Você está na página 1de 2

O Esqueleto inquieto

Era umas vez um esqueleto que vivia numa sala de aulas, sempre

quieto, sem ter nada que fazer. Tinha sido o esqueleto de alguém que não

gostava de estar quieto mas custava-lhe estar ali, sem se mexer.

Um dia, no intervalo das aulas, saiu disparado para o recreio, onde os

rapazes jogavam à bola com alarido e fervor. Tinha saudades, coitado.

Parece que, em tempos, tinha sido o esqueleto de um grande jogador.

Os rapazes é que não achavam graça nenhuma e fugiram a correr.

Haviam de os ver. Todos gritavam e nenhum foi capaz de olhar para trás. Só

ficou a bola, que não tinha pernas. Ainda tentou rolar. Mas o esqueleto foi

atrás dela e aplicou-lhe um pontapé. Zás!

Jogador

Esqueleto

Bola
Recreio

Pernas

Jogar à bola

Pontapé