Você está na página 1de 9

TESE de Graduação para 2º Dan

“História do Taekwondo em Portugal”

TESE

para 2º Dan “História do Taekwondo em Portugal” TESE Orientador: Mtr. Acácio Gaspar Pedro Miguel Baptista

Orientador: Mtr. Acácio Gaspar

Pedro Miguel Baptista Machado Kukkiwon: 05172214 Data do Exame: 07-06-2003

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

Considerações Gerais

Nesta Tese vou tentar efectuar uma ligação cronológica entre o

Taekwondo a nível mundial e a nível de Portugal. Começarei por fazer

uma introdução sobre o Taekwondo a nível mundial, seguidamente a

nível de Portugal e por fim concluirei com observações pessoais.

O Taekwondo no mundo

1. Primórdios:

A origem do taekwondo na Coreia remonta à dinastia Koguryo, fundada no

ano 37 A.C

KAKCHU-CHONG; descobertos por um grupo de arqueológicos japoneses em 1935, na localidade de Tongku distrito de Chian e província de Tung-Hua na

Manchúria, onde Koguryo tinha a sua capital.

O taekwondo também foi praticado durante a dinastia Sila. Reino fundado a

sudeste da península Coreana vinte anos antes do surgimento de Koguryo. Kyonchu, capital do antigo reino de Sila, contempla muitos monumentos com valores históricos, e onde se pode encontrar no vale Sokkuram, duas estatuetas, em

posição de taekyon (famoso guerreiro Keumkang Yuk Sa), esculpidas numa parede do templo Pulkuk-sa. O templo Pulkuk-sa tem quase dois mil anos, o que representa também um importante testemunho da prática do taekwondo antigo.

A este período pertencem os túmulos reais MUYONG-CHONG e

À 1400 anos, ainda o taekwondo se chamava taekyon ou soobak, no reinado

de Ching Heung de Sila, concentrava um grupo de elite composto por jovens oficiais recrutados e rigorosamente seleccionados entre os filhos das famílias distintas. A este grupo se deu o nome de Hwarang-do. Com o propósito de defender o seu reino este grupo apenas se dedicava ao estudo e a prática de artes marciais. Graças a este grupo, o reino de Sila, apesar de ser o mais pequeno dos três reinos que dividiam a Coreia de então, ganhou muitas

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

batalhas históricas e lendárias, conseguindo conquistar e unificar pela primeira vez a península como um país. As mais antigas crónicas coreanas, Samguk-gaghi e Samguk-yusa, descrevem em vários parágrafos, que os Hwarang-do se exercitavam basicamente na prática do taekyon. Mais tarde apareceu a dinastia Koryo, dinastia esta que foi estabelecida no ano 935 e durou 457 anos. Com o moderno nome de Koryo (Coreia) começou a ser conhecido em todo o mundo, graças as mercadorias que os comerciantes traficavam. Neste período o soobak era popular e muito praticado entre toda a população, chegando inclusive as lides da corte. Narra-se que o rei Uichong ficou muito admirado com as técnicas demonstradas por Yi Ui-Min, que o promoveu imediatamente a PyolJang (grau militar equivalente a coronel). Depois da queda da dinastia Koryo, foi estabelecida uma nova dinastia, a de Yi Cho Sun, criada por Yi Kye. Em 1932 a popularidade do soobak ascendeu mais. Era imprescindível a sua prática para as sociedades militares, sendo mesmo exigido para as promoções. Durante esta época, o rei Chong jo ordenou a Duk Moo-yi que publicasse um livro ilustrado sobre as artes marciais, o Muye-Dobo-Tong-ji. Este livro tem um importante significado porque, na época da dinastia Koryo, o soobak era de certo modo, monopolizado pelos militares, permitindo assim a sua descentralização. Contudo o êxito começou a declinar a partir da segunda metade da dinastia, devido a negligência e oposição da corte real, que se encontrava enturvada por problemas políticos. Mais tarde, entre os períodos da ocupação Japonesa (1910 1945) e a guerra Coreana, a terminologia para a arte marcial coreana mudou várias vezes. Era conhecido como kong soo (mão vazia), tang soo (mão tang) e hwa soo (mão hwarang), sendo oficialmente adoptado o nome de taekwon em 1955.

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado 2. Actualidade:

Em 16 de Maio de 1961, foi criada a “Tae Soo Do Association“ com o objectivo de reunir os vários estilos similares existentes na época. Em 23 de Fevereiro de 1963, a Associação aderiu à Associação Coreana de Atletismo e começou a participar em torneios de carácter nacional. Em 1965 o nome foi alterado para “Associação Coreana de Taekwondo” tendo sido Young Chai Kim o primeiro presidente eleito. Em 1970, o concelho de directores da Associação de Taekwondo elegeram o Mestre e General Choi para a próxima presidência. Desde então, muitos foram os esforços e contribuições para desenvolver e expandir o taekwondo, até ser considerado desporto nacional Coreano devido à sua popularidade. Taekwondo actualmente faz parte do curriculum escolar desde o primeiro grau e é requisito necessário para treino militar. Em 1972, o Mestre Un Yong Kim foi eleito presidente da Kukkiwon, palácio de desportos nacional construído em Seul para treino de estudantes avançados. Kukiwon gere e regula todos os cintos negros nacionais e internacionais, serve de centro de pesquisa para o melhoramento do taekwondo como desporto científico, e alberga torneios e campeonatos nacionais e internacionais. Em Maio de 1973, foram realizados os primeiros campeonatos mundiais de taekwondo realizados na Kukiwon, em Seúl, com cerca de 30 países. Ficando por equipas em primeiro lugar a Coreia, em segundo os Estado Unidos da América e em terceiros o México e a República Popular da China. Os campeonatos mundiais são realizados bi anualmente. A seguir ao campeonato, todos os representantes dos países que participaram, formaram a World Taekwondo Federation em Maio de 1973, e elegeram o Mestre Un Yong Kim como presidente. Em Maio de 1981, com os esforços do Dr. Un Yong Kim, o IOC aprovou a inclusão do taekwondo como modalidade de demonstração nos Jogos Olímpicos de 1988 realizados em Seúl, Coreia. Em 1982, Dr. Un Yong Kim foi eleito como membro executivo do IOC. Durante os Jogos Olímpicos de 1988, o taekwondo foi novamente votado a participar ainda como jogos de demonstração, nos Jogos Olímpicos de 1992 que

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

foram realizados em Espanha. Nos Jogos Olímpicos a realizados no ano 2000 em Sidney, o taekwondo participou como desporto oficial.

O Taekwondo em Portugal

Em 1974 o General Choi, Presidente da International Taekwon-do Federation enviou o grão-mestre David Chung Sun Yong, actualmente 8ºDAN, para fundar e estruturar o Taekwondo em Portugal. A sua introdução teve lugar no Sporting Clube de Portugal, o primeiro Dojang de Taekwondo a funcionar no nosso país. Em 1978 foram formados os primeiros cintos negros Portugueses, tendo desde então sido formados em Portugal mais de 500 Cintos Negros.

Posteriormente o grão-mestre David Chung Sun Yong viria a criar a Academia de Taekwondo Chung e a criar a Associação Portuguesa de Taekwondo, associação esta que foi o ponto de partida para a criação da Federação Portuguesa de Taekwondo. Como reconhecimento para com o povo português, o grão Mestre David Chung, viria a naturalizar-se português.

grão Mestre David Chung, viria a naturalizar-se português. Em 27 de Novembro de 1992 foi criada,

Em 27 de Novembro de 1992 foi criada, em Braga, a Federação Portuguesa de Taekwondo, tendo vindo mais tarde a mudar a sua sede para Lisboa, já presidida pelo actual presidente Sr. António José de Almeida. Mais tarde em 1995 foi atribuído o estatuto de Instituição de Utilidade Pública.

Actualmente a F.P.T. é a entidade máxima da modalidade a nível Nacional, e tem por fim prosseguir, entre outros, os seguintes objectivos:

a) Promover e dirigir a prática do Taekwondo, em articulação com os órgãos do estado responsáveis pelo desporto, com o Comité Olímpico de Portugal e com a Confederação do Desporto de Portugal.

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

b) Estimular a constituição e apoiar o funcionamento de Associações de

clubes de Taekwondo.

c) Estabelecer e manter boas relações de cooperação com todas as outras

Federações filiadas na W.T.F., tendo em vista o fomento do Intercâmbio Internacional.

d) Representar perante a Administração Pública os interesses dos seus

associados."

A F.P.T. é reconhecida pela WTF, pela European Taekwondo Union (ETU -

União Europeia de Taekwondo), Confederação Iberoamericana de Taekwondo (CIT), pelo Comité Olímpico Português (COP) e pela Confederação do Desporto de Portugal.

A Federação tem vindo a conhecer uma dinâmica jamais experimentada

antes, nos seus múltiplos aspectos, tendo granjeado já resultados desportivos além

fronteiras, como corolário do trabalho desenvolvido.

A primeira participação internacional sob a égide da F.P.T. ocorreu em

Novembro de 1993, no "Ciutat de Barcelona", onde estiveram 9 atletas

portugueses (5 masculinos e 4 femininos).

A estreia em provas internacionais oficiais teve lugar em Budapeste

(Roménia), em Julho de 1994, no Europeu de Juniores. A representação nacional coube a 3 atletas masculinos da Associação Taekwondo do Minho, cujas despesas de deslocação foram suportadas por esta, numa altura em que a F.P.T. não dispunha ainda de apoios financeiros por parte do Estado.

A partir de 1995, as selecções nacionais passaram a participar regularmente

em várias provas internacionais, registando-se vários atletas medalhados. Destacamos o atleta João Vagos, por ser o primeiro medalhado da F.P.T., 3º. Lugar no "Ciutat de Barcelona" (1995), Eurypdes Costa, 3º. Lugar no Europeu de Seniores (Helsínquia &de Juniores (Patra - 1997).

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

Já no decurso do corrente ano (Janeiro), foram obtidas as primeiras medalhas de OURO por atletas ao serviço da selecção nacional.

No ano de 2000, conseguiu-se pela primeira vez a transmissão televisiva do torneio internacional de Lisboa, pela mão da RTP e da SporTV.

Destaca-se ainda, em 2002, a inauguração do C.A.R. (Centro de Alto Rendimento) português, em Rio Maior e aquisição do Mestre Jesus Benito, Bi Vice-Campeão do Mundo ao serviço da Federação Espanhola de Taekwondo, para treinador nacional. Tendo-se já conseguido obter, em Maio de 2003, uma estrondosa vitória frente à selecção espanhola.

Este ano foi realizado o I Torneio Nacional Universitário, pelas mão da Federação Académica do Desporto Universitário (FADU), tendo já se obtido a promessa da realização, para o próximo ano, do Campeonato Nacional Universitário, com o respectivo Ranking Nacional Universitário.

Na actualidade existem mais de 50 Lugares de Podium, obtidos por atletas portugueses, onde me incluo quando obtive o 2ºLugar no II Torneio Internacional da cidade de Lisboa ao serviço da Selecção Nacional. Mas estes resultados devem- se também ao facto de já termos em Portugal cerca de 15 Associações Nacionais, 20 Mestres e 7000 atletas federados.

Consciente que não há desenvolvimento desportivo sem uma aposta forte e permanente na Formação, a F.P.T. iniciou a partir de 1998 Cursos de Formação de Treinadores, ultrapassando deste modo o maior problema existente: A falta de união entre treinadores e a falta de uniformização técnica existente até esta data.

Ultrapassado o problema da uniformização, assistiu-se uma evolução exponencial, ascendente, da técnica dos atletas portugueses, o que se veio a reflectir quer na aderência à participação de eventos nacionais, quer nos resultados internacionais.

Estas medidas originaram a necessidade de estruturar as provas de competição, assim sendo, organizou-se as competições da seguinte maneira:

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

1-

2 Provas de apuramento para o Campeonato Nacional de Combates;

2-

Campeonato Nacional de Combates;

3-

Taça de Portugal de Combates;

4-

Campeonato Nacional de Técnica;

5-

Taça de Portugal de Técnica.

Mas a criação destas medidas originou a necessidade de se apostar na formação de árbitros associativos, federativos e internacionais. Para complementar estas medidas adquiriu-se Tatami e quadros electrónicos.

Considerações Finais

Todas estas medidas que foram implementadas tem vindo a originar a evolução por parte de Taekwondo para a competição, o que tem o seu aspecto negativo e um positivo. Como aspecto positivo temos o reconhecimento do Taekwondo e do trabalho dos atletas, treinadores e árbitros portugueses. Para melhorar este trabalho deveria ainda ser criada mais uma prova que seria a realização do Campeonato Nacional de Clubes (competição e técnica), organizado por divisões, à semelhança de outras modalidades individuais. Pois desta maneira passaria ainda a haver mais apoio por parte dos clubes nacionais. Por outro lado tem se vindo a perder os ensinamentos dos ancestrais coreanos, que foram transmitidos de geração em geração, de dinastia em dinastia e que mais tarde foram trazidas pela mão do grão-mestre David Chung para Portugal. Deparamo-nos com uma barreira inevitável. Esta situação exige uma solução rápida e eficaz, senão poderemos estar a assistir a uma perda inevitável de valores, riqueza técnica e acima de tudo de cultura. Uma solução seria a Federação Portuguesa de Taekwondo, tomar previdências e de uma vez por todas começar a fiscalizar os níveis técnicos dos atletas e treinadores portugueses. Outra solução seria criar uma Associação de

Exame para 2º Dan 7 de Junho de 2003 Tese de Pedro Miguel Baptista Machado

Treinadores de Taekwondo de Portugal, que estivesse interligada com a Federação Portuguesa de Taekwondo, e que tivesse como principal função a fiscalização e promoção para a melhoria técnica da ARTE MARCIAL TAEKWONDO.