102

Profissionais do futuro –
Ribeiro

João Ubaldo

— Eu mesmo vou fazer a receita? — Algum problema? — Bem, é que eu nunca ouvi falar nisso. Em vez de o médico escrever a receita, quem escreve é o cliente? — É que o senhor deve estar acostumado com médicos mais antigos. A prática moderna é outra. Na Faculdade de Medicina de Rávarde… — De onde? — De Rávarde, é uma universidade americana de muita reputação. Mas não tem importância, vamos adiante. Escreva aí Xofitol… — Com “Ch” ou com “X”? — Também não vem ao caso, o farmacêutico entende. Eles entendem até letra de médico, ha-ha. — Então está certo. X, O… Não é? — Meu amigo, eu já disse que o senhor escreve como quiser, o farmacêutico entende, qualquer balconista de farmácia sabe o que é Xofitol. — Bem, eu estou com um pequeno problema aqui. O senhor é médico e eu posso lhe dizer a verdade.

— Não é preciso mais fazer anamnest… Anamsti… Ananes… Deixa pra lá, de qualquer forma é uma palavra difícil para um leigo entender. Não é preciso que eu lhe faça mais perguntas sobre sua doença. Os exames estão claros. — O senhor desculpe, mas esse eletro aí não está de cabeça para baixo? Eu não entendo nada disso, mas é que o logotipo da clínica está de cabeça para baixo e aí eu imaginei que o exame também está. — De cabeça para baixo? Sim, claro, mas, como leigo, o senhor não pode saber. A melhor maneira de verificar esses exames é de cabeça para baixo, invertendo-se a perspectiva do facultativo. Enfim, é um probleminha que não adianta discutir. Mas, para tranqüilizar o senhor, eu vou botar como o senhor acha que eu devo. Está aí, pronto. Nenhum problema cardíaco, é óbvio, basta um olhar de relance para ver. — Ah, então desculpe. Eu não tinha nada que me intrometer, desculpe mesmo. O senhor vai querer ainda algum exame, depois desses? — Não, não é necessário. Por favor, o senhor pode pegar esse bloquinho na sua frente e anotar a receita que vou lhe dar?

102

— O senhor tem que me dizer a verdade, assim como eu também. Do contrário, o tratamento sairia completamente errado. Vamos lá, escreva aí: Xofitol… — X, O… Bom, eu vou dizer a verdade ao senhor. A verdade é que eu não sei bem escrever, tenho uma certa dificuldade. — O senhor tem dificuldade em escrever? O senhor não me disse nada sobre isso. Falou que andava estressado, porque, além de ser professor, ainda estava estudando Direito e em dificuldades para manter a família. — Verdade, verdade. — Então como é que tem dificuldade em escrever? O senhor é professor de quê? — Letras, eu sou formado em Letras, ensino em três faculdades e mesmo assim não dá. — Mas o senhor é formado em Letras e não sabe escrever? — Bem, uma coisa ou outra, para uso pessoal. Lista de feira, lista de supermercado… Não sai certo, mas eu e minha mulher conseguimos entender. — Sua esposa é também formada?

— É. Em Letras também. Mas escreve melhor do que eu. De vez em quando, até publica umas resenhas de livros. Claro que sozinha ela não seria capaz, mas o nosso vizinho Chico, o português dono do boteco em nossa rua, dá uma mãozinha. — Impressionante isso. Formado em Letras e não sabe escrever. Realmente, desculpe meu comentário, a qualidade de nosso ensino… — Então, então o senhor agora conhece toda a situação. Pronto. Então, por favor, me faça a gentileza de escrever a receita. De fato, Xofitol, não é mole de escrever. Não dá para saber se é com X ou CH, se é com U ou L no final, nossa língua é muito difícil. — O senhor tem razão. Mas eu não vou escrever a receita. — Ô, ué! O senhor também não é formado? — É, mas nunca consegui aprender a escrever direito. — E como é que o senhor conseguiu passar no vestibular, cursar a faculdade, escrever trabalhos… — Do mesmo jeito que o senhor. A múltipla escolha é uma grande sacada para os que não tiveram a chance de aprender. E com a Internet, então… Agora é moleza, a juventude de hoje não sabe como é feliz. É só ir nos lugares

102

certos da Internet, para pegar um trabalho sobre qualquer assunto. — De fato. Mas é um espanto o senhor, médico jovem, mas de tanta fama, não saber escrever. — E não é um espanto o senhor ser professor de Letras e não saber escrever? — Bem, é. Tenho que reconhecer que é. Mas também tive uma infância pobre, vim de baixo… — Eu não tive infância pobre, mas também vim de baixo, sua situação não é nada melhor que a minha. Vamos entrar num acordo. Trocamos segredo por segredo? — Como assim? — O senhor não diz a ninguém que eu não sei escrever e eu não digo a ninguém que o senhor não sabe escrever. Fechado? — Fechado. — Então vamos lá. Não é preciso apresentar receita para esses remédios. Vamos decorando, como nos bons tempos da faculdade. Xofitol, Xofitol, Xofitol… Pode ser Xopitol também, o balconista entende, é para o fígado.

AS PALAVRAS MAIS USADAS  VEJA AS DÚVIDAS MAIS FREQUENTES
G RAFIA
E

E MPREGO

DOS

P ORQUÊS

Usamos: Por que -> normalmente usado no início de frases interrogativas. Pode ser substituído por pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais, por que (qual) motivo. Exemplos: Por que você não fez a lição? = (Por qual motivo você não fez a lição?) Por que temos de economizar água? = (Por qual motivo temos de economizar água?) Não sei por que os jogadores estão discutindo. = (Não sei por que motivo os jogadores...) Este é o motivo por que não fui à excursão. = (Este é o

Pode ser substituído por motivo.102 motivo pelo qual não fui. por quê? Porque -> em respostas. POR QUE a) Em frases interrogativas diretas ou indiretas. razão. Exemplos: Não sei o porquê desta bagunça. para explicação ou causa. Muitas plantas morrem porque não chove. g) você já vai embora? h) Ainda não descobrimos o das faltas.) Por quê -> no fim de frases. a) você não veio à aula hoje? b) Eles não me disseram o das falhas. Por quê? Estava triste sem saber por quê.. mas não havia por quê. Muitos reclamaram das notas. Pode ser substituído por.: Por que você não veio? .. Exemplos: Você não fez a lição. utilizando os porquês. A aula foi cancelada porque não havia luz na escola. Você não me explicou o porquê da sua falta. Falo muito porque gosto. Aprender o uso dos porquês é muito importante. G RAFIA E E MPREGO DOS P ORQUÊS 1. Ex. Ainda bem que você me explicou os porquês da sua demissão. Porquê -> Sempre que houver o artigo o antes dele. pois. Você não gosta de jiló. d) Você chegou mais tarde. c) Hoje eu cheguei atrasada fui ao médico. ATIVIDADES 1) Complete as frases corretamente. ? e) Você acordou cedo ? f) Minha amiga está alegre tirou nota boa na prova. Exemplos: Ele não fez a lição porque não a entendeu.

pronomes. b) Quando pode ser substituído pelas expressões pelo qual e flexões. Esta é a causa _____________o aparelho falhou. É uma conjunção subordinadativa final. Ex. Ignoramos _________ faltou tanto assim.102 Conte-nos por que você não veio. É uma conjunção subordinada causal. numerais.: Venha porque precisamos de você. Ex. Ex. Jamais compreendi o ________ desta atitude.) equivale a palavra motivo (ou razão) (artigos. PORQUE a) Introduz uma causa. Equivale a pois.: Não é essa a vida por que lutamos. ficando subentendido a palavra motivo. 2. Ex. c) Introduz uma finalidade.: Ela não veio por quê? 4. Ex. razão.. A avenida ___________ vim estava congestionada.:Eis por que não compareci. . segundo a numeração da teoria: 1) 2) 3) 4) 5) 6) 7) 8) ____ vocês não precisam mais? Ela não viaja ______ não pode.: Ela não veio porque não quis. POR QUÊ a) É usado no fim de orações (geralmente interrogativas) ou quando a expressão estiver isolada.. 3. Exercício Completa com um dos porquês. É uma conjunção coordenativa explicativa. Ex. Ex. PORQUÊ a) Emprega-se como substantivo e tem as seguintes características: - é preciso de palavra determinadante contrações. b) Introduz uma explicação.: Queremos saber o porquê de seu medo. Equivale a para que. c) Após os vocábulos eis e daí.: Venha porque não fique só. Não sai ____________? Quero saber o motivo __________ não voltaram cedo.

E MPREGO DE DEMAIS E DE MAIS G RAFIA E EMPREGO DE SENÃO E SE NÃO "Demais" pode ser advérbio de intensidade. Acabamos deixando aos demais a liberdade de escolha. . Você ainda o defende ____________? _________ você precisava entender ________ ele compra todas as ações? Saí. Chegou o momento ______ esperava.do contrário / de outro modo: Ex: Faça o trabalho. aparece intensificando verbos. ___________ mudara de idéia niguém compreendeu. Aquilo nos deixou indignados demais. Refere-se sempre a um substantivo ou pronome: • • Não vimos nada de mais em sua atitude. Desconhece a razão ________ você se cala. Os demais membros do clube reivindicaram o aumento das mensalidades. Este é o ponto _________ ele batalhará sempre. _________ você não nos disse nada? Desconheço o ____________ de seu mutismo. sim _____________? Pretendia louvar a razão __________ você fez isso. ________? ________? Não mereço isto! O filho ___________ tanto trabalhou não a decepcionou. Eles não fizeram a tarefa _________? Foi elogiada _________ era dedicada.102 9) 10) 11) 12) 13) 14) 15) 16) 17) 18) 19) 20) 21) 22) 23) 24) 25) Às vezes não sabemos o ___________ de suas ações. Havia candidatos de mais para o número de vagas oferecido. Queria saber ____________ o Vasco não o comprou. __________ aprender o uso do __________? G RAFIA E "Demais" também pode ser pronome equivalendo a “os outros”. adjetivos ou outros advérbios: • • Senão é usado quando: . "De mais" opõe-se a de menos. Estamos bem até demais. senão vai ficar de recuperação. com sentido de “muito”. “ao restantes”: • • indefinido.

ligação. • • No sentido de finalidade.exceto. (incerteza) Sozinho. Ex: Não encontrei um senão na sua prova. Se Não é usado em frases alternativa. a não se. MAIS 1. Ex. senão a Carol. Ex.Se não tiver como fazer. dúvida: que indicam condição. senão Mariana. nem a Flávia. Mais é o antônimo de menos. objetivo. numa única palavra. O uso do mas (substitua-o por entretanto.: Quanto mais vejo a indignação do povo. . salvo de. ruins. Mais servira se não fora para tão longo amor tão curta a vida. mas ela não o fez. (condição) . 3. Ex.defeito. se não quatro. Ex: Não foi a Paula. perigosas. semelhança ou parentesco. Ex: Todos trouxeram os materiais. porém). Ele é afim da Fernanda. . de conseqüências ruins. 2.mas sim. ele ligou para ela. A fim de retomar a amizade. falha. MAS.: Ela disse que compraria o livro.: São pessoas más.102 . significa perversas. . incerteza. Más é o feminino de maus. corresponde a: que tem afinidade. (Camões – Sete anos de pastor) G RAFIA Afim E EMPREGO DE AFIM E A FIM . • • Eles são almas afins.Chegaram três pessoas. vingativas. (parente) A fim G RAFIA E EMPREGO DE MÁS. A garota trazia más lembranças daquele tempo. mais tenho esperança no Brasil. me avise. equivale a "para": Chegou a fim de iniciar a reunião.

13. Ele não imagina o mal que fez. Exercício Complete as frases a seguir com MAL ou MAU: 1. 2. neste caso fica invariável e no mais das vezes acompanha um verbo ou um adjetivo: Quando ele se comporta mal. o contrário de bom. O lobo mau enfrentou um homem bom. Comportou-se muito ______ durante a reunião. E G RAFIA EMPREGO DE MAL E MAU MAU. Você não sabe o ______ que ela me faz.102 Ele é mal-humorado. ______ chegou ao escritório. O empregado foi ______ treinado. Ela joga muito mal. Ele é um ______ profissional. ______ foi contratado. O seu ______ é não ouvir os mais velhos. 14. 11. ______ saiu de casa. Ele é um grande ______-caráter. 10. 5. Os homens maus e as mulheres más sempre se dão mal. 9. 7. Isso pegou mal. num mau momento. João estava a fim dela. 4. Coloquialmente é usado no sentido de estar com vontade de ou no sentido amoroso: • • Estamos mal servidos. 12. 8. O chefe está de ______ humor. é adjetivo – portanto sempre acompanha um substantivo – e tem o feminino má (plural: maus e más): Fez um mau negócio. nada vai bem. . 3. Sempre foi um ______ aluno. O chefe está sempre ______ -humorado. Ele estava a fim de ir ao shopping. 6. MAL tem por antônimo a palavra bem e pode ser: (1) advérbio de modo. Houve um terrível ______-estar. (2) substantivo: O pequeno mal que o remédio provoca é compensado pelo bem que lhe traz. Ele está trabalhando ______. teve o desprazer de encontrar a ex-esposa. foi assaltado. já demonstrou suas qualidades.

Um falava bem. • • • • • • • • G RAFIA E EMPREGO DE ONDE E AONDE Aonde você vai todo dia às 9 horas? – A Brusque. antes de viajar para Madri. Onde moram os sem-terra? Não entendo onde ele estava com a cabeça quando falou isso. o presidente Fernando Henrique Cardoso estava preocupado com a retomada da onda de violência nos Estados. A mulher do século 21 sabe muito bem aonde quer chegar. Indica movimento para algum lugar. muito ______. É o caso desta frase. Não sei aonde ou a quem me dirijo. Sofreu um ______ súbito. 18. o lugar em que se está ou em que se passa algum fato. retornar e outros que pedem a preposição a. Sabes aonde eles foram? – Ao cinema. 20. o verbo principal (o que vem por último). Complementa verbos que exprimem estado ou permanência e que normalmente pedem a preposição em: • • • • • • Onde estás? – Em casa. chegar. que pode confundir o redator. Aonde nos levará tamanha discussão? Faz três dias que saiu do Incor. 16. Você sabe onde fica o Sudão? – Na África. De onde você está falando? Não sei onde me apresentar nem a quem me dirigir. Dá idéia de aproximação. A velhinha ______ saía de casa. 17. O que interessa observar é o verbo que tem ligação com onde/aonde.102 15. 19. Onde = lugar em que/ em que (lugar). o outro. retirada da revista ISTOÉ: • Na terça-feira. É usado com os verbos ir. sem saber aonde ir. Aonde = a que lugar. Ela está com um ______ incurável. aonde deverá retornar brevemente para uma revisão. onde foi receber o prêmio "Príncipe de Astúrias". Ele ______ adivinha o que pode lhe acontecer. qual seja. É preciso atentar para a colocação desses termos quando complementam uma locução verbal com o verbo auxiliar ir. muito ______. Exemplos: . Há lugares no universo aonde não se vai sozinho. o outro. Um era bom. É a combinação da preposição a + onde. Estavam à deriva. Indica permanência.

A natureza. Note-se que apesar de as palavras em vermelho terem a mesma forma (ou forma aproximada). quase me esqueci: já passaram pelo seu palco nomes que vão de Margot Fonteyn (bailariana clássica inglesa) a Roger Waters (músico fundador da banda de rock inglesa Pink Floyd). foi construída pelo homem. Há 125 anos foi lançada.. a pedra fundamental de um dos mais lindos teatros brasileiros de todos os tempos: o Teatro Amazonas. a concordância. mas não se pode negar que esse teatro também seja uma das belas riquezas de toda a Amazônia. Ah. No sentido de existir: Exemplos: a) Há nessa cidade pelo menos uma joia b) Há vários nomes nessa lista que eu não conheço. À E AH Observe este pequeno texto: A cidade de Manaus está à margem esquerda do rio Negro. [. a função de cada uma delas no uso não será a mesma. sem sujeito. por si. se a escolha de uso for pelo verbo "existir" no lugar do verbo "haver". Observação: Todavia. assumindo a 3ª pessoa do singular: 1. já é a grande beleza da região. isto é. a apenas 18 km da confluência desse rio com o rio Amazonas.102 G RAFIA E EMPREGO DE HÁ. Há nessa cidade pelo menos uma jóia que não vem direto da natureza. Verbo Impessoal. ali na cidade de Manaus. Exemplo: Existem vários nomes . se fará normalmente.].. A.1. "HÁ" em português pode ser empregado como: 1. Vejamos:  I . neste caso.

102

nessa lista que eu não conheço. 1.2. No sentido de passar-se, ter ocorrido (equivalente a FAZ):

contornos verbais e extraverbais: 2.1. Junto a nomes próprios denota familiaridade (neste caso, o artigo também pode ser omitido). Exemplo: A Maria disse ontem que não viria. (Observa Bechara que o uso mais frequente, na linguagem culta, tendo em vista o valor já de si individualizante, dispensa o artigo junto a nomes próprios de pessoas, com exceção dos que se encontram no plural.) 2.2. Junto a nomes de certos substantivos próprios geográficos (os que denotam países, oceanos, rios, montanhas, ilhas, regiões, etc). Exemplos: a) [...] não se pode negar que esse teatro também seja uma das belas riquezas de toda a Amazônia. b) A Itália é um país mediterrâneo. 2.3. Emprega-se junto a certos títulos: Exemplos: a) A professora explicava para a classe os usos do "há", "a" e "à". b) A doutora Luiza é bastante competente. 2.4. Junto a nomes de obras literárias e trabalhos artísticos (se o artigo faz parte do título, deve-se escrevê-lo obrigatoriamente com letra maiúscula). Exemplos:

Exemplos: a) Há 125 anos foi lançada, ali na cidade de Manaus, a pedra fundamental de um dos mais lindos teatros brasileiros de todos os tempos. (= Faz 125 anos que foi lançada, ali na cidade de Manaus, a pedra fundamental de um dos mais lindos teatros brasileiros de todos os tempos). b) Há anos que não vejo meu melhor amigo. (= Faz anos que não vejo meu melhor amigo). Note-se que aqui o verbo FAZER também permanece impessoal (sem sujeito), na terceira pessoa do singular, porque se refere ao tempo que passou. Obs. É um erro comum em português usar-se o advérbio "atrás" depois de "há". O verbo haver, nesse sentido, dispensa o advérbio.  II. Já a palavra "A" pode ser empregada como:

2. Artigo definido. De largo uso no idioma, diz Bechara (em Moderna Gramática Portuguesa, Rio de Janeiro, Editora Lucerna, 2004), o artigo assume sentidos especialíssimos, graças aos

102

a) Nem todos sabem que a Eneida foi escrita por Virgílio. b) A Última Ceia é uma pintura de Leonardo da Vinci para seu protetor, o duque Lodovico Sforza. Observação: De todos os exemplos, pode-se considerar o mesmo para o uso do artigo definido masculino "o".  III. A letra "a" também é usada como preposição essencial (preposição essencial é aquela que funciona exclusivamente como preposição. Diferentemente de preposição acidental, que mesmo pertencendo a outras classes gramaticais, às vezes funciona como preposição. Ex.: segundo, mediante, salvo, fora etc). Ela é invariável e tem como função ligar dois termos entre si, indicando várias noções a partir de seu emprego, tais como: 3. 1. Noção de distância. Exemplo: Manaus está a apenas 18 km da confluência do rio Negro com o rio Amazonas. 3. 2. Noção de tempo (futuro). Exemplo: Avise-o que irei daqui a pouco. 3. 3. Noção de modo. Exemplo: Este terno foi lavado a seco. 3.4. Noção de lugar. Exemplo: Fui à Bahia no mês passado. [à = preposição a + artigo a].

 IV. O Emprego do "à" com o sinal diacrítico ( ` ), denominado acento grave, indica que o artigo "a" é precedido pela preposição "a" como exemplificado acima, em 3.4. O que temos aí é a fusão dessas duas vogais iguais, ocorrendo, dessa forma, o fenômeno da crase**. Em síntese, quando houver a fusão (crase) de:

o acento diacrítico será empregado, e isso ocorre somente diante de palavras femininas. Exemplo a) Fui a + a feira. = à feira. a = preposição a = artigo feira = substantivo feminino Exemplo b) Fui àquela festa. = Fusão de a + aquela festa. Exemplo c) Esta é a moça à qual me refiro. = Fusão de a + a qual Exemplo d) Vou à Itália. (diante de lugares) Exemplos e) A cidade de Manaus está à margem esquerda do rio Negro. Vendi à vista. Saio, às vezes, aos finais de semanas. (Todas as locuções adverbiais femininas, exceto

102

as expressões de instrumento. Ex.: Escrevo a máquina. O infeliz foi ferido a bala.). **Observação: Evanildo Bechara esclarece que crase é um fenômeno fonético que se estende a toda fusão de vogais iguais, e não somente ao "a" acentuado. Sendo assim, não se deve chamar crase ao acento grave.  V. "Ah" em português é interjeição. Interjeição é a palavra que exprime nossos estados emotivos. Tem existência autônoma, podendo constituir sozinha verdadeira oração que significa: 5.1. Admiração, surpresa: Ah! Então é você que está aí, não?! 5.2. Alívio: Ah! Que bom que o pior já passou! 5.3. Expressão enfatizante: Ah, quase me esqueci: já passaram pelo seu palco nomes que vão de Margot Fonteyn a Roger Waters. Observação: Na verdade, o significado da interjeição vai depender do texto e do contexto em que ela aparece.

G RAFIA POUCO
Tampouco

E

EMPREGO
x

DE

TAMPOUCO
pouco

E

TÃO

tão

Tampouco significa “também não” e é advérbio. Geralmente, é usado na expressão “nem tampouco” para enfatizar o sentido de negação. Veja: Não sei escrever esta palavra, você tampouco. Não verifiquei se minha grafia está correta, nem tampouco a pontuação. Tão pouco significa “muito pouco” e refere-se à medida (de tempo, de valor). Observe: Faz tão pouco tempo que estamos trabalhando! Que bom, o sapato que quero comprar custa tão pouco!

G RAFIA E EMPREGO QUANTO

DE

ENQUANTO

E

EM

Enquanto ou Em quanto

. quanto a há cerca de = existem perto de. a) A minha casa fica __________________ cinco minutos da escola. relativamente a. c) Ele deixou de fumar ___________________ dois meses. Vamos então proceder à distinção: a cerca de = perto de. b) O rapaz deu respostas corretas ____________________ todos os assuntos. e) Comecei este trabalho ______________________ uma semana. (= sobre) Há cerca de dois aproximadamente) anos que acerca de problemas não o vejo." quanto tempo resolveremos este Ele vai dar uma conferência ortográficos. à volta de acerca de = sobre.) metros daqui. ACERCA DE.102 Enquanto = ao mesmo tempo: "Enquanto eu corria. aproximadamente. HÁ CERCA DE Estes três termos causam algumas dúvidas e muitas vezes surgem escritos ou empregados de forma errada.. acerca de ou há cerca de. faz aproximadamente Complete com as expressões a cerca de. Exemplificando: Essa loja fica a cerca de cem (=aproximadamente a cem metros. d) ____________________ números. a respeito de." Em quanto = em que quantidade: "Não sei em problema. f) A passadeira está _______________________ cem . (=faz Exercícios G RAFIA E EMPREGO DE A CERCA DE. aconselho-te a leres este artigo. ele descansava.

102 Empregue adequadamente os termos: acerca de. bem. mas depois constatamos que era simplesmente uma espécie rara de predador. em termos. a saber: • O professor Luiz Antonio Sacconi. em princípio. a princípio. O próprio dicionário deixa o significado mais claro no verbete ‘tese’: "Em tese.. Em princípio não estamos interessados em vender esse imóvel. A princípio eu não sabia de nada. Depois. d) Os alunos gostaram de assistir ao filme --------------. logo a princípio. c) Eu gosto muito de discutir -------------. inicialmente. entre outras acepções. além de "preceito moral. antes de tudo. • G RAFIA E EMPREGO PRINCÍPIO DE EM PRINCÍPIO E A . a cerca de ou há cerca de: a) Como sinto saudades! ----------------. que se tratava de um animal pré-histórico. . começo. de entrada. opinião que o espírito admite como ponto de partida".de questões relativas à cidadania." . Com as preposições a e em forma locuções distintas.de dois metros da sua casa.. a princípio. conforme Aurélio: "Antes de qualquer consideração. Em princípio e A princípio O termo ‘princípio’ se refere tanto a "origem.da história sobre a Mitologia Grega. / Todo casamento é. 1979). lei". no começo. • Pensamos. foi surpreendida pelos marginais. de início. uma verdadeira maravilha.a princípio: à primeira vista. em teoria.de vinte minutos para aplaudir ao espetáculo. antes de mais nada". De acordo com o que se supõe. de modo geral. • Vais assistir ao filme Bossa Nova conosco? – Em princípio. no seu livro "Não erre mais" (Ed.em princípio: em tese. vou. mas dependo da confirmação de outro compromisso. de começo [ou na gíria: "de cara"]. estréia" quanto a "convicção. mas um dia ela me contou tudo. depois é o fim. teoricamente.de dois anos que não o vejo. em teoria". b) Quando Márcia estava ----------------. primeiramente. e) A multidão começou a se formar --------------. modo de ver. Moderna. regra. exemplifica de forma jocosa essa diferença: "Em princípio todo casamento é uma maravilha.

conseguindo chegar até a Homônimas (perfeitas): são palavras escritas e pronunciadas de modo idêntico. A ESTÓRIA DO BURRO QUE NÃO ERA HISTÓRIA Texto adaptado por Jacqueline Andrade . Por isso. Porém. que o burro já estava muito velho e que o poço já estava mesmo seco.Não chegou a se ferir por conta do incidente. esperto e experto. seda e ceda. OUTRAS PALAVRAS HOMÔNIMAS PARÔNIMAS E enquanto o cavaleiro pensava no que fazer. mas diferentes no significado: coro e couro. deixou de expiar. olhou estático para o fundo do poço e. para surpresa de todos. Russo foi chamar seus vizinhos todos ruços a fim de ajudá-lo a enterrar vivo o burro. E. olho e o(ó)lho. o descargo. e chorou esbaforido e espavorido.102 Há cerca de um ano. O burro intimorato não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele. mas diferentes na escrita e na significação: conserto e concerto. b) Homônimas Homógrafas: são aquelas diferentes na pronúncia (timbre fechado e aberto). mas diferentes nos significados. o burro quietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou. em pouco tempo.que caiu num poço. mas iguais na escrita: colher e colhe(é)r. todos puderam espiar como o burro. Assim. Finalmente. O camponês. Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro do poço. não valia a pena se esforçar para tirar o burro de dentro do poço. e nem podia mais sair dali por seus próprios meios. extático. Podem ser: a) Homônimas Homófonas: são aquelas iguais na pronúncia.Portanto. as Parônimas que são palavras parecidas na escrita e na pronúncia. osso e ouço. surpreendeu-se com o que viu. A cada pá de terra que caía sobre suas costas o burro a sacudia. o cavalheiro tomou uma decisão cruel: concluiu o desencargo. mas não balançava a cauda e seu suor parecia calda. precisava ser tapado de alguma forma. houve um acidente com o burro de um camponês. o animal chorou cerca de duas horas fortemente naquele estádio. finalmente. finalmente. dando um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão.

Há cerca de – perto de ou faz perto de (= tempo decorrido). Ascender – alçar(-se).. Afim – que tem afinidade.aceitar (alguém. todo o tipo de terra. Acessório . parentesco. Acostumar – contrair hábito. Use a terra que te jogam para seguir adiante.Ame mais afim de. Principalmente se você já estiver dentro de um poço. refinado. por costume. O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e ascender sobre ela. Adotar . opinião). tom de voz. favorecer. doutrina.102 boca do poço. Absorver – consumir. superfície ou coisa sobre a qual se senta. ingerir. esmerado. beneficiar. Costumar – ter por hábito. Absolver . Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para cima.. o mau da vida é viver 5. A vida vai lhe jogar muita terra. desvendado. Aferir – avaliar.sinal gráfico. Preito aos vencedores. adicional. mover(-se) fisicamente para cima. Recorde as 5 regras para ser feliz. ligação.lugar.Liberte o seu coração do excesso do mal 2. realce de uma sílaba (ou palavra). Auferir – colher. ferro temperado. Assessório – referente ou pertencente a assessor. aproximadamente. com a finalidade de.que não é fundamental. Cerca de – por volta de. a respeito de.conceder dote a.inocentar. averiguado. julgar por meio de comparação. aspirar. 1. passar por cima da borda e fluir dali válido e fruir de ter sido valido. Apurado – seleto. Assento . perdoar (alguém ou a si mesmo). Acento .Liberte a sua mente do pleito 3. A fim [de] – com intenção ou vontade de. Acerca de . adaptar(-se). idéia.Siga sua vida intemerato 4. Aço – liga de ferro e carbono. Acurado – feito com muito carinho. Asso – primeira pessoa do indicativo presente do verbo assar. Acender – atear ou pegar fogo. semelhança. obter ou receber vantagens. Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. em torno de. Dotar .Dê mais e espere menos. alumiar.sobre. assimilar. Devemos acender todo pensamento negativo. .

devasso. Cela – pequeno quarto. elevado.fiança. cantiga. dados estatísticos. Assuar – dar vaia em. Câmara – local onde se reúnem os deputados. Calção .desempenhar um papel como ator (em). Assoar – limpar qualquer secreção nasal. Senso – juízo claro. má sorte. peça processual. parte posterior de avião ou de aeronave. penhor. esquadrão. Cassar – anular. captar. Câmera – aparelho que capta e reproduz imagens.apertar com arrocho. enroxar(-se). Azar – infortúnio. Sela – arreio (peça de couro posta sobre o lombo da cavalgadura). Az . Calda – líquido espesso e viscoso.102 Agourar . discutir ou ajustar o preço [de]. atar(-se). Atuar . Amoral – pessoa destituída de senso moral. pressentir. Apressar .ato público. Censo – recenseamento. Seleiro . Ária – canção. Arteriosclerose . mandatos. encilhar.carta de jogar. garantia de pagamento.prever [algo] (sobre si mesmo ou alguém). libertino. Arriar – abaixar.galpão. Aterosclerose .fazer prognósticos (sobre). revogar (direitos políticos. Celeiro . espécie de molho.). agir. raciocínio. Cavalheiro – homem educado. à decência. Ás . Caução .apressado. apertar(-se) muito. Augurar . Acelerado .impor maior pressa. Caçar – ir ao encalço de. Auto . processar. Celerado . Arroxar [arroxear] – tornar(-se) roxo ou semelhante. perseguir animais ou aves. selar .tipo de arteriosclerose (depósitos de gordura). pressagiar.de grande extensão vertical. qualquer cômodo de reduzidas dimensões. . Cauda – rabo.prover de asas. Imoral – contrário à moral. campeão. Alto . depósito de provisões.aquele que cometeu ou é capaz de cometer crimes.que faz sela.divisão de um exército. licenças etc. melodia. Área – superfície. arreio. peça teatral de um ato. compreender. Autuar . apupar.calça curta. Cavaleiro – aquele que sabe andar a cavalo. Arrear – pôr arreios em (cavalgadura). acaso. Apreçar – perguntar. xarope. Apreender – assimilar mentalmente. Asar .processo de endurecimento das artérias. Aprender – instruir-se. Arrochar .lavrar um auto de infração contra (alguém). fazer descer o que estava no alto ou suspenso. acelerar o ritmo de uma ação. adquirir conhecimento.

Cível . Chá – bebida. qualidade de discreto. dirigente árabe.distinguir. Cozer – cozinhar. Serração – ato de serrar. Sessão – espaço de tempo em que se realiza uma atividade ou parte dela. Civil . Séptico .desfazer um engano ou uma ilusão. Comprido – longo. Descrição .desfazer um mito.cidadão. circunstância. rebaixado. Cerração – nevoeiro denso. Degredado – desterrado. disparato. Discriminar . reunião. Desconsertado – desarranjado. Custear . Cheque – ordem de pagamento. Deferir – atender. Desmistificar . Conjetura – suposição. ato de cumprir. Sexto – ordinal de seis.relativo ao sexo. Cessão – ato de ceder. Xá – título do ex-imperador do Irã. Bispos). exilado. Xeque – lance de jogo de xadrez. Cumprido – particípio do verbo cumprir.empregado. Discrição – reserva. Consílio – assembleia. conselho. repartição. Diferir – distinguir-se. Concílio – assembleia ou reunião de eclesiásticos (esp. Degradado – estragado.inocentar. Cinta . expor. aos sentidos. Coser – costurar. Desmitificar . Cervo . comissão.do direito civil. Cidra – fruto. hipótese.recipiente de madeira. Descriminar . aviltado. Cocho . conceder. Sinta . Conserto – reparo.lugar de guardar mantimentos. Servo .102 Censual . Seção ou secção – corte. acordo. execução.que causa infecção. Céptico . Comprimento – extensão. Sensual .que duvida ou quem duvida. servente.animal. . ser diferente. Despensa . Conjuntura – situação.relativo ao censo.subjuntivo presente e imperativo do verbo sentir. Costear . adiar. Dilatar – alargar. de cortar. Sidra – vinho de maçã.tira de pano.ato de descrever.navegar pela costa. Delatar – denunciar. Cerrar – fechar. Cumprimento – saudação. manco.pagar custos. Desconcertado – descomposto. Cesto – balaio. divisão. Coxo – capenga. Serrar – cortar. Concerto – sessão musical. ampliar.

ato de emitir. inteligente. linhagem.apavorado.perito.resumo. Espectador . Instância . lei (do executivo ou legislativo). acordo. Eminente .cobrir de estofo.admirado. Destinto . Espiar . rescindir. assustado. licença. Imigrar . Eludir .ordem judicial.enganar. Extremado – extraordinário. essência. Estufar . Extirpe .).isenção.raiz.flexão do v.permanência de veículo.particípio de o verbo explanar. insultar. Expectador .vir à tona.fazer poças.ato de imitir. Estirpe .osso dianteiro do peito. Expiar .não percebido. Estremado – demarcado. Espavorido .que ensina. Estadia . Esterno . . Emergir . Estada . Estofar . Estrato . pasmado.mergulhar. contrato etc.102 Dispensa . Empoçar .desfazer (trato.decreto.o que tem expectativa ou que está na expectativa.que aprende. Esplanada . espionar. Discente .lançar fora de si. Extático .evitar com destreza. ilustre. Imergir . despreparado. não notado.ativo. Extasiado – arrebatado. urgência. Estância . cansado. vivo.observar. Empossar . anular. Externo . desatento. Despercebido . célebre. ®Sérgio.desbotado. Experto . Distratar . Emigrar .permanência de pessoa. fazer entrar.desprevenido. Édito . entendido (expert). distraído.meter em estufa.morada. Distinto – diferente. imóvel. prestes a acontecer. Emitir .sofrer castigo. pôr em circulação. Esperto . elevado. Iludir .dar posse. Estasiado – ressequido.terreno plano.fazer entrar.entrar num país estranho para nele morar. Emissão .notável. Estático – firme. Extrato .que está por fora. Destratar . Esbaforido – ofegante.jurisdição. Iminente – próximo. Edito .sair da pátria. Docente . Imitir .tipo de nuvem. desprovido. extirpar. Desapercebido . Imissão . Explanada (o) .descompor oralmente.o que observa um ato.

manifestação de veneração. grave. Providência .desvalorização do dinheiro. Fragrante . Recriar .aplicar pena ou castigo.colocar no forno. imprudente. endireitar. sem juízo. Fluir . Infligir .arma de fogo. desfrutar prazerosamente. Preito . não respeitar. visto (ou registrado) no momento da realização.ponto onde duas linhas se cruzam. Procedente – proveniente.violação. desbotado.peça de instalação elétrica e/ou eletrônica. oriundo. Ruço – grisalho. faculdade de ver antecipadamente (previsão do futuro). Passo – marcha.da Rússia. Fusível . Pião .transgredir.ignorante. insustentável.que exala bom odor. Prescrição .intensidade.do verbo profetizar. Peão . Profetiza .ato de interceder. que está no começo. Mandato . aromático. desajustado). porém grave. Pleito . Infringir . violar. Inflação .ordem expressa. raça de cães da china. Enfornar .qualidade de pequeno. Acidente . força. Previdência.que inicia. Intercessão . Mandado .criar novamente. Inserto .divertir.natural ou habitante de Pequim.inserido. Incipiente . plebeu. Intensão .correr com certa abundância. expulsão. Preeminente – nobre.período de permanência em cargo.colocar na forma. episódio. Informar .palácio real ou episcopal. Interseção .feminino de profeta.. Paço .102 Flagrante .a suprema sabedoria atribuída a deus. Pequenez . incluído.antecedente. Pequinês . Fuzil . Ratificar .gozar.saliente (no aspecto físico). .espécie de brinquedo de madeira. expansão. Recrear . Proeminente . transgressão.eliminação. ignorante. de respeito etc. Enformar . principiante. Retificar – tornar reto (o que está torto. perfumado. Profetisa .transmitir conhecimento. emanar. distinto. Infração . Incerto . Fruir . Precedente .ordem judicial.que anda a pé. Russo . Incidente – acontecimento imprevisível.duvidoso. Intenção – propósito.acontecimento casual. peça de xadrez. quem lida com boi.escolha de pessoa para ocupar um cargo (um posto). homenagem. Proscrição . disputa. Insipiente .evidente.confirmar.

som agudo do vento... defeito.. Devemos uma. Suar ..senso) 6..atravessar (rio) por onde dá pé.. Os direitos de cidadania do rapaz foram. etc...criada.....forma verbal: que eles viajem.fêmea do cervo.... A Marechal Rondon estava coberta pela....viver na vadiagem.. atacado de vultuosidade..de justiça. Zunido ...quantia ao banco.dar origem a..... ocorrência de eventos sucessivos idênticos......numeral correspondente a seis. Surtir . Cerva ...transpirar... Vês – segunda pessoa do presente do indicativo do verbo ver.... Treplicar .. Zumbido .....a despensa de alimentos........................vermelho......escrever sobre... nódoa.....102 Serva .pelo governo. preço de um serviço público.. O..... Exercícios Preencha as lacunas com um dos termos entre parênteses: 1.... Sortir – abastecer(-se) (de produtos... provisões etc.. ocasião.. Viajem . Em tempos de crise.... mercadorias. vivaz..sussurro de insetos alados. A próxima.. Soar .experiente.. enorme.. César não teve....... Vívido – ardente. (acentos .... (mandadomandato) 4.. Taxa ... inchado..... réplica.. Tacha .... (cerração ... produzir (efeito ou resultado)... sujeira... Subscrever [subscritar] ... de grande vulto..... Vadear ... (sortir -surtir) 2.. (censo .cassados) 3....assentos) 7. (seção sessão) ........ Cesta ..imposto... Sexta .. (caçados .. .começará atrasada.. é necessário..assinar.. provocar. Todos os. Vez – momento....volumoso.. (vultosa vultuosa) 8... Vivido ... vagabundear...... Triplicar ........ Vultoso .)........ lavar a vida de vadio.. Viagem ...... Sobrescrever [sobrescritar] ....produzir som.multiplicar por três..substantivo: a viagem.dos senadores é de oito anos.. escrava. Sesta ...responder (a uma réplica)..haviam sido ocupados. ®Sérgio... pequeno prego....... endereçar.. Vadiar .serração) 5.descanso depois do almoço.marca de tinta.. Vultuoso .utensílio de vime.. aquela que vive em estado de servidão.

. mas havia hostilidade entre eles....................... Segui a..mate ao gerente.................. (dispensa .. (tráfego .........imergiu) 15.........serão vendidos.... A nuvem de gafanhotos . (intersecção .............(despercebido desapercebido) 13.cessão) 24...............(celas ......................no Congresso............................pretas....... mas não obtive resultados.. É um senhor...acender) 31....imigrantes) 16................ 19.. sem fundos.... ( eminente ... dos direitos da emissora foi uma das tarefas do governo..... (infestou .destinto) 25.... A chegada do................ (discriminação . (seção ..............japoneses chega-ram a São Paulo nas primeiras décadas do século.......... (acidentes ............ Dei o .. Para passar..............-.............selas) 32... Na..... Ali............... Após o bombardeio. (listas listras) 35....... ...quanto custava aquele aparelho......... A......................................iminente).....que um................ Estava muito........... precisava ....... Após anos de luta............ Nas festas de São João é comum ........................ (recreados ..... houve uma colisão.... Não há........comprimentaram) 10......... Alguns modelos..... consegui a .....das avenidas.......xeque) 26................ (destratados ........................médica..incidentes 21.mais das lições.... de eletrodomésticos.............. era formado por doutores. (emergiu.se........ Não costume .. A bandeira de São Paulo tem... Todos eles............ por causa do.a plantação.............. Vários.................(distinto ..102 9.concerto) 28............. ....intercessão) 11..............para.............pelos anfitriões......................... ( apreender -aprender) ................................. (apreçar .. (docente..................... diplomata era..... (cumprimentaram ............................tráfico) 12. (emigrantes ......................... (conserto . há uma grande liquidação....... na...........discente) 20. O............. (seção -cessão) 23............... o navio atingido........prescrição) 33........descriminação) 17....de raças naquele país....................... (cheque .............. O corpo..................... Houve alguns... (ascender ....... As pessoas foram recolhidas a suas. Quando Joana toca piano é mais um...fluem) 29.... (fruem .....recriados) 34..... (infligir infringir) 14. Fomos....enfestou) 27......balões e vêlos. .....distratados) 22..no final do dia estava insuportável...... (proscrição ...apressar) 30.. O marido entrou vagarosamente e passou................despensa) 18......as leis..o prazer da bela melodia.........

.... conforme convier: . Não faças __________ a ninguém. ________não. preciso descansar.......sédulas) 38.... todos me procuraram.... A) B) C) D) É ______________ de sairmos... .... Era aluno esforçado ________________ : para ele.. Ocupava seu tempo ____________ lendo. Meu relógio _____ dá a________ certa.... os mexicanos dormem... (incipiente .. Senhor. Isto é ________________ sem cura... 2........de cem dólares.. os _________________ esperarão a sua vez...suas culpas. 7.. ϑ) Gosto ____________ de meu trabalho........102 36... _______ não.. O réu. 3..... 5... bastante. Um amor ______________é sempre perigoso porque faz sofrer ________. Ele morreu porque sabia____________. 2) Use demais ou de mais..... 1.. (xácara . Percebe-se que ele ainda é meio. 3) Preencha com mau ou mal. É o estudo que ____________ me preocupa..espiará) 37..... Encontrei uma carteira com .. eu também saí... _________cheguei....medieval............ Remédio algum servia para a cura de seu _____________... 4..... Iremos à....para lermos deliciosa... Estás muito ________________ informado.. Comprei livros __________ e agora não tenho onde guardálos.. pois não tem prática de comércio........ Quem é ____________ vive sempre triste..... logo... Estou com dinheiro_____________.. Na hora da...chácara) 39..... além disso De mais (locução adjetiva) = antônimo de de menos UM POUCO MAIS DE EXERCÍCIOS 1) Complete as frases com hora ou ora.insipiente) Α) Β) Χ) ∆) Ε) Φ) Γ) Η) Ι) Demais (advérbio) = muito.. Livrai-nos do ____________.. (expiará . (cesta-sesta) 40.. estudar muito era nada______ . _________________ saíste. 8.. Essa garota é linda _______________.. Estudei __________________ .... Procedeu ___________ .... foi punido.. Vocês dois podem sair agora... 6.. Num dos lados da rua havia casas ____________________ ... 9. (cédulas .......

Ontem acordei de bom humor. 3. __________________ entende as coisas. Encontrei. 1. A cidade fica ________ poucos quilômetros daqui. 1. 4. usando a. De hoje _______ três dias sairá publicada a concorrência. Daqui _________ tempos haverá novo curso. 11. De hoje ________ três dias sairão os resultados. O auditório estava repleto ___________________ de duas horas. conforme convenha. aproximadamente. Mal (se o contrário é bem) . 2. 3. 2. Lutamos hoje _________________._________ no parque. 2. 9. 5. Fiquei em boa situação. Quem não lê. afim (= que tem afinidade). 2. 4. Fiquei em _______________ situação. Nossos interesses são____________ . Comentou-se muito _________________ de ecologia. Hoje acordei de ___________________ humor. Como são pessoas __________________ . ____________ sempre descontentes da vida. 7) Complete as lacunas substituindo a palavra em destaque pelo seu antônimo. 6. Está na cidade _________ três dias. 8. 7.102 10. A fim de (= para). . Daqui __________ pouco sairemos do zoológico. ________________nos associamos.que nossos filhos vivam melhor amanhã. de repente. vão ao juiz __________ se casarem. 4) Preencha adequadamente as lacunas com acerca ou há cerca. à ou há. Daqui _____________ tempos haverá novas provas. mau (se o contrário é bom) 6))Complete as frases abaixo com uma das expressões. 3. 10. por isso (sempre separados) 1. O carro estava sem gasolina_________________ parou . ______________ cerca de vinte pessoas _________ espera. ______________ de dez oradores falando _______________ de poluição. 5) Preencha as lacunas adequadamente. _________ pouco sairemos do zoológico. 1.

18. 16. _____________ ele não cresce. ___________ parecem ____________ velhas. 13. O futuro ______________ anseias está próximo. 5. 8) Complete com mas ou mais. por quê. Cheguei ________________ cedo. O mar parecia furioso. por ________ que eu faça. A diretora quis saber ______________ meu irmão se atrasara. porque (resposta / causa/ justificativa) porquê (substantivo = o motivo) por que (= pelo qual) por quê (final de frase interrogativa) É esperta do que a outra. 6. 10. Pergunto ____________ razão vieste tarde. 4. 8. por que. 4. 1. 3. ________________ continuava pobre. _______________ não me visitaste mais? Tu me delataste _____________________ ? ___________________ me abandonaste? . 9. 10. O mar parecia furioso. __________________ tivesse medo. Eu. O professor perguntou __________________ razão eu não viera ontem. 2. 6. 21. Ele trabalhava muito. ___________ . ______________ estava belo. 7. 12. Ninguém o atendia ___________________ exigia soluções impossíveis. 19. 1. ____________ ele não cresce. 8. 9. 20. porquê. Caí de bom jeito. Ninguém o atendia _________________. Foste com eles _______________? Sabes ___________________ caminhos deves andar. 17. _______________ não a engana. 3. conforme convenha. __________________ viajaste? _______________ choras sem razão? É nobre a causa __________________ lutava. Antigamente estudava-se _________________. Isso é bom olhado. 15. 4.102 3. Ignoro as razões ___________ saíste cedo. 6. 5. São ______________ novas. 2. por _______ que eu faça. Isso é ________________ olhado. não de ________________ jeito. 14. Não sabes __________________? Não sabes o _______________________ da dúvida. Dou-lhe muita vitamina. não participei. Tenha _________________ amor e menos confiança. Foi tragado pelas águas _____________________ não sabia nadar. Teve boa educação. 5. Quem poderá conhecer o ______________________ das coisas? Descobri ________________ motivo vieste tarde. porém fez _____________ -criação. Tudo foi bem entendido? Não. 7. 9) Empregue adequadamente porque. não desconfie de mim. não participei. 11. Não é ________________ diretor. houve um ________________ -entendido.

A jovem sorriu REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL Intransitivo Não (V. Não fui à aula _________________ chovia. o verbo Há e seu que Verbo viajou. Tem significação incompleta. Eis ________________ não houve o curso. tem significação Eu sou amigo do liga o rei. 5. 23. tu _____________ a doente. complemento constitui verbos dispensam a preposição e outros a exigem. cidade parecer. _________ por outra. São eles: ser. ção Verbo Ligação (V. A calma. 26.) satisfeita. Gostei. Amanheceu. acompanhado do sujeito.) de Não própria. Observe quadro abaixo: 10) Complete com vês ou vez Classifica 1. (de .I.L. Característica Exemplos Apenas sujeito ao seu predicativo. Presidente adverbiais ou de predicativo O A relação de dependência a regência entre verbal. Não sei qual foi a última ______________ que estive com você. Chegou sua ________________ de falar. 25. 2. É importante que você conheça a classificação dos verbos quanto à predicação. sentido de estar) Verbo permanecer e andar (no permanecia Tem significação completa. precisa Pode de de estar adjuntos complemento. para que entenda a regência verbal. 24. Deve haver um ________________ para o seu gesto. estar. Como ______________ de falar.102 22. Gostaria de conhecer o ________________ de tudo isso. ficar. ____________ por que há tanto exercício errado? 3. Não sei _____________ não houve o curso. 27. 4. São esses os ideais ________________ tenho lutado.

trás sem para . complemento.T. Seria oportuno recordar o que é preposição e quais as palavras que pertencem a esta classe gramatical.até .D. complemento Direto Indireto (V.) e objeto indireto.D.com . objeto direto Gosto Necessita Indireto (V.após . Não podemos dizer “gosto teatro” porque o verbo gostar exige a preposição de.T.I. * As que estão em negrito aparecem geralmente com os verbos transitivos indiretos V. objeto direto VTDI O. complementos. O.desde .por de . sem o de auxílio um de Esse complemento que a ele se preposição. a . estabelecendo entre elas uma relação de dependência.T. precisa de um quê?) Assisti.I) liga com de auxílio um política. a Você observou que alguns verbos precisam de uma preposição para ligar-se ao seu complemento. Necessita e indireto de dois O. complemento chama-se de O.D.entre sobre .T. V. Vejamos: Preposição é a palavra invariável que liga duas outras entre si.sob . de São preposições essenciais: Mantenha ordem.102 Transitivo isto é.I.contra perante .I.D.D. Ex: anel de ouro.per complemento que a ele se preposição.) liga.em .ante .I. de Esse chama-se O povo deu-lhe razão.T. (a quê?) Assinei (o quê?) Necessita Direto (V. . Trata-se de um verbo transitivo indireto.

(a + aquele) Informar Cientificar Circunstâncias expressas pela preposição Todos eles admitem duas construções: informar alguma coisa a Tempo: A dois de dezembro. Dizemos que há combinação. Ex: Gostei da peça. (a + o) . Ex: Assisti ao filme. Lugar: Moro em São Paulo há vários anos. Argumento (ou assunto): Falava sobre política. Avisar Comunicar Notificar Nas comunicações escritas. Oposição: Quem estiver contra mim retire-se. alguém ou informar alguém de (ou sobre) algo. quando a preposição Causa: Morreu de enfarte. (de + a) Assisti àquele espetáculo. Regência Verbal conserva-se inalterável. Fim: Estudo para vencer. São eles: Matéria: Vendem-se facas de aço inoxidável. algumas podem combinar-se ou contrair-se com outras palavras. há um grupo de verbos que estão sempre presentes. Exclusão: Compareceu sem o amigo Há contração quando ela perde um fonema. Dentre as preposições.102 Modo: Agia com bom senso. Companhia: Estava com o gerente quando ocorreu o assalto. nascia nosso herói. Instrumento (ou meio): Feriu-o à bala.

. Venho informar-lhe que.. em seguida.” (lhe = a ele) (lhe ... O verbo transitivo indireto não admite voz passiva.. “que as duplicatas... dois complementos: objeto direto e objeto indireto..nos. a v..” é a oração com função de objeto direto). deve-se empregar.D. tem a função de objeto indireto). Venho que.. Outra maneira de expressar a mesma idéia seria: “Informei-lhe que as duplicatas. Incorreto Venho informá-lo que.. não é possível o emprego da preposição de ou sobre.I. Informo a V. Não é próprio da norma culta dar um único complemento a verbos de regência diferentes.Sª sobre. Observe: “Informei-o de que as duplicatas estavam com o contador da empresa”.. Altas posições são aspiradas por todos.. Informo a V. São incorretas frases do tipo: Assisti e gostei do filme. Pelo menos uma preposição deve estar presente. Observações importantes 1.102 Exigem. Informo V.Sª que.lo .Exª.T. Não são aceitas pela norma culta as construções: O filme foi assistido por nós. (O pronome o exerce a função de objeto direto.). .objeto indireto.. a V. Deve-se dizer: Assisti ao filme e gostei dele ou (Gostei do filme a que assisti) Lembre-se de que quando se usa: lhe. Quando se usa: o . portanto.Sª..Sª de que. e a oração de que as duplicatas estavam. São verbos transitivos diretos e indiretos (V.. as preposições de ou sobre.. Informo V. É preciso cuidado ao empregá-los para que não se usem dois complementos iguais quanto à função sintática..Sª que.... informar-lhe de Venho que. Correto informá-lo de 2..

nas. Nele estão os verbos que apresentam regência especial. 5.T. nos nas) funciona como objeto direto. 4. é preciso que o pronome obedeça à regência do verbo do qual é complemento.) = dar O Departamento médico assistirá assistência. a (V. Enviei-lhe o telegrama. a eles.I. Aceitam apenas as formas tônicas: a ele.) = Presidente.) = Aspirar desejar. O Ministro assiste em Brasília. no.T. Assistir a (V. O pronome oblíquo o (o. competir Assistir em (V. Estes são os processos a que me refiro. lo.) = almejar. O pronome relativo pode funcionar como complemento do verbo. Assistiu ao filme? .T.I. Preciso encontrá-lo. as. aspirava à posição de gerente. aspiro a ela.I.T. assistir no sentido de presenciar.I. a ela. las. Aspirar respirar Verbos (V. a elas Aspiras à promoção? . ao passo que o pronome lhe (lhes) funciona como objeto indireto. Os verbos aspirar no sentido de desejar. Naquela época.D.Sim. os. Assistiremos às solenidades e ao desfile militar. Nesse caso.102 3.) = É um direito que assiste ao Assistir presenciar a (V. pretender Assistir (V.Sim.) Exemplos = Aspirar o ar poluído das grandes metrópoles é prejudicial à saúde. assisti a ele. Visitei-o no hospital. apesar de serem transitivos indiretos. los.T. não aceitam os pronomes lhe (lhes) como complementos. . os funcionários da empresa. Observe o quadro. socorrer ajudar. São estas as verdades em que creio. caber. la. visar no sentido de ter como objetivo.D. As empresas de saúde negam-se a assistir os idosos.

) numa conturbada notificar.I.D. alguma coisa a outra Obs. Informei-lhe o ocorrido. o . = (HÁ dois objetos indiretos) O motorista que obedece à sinalização evita acidentes. / / Perdoei-lhe. Perdoei Paguei ao agressor. Retornou a São Paulo.D.T.T. cientificar. minhas Paguei-as.D.) = ser Custou-me acreditar no fato. comunicar) Informei-lhe do ocorrido. alguma coisa a alguém. custoso Custou ao jovem tomar a decisão. sobre alguma coisa) (A mesma regência para os verbos avisar.: na língua culta.Ir a Retornar a .) Informei o ocorrido aos verbos que Pagar Obedecer a (V. assessores. Informar alguém de (ou Informei-os do ocorrido. apresentam objeto direto relacionado a coisas e objeto indireto relacionado a pessoas. Perdoei a ofensa.102 morar Assistimos cidade.I. Informei-os sobre o ocorrido.T. Informar (V. Vou a Curitiba. contas.T. / Paguei-lhes Preferir (V. / Agradeci o presente.T.Subir a Vir a . / Agradeçolhe. telefonoua me imediatamente.) Preferimos correr o risco a ficar aguardando a decisão do juiz. Desobedeceu regulamento. Agradecer/ a alguém São Custar a (V.) algo Agradeci-o.I. Agradeço a você.T. / ao exigem preposição a Chegar a .I. / Perdoeia.I.) Desobedecer a (V. Verbos direção que indicam Chegando à Secretaria.I.Voltar a Perdoar (V. Eles virão ao Brasil no próximo mês. Paguei aos meus credores. Cuidado com o erro: advertir.

acarretar. Responder a (V. Respondemos às . Visar o implicância.I. esse verbo tem dois sentidos: a) dar a entender.T. Proceder a (V. provocar 2) Como transitivo direto e indireto.. eleições para (V. antipatizar. significa comprometer.D.102 verbo "preferir" deve ser usado sem termos tais de intensificadores. Solicito de V.I.D.D.) = Quero-lhe muito..) Respondi ao meu patrão.I.Sª a fineza de Implicava com quem não trabalhasse arduamente. gostar Solicitar (ou de alguém) (V.D. mil vezes.T. A ênfase já dada pelo no prefixo próprio existente verbo (pre).T.T.I. Liberdade de escolha implica amadurecimento político de um povo.) = Queremos Presidente. estimar.) = animal. mirar Visar a (V.) Implicar (V.) = pôr o Visar o passaporte.T.T. fazer supor. antes. Transportes procederá fatos. trazer como consequência. Visar (V.) Solicito a V. mais.I. vezes. Visar ao poder.T. indireto e alguma coisa a alguém remeter-nos o processo nº. pressupor b) Ter como consequência. envolver Obs.T. Querer desejar Querer a (V. é transitivo preposição "com".) = O dar início Departamento à análise de Públicos dos Como transitivo direto.Sª concessão de férias aos motoristas. como: muito.: no sentido de ter rege com Suas atitudes implicavam um firme propósito. é um milhão visto. Implicaram aquele jornalista em questões econômicas.

em A informação constante de fls. Respondeu-lhe à altura.102 perguntas. O presidente fez alusão às iniciativas do Ministro. Simpatizar Antipatizar (V. Considero-me apto para as provas. condenam os políticos que governam para uma minoria privilegiada. para Alusão A sociais.T. adjetivos e advérbios) podem apresentar problemas de regência. . por Constante de. por Era ávido de fama. Desconheço as provas com apresentadora. apresentamos a seguir uma lista de palavras acompanhadas de suas preposições mais freqüentes: Constituíd o de. constantes no processo. Um (por) grupo constituído de cinco elementos realizou o estudo. Nome Preposiç ão Alienado De Alienado dos problemas Exemplos Contempo de. Alguns nomes (substantivos. só pensava em si. 88 esclarece o assunto. utilizaram todos os meios possíveis.) e Antipatizo Simpatizo com com aquela Apto os que a. Sentia-se apto a manejar o barco. a râneo Meu avô foi contemporâneo de Machado de Assis. Ávidos por assumir o poder. Ávido Regência Nominal de. principalmente aqueles que admitem mais de uma preposição. Embora esses problemas só possam ser resolvidos a contento mediante a consulta a um dicionário especializado.I.

. da Liberdade. Era preferível viajar do que ficar aqui. Residente. residente na Avenida Paralela Com A Rua 24 de Maio é paralela com a Barão de Itapetininga situado à Rua dos Trilhos.º 4. com Foi eleito deputado por um movimento à 1ª Os adjetivos residente. supermercado situado dos Trilhos. que habitualmente são empregados com a preposição a. Deputado. Em Sito. Sua conta bancária era vinculada à da esposa. Morador Transvers al Vinculado A A Francisco dos Santos. Por Senador Habituado a. residente na Rua das Flores.. Atenção! . situado. morador à Rua da Independência n. nº 500. adquiriu o imóvel sito na Av. Garcia. O prêmio foi concedido a Joaquim de Morais. preferível. 74. devem estar sempre seguidos da preposição em (ou em + o = no ou em + a = na). do contemporâneo Pernambuco. há um ponto de táxi. proprietário do supermercado Celso 24. Na rua transversal a esta. Os 649. proprietário na Rua 24. Errado estavam João Rodrigues.. residente à João Avenida Celso Garcia.102 Foi Guerra. morador. Era preferível viajar a ficar aqui. usuários habituados a utilizar a linha 74. a Joaquim de Morais.º O prêmio foi concedido 4. Situado. morador na Rua da Independência n. Preferível A Era preferível morrer a entregar-se.. Certo Rodrigues.

b) A moça perdoou a indiscrição do colega. d) Ali as pessoas aspiravam à fama. d) Irei na sua casa logo mais. hoje é meu amigo. d) Perdoemos aos que nos ofendem.Belo Horizonte. 4) Marque o erro de regência verbal. d) O cargo que tu aspiravas já foi preenchido.. há uma com erro de regência verbal.. a) Pagarei... (ao) 7) Está perfeita a regência verbal somente na seguinte alternativa: a) A festa que ele compareceu foi ótima. d) Está lá fora o homem cujas ideias jamais acreditei. d) Não deixe de assistir àquele jogo. (a) b) Naquela época. Assinale-a. (com) d) Quando morava no campo.. c) A empresa por que ele tanto se esforçou acabou falindo. 9) Está correta a regência da frase: a) O filme que assistimos é excelente. c) Todos visam uma vida de paz. 8) Nas frases seguintes... c) Devemos obedecer o regulamento.o colega. todas com o pronome CUJO. b) O livro que ele gosta muito desapareceu. d) Prefiro este nome àquele que ele propôs. aspirava. c) Antônio deixou de pagar o ajudante ontem. deixou a firma. a) Prefiro estudar que trabalhar..alguns empregados hoje à noite...102 REGÊNCIA Verbal / Exercícios 1) Assinale o erro de regência verbal. b) À cerveja prefiro o leite.. por cujas atitudes não me responsabilizo. b) O emprego que aspirávamos era apenas um sonho. 3) Aponte a frase que apresenta incorreção de regência verbal. 6) Assinale a frase que não pode ser completada com o que vai nos parênteses. c) O documento que visei era falso. b) Não quero assistir esse espetáculo.. 5) Está perfeita a regência verbal na alternativa: a) O professor procedeu a chamada... c) Luís. meu sobrinho assistia.. a) Ele assistia com carinho os enfermos daquele hospital. b) Ela não pode visar o passaporte. (em) c) Não implique. c) Carlos sempre assistiu em Belo Horizonte.. a) Mário pagou o carro.. b) Paulo... b) Sua permanência implicará grande prejuízo a todos. 10) Marque a alternativa em que ocorre erro na substituição por . 2) Há erro de regência verbal na opção seguinte: a) Aspirou profundamente o forte odor do café. contra cujas idéias sempre lutei.. c) Prefiro leite a cerveja.ar puro e sentia-se bem. a) Esta é a criança cujo pai deseja falar-nos..

. d) Responda às questões seguintes.c 4.a 5. a) O desmatamento implica destruição e fome. c) Prefiro café do que leite.102 pronome átono.b 2.lhe c) o . 12) Marque o erro de regência verbal.c 9.d QUEM ACREDITA ACREDITA EM ALGUÉM!! _____________________________________ _____________________________________ 10. b) Aspiro o ar fresco da manhã.obedecerão. / Visitou-lhe no hospital.. extasiados. Cientifico-.lhe b) lhe .o . os animais _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ .. GABARITO 1. / Obedeci-lhe. e) Os ambientalistas assistiram a uma conferência. correspondendo a lhe.d 7. d) Aspiro o cargo de chefia....o d) o .lhe – lhe 15) ( GAMA FILHO) Assinale a frase em que há erro de regência verbal. c) Paula namorava com alguém daquela família. Na b. / Encontrei-os na rua. ao professor é objeto indireto. b) Eu o quero muito. Poucos. / Toquei-lhe o braço.. o espetáculo.c 3. 13) Há erro de regência verbal em: a) Eu lhe quero muito. c) Jonas reside na Rua das Marrecas.b 6.. a) Assistimos. c) Toquei o seu braço.... e) Assistimos uma peça de teatro.o . b) Alguém está assistindo o doente? c) Aspirávamos o perfume das rosas.c ______________________________________ 8. b) Chegamos na cidade antes do anoitecer. 14) Preencha as lacunas e anote a alternativa adequada. b) Encontrei os animais na rua. c) Nós o trouxemos ontem..entendem.. b) Ali está o comerciante a quem mandei a notificação.. d) Avisei-o de que devia partir.... a) Obedeci ao professor. d) Todos perdoaram ao jovem. Meus irmãos. a) o ..lhe .. d) Visitou a amiga no hospital. d) Todos aspiram à paz. 11) Só há erro de regência em: a) Não sei onde ele será levado..de que a posse foi adiada.d _____________________________________ Letra D Na opção a.

a amiga é objeto direto.a 13 . Na d.102 é objeto direto. 11. Na c. correspondendo a os.a 12.c 14. e não lhe: Visitou-a no hospital. a palavra lhe é adjunto adnominal.a 15. e não objeto indireto. o pronome lhe substitui não o complemento (o seu braço). a substituição é por a. nesse caso. mas apenas o possessivo seu.b Cr ase _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ .

Crase e acento: são conceitos distintos. como veremos na observação seguinte. Acento Grave ( ` ): é o sinal que indica a fusão de dois aa. mas acento grave. Sendo assim. também não há propriedade em ordenar: Craseio o a! Quem sabe verdadeiramente o que é crase. Foi justamente para evitar esse encontro desagradável das duas vogais que se deliberou juntar esses dois aa num só a e marcar a fusão ( ou a crase. não há propriedade em perguntar: _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _________________________________________ __________________________________________________ __________________________________________________ _________________________________ Esse a tem crase? Craseio este a? Nenhum a tem crase. todavia. a contração de dois aa. Nem sempre. mas esse é um caráter excepcional. Ninguém craseia o a: a crase é um fenômeno que ocorre independentemente da nossa vontade. entender essa distinção é fundamental para bem compreender este assunto. como se julgue melhor) mediante o emprego de um sinal: o acento grave. estamos indicando que aí existem a preposição a e o artigo a fundidos. uma crase. aqui particularmente. ainda. ordena: Coloque o acento grave no a! Ou. à fusão. como fazia Camões: “Fui aa escola”. devem perguntar: Esse a tem acento grave? Acentuo este a? Este a é craseado? Observação Antigamente se escrevia “Fui à escola” desse jeito: “Fui a a escola” ou.102 Crase: É o nome que se dá. Não deixe de ler a referida observação. . quando escrevemos um à. hoje só existente para esse fim. simplesmente: Acentue o a craseado! Os que têm dúvida. Assim. o acento no a indica uma fusão. Assim.

indicador da crase. passemos aos dois casos obrigatórios do uso do acento grave. Crase ¹ Acentua-se o a quando. Esse a tem ou não tem acento? É ou não é craseado? Façamos a substituição desse substantivo feminino (escola) por outro. Deram o presente à vizinha. é craseado. aquele a é acentuado. masculino (colégio. e não ao professor. o a dá lugar a ao.102 Fui à escola. e não ao vizinho. Entreguei o livro à professora. grafaremos: . por exemplo): Fui ao colégio Como o a inicial deu lugar a ao. mas ao secretariado. Ex: Fui a escola. ao substituirmos um substantivo feminino por um masculino. Portanto. Feitas estas considerações preliminares. Outros exemplos: Não me refiro à secretária.

não pode haver crase. Suas visões foram semelhantes a as ( = aquelas) que tive 1) Os substantivos femininos terra ( chão firme.102 grafarmos: Depois de tantos dias no mar. chegamos à terra procurada. Fui a casa dela. chegamos a terra. Observações Às vezes o pronome aquela ou aquelas vem representado por a ou as. também pronomes demonstrativos. Não fiz referência a aquilo = Não fiz referência àquilo. Fui a casa. principalmente quando vêm antes do pronome relativo que: Esta revista é igual a a ( = aquela) que li = Esta revista é igual à que li. Você ainda não voltou à casa paterna? 2) O pronome aquele ( e variações) e também aquilo podem receber acento no a inicial. Ex: Não fui a aquela farmácia = Não fui àquela farmácia. Você ainda não retornou a casa desde aquele dia? Vindo tais substantivos com modificador. mas regressei em poucos minutos. cabe-nos . desde que haja um verbo ou um pronome relativo que peça a preposição a. oposto de bordo) e casa (lar) rejeitam o artigo a e. mas regressei em poucos minutos. Não havendo crase. por conseqüência. o a passa a receber acento: Depois de tantos dias no mar.

então: Refiro-me a Lurdes. não se usa o acento grave no a que a eles se antepõe. Ex: Refiro-me a sua mãe. Ex: Refiro-me à Marisa. 5) É facultativo o uso do artigo antes de todos estes nomes de lugar. sendo assim. já que não usamos artigo antes de nomes de pessoas desconhecidas ou não amigas. então. quando se abrevia ou reduz uma expressão que. Holanda. a Rosa.Grafaremos. Inglaterra. 6) Usa-se o acento no a antes de palavra masculina e ainda no plural. Ásia. Conclui-se daí que também facultativo será o uso do acento grave no a que antecede tais nomes: Fui a / à Europa. Faço referência a tua prima. e não à Hortênsia. Sendo assim. o acento não tem razão de ser. Iremos a / à Inglaterra. a Bete. e não a / à Escócia. e não a Jeni. Escócia e Flandres. com as quais não mantemos nenhum relacionamento íntimo ou amigo. e não a minha. Quando se tratar de pessoas com as quais não temos nenhuma intimidade. Suponhamos.102 ontem à noite = Suas visões foram semelhantes às que tive ontem à noite. Ex: Vou à . Ex: Refiro-me a / à sua colega. na verdade. 4) Só acentuamos o a antes de nomes de pessoas quando se tratar de indivíduo que faça parte do nosso círculo de amizades. Espanha. tem início por palavra feminina. que haja alguém de nome Lurdes ou de nome Jeni. etc. indivíduos aos quais damos tratamento íntimo: a Marisa. Faço referência a tua prima. e não a / à Ásia. e não a nossa avó. e não a Lurdes. Faço referência a Jeni. e não a / à minha. Faço referência à Rosa. 3) Antes de pronome possessivo é facultativo o uso do artigo. quando vêm regidos de preposição: Europa. facultativo também será o uso do acento grave no a que a eles se antepõe. África. e não à Bete. França. Pronomes possessivos antecedidos de nomes de parentesco rejeitam o uso de artigo. e não a nossa avó.

os animais ficam à distância de dez metros. quando não está determinada. Ex: Os guardas ficaram a distância. os animais ficam a distância. estudar à noite.) Cheguei à Costumes e não encontrei o delegado. estar à cata de informações. à proporção que chove. Quando a distância é determinada. à moda de ou à . ( = Cheguei à Delegacia de Costumes e não encontrei o delegado ) Crase ² Acentua-se o a que principia locuções com palavra feminina. mais preocupados ficamos. No zoológico. Nas construções: vestir-se à Momo. o a passa a ser acentuado: Os guardas ficaram à distância de cem metros. No zoológico. A única locução que não deve trazer acento no a é a distância. escrever uma redação à Rui Barbosa.102 Homicídios. ( = Vou à Delegacia de Homicídios. jogar à Telê Santana há uma destas locuções subentendidas: à semelhança de. Ex: carro à gasolina.vestir-se à 1930.

comprar à vista. 3) Não se dá o fenômeno da crase (prep. a ) nas locuções adverbiais de instrumento ou nas de modo. matar à bala. à eletricidade. à gasolina. matar alguém à fome. Ex: bater à máquina. à tinta. Ex: Àquela época tudo era diferente = Naquela época tudo era diferente. nas quais o elemento principal é uma palavra feminina. . à chave. ainda. em expressões semelhantes a locuções. por não indicar a ocorrência de crase. Estão todos esses homens à disposição da justiça. À chegada do presidente ouviram-se aplausos = Na chegado do presidente ouviram-se aplausos. à navalha.102 maneira de . Esse acento. à vela. Àquela hora tudo era silêncio = Naquela hora tudo era silêncio. por força da tradição ou da clareza. à pedrada. a + art. obrigatoriamente. Neste caso se usa o acento. mas no a que as principia se usa o acento. daí a necessidade do acento no a. 2) Usa-se o acento grave. Outras locuções do mesmo tipo: á mão. recebe o nome de acento analógico. Observações 1) Algumas locuções adverbiais de tempo são iniciadas pela preposição a. Ex: À entrada da casa havia um aviso: cão bravo. à pilha. atirar à queima-roupa.

Sua camisa está cheirando a suor. Não sou de festa. falei com crianças. indicador da crase. Ex: Creusa gosta de andar a cavalo.102 2) Antes de qualquer nome feminino tomado em sentido genérico ou indeterminado. isto é. Ex: Nunca fui a festa alguma. O prefeito não dá ouvidos a reclamações. de reunião. . em hipótese alguma. O prefeito não se preocupa com reclamações. não devemos usar o acento grave no a. não precedido de artigo. a recepção alguma. impreciso. de recepção nenhuma. Não fui nomeado para coisa nenhuma. refiro-me a crianças. Note que construímos sempre sem o artigo:  Casos que dispensam o uso do acento grave. Não me refiro a mulheres. Esta loja não vende a prazo. Não sou candidato a coisa nenhuma. vago. Não falei com mulheres. Em vista do exposto nas duas regras fundamentais de crase. Ex: Vou a Piraçununga antes de ir a Mojimirim. 3) Antes de nome próprio de cidade. Nunca fui a Brasília nem a Goiânia. Por que não usamos o artigo antes dos substantivos ai vistos? Porque tais substantivos São usados em sentido indeterminado. a reunião alguma. nos seguintes casos: 1) Antes de substantivo masculino.

7) Antes da palavra Dona ( que se abrevia D. Voltei a casa cedo. a qualquer coisa. são anarquistas. Não conte isso a D. quando significa lar (neste caso vem sempre sozinha. Estamos dispostos a tudo. A cena a que me refiro é bastante violenta. Ex. Ex: Entreguei a chave à simpática Dona Teresa. Não me refiro a qualquer pessoa.102 Filipe e Virgílio. cabe o acento. a cuja irmã devo mil obrigações.S. porém a palavra dona vem modificada por adjetivos. 6) Antes de verbo. Ex: Somente hoje o professor se referiu a Maria Antônia. novo congelamento de preços. refiro-me a ela. Não conte isso à querida D. Você entregou o documento a qual das funcionárias? A qual das moças você pediu o favor? Entreguei o documento a S. Ex: . desacompanhada de modificador). A partir de amanhã.). Ninguém ainda fez alusão a Joana d’ Arc. Entreguei a chave a Dona Teresa. Ex: Prefiro morrer a ver isso acontecer. Oferecemos a vocês todo crédito possível.ª Estou contando a V. Teresinha! 8)Antes da palavra casa.ª o que de fato aconteceu. Estamos dispostos a colaborar. Obedeço a toda sinalização de trânsito. Não vou a casa agora.). Dirigíamos-nos a cada pessoa que passava na rua. 5) Antes de pronomes que não admitem artigo: Ex: Não entregue isto a ninguém Darei a essa moça tudo o que ela quiser. Teresinha! Se. Ex: 4) Antes de nome próprio de pessoas célebres.

Os restos do foguete caíram em terra. também usada sozinha. Estive na casa da minha namorada cedo. antônima de bordo. Ex: Por que tudo se modifica? Porque. Não vou à casa dela agora. não exige artigo: Os marujos ainda não desceram a terra. e não e não no mar. Entreguei o documento a uma senhora que estava ali. sem modificador. tudo se modifica: Observe o que construímos: Depois de meses no mar. Ex: cara. Aparecendo modificador. cara a 9) Antes da palavra terra.) O timoneiro da embarcação avistou terra. 11) Antes de substantivos repetidos. de ponta a ponta. nas locuções adverbiais. frente a frente. etc. Não fico na casa dela agora. Ex: . Voltei à casa de minha namorada cedo. (E não: vimos a terra. usada assim. Observe que a palavra casa. Estive em casa cedo. 10) Antes do artigo indefinido uma.102 Chegamos a terra bem cedo. todavia. agora apalavra casa exige o artigo: Dirigi-me a uma pessoa que estava ao balcão. vimos terra. Ex: gota a gota. 12) Antes de numerais. Não fico em casa agora.

e não a 2 de Fevereiro. 13) Nas locuções adverbiais de modo que trazem o Tudo acontecia a distância. no zoológico. As crianças observavam os animais. aparece o acento: A atriz ficou a boa distância de mim.. usa-se o acento: substantivo no plural. no zoológico.102 O numero de carros acidentados chega a duzentos. O secretário de Estado norte-americano fará uma visita a nove países da América Latina. As crianças observavam os animais. quando a noção da distância não for bem definida. Ela ficou a uma distância de trinta metros. Ainda que a expressão venha com algum modificador. Se a distância vem determinada. Mandei-o às favas. delimitada. às vezes. então. não poderíamos ser afetados. não se usará o acento: Usando-se toda a expressão no plural. à distância de cem metros. a distância. Tudo acontecia à distância de mil metros. A reunião foi a portas fechadas. não poderíamos ser afetados. Fiz tudo às avessas. às escondidas. Avistei-a a longa distância Observações 14) Na locução a distância. Ex: As mulheres se atracaram a dentadas. Ex: . Nasci a 18 de Dezembro. A duras penas conseguimos chegar lá.

. No último exemplo estão ocultas as palavras só voz ( à uma = a uma só voz). visto que neste caso ocorre crase. Teresa é candidata a rainha do carnaval. Ex: Os guardas chegaram à uma hora.Antes do numeral uma usa-se acento no a. Os guardas gritaram à uma: “ Fora. 2 .102 1.A expressão candidata a exige posposição imediata de substantivo sem artigo: daí a ausência de acento grave no a em frases tais como: Teresa é candidata a rainha. todos!”.

principalmente no Sul do Brasil. Ex: Não. Observação Nos casos de faculdade do uso do artigo também há. mas às tuas. São estes os principais casos: Quando o possessivo funciona como pronome substantivo. me refiro às respostas de Luís. Ex: Dei isto a / à sua professora. usar-se: Dei isto a sua mãe. 1) Antes de pronome possessivo. . A Ciça acabou de chegar. por conseq6uência. indicador da crase.102 Ofereça um brinde a sua mulher!  Casos facultativos do uso do acento grave. Como não se usa artigo antes de possessivo acompanhado de nome de parentesco. Ex: Disse à Bete o que ela precisava ouvir. faculdade no emprego do acento grave. e não a minha prima. mas ela preferiu ficar conosco. Ofereceram ótimo salário a / à nossa funcionária. Este uso se justifica pela prática de. 2) Antes de nome próprio de pessoa. Ex: Dei tudo à Ciça. que nem sequer me agradeceu. desde que íntima familiar. o acento é obrigatório. e não a / à minha amiga. também não se usa o acento grave no a que antecede tal possessivo.

França. Escócia e Flandres. Espanha. sempre que regidos de preposição: Coloque o acento grave indicativo da crase quando julgar necessário. 3) Antes destes nomes próprios de lugar: Europa. Inglaterra. Fazia referência a leis ou as leis. Ex: Fui a / à Europa. brevemente.102 A Bete era a minha namorada. 5. Ásia. Iremos até a / até à Bahia. Dedicou o sucesso a todos. negando alimentação). o uso adequado do acento indicador da crase está diretamente relacionado com o conhecimento que se tem do uso e omissão do artigo. África. Ficou cara a cara com o goleiro. Como facilmente se percebe. 8. 3. Veio a caráter. 6. Levei a / à França todas as minhas ambições. Tal prática não é muito aconselhável. Tráfego proibido a motocicletas. mas não encontrei o remédio. . 7. Tudo pertencia a ela. e não em / na África. 1. 4. antes de palavra feminina. Estive em /na Europa. mas não cheguei a ir a / à África. O jogo será as 8h. 9. Esta faculdade se dá em virtude de podermos construir. ainda que admitida. Holanda. Cheguei de/ da França neste instante. O jogo foi transferido para as 8h. 4) Com locução até a. Ex: Fui a / até à / farmácia. 2. Em tempo – Existe diferenças de sentido entre “manter a fome” (saciar a fome) E “matar à fome” (matar à mingua. Fez referência a peça que estava em cartaz.

34. 33. 36. das 8h as 18h. 23. 13. Estamos a sua disposição. . Saiu as escuras. 31. 18. 16. Ele escreve a Jorge Amado.102 10. temos churrasco a Osvaldo Aranha. Andava a procura de emprego. Começou a reclamar. Sua camisa é igual a do meu pai. Só vendemos a vista. 12. Vamos falar as claras. Entre sempre a direita. 14. Entregou o documento as secretárias. Dedicou todo seu amor a Clara. 41. 2 . 29. 39. 24. 35. É preciso sentar-se a mesa. Entregou a carta a Claudia. 17. Ele viajou a antiga Roma. Entregou a tolha a alguém da portaria. Não vendemos a prazo. 43. O banqueiro vai a Roma com certa freqüência. 20. As vezes eles nos visitam. 15. 11. 32. Hoje. 38. 28. Fez referência as que foram ao passeio. 19. 22. 27. 42. Ele se referiu a carta de boas-vindas. A reivindicação é idêntica a dos metalúrgicos. Trabalhamos de segunda a sexta. Ontem ele foi aquela ilha. 26. A reunião será de duas a quatro horas. 40. O salão ficava cheio a medida que os convidados iam chegando. 25. 37. Referia-se a uma antiga estrada lateral. Todos podem andar a cavalo. Gosta muito de um Bacalhau a Gomes de Sá. O presidente se referia aquele senador. Já foi a Angra e a Bahia. 44. Ele venceu a distância. 30. A reunião será a partir das 10h. A reunião começará as 10h. Ele ficará aqui até as 18h. Prefiro isso aquilo.Use o acento grave indicativo da crase quando julgar necessário: 21.

a .há . Ofereceu o prêmio a ela. b) Ele tem um estilo à Eça de Queiroz c) Dei um presente à Mariana.a .há b) a .a . Em qual das alternativas o uso do acento indicativo de crase é facultativo? a) Minhas idéias são semelhantes às suas. Estamos atentos a essa tendência.aqueles . d) Fizemos alusão à mesma teoria.à 4. e se exibe diariamente ___ hora do almoço".a .aqueles .a e) a .aquilo e) à .a e) à .a . "Nesta oportunidade.a e) o .a 5. 47. "O grupo obedece ___ comando de um pernambucano. 48.àquilo .aquilo b) a . Ficou frente a frente com o animal.a d) à .à . "A casa fica ___ direita de quem sobe a rua.àqueles .àquilo c) a . 3.à .duas quadras da Avenida Central". 50. a) à . Esta é a pessoa a quem oferecemos o convite.àquilo d) à .há 6. precisamente as dez horas. Assinale a frase gramaticalmente correta: a) O Papa caminhava à passo firme.à . 46. a) à .a . ___ tarde.a b) ao .há b) a . 49.à c) a .à c) ao . e) Cortou o cabelo à Gal Costa.à . c) Chegou à noite.há c) a .à . "O pobre fica ___ meditar. volto ___ referir-me ___ problemas já expostos ___ V.àqueles . a) à . Referia-se a situações estranhas.a . 3. Sª ___ alguns dias". indiferente ___ que acontece ao seu redor". b) Dirigiu-se ao tribunal disposto à falar ao juiz.há d) à .a d) o .àqueles .à .há . 2.102 45. Entregou o documento a Vossa Excelência. a) o . __. radicado ___ tempos em São Paulo.

A alusão _____ lembranças da casa materna trazia _____ tona uma vivência _____ qual já havia renunciado.à d) à .há 13.a c) às àquelas .a .a .a c) à . _____ dias não se consegue chegar _____ nenhuma das localidades _____ que os socorros se destinam.à e) às . Chegou-se _____ conclusão de que a escola também é importante devido _____ merenda escolar que é distribuída gratuitamente _____ todas as crianças.à .a d) Há .há 9.à .a .a .à b) a .102 d) Esta é a casa à qual me referi ontem às pressas.há d) aquela .aquelas .a .à .a b) as . estou _____ seu inteiro dispor para ouvir o que tem _____ dizer.há c) as .aquelas .a c) àquela .a d) à .a e) À . ora a nada. a) à . nada foi possível fazer.àquelas .a . a) àquela .à 8.a .à .à .a .à b) aquela .à .a . ora aquilo. a) às . a) a .à .à e) àquela . O Ministro informou que iria resistir _____ pressões contrárias _____ modificações relativas _____ aquisição da casa própria. 7.a c) a . Fique _____ vontade.à e) as . No tocante _____ empresa _____ que nos propusemos _____ dois meses.à .a .à .à .a .a 11. a) às .a e) à .à .a 12. a) Há .à . a) após às b) após as c) após das d) após a e) após à 10.à d) às .a .à .à e) a .àquelas _ à b) as .a c) À .a b) à . Use a chave ao sair ou entrar __________ 20 horas.à .a b) A .a d) às . e) Ora aspirava a isto.

à 17.a . a) há .a que d) a que .as 19.que b) a que .a d) à . Disse _____ ela que não insistisse em amar _____ quem não _____ queria.102 14. se propôs a maldição do cientista que reduzira o arco-íris _____ simples matéria: era uma ameaça _____ poesia.àquela 16.à b) há .à .à 18. vivia _____ expensas dos amigos.a .a .à e) a .à . deve-se dizer que ela exerce função paralela _____ da linguagem.à b) a .aquela e) a .à .à .à d) à . Em relação _____ mímica.a c) à .à c) a tôa .à c) a .a e) a .a .a d) há .à d) a .a .à .as b) a toa . Estava __________ na vida.a c) à . a) a .à 20.a d) à . A tese _____ aderimos não é aquela _____ defendêramos no debate sobre os resultados da pesquisa.a . a) a . A estrela fica _____ uma distância enorme.à b) a . e não é visível _____ olho nu.que c) à que . mas ele não estava disposto _____ retomar os estudos.às d) à toa . a) a .a .a e) à .a que e) a qual a que 15. Foi _____ mais de um século que. a) atoa .à . Estavam _____ apenas quatro dias do início das aulas. a) a . _____ milhares de anos-luz.a e) há .à c) à .a .à .a c) há .a b) a .a . a) a qual .a b) à . numa reunião de escritores.às e) à toa .

às c) a .as .à e) as .comigo .as e) a que .a c) as .às .a e) à .a .à . a) às . a) a .às .a b) à .a 22.comigo .a .à b) à .as . a) à .a .a d) a .a .à .à d) à .à .à .as b) à que .à . Aquela candidata _____ rainha de beleza.a .a .as b) a .para mim .as c) à .por mim .às e) a .às d) a que .a .a 24.a 25.a c) aquele .às d) à . Quanto _____ suas exigências.à d) aquele .à 23.a e) àquele . emitia luz _____ grande distância. porque as ordens _____ quais se opunha eram rigorosas e destinavam-se _____ funcionárias daquele setor. quando foi _____ televisão.à e) a . para ser coerente __________ mesmo.à c) a .à d) à . a) a .às 27. estou disposto. pôs-se _____ roer as unhas.à .à .às c) a que .à . recuso-me _____ leválas _____ sério.102 21.à c) a .às .para mim . Eis o lema _____ sempre obedecia: ódio _____ guerra e aversão _____ injustiças.a . Expunha-se _____ uma severa punição.a .a b) àquele .à . Quanto _____ problema. Faltou _____ todas as reuniões e recusou-se _____ obedecer _____ decisões da assembléia. _____ emprestar-lhe minha colaboração.à . a) aquele .a .à .as 26.às .a . a) a . A lâmpada _____ cuja volta estavam mariposas _____ voar.às b) à .a .às e) à .à . a) à que .à .a b) a .às d) à .

CONCORDÂNCIA NOMINAL 1.à 29.à .a d) Há .a . _____ Igreja cabe propugnar pelos princípios éticos e morais que devem reger _____ vida das comunidades.as .a . (amarelados) b) O Bixiga e a Barra Funda são *. (péssimo) f) Procuravam demonstrar carinho e afeição *.às . a) O honesto calabrês da quitanda não quis vender os limões * .as .a GABARITO 1 C / 2 C / 3 D / 4 B / 5 B / 6 D / 7 A / 8 D / 9 B / 10 D / 11 B / 12 E / 13 D / 14 B / 15 B / 16 E / 17 B / 18 D / 19 B / 20 A / 21 B / 22 B / 23 D / 24 E / 25 C / 26 B / 27 E / 28 E / 29 B. Complete as frases com as palavras dos parênteses. (populoso) c) Os festejos e as procissões são * ao santo do dia. a) A .à e) Há . _____ alguns meses o Ministro revelou-se disposto _____ abrir _____ discussões em torno do acesso dos candidatos e dos partidos _____ televisão.a .à e) A .a c) À . enquanto _____ política deve visar ao bem comum.à .às .a d) À .102 28.a .à . (oferecido) d) Pai e filha pareciam *.à b) À .à .a . (desgostoso) e) No teatro eles ficaram com * lugar e companhia.à b) Há .à .a c) A . a) A . (materno) .as . fazendo a devida concordância.

a) Recebemos * o recibo da administradora do prédio. (o) 2. q) r) Os * quarto e quinto estão danificados. esqueceu-se da mulher que o abandonou. (meio) fechadas. (mesmo) p) A primeira e a segunda * cedo. (andar) Meninos e meninas. (demonstrado) i) Conhecemos o pasto. (meio . (série) do ensino médio sairão mais g) Ao meio-dia e * nós estávamos * com o carnê. (disposto) k) * os meses. escondendo o tremor d) * a esta carta segue a fotografia das crianças. (incluso) b) Os braços eram * flores. (anexo) e) * a esta carta seguem os comprovantes do Imposto de Renda. (passado) l) As rádios e os jornais que comunicaram a notícia * continuavam * . (anexo) f) Era ela * que cozinhava todos os dias. (cuidado) j) Encontramos o professor e a diretora * a organizar a festa beneficente. fazendo a devida concordância.censurado) m) Um e outro jornal apresentaram os culpados e as vítimas * . encontrei-* abandonados. (seco) h) O sorriso.102 g) A vegetação rasteira e o cacto estavam * pelo sol escaldante. (proibido . o curral e a casa de máquinas* pelo empregado-modelo. Complete as frases com as palavras dos parênteses. (demasiado) pequenos para receber tantas c) As mãos estavam * de susto.quite) . o afeto e a emoção eram * com dificuldade. evitando que a dívida fosse ao cartório. (aprovado) o) O nono e o décimo * (andar) do prédio estão desocupados. (entrevistado) n) Os bons políticos sentiram-se vitoriosos quando viram * a lei e o regulamento para punição dos sonegadores de impostos.

(menos) 3. será necessário a sua presença. Os brinquedos são * . a) Eu mesmo faço isso − disse a garota. (caro) n) o) Andei por * terras. Identifique. Roberto está quites com o Serviço Militar. (caro) p) Por causa dos caçadores. f) As casas e os sobrados antigos foram tombados pelo governo. explicando a concordância. bagunça do que lá. (só) h) Neste recinto . (alerta) q) r) Eles estavam * Aqui há * na sala. A namorada falava consigo mesmo.102 h) É a luta pela democracia. Essa pimenta não é para o tempero. g) O primeiro e o segundo aluno desta fileira irão à lousa. Na próxima reunião. Pimenta não é bom para a saúde. (bom) as frutas estragadas. c) d) Muito obrigada − disse o rapaz à moça. (longe) e) Os escritores português e espanhol tiveram suas obras traduzidas para o inglês. corrija e copie as frases que apresentam concordância inadequada. (bom) Verdura é * Eram * para a saúde. apaixonadíssima. l) m) Foi desnecessário sua ajuda neste trabalho. é proibido a entrada de pessoas sem documentos. . (necessário) entrada para menores de dezoito anos. i) j) k) Seguem anexos às provas os resultados dos exercícios. i) Era * (proibido) j) k) l) b) O pintor brasileiro e o argentino expuseram seus quadros juntos. os guardas-florestais ficavam * . (bastante) m) Os brinquedos custam * .

Introdução Leia a frase abaixo e observe as inadequações: REGRA GERAL .102 n) As próprias requerentes da benfeitoria entregaram o documento ao prefeito. concordância nominal consiste na adaptação de uns nomes aos outros. p) q) r) Aquele casal tem bastante amigos. harmonizando-se nas suas flexões com as palavras de que dependem. a mulher levantou meia tonta. o) A firma declarou não haver recebido inclusa ao pedido a relação de mercadorias. melhor. v) Os amigos chegaram e vieram direto para minha casa. é necessário: • • • Aquele concordar com a palavra dois. Aqueles dois meninos estudiosos leram u) Os soldados permaneceram alerta durante a manifestação. Comiam e bebiam bastante naquele lugar. Para que a frase concorde. Aquele dois meninos estudioso leram livros antigo. Fazendo-se os ajustes necessários a frase ficará assim: s) t) Enquanto ficamos sós. Estudioso concordar com meninos. Note que as inadequações referem-se aos desajustes entre as palavras que a constituem. Quanta menos gente. Antigo concordar com livros. adequadamente. os livros antigos Assim. não dissemos uma palavra. entre todos os termos. Depois do tombo.

Se o adjetivo funcionar como predicativo. a concordância só poderá ficar no plural. Adjetivo Faz duas horas que cheguei de viagem.102 O artigo. Exemplo: O alto ipê cobre-se de flores amarelas. o pronome. . Adjetivo No exemplo acima o adjetivo assumiu o gênero masculino e foi para o plural. Observação: Adj. Num. Um adjetivo após vários substantivos 1. Adjetivo Acima o adjetivo assumiu o gênero masculino e concordou só com o último substantivo. o adjetivo e o numeral devem concordar em gênero (masculino/feminino) e número (singular/plural) com o substantivo a que se refere. b) concordar só com o último substantivo em gênero e número: Exemplo: Ela tem irmão e primo pequeno. Exemplo: O irmão e o primo dele são pequenos. Se o último substantivo estiver no plural. embora a primeira seja mais adequada porque mostra que a característica é atribuída aos dois substantivos.1 Quando os substantivos são do mesmo gênero há duas concordâncias: a) assumir o gênero do substantivo e vai para o plural: exemplo: Encontramos um jovem e um homem preocupados. Exemplo: Ele possui perfume e carros caros. o plural será obrigatório. VL Predicativo 1. OUTROS CASOS DE CONCORDÂNCIA NOMINAL Quando os substantivos são do mesmo gênero as duas concordâncias podem ser usadas.

Exemplo: Estudo a língua inglesa.2 Quando os substantivos são de gêneros diferentes também há duas possibilidades: Velhos livros e revistas estavam empilhados na prateleira. . Exemplo: O aluno e a aluna estão reprovados. VL Predicativo Exemplo: As simpáticas Lúcia e Luana são irmãs. 2. o plural será obrigatório. a francesa e a italiana. Observação: Quando o adjetivo exerce a função de predicativo. b) Se o substantivo estiver no singular. a) ir para o masculino plural: Exemplo: “Uma solicitude e um interesse mais que fraternos. ele pode concordar só com o primeiro ou ir para o plural. Exemplo: Tiveste má idéia e pensamento. Um substantivo e mais de um adjetivo Admitem-se duas concordâncias: a) Quando o substantivo estiver no plural. não se usa o artigo antes dos adjetivos. se o adjetivo tiver a função de predicativo. Ficaram reprovados a aluna e o aluno. Exemplo: Ficou reprovada a aluna e o aluno. Se o adjetivo anteposto referir-se a nomes próprios. Observação: No caso de substantivos de gêneros diferentes o adjetivo irá para o masculino plural. o uso do artigo será obrigatório a partir do segundo adjetivo. Exemplo: Estudava os idiomas francês e inglês.” (Mário Alencar) b) concordar só com o substantivo mais próximo: Exemplo: A Marinha e o Exército brasileiro estavam alerta. 3.102 1. Um adjetivo anteposto a vários substantivos A concordância se dará com o substantivo mais próximo.

bastante Tanto pode ser advérbio como pronome. 6. Nesse caso mesmo = realmente . Quando é pronome concorda com a palavra a que se refere. Caso contrário são invariáveis. Exemplo: Os alunos mesmos resolveram o problema. quando for precedido de artigo. Observação A expressão em anexo é invariável. Exemplo: Vitamina C é bom para saúde. Anexo. é proibido Essas expressões concordam obrigatoriamente com o substantivo a que se referem. Mesmo.102 Os documentos estão inclusos no processo. É bom. apenso. 5. incluso. Quando for advérbio permanece invariável. É necessária muita paciência. Exemplo: Seguem anexos os acórdãos. 4. Obrigado. concordam com o substantivo a que se referem. próprio. Elas próprias resolveram os exercícios. Um e outro (num e noutro) Nesse caso o substantivo fica no singular e o adjetivo vai para o plural. A procuração está apensa aos autos. Pronome Os alunos resolveram mesmo o problema. é necessário. 7. obrigado Por serem adjetivos. disse o rapaz. Exemplo: Numa e noutra questão complicadas ela se confundia. Exemplo: Em anexo segue a procuração Em anexo segue o despacho.

Advérbio 8. caro . alerta São palavras invariáveis. 9. Observação Essa palavra pode ser numeral ou advérbio. longe. Muito. Atualmente alerta vem sendo utilizada no plural. pouco. a) Quando for numeral é variável e concorda com a palavra a que se refere. numeral Isso pesa meio quilo. Exemplo: Tomou meia garrafa de champanhe. Exemplo: O Amazonas é o Estado menos populoso do Brasil. Exemplo: Nossos chefes estão alertas. Pronome Eles chegaram bastante cedo ao aeroporto. numeral b) Se for advérbio é invariável. Advérbio Ele anda meio cabisbaixo. Havia menos alunas na sala hoje. Exemplo: A porta estava meio aberta. Os soldados estavam alerta.102 Advérbio Haviam bastantes razões para ela reclamar. Menos. Meio Advérbio 10.

a pior) varia conforme o artigo que integra as expressões. Recebemos a melhor notícia possível.102 Quando essas palavras funcionam como adjetivo variam de acordo com a palavra a que se referem. Pronomes de tratamento Os pronomes de tratamento sempre concordam em 3ª pessoa. (sozinha) . Se funcionarem como advérbio são invariáveis. Exemplo: Muitos alunos compareceram à formatura. Só a) Quando tem o significado de sozinho(s) ou sozinha(s) essa palavra vai para o plural. Adjetivo Os perfumes eram caros. 13. (apenas) Eles queriam ficar só na sala. a menos. Adjetivo As mensalidades escolares aumentaram muito. (sozinhas) b) Ela é invariável quando significa apenas/somente. (apenas) Observação A locução adverbial a sós é invariável. Exemplo: Joana ficou só em casa. 12. Advérbio Lúcia e Lívia ficaram sós. Exemplo: As previsões eram aspiores possíveis. Possível Quando acompanhada de expressões superlativas (o mais. Advérbio Vocês moram longe. Exemplo: Depois da guerra só restaram cinzas. 11. o melhor.

corrigindo-as quando necessário. argumentos e opiniões veementes e contraditórias. eu preferia mais ficar no pátio do que continuar dentro da classe. (meio/ meia) 3.S 2. (bastante/ bastantes) d) Encontrei ____________ a sala e os quartos. Como no exercício anterior. Reescrever as frases abaixo. (FUVEST) “Na reunião do Colegiado. (alerta/ alertas) c) Houve ____________ razões para eu não voltar lá. corrigindo-as quando necessário.” 5. há uma infração as normas de concordância. não faltou.102 Exemplo: Vossa Santidade está muito preocupado. devolvê-losei ainda hoje. 1.” b) “Depois de assistir algumas aulas. b) Justifique a correção feita. os processos de nossa estima. . a) “Recebei. (vazia/vazios) e) A dona do imóvel ficou __________ desiludida com o inquilino. Vossa Excelência. a) Será que é __________________ essa confusão toda? (necessário/ necessária) b) Quero que todos fiquem ________________. pois não podem haver cidadãos conscientes sem educação. conforme lhes prometi.” b) “Os projetos que me enviaram estão em ordem. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS a) Reescreva-o com devida correção. a) “Ele informou aos colegas de que havia perdido os documentos cuja originalidade duvidamos.” No trecho acima.” 4. Reescrever as frases abaixo. no momento em que as discussões se tornaram mais violentas. 3ª P. Complete os espaços com um dos nomes colocados nos parênteses.

(CESBRANRIO) “Noites pesadas de cheiros e calores amontoados. as palavras destacadas permanecem invariáveis: a) Este é o meio mais exato para você resolver o problema: estude só. e) ( ) São crianças a cuja situação muita gente é insensível. g) ( ) Assisti e gostei muito daquele filme. dirigiram-se ao salão onde se encontravam as vítimas do acidente.” d) morros e nuvens amontoados e) brisas e odores amontoadas 8. e) Esses livro e caderno não são meus. (UNEB – BA) Assinale a alternativa em que. b) ( ) Restam-me alguns dias de férias.” Aponte a opção em que. b) Eles. c) Não lhe pareciam útil aquelas plantas esquisitas que ele cultivava na sua pacata e linda chácara do interior.índice de sua sensatez. b) Meia palavra. 7. deviam haver sérios motivos para ela recusá-las. a) nuvens e brisas amontoadas b) odores e brisas amontoadas c) nuvens e morros amontoados 9. d) Quando foi encontrado. porém. substituídos os substantivos destacados acima. Colocar: "C” quando correto. com ar entristecidos.102 a) “Faziam apenas dois meses que ela ficara viúva e mais de uma proposta de casamento apareceram. acreditei. a reforma das instalações terão prioridade. h) ( ) Não me pouparam esforços para que o rio fosse despoluído. c) ( ) Os Estados Unidos intervieram nos conflitos sul-africanos há alguns meses. meio tom . (PUCCAMP) A frase em que a concordância nominal está correta é: a) A vasta plantação e a casa grande caiados há pouco tempo era o melhor sinal de prosperidade da família.” b) “Se for levado em consideração as necessidades imediatas da escola. pois em sua meia promessa. mas estava totalmente lúcido. fica incorreta a concordância de “amontoado”.. f) ( ) Envie algum dinheiro daquela casa de caridade. pluralizando-se a frase. mas poderão ser importante para a pesquisa que estou fazendo. d) ( ) É necessária liberdade de expressão. 6. ele apresentava feridos a perna e o braço direitos. c) Estava só naquela ocasião. . “E” quando errado a) ( ) Amanhã se fará os últimos exames..

Vossa Excelência. pois não pode haver cidadãos conscientes sem a educação. a) “Fazia apenas dois meses que ela ficara viúva e mais de uma proposta de casamento apareceu. Há uma concordância inaceitável de acordo com a gramática: a) em I e II b) em II. Muito obrigadas! . a) necessária d) vazia b) alerta e) meio c) bastantes 02. II.disseram as moças. III e IV c) apenas em II d) apenas em III e) apenas em IV 04. a) "Na reunião do colegiado. eu preferia ficar no pátio a continuar dentro da classe. D Resolução: 01. .” b) “Depois de assistir algumas aulas.” b) “Se forem levadas em consideração as necessidades imediatas da escola. a) “Ele informou aos colegas que havia perdido (ou: ele informou os colegas de que havia perdido os documentos de cuja originalidade duvidamos. não faltaram. o que me deixa meio apreensivo. V. a reforma das instalações terá prioridade. E b) C f) E c) C g) E 08. a) “Receba. A pobre senhora ficou meio confusa. 03. a) E e) C 07. Os brasileiros somos todos eternos sonhadores. no momento em que as discussões se tornaram mais violentas." b) Concorda com o sujeito "argumentos e opiniões". São muito estudiosos os alunos e as alunas deste curso. III. porém. 10. argumentos e opiniões veementes e contraditórias.” 05.102 d) Passei muito inverno só. e) Só estudei o elementar. IV. V. devia haver sérios motivos para ela recusá-las.” b) A frase está correta. 06. Exa. os protestos de nossa estima. Sr. (MACKENZIE) I. Está enganada. Deputado. E 10. E d) E h) C 09.

[choveu / choveram] vaias. 10. [choviam / chovia] pétalas de flores. Jacqueline Andrade Faça a Concordância Correta Rasurando o verbo correto: 1. [Falta / Faltam] três minutos para as dez horas. [Deu / Deram] uma hora há pouco. A proposta é refletir sobre o que levou efetuarmos cada concordância nas frases abaixo. O jogo de ontem foi ótimo: não [faltaram / faltou] vaias. Aqui.com . 4. 6. 5. 8. a partir da resolução dos exercícios. Um forte abraço. Nisto [deram / deu] três horas o relógio do boteco. [Basta / Bastam] duas pessoas para arrombar a porta 7. Vamos lá? Dúvidas? Consulte a exercício. [choveu / choveram] vários dias. Conhecido o resultado da votação. Profa. .______________________________________ 102 _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ _____________________________________ ___________________ Iremos estudar as regras de concordância. [Deu / Deram] dez horas no relógio da sala 2. 9. explicação após a lista de 1 CONCORDÂNCIA VERBAL 1 Profa. [Vai fazer/ Vão fazer] cem anos que nasceu o genial artista. Jacqueline Andrade: andradejacqueline@hotmail. 3.

A maioria [está / estão] contra o aumento do pão. . [Faz / Fazem] mil anos que aquela estrela está ali. Metade dos alunos [fez / fizeram] o trabalho. . Nossa! Já [é / são] meia-noite. 34. 45. Nas fazendas [haveriam / haveria] verduras frescas. Um bloco de foliões [animavam / animava] a Uma porção de índios [surgiram / surgiu] do festa. 18. . Anotei os objetos que [faltavam / faltava]. 14. 37. 27. [Falta / Faltam] apenas os exercícios. 15. 24. 47. 40. 20. Vossa Senhoria [está / estais] melhor agora? 52. Os Andes [fica / ficam] na América do Sul. Não lhe [falta / faltam] qualidades. [Vai / Vão] haver grandes festas. A multidão [invadiu / invadiram] o campo 41. [Faz / Fazem] vinte minutos que estou a sua espera. 25. Vossa Senhoria me [entendeu / entendestes] mal. 12. 29. Vossa Excelência [agiu / agistes] com moderação. [Havia / Haviam] dois anos que não nos víamos. . O Amazonas [correm / corre] para o mar. [Havia / Haviam] poucas vagas para o curso. 39. Os Imigrantes [agradou / agradaram] os telespectadores 50. Na cidade [havia / haviam] poucos médicos. A turma [gostou / gostaram] da aula de ontem. 44. Um bando de pulhas [saqueou / saquearam] as casas. . Talvez ainda [haja / hajam] vagas naquela escola. 48. . O povo [aclamou / aclamaram] o candidato. O bando [fuçava / fuçavam] a casa deserta. 49. [Faz / Fazem] três anos que estou morando aqui. Os convidados haviam / havia saído. 32. . 22. A maior parte dos recursos se [esgotou / esgotaram]. 38. . A maior parte dos carros [tinham / tinha] defeitos. 51. . [É / São] treze de maio. 21. 30. 33. . nada. 19. Os Estados Unidos [é / são] um país rico. Os Lusíadas [tornaram / tornou] Camões imortal. Hoje [é / são] dia dois de abril 28. 17. 36. Hoje [é / são] dez de setembro. 35. [Fazem / Faz] hoje precisamente sete anos. 31. 43. Amanhã [será / serão] vinte e um. [Haviam / Havia] muitos anos que não vinha ao Rio 13. Existirá / Existirão dúvidas. 42.102 11. 26. Minas Gerais [são / é] um belo estado. [Falta / Faltam] um minuto e dez segundos. 16. 23. 46.

Foram eles quem [escreveu / escreveram]. . 53. sujeito composto antes do verbo a) o verbo vai para o plural: Exemplo: Recife e Jaboatão dos Guararapes são as principais cidades do litoral pernambucano. Chegaram os alunos. Uma equipe de policiais [prendeu / prenderam] os ladrões. A multidão [vociferava / vociferavam] ameaças. 62. 60. 63. Mais de mil pessoas [acertaram / acertou] na loteria. Férias [faz / fazem] bem.: Ele chegou tarde. Os cardumes [subiam / subia] o rio. 57. . 56. 58.102 Vossa Excelência se [enganaste / enganou] 54. 59. 63. 64. mais uma vez para ver se fazemos a primeira reunião ainda essa semana. Caro Síndico. As anteriores já separei para avaliação e discussão. Foste tu que [saíste / saiu]. Enviei email e apenas o Flávio se manifestou. . Ainda não. Analise o problema de concordância verbal existente no texto abaixo. 61. 2. Esperei passar as festas e aguardei algum pronunciamento. não interessando a posição. 1. Estarei contatando com eles. . Sou eu quem [paga / pago]. b) o verbo poderá ficar no singular: • Se os núcleos do sujeito forem sinônimos. Nós voltaremos logo. 65. Vossa Senhoria [continuais / continua] zangado comigo? 55. Ex. verbo com sujeito simples O verbo concorda em número e pessoa. Metade das laranjas [estava / estavam] podre(s). Suzana Introdução Este MATERIAL é uma proposta de ensino que tem por objetivo ajudar pessoas de diferentes níveis de aprendizagem a resolver dificuldades que encontram no estudo da concordância verbal. . Somos nós quem [levamos / leva] o prejuízo. Mais de um avião [caíram / caiu] este mês. . Peço que se alguém quiser enviar alguma sugestão que façam.

mas admite-se o singular quando se quer destacar o primeiro núcleo do sujeito. sujeito composto de pessoas diferentes a) quando aparece a 1ª pessoa do singular o verbo vai para o plural Exemplo: Jorge e eu jogaremos amanhã. Exemplo: A bebida ou o fumo são prejudiciais à saúde. A ameaça. Exemplo: Diretores.102 Exemplo: A decência e honestidade é coisa rara nos dias atuais. Exemplo: Paulo ou George será o novo gerente. a solidão. a agressão. 4. . a) se houver idéia de exclusão ou retificação. o terrorismo. nada. 5. núcleos do sujeito ligados por COM O verbo irá para o plural. b)se não houver idéia de exclusão o verbo vai para o plural. 6. o verbo fica no singular ou concordará com o núcleo do sujeito mais próximo. ninguém faltou. • O professor e eu fotografamos vários tipos de pássaros. Exemplo: Tu e ele ficareis atentos. a falta de companhia levouo ao vício da bebida. b) o verbo concorda com o núcleo mais próximo Chegou ao estádio o técnico e os jogadores. b) se o sujeito for formado de segunda e terceira pessoas do singular. 3. sujeito composto depois do verbo a) o verbo vai para o plural Chegaram ao estádio os jogadores e o técnico. supervisores. ninguém. Cambaleavam na rua Do Carmo e Dirceu. • Quando os núcleos aparecem resumidos por tudo. o verbo pode ir para a 2ª ou 3ª pessoa do plural. Exemplo: A angústia. núcleos do sujeito ligados por OU Quando os núcleos formam uma gradação. O marginal ou os marginais não deixaram nenhuma pista para os policiais. gerentes. Tu e tua esposa viajarão cedo. nada o assustava.

. b) se o sujeito for o pronome QUEM. sujeito é substantivo que só tem plural. a) se o sujeito for o pronome relativo QUE. 7. Observação: se o coletivo vier especificado o verbo pode ficar no singular ou ir para o plural. Quando o sujeito é um pronome de tratamento. 10. Fomos nós que consertamos a TV. sujeito é um pronome de tratamento. b) se o substantivo for precedido de artigo. o verbo fica na 3ª pessoa do singular. o verbo vai para o plural. Exemplo: Vossa Excelência agiu corretamente. Vossas Excelências votaram a nova lei. Exemplo: A multidão aplaudiu o discurso do diretor. 8. Exemplo: Fui eu que liguei o rádio. As boiadas seguiam seu caminho pelo pantanal. sujeito são os pronomes relativos QUE e QUEM A equipe de cinegrafistas acompanharam o protesto dos professores pelas ruas do Recife. há duas possibilidades: a) se o substantivo não vier precedido de artigo fica no singular. o verbo vai para a 3ª pessoa.102 Exemplo: O marceneiro com o pintor terminaram o serviço combinado. O marceneiro com o pintor terminou o serviço combinado. Exemplo: Estados Unidos é a maior potência econômica do mundo. Exemplo: Não sou eu quem faz o jantar. Exemplo: As Minas Gerais possuem grandes paisagens naturais. sujeito coletivo Quando o sujeito é um coletivo. 9. Exemplo: A equipe de cinegrafistas acompanhou o protesto dos professores pelas ruas do Recife. o verbo concordará em número e pessoa com o antecedente do pronome. Quando o sujeito é um substantivo usado somente no plural. o verbo concorda com ele.

11. Trabalha-se muito em Brasília. o sujeito é uma oração Quando o sujeito for representado por uma oração. nem. Exemplo: Correr e caminhar é um ótimo exercício. Vendem-se carros. Exemplo: Ainda falta comprar vários livros.. Sujeito formado por expressões • Um ou outro O verbo concorda no singular com o sujeito. o verbo fica na 3ª pessoa do singular. O verbo concorda preferencialmente no plural.. 15. Caso os infinitivos não aparecerem determinados o verbo poderá ficar no singular.. uma das que . Verbo com índice de indeterminação do sujeito..102 Fui eu quem pagou o jantar. nem. Exemplo: Um ou outro jogador merecia críticas. Exemplo: Precisa-se de pedreiros. Um ou outro levava a irmã ao colégio. Verbo com a partícula apassivadora SE O verbo normalmente concorda com o sujeito. • 14. Exemplo: Vende-se uma geladeira. O verbo fica na 3ª pessoa do singular e a partícula a SE está ligada a um verbo transitivo indireto ou intransitivo. Observação: Popularmente é comum o verbo concordar com o antecedente do pronome QUEM. Um e outro. O cantar e o dançar divertem qualquer pessoa. Nem um nem outro quiseram tomar banho. os núcleos do sujeito são infinitivos O verbo vai para o plural se os infinitivos forem determinados por artigos. • Um dos que. nem um nem outro. Não adianta vocês ficarem parados na fila. 12. Exemplo: Não sou eu quem faço o jantar. 13. Exemplo: Um e outro permaneciam aguardando a chamada.

o verbo pode ir para o singular ou para o plural. (por exemplo) Exemplo: Grande número de empresários se revoltou contra o governo. . quantos de nós. a não ser que sejam usadas outras palavras como sujeito. (atente-se) Haja vista os livros da escola. Exemplo: Haja vista aos livros da escola. A maioria das pessoas protestaram contra o aumento da energia elétrica. Concordância dos verbos DAR. grande número de A expressão fica invariável Essas expressões seguidas de substantivos ou pronome no plural. Exemplo: Nenhuma de nós ouviu a notícia. Exemplo: Alguns de nós chegaram hoje. (vejam-se) Quais de vós. Mais de cem menores fugiram do presídio. SOAR. Exemplo: Antônio é um dos que mais estudam matemática. • Muitos de nós não conhecemos as leis. para o plural. O verbo concordará com os pronomes nós ou vós ou concordar na 3ª pessoa do plural.102 O verbo vai. Exemplo: Batiam cinco horas quando o alarme tocou. o verbo ficará na 3ª pessoa do singular. BATER Esses verbos concordam regularmente com o sujeito. menos de O verbo concorda com o numeral a que se refere. • • A expressão vai para o plural Exemplo: Hajam vista os livros da escola. • 16. Mais de. Haja vista Podem ocorrer as seguintes concordâncias: • A maior parte de. Exemplo: Mais de um aluno apresentou a pesquisa de campo. Observação Se o pronome indefinido ou interrogativo estiver no singular. alguns de nós 17. de preferência.

isso. Faz dois meses que recebemos a carta. distância. . aquilo. • Quando aparece nas expressões é muito. Popularmente é comum usar o verbo TER como impessoal no lugar de haver ou existir. é bastante o verbo SER fica no singular. Isto são fenômenos da natureza. preferencialmente. 19. Quando acompanhado de verbo auxiliar. dias. Exemplo: Choviam lágrimas de seus olhos. Exemplo: Que são homônimos? Quem foram os vencedores do campeonato? • O verbo SER concordará com o numeral na indicação de tempo. • Verbos que exprimem fenômenos da natureza usados em sentido figurado deixam de ser impessoais. Exemplo: É uma hora da madrugada. mas poderá concordar com o sujeito. Concordância dos verbos impessoais Ficam na 3ª pessoa do singular. Tem cinco anos que moravam em Portugal.102 Deu quatro horas e ninguém foi visto. Quando o sujeito for os pronomes tudo. Observação • O verbo SER ora concorda com o sujeito ora concorda com o predicativo. isto o verbo SER concorda. quando indicar quantidade. Chovia muito naquela noite. distância. • Exemplo: Tudo são flores no início da relação. 18. esse fica invariável na 3ª pessoa do singular. • Quando o sujeito for um dos pronomes QUE ou QUEM o verbo SER concordará obrigatoriamente com o predicativo. São dezenove horas em ponto. Exemplo: Havia cinco anos que moravam em Portugal. com o predicativo. medida. Concordância do verbo SER Exemplo: Quatro reais é pouco para irmos ao cinema. pois não possuem sujeito. o. • Exemplo: Devia haver cinco anos que não falávamos com Rita. é pouco.

102

Seis quilos de feijão é mais do que pedi. 20. Concordância do verbo PARECER O verbo PARECER antes de infinitivos admite duas concordâncias:

O verbo PARECER se flexiona e o infinitivo não varia.

Vimos que quando o sujeito é simples o verbo concorda em número e pessoa, estando o sujeito antes ou depois do verbo. Se o sujeito for composto, há vários casos de concordância, tais como o sujeito anteposto ao verbo (o verbo vai para o plural, ou poderá ficar no singular); sujeito posposto ao verbo (o verbo vai para o plural ou pode concordar com o núcleo do sujeito mais próximo); sujeito representado por coletivo e assim por diante.

Exemplo: As paredes do prédio pareciam estremecer. • Não varia o verbo PARECER e o infinitivo é flexionado.

Exemplo: Os alunos parecia concordarem com o diretor da escola.

O verbo PARECER concordará no singular, usando-se oração desenvolvida.

EXERCICIOS RESOLVIDOS
1 – (UFPR) – Observe a concordância verbal: 1 – Algum de vós conseguirei a bolsa de estudo? 2 – Sei que pelo menos um terço dos jogadores estavam dentro do campo naquela hora. 3 – Os Estados Unidos são um país muito rico.

Exemplo: As paredes parece que estão estremecidas. CONCLUSÃO Como se pode notar concordância verbal é um assunto bastante extenso e requer muito estudo e concentração, pois apresenta várias regras e algumas se diferenciam por pequenos detalhes.

102
4 – No relógio do Largo da Matriz bateu cinco horas: era o sinal esperado. a) Somente a frase 1 está errada. b) Somente a frase 2 está errada. c) As frases 2 e 3 estão erradas. d) As frases 1 e 4 estão erradas. e) As frases 2 e 4 estão erradas. Resposta: D Quais de vós, quantos de nós, alguns de nós, etc. admitem as seguintes concordâncias: o verbo concorda com o pronome indefinido ou interrogativo, ficando na 3ª pessoa do plural ou concorda com o pronome pessoal. Porém, se o pronome estiver no singular o verbo ficará na 3ª pessoa do singular. Na indicação de horas o verbo bater concorda com o número de horas, que normalmente é o sujeito. O verbo bater pode ter outra palavra como sujeito, com a qual deve concordar. Ocorrem as seguintes concordâncias: a expressão haja vista fica invariável quando equivalente a atente-se; por exemplo. O verbo haver varia quando equivale a vejam-se. 3 – (UFCE) – Como a frase “fui eu quem fez o casamento”, também estão corretos os períodos abaixo: d) Mais de um dos candidatos se cumprimentaram. e) Não tínhamos visto as crianças que faziam oito anos. Resposta: C

1. Fui eu que fiz o casamento. 2. Foi eu quem fez o casamento. 4. Fui eu que fez o casamento. 8. Foste tu que fizeste o casamento. 16. Foste tu quem fez o casamento.

2 – (UEPG – PR) - Assinale a alternativa incorreta, segundo a norma gramatical:

32. Fostes vós que fez o casamento. 64. Fostes vós quem fez o casamento. Resposta: 89

a) Os Estados Unidos, em 1941, declararam guerra à Alemanha. b) Aqueles casais parecia viverem felizes. c) Cancelamos o passeio, haja visto o mau tempo.

Quando o sujeito for o pronome relativo QUEM o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou concorda com o antecedente. Se o sujeito for o pronome relativo QUE o verbo concorda com o antecedente.] 4 – (CESGRANRIO) – Há concordância inadequada em:

102
a) clima e terras desconhecidas. b) clima e terra desconhecidos. c) terras e clima desconhecidas. b) fazem/havia/existe d) terras e clima desconhecido. e) terras e clima desconhecidos. d) faz/havia/existem Resposta: C O adjetivo posposto a dois ou mais substantivos há duas concordâncias: O adjetivo concorda com o mais próximo ou vai para o plural. Se os gêneros são diferentes, prevalece o masculino. 5 – (UEPG – PR) – Marque a frase absolutamente inaceitável, do ponto de vista da concordância nominal: a) É necessária paciência. b) Não é bonito ofendermos aos outros. c) É bom bebermos cerveja. d) Não é permitido presença de estranhos. e) Água de Melissa é ótimo para os nervos. Resposta: A Há duas concordâncias para as expressões é bom, é necessário, etc.: - fica invariável, portanto no masculino, se o sujeito não vem precedido de artigo ou outro elemento determinante. Se vier precedido de artigo ou elemento determinante concorda com o sujeito. a) batem – consertam-se – houve b) bate – consertam-se – havia c) bateram – conserta-se – houveram e) faz/havia/existe Resposta: D Haver/fazer são verbos impessoais. São empregados apenas na 3ª pessoa do singular. Haver (sentido de existir, ocorrer) e o verbo Fazer (na indicação de tempo). Existir é pessoal e concorda normalmente com o sujeito. 7 – (UFPR) – Qual a alternativa em que as formas dos verbos bater, consertar e haver nas frases abaixo, são usadas na concordância correta? - As aulas começam quando ... oito horas. - Nessa loja ... relógios de parede. - Ontem ... ótimos programas na televisão. c) fazem/haviam/existem 6 – (CESCEM – SP) – Já ... anos, ... neste local árvores e flores. Hoje, só ... ervas daninhas. a) fazem/havia/existe

esta prova. . livre. pobre. 8 – (PUCCAMP – SP) – Se a altíssimo corresponde alto. o verbo concorda com ele. livre. Nesta questão temos exemplos de superlativo absoluto sintético. libérrimo. O verbo haver. 10 – (PUCCAMP-SP) – “Nunca chegará ao fim. Bater empregado com referência às horas concorda com o número de horas. Resposta: B b) Subordinada adverbial concessiva. pobre. Resposta: D O superlativo absoluto expressa a qualidade de um ser. respectivamente. d) Nada mais se via. paupérrimo. pobre. livre. úmido. Quando há sujeito. livre. b) célebre.102 d) batiam – conserta-se-ão – haverá e) batem – consertarei – haviam Resposta: A b) Organizou-se. cru. pobre. d) célebre. cruel. há de corresponder: a) célebre. conjuga-se na 3ª pessoa do singular. Resposta: E A oração E não pode ser passada para a voz passiva analítica. sem comparação com outro ser. humílimo. por mais depressa que ande”. c) Não se deverá realizar mais a festa. cruel. e) Subordinada adverbial comparativa. e) célebre. concorda com o sujeito da oração. A partícula SE na segunda oração é apassivadora. O “SE” é índice de indeterminação do sujeito. líbero. A oração destacada é: a) Subordinada adverbial causal. d) Subordinada adverbial consecutiva. pau. humilde. ocorrer. cru. 9 – (UFV-MG) – Em todos os itens o pronome SE é apassivador. no seu grau mais elevado. ontem. É formado pelo radical do adjetivo + sufixo. EXCETO: a) Sabe-se que ele é honesto. não pode ser pronome apassivador. então. humilde. a celebérrimo. cruel. c) Subordinada adverbial condicional. e) Assistiu-se à cerimônia inteira. c) célebre. úmido. Quem assistiu à cerimônia? Não sabemos quem é o sujeito. crudelíssimo. humilde. no sentido de existir.

Resposta: B A oração subordinada substantiva completiva nominal funciona como complemento nominal de um substantivo. começamos a formular nossas mensagens. adjetivo ou advérbio da oração principal mais importante nas relações humanas. a música e tantos outros. cercam a vida do ho-mem moderno. o telégrafo. Em todos.102 A Oração subordinada adverbial concessiva indica uma concessão às ações do verbo da oração principal. pela imitação e associação. Desde que nascemos. a imprensa. e) subordinada adjetiva explicativa. seja cada vez Sons. a língua de-sempenha um papel preponderante. diversos e imprevistos. A oração em destaque é: a) subordinada substantiva subjetiva. transmitidas pelos mais diferentes canais. seja em . Língua e sociedade O caráter social de uma língua já parece ter sido fartamente demonstrado. os cartazes de propaganda. interligados às mais novas ciências e técnicas. não há nenhuma relação de mera ca-sualidade. há uma contradição ou um fato inesperado. razão pela qual seu estudo já envolve modernos processos científicos de pesquisa. um mundo de signos lingüísticos nos cerca e suas inúmeras possibilidades comunicativas começam a tornar-se reais a partir do momento em que. 11 – (UFPR) – Julieta ficou à janela na esperança de que Romeu voltasse. gestos. o cinema. o meio mais comum de que dispomos para tal. compondo mensagens de toda ordem (Henri Lefèbvre diria poeticamente que "niágaras de mensagens caem sobre pessoas mais ou menos interessadas e contagiadas"). b) subordinada substantiva completiva nominal. acredita-se. c) subordinada substantiva predicativa. de fato. por exemplo. os desenhos. d) subordinada adverbial causal. como. o rádio. hoje. como a televisão. A Língua Entre sociedade e língua. Entendida como um sistema de signos convencionais que faculta aos membros de uma comunidade a possibilidade de comunicação. imagens. o telefone. E toda a nossa vida em sociedade supõe um problema de intercâmbio e comunicação que se realiza fundamentalmente pela língua. a própria Cibernética. isto é.

102 sua forma oral. PRETI. através dela. que é a língua que utilizamos. Mas trata-se de uma língua portuguesa ou de várias línguas portuguesas? O português da Bahia é o mesmo português do Rio Grande do Sul? Não está cada um deles sujeito a influências diferentes – lingüísticas. A língua escrita é. a preocupação de levar os alunos à utilização da linguagem comum obriga o mestre a recorrer a uma linguagem um pouco mais trabalhada que a de seus ouvintes. neste caso. p. que a noção não é muito precisa.. que é preciso “falar a mesma língua”: o português. a linguagem cuidada emprega um vocabulário mais preciso. por exemplo. determinadas profissões. uma vez que se estabelecem segundo critérios heterogêneos. em termos gerais. que compreende não só as relações diárias entre os membros da comunidade. geralmente. Ademais. Essas distinções são um pouco fluidas. mais elaborada que a língua falada [. as incorreções gramaticais são geralmente em função de restrições materiais: dificilmente poderá um comentarista esportivo manter uma linguagem cuidada ao descrever e comentar uma partida ao vivo. Os níveis da Linguagem Para que se efetue a comunicação é necessário haver um código comum. A linguagem ora-tória cultiva os efeitos sintáticos. ciências ou técnicas levam ainda à definição de outros níveis. então. Editora Nacional. Nas grandes civilizações. e utiliza imagens. num critério sociocultural. à gíria. Diz-se. Os vocabulários próprios de determinadas regiões. Tentar adaptar a própria linguagem à do interlocutor já é efetuar um ato de comunicação. 1974. o contato com o mundo que nos cerca é permanentemente atualizado. O vocabulário. e muitas de suas construções são tidas como “incorreções graves” nos níveis de maior formalidade. apóia-se . Aí os níveis são menos numerosos e diretamente relacionados com o condicionamento sociocultural. E. segundo critérios diferentes. mais raro. Sociolingüistica: os níveis de fala. e uma sintaxe mais elaborada que a da linguagem comum.Vê-se. A comunicação envolve. De modo geral. ambientais? O português de um médico é igual ao de seu cliente? O ambiente social e o cultural não determinam a língua? Estas questões levam à constatação de que existem níveis de linguagem. O essencial é ter-se consciência desses níveis de linguagem na medida em que determinam o bom funcionamento da comunicação. como também uma atividade intelectual.. na expressão oral. uma reelaboração. São Paulo. a sintaxe e mesmo a pronúncia variam segundo esses níveis. rítmicos e sonoros. por exemplo. entretanto. É difícil imaginar como um professor daria suas aulas se não empregasse uma linguagem acessível às crianças. Dino. a língua é o suporte de uma dinâmica social. ao passo que a distinção linguagem informal/linguagem oratória se apóia sobretudo numa diferença de situação (o mesmo indivíduo não empregará a mesma linguagem ao fazer um discurso e ao conversar com amigos num bar). científica ou literária. seja através de seu código substitutivo escrito.]. climáticas. que vai desde o fluxo informativo dos meios de comunicação de massa até a vida cultural. As linguagens familiar e popular recorrem às expressões pitorescas. tanto no vocabulário quanto na sintaxe. A distinção linguagem popular/linguagem cuidada.

pernambucanos. Um médico ao explicar um procedimento cirúrgico. muitas vezes chocam pela falta de decoro e desvalorizam socialmente aqueles que o empregam. Exemplos. Um advogado. bem delimitadas. difícil de compreender ou incompreensível para os não-iniciados. faz diferentes usos de língua ao conversar com um colega de profissão. do tipo de mensagem e do momento ou contexto. ou da finalidade. surfistas. 1981.102 VANOYE. São três os principais níveis ou registros de linguagem: a) A linguagem culta ou variante padrão é utilizada pelas classes intelectuais da sociedade. científico. A esses tipos de variedades dá-se o nome de registros. no ato da escrita. cariocas. Francis. Marginais do tráfico de drogas. algumas vezes. Martins Fontes. p. Ed. grupos de rap e policiais. sobretudo no que se refere . Sua sintaxe é complexa. por exemplo. nela. As fronteiras entre a gíria e o jargão não são. b) A linguagem coloquial é utilizada pelas pessoas que fazem uso de Registro é como chamamos a variante lingüística condicionada pelo grau de formalidade existente na situação em que se dá o ato da fala. São Paulo. É a variante de maior prestígio e aquela ensinada nas escolas. por exemplo. por exemplo. JARGÃO E CALÃO A língua e suas variedades Uma língua não é falada de maneira igual pelos seus usuários. ao redigir um bilhete para a secretaria ou os argumentos de defesa de um réu. grosseiros ou obscenos. Não sendo uniforme. um economista ao explicar a desvalorização da moeda ou um advogado ao explicar procedimentos e argumentações lingüísticas empregam jargões próprios de sua profissão. ao dirigir-se a um juiz no tribunal. A gíria e o jargão são os códigos lingüísticos próprios de um grupo sociocultural ou profissional com vocabulário especial. revelando-se incapaz para a comunicação do conhecimento filosófico. uma absoluta obediência à gramática e à língua dos escritores clássicos. um nível menos formal. sem vocabulário mais amplo e há. Relativamente à linguagem culta. Usos da Linguagem. mineiros e etc. mais cotidiano. que. à faixa etária e ao momento histórico. As variações lingüísticas são decorrentes: a) do falante: variedades relacionadas à região onde se nasce. O calão (ou baixo calão) é uma realização lingüística caracterizada pelo uso de termos baixos. apresenta limitação vocabular. artístico.30-32 GÍRIA. a expressão de gaúchos. Essas variações são principalmente de natureza fonética (o que chamamos de sotaque). Apresenta maior liberdade de expressão. ao meio social em que se é criado ou se vive. empregam gírias que os identificam e contribuem para a coesão do grupo. à profissão que se exerce. b) da situação: variedades que ocorrem em função do interlocutor. dependendo do contexto. podemos observar muitas variações se compararmos.

em vez de lhe darem a Raquel. Quantas coisas há no Mundo muito amadas. deram-lhe Lia.” 3) Popular: mãi: não vou aumoçá em casa pruque meu amigo mim convidô prá aumoçá na churrascaria. vi ela. é não conhecer quem ama. assiste-se a um nivelamento de linguagem no registro coloquial. Exemplificando: Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro (Oswald de Andrade) 1) Culto: “A segunda ignorância que tira o merecimento ao amor. onomatopéias e formas incorretas gramaticalmente (Oropa. Sermão do Mandato) c) A linguagem popular é aquela utilizada por pessoas de baixa ou nenhuma escolaridade. pobrema. Servis por quem servis. beijo (Thiago) É necessário falar-se nas línguas regionais ou. Você pode usar uma linguagem mais relaxada no bate-papo informal. Ah enganado pastor e mais enganado amante! Se perguntarmos à imaginação de Jacó por quem servia. Serviu Jacó os primeiros sete anos a Labão. se as conhecera quem as ama. Atualmente. Mas se fizermos a mesma pergunta a Labão. mas ao falar com seu chefe ou com uma autoridade procurará cuidar mais da língua e aproximar-se do padrão culto da linguagem. O regionalismo está presente na literatura brasileira nas obras de Jorge . dirá com toda certeza que serve por Lia. a quem ama. Não há nenhuma preocupação com as regras gramaticais. nós vai. graças aos meios de comunicação. nas suas formas oral e escrita. E assim foi. nóis fumo. 2) Coloquial : Pronominais Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e o bom branco Da Nação Brasileira As variantes lingüísticas podem decorrer das circunstâncias que cercam o ato da fala. e ao cabo deles. (Pe. Este nível raramente aparece na forma escrita e caracteriza-se como um subpadrão lingüístico.. não servis por quem cuidais. tauba. Na linguagem popular.102 à gramática normativa.). O mesmo ocorrendo com suas mensagens escritas. refletindo os costumes do povo que a habita. O regionalismo pode ser definido como o meio peculiar expressão de uma região. Antônio Vieira. e o que há de ser. estauta. É a linguagem utilizada pelos meios de comunicação de massa em geral.. responderá que por Raquel. que. que sabe o que é. no regionalismo. simplesmente. com muitas gírias. e não ao amor. lâmpia. o vocábulo é bem mais restrito. haviam de ser muito aborrecidas! Graças logo ao engano.

tipo assim. Queira confirmar. Às vezes. ( ) “Uma das diferenças fundamentais entre o álcool e o fenol é que somente o fenol é capaz de sofrer uma dissociação iônica em solução aquosa exibindo o seu caráter ácido. ( ( ) Pai. Com um abraço do Salústio.” ( ) Não tem problema. tá? Aqui tudo em ordem. ( ( ) Me faz um favor: vai no banco pra mim. ( Texto adaptado do livro Português – novo ensino médio.” ( ) “Amigo Pedro: Me parece que já seguiram os livros que você me pediu. preciso de grana! ) Nóis cunhece o caminho da roça como ninguém.102 Amado. Leia o texto abaixo e responda à questão 2 ( ) O materialismo dialético rejeita o empirismo idealista e considera que as premissas do empirismo materialista são justas no essencial. Graciliano Ramos. com programas que enfatizavam a guerra. dentre outros. 1) Observe as sentenças e classifique-as conforme o código abaixo: (1)Língua (2)Língua (3)Língua (4)Língua (5)Língua (6)Língua culta coloquial inculta ou vulgar regional grupal (jargão) grupal (gíria) ( ) Trabalhava com penosa e foi em cana. . o vocábulo regional necessita de notas explicativas para se lhes apreender o sentido. ) Você é pai d’égua. o roubo e a venalidade. através dos meios de comunicação. sô! Sketchs Dois homens tramando um assalto. Fartou assucar mais tem qejo. ( ) Temos conhecimento de que alguns casos de delinqüência juvenil no mundo hodierno decorrem da violência que se projeta. se. Autor: João Maia – 10ª edição – Editora Ática e do livro Produção de textos & usos da linguagem de Samira Campedelli – 2ª edição – Editora Saraiva) ( ) Cara. Rachel de Queiroz. o seu filho escrever como fala ele tá ferrado.

enche o cara de chumbo.. b) Como pode ser explicada a formação de palavras como “mermão”. tá recehado? Tá. 2) Analise o primeiro registro utilizado. Engrossou. Luis Fernando. Servicinho manero. sujou. O guarda se afasta. Então vamlá. Disfarça. como se vê.102 Valeu.Tá na mão. O berro. “vamlá”? c) Que características guarda o segundo registro VERÍSSIMO. . O guarda passa por eles. foram usados dois tipos de registro. a) Como pode ser classificado? . mermão? Tu traz o berro que nóis vamo rendê o caixa bonitinho..Podes crê. . . LINGUAGEM E INTERAÇÃO SOCIAL Nesse sketch (flagrante) de Luis Fernando Veríssimo. 8 mar. .Ih. É só entrá e pegá. Paulo... Aparece um guarda. As aventuras da família Brasil. 1998 LÍNGUA. O imperativo categórico de Hegel chega a Marx diluído pela fenomenologia de Feurbach. Discordo terminantemente. Ou que os iluministas do século 18. O Estado de S. disfarça.Tá com o berro aí? .Pelo amor de Deus! Isso é o mesmo que dizer que Kierkegaard não passa de um Kant com algumas sílabas a mais. Pra arejá.

elas falam. nesse Cartum. utilizam linguagem. etc. se movimentam. dança. que a mensagem emitida pelo locutor foi plenamente captada pelos interlocutores. nos fazemos compreender por uma pessoa e modificamos seu comportamento. Em outras palavras. Na comunicação entre as pessoas da tira. da mímica. A comunicação ocorre quando. da escultura. CONCEITUANDO O ser humano utiliza diferentes tipos de linguagem. Assim: Mensagem é o que uma pessoa transmite e a outra na forma de linguagem. . pois nele as pessoas interagem pela linguagem. embora essa mensagem não coincida com o pensamento verdadeiro do locutor. como a da musica. Linguagem é a representação do pensamento por meio de sinais que permitem a comunicação e a interação entre as pessoas. gesticulam. Vimos. de modo que um modifica o comportamento do(s) outro(s).102 O Cartum de Quino retrata uma situação de comunicação. da pintura. da fotografia. ao emitirmos uma mensagem.

da face. as personagens se comunicam por meio da fala e de gestos. sabemos. empregam códigos. as buzinas dos automóveis. O código é uma convenção estabelecida por um grupo de pessoas ou por toda a comunidade. parte do nosso dia-a-dia. Símbolos[. como as histórias em quadrinhos. A língua portuguesa.. utilizada por um guia de viagens para indicar o que cada hotel oferece ao turista: Na situação de comunicação presente no cartum de Quino. A linguagem verbal é aquela que tem por unidade a palavra: as linguagens não verbais têm outros tipos de unidade. Por meio deles. Por isso utilizam palavras e movimentos do corpo. Assim: Código é um conjunto de sinais convencionados socialmente para a transmissão de mensagens. podemos escolher a área de fumantes ou não fumantes em lugares públicos. No cartum acima.] Banheiras e/ou chuveiro em todos os apar- Elevador tamentos. é o código mais utilizado em nosso pais para situações de comunicação. é permitido?  A LÍNGUA Serviço de quarto 24h  O CÓDIGO . por exemplo. etc. o teatro e a tevê. por exemplo. nos orientamos sobre a direção a tomar o trânsito. e as linguagens não verbais. ou Estacionamento cama extra em quarto de casal Os sinais fazem. variando com o acordo dos usuários do código. Quarto de solteiro Permitido animais (sempre chegue a reserva) Apartamento para mais de 2 pessoas. Quino cria humor explorando um desses sinais: é proibido fumar. Mas e matar. Além da palavra. Que tipo de linguagem veicula com maior rapidez uma informação? Leia esta lista de símbolos. etc. os símbolos. oral ou escrita.102 Varias linguagens podem ser organizadas em dois grupos: a linguagem verbal.. e o número de sinais que o forma é limitado. são também códigos. o cinema. e dos gestos. qual é o banheiro masculino ou feminino em restaurantes. os sinais de trânsito. ou seja. que utilizam a imagem e a palavra. modelo de todas as outras. a menos que haja aviso em contrário. da cabeça. o código morse.

transformando-se historicamente. com influencias que ele recebe do grupo social a que pertence. algumas palavras perdem ou ganham silabas. Porem ele nada significa para nós. de acordo com a história pessoal de cada individuo. justificadas por motivos históricos. Observe como o enunciado ganha sentido se combinarmos as palavras dessa forma: A língua evolui. Porém. outras deixam de ser utilizadas. “no Rio de Janeiro”. Como ela é um código aceito convencionalmente. novas palavras surgem de acordo com as necessidades sem contar os “empréstimos” de outras línguas com as quais a comunidade mantém contato. A fala também se modifica. do vocabulário e das leis combinatórias da língua. usamos a língua portuguesa para nos comunicar e interagir com outras pessoas. Na foi comunidade Amazônia descoberta indígena. Nós vamos. culturais. Foi descoberta comunidade indígena na Amazônia. Onde se fala melhor o português no Brasil? Você já deve ter ouvido esse tipo de pergunta. é sempre individual e seu uso depende da vontade do falante. A fala. de acordo com a visão moderna de língua. com suas intenções. “no Rio Grande do Sul”. Assim. Nós podemos. sociais. Por exemplo. aos poucos. NORMA CULTA E VARIEDADES LINGUÍSTICAS Cada um de nós começa a aprender sua língua em casa no contato com a família.102 Na comunidade em que vivemos. quanto maior o domínio que temos da língua. E também respostas como “no Maranhão”. por exemplo. com sua formação escolar com sua cultura. nem mesmo o português lusitano. maiores são as possibilidades de termos um desempenho lingüístico eficiente. também. exercitando nosso aparelho fonador ( a . não existe um modelo lingüístico que deva ser seguido. um único indivíduo não é capaz de criá-la ou modificá-la. Dominar bem uma língua não significa apenas conhecer seu vocabulário. conhecer o sentido de cada uma das palavras deste enunciado: A língua pertence a todos os membros de uma comunidade. entretanto. Língua é um tipo de código formado por palavras e leis combinatórias por meio do qual as pessoas se comunicam e interagem entre si. é preciso também ter domínio de suas leis combinatórias. Nem a língua nem a fala são imutáveis. limitando o que ouve e apropriando-se. porque não foram respeitadas as leis de combinação das palavras.

Apesar disso. tem maior prestigio social. os maxilares. na rua. dos metaleiros. . de acordo com as condições sociais. culturais e históricas em que é utilizada. a variedade lingüística de maior prestígio social. Norma culta é a língua padrão. as cordas vocais ) para produzir sons que se transforma em palavras e textos inteiros. na escola. em alguns programas de televisão.102 língua. dos surfistas ) são chamadas genericamente de norma popular. Essas diferenças no uso da língua constituem as variedades lingüísticas. a norma culta ou norma padrão. desde que cumpram com a eficiência o papel fundamental de uma língua o de permitir a interação verbal entre as pessoas. É a variedade lingüística ensinada na escola utilizada na maior parte dos livros e revistas e também em lingüísticas ensinada na escola. o jargão de grupos ou profissões ( a linguagem dos policiais. ou por fazerem parte de outro grupo social. utilizada na maior parte dos livros e revistas e também em textos científicos e didáticos. Em contato com outras pessoas. ou por terem idade diferente da nossa. dos jogadores de futebol. observamos que nem todos falam igual . Todas as variedades lingüísticas são adequadas. no trabalho. A língua fala Variedades lingüísticas são as variações que uma língua apresenta. etc. uma dessas variedades. As demais variedades como a regional. Há pessoas que falam de modo diferente por serem de outras cidades ou regiões do país. os lábios. os dentes. a gíria.

etc. Saber usar bem uma língua equivale a saber empregá-la de modo adequado as mais diferentes situações sociais de que participamos. o autor satiriza dificuldade que alguns jovens de hoje têm para elaborar enunciados mais complexos. como skate. O ensino da língua culta. Nesta tira retirada de um site na internet: tironas. O uso da língua também pode informar sobre nossa timidez. as vezes. Assim. na escola. blogpost. qual nosso nível social e escolar. Ela pode tanto facilitar quanto dificultar o nosso relacionamento com as pessoas e com a sociedade em geral. surfe. torna-nos mais preparados para nos comunicarmos. somado ao domínio de outras variedades lingüísticas. o domínio da língua culta. etc. . mostra que por meio do silêncio ou de diálogos curtos. Transmite também um conjunto d informações sobre nós mesmos. sobre nossa capacidade de nos adaptarmos as situações novas. até nossos valores. em que região do país nascemos. Certas palavras e construções que empregamos acabam “denunciando” quem somos socialmente: por exemplo.102 A linguagem que utilizamos não transmite apenas nossas idéias.com. Ao contrario. nossa insegurança. nossa formação e. circulo de amizades e hobbies. não tem a finalidade de condenar ou eliminar a língua que falamos em nossa família ou em nossa comunidade. a língua é um poderoso instrumento da ação social.

observe a fala do limitar: Cheguei na beira do porto onde as onda se espaia. Eu entrei no Mato Grosso. . cantar. A tua saudade corta como o aço de navaia. por exemplo). Quase sempre é criada por um grupo social como o dos fãs de rap. Trobar: trovar. Nas cantigas medievais portuguesas. despedi da parentaia. Quando ligada a profissões. Quando eu vim de minha terra. produzidas entre os séculos XII – XIV temos exemplos de variações históricas: As garça dá meia volta. de sexo. de idade. Lá tinha revolução. enfrentei fortes bataia. isto. diferencia. e senta na bera da praia. dos dentistas e de outras profissões. jiu-jitsu. a gíria é chamada de jargão. o dos quem praticam certas lutas.102  DIALETOS E REGISTROS Há dois tipos básicos de variação lingüística: os dialetos e os registros. etc. conhecida como “variedade caipira” veja: Cuitelinho As variações de registros ocorrem de acordo com o grau de formalismo existem nas situações de comunicação. Nessa tira de Mort Walker. E o cuitelinho não gosta que o botão de rosa caia. com a sintonia entre os interlocutores que envolve aspectos como graus de cortesia. como capoeira. por exemplo. dei m terras paraguaia . bate uma a outra faia Ai dona fea! Foste-vos queixar Porque vos nunca loúvem meu trobar Loarei: louvrei Mais ora quero fazer um cantar Fea: feia Em que vos loarei toda via. etc. de classe ou grupos sociais e da própria evolução histórica da língua. tecnicidade ( domínio de um vocabulário especifico de algum campo cientifico. Mais ora: mas agora Já nesta letra de uma canção de Paulo Anzolini temos uma variedade regional do interior de alguns Estados brasileiros.  GIRIA A gíria é um dos dialetos de uma língua. Os dialetos são variedades originadas das diferenças de região ou território. É o casso do jargão dos jornalistas dos médicos. com modo de expressão.O coração fica aflito. é se trata de um registro oral ou escrito. de heavy metal.

Quando diferença de uma variedade social é muito grande em relação às demais. Informal: é o caso de correspondência entre membros de uma família ou amigos íntimos e caracteriza-se pelo uso de abreviações. frases curtas. O lingüista Luiz Carlos Travaglia. como ofendêlas e as respeito. caracteriza-se por construções gramaticais soltas.Graus de Formalismo São muitos os tipos de registros quanto ao formalismo. Sem planejamento prévio. Perceba que. É o caso da escrita dos bons jornais e revistas. repetições freqüentes. quando os grupos querem se opor e marcar a participação e integração das pessoas nas lutas. etc. Conheça alguns deles: Formal: linguagem cuidada. explica por quê: Os dialetos sociais exercem na sociedade um papel de identidade pela linguagem. Esse grau de formalismo pode se dar por três razões básicas: pela idade do locutor. 102  Dialeto Social e Identidade Grupal. reivindicações. emprega também um registro formal. ortografia Dialeto simplificada. construções que seriam comuns na língua escrita. Você deve ter notado que certos grupos sociais fazem questão de utilizar ma linguagem própria. etc. o dialeto social pode servir como meio de ocultamento que permite aos membros do grupo se comunicarem livremente sem sofrer com qualquer tipo de atitude ou ações de outros segmentos sociais. conectivos simples. . construções simples. na tira o personagem. pelo cargo que ocupa ou pelo fato de ele querer impressionar alguém. da Universidade Federal de Uberlândia. além de usar a norma culta da língua. idéias. Isso com freqüência tem implicações políticas. e registro não se excluem. do grupo. na variedade culta e padrão. como se nota pela concordância do emprego de palavras e expressões como sexistas e mio a. provando sua linguagem elevada que é um homem culto e bem informado. Coloquial: aparece no diálogo entre duas pessoas.

1 Linguagem Observe a fala do vendedor: expressar o mesmo fato. William e MAGALHÃES C. foram utilizadas duas linguagens diferentes: a) Linguagem Não-Verbal Qualquer código que não utiliza  palavra. semântica e interação”. Observe: Gramática Reflexiva “Texto. b) Não-Verbais. 1. CEREJA R. Esses recursos podem utilizar sinais de diferente natureza. b) Linguagem Verbal Código que utiliza a palavra falada ou  escrita. Tais sinais admitem a seguinte classificação: Linguagem é todo sistema organizado de sinais que serve  como meio de comunicação entre os indivíduos. “Quem sabe o senhor desenha para nós?” Se o comprador soubesse desenhar.Editora Atual Incêndio destruiu o Edifício Z. eles passam a constituir uma linguagem. Quando esses sinais se organizam formando um sistema. Thereza.102 a) Verbais. O homem dispõe de vários recursos para se expressar e se comunicar.10ª edição. o problema estaria resolvido facilmente. Ele poderia lançar na mão de um outro meio de expressão que não fosse a fala. A Linguagem e os processos de Comunicação. .

gritando com desespero. os signos são combinados entre si. há outras formas de linguagem. os gestos. Essa característica pode ser observada em qualquer tipo de enunciado lingüístico. a mímica. utilizam-se de signos. ser considerado dominantemente descritivo. podemos ir decompondo essa totalidade. na primeira. a cor. Mas. ao passo que nas outras exploram-se outros signos. os signos são constituídos dos sons da língua (por exemplo. árvore). A estatura do indivíduo pode ser alterada pelo ângulo de tomada da câmera. ao cinema ou a televisão. em latim). pois capta um estado isolado e não uma transformação de estado. os sons musicais. é impossível conceber uma palavra encavalada em outra. por exemplo. Semelhanças e Diferenças Uma diferença muito nítida vai encontrar no fato de que a linguagem verbal é linear. com a mão na maçaneta de uma porta é descritiva. etc. naquela capacidade humana ligada ao pensamento que se concretiza numa determinada língua e se manifesta por palavras (verbum. a dança. Uma foto. Como nessa seqüência se relata uma transformação de estados que se sucedem progressivamente.102 Quando se fala em texto ou linguagem. comunica-se e influencia os outros. um rosto iluminado pode passar a impressão de alegria. Se na linguagem verbal. num ponto estático do tempo. várias figuras ocorrem simultaneamente. O texto não-verbal pode em princípio. depois. Isto quer dizer que seus signos e os sons que a constituem não se superpõem. por exemplo. normalmente se pensa em texto e linguagem verbais. obedecendo a mecanismos de organização. por meio dessas atividades. Quando contemplamos um quadro. Sobretudo com relação a fotografia. o mesmo rosto. Mas podemos organizar uma seqüência de fotos em progressão narrativa.como as formas. Com efeito. com a diferença de que. de acordo com certas leis. a música e outras mais. cada signo e cada som são usados num momento distinto do outro. Na linguagem não-verbal. Essa disposição de imagens em progressão constitui recurso básico das histórias em quadrinhos. ou seja. Em outras palavras. configura-se a narração e não a descrição. para isso. pode dar impressão de tristeza. exprime seu pensamento. Em todos os tipos de linguagem. pois representa uma realidade singular e concreta. Tanto a linguagem verbal quanto à linguagem não-verbal expressam sentidos e. fada. cinema etc. mesa. o ângulo. por um processo analítico. b) foto da porta semi-aberta com o mesmo homem espreitando o interior de um aposento. na pintura. Para citar o exemplo da fotografia. de um homem de capa preta e chapéu. assim: a) foto de um homem com a mão na maçaneta da porta. sombrio. o fotógrafo dispõe de muitos expedientes para alterar a realidade: o jogo de luz. por exemplo. c) foto de uma mulher deitada na cama. fotonovelas. o homem também representa o mundo. como a pintura. o enquadramento. Mesmo o texto não- . pode-se pensar que o texto não-verbal seja uma cópia fiel da realidade. ao contrário. etc. além dessa. mas se sucedem destacadamente um depois do outro no tempo da fala ou no espaço da linha escrita. um ovo pode virar uma esfera. vários signos podem ocorrer simultaneamente. típica da narrativa. captamos de maneira imediata a totalidade de seus elementos e. Também essa impressão não é verdadeira.

) b)O receptor ou destinatário é o que recebe a mensagem. uma administração. 1. etc. organismo de difusão.2 Comunicação – Os processos da comunicação. não pretendem sumular elementos do mundo real (pintura abstrata com oposições de cores. a comunicação só se realiza efetivamente se a recepção da mensagem tiver uma incidência observável sobre o comportamento do destinatário (o que não significa necessariamente que a mensagem tenha sido compreendida: é preciso distinguir cuidadosamente recepção de compreensão). pela escrita. pelo telefone. Toda comunicação tem por objetivo a transmissão de uma mensagem. Também os textos não-verbais podem ser dominantemente figurativos (as fotos. cartazes. recria e transforma a realidade segundo a concepção de quem o produz. . etc. e se constitui por um certo número de elementos. uma empresa. esculturas modernas com seus jogos de formas e volumes). luz e sombra. pode ser um indivíduo ou um grupo (firma. há uma simulação de realidade. por e-mails. por gestos. até mesmo um Estado podem comunicar-se com seus membros por intermédio de circulares. que cria um efeito de verdade.. e-mails. Em todos estes casos. ou mesmo um animal ou uma máquina (computador). um grupo.102 verbal. pode ser um indivíduo. a escultura clássica) ou não-figurativos e abstratos. Neste caso. Nele. mensagens radiofônicas ou televisionadas. produzindo um efeito de realidade) e não-figurativos (aqueles que exploram temas abstratos). internet. -O esquema da comunicaçãoExistem vários tipos de comunicação: as pessoas podem comunicar-se pelo código Morse. indicados no esquema abaixo: Esses elementos serão explicados a seguir: -Os elementos da comunicação- a) O emissor ou destinador é o que emite a mensagem. Os textos verbais podem ser figurativos (aqueles que reproduzem elementos concretos. etc. _Teoria da comunicação.

mas também um contato psicológico: pronunciar uma frase com voz alta e inteligível não é suficiente para que um destinatário desatento a receba. Meios visuais: excitação luminosa. ela é constituída pelo conteúdo das informações transmitidas. de maneira geral. Galera Jogadores de futebol podem ser vítimas de estereotipação. trepidações. por que não? . De acordo com o canal de comunicação utilizado. valendo-nos da desestruturação momentânea do sistema oposto. choques. .Como é? . Este processo pode se realizar de várias maneiras (representaremos por dois círculos os repertórios de signos do emissor e do receptor): 2. pode-se empreender uma primeira classificação das mensagens: _as mensagens sonoras: palavras. surpreendido pela reversão e)O código é um conjunto de signos e regras de combinação destes signos.Nosso treinador vaticinou que. um aperto de mão. sons diversas. recuperado o esférico.. etc. com energia otimizada. Por exemplo. a fim de assegurar o encaminhamento de sua mensagem para o destinatário: Meios sonoros: voz. no entanto. na zona de preparação. A transmissão bem-sucedida de uma mensagem requer não só um canal físico. percepção da retina.. Uma palavrinha pra galera. músicas. d)O canal de comunicação é a via de circulação das mensagens. . um perfume só constituem mensagens se veicularem. o destinador lança mão dele para elaborar sua mensagem (esta é a operação de codificação). Observação: um choque. Ele pode ser definido. com um trabalho de contenção coordenada. ouvido.Aí.Quais são as instruções do técnico? . galera. por exemplo. Aí.Aí. por vontade do destinador. Níveis de Linguagem . pelos meios técnicos aos quais o destinador tem acesso. _as mensagens olfativas: perfumes. -Minha saudação aos aficionados do clube e aos demais esportistas... O destinatário identificará este sistema de signos (operação de decodificação) se seu repertório for comum ao do emissor for comum ao do emissor. campeão. ondas sonoras. uma ou várias informações dirigidas a um destinatário. _as mensagens tácteis: pressões. _as mensagens gustativas: tempero quente (apimentado) ou não. concatenarmos um contragolpe agudo com parcimônia de meios e extrema objetividade.. aumentam as probabilidades de.102 c)A mensagem é o objeto da comunicação. aqui presentes ou no recesso dos seus lares.. você pode imaginar um jogador de futebol dizendo "estereotipação"? E.

mamãe! . o chamado nível ou padrão formal culto. .a Europa vivia o auge do movimento renascentista -. entende-se que o uso que cada indivíduo faz da língua depende de várias circunstâncias: do que vai ser falado e de que forma. talvez mesmo previsível e piegas. galera). num único longo período) fogem da situação a que a fala está relacionada.. Luis Fernando Veríssimo.Estou vendo que você é um.. podemos reconhecer em uma mesma comunidade que utiliza um único código – a língua portuguesa. ante a surpresa do entrevistador.Uma saudação para a minha progenitora. a situação.Ahn? . não importando o que.102 inesperada do fluxo da ação. em linguagem coloquial: “_Alô. mamãe!” A primeira gramática da língua portuguesa foi publicada em Portugal. algo banal.Um chato? . . a combinação das palavras. por exemplo. do nível social e cultural de quem fala e de para quem se está falando. por exemplo – vários níveis e formas de expressão.Alô. a uma pessoa à qual sou ligado por razões. .Certo. era o padrão formal culto que deveria ser seguido. ao interlocutor e a intencionalidade do falante. a intenção do falante. .Isso. o assunto.Estereoquê? . .Pode.Posso dirigir uma mensagem de caráter sentimental. Isso significa que a linguagem do texto deve ser adequada à situação.” Tradução. . Você quer dizer mais alguma coisa? . um. inclusive.Um jogador que confunde o entrevistador. E o mais curioso é que o jogador tem nítida consciência de qual é a função da linguagem e de qual é o seu papel como falante. As falas do jogador de futebol são inadequadas ao contexto: a seleção vocabular. do contexto. a estrutura sintática e a frase extensa (releia. para que se estava falando. Reflexo do momento histórico . a terceira resposta do jogador.Como é? . genéticas? . pois não corresponde à expectativa de que o atleta seja um ser algo primitivo com dificuldade de expressão e assim sabota a estereotipação? . tanto que. mais adequado àquela situação: “_Uma saudação para a minha progenitora. Voltemos ao texto acima (Aí.É pra dividir no meio e ir pra cima pra pegá eles sem calça. Qualquer que fosse o interlocutor. para quem e Assim. Em outras palavras: só falava e escrevia bem quem seguisse o padrão imposto pela gramática normativa. uma entrevista dada ainda no campo de jogo durante um programa esportivo. passa do padrão formal culto para o padrão coloquial. apresentava um conceito clássico de gramática: “a arte de falar e escrever corretamente”. Hoje. ou seja. Quem fugisse desse padrão incorria em erro. no ano de 1536.

orações. que deu a luz a três meninas. Jornal da Tarde. No início. da tribo Caiabi. etc. programas de televisão ou de rádio. Leia os textos a seguir: Padrão Formal Culto – é a modalidade de linguagem que deve  ser utilizada em situações que exigem maior formalidade . as relações entre termos. após ter permanecido no Hospital Base de Brasília desde o dia 16 de março. metalingüística. vai ter alta depois de amanhã. Fática. a organização das orações e dos períodos. íntimos e familiares. que permitem maior liberdade de expressão. 1982 Texto B Funções da Linguagem . através de uma operação cesariana. Everon não falava uma palavra de Português até ser internada e as meninas serão chamadas de Luana. períodos e parágrafos. Esse padrão mais informal também é encontrado em propagandas. os índios da tribo foram contrários à idéia de Everon ir para o hospital mas hoje já aceitam o fato e muitos já foram visitá-la. sempre tendo em conta o contexto e o interlocutor. Texto A Padrão Coloquial – faz referência à utilização da linguagem em  contextos informais. entre elas. De maneira geral. poética. pela adequação a um conjunto de normas. podemos distinguir o padrão coloquial do padrão formal culto. 13 jul. Caracterizase pela seleção e combinação das palavras. o emprego correto das palavras quanto ao significado.102 Padrão Formal Culto e Padrão Coloquial As funções da linguagem são seis: a) b) c) d) e) f) Função Função Função Função Função Função referencial ou denotativa. Uiara e Potiara. conativa ou apelativa. a regência. A índia Everon. a concordância. a pontuação. emotiva ou expressiva.

Novo dicionário da língua portuguesa. alem do chá. seria mais branda que a brisa da tardezinha. a mulher há séculos. Texto C _ Você acha justo que se comemore o Dia Internacional da mulher? FERREIRA. f. concorda? Já houve alguns avanços. . [Aum.102 Uma morena _ Nada mais justo! Afinal de contas. entende? Texto D Não ofereço perigo algum: sou quieta como folha de outono esquecida entre as páginas de um livro. Esposa. mesmo assim insisto: meus gestos. me esfarelo em poeira dourada. mal se destacam do escuro. ABREU. Caio Fernando. Brasiliense. mulheraça. ed. [Do lat. Não dispense X: ele a tornará tão bela quanto à estrelas de cinema.] S. num segundo me estilhaço em cacos. Aurélio Buarque de H. se tocada por dedos bruscos. que esboçados a sombra. 2. Pessoa do sexo feminino após a puberdade. In: Morangos mofados. mulherona. Fotografias.. 93 Mulher.] 2. vem sendo vítima de exploração e discriminação. Para beber. você está entendendo. raramente admito um cálice de vinho branco. e tão morenos. use o sabonete X. embora sempre os tenha evitado aprendi que minhas delicadezas nem sempre são suficientes para despertar a suavidade alheia. Nova Fronteira. certo. meus passos são inaudíveis feito pisasse sempre sobre tapetes. 1982. se porventura a fizesse.: mulherão. Tenho pensado se não guardarei indisfarçáveis remendos das muitas quedas. quase imperceptível me movo. minhas palavras são magrinhos como eu. 1. São Paulo. verto água limpa sobre as mãos para que se possa refrescar o rosto mas. impressentida. Você percebeu? Apesar disso. Texto E Mulher. ainda hoje a situação da mulher continua desfavorável em relação à do homem. dos muitos toques. Rio de Janeiro. Muliere. sou definida e clara como o jarro com a bacia de ágata no canto do quarto – se tomada com cuidado. mãos tão leves que uma carícia minha.. sabe. 1975. p. mas que seja seco para não esbrasear em excesso minha garganta em ardores. nas conquistas femininas.

A mulher que passa. Ed. Seu dorso frio é um campo de lírios Tem sete cores nos seus cabelos Sete esperanças na boca fresca! Todos os textos lidos. cada mensagem tem uma função predominante. A linguagem é objetiva. Teus belos braços são cisnes mansos Função referencial ou denotativa é aquela que traduz objetivamente a realidade . 1960. O que provoca essa diversificação é o objetivo de cada emissor.102 Longe das vozes da ventania. predomina a função referencial ou denotativa da linguagem. Oh! Como és linda. de acordo com o objetivo do emissor. Texto F Meu Deus. a finalidade é apenas informar o receptor sobre um fato ocorrido. Quando isso acontece. Portanto. mulher que passas Que me sacia e suplicias Dentro das noites. não admitindo mais de uma interpretação. A – Função Referencial ou denotativa Teus sentimentos. Teus pêlos leves são relva boa Fresca e macia. p. In:____. Teus sofrimentos. Meu Deus. Rio de Janeiro. dentro dos dias! No texto A.90. eu quero a mulher que passa. são poesia. que organiza sua mensagem utilizando uma fala específica. o tema é um só: mulher. No entanto. Vinícius de. melancolia. Do autor. 4. Antologia poética. a maneira de cada autor varia. ed. eu quero a mulher que passa! A mulher que passa MORAIS.

Função emotiva ou expressiva é aquela que traduz opiniões e emoções do emissor. por meio de um apelo ou ordem. C – Função Fática No texto C. predomina a função emotiva da linguagem. predomina a função conativa ou apelativa. é a transição de um verbete de um dicionário. prolongar ou encerrar o contato com o receptor. A mensagem do primeiro texto contém um apelo que procura influir no comportamento do receptor. o emissor utiliza expressões que tentam prolongar o contato com o receptor. predomina a função fática da linguagem. São características dessa função: a) verbos no imperativo. testando freqüentemente o canal Neste caso. Messe caso . Função conativa ou apelativa é aquela que tem por objetivo influir no comportamento do receptor. D – Função conativa ou apelativa F – Função Poética . que faz uma descrição subjetiva de si mesmo. Função fática é aquela que tem por objetivo iniciar. descrevem-se as sensações da mulher. Essa mensagem explica um elemento do código – a palavra mulher – utilizando o próprio código nessa explicação. c) pronomes de 2ª pessoa. também chamada de função expressiva. Nesse caso. Função metalingüística é aquela que utiliza o código como assunto ou para explicar o próprio código. O texto E. em que o emissor exterioriza seu estado psíquico. predomina a função metalingüística da linguagem. b) presença de vocativos.102 exterior ao emissor. E – Função metalinguística B – Função emotiva ou expressiva No texto B. Quando a mensagem visa a explicar o próprio código ou utiliza-o como assunto.

ao elabora-la. mas nunca é exclusiva. É importante observar que nenhum texto apresenta apenas uma única função da linguagem. caracteriza a função poética da linguagem Função poética é aquela que enfatiza a elaboração da mensagem. de modo a ressaltar seu significado.102 A preocupação intencional do emissor com a mensagem. . Uma função sempre predomina num texto.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful