes. Se o seu objetivo é cantar música popular. O que muda é a forma de explorá-los e valorizá-los. Veja a seguir as principais semelhanças e diferenças entre canto popular e erudito. as expectativas. você precisa estudar este estilo de canto. O estudo de canto lírico vai preparar você muito bem para cantar música erudita. Em resumo. Você vai aprender a emitir a voz de acordo com os padrões estéticos da música erudita clássica. respiração. sua voz ganha mais eficiência e qualidade. são aqueles comuns a todos nós. sentimentos que influenciam a produção vocal. articulação e outros aspectos da técnica. independentemente do repertório escolhido. Vai também desenvolver um repertório de canções clássicas e árias de ópera.31 Tanto o estudo do canto lírico como do canto popular podem ser muito positivos.

ruído intenso durante as suas apresentações). já o cantor de barzinho pode ter um repertório menos desgastante. por exemplo. O cantor de ópera. amplificação deficiente. Nenhum artista está definitivamente “pronto”: é preciso se desenvolver sempre. inclusive o hábito de fazer exercícios vocais regularmente. a voz deve alcançar toda a platéia. é um “atleta” da voz pela própria natureza de seu repertório. tanto o cantor lírico como o popular devem buscar uma permanente atualização. renovar soluções. . sem usar microfone. Além disso. mas em compensação enfrenta péssimas condições de trabalho (ar condicionado. fumaça. O cantor regula o volume através da sua emissão vocal e também através do equipamento (microfone). buscar novos caminhos. questionar o que se fêz até agora.32 Ambos precisam desenvolver bons hábitos de higiene vocal12. mesmo cantando junto com uma orquestra sinfônica. com naturalidade. 12 Por higiene vocal entende-se uma série de condutas para a manutenção da saúde da voz. Veja alguns: Intensidade Lírico: Precisa de grande volume ou potência vocal. Quais as diferenças entre o canto lírico e o popular? Há diferenças em muitos aspectos. de acordo com cada tipo de voz. Qualidade vocal Lírico: Existem cânones (“padrões”) já estabelecidos que devem ser respeitados. Popular: O microfone permite uma emissão no nível da fala.

presente em alguns pontos específicos (finais de frases. A partir do Barroco. Existem músicas escritas para cada tipo de voz. uma “marca”.) Lírico: É o primeiro passo para se construir um repertório. Pode-se. uso da voz “mista” (mistura as ressonâncias de cabeça e peito). ou em alguns ataques) ou em toda a canção. naturalidade e sem distorções na pronúncia. É um recurso expressivo opcional.33 Popular: O conceito de “boa voz” é mais flexível. o vibrato caracteriza uma voz treinada. Popular: Depende do estilo. até certo ponto. parece haver certa tendência a rejeitar os agudos (principalmente no registro de cabeça) e valorizar a voz grave. e tendem a explorar as regiões extremas das vozes. Classificação vocal (soprano. Vibrato Lírico: Sempre presente. que o usam apenas como ornamento. distorcer um fonema em favor da melhor emissão musical. Popular: A letra deve ser dita como na fala. uma voz que se identifique. exceto em alguns poucos estilos de música antiga. o desafio técnico. Entre as cantoras. Popular: Nem sempre é necessária uma grande extensão vocal. e valoriza um estilo pessoal. pode estar ausente. Busca-se o virtuosismo vocal. o cantor deve demonstrar todos os seus recursos. Extensão Lírico: As composições frequentemente têm grande extensão. para que seja compreendida imediatamente. Articulação e dicção Lírico: Segue regras que às vezes tornam a pronúncia artificial e difícil de entender. e . tenor etc. com clareza.

Veja mais sobre este assunto na página 30. Popular: Procura a novidade. criando variações rítmicas e melódicas. que o ouvinte possa identificar. O cantor não pode improvisar. embora possam funcionar como um amuleto (é o famoso efeito psicológico ou placebo). As pastilhas e sprays são remédios. mas usados constantemente e sem critério podem causar danos à saúde. espera-se sempre ouvir uma versão diferente da que já foi feita. marcante. Criatividade.34 esta intenção do autor tem que ser respeitada. A classificação perde importância: o que conta é mostrar uma voz interessante. Nenhuma destas receitas tem fundamento comprovado. dinâmica etc. ornamentos. Qual o melhor truque para esquentar a voz? Alguns cantores desenvolvem hábitos que se tornam verdadeiros rituais . própolis. É desejável que o cantor coloque na canção a sua “marca”. o surpreendente. pessoal. cristais de gengibre. que podem ser receitados pelo médico quando necessário.consomem toneladas de pastilhas. e há ainda os que recorrem a bebidas alcoólicas como conhaque ou licor na esperança de "esquentar" a voz. a releitura. Improvisação Lírico: Procura ser fiel à intenção original do autor. como tonalidade. melodia. usam sprays de romã. Pior ainda: estes medicamentos podem . respeitando todas as indicações da partitura. Popular: A escolha do repertório é feita pelo gosto pessoal. hortelã e o que mais surgir nas farmácias. e a tonalidade da peça é modificada para se adequar à tessitura do cantor. balas. Liberdade.

a atenção e a memória. seu efeito é apenas o de relaxar e/ou desinibir . Para isso existem os vocalises de aquecimento. Agora.35 mascarar o problema. Quais são os cuidados que um cantor deve ter com a voz? É bom lembrar que a nossa voz reflete o nosso estado geral. tudo que é saudável e faz bem para o organismo vai fazer bem para a voz.. ou saindo de uma aula de aeróbica de alto impacto. é fazer exercícios vocais de aquecimento. ainda por cima pode comprometer a concentração. Você pensaria em tomar um banho bem quente para esquentar os músculos antes de jogar uma partida de futebol? O aquecimento que prepara a ação é o exercício que começa moderado e vai se intensificando até se atingir a melhor forma. ou está gripado. o que obviamente vai agravar a situação. preparando-a para uma apresentação. pois o excesso de bebida. sua voz certamente vai traduzir estas diferentes situações. A única forma eficaz de aquecer a voz. além de todos os problemas que traz. Se você dormiu pouco.. e tudo o que é nocivo para . escondendo temporariamente a dor (a dor é um alerta do organismo!) e fazendo você acreditar que então pode falar ou cantar à vontade. Como regra geral. Quanto às bebidas. se além disso você quiser tomar aquele chazinho morno.é óbvio que estamos falando de tomar UMA dose. ou deprimido. Tomar um chá fervendo na ilusão de que vai esquentar a garganta é outro engano comum.

etc. shows de rock pesado. visite o seu otorrinolaringologista e siga as recomendações dele. dor. pois chega um momento em que você já tem consciência do seu processo de produção vocal. aperfeiçoar e proteger o seu aparelho fonador. mas não custa lembrar. Basta evitar abusos. A automedicação não compensa! Ninguém precisa viver dentro de uma redoma: a voz é um instrumento muito especial mas não é tão frágil assim. Você não precisa ter aula de canto a vida toda. Longas conversas são muito divertidas. dependendo do profissional que o tenha orientado. . Se você notar uma rouquidão persistente. só não precisa ficar berrando o tempo todo junto com a galera. Nesta situação você pode praticar seus exercícios vocais sozinho. De vez em quando faça algumas aulas com um professor (o seu antigo mestre ou um outro profissional com uma visão diferente) para resolver um ou outro problema que possa ter surgido e para ampliar ainda mais os seus recursos técnicos e artísticos. sempre atento para evitar o esforço e monitorar os resultados. mas devem ser feitas longe de lugares muito barulhentos (discotecas. mas certamente incluirá entre as suas práticas exercícios de relaxamento e postura. Chegamos assim ao ponto mais importante: quem faz uso profissional da voz precisa de um treinamento vocal específico e constante para desenvolver. Ou seja: um profissional da voz deve cuidar muito bem da sua saúde física e emocional. Pode parecer óbvio. O cantor pode perfeitamente ir ao Maracanã e torcer pelo seu time.36 o corpo vai também prejudicar a voz.). exercícios respiratórios e exercícios vocais (vocalises). desconforto ou ardência na garganta. Este treinamento pode variar bastante de estilo.

1. Você canta após um dia inteiro de trabalho no escritório. com sugestões para diminuir o problema: cantar. e deixe os ensaios mais longos para o fim de semana. mas procure fazer um trabalho vocal mais leve durante a semana. procure tragam CDs de vocalises e monte seu “kit”. Por que isto acontece? Você deve estar fazendo mais esforço do que deveria para cantar. Sugestão: Compre urgentemente um bom microfone e aprenda tudo o que puder sobre o seu uso e a sua regulagem.37 Noto que fico cansado depois de cantar. Fale com um professor. concedase alguns momentos de descanso entre as músicas. 3. sem intervalo. converse fonoaudiólogo ou preparador vocal. Você nunca faz aquecimento antes de começar a a reunir prática um com um livros que Sugestão: Comece agora mesmo exercícios de aquecimento vocal e faça de sua hábito. 2. Aqui estão algumas possíveis causas. mude o local dos ensaios e/ou apresentações. se for possível. Você está cantando num ambiente muito barulhento. Sugestão: Cantar é bom e relaxa. . Você está cantando por horas a fio. 5. Os músicos da sua banda tocam muito alto e você não consegue se ouvir. Sugestão: Passe a controlar o seu tempo. sem microfone ou com um microfone ruim. 4.

aperta o pescoço. Mas em nenhum deles é necessário fazer tantos gestos. estudar canto será a solução para aumentar a sua intensidade. Quanto mais você puder manter relaxados os ombros. É apenas um hábito postural. É claro que você não vai cantar parado. cabeça e pescoço. especialmente com a cabeça e o pescoço. . é provável que a dor seja provocada por algum gesto. isso não tem nenhum fundamento técnico. avisando que algo não vai bem. Sugestão: Aula de canto. com pouca projeção. já! 7. que traz prejuízo vocal a longo prazo. tensão muscular ou algum tipo esforço que você faz. tente conversar com a banda. Enquanto canta. um condicionamento físico vigoroso. tensiona o rosto. Você não sabe controlar a respiração quando canta. tanto melhor para sua voz. a preparação é mais intensa e inclui. sem perceber. Sugestão: Cada estilo de canto pede um tipo de comportamento no palco. pois é preciso ter expressão corporal e facial. É comum vermos os cantores sertanejos levantarem o queixo e balançarem a cabeça enquanto cantam notas agudas. que você cante rock pesado – neste caso.38 Sugestão: Se sua voz é muito fraca. além do estudo de canto. mas isso não precisa ser feito às custas de uma grande tensão muscular. explicando que é impossível cantar sem se ouvir! 6. A menos. Por que minha garganta dói quando eu canto? A dor é um sinal de alerta do organismo. você faz muitos gestos. é claro. levanta os ombros. de qualquer forma. Se a garganta só dói quando você canta. levanta o queixo.

Muito cuidado com os famosos sprays e pastilhas recomendados por pessoas não habilitadas: estes produtos escondem a dor. Só use medicamentos se o médico receitar. e nunca a ponto de tornar sua voz irreconhecível.39 durante o canto. Pode haver algum problema orgânico em sua laringe (procure um otorrinolaringologista). Enfim. Dor tem que ser levada a sério. Não é. assim como a dor de garganta. não dá para ficar esperando ela passar sozinha. é sinal de que algo está errado. Pode ser que você passe a noite toda respirando pela boca. impedindo que você perceba o problema e dando a impressão (falsa) de que você pode cantar à vontade. O que é natural é acordar com a voz um pouco mais grave. E ela deve voltar ao normal em alguns minutos após o despertar. . No dia seguinte você estará ainda pior. não pense que é natural acordar rouco. dançando com entusiasmo (esperase!). Cantar em baile pode ser extremamente prazeroso. um pouco mais fraca ou um pouco mais soprosa. Cantar em baile prejudica a voz? Não. mas só um pouco. o que indica que precisa modificar o padrão respiratório (procure um fonoaudiólogo). Por que eu sempre acordo rouco? Rouquidão. O público manifesta sua aprovação à música durante a própria execução. Mas em todo caso procure logo o seu otorrinolaringologista.

No entanto. tudo isso traz um prazer que só pode ser compreendido por quem faz ou já fez parte de um coral ou grupo vocal. mas podemos citar ainda outros aspectos positivos: o coral cria ou aprofunda vínculos afetivos entre os participantes. já que costuma haver pouco ou nenhum ensaio. ou com um arranjo novo. Num baile. Ele aprende a ouvir o outro sem perder a sua individualidade. esta experiência pode ser vocalmente desgastante por vários motivos. resulta numa sonoridade única e harmoniosa. mas ao mesmo tempo ele tem que estar perfeitamente sintonizado com os colegas. como cantar uma música em um tom diferente do habitual. a platéia está primariamente interessada em dançar. O sentimento de ser parte de um “instrumento”. Cada um é responsável por sua parte. Somente esta característica já seria razão suficiente para que a prática do canto em grupo fosse recomendada para todas as pessoas em qualquer idade. somada à dos colegas. a consciência de que sua voz. e não em observar o cantor.40 É uma grande escola para o cantor: desenvolve o repertório e a “antena” musical. isto diminui a ansiedade e deixa o cantor à vontade para fazer experiências de interpretação. O cantor aprende a se comunicar melhor com os músicos que o acompanham e a entender as “dicas” musicais que eles oferecem. estimulando o espírito de cooperação e . Veja na página 37 a pergunta “O que faz mal à voz?” Cantar em coral é bom ou faz mal para a voz? Cantar em grupo é sem dúvida uma das maneiras mais fascinantes de se fazer música.

melhorando a capacidade de comunicação. pode fazer um excelente trabalho em conjunto com um professor/preparador vocal especializado. deve-se evitar os gelados durante as aulas de canto e apresentações. e também algumas horas antes e algumas horas depois. bem conduzidos por um preparador vocal competente. tudo vai depender da . deles! Existem muitos corais bem orientados. Como regra geral. outras tomam litros de sorvete e bebem água geladíssima sem serem afetadas. explorar suas possibilidades e respeitar suas limitações dentro da música! Se tiver a capacitação. estimula a autoconfiança e a confiança nos parceiros. melhora a capacidade de concentração.41 o trabalho em equipe. e os exercícios vocais. poderá ele próprio cuidar da preparação técnica das vozes. reduz significativamente o “stress”. trazem benefícios também para a voz falada. Procure um Posso tomar sorvete? Beber água gelada? Refrigerante? Isto depende da sensibilidade ou da resistência de cada pessoa para cada um destes itens. O cuidado fundamental é escolher um coral dirigido por um profissional competente e que conheça as peculiaridades e características do seu instrumento – um regente de coral precisa conhecer a voz humana. Mas no dia-a-dia. se não. Algumas pessoas sentem dor de garganta ou ardência depois de beber um gole de água gelada.

Não se esqueça: antes de subir ao palco. É fundamental que você se ouça. ou bailes que duram quatro horas ou mais exigem muito da voz. Não se esqueça de ter sempre à mão uma garrafinha de água sem gás em temperatura ambiente.42 sua reação individual: se não afeta a sua voz. Quanto aos refrigerantes. Como se preparar? Com exercícios vocais regulares e com hábitos saudáveis para a voz. O que faz mal à voz? Vejamos alguns fatores que costumam agredir a voz e algumas sugestões para tentar minimizar seus efeitos nocivos. faça um aquecimento vocal. compre seu próprio equipamento. É fundamental estar bem preparado vocalmente para enfrentar tamanha jornada de trabalho. evidentemente. não experimente cantar logo depois de um copo . Proteja sua voz! Amplificação insuficiente para a voz Você será obrigado a fazer muito esforço para se ouvir e ser ouvido. Converse com o técnico de som para buscar uma solução. Isso. com muita coreografia. é péssimo.ou vai ter que cantar com a desagradável sensação de que o gás pode “voltar” ruidosamente a qualquer momento. Cantar por um longo tempo sem preparação vocal adequada Shows muito longos. Principalmente se você tem tendência a ter refluxo. existe um outro problema além da temperatura gelada: o gás. Se puder. pode beber à vontade. pois sem monitoração adequada você não pode saber nem mesmo se está afinado! .

Ambiente desconfortável Muito frio. trêmula ou muito anasalada. prenda o cabelo). Alguns casos são muito fáceis e rápidos. se o lugar tem ar condicionado muito forte (leve um agasalho). ou se faz um calor escaldante (use roupas leves. Afinação não tem nada a ver com qualidade vocal. fumaça de cigarro. Se sua voz é estridente. outros podem demorar mais tempo. Faça a sua parte! É possível afinar um desafinado? Existem várias causas para a desafinação. mostrando como sua voz fica mais interessante num tom confortável. Felizmente a maioria dos casos é curável! Muita gente confunde voz desafinada com voz desagradável. e o “tratamento” vai depender destas causas.43 Arranjos feitos sem levar em conta a sua extensão vocal Você fica obrigado a cantar em tons não apropriados para a sua voz. áspera... Leve uma gravação sua. vento. Como você pode ver. local barulhento. Converse com o arranjador. É importante saber. de antemão. na . Faça o possível para se precaver. mesmo quando os problemas não dependem só de você. é possível encontrar alguma forma de resolvê-los ou de neutralizar os seus efeitos. muito calor. tudo isto pode arruinar sua voz. rouca. e procure fazer um relativo repouso vocal no dia seguinte. Isso também gera esforço vocal. então você tem um problema na qualidade vocal.

O mesmo acontece com as vozes humanas: cada uma tem uma extensão própria. respeitando as distâncias entre uma nota e a seguinte (ou seja.. se houver acompanhamento. deve-se observar a relação de cada nota com os acordes (a harmonia da música). um contrabaixo não pode tocar as mesmas notas que uma flauta. Você não pode cantar todas as notas do mundo! Caso 2 . você força a voz e.você não conhece direito a música.44 sonoridade da sua voz (o timbre). mantendo os mesmos intervalos) e observando o ritmo dado. Experimente cantar. Você pode ter problemas vocais sem necessariamente ser desafinado. mas não alcança todas as notas (claro. Cantar afinado significa reproduzir fielmente uma melodia. 2002 . Por que isto acontece? Cada instrumento pode tocar uma gama determinada de notas. Se seus amigos conseguirem identificar qual é a música. o cantor deve ter uma extensão diferente da sua!) e. desafina.. sem a letra. você não deve ser tão desafinado assim. uma música bem conhecida. na tentativa de imitá-lo. Mas porque eu desafino? Vamos examinar algumas casos de desafinação(13): Caso 1 . ou aprendeu errado.você tenta cantar junto com o CD. 13 Um estudo completo sobre a desafinação vocal se encontra em SOBREIRA.

ou o piano. em que você passe a ouvir todos os instrumentos.o seu violonista (ou pianista) só sabe (ou só quer) tocar a música no “tom original”14. Escute a gravação. Os casos em que não se consegue nenhum progresso existem. Neste caso é preciso desenvolver uma escuta mais aprimorada. e depois volte a prestar atenção no cantor. mas são raros. Tente seguir mentalmente tudo que este instrumento está fazendo.você não tem o hábito de ouvir. Caso 3 . existem soluções diferentes para cada tipo de desafinação. tente imitá-lo. um de cada vez. Faça isso com vários instrumentos. 14 Ver as perguntas relacionadas a “tom” . mas tente não prestar atenção no cantor: concentre-se num instrumento . concentradamente e com toda a atenção. ou o violão. Basta aprender a forma correta para resolver o problema. todos os detalhes da melodia: só presta atenção na letra. Percebeu a diferença? Como você vê. você modifica a melodia apenas porque pensa que a música é assim.45 Neste caso. que por acaso é totalmente inadequado para a sua voz.por exemplo a bateria. Voltamos ao mesmo problema do item 1. se conseguir. Caso 4 . Um exercício para começar: escolha uma música que você já conhece.

1o. Enquanto isto. que fica mais rápido quando fazemos esforço. Vamos representar esquematicamente o ritmo através da distribuição das sílabas na canção infantil “Atirei o pau no gato”. Quando você canta uma nota longa. 3o. provavelmente precisará desenvolver sua percepção musical (também chamada “musicalização”) em uma escola de música ou com um professor de canto que tenha este conhecimento. tem que prolongar a sílaba para que ela dure mais tempo. Na música. Observe que existe um padrão regular. Compasso Compasso rei o pau no ga to 4o. com sílabas mais fortes iniciando cada compasso. Compasso A ti 2o. Compasso to mas o Se você tem dificuldades com o ritmo.46 Acho até que sou afinado. o ritmo é definido como a combinação de sons e silêncios (pausas) de diferentes durações dentro de um padrão regular (compasso). Sabemos se o telefone está chamando ou se está ocupado porque o toque tem um ritmo diferente. mas o problema é que eu não tenho ritmo. A noção de ritmo está ligada ao tempo e também ao nosso dia-a-dia. você pode tentar estes recursos: . Nosso coração pulsa num determinado ritmo.

muitas vezes a gente nem sabe qual foi o tom original. Se você acha que a música ficou aguda.47 Ouça uma música num CD. que então grava a música num tom adequado a ele. a solução é simplesmente transpor a música para um tom mais adequado para quem vai cantar. Entre numa aula de sapateado – talvez seja melhor começar com um instrutor particular. . Aliás. mas não consigo cantar porque ela é muito aguda para mim. e não numa turma. Adoro esta música. O compositor faz a canção. Isso pode ser difícil se você nunca tentou antes. 15 Ver as outras perguntas sobre o assunto “tom”. seja batendo palmas ou marcando com os pés. Entre numa aula de dança de salão. só para mostrar a um cantor famoso. A música vai se tornar conhecida pela gravação do cantor famoso. peça ao seu acompanhador para tocá-la num tom mais grave15. como é que o público vai saber qual foi o tom original? Portanto. o tom de cada música deve ser definido em função do conforto para a voz do cantor – não existe nenhum compromisso em se cantar no “tom original” em que a música foi composta. grava com violão-e-voz. Na música popular. na grande maioria das vezes. prestando atenção somente nos instrumentos que marcam mais explicitamente o ritmo (geralmente o baixo e a bateria). Tente imitar um destes instrumentos de cada vez.

Não existe uma “regra” obrigando o compositor a começar sempre a música num determinado ponto (grau) da escala. Ninguém pode cantar todas as músicas no mesmo tom. Neste caso. A solução? Estudar para aumentar a extensão da sua voz! Mas lembre-se: existem ótimos cantores populares com uma extensão pequena. valorizando-a com um repertório adequado. vou usar as seguintes do re mi fa sol la si do re mi fa sol la si DO re mi fa sol la si do re mi fa sol la si do . abrangendo portanto notas graves e agudas. a nota mais aguda desta música é o quinto grau uma oitava acima. usa uma grande gama de notas. O mais importante é conhecer os limites e as potencialidades da sua voz. Por exemplo. Todas as músicas eu canto em Fá. se você tentar transpor para um tom mais grave.48 O problema surge quando a melodia tem uma extensão muito grande – ou seja. certo? Errado. e da maneira como foram usados e encadeados os elementos melódicos presentes na composição. Cada canção tem uma estrutura melódica diferente. vão surgir notas MUITO graves. notas: Se eu cantar esta música em Dó. que coincidentemente é também a nota mais grave. “Parabéns pra você” começa no quinto grau. pois não é somente a extensão que define o bom cantor. qualquer que seja a tonalidade em que se execute a música. o que nos faz ver que “Parabéns” tem uma extensão de uma oitava. O tom de uma música depende da construção da melodia.

49 Mas se eu cantar esta mesma música em Fá.. este quadro fica assim: Se eu cantar no tom de Dó: do re mi fa sol la si DO re mi fa sol la si do re mi fa sol la si do re mi fa sol la si.. Se eu escolher outra música. Ou se eu escolher o tom de Fá: Ou se eu escolher o tom de Si bemol: Achar o melhor tom para você cantar cada música significa encontrar o melhor “encaixe”: em qual tom a música deve ser tocada para se encaixar na melhor região da sua voz. do re mib fa sol la sib do re mib fa sol la Si b do re mib fa sol la sib do re mib fa . “Asa Branca”. Crie o hábito de associar sempre ao nome de cada música o compositor e o tom em que você canta aquela música. Dica: Use um caderninho de telefones (ou sua agenda . Ou ainda em Si bemol: Agora. do re mib fa sol la sib do re mib fa sol la Si b do re mib fa sol la sib do re mib fa sol. se a música é. Peça sempre ao seu professor de canto para informar em que tom você está cantando cada música de seu repertório... Um cantor leigo não vai conseguir definir o tom de uma música: é preciso ter conhecimento teórico. as notas em cada tom podem ser totalmente diferentes deste exemplo.. vou usar as seguintes notas: do re mi fa sol la si do re mi FA sol la si do re mi fa sol la si do re mi fa sol la si... do re mi fa sol la si do re mi FA sol la si do re mi fa sol la si do re mi fa sol la si. um ouvido bem treinado e alguma vivência prática. Cada música tem uma extensão diferente e começa e termina em graus diferentes da escala.. por exemplo...

Um tom maior tem uma estrutura melódica diferente de um tom menor. tornando-a irreconhecível. Fica tudo arrumado em ordem alfabética e é muito mais fácil de consultar! Dó maior fica muito alto. alto e baixo. quase criando uma outra composição. ou muito baixa. No entanto. . Você tem toda a liberdade para tocar uma música em qualquer tom. Você pensou certo: se a música está muito alta. vamos mudar o tom. Eu não posso transpor uma música de um tom maior para um menor nem vice-versa. e também entendeu a mecânica de encontrar um tom adequado para cada música do repertório de cada cantor. indica que você está fazendo confusão entre vários conceitos como tom. que ocorre com freqüência. já sabe como funciona a questão da transposição. Então vamos por partes. maior e menor. pois se eu fizesse isto estaria modificando a música.50 eletrônica) para anotar cada música de seu repertório com seu respectivo tom ao lado. contanto que respeite as características da composição . o fato de ser um tom maior ou menor não tem nada a ver com a altura da música. Se você leu as perguntas anteriores. Posso cantar em dó menor? Esta pergunta. Assim ela ficará mais confortável para a sua voz.inclusive o fato de ser maior ou menor.

Para cada música aprendida. e o cantor precisa saber em qual tom ele vai cantar cada música. As músicas é que estão em um tom. Um fonoaudiólogo pode dizer que você fala num tom agudo. usa-se “tom” significando “som”. do mais grave ao mais . e está ligada a um conjunto de sons interrelacionados. a palavra tom está relacionada à frequência de um som.51 Como é que eu posso descobrir o tom da minha voz? No estudo da voz falada. e não a um som apenas. o diretor musical e/ou o arranjador. é: . Pode-se também usar “tom” significando intenção – “não gosto desse seu tom irônico”. Em música. ou que o tom da sua voz é grave. Cantores não têm tom. tom é sinônimo de tonalidade. e portanto refere-se à altura. Ou seja.“Em que tom eu canto esta música?” ou então: . Já vimos que um leigo não vai saber identificar em que tom está uma música: quem vai fazer isso é o professor de canto. Então na área da música você não tem um tom. então. uma família de sons. A pergunta mais correta. Ninguém tem um tom. ou “ele disse isso num tom suave”. em Hz. do mais grave ao mais agudo) e uma tessitura (conjunto de todos os sons que você pode emitir com boa qualidade vocal.“Qual o meu tom para esta música?” Em que tom eu vou cantar cada música? As vozes humanas têm uma extensão (conjunto de todos os sons que você pode emitir. de um som. é preciso experimentar e encontrar o tom mais confortável para a sua voz.

No entanto. você pode alterar a região em que vai tocar esta música. Voltando aos esquemas: .52 agudo). Você não pode mudar a extensão de uma melodia. fazer uma “transposição”. As músicas também têm uma extensão: é a distância entre a nota mais grave até a mais aguda daquela melodia. Vamos representar esquematicamente num gráfico: Piano sons + graves sons médios sons + agudos Extensão de uma determinada pessoa graves médios Tessitura desta mesma pessoa graves médios agudos agudos Extensão de uma determinada música nota mais grave nota mais aguda Com o treinamento vocal. Por exemplo. sem descaracterizá-la: isto se chama “transpor a música” de um tom para outro. uma flauta não pode tocar os mesmos sons que um trombone. Porém. todos os instrumentos (inclusive a voz) têm um limite. a tendência é você ampliar a sua tessitura tanto na direção dos graves como dos agudos. pois isso iria descaracterizá-la – você estaria cantando uma outra música. assim como a Gal Costa não pode cantar os mesmos sons que o Tim Maia.

ou seja. não há um tom em que todas as músicas fiquem agudas. ou graves: tudo depende da construção melódica. . Observe o deslocamento das notas: Em F (Fá maior) sons + graves sons médios sons + agudos Em G (Sol maior) sons + graves sons + agudos Em Bb (Si bemol maior) sons + graves sons médios sons + agudos sons médios E assim por diante.53 Piano sons + graves sons médios sons + agudos Extensão de uma determinada música nota mais grave nota mais aguda Vamos representar o que acontece quando eu toco esta mesma música em diferentes tons. uma por uma. Por isso é preciso saber em que tom você canta cada música do seu repertório. da forma como o compositor estruturou a canção. Veja bem: não existe um tom “mais agudo” nem “mais grave” que o outro.

se for o caso. O que é.54 Atenção: muitas vezes a pessoa que faz esta pergunta (“qual o meu tom?”) quer. e. Alguns tons são mais usados do que outros. Eb = mi bemol. esse negócio de tom? Você leu várias explicações sobre este tema nas páginas anteriores. mezzo. Por exemplo. baixo. saber qual é a sua classificação vocal (se ele é tenor. o indicador de bemol ou sustenido. alto). A# = lá sustenido maior. Bbm = si bemol menor. A#m = lá sustenido menor. Por exemplo: Gm = sol menor. Este é o código: A lá B si C dó D ré E mi F fá G sol Para indicar os outros tons. Existe uma convenção internacional para identificar os tons. afinal. Por exemplo: G = sol maior. Se o tom é maior. você tem que indicar isso com um m minúsculo após o código do tom. Todos os tons podem ser maiores ou menores. escreva apenas a letra correspondente. ou se ela é soprano. Veja agora dicas bem práticas sobre a forma de se comunicar com os seus músicos a este respeito. na realidade. Todos. Se o tom é menor. barítono. Bb = si bemol maior. A explicação para isto envolve conceitos da construção dos instrumentos e de teoria musical que fogem aos propósitos . acrescente os símbolos # (sustenido) ou b (bemol) após a letra correspondente ao tom. A# = lá sustenido e assim por diante.

55 deste livro. Tons Maiores A – lá B – si C – dó D – ré E – mi F – fá G – sol Ab – lá bemol Bb – si bemol Cb – dó bemol Db – ré bemol Eb – mi bemol Fb – fá bemol Gb – sol bemol A# – lá sustenido B# – si sustenido C# – dó sustenido D# – ré sustenido E# – mi sustenido F# – fá sustenido G# – sol sustenido Tons Menores Am – lá menor Bm – si menor Cm – dó menor Dm – ré menor Em – mi menor Fm – fá menor Gm – sol menor Abm – lá bemol menor Bbm – si bemol menor A#m – lá sustenido menor B#m – si sustenido menor C#m – dó sustenido menor Cbm – dó bemol menor Dbm – ré bemol menor D#m – menor Ebm – mi bemol menor E#m – menor Fbm – fá bemol menor F#m – menor Gbm – sol bemol G#m – menor menor ré sustenido mi sustenido fá sustenido sol sustenido . mas achamos importante que você saiba quais são os tons mais comuns (em negrito) e também os que não são usados na prática (riscados).

a escala de fá maior tem as notas fá – sol – lá – si bemol – dó – ré – mi – fá. as notas dó – ré – mi – fá – sol – lá – si – dó tocadas nesta sequência formam uma escala ascendente (escala de dó maior). precisamos usar os acidentes (sustenidos ou bemóis. Podemos representar este exemplo por uma escada. A nota dó é o primeiro grau (primeiro degrau da escada). pois a distância entre os seus graus é diferente. Esta é uma escala maior. cuja nota representativa é o centro de atração. Consequentemente. a nota ré é o segundo grau. uma escala menor teria outra configuração. . obedecem a uma estrutura que determina a distância exata (intervalo) entre cada som e o próximo. mi é o terceiro grau e assim por diante. limitada pela oitava. Por exemplo. e é numerado conforme sua posição a partir do centro de atração.56 O que é uma escala musical? É uma seqüência de sons consecutivos em movimento ascendente (do mais grave para o mais agudo) e descendente (do mais agudo para o mais grave). Por exemplo. ou seja. Esta sequência de notas têm um “desenho” característico. a estrutura também define os intervalos entre cada som e o centro de atração (que é o primeiro grau). Cada um destes sons é chamado de grau da escala. Para formarmos outras escalas. conforme o caso) para ajustar os intervalos.

grau Fá 8o. grau Lá 5o. grau Ré 1o. grau Dó Uma escala também pode ser definida como o conjunto de notas disponíveis num determinado sistema musical.57 7o. grau Mi 2o. grau Dó 4o. grau Si 6o. . grau Sol 3o.

O cantor não tem teclas como um piano: ele depende somente do ouvido para saber em que nota vai começar a cantar.58 Como eu faço para saber quando “entrar” na música? Existe uma grande ansiedade. Você se sente perdido. Ouça diversas gravações e tente “adivinhar” a entrada do cantor. com relação a esta hora – o momento de começar a música. Exceto nos casos em que o cantor tem o chamado “ouvido . ou insegurança. Aqui vão algumas dicas para você superar este problema. Relaxe. Com alguma prática. ou desconforto. Uma introdução inadequada pode enganar o mais experiente dos cantores e fazê-lo entrar errado. o pianista faz sinal. que conduza o cantor ao início da música. e possivelmente com alguma ajuda. e pode acontecer com qualquer cantor. já o cantor16 precisa de uma referência musical que é dada por uma introdução bem construída. você vai passar a perceber este diálogo entre o 16 absoluto”. o violonista olha para você. original. o andamento e o estilo da música. Alguns instrumentistas não têm o hábito de acompanhar cantores e por isso não compreendem este mecanismo. Cabe ao acompanhador ou arranjador da banda criar uma introdução bonita. interessante. Esta introdução também vai apresentar o ritmo. mas nada adianta: você não sabe quando nem como a música começa. Lembre-se que esta dúvida é comum. O pianista pode olhar para o teclado e ver as notas que ele vai tocar. inclusive com profissionais. O cantor precisa estar atento e concentrado para entender todas estas “deixas” da entrada. talvez o trecho final. Observe que às vezes a introdução faz uma citação de um pedaço da música.

há tempo de se ensaiar antes e ficar mais familiarizado com cada arranjo. Modifique o andamento da última frase. funciona melhor se a nova nota for bem grave. criando um “clima” para valorizá-la. Ou então modifique o final para que termine numa nota grave. Modifique ligeiramente a última frase. Num show ou numa gravação. enquanto a banda faz um “arremate” final. Esta questão fica mais evidente para os cantores da noite. Faça uma pausa antes de cantar a última frase. que são muito usadas exatamente por serem intuitivas e funcionarem bem. usando só sílabas (como “pa-da-ba-da”) junto com a banda ou em solo. . Atenção: se você não tem experiência. onde geralmente não existe arranjo previamente combinado. treine antes. entendendo a linguagem musical. principalmente no final). Mas neste caso. Como finalizar uma música? Aqui estão algumas idéias bastante comuns. tornando-a mais lenta. Use a linguagem corporal para comunicar isto aos músicos. Você pode cantar novamente a melodia feita pela banda na introdução. Sustente a última nota. e o cantor deve entender a proposta.59 cantor e a banda. fazendo com que termine numa nota mais aguda (os agudos causam impacto. seus códigos e convenções. os instrumentistas criam uma introdução na hora.

faça pequenas variações na melodia. Depois de cantar a última frase. depois o cantor ainda mais suave etc. além de caixas acústicas que reproduzam o som com fidelidade. a linguagem musical e corporal para mostrar como você planeja finalizar a música. Fazer uma boa gravação de voz exige um bom microfone. especialmente na primeira repetição. Aos poucos você achará natural esta conversa sem palavras. depois o instrumento repete mais suavemente. uma mesa de som (mixer) com bons recursos para equalização. cada vez numa intensidade mais suave. E o mais importante: é preciso saber pilotar toda esta parafernália tecnológica com eficiência. repita-a mais duas vezes. Outra versão para o “fade out” é usar um instrumento para estabelecer um “diálogo” – uma vez o cantor canta a última frase. Experimente combinar algumas destas idéias. até desaparecer (“fade out”). o grupo pode combinar um final onde todos fazem um desenho melódico ou rítmico especial – isto se chama “uma convenção”. Outro fator importante é que você está habituado a ouvir sua voz vindo “de dentro” de você – ou seja. Se houver ensaio.60 Depois de cantar a última frase. Atenção à comunicação entre cantor e banda! Use o contato ocular. Porque minha voz fica horrorosa quando eu gravo? É bem possível que você esteja usando um equipamento inadequado para gravar. ou “um especial”. periféricos como compressores e efeitos. repita-a várias vezes. você ouve o som da sua voz conduzido pelo ar e também conduzido . se quiser.

Na gravação. será que eu consigo me tornar um Tenor? A classificação vocal (Tenor. Barítono (voz moderadamente grave) e Baixo (voz mais grave e mais cheia). Mas a classificação vocal não tem nenhuma relação com o fato de ser ou não um bom cantor: encontramos ótimos e péssimos artistas em todos os tipos de voz. Mezzo. O caminho você já sabe: trabalhar a técnica vocal com exercícios regulares. Se eu estudar bastante.61 pelos ossos da face. e incluem a tessitura e o timbre. Soprano. Mas talvez você realmente precise aprimorar o seu timbre vocal. Barítono. . o que modifica a sua percepção. Tente gravar com maior frequência – isto permitirá que você aprenda a ouvir sua voz desta nova forma. Baixo para os homens. Contralto para mulheres) é um assunto dos mais polêmicos. Esta é a divisão básica das vozes na classificação tradicional do canto erudito: Vozes femininas Soprano (voz mais aguda e leve).) significa que sua voz apresenta determinadas características – os critérios são vários. Vozes masculinas Tenor (voz mais aguda e leve). você escuta apenas a voz vindo “de fora”. Mezzo soprano (voz intermediária) e Contralto (voz mais grave e mais cheia). Ser um tenor (ou um barítono etc.

leve. Cantar fora da região adequada para você poderá provocar esforço vocal. Seu principal objetivo é ter uma voz pessoal. e consequentemente poderá trazer problemas para sua voz. para descrever a sonoridade da voz. dura. esta classificação não é tão importante. afiada. vai precisar saber qual a classificação da sua voz. o seu estilo. é procurar um profissional experiente: pode ser um professor de canto ou um regente de coral. pesada. O que é uma voz “escura”? Geralmente se trata de uma voz grave e cheia. É muito comum usar expressões variadas. tenor. apertada) ou gustativa (doce. suja). . Elas podem ser ligadas à percepção visual (voz clara. flexível. e sugerem diversas características sonoras. táctil (voz áspera. A melhor maneira de saber se você é soprano. limpa. não ligadas à audição. Ele provavelmente vai propor que você faça alguns exercícios vocais e/ou vai pedir que você cante uma música para que ele classifique sua voz. etc. É uma descrição subjetiva. Como saber se eu sou Soprano? Se você quiser cantar peças eruditas ou então se for cantar num coral. Mas na música popular. azeda).62 Mas observe que para o cantor popular esta classificação não tem tanta importância: o que conta é a sua identidade. expressiva. escura. pois você vai sempre adaptar o tom da música à região mais confortável para a sua voz. inconfundível. cristalina.

Ou seja. então tente repetir. Isso é sinal de um bom ouvido harmônico: a pessoa só compreende a melodia em função dos acordes. e não um defeito. quando você canta sozinho. até ficar fácil. Tente este pequeno exercício: coloque o disco no cd-player. Quando você canta sozinho estas referências não estão presentes. e fica mais difícil perceber se você está realmente mantendo a afinação e o ritmo. Se for este o caso. No início.63 Por que eu me atrapalho quando tento cantar sem o disco? Talvez você precise de uma voz-guia. Se for este o caso. ouça a primeira frase da música. você se perde. aquela frase. você corre o risco de errar sem perceber que está errando. você precisa treinar mais a sua percepção musical. de harmonia. Faça isso frase por frase. Por que eu me atrapalho quando tento cantar com o disco ou com um pianista? O piano (ou qualquer outro acompanhamento) dá ao cantor a referência de tonalidade. um apoio. e se não tiver este modelo. que é a voz do cantor que está no disco – ou seja. pode ser necessário ouvir várias vezes o mesmo trecho até conseguir. de tempo. . não se preocupe: escutar a harmonia é uma qualidade. aperte a pausa. Ou então. sozinho. você só consegue cantar junto com o outro. talvez você precise da referência do acompanhamento (a banda) para não se perder.

é uma conversa. Existem grupos vocais que cantam usando somente vozes. mas os instrumentos atrapalham” é como dizer que você joga futebol muito bem. Um bom acompanhamento é aquele que apoia e conduz o cantor sem tolher sua interpretação. o cantor fica obrigado a cantar e-xa-ta-men-te igual ao instrumento. o recado do outro. ou seja. com atenção e interesse. O cantor faz a melodia. formando o acompanhamento. e é esta combinação dos instrumentos com a voz que dá sentido à melodia. um diálogo em que cada um dá o seu recado musical e escuta. . sem qualquer criatividade. o timbre do instrumento vai-se misturar à voz do cantor. mas neste caso as várias vozes se combinam harmonicamente. somente usando a voz de um único cantor. Muito raramente se faz música popular a capella. Se o acompanhamento tocar a melodia junto com o cantor. Descubra o prazer de cantar COM os outros instrumentos: cada um deles tem uma função. Além disso.64 É fundamental aprender a estar em sintonia com o seu acompanhamento. mas a bola é que atrapalha. sem qualquer liberdade para dar à canção uma interpretação pessoal. Dizer que “canta bem. ele toca a música inteira junto comigo? Não. um papel dentro da música. O acompanhamento de um cantor não pode incluir a melodia. Quando um músico me acompanha. o acompanhamento faz a harmonia. sem instrumentos tocando junto. modificando o resultado sonoro final.

65

Como eu faço para cantar igual a este cantor? Cantar “igual” a alguém depende da combinação de vários fatores, sendo que os principais são: O timbre – é a identidade sonora, a qualidade característica que faz você reconhecer o dono daquela voz (como quando você atende o telefone e reconhece um amigo só pela voz, antes que ele se identifique). Cada pessoa tem um timbre de voz único, pessoal, que é determinado por fatores inatos (como a forma dos ossos da face, por exemplo, ou o comprimento das pregas vocais) e adquiridos (maior ou menor tensionamento de alguns músculos envolvidos na fonação, por exemplo). O timbre é o componente mais difícil de imitar, pois você precisa reproduzir artificialmente, da forma mais aproximada possível, uma sequência de movimentos e ajustes musculares muito sutis, sequência esta que costuma ser totalmente automática. A expressão facial e corporal – é a maneira como o cantor usa o sorriso, o olhar, os gestos, a movimentação em cena durante suas apresentações. A divisão – é concepção rítmica de cada um, ou seja, é a maneira de dizer as sílabas de cada palavra ao longo da melodia, distribuindo a duração de cada nota e de cada silêncio. O fraseado – é forma de encadear as notas da melodia; está também relacionado com a divisão. Agora, eu me pergunto porque alguém desejaria aprender a cantar igual a um modelo. Quem sabe você quer simplesmente cantar tão bem quanto ele?

66 Talvez você queira se especializar no estilo deste cantor, e nesse caso, começar pela imitação pode ser um bom caminho – mas não se esqueça que o objetivo é buscar, aos poucos, a sua própria identidade vocal e artística. Pode ser que este cantor seja seu ídolo, e você queira se identificar completamente com ele – nas roupas, no penteado, na atitude e, claro, na voz. Isso é bastante comum na adolescência; depois, voltamos ao que foi dito acima: a imitação é o primeiro passo da aprendizagem, e depois deve dar lugar a uma forma original de cantar. A cultura em que vivemos nos oferece uma enorme variedade de tendências artísticas, e felizmente podemos ter estas múltiplas referências na nossa formação. Não é preciso ficar repetindo o que já foi feito, assim como não é preciso evitar nem negar as influências. Fazer arte é criar o novo a partir do que vemos, sentimos e ouvimos, é descobrir um jeito original de contar o que já se sabe; e cantar é ter prazer em ouvir a sua própria voz!

Por que o meu violonista não toca igualzinho ao disco? No disco existe um arranjo, geralmente tocado por vários instrumentos. Se você tiver uma banda com a mesma formação, pode tentar fazer igual; mas como pode um violão, por exemplo, tocar o mesmo arranjo que uma big band ? Além desta impossibilidade, é também desejável que o arranjo seja diferente – assim você estará praticando a sua

67 criatividade, sua forma individual de cantar cada música, seu ouvido e sua “antena” musical. Para cantar música popular você precisa compreender a proposta musical dos músicos com quem você interage – são seus interlocutores, e você precisa estabelecer com eles uma parceria, uma cumplicidade, um diálogo. Cantar com um acompanhamento diferente do disco é um passo importante para o seu desenvolvimento musical.

Como fazer para improvisar? Existem livros que dão dicas e explicam a teoria necessária para a improvisação vocal – harmonia, escalas, modos, patterns e muito mais. Se você já conhece teoria musical e harmonia, há algumas dicas simples para começar: use arpejos de acordes. Escolha uma música bem simples e examine os acordes. então cante, uma por uma, as notas que formam cada acorde da música (fundamental, terça, quinta, sétima, nona). Brinque com estas notas, faça ritmos diferentes, crie frases. Depois cante estas frases que você inventou dentro do tempo apropriado dentro da música. Ou seja, em vez de cantar a melodia da música você vai cantar as notas que formam os acordes. Vai ficar um improviso bem simples, sem notas dissonantes. Depois de bem familiarizado com este processo, você pode começar a usar notas de passagem entre uma nota de acorde e outra; experimente e deixe seu ouvido guiá-lo! Grave, escute atentamente, mostre a um cantor experiente ou a um amigo músico.

Em seguida cante letra e melodia juntas. A primeira.68 Como posso perder a timidez para cantar? Um recurso bem eficaz é praticar muitas vezes antes do show. Vá por partes. Atenção: isto não substitui o aquecimento propriamente dito. depois leia em voz alta a letra sem cantar. Primeiro leia ou escute a melodia. Cante em frente ao espelho. obviamente. de oratória ou de dança de salão. . poesia ou textos literários. pois você encontrará novas possibilidades de dar sentido ao texto e à melodia. ouvindo uma ou mais versões gravadas ou. que deve ser feito ANTES do show. Este é um treino valioso tanto para a percepção musical como para a criatividade na interpretação. Quanto mais você se acostuma com a situação de exposição ao público. cante para seus amigos em casa. Outra sugestão para enfrentar a timidez é participar de outras atividades em grupo: aulas de teatro. memorize e cante esta melodia sem a letra. Um bom truque para quem fica muito nervoso é fazer o roteiro do show começando com músicas mais "fáceis" que agiriam como um segundo aquecimento. mais à vontade você fica. quando possível. é aprender bem a música. em voz alta. lendo atentamente a partitura. há também grupos que se encontram para ler. cante para colegas de trabalho ou de classe. Qual o melhor método para ensaiar? O ensaio passa por várias etapas.

Os preços costumam ser bem razoáveis. e você ainda poderá gravar o ensaio para estudar depois. vale a pena procurar um estúdio de ensaio. Cada um vai contribuir com alguma idéia para o arranjo. fique atento ao equilíbrio entre a voz e os instrumentos. Todos devem se ouvir confortavelmente. sem um arranjador. Se for uma banda informal. Aqui você vai buscar. a produtividade do ensaio fica muito comprometida. que pode ser um instrumento apenas (geralmente violão/guitarra ou piano/teclado. o tom mais confortável para você. peça ajuda a um professor de canto ou a um dos músicos que irá acompanhá-lo. ou se não tem o equipamento necessário. você vai cantar o repertório e os músicos vão combinar. Se você não toca nenhum instrumento. Se você não tem muito espaço em casa. mas valorize também os bons momentos! . mas pode ser qualquer instrumento harmônico como cavaquinho ou banjo). Não coloque sua saúde vocal em risco: um bom sistema de amplificação para a voz é indispensável. Na terceira etapa é que você vai ensaiar com a banda. Ao cantar com o acompanhamento completo. como será a execução. Nesta fase você só precisa de um acompanhamento bem simples.69 Quando estiver bem à vontade. Você vai encontrar falhas. Neste caso é importante que você (ou um dos músicos) leve algum tipo de guia para o grupo – pode ser uma partitura ou uma cifra bem escrita. passe para a segunda etapa. Se a banda for “tirar” as harmonias na hora. A finalidade é familiarizar você com a música e permitir que você escolha o tom da música. na hora. se você tiver que fazer esforço para ouvir sua própria voz. cada ensaio será um tormento. nem conhece música. Lembre-se que esta é uma gravação para ensaio: não seja excessivamente cruel no seu julgamento. em cada música.

tornando a sua interpretação mais significativa.com. permitindo qualquer modificação de tom. a menos que você tenha bastante experiência e consciência da sua voz. O meu favorito é o Band-in-a-Box. tentar cantar “por cima” de uma outra maneira. Enquanto está cantando. Outra alternativa é usar um dos programas de computador que geram acompanhamento a partir de uma harmonia (eles “lêem” as cifras musicais). Filmar os ensaios ajuda ou atrapalha? Ajuda e muito.pgmusic. fazer uma frase diferente aqui ou ali. Vendo e ouvindo a gravação você pode interromper. é muito difícil você fazer uma avaliação objetiva do seu próprio desempenho. voltar. da PG Music.70 O que fazer se eu não tenho um músico para ensaiar comigo? Neste caso você pode usar um sistema de karaokê ou videokê. Você também pode usar um espelho para monitorar o gestual. etc. É isto que vai dar à música uma característica pessoal. mas dificilmente você vai se lembrar de cada detalhe da música depois de cantá-la. mas atenção: use um sistema que permita alterar o tom das músicas. Você pode ter mais informações sobre ele em www. E peça orientação quanto ao tom de cada música. estilo. ouvir novamente um trecho ou outro. mas é preciso ter pelo menos noções básicas de música para poder utilizá-los. . São muito flexíveis e úteis. andamento. criticar.

. Como fazer para cantar e tocar ao mesmo tempo? Uma coisa atrapalha a outra? Musicalmente. nem pense em cantar lendo a partitura do instrumento. e para sugerir o que deve ser alterado. procure ensaiar primeiro o instrumento. E por falar nisso. permitindo que você olhe para a platéia e para os outros músicos. é preciso descobrir uma postura confortável ao mesmo tempo para o instrumento e para a voz. e quais os recursos mais interessantes para o aprendizado e o treinamento musicais. É uma interação perfeita entre voz acompanhamento! Mas é preciso que você esteja muito à vontade com os dois instrumentos – senão. Em termos técnicos. depois a voz. pode até ajudar. Quando você juntar as duas coisas. A crítica serve para melhorar o desempenho. um desvia a atenção do outro. A cabeça se movimenta com naturalidade. Não fique o tempo todo olhando para o seu instrumento – isso criaria um distanciamento entre você e o público. pois ela atrapalha. O pescoço e os ombros devem ficar livres de tensão. mais adiante neste livro. para mostrar os pontos que estão bons e reforçá-los.71 Mas atenção: tanto a gravação como o espelho são bons métodos de monitorar sua postura. o resultado vai ser muito melhor! Veja também. sem cantar. E. não no show. Isso você faz nos ensaios. as outras dicas sobre como ensaiar. mas podem ser um fator de inibição. é claro. sem tocar. mas numa postura elegante – não deixe os ombros ficarem caídos para a frente. Cuidado com a autocrítica muito severa.

estão trabalhando e têm que ter o seu espaço de trabalho respeitado. não seu. 17 “Dar uma canja” é um termo usado por músicos. conhecem você e querem que você dê uma canja. eu quero cantar com vocês”. Você pede a música. fique muito atento para não criar embaraços. é por que têm algum motivo para isso – talvez o dono da casa tenha vetado este tipo de prática. Se não o fizerem. toca junto com ele por puro prazer. O segundo requisito é ter bastante prática. pede o tom. O show é deles. É uma prática comum entre profissionais – o músico vai visitar o amigo no trabalho e “dá uma canja”. ou seja. Segure a ansiedade e espere ser chamado. Lembre-se que eles são profissionais. pessoal. O primeiro deles é conhecer bem os músicos que estão tocando naquele local.72 Eu já sei cantar. mas para isso é preciso atenção a alguns requisitos. Você não pode simplesmente chegar e dizer: . gratuitamente e geralmente sem qualquer ensaio. Significa cantar e/ou tocar. ou o seu estilo de música não combina com o lugar. Enfim.“Ei. a banda cria uma introdução na hora e você começa a cantar. ou quem sabe um dos músicos da banda não costuma tocar com quem não ensaiou. É divertido! Mas se você não gosta de improvisos e quer apresentar um show bem ensaiado. eles certamente irão convidá-lo. durante o show de outro artista. dando uma “canja” (17) em algum bar ou casa noturna onde você conheça os músicos contratados. leia a próxima pergunta. Se os caras são seus amigos. Onde posso me apresentar? Uma das opções é fazer uma apresentação informal. . pois não há ensaio.

Seu nome é o que vai aparecer em letras grandes no cartaz. e se a renda ficar acima de uma determinada quantia. a única diferença é que quase tudo passa a ser dividido – inclusive o repertório e as decisões. Se o show tiver dois ou três cantores acompanhados por uma banda. Algumas vezes os músicos concordam em tocar “pelo couvert”. no entando. Enfim. as características são diferentes: não há um cantor e uma banda e sim uma banda com um vocalista. mas se o público não comparecer na quantidade prevista. você garante um mínimo a eles. ou seja. ou então você paga um aluguel fixo pelo espaço. Optando por fazer um show só seu. se multiplica! Num trabalho de grupo. Você vai escolher o repertório. e a bilheteria é integralmente sua. clubes e até alguns teatros que abrem espaço para cantores amadores e para profissionais iniciantes. Existem casas noturnas. contratar os músicos. As decisões artísticas e administrativas são tomadas em conjunto. Você encontra dois tipos de situação: ou você recebe um percentual que costuma variar de 50% a 80% sobre a bilheteria (ingresso ou couvert artístico). você recebe também.73 Como se faz a produção de um show? Você pode fazer um show só seu. . Também é possível ficar no meio termo – os músicos recebem a bilheteria. o importante é combinar tudo às claras e com antecedência. eles dividem a renda da bilheteria. O público. pagar um cachê fixo a eles e ficar com a renda da bilheteria. pode dividir com outros cantores ou pode formar uma banda em que todos estão igualmente envolvidos e todos fazem parte do trabalho. você é o artista principal.

surpreenda seu público! . Use sua imaginação. Evite apresentar somente músicas inéditas (o público não consegue assimilar tanta informação nova de uma vez). O roteiro é o “mapa” do show – define a ordem em que as músicas serão tocadas e também marca os momentos em que se inserem as falas (se for o caso). Reúna o máximo de informação sobre as músicas escolhidas (letras. é melhor alternar músicas novas com outras já conhecidas.74 Não se esqueça que a divulgação estará principalmente em suas mãos. espalhe panfletos entre os amigos e cartazes nos locais que você frequenta. Escolha músicas que valorizem sua voz e sua forma de cantar. ou a apresentação dos músicos. criando momentos de novidade e de familiaridade. telefone. uma época ou qualquer outra idéia. curiosidades e outras informações) para enriquecer a sua interpretação ou para falar algum texto entre as canções. mande e-mails. ou ainda a utilização de recursos audio-visuais. partituras. Selecione mais músicas do que vai cantar. Monte sua mala direta. A venda antecipada de ingressos pode ser uma boa idéia. Um bom roteiro mantém aceso o interesse da platéia durante todo o show. Como fazer um bom roteiro para o meu show? Você vai começar escolhendo o repertório. Pode se basear em um tema. para ter flexibilidade e opções na hora de fechar o roteiro. Você pode apresentar as músicas conhecidas com um arranjo diferente do usual. permitindo que você mostre o que tem de melhor. autores. um autor.

75 Os arranjos são um ponto fundamental para o roteiro. É muito desgastante chegar num ensaio e ter que ficar “tirando” todas as músicas.neste caso. o estilo em que cada música será executada e a forma das músicas (você canta a música uma ou duas vezes? Tem solo instrumental? Como vai ser a introdução? E o final?). a música terá uma determinada função dentro do roteiro. para não desperdiçar tempo. mas eles precisam ter um ponto de partida . A duração de cada encontro costuma variar entre 2 horas e 5 horas . Geralmente os músicos sugerem alterações na maneira de tocar. defina os tons de cada música e escreva ou imprima as partituras. pois incluem a instrumentação que será utilizada. Um bom arranjo pode tornar interessante uma música comum. com um intervalo. mas podemos estimar um mínimo de 1 ensaio (se você já tem prática e vai cantar com músicos muito experientes) e um máximo de 6. Quantos ensaios são necessários para um show? Ensaie até se sentir totalmente seguro. os primeiros ensaios podem ser só com o pianista ou só com o violonista. Nem todos os ensaios precisam contar com todos os músicos: por exemplo. Dependendo de como é feito o arranjo. dinheiro e energia. . Faça um planejamento junto com o arranjador. e transformar em obra-prima uma bela canção.as partituras. a definição dos tons. Mas tente tornar os ensaios bem produtivos. O número varia muito. e isto é ótimo. Antes do primeiro ensaio.

o que foi ensaiado. Esta é uma ferramenta valiosa para você rever. neste dia. Qual a melhor roupa para fazer um show? É uma roupa que valorize os seus movimentos. É melhor ensaiar também na véspera do show? Não. ou meditando. Que . andar. O seu instrumento é o seu corpo. Faça algo para se sentir bem. mas não custa tentar. Relaxe. deixando você à vontade para respirar. todos os ensaios que julgar necessários. em casa. um registro do ensaio. O ideal é que o último ensaio seja na antevéspera do show. Na véspera. Nem sempre é possível ter esta preparação toda. ou indo caminhar na praia. Dedique-se apenas a se concentrar. gesticular. portanto. Descanse o máximo que puder antes do show. Prepare-se da melhor maneira – seja no cabelereiro. repassando mentalmente a sequência do show. Repouso é fundamental. trate-o especialmente bem. procure alugar algumas horas num estúdio: é um conforto muito fácil e barato. cheio de energia. Na maioria dos estúdios de ensaio você pode fazer uma gravação simples. com antecedência. é melhor descansar.76 Nos ensaios com bateria. Uma voz cansada não rende tudo o que pode. pleno. Organize um cronograma e marque.

77 faça você se sentir mais atraente. Experimente a roupa com antecedência suficiente para fazer mudanças. Não adianta ter um figurino espetacular. realçando o que você gosta no seu corpo e disfarçando o que não quer mostrar. amplificador. caixas de som para o público e para o palco. No entanto o palco é o local para onde se dirigem todos os olhares. e você não tem experiência nesta área. se você não consegue respirar bem com aquele cinto apertado. O mais importante no show é a música. Você pode ir para o estúdio gravar um CD vestindo uma camiseta velha. se necessário. Use o melhor equipamento possível! Uma sonorização eficiente valoriza a sua voz e o acompanhamento instrumental. com movimento. Um bom equipamento inclui microfone. Mas não existe receita: o mais importante é que você se sinta à vontade na roupa. Um show de música tem que ser bom de ouvir e de ver. Se não for este o caso. uma estética de contestação ou algo assim). peça orientação a um técnico . Muitas vezes um dos músicos da própria banda tem experiência e conhecimento em sonorização. todas as atenções. mas não pode fazer um show com ela (bem. Frequentemente as roupas de palco são amplas. a menos que este figurino componha um cenário específico. Posso usar qualquer microfone para fazer um show? Não. tudo adequado ao espaço onde o show vai acontecer. ou se morre de calor com aquela manga comprida ou se não se equilibra sobre aqueles saltos altíssimos. mesa de som. pois isto valoriza o gestual.

A voz é produzida pelo corpo inteiro. Como cantar completamente parado? Ainda que você opte por uma apresentação mais contida corporalmente. mas isto não quer dizer que ele vá ficar imóvel no palco. de não-comunhão com quem está em volta. a maquilagem. Ele dirá se o sistema de amplificação da casa é suficiente ou se será necessário alugar equipamento complementar. Como melhorar minha imagem no palco? Vai longe o tempo do rádio. Quem canta o tempo todo de olhos fechados passa uma mensagem de isolamento. mãos. evitar a microfonia e outros ruídos irritantes. envolve as vísceras. quando vozes sem rosto provocavam suspiros dos fãs. você tem movimentos de braços. A voz é ar em movimento. de distanciamento. Neste estilo estão incluídos o figurino. Imagine que cada música é um filme. e veja-se como . cuidar para que haja equilíbrio entre sua voz e o som da banda. Ele vai fazer todos os ajustes. faz menos esforço. os músculos. a sua voz com toda a qualidade e clareza. e cada tipo de música sugere um estilo visual. Ouvindo. você interpreta melhor. pode usar diversas nuances vocais e explorar todo o potencial que você preparou nos exercícios e nos ensaios. Hoje não se pensa em música sem imagem. no retorno. o cérebro. o cabelo e o próprio palco com sua iluminação e sua disposição espacial. Sua expressão facial vai ajudar a criar o cenário de cada música. Olhe para os músicos da banda: é com eles que você está cantando. O cantor não é necessariamente um dançarino. cabeça. Olhe para seu público: é para eles que você está cantando. a pele. e ficará à sua disposição durante o show.78 especializado.

ou levantar os ombros para exprimir emoção). desviam a atenção da música e devem ser evitados. gastam energia sem necessidade.79 personagem. se você não se emocionar com a melodia. Por outro lado existem os movimentos corporais e faciais que não têm nenhum sentido expressivo: são apenas movimentos vazios. Tudo que você faz num palco deve estar a serviço da expressão artística! . A platéia não pode adivinhar o seu sentimento: ela se contagia e se entusiasma com aquilo que você mostrar para ela. São cacoetes. não poderá transmitir estes sentimentos de forma verdadeira. por exemplo. é preciso usar a voz e a expressão facial. Se você não vivenciar o que a letra diz. frequentemente prejudiciais à voz (como. o péssimo hábito de levantar o queixo para cantar um agudo. E para transmitir. às vezes repetitivos.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful