UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO Instituto de Tecnologia Departam ento de Engenharia Quím ica

IT 391 Tecnologia dos

M ateriais Aluno: Paulo H. Lopes Aguiar

PROCESSAMENTO DE POLÍMEROS

uma molécula de polietileno é constituída da repetição de 10. da configuração específica das moléculas do polímero. uma característica característica desses polímeros é poder ser fundido diversas vezes . também podem dissolver-se em vários solventes.000. A classificação conforme as características termoplásticos . em saquinhos de leite . não mais . Daí o nome: poli (muitos) + mero.plástico extremamente comum usado. os polímeros podem ser divididos em termorrígidos (termofixos) e elastômeros (borrachas). petróleo ou gás natural . compostos químicos de baixo peso molecular reagem entre si para formar macromoléculas. poli (metilmetacrilato) (PMMA). na verdade. Por exemplo. por exemplo. Por sua vez. ou seja. Sob este aspecto. Os meros estão dispostos um após o outro . O parâmetro n é definido como sendo o Grau de Polimerização do polímero. Uma macromolécula assume formato muito semelhante ao de um cordão . Essas macromoléculas são cadeias compostas pela repetição de uma unidade básica. o número de meros que constitui a macromolécula. Polímeros são materiais compostos por macromoléculas. Uma vez prontos. Termoplásticos: São os chamados plásticos . o monômero é obtido a partir do mais barata. poliestireno (PS). Logo. As propriedades mecânicas variam conforme o plástico: sob temperatura ambiente. como num novelo de lã. PE) .O QUE SÃO POLÍMEROS? São substâncias químicas de alto peso molecular obtidas pela reação de polimerização. o polietileno (ou. Exemplos: polietileno (PE). rígidos ou mesmo frágeis. chamada mero. No caso do polietileno (PE) é o etileno (ou eteno). Termorrígidos (Termofixos): São rígidos e frágeis. mecânicas talvez seja a mais importante. COMO SÃO PRODUZIDOS OS POLÍMEROS? A matéria prima que dá origem ao polímero chama-se monômero. abreviadamente. poli (tereftalato de etileno) (PET). bastante desejável nos dias de hoje. policarbonato (PC). polipropileno (PP). como pérolas num colar. Dependendo do tipo do plástico. Estrutura molecular: moléculas lineares dispostas na forma de cordões soltos. podem ser maleáveis. Ela decorre. pois é a rota COMO SE DIVIDEM OS POLÍMEROS? Há diversas maneiras de se dividir os polímeros. mas agregados. Ou seja. A principal sua reciclagem é possível . cujo elemento essencial é constituído por ligações moleculares orgânicas.é composto pela repetição de milhares de unidades da molécula básica do etileno (ou eteno): onde n normalmente é superior a 10. constituindo a maior parte dos polímeros comerciais. Vejamos agora a definição formal de polímero: materiais. através da qual.000 ou mais unidades de etileno. que resultam de síntese artificial ou transformação de produtos naturais. sendo muito estáveis a variações de temperatura. poli (cloreto de vinila) (PVC).

O aquecimento do polímero acabado a altas temperaturas promove decomposição do antes de sua fusão.se fundem . Logo. sua reciclagem é complicada. material .

malhas bem mais largas que os PROPRIEDADES FÍSICAS DOS POLÍMEROS • Leves . não sendo rígidos como os termofixos. Por exemplo. Isso confere baixa densidade ao polímero. piscinas.Alta resistência ao impacto . vedações. é como se fosse uma rede. Elastômeros (Borrachas): Classe intermediária entre os termoplásticos e os termorrígidos: não são fusíveis. wolastonita) . Esse largo espaçamento entre moléculas faz com que a difusão de gases através dos plásticos seja alta. Eles estão presos entre si através de numerosas ligações. há menor número de ligações entre os “cordões”. formando uma rede ou reticulado. Reciclagem complicada pela incapacidade de fusão. • Maior Resistência à Corrosão As ligações químicas presentes nos plásticos (covalentes/Van der Walls) lhes conferem maior resistência à corrosão por oxigênio ou produtos químicos do que no caso dos metais (ligação metálica). que fica patente no prazo de validade mais curto de bebidas acondicionadas em garrafas de PET. A principal conseqüência deste fato é a limitação dos plásticos como material de embalagem. mica.Alta flexibilidade . que varia conforme o tipo de plástico. caulim. . Pode-se fazer uma analogia com uma rede de malha muito fina.Resistência à abrasão • Baixas Temperaturas de Processamento • Ajuste Fino de Propriedades através de Aditivação . Exemplos: baquelite. carbono.Plastificantes podem alterar completamente as características . Exemplos: pneus. CaCO3) . de forma análoga aos termorrígidos.Estrutura molecular: na verdade. o que é uma vantagem em certos aspectos. usada em tomadas e no embutimento de amostras metalográficas. não se movimentando com alguma liberdade como no caso dos termoplásticos. Ou seja.Negro de fumo em pneus (borracha) e filmes para agricultura (PE) . na forma de plástico reforçado (fiberglass). etc. mas apresentam alta elasticidade. o caso da cerveja é o mais crítico.Uso de fibras (vidro. neste caso. Essa • Propriedades Mecânicas Interessantes .Cargas inorgânicas minerais inertes (ex. mas com termorrígidos. os cordões estão ligados fisicamente entre si. mangueiras de borracha.Agentes expansores. boro) ou algumas cargas minerais (talco.. Estrutura molecular: a estrutura é similar à do termorrígido mas. Em outras palavras: esses materiais apresentam alta permeabilidade a gases. poliéster usado em carrocerias. Porosidade O espaço entre as macromoléculas do polímero é relativamente grande. caixas d'água. • Baixa Condutividade Elétrica Polímeros são altamente indicados para aplicações onde se requeira isolamento elétrico.

como no caso de remoção de sal da água do mar.000 a 300. Nos casos em que a reciclagem do polímero não for possível. Problema adicional: o plástico reciclado é encarado como material de segunda classe.925 g/cm 3. Os principais plásticos commodities são: polietileno (PE). pode ser vista no gráfico abaixo: .. É utilizado basicamente em filmes. Macio e flexível. Compare com o caso do alumínio. • Há quatro tipos básicos: • Polietileno de Baixa Densidade (PEBD) : 0. São equivalentes aos aços de baixo carbono na siderurgia. brinquedos. Excelentes propriedades isolantes.. Inodoro. Polietileno (PE) • Mero: etileno (designação antiga do eteno): • G. transformando-o em energia. muitas vezes não é economicamente viável devido ao seu baixo preço e baixa densidade. deve ser ALGUNS POLÍMEROS DE IMPORTÂNCIA INDUSTRIAL Certos plásticos se destacam por seu baixo preço e grande facilidade de processamento . PET. Elevada resistência química e a solventes. plásticos que contêm halogênios (PVC e PTFE. em 1998. etc. as quais se apresentam de forma mais regular e são mais curtas que no PEBD.. que encaminhado para dehalogenação antes da queima. .000 • Principais propriedades: o o o o Baixo custo. Apresenta menor incidência de ramificações. o que incentiva seu uso em larga escala.918-0. sempre é possível queimá-lo . Suas . poliestireno (PS) e o policloreto de vinila (PVC). Apresenta moléculas com alto grau de ramificação. Reciclabilidade membranas poliméricas para Alguns polímeros.P. São os chamados plásticos ou resinas commodities. Somente plásticos consumidos em massa (PE. não podem ser reciclados de forma direta: não há como refundí-los ou depolimerizá-los. pode ser muito interessante. como termorrígidos e borrachas . em incineradores ou alto-fornos. Solução: identificação desse material. embalagens.940 g/cm 3. Atóxico.) apresentam bom potencial econômico para reciclagem. recipientes. Esta última saída é mais favorável. polipropileno (PP). = 50. o o o o o Fácil processamento.permeabilidade. É a versão mais leve e flexível do PE. materiais baratos e usados em aplicações de baixo custo. ao contrário do que ocorre com aço ou mesmo o alumínio. isolamento de fios elétricos.910-0. Baixo coeficiente de atrito. A distribuição da produção desses plásticos no Brasil. . Baixa permeabilidade à água. A reciclagem de polímeros termoplásticos. por exemplo) geram gases tóxicos durante a queima. contudo. • Polietileno de Baixa Densidade Linear (PEBDL) : 0. apesar de tecnicamente possível. pois o carbono do polímero seria usado na redução do minério.. laminados. Contudo.

Autopeças (pára-choques. • Peças para máquinas de lavar. • Boa resistência ao impacto acima de 15oC. Principais propriedades: • Baixo custo. revestimentos de pistas.0. • Fácil moldagem. Aplicações: engrenagens. O Brasil ainda não produz este tipo de plástico.000. trilhos-guias. Carpetes. Aplicações: • • • • • • • • • • • Brinquedos. Fibras. Carcaças para eletrodomésticos. remédios. sofrendo degradação com maior facilidade. • Elevada resistência química e a solventes. • . produtos químicos. ventiladores. etc. carcaças de baterias. • Polietileno de Ultra Alto Peso Molecular (PEUAPM) : G. Isso facilitaria a reciclagem do material por ocasião do sucateamento do veículo. lanternas. garrafas. tanques de combustível automotivos. recipientes.P. com moderada resistência ao impacto. Apresenta estrutura praticamente isenta de ramificações. É um plástico rígido. Utilizado em bombonas.960 g/cm 3. • Polietileno de Alta Densidade (PEAD) : 0. baixo coeficiente de atrito. Polipropileno (PP) • • • Mero: propileno (designação antiga do propeno): Propriedades muito semelhantes às do PE. alta resistência à abrasão e ao impacto. resistente à tração. Seu custo de fabricação é menor. • Atualmente há uma tendência no sentido de se utilizar exclusivamente o PP no interior dos automóveis. . etc. materiais hospitalares. Praticamente infusível. • Alta resistência à fratura por flexão ou fadiga. Tubos para cargas de canetas esferográficas. com transparência cristalina. Recipientes para alimentos. • Fácil coloração.propriedades mecânicas são ligeiramente superiores ao PEBD em termos de resistência mecânica. geralmente através de sinterização. ventoinhas. filmes. • Principais propriedades: o Fácil processamento.000 . Sacarias (ráfia).935 . • Maior sensibilidade à luz UV e agentes de oxidação. Seringas de injeção. tubos para distribuição de água e gás. da ordem de 3.000. peças diversas no habitáculo). bolsas de gelo. Material hospitalar esterilizável. Alta inércia química. mas com ponto de amolecimento mais elevado. alta maciez. • Boa estabilidade térmica. processado com grande dificuldade. mancais. componentes para bombas de líquidos corrosivos. Filmes orientados. pois se saberia com qual material se estaria lidando. brinquedos. pedais. isolamento de fios e cabos. Sua flexibilidade e resistência ao impacto recomendam sua aplicação para embalagens de alimentos. implantes de ossos artificiais. Poliestireno (PS) • Mero: estireno : • Termoplástico duro e quebradiço.000 a 6. canos e tubos. utensílios domésticos.

Restrições: O monômero é um potente cancerígeno . deve haver controle do teor residual que permanece no polímero. Pode receber lubrificantes para facilitar processamento. Usado na fabricação de tubos. ele se volatiliza. Duro e tenaz. Durante o processamento do material aquecido. carcaças de utensílios domésticos e baterias.M. grades de ar condicionado. Usado em artigos de baixo custo. duro. pela presença do cloro. que é incorporado através de mistura mecânica ou diretamente no processo de polimerização. . encerados de caminhão (sanduíche filme de PVC + malha de poliéster + filme de PVC). isento de cargas. que contém de 20 a 100 partes de plastificante por 100 de polímero. gabinetes de rádios e TV. o Elevada resistência a ácidos e álcalis. ventiladores e exaustores. pranchas para flutuação. com excelentes propriedades térmicas e elétricas.• • o Fácil coloração. • Há quatro tipos básicos: • PVC rígido. aditivos • PS resistente ao calor : maior P. particularmente em aplicações em que o polímero vai entrar em contato com alimentos. cortinas de banheiros. • PS expandido : espuma semi-rígida com marca comercial isopor (R) . etc. . o que torna seu processamento mais difícil. através de enxerto na cadeia polimérica. o Semelhante ao vidro. o Baixo custo. o Processamento demanda um pouco de cuidado. Poli (cloreto de vinila) (PVC) • Mero: cloreto de vinila : • Principais propriedades: o Baixo custo. Muito usado na fabricação de utensílios domésticos (gavetas de geladeira) e brinquedos. Há quatro tipos básicos: PS cristal: homopolímero amorfo. calor e intempéries. peças internas e externas de eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos. circuladores de ar. o Baixa resistência a solventes orgânicos. oxidação e intempéries. geladeiras isotérmicas. Baixa densidade e bom isolamento térmico. gerando as células no material. isolantes térmicos. o • • • Elevada resistência a chama. com brilho e elevado índice de refração. • PVC flexível ou plastificado . Obtém-se desse modo uma blenda. o PVC transparente. Variante ideal para confecção de peças de máquinas ou automóveis. Usado no revestimento de fios e cabos elétricos. composições de tintas (látex vinílico). Plastificantes (aditivo usado para tornar o polímero mais flexível) a base de ftalatos também são considerados cancerígenos . isento de plastificantes. etc. O plástico é polimerizado na presença do agente expansor ou então o mesmo pode ser absorvido posteriormente. Resistente à corrosão. • PS de alto impacto : contém de 5 a 10% de elastômero (borracha) . particularmente em brinquedos e produtos que venham a entrar em contato com alimentos. . o Baixa densidade e absorção de umidade. Aplicações: protetor de equipamentos. O Greenpeace vem promovendo ampla campanha para banir o uso do PVC que contenha esse aditivo.

bem como lavagem e secagem rápida. acabou mudando de status: passou de plástico de engenharia para commodity. o Alta temperatura de deflexão. Seu preço. Seriam os . o Boa estabilidade dimensional e térmica. filmes e placas para radiografia. Mero: ácido tereftálico ou tereftalato de dimetila e glicol etilênico. o Boas características de isolamento elétrico. São usadas em aplicações nobres: isolamento de capacitores. Principais propriedades: o Boa resistência mecânica térmica e química. • Este importante plástico de engenharia foi acidentalmente descoberto em 1898 na Alemanha. usada na fabricação de carcaças de bombas. . porém.. componentes elétricos de carros. etc. produtos de limpeza. o Resistente aos raios ultravioletas. Poli (tereftalato de etileno) • • • Plástico da família do poliéster. • Principais propriedades: o Excelente resistência ao impacto. carburadores. películas cinematográficas. Policarbonato • Plástico da família dos poliésteres aromáticos. • Resina para moldagem com reforço de 30% de fibra de vidro. Há também os chamados plásticos de engenharia. etc. elas não foram confirmadas até o momento. o Boa usinabilidade. • • • • Aplicações: Como garrafas para bebidas carbonatadas. . . Na forma de fibras . Há suspeitas de que o bis-fenol A mimetizaria efeitos de hormônios humanos. graças ao contínuo aperfeiçoamento de seu processo de fabricação e à enorme aceitação na fabricação de garrafas de refrigerante. mas só em 1950 é que seu desenvolvimento foi retomado. é bem mais elevado equivalentes aos aços-liga da siderurgia. o que poderia causar distúrbios endócrinos. sob marcas Tergal ® (ICI) ou Dracon ® (Du Pont). Contudo.o PVC celular ou expandido. • Trata-se de um polímero de engenharia que. passando a ser comercializado a partir de 1958. o Excelente transparência: 96%. sob marca Rynite ® (Du Pont). apresentam excelente resistência mecânica e ao amassamento. fitas magnéticas. que são resinas que apresentam propriedades superiores às chamadas resinas commodities . sob marca Mylar ®. óleos vegetais. o Fácil reciclabilidade. • Monômeros: fosgênio e bisfenol A . Na forma de películas transparentes e altamente resistentes . A seguir estão listados os mais comuns. o Boas propriedades de barreira : absorção de oxigênio é de 10 a 20 vezes menor que nos plásticos “commodities”.

o Aquários. Thermoplastic Materials (Commodity Plastics). Introduction.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1.A. 1996. Itens 4.9.3. A.. Niterói.3. em trens de subúrbio). 1997...5. etileno) . Editora Edgard Blücher Ltda. o o Janelas de segurança (por exemplo. Washington.3. 1996. M. Taylor & Francis. Nov. 4.Poliestireno.4.2. ANON. Plástico Moderno. 1995.. Poli (tereftalato de e 1.B. Columbus. p. e outros. tigelas.9. 2. Prentice Hall. MICHAELI. Principles of Polymer Systems. impressoras. p. Curso Básico Intensivo de Plásticos. 4. 1 a 13.3.. copiadoras. 3.1. .Polietileno. 26-40. 4. STRONG.. o Escudos de polícia anti-choque. Plastics . Tecnologia dos Plásticos. o Óculos de segurança. RODRIGUEZ.Materials and Processing. 5. o Garrafas retornáveis. Jornal de Plásticos. frascos. RETO. p. Policarbonato. 14-19. 4. computadores. W. Introdução e Lição 1. o Carcaças para ferramentas elétricas. F.S. . 4.1. São Paulo. 153-174. jarros de água.3. Polietilenos Expandem Enquanto Demanda Retrai.Poli (cloreto de vinila). . 1998. . Polipropileno.• Aplicações: o Compact-Discs (CD’s). Bandejas.

a temperaturas relativamente baixas. É a técnica mais empregada nas técnica é a mais adequada Polimerização em Lama Quando o polímero formado é insolúvel no meio reacional. Isso causa heterogeneidade no tamanho das macromoléculas formadas. a reação ocorre em meio homogêneo e não há formação de sub-produto no meio reacional. radiações eletromagnéticas. o controle de temperatura e favorecido. azocomposto.) para iniciar a polimerização. isto é. é preciso adicionar um agente químico (percomposto. a toxidade e manuseio do solvente representam fatores limitativos do emprego industrial desta técnica. devido à ocorrência de reações de transferência de cadeia. Nos casos em iniciação é feita por agentes físicos (calor. sob a forma de solução. Essa para trabalhos de pesquisa. o peso molecular do 6 que a monômero. como no caso de composições de revestimentos (tintas. e há uniformidade das condições de polimerização. sem a formação de sub-produtos. ácido ou base de Lewis. A dificuldade de remoção de vestígios de monômero e de iniciador é uma das desvantagens da polimerização em massa. . pois a viscosidade do meio reacional é relativamente baixa. O solvente da solução polimérica aplicada sobre o substrato deve ser progressivamente eliminado. sem qualquer diluente. um solvente que atua tanto sobre os reagentes quanto sobre o polímero. O peso molecular pode atingir valores inferiores a 10 5. vernizes. com taxa de evaporação controlada. É convenientemente empregada quando o polímero se destina à utilização. há problemas para o controle da temperatura e para a uniformidade das condições de reação. solvente residual pode provocar microfissuras no filme do polímero. polímero pode atingir valores muito elevados. Assim. embora também sejam empregadas nas poliadições. Tem amplo emprego na fabricação industrial de placas de PMMA. etc). tem-se apenas o etc. etc. a reação se passa em meio homogêneo. e se apresenta sempre com larga curva de distribuição. uma vez que a presença de policondensações. azocomposto. da ordem de 10 . Ocorre formação de gel. trata-se de reação em meio heterogêneo. Essa técnica permite a obtenção de peças moldadas diretamente a partir do monômero.). e os produtos apresentam excelentes qualidades óticas e elétricas. sem pressão.).TÉCNICAS DE POLIMERIZAÇÃO Polimerização em Massa A técnica de polimerização em massa emprega monômero e iniciador. a viscosidade do meio reacional cresce rapidamente. polímero reticulado. Como a reação de poliadição é fortemente exotérmica. tornando cada vez mais difícil a acessibilidade do monômero no centro ativo da cadeia em crescimento. a polimerização em solução é denominada polimerização em lama ou polimerização em solução com precipitação. A dificuldade de remoção e recuperação total do solvente da massa polimérica. nos demais casos. etc. A iniciação é feita por agente químico (percomposto. Quando comparada à polimerização em massa. Polimerização em Solução A técnica de polimerização em solução utiliza. a técnica em solução provoca o retardamento da reação devido ao efeito diluente do solvente. além do monômero e do iniciador organosolúvel.

60ºC. centrifugação ou filtração. por exemplo. Assim. é preciso proceder à coagulação do látex. para haver reprodutibilidade das condições operacionais. A remoção do polímero do meio aquoso é facilmente realizada pelos processos usuais de decantação. em laboratório. são solúveis em hidrocarbonetos alifáticos. conglomerados agente . Apresenta a dificuldade da completa remoção dos resíduos dos componentes do meio reacional. resultando um produto sob a forma de partículas muito pequenas. a velocidade de reação é tão alta quanto a conseguida na polimerização em massa. e um emulsificante. e assim. que também é insolúvel no meio reacional. como a acrilonitrila. ativadores (agentes de quais caracterizam multinacionais. emprego dessa técnica. pode também ser utilizada a técnica as diferentes tecnologias. A agitação do meio reacional deve garantir a dispersão adequada das partículas em suspensão. bem como o manuseio e a toxicidade do solvente. a dificuldade de remoção e recuperação total do solvente retido na massa polimérica. além do monômero. geralmente feita através da adição de salmoura acida. principalmente dos grandes redução). quando se procede à polimerização em presença de mínimas quantidades de sistemas catalíticos de coordenação. como PVAc e PBA.Há monômeros. onde a reação tem lugar. que são solúveis em água. Para a separação do polímero. geralmente água. colóides protetores. etc. o que restringe a sua aplicação em áreas que necessitem de polímeros com alta elevada pureza. No caso de polimerização em emulsão. Polimerização em Emulsão A polimerização em emulsão utiliza. os industriais. fato que é muito conveniente para a fabricação industrial do polímero. Essa técnica é muito usada para poliadições. Alem da polimerização em emulsão clássica. resultando partículas brancas. como o Ziegler-Natta. pois isto poderá acarretar na coagulação da emulsão. Em geral. outros monômeros. é comum encontrar ainda uma serie de outros produtos adicionados ao meio reacional: tamponadores de pH. É preferida na fabricação de elastômeros. a reação se passa em meio heterogêneo. Os pesos moleculares são elevados. reguladores de polimerização (modificadores). a temperatura do processo não deve exceder 50 . fabricada industrialmente com este sistema catalítico em todo o mundo demonstra a importância da técnica de polimerização em lama. Além desses componentes essenciais à polimerização em emulsão. etc. em que a fase monomérica orgânica está dispersa na fase aquosa contendo o emulsificante. Da mesma forma. do tipo óleo/água. Os radicais livres se formam na fase aquosa e migram para a fase orgânica. gasosos à temperatura ambiente. porém os polímeros correspondentes são insolúveis nesses solventes.. azocomposto. resulta em uma fina suspensão de polímero. um iniciador hidrossolúvel. Em certos casos. da ordem de 105. A enorme quantidade de polietileno e de polipropileno. reguladores de tensão superficial. o que permite o aquecimento com vapor ou mesmo água aquecida.). irregulares de agregados das macromoléculas. a poliacrilonitrila precipita no meio reacional à medida que vai sendo formada. A agitação do sistema reacional não pode ser intensa. No entanto. cerca de 50rpm são adequadas. A iniciação é feita por um químico (percomposto. como o etileno e o propileno. O tamanho da partícula emulsionada varia entre 1nm a 1mm. um solvente. como o SBR e NBR ou de adesivos. como o heptano. facilita o controle da temperatura. os quais propiciam um meio adequado à formação de micelas. podem representar aspectos negativos no especialmente no caso de catalisadores metálicos. estearato de sódio. contendo o catalisador.

cada um contendo um dos monômeros. PMMA. azocomposto. o meio reacional deve conter uma base. Exige pelo menos dois monômeros e é conduzida na interface de dois solventes. é comum encontra-se ainda outros aditivos. PVC. usadas na fabricação de HDPE e PP. Polimerização em Suspensão A polimerização em suspensão emprega.4’-difenilolpropano (BisfenolA).). regular e vigorosa. Em geral. devem estar na faixa de 1 a 10mm. para reter o acido clorídrico eliminado. seja formando um filamento. o que exige agitação mecânica contínua. depositando-se sob a forma de “perolas” ou “contas”. Além desses componentes. além do monômero. com iniciadores de coordenação de muito alta eficiência (acima de 98% dos sistemas catalíticos Ziegler-Natta). do tipo água/óleo. a reação deve ser rápida como por exemplo a formação de poliuretanos a partir de reação entre diisocianatos e dióis. continuo. entre cloreto de carbonila e 4. é empregada para a poliadição de monômeros gasoso (etileno e propileno). para a preparação de policarbonatos. um iniciador organo-solúvel. um solvente. Correspondente a uma polimerização em massa. a temperatura do meio reacional excede 70ºC. dentro de cada gotícula de monômero suspensa. Polimerização em fase gasosa Essa técnica de polimerização e a mais moderna e recente. normalmente água. para manter a dispersão. em leito fluidizado. e um espessante (orgânico ou inorgânico). resultando em um polímero com tamanho de partícula superior àquele obtido por emulsão. como por exemplo. produzindo as gotículas dispersas em cuja superfícies ocorre a reação de polimerização. Cada partícula de catalisador deve gerar uma partícula de polímero. A precipitação do polímero ocorre espontaneamente. para monômeros especiais. Essa técnica procura reunir as vantagens das técnicas em massa e em emulsão. etc. a reação se passa em meio heterogêneo. A técnica em suspensão é muito usada para poliadições. Polimerização Interfacial A polimerização interfacial. Para a aplicação dessa técnica.envolvendo inversão de fase. A renovação da interface onde ocorre a reação é feita seja por remoção lenta e contínua do polímero precipitado entre as duas camadas liquidas. ao interromper a agitação. PS. Outro exemplo é a reação de Schotten-Baumann. Usam-se estabilizadores para evitar a coalescência das gotículas viscosas de monômero/polímero. sofisticação e . A iniciação é feita por agente químico (percomposto. antes que se complete a polimerização. As dimensões continuam as mesmas das partículas dispersas. É preferida na fabricação de polímeros industriais. Nesse caso. geralmente é aplicada a policondensações e ocorre em meio heterogêneo. mantidos sob a forma de partículas. Essa técnica é de alta restrita a algumas patentes. seja por agitação. porém sem as desvantagens. etc.

PP • Reações instantâneas • Polímero de alto peso molecular • Polímero já obtido em condições de comercialização • Monômero adequado . regular e vigorosa • Dificuldade de remoção do monômero e do espessante residuais Desvantagens Técnica de Polimerização Composição do meio reacional Exemplo Vantagens Desvantagens Em suspensão • Monômero • Catalisador • HDPE. PU Desvantagens • Poucos contaminantes residuais • Facilidade de Homogeneização • Excelentes qualidades óticas e elétricasFacilidade de purificação do polímero • • Baixo custo de moldagem para poucas peças • Exige monômero com alta reatividade Reações Lentas • • Facilidade de remoção de monômero•eNecessidade de soluções diluídas iniciador • Necessidade de remoção e recuperação de solvente e não solvente • Grandes dimensões dos reatores • Baixo rendimento operacional Quadro . PR Composição do meio • Monômero reacional • Iniciador Exemplo Vantagens • PMMA.Técnica de polimerização Em massa Em Solução • • • • Monômero Iniciador Solvente BR. PVC Meio reacional pouco viscoso • Água como meio dispersante Facilidade de homogeneização • Facilidade de homogeneização Facilidade de separação do polímero Agitação moderada • • Poucas reações laterais • Polímero de alto peso molecular Depende do par monômero/solvente Necessidade de iniciador hidrossolúvel • Dificuldade de remoção do • Necessidade de coagulante para precipitar o polímero catalisador e do solvente residuais• Dificuldade de purificação do polímero Em Interfacial • Comonômeros • Solventes • PA. PAN • SBR. PC • Reações instantâneas • Possibilidade de obtenção de filamentos • Comonômeros muito reativos • Dificuldade de purificação do polímero Técnica de Polimerização Composição do meio reacional Exemplo Vantagens Em suspensão • • • • • • • • Monômero Iniciador Água e espessante PS.Técnicas de polimerização em meio heterogêneo Técnica de Em lama Polimerização Composição do meio • Monômero reacional • Iniciador • Solvente Exemplo Vantagens • • • • Em emulsão Desvantagens • • • Monômero • Iniciador • Água • Emulsificante HDPE. PVC Água como meio dispersantes Polímero de alto peso molecular Facilidade de separação do polímero Necessidade de agitação continua.

Restrição ao par monômero/catalisador (Custo elevado) .

Valores na faixa de 700 a 800 de grau de polimerização. Grau de Polimerização O grau de polimerização é definido como o número de unidades repetitivas existentes em uma macromolécula de polímero. portanto. assim como o grau de polimerização. Devido a essa desuniformidade o cálculo do peso molecular deve ser então estatístico. o seu crescimento é muito rápido. pode-se obter o peso molecular de uma macromolécula do polímero. mesmo com pouca conversão. 10000 são denominados oligômeros (ou pré-polímero. Os três principais tipos de pesos moleculares utilizados são: • Peso Molecular Numérico Médio = (Mn) • Peso Molecular da Viscosimétrico Médio = (Mv) • Peso Molecular ponderal Médio = (Mw) Para que os polímeros sejam de interesse comercial. umas macromoléculas crescem mais que as outras. Sabendo-se o peso molecular da unidade repetitiva do monômero que produz o polímero e seu grau de polimerização. Por exemplo. [-n-] 800. . Polímeros com peso molecular menor que 100000. com altos graus de polimerização sendo obtidos logo no inicio da reação. são valores normais de Peso Molecular O peso molecular pode ser definido como a somatória das massas atômicas de cada elemento químico que compõe uma molécula.Polimerização O conjunto de reações através das quais monômeros reagem entre si. comumente é representado pela letra "n". existiriam macromoléculas de moleculares. formando uma macromolécula polimérica. pressão. na representação química de uma macromolécula de polímero ou uma cadeia polimérica. O rendimento. e chamado polimerização . com "n"= 800. Então: n= Grau de polimerização PMur= Peso molecular da unidade repetitiva Quando um polímero é obtido. os principais são: temperatura. macromoléculas com diferentes graus de polimerização são formadas. a velocidade de reação e os seus mecanismos dependem de vários fatores dentre eles. a macromolécula polímeros comerciais. enquanto que polímeros de alto peso molecular possuem peso molecular maior que diferentes pesos M=n x PMur M= Peso molecular da cadeia polimérica Técnicas de Polimerização Processos de preparação dos polímeros • Polímeros de Poliadição As poliadições são reações em cadeia apresentando três diferentes fases reacionais com velocidades e mecanismos diferentes que são: iniciação. ou seja. grau de polimerização 5 a 100). propagação e terminação . possui 800 unidades repetitivas. eles devem ter no mínimo 10000. tempo e tipo de reator. Uma vez iniciada a cadeia.

ou em suspensão em certos solventes orgânicos com THF. São catalisadores aniônicos ou reagentes de Grignard. metacrilonitrila. iônica). formam-se espécies químicas particularmente reativas a partir do monômero. outros podem se decompor sob a ação da luz ultravioleta. a reação é promovida não por meio de radicais livres. B. como sódio. Pode ser catiônica ou aniônica. A polimerização envolve a formação de um complexo entre monômero e o catalisador. ou seja. estereoespecífica. A reação aniônica tem tido grande desenvolvimento recentemente. A iniciação pode ocorrer através de radiações eletromagnéticas ou de agentes químicos. A iniciação de poliadições via agentes químicos possui larga aplicação industrial. Na iniciação térmica. sódionaftaleno. Assim como um esquema de como ocorre a adição de monômeros em processo normais de poliadições (radical livre. Os catalisadores mais comuns são do tipo Friedel-Crafts. que em geral deve ser uma superfície sólida. aparentemente causada por colisões bimoleculares formando um bi-radical. esta substância ataca a molécula monomérica iniciando o processo. iônica. bem como as condições de polimerização. Ti. Sn. cujos substituintes são doadores de elétrons. potássio. porém por carbocátions e carboíons. metais alcalinos livres. pode fornecer tanto radicais livres quanto íons. Iniciação via radicais livres Uma substância capaz de formar radicais livres é adicionada ao sistema contendo monômeros. Iniciação Iônica Na iniciação iônica. 3. Esses catalisadores de coordenação são conhecidos como catalisadores Ziegler-Natta e se compõem de um sistema contendo um organometálico (em geral triaquil-aluminio) e um halogeneto de metal de transição (normalmente tri ou tetracloreto de titânio). na iniciação. que parecem ativar catalisadores. portanto na mesma condição dos monômeros anteriores que já formaram a cadeia. e são chamados co-catalisadores. isto acontece porque a nova unidade monomérica é adicionada entre o catalisador e cadeia já formada. 1. lítio dissolvidos em amoníaco liquido. resultantes do ataque de um iniciador ao monômero. Do conhecimento desse comportamento decorre sua escolha.que resulta em polímeros estereorregulares. sódio-trifenil-metila. geralmente na forma de uma lama de partículas sólidas muito pequenas em um meio inerte. podendo-se comparar as . admite-se que haja uma decomposição térmica no monômero em radicais. cianteo de vinilideno. Trata-se de catalise heterogênea. Normalmente empregam-se peróxidos e hidroperóxidos orgânicos. e por coordenação. Iniciação por coordenação Há ainda a iniciação por coordenação que usa catalisadores baseado em um metal de transição. Alguns liberam radicais livres somente acima de determinadas temperaturas. como brometo de metil-magnésio. A iniciação catiônica se aplica normalmente a monômeros contendo instauração entre carbonos. 2. Existem três tipos de iniciação via agentes químicos: via radicais livres. Este tipo de iniciação não é empregada industrialmente.Iniciação Na polimerização por adição. tem papel importante na reação a presença de pequenas quantidades de água ou álcool. etc. Este tipo de iniciação permite altas velocidades de polimerização em baixas temperaturas. etc. Este tipo de iniciação e aplicada eficientemente nos monômeros metacrilato de metila. essas espécies dão origem às moléculas dos polímeros. halogenetos de Al. Rearranjos desses complexos permitem que unidades do monômero sejam inseridas sempre no mesmo ponto de reação da cadeia.

nenhum polímero deve ser formado. é formada na extremidade da outra. Em poliadições iniciadas por radicais livres a propagação ocorre pelo mecanismo: RM +M >>>>> +M RMM >>>>> RMMM >>>>>. Se um retardador é muito efetivo.. esta condição.. para posteriormente serem polimerizados. às vezes é chamada de inibição e o agente é chamado inibidor. que foi retirado de desta. O peso molecular durante a polimerização pode ser controlado através da adição de agentes que reajam com os radicais livres nas macromoléculas.. terminando a cadeia e determinando uma faixa de peso molecular específica. Policondensação A policondensação é uma reação em que não há distinção de fases reacionais. Propagação Na fase de propagação.diferenças entre os produtos formados. Quando é causada pela transferência de um átomo de hidrogênio de uma para outra cadeia o processo denomina-se desproporcionamento .. uma insaturação. ocorrendo a saturação da extremidade de uma cadeia e estabilizado com a transferência de um hidrogênio de uma outra cadeia. formando-se um novo núcleo reativo. de cadeia maior e assim sucessivamente. seguintes (combinação e desproporcionamento) Radical livre ou íon Monômero inativo Polímero inativo Quando a interrupção é causada pela reação de dois radicais livres ou íons o processo é chamado de combinação. este radical pode se estabilizar por reação com uma outra cadeia ou monômero. carboaníons) formados na iniciação. este processo recebe o nome de ramificação. o crescimento da . então antes que a polimerização se inicie estes inibidores devem ser eficientemente e sem atraso.. Se um radical livre de uma cadeia é qualquer posição ocorrendo a formação de Inibidores e Retardadores Retardador é definido como uma substância que pode agir como um radical para formar produtos incapazes de reagir com monômeros. É a fase de crescimento da macromolécula. pode haver reação da cadeia em crescimento com as entidades químicas: • • • • Outra cadeia em crescimento • • Molécula do solvente Impureza íon. Este tipo de substância é normalmente adicionada aos monômeros no período de armazenagem. o núcleo reativo (radicais livre. ramificações. carbocátions.. se adiciona a uma molécula de monômero. a desativação de uma molécula em crescimento quer seja um radical livre ou um pode ser conseguida por diferentes modos. >>>>>. Terminação Na terminação. ou seja uma dupla ligação. Em poliadições com iniciação por catalisadores iônicos mecanismo é: +M +M RM+ >>>>> RMM+ >>>>> RMMM+ +M +M RM:>>>>> RMM:>>>>> RMMM:- >>>>>.

etc) resultantes das reações ente os monômeros. Os processos de união dos plásticos são representados pela colagem e a soldagem.do plástico. Termoformagem Separação União --Moldagem sob tensão Processos de união mecânica ou colagem Semi-manufaturados estado termoplástico. A matéria-prima do plástico é produzida na forma de grãos. Os plásticos termorrígidos são produtos encadeados que não possuem uma faixa de estado termoplástico e devido a este fato. Visão geral da preparação A preparação compreende as etapas de moagem. Na policondensação há polimerização da poliamida 66. como será usado pelo consumidor. como ocorre na PROCESSOS DE FABRICAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO MATÉRIA-PRIMA . são necessárias algumas etapas intermediárias. quando se atinge alto grau de conversão de monômeros a polímero. Termoplásticos Técnicas de moldagem Termorrígidos Massa fundida será formada ao mesmo tempo em que ocorre a reação química. Os aditivos podem variar algumas propriedades dos plásticos: • Antioxidantes: impedem as reações de degradação dos plásticos por oxidação. entre outros. • Fotoestabilizantes: impedem as reações de degradação do plástico por incidência luminosa (luz UV). • Lubrificantes: influem nas propriedades de fabricação do plástico durante a plastificação. • Pigmentos: colorem o plástico. chamados de granulados. em pó. pasta ou líquido e então transformado em manufaturado ou peça pronta. A preparação possui dois objetivos importantes: a adição adequada dos aditivos e a facilitar a posterior fabricação quando da emformação. fresagem.cadeia polimérica é vagaroso e esta cadeia só alcança altos pesos moleculares. Moldagem sob tensão em A massa fundida em será estado moldada termoplástico. Os pesos moleculares dos polímeros formados por esse tipo de reação alcançam pesos moleculares na ordem de 10000. granulagem (a frio ou a quente) e dosagem dos aditivos e posterior mistura. • Reforços: elevam o módulo de elasticidade. NH3. não podem mais ser transformados após o processo de endurecimento. (poliadição: 200000). como é fabricado por processos químicos até o produto de plástico. serra. • Diluentes: reduzem o módulo de elasticidade.HCl. bem como os processos mecânicos de parafusar ou rebitar. . formando uma massa rígida e uma massa reativa fluida. eliminação de pequenas moléculas (H2O. Moldagem Processos de união mecânica ou colagem ou soldagem A moldagem por separação dos plásticos sob tensão é realizada pelos processos de torneamento.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful