Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO


FACULDADE DE EDUCAÇÃO
CURSO PEDAGOGIA

1) IDENTIFICAÇÃO PESSOAL
Disciplina: Estágio na Educação Fundamental I
Turma: 418 / Turno: Noite
Docente: Georgina Rodrigues
Discente: Breno Makaully Araújo da Silva, Heidilane Machado Rosa.

1. INTRODUÇÃO

A priori, o estágio é um momento de fundamental importância no processo de


formação profissional, Constitui-se em um treinamento que possibilita ao estudante
vivenciar o aprendido na Faculdade, tendo como função integrar as inúmeras disciplinas
que compõem o curriculo académico, dando-lhes unidade estrutural e testando lhes o
nivel de consistencia e o grau de entrosamento. Ainda assim, o estágio supervisionado
visa a complementação do ensino através do treinamento prático, propicia ao aluno uma
experiência profissional, desnvolvimento das capacidades intelectuais, treinamento dos
conhecimentos adquiridos durante o andamento do curso e aprendizado da correta
atitude profissional e ética.
Ademais, o presente relatório, tem por sua finalidade descrever parcialmente as
atividades desenvolvidas durante o estágio supervisionado do Curso de Licenciatura em
Pedagogia (UFPA), que foi realizado na Escola Municipal Edson Luis, na supervisão e
co-autoria da Profª Georgina Rodrigues, juntamente com a orientação da Profª Ana
lúcia, no período vespertino da referida instituição.
Outrossim, este relatório tem por finalidade apresentar o desenvolvimento dos
discentes no refeirdo estágio curricular e descrever as possíveis atividades
desempenhadas frente a instituição de ensino. Ressaltando assim, as questões diversas
observdas, frente a observação no estágio vigente.
2. DESENVOLVIMENTO

Destarte, a realização do estágio proporcionou uma aproximação maior com a sala


de aula. Pois, o contato com a escola-campo forneceu um maior entendimento de como
ocorre o processo de ensino aprendizagem e o relacionamento professor-aluno, teoria e
prática. Além disso, o estágio trouxe uma percepção maior do quanto é necessário o
educador adotar algumas normas práticas para a direção de classe, entre elas o fato de
que é preciso compreender os problemas de cada criança.

Nesse sentido é preciso observar e analisar as crianças, além de conhecer o grupo


para organizar o espaço educativo, que possibilitará atividades contínua de ação e
reflexão da sistematização do planejamento que apresentem suas respectivas
intencionalidades. A aprendizagem das crianças acontece em diferentes contextos
sociais em que elas estão inseridas e isso é algo fundamental.

Outrossim, o referido estágio desenvolveu-se dentro dos objetivos gerais da escola


que é de propiciar a formação do indivíduo em seus aspectos físicos, psicológicos,
intelectual e social. Sendo assim, nas atividades propostas durante o estágio buscou-se
sempre desenvolver e alcançar os objetivos. Com isso, as aulas foram interativas, na
qual as atividades e brincadeiras permitiram que as crianças tivessem liberdade para
criar, inventar, errar e responder.

Além do mais, a criança precisa brincar, inventar, jogar, criar para crescer e manter
o seu equilíbrio com o mundo. Isso faz uma grande relevância ao termo do aprender-
brincando, ou seja, a ludicidade na prática docente, mediando o ensino-aprendizagem. O
brincar é uma necessidade da criança enquanto sujeito construtor de histórias, no
entanto, faz necessário possibilitar uma diversidade de expressão voltada para seu
desenvolvimento integral.

Em outro aspecto, a criança que brinca se tornará um adulto mais equilibrado no


aspecto físico e emocionalmente suportará melhor as pressões da vida adulta e terá mais
criatividade para solucionar seus problemas. Na criança a falta de criatividade lúdica
pode deixar marcas profundas e muitos dos problemas apresentados em consultórios
médicos psicológicos surgiram pela privação desse trabalho infantil (ALMEIDA, 2003, p.
31).

Dessa forma entende que o brincar á a forma de expressão de sentimentos humanos


natural, na qual a criança demonstra conhecimentos e habilidades indispensáveis para
sua formação. Com isso, percebe-se o significado primordial do ambiente que é
oferecido à criança como um espaço de aprendizagem. Se proporcionar a criança um
ambiente de interação, principalmente com o brinquedo como um instrumento
socializador, com certeza esta crescerá com muita autonomia e vontade de aprender. E
foi nesse aspecto, que ficamos muito contentes, pois a escola não deixa de lado essa
parte tão importante para a criança no seu dia a dia, desenvolvendo atividades onde o
brincar sempre estava presente, em diferentes contextos e metodologias diversificadas.

Outrora, analisou-se em consonância com a observação feita pelos discentes


presentes, que a educadora presente em sala de aula, trabalha de forma dinâmica a
questão da mediação da ludicidade com os conhecimentos obrigatórios, explanados em
sala de aula. Contudo, é preciso ressaltar que a educadora relata em suas colaborações
orais, que a participação dos pais é precária, na educação das crianças. Uma vez que, a
participação dos pais, no desenvolvimento dessas crianças é de suma importância para o
desenvolvimento ao alcance dos objetivos vigentes a cada semestre. Além disso, o fator
institucional não cabe somente a escola, e sim também aos pais que são peças
fundamentais no contexto social de seus filhos.

É preciso ressaltar que o período pandêmico foi um dos fatores fundamentais no


atraso do ensino das crianças. Visto que, a educadora em sala de aula obtinha,
sobretudo, inúmeras dificuldades a serem levantadas pela turma, sobretudo sobre o
retrocesso nos assuntos didáticos que já eram para ser ministrados. Porém, com o atraso
no ensino, por conta da COVID-19, não obtinham proficiência nos assuntos pautados,
ficando assim “atrasados” no ensino. Com isso, a professora detinha muitas dificuldades
atreladas ao assunto supracitado, ficando muitas das vezes inconformada com aquele
impasse. Mas, nunca deixava de lado seu real objetivo: fazer com que avançassem no
ensino.
Ademais, é notório que acerca do ensino-aprendizagem percorrer várias dificuldades
a serem vencidas, é necessário enfatizar uma dificuldade corriqueira em várias outras
instituições educacionais: a falta de material básico. Isto é, no decorrer da observação
era visto em sala de aula, as dificuldades dos alunos com esse impasse. Muita das vezes,
o material era ausente de forma completa, chegando a deixar a professora em sala tomar
atitudes em que presenteava seus alunos com os materiais que faltava. Visto que, muita
das questões levantadas aqui, pauta-se também nas condições financeiras de cada
família. Uma vez que, o estado enviava o seu Kit-Covid, atrelado também com um
pequeno material escolar. Contudo, não era o bastante para o cotidiano das crianças em
desenvolvimento.

Essa experiência vigente, mostrou-nos que a Escola Edson Luis e seu corpo docente,
desempenha um papel muito importante na vida desses alunos. Fazendo com que não
falte material básico, sem falar do alimento escolar, que muita das vezes essas crianças
necessitam urgentemente desse alimento. Pois, no seu contexto social é relevante a
dificuldade enfrentada. As dificuldades são inúmeras, contudo, o corpo docente da
instituição não deixa que nada afete o desempenho dos seus alunos. O
comprometimento com as crianças da instituição é fator determinante na vida de cada
educador ali presente.

Por fim, vale ressaltar o empenho da professora em sala de aula no referido período
observacional. É necessário supracitar que os discentes presentes, frequentaram uma
turma no período da tarde, com 28 alunos, dentre eles 11 meninas e 17 meninos, de 6 a
9 anos. Dentro do contexto em sala de aula, os discentes frequentaram na exposição da
disciplina Língua Portuguesa, com os mais variados assuntos, dentre eles: Atividades
com o alfabeto móvel; Atividade dirigida do alfabeto; Desenho; Ilustrações das letras do
alfabeto; Atividades das famílias silábicas; formar palavras com o auxílio do silabário;
escrita do nome com letra cursiva; Estudo das famílias silábicas; Ditado; Atividade para
completar as famílias silábicas. Além do mais, o horário em vigor das aulas constituía-
se das 13:30 às 17:30, com frequência estabelecida no início das aulas, juntamente, com
uma oração em agradecimento ao dia vigente. No mais, por volta das 15:00 horas, era
feito o intervalo dos alunos, com cerca de 15 minutos de intervalo. Após o intervalo, os
alunos voltavam para suas salas de aula, e a professora encarregada fazia novamente a
contagem dos seus alunos, para um melhor desempenho e seguridade dos pequeninos.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Portanto, durante o estágio procuramos desenvolver um trabalho dinâmico e


prazeroso, estimulando o envolvimento das crianças no processo de ensino e
aprendizagem de forma que se sentissem capazes de buscar e construir algo novo e
diferente. Com as mais diversas estratégicas educativas busca-se oportunizar aos alunos
situações desafiadoras que os levam a compreender melhor as atividades propostas
respeitando o ritmo de cada criança. Muito eficiente os procedimento metodológicos
utilizados pela educadora, dão ênfase a leitura, utilizam jogos e respeitam o tempo e a
dificuldade de cada criança. Essa experiência acrescentou-se para nossa formação,
fomos muito bem recebidos por todos na instituição. Percebemos neste período de
observação o quão importante é o diálogo entre os integrantes de uma comunidade
acadêmica, e o quanto a união e o respeito fazem parte dessa formação, o que torna a
troca de experiências umas das chaves-mestras para o fortalecimento de uma
metodologia de ensino que tem como foco principal o desenvolvimento do seu
educando. Acredito que para a escola também foi gratificante esse período, pois
acrescentamos muitas ideias que serão utilizadas diariamente. Foi , sobretudo, uma
honra fazer parte dessa experiência tão importante na nossa formação acadêmica.
4. REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Paulo Nunes. Dinâmica lúdica: Técnicas e jogos pedagógicos. São


Paulo: Edições Loyola, 1974.ALMEIDA, 2003.

Você também pode gostar