Você está na página 1de 16

INSTITUTO SUPERIOR POLITECNICO DE MALANGE – ISPM

LICENCIATURA DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICO

MIGUEL DOS SANTOS QUILUANGE

ÁCIDOS FORTES E FRACOS E BASES FORTES E FRACAS

MALANJE

2020
MIGUEL DOS SANTOS QUILUANGE

ÁCIDOS FORTES E FRACOS E BASES FORTES E FRACAS

Trabalho apresentado á Instituto Superior


Politénico de Malanje-ISPM, com requisito
parcial para obtenção do título de
Licenciatura em Cências Farmacêuticas.

Professor, Bernardo Nicodemo Gomes


Chimbuco, Lic

MALANJE

2020
1

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.........................................................................................................................................6
OBJECTIVOS............................................................................................................................................7
DEFINIÇÃO DE BRÖNSTED - LOWRY.......................................................................................................8
DEFINIÇÃO DE LEWIS..............................................................................................................................8
DEFINIÇÃO DE ÁCIDO-BASE GENERALIZADO..........................................................................................8
ÁCIDOS E BASES FORTES E FRACAS........................................................................................................9
CLASSIFICAÇÃO DE ÁCIDOS E BASES COMO FORTES OU FRACAS.........................................................10
CLASSIFIÇÃO DOS ÁCIDOS....................................................................................................................11
CLASSIFICAÇÃO DAS BASES..................................................................................................................12
CONCLUSÃO.........................................................................................................................................13
REFERÊNÇIA BIBLIOGRÁFICA................................................................................................................14
2

DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho á todos meus colegas, em


especial aos meus filhos Imani Quiluange e
Yohanna Quiluange por nunca terem me
abandonado desde o início de trabalho. São meus
diamantes mais valiosos.
3

AGRADECIMENTO

Obrigado a Deus, por ter permitido a realização deste trabalho, e pelas bênçãos que
tenho recebido durante a minha vida.
Aos meus pais, pelo apoio!
Finalmente aos meus colegas e amigos que directa ou indirectamente participaram
na concretização deste trabalho.
4

RESUMO

Ácido: substância que em meio aquoso libera íons H+(ou H3O+).

Base: substância que em meio aquoso libera íons OH-(hidroxila).

Ácidos Fortes: ionizam-se completamente. Os principais são: HCl, HBr, HI,


H2SO4,HClO4 e HNO3.

Ácidos Fracos: ionizam-se parcialmente.Os seguintes ácidos são exemplos de


ácidos fracos: HNO2 (ácido nitroso), H3PO4 (ácido fosfórico), HCN (ácido
cianídrico) e H2CO3 (ácido carbônico).

Bases fortes mais comuns:NaOH, Ca(OH)2, KOH e Ba(OH)2 Exemplos de Bases


fracas mais comum: NH3, C6H5NH2 (anilina), CH3NH2HONH2 (hidroxilamina).
5

SUMMARY

Acid: substance that liberates íons H+(ou H3O+ in half aqueous).

Base: substance that liberates íons in half aqueous OH-(hidroxila).

Acids Fortes: they ionize completely. The main ones are: HCl, HBr, HI,
H2SO4,HClO4 and HNO3.

Weak acids: they ionize parcialmente.Os following acids are examples of weak
acids: HNO2 (nitrous acid), H3PO4 (acid fosfórico), HCN (acid cianídrico) and
H2CO3 (carbon acid).

Bases more common forts: NaOH, Ca(OH)2, KOH and Ba(OH)2 Examples of more
common weak Bases: NH3, C6H5NH2 (aniline), CH3NH2HONH2 (hidroxilamina).
6

INTRODUÇÃO

A primeira consideração que se deve ter a respeito dos ácidos e bases é que as
chamadas "teorias" de ácido-base são na realidade definições de ácidos ou de
bases; elas não são teorias no sentido da teoria da ligação de valência ou da teoria
de orbitais moleculares. Na verdade podemos fazer um ácido ser qualquer coisa que
queiramos, as diferenças entre os vários conceitos não se referem ao "certo" mas ao
uso mais conveniente em uma situação particular.

Todas as definições do comportamento ácido-base são compatíveis umas com as


outras. De fato, um dos objetivos na apresentação que se segue, das várias
definições diferentes, é enfatizar seus paralelismos e assim dirigir o estudante na
direção de uma atitude cosmopolita diante dos ácidos e bases, o que dará a ele uma
boa posição para lidar com as várias situações químicas, seja solução aquosa de
íons, reações orgânicas, titulações não aquosas ou qualquer outra.
7

OBJECTIVOS

Objectivo Geral
 Conhecer os principais ácidos e bases fortes e fracas.

Objectivo especifico

 Compreender como está classificado os ácidos e bases fortes ou fracas


8

DEFINIÇÃO DE BRÖNSTED - LOWRY

Em 1923 J.N. Brönsted e T.M. Lowry sugeriram, independentemente,que ácidos são


definidos como doadores de prótons e bases aceitadores de prótons. Para soluções
aquosas, a definição de Brönsted-Lowry não difere apreciavelmente da definição de
Arrhenius de íons hidrogênio (ácidos) e íons hidróxidos (bases):

Exemplo:

DEFINIÇÃO DE LEWIS

Em 1923, G. N. Lewis propôs a definição do comportamento ácido-base em termos


de doação e aceitação do par de elétrons. A definição de Lewis é, talvez, a mais
amplamente usada devido à sua simplicidade e larga aplicabilidade, especialmente
no campo das reações orgânicas. Lewis definiu uma base como um doador de par
de elétrons e ácido como um aceitador de par de elétrons, a definição de Lewis inclui
reações nas quais não há formação de íons e nem íons hidrogênio, ou outros íons
são transferidos:

Exemplo:

DEFINIÇÃO DE ÁCIDO-BASE GENERALIZADO

Uma justificativa para a discussão de um grande número de definições de ácido-


base, incluindo algumas que são pouco usadas hoje, é ilustrar suas similaridades
fundamentais. Todas definem ácido em termos de doador de espécies positivas (um
íon hidrogênio ou o cátion do solvente) ou aceitador de espécies negativas (um íon
óxido, um parde elétrons, etc). Uma base é definida como doadora de espécies
9

negativas (um par de elétrons, um íon óxido, um ânion do solvente) ou aceitadora de


espécies positivas (íon hidrogênio). Podemos generalizar todas estas definições
definindo:

1) acidez como um caráter positivo de uma espécie química que diminui pela
reação com uma base; analogamente,

2) basicidade é um caráter negativo de uma espécie química, que diminui pela


reação com um ácido. As vantagens destas generalizações são de duas ordens:

 incorpora o conteúdo informativo de várias outras definições de ácido-base;


 fornece um critério útil para a correlação da força ácido-base com densidade
eletrônica e estrutura molecular.

ÁCIDOS E BASES FORTES E FRACAS

Durante algum tempo os químicos de coordenação têm se preocupado com certas


tendências na estabilidade de complexos metálicos. Uma das primeiras correlações
foi a série de estabilidade de Irving-Williams. Para um dado ligante, a estabilidade
dos complexos com metais di-positivos segue a ordem: Ba2+< Sr2+< Ca2+< Mg2+<
Mn2+< Fe2+< Co2+< Ni2+< Cu2+> Zn2+.

Esta ordem surge em parte devido ao decréscimono tamanho dentro da série e em


parte devido a efeitos do campo ligante. Uma segunda observação é que certos
ligantes formam seus complexos mais estáveis com metais como Ag+, Hg2+ e Pt2+
e outros parecem preferir íons como Al3+, Ti4+ e Co3+. Ligantes e íons metálicos
foram classificados como pertencentes ao tipo (a) ou (b) de acordo com suas
ligações preferidas.

Íons metálicos da classe (a) incluem os íons de:

 metais alcalinos,
 metais alcalinos terrosos e
 metais de transição mais leves em seus estados de oxidação mais altos como
Ti4+, Cr3+, Fe3+, Co3+e o íon H+.

Íons metálicos da classe (b) incluem os íons de:

 metais de transição mais pesados e


10

 os estados de oxidação mais baixos, como Cu+ , Ag+, Hg+, Hg2+, Pd2+ e
Pt2+.

Pearson sugeriu os termos "duro" e "mole" para descrever os membros das classes
(G1) e (G2). Assim, um ácido duro é um íon metálico do tipo (G1) e uma base dura é
um ligante como amônia ou o íon fluoreto. E vice-versa, um ácido mole é um íon
metálico do tipo (G2) e uma base mole é um ligante como fosfina ou o íon iodeto.
Uma discussão sobre os fatores operacionais nas interações de dureza e moleza
será temporariamente adiada, mas deve-se notar que espécies duras, tanto ácidos
como bases, tendem a ser espécies pequenas, pouco polarizáveise que os ácidos e
bases moles tendem a ser grandes e mais polarizáveis. Pearson sugeriu uma regra
simples (chamada princípio de Pearson) para a predição da estabilidade de
complexos formados entre ácidos e bases:

 ácidos fortes preferem se ligar a bases fortes.


 ácidos fracos preferem se ligar a bases fracas.

Deve-se notar que esta afirmativa não é uma explicação nem uma teoria, mas uma
simples regra prática que nos permite predizer qualitativamente a estabilidade
relativa de adutos de ácido-base.

CLASSIFICAÇÃO DE ÁCIDOS E BASES COMO FORTES OU FRACAS

Além das espécies (G1) e (G2) discutidas acima e que fornecem um núcleo para um
conjunto de ácidos e bases duros e moles, é possível classificar qualquer ácido ou
base como duro ou mole pela sua aparente preferência por reagentes duros ou
moles. Por exemplo, uma dada base B, pode ser classificada como dura ou mole de
acordo com seu comportamento no seguinte equilíbrio:

Nesta competição entre um ácido duro (H+) e um ácido mole (CH3Hg+), uma base
dura fará a reação ir para a esquerda, mas uma base mole fará a reação ir para a
direita. O cátion metilmercúrio é conveniente por ser um ácido mole típico e, sendo
monovalente, como o próton, simplifica o tratamento do equilíbrio.
11

CLASSIFIÇÃO DOS ÁCIDOS


12

CLASSIFICAÇÃO DAS BASES


13

CONCLUSÃO

Segundo BRÖNSTED e LEWIS ácido é receptor de par de elétrons e base doador


de par de elétrons. Ácido conjugado é a espécie formada quando a base aceita um
próton. Base conjugada é a espécie formada quando o ácido perde um próton.

Quanto mais forte é o ácido, mais fraca é a base conjugada. O H+ é o ácido mais
forte que pode existir no equilíbrio em solução aquosa. Enquanto que o OH- é a
base mais forte que pode existir no equilíbrio em solução aquosa.

Ácidos Fortes são completamente dissociados (ex: HCl, HNO3) e ácidos Fracos são
pouco dissociados ex: H3PO4, CH3COOH)HCl(aq) + H2O(l) ⇌ H3O+(aq) + Cl(aq). E
Bases Fortes são completamente dissociados (ex: NaOH) e bases Fracos são
pouco dissociados ex: NH3)NH3(aq) + H2O(l) ⇌ NH4+(aq) + OH-(aq)

As substâncias que possuem ambas propriedades ácidas e básicas (Anfipóticas).


Podem se comportar como ácido ou com base dependendo do meio. Ex.: H2PO4,
HCO3-, H2O

Tanto os ácidos quanto as bases são classificados em fortes e fracos dependendo


se eles se dissociam completamente ou parcialmente para produzir H3O+ e OH-
quando considerada a sua reação com o solvente. Algumas substâncias reagem de
forma tão completamente, que são facilmente classificadas como ácidos ou bases
fortes e por, convenção todos os outros são considerados fracos.

Os ácidos comuns mais fortes são HCl, HBr, HI, HNO3, HClO3, HClO4, e H2SO4.

A maioria dos hidróxidos iônicos são bases fortes (por exemplo, NaOH, KOH, e
Ca(OH)2).
14

REFERÊNÇIA BIBLIOGRÁFICA

Brown, LeMay e Bursten, Química - A ciência central, 9ª edição, Editora Pearson


Prentice Hall, 2005.

Skoog, West, Holler e Crouch, Fundamentos de Química Analítica Thomson, 2006.

Você também pode gostar