. dêitico

Enviado por Denny Fischer (SC) em 09-01-2008.

54 sim, 98 não

Significado: Elemento que tem por objetivo localizar o fato no tempo e espaço sem definí-lo. Alguns pronomes demonstrativos podem ser expressões dêiticas bem como certos advérbios. Exemplo: Expressões comuns: Lá, cá, onde, aqui, etc

Funções Dêitica, Anafórica, Catafórica, Exofórica, Epanafórica...
Olá pessoal! Em virtude da dificuldade de encontrar-se um único texto desvendando os mistérios dessas funções, comumente exploradas pela FGV em provas de língua portuguesa, decidi tentar reunir todas neste artigo, de forma a orientá-los sobre a correta classificação das palavras que exercem os referidos papéis. Função Endofórica x Função Exofórica Inicialmente, é preciso identificarmos esses dois conceitos. Embora a FGV não use o termo “endofórica” nas questões, o faz com a palavra “exofórica”. Como exemplo, mostro-lhes as opções de uma questão que já caiu em prova: (A) Exofórico (B) Epanafórico (C) Dêitico (D) Catafórico (E) Anafórico O enunciado não é importante no momento, basta que percebamos quais funções foram colocadas como opções de resposta. No final deste artigo, será possível responder essa questão, sem mesmo termos lido o enunciado. Tenhamos um pouco de paciência até lá! Quero, com essa pequena introdução, informar que as palavras “endofórica” e “exofórica” são, na verdade, gêneros, dos quais são derivadas as demais funções. Entretanto, como podemos perceber pelas alternativas da questão acima, nada impede que esses termos sejam usados de forma geral, ou até mesmo de forma específica. Vejamos: A função endofórica pode ser classificada em anafórica ou catafórica (estudaremos cada função separadamente). Já a função exofórica é mais conhecida como dêitica (ou díctica). Mas qual é a diferença entre endofórica e exofórica? A resposta é bastante simples! Basta atentarmos aos prefixos formadores dos conceitos: Endo – prefixo grego que significa “dentro”. Exo – prefixo grego que significa “fora”. Ora, como estamos tratando de recursos textuais, concluiremos que as palavras com função endofórica se relacionam com termos do próprio texto. Já as exofóricas trazem algo de fora para dentro do texto.

pois a palavra irá apresentar a ideia. Acabamos de ver um exemplo de referência espacial. que consiste na repetição da mesma palavra no início de várias frases. O mesmo acontece com advérbios de tempo. prestem atenção na seguinte frase: Aqui está muito frio. ICMS-RJ < (n)aquela ICMS-SP < (n)esta Outro exemplo para ilustrar essa função é o uso do pronome relativo “que” e suas variações. não haverá repetição. vocês precisarão saber em que data eu escrevi o texto. Exemplo: Conheço uma menina cujo pai é auditor da Receita. fiquei em casa estudando.. a sua resposta deverá ser: “Não sei! Só sei que estava frio no lugar em que você escreveu o texto” Exatamente. gostaria de alertar para o fato de que “anáfora” pode ser também uma figura de linguagem. pois a alteração deles é normalmente necessária.). Por exemplo. muitas vezes a fim de evitar repetições desnecessárias ou viciosas. no momento que vocês estão lendo o texto. “Como assim Diego?!” Ora. até porque. se eu disser que ontem fui ao cinema (mentira. eu não estou mais “aqui”. cujo > pai Dêitica A função dêitica. o “cujo” se refere a um termo que ainda será explicitado na frase. passemos à análise de cada função: Anafórica Em primeiro lugar. Exemplo: Nosso objetivo é este: passar em um bom concurso. às vezes chamada de díctica. Exemplo. Exemplo: se eu escrever o seguinte na data de hoje: . pois a função anafórica está relacionada a este conceito. É interessante fazer uma relação entre os dêiticos e a passagem do discurso direto para o indireto (outro assunto que a FGV gosta de cobrar). Onde eu estou? Bom leitor. texto < que (Ainda não li o texto / Ele escreveu o texto) Catafórica Já a palavra catafórica tem a função de antecipar algo que ainda será dito ou escrito. Uma palavra anafórica tem a função de retomar algo (não necessariamente uma palavra) já mencionado no texto. é aquela que faz a referência exofórica.: Ainda não li o texto que ele escreveu. retomando um termo anterior. Não precisam se preocupar. ou seja. Nesse caso.Entendidos os conceitos. poderão identificar o referente do advérbio de tempo. Prefiro passar naquela a nesta. o advérbio “aqui”) que traz uma ideia de fora para este texto. O exemplo mais comum de anáfora é um dos usos dos pronomes demonstrativos: Exemplo: Farei duas provas em agosto. sendo responsável por localizar algo no tempo ou no espaço. este > passar em um bom concurso Da mesma forma que o relativo “que” faz referência a um termo anterior. pois moro no Rio de Janeiro. O exemplo mais comum (e mais cobrado pela FGV) é o pronome demonstrativo que faz referência a um aposto. a do ICMS-RJ e a do ICMS-SP. uma palavra (no caso.. aí sim.

Tenho certeza que muitos passarão a achar graça de algumas questões. epanastrofe.Você já ouviu falar em dêixis… dêiticos? novembro 4th. a frase correta será: Diego escreveu que compraria alguns livros na semana seguinte. eu e você. muito menos ao seu. O maior problema não é esse. até porque este é um tema para cursos de linguística.” ? Ou então “Aquela é a minha irmã. Esta é a minha irmã: minha irmã está ao meu lado. Como eu mencionei no início do texto. Mas não estamos sozinhos. A resposta só pode ser a letra D (catafórico). Esta e outras questões poderão ser resolvidas no próximo post. Estou selecionando todas as questões sobre esse assunto nas provas da FGV. A partir da próxima semana. uma ao meu lado. caro(a) leitor(a). há várias outras figuras com nomes parecidos. Percebam que não é fácil explicar em texto algo que está fora dele. acabar com o medo desse tipo de questão! Gostaria de deixar claro que não tenho a intenção de esgotar o assunto. agora é possível responder a questão sem o enunciado. Pretendo apenas capacitar todos vocês a fazer qualquer questão a nível de FGV. Vou explicar a diferença da seguinte forma: Imaginem que estamos frente a frente. Todas elas são tipos de repetição de palavras. Espero ter criado um bom exemplo. ora no início. de tão fáceis. semelhante à anáfora. é a repetição de uma palavra no início de cada verso ou frase. Além da epanáfora. Epanafórica Temos aqui não uma função. Iremos. 2008 por Carla Pereira . de uma vez por todas.” ? A resposta é sim! Há diferença em cada uma das frases. Aquela é a minha irmã: minha irmã não está ao meu lado. Suponhamos que eu diga: Essa é a minha irmã. mas sim a possibilidade de pronomes demonstrativos exercerem função dêitica. há duas meninas a mais. como eu já expliquei no comentário da questão do post anterior. Já que exofórico = dêitico e epanafórico = anáforico. Essa é a minha irmã : minha irmã está ao seu lado. epânodo. mas sim uma figura de linguagem.Na semana que vem. Vocês terão uma semana para ler a frase com seu sentido original. Estou falando da menina ao meu ou ao seu lado? Haveria diferença se eu dissesse “Esta é a minha irmã. Ela está longe de mim e longe de você. ou seja. a outra ao seu lado. pois a referência espacial de cada pronome é diferente. epanalepse. comprarei alguns livros. que podem ser colocadas para confundir nossas cabeças: epanadiplose. Questão FGV . ora no fim das frases.

sem referência a lugares e assinado por um desconhecido (Ilari. faz referência ao impacto tecnológico. Ela realiza uma espécie de “ancoragem” da fala na realidade. chamado anáfora. convém imaginar a dificuldade que teríamos para entender de quem partiu um pedido de socorro trazido pelo mar numa garrafa fechada. (C) anafórica e anafórica. algumas questões de português exigiram conhecimento de conceitos bem específicos. com o impacto tecnológico. eu diria até que exigiram conceitos semânticos mais conhecidos por quem atua na área de Lingüística. Para entender a importância dessa “ancoragem”. faz referência à alocação de novos recursos. 2001). Se o candidato consultasse o texto para entender a que os pronomes “deste” e “aquela” faziam referência. O avanço deste não acarreta necessariamente impacto positivo daquela”. Esse fenômeno é chamado de catáfora. fatos etc.2008. em que os termos anunciam/antecipam outros. Na alternativa E. . No trecho “O avanço deste não acarreta necessariamente impacto positivo daquela”. iria ler o seguinte: “(…) A alocação de novos recursos nada tem a ver. na frase “Minha irmã disse isto: já está na hora de almoçar”. Bom. sem data.Comente As provas de concursos da FGV são conhecidas por cobrarem conceitos pouco vistos em provas da ESAF ou do CESPE. chamamos de dêiticas as expressões que se interpretam por referência a elementos do contexto extra-lingüístico em que ocorre a fala. Você já ouvir falar nisso? Conforme explicação do prof. Ocorre sobretudo por meio dos pronomes. ou a lugares e tempos que são localizados a partir da situação de fala. o pronome demonstrativo “daquela”. Esse fenômeno. (B) catafórica e catafórica. O uso do pronome demonstrativo “deste” serve para retomar outra passagem do texto. lugares. Rodolfo Ilari/Unicamp. por exemplo. dos artigos. respectivamente. Na prova para Fiscal de Rendas da Sec. Veja só a questão seguinte: 5. vemos a função dêitica. por sua vez. Fazenda/RJ . garante a coesão do texto e diz respeito a pessoas e objetos. os pronomes demonstrativos exercem. mencionados em outros pontos do mesmo texto. Na questão. porém. tempos. Há casos. isto antecipa já está na hora de almoçar. os pronomes “deste” e “daquela” exercem função anafórica (alternativa C). A dêixis diz respeito principalmente às pessoas que participam da interação verbal. em seu livro “Introdução à semântica: brincando com a gramátia”. função: (A) anafórica e catafórica. Por exemplo. (D) catafórica e anafórica. dos tempos dos verbos e de certos advérbios. portanto. o trecho do enunciado da questão é referente a um dos textos expostos na prova. em princípio. Est. ou seja. (E) dêitica e dêitica.

Está tão ansioso que alguns colegas até sabem disso. O “hoje” do autor do bilhete pode ser diferente do “hoje” do destinatário. portanto. Antes de a esperada reunião acontecer você é convocado para fazer uma viagem. encontra o seguinte bilhete próximo à porta de entrada: A questão é: Quem esteve em sua casa? Em que dia esteve? A reunião já aconteceu ou não? Tais perguntas surgem. Sem a data no bilhete. você não conseguirá saber se a tão esperada reunião já aconteceu ou não. porque “estive” e “hoje” são expressões interpretadas deiticamente.Um outro exemplo: imagine que você trabalhe em uma empresa e está ansioso por uma reunião que ainda deve acontecer. por exemplo. no final da manhã. também pela empresa. . ao entrar em casa. Após 4 dias fora.

e. especialmente na poesia. mais genericamente. anáfora é uma expressão que se refere a uma outra que ocorre na mesma frase ou texto. É uma figura de linguagem muito usada nos quadrinhos populares. Em algumas teorias. Em algumas teorias. mais genericamente. Nestas teorias. chama-se catáfora às referências a expressões posteriores. endófora a ambos os tipos de referências Em lingüística. música e literatura em geral. Lá. anáfora é uma expressão que se refere a uma outra que ocorre na mesma frase ou texto. a definição estrita de anáfora inclui somente referências a expressões anteriores. Em lingüística. chama-se catáfora às referências a expressões posteriores. "Ele" refere-se a "Chomsky" Chegaram então à estação." O pronome pessoal "o" refere-se a Baltasar que está colocado posteriormente. "Este é o meu carro. e. puderam finalmente comprar os tão esperados bilhetes. a qual entidade do mundo real a anáfora se refere." O determinante demonstrativo "Este" refere-se ao nome "carro". Catáfora: • • "Blimunda procurou-o nove anos.Em retórica. Anáfora: • • Chomsky é um linguista norte-americano. Nestas teorias. [editar] Resolução de anáforas Resolução de anáforas (em inglês. Mas Baltasar não aparecia. a definição estrita de anáfora inclui somente referências a expressões anteriores. "Lá" refere-se a "estação". endófora a ambos os tipos de referências. anáfora é a repetição da mesma palavra ou grupo de palavras no princípio de frases ou versos consecutivos. . anaphor resolution) é o processo pelo qual se procura identificar. É um dos problemas clássicos da lingüística computacional. em um texto. Ele é conhecido por ter criado a gramática gerativa.

É muito comum nas trovas populares. Veja outro exemplo. enfatizando o anseio do eu lírico em viver no último andar. Maria. Senhor. Esse recurso usado tão frequentemente na poesia é uma figura de linguagem chamada anáfora.” (Carlos Drummond de Andrade) “Acorda. (Carlos Drummond de Andrade) O poema “O último andar”. Mas é lá que eu quero morar. É lá que eu quero morar. Noite indecisa. A anáfora consiste em repetir uma palavra ou expressão a espaços regulares durante o texto. “No último andar é mais bonito: do último andar se vê o mar. Observe que o poeta inicia os três primeiros versos com a mesma expressão “Vi uma estrela”. Noite à procura. Noite vazia. “Noite – montanha. de todas as mulheres Que ninguém mais merece tanto amor e amizade Que ninguém mais deseja tanta poesia e sinceridade Que ninguém mais precisa tanto da alegria e serenidade”. O último andar é muito longe: custa-se muito a chegar. apresenta dois casos de anáfora: a repetição se dá nas expressões “último andar” e em “é lá que eu quero morar”. com o objetivo de enfatizar essa idéia. é dia de matar formiga de matar cascavel de matar estrangeiro de matar irmão de matar impulso de se matar”. agora nos versos de Vinícius de Moraes: “Tende piedade. de Cecília Meireles.Anáfora Por Paula Perin dos Santos Leia estes versos de Manuel Bandeira: “Vi uma estrela tão alta. cordéis e poemas. mesmo sem alvo. Confusa noite. . Vi uma estrela tão fria! Vi uma estrela luzindo Na minha vida vazia”.

É lá que eu quero morar: no último andar. Os passarinhos lá se escondem. por alguns autores. 406. para ninguém os maltratar: no último andar. no ar. Ática. Francisco Platão. É lá que eu quero morar. 2007. 15 ed. De lá se avista o mundo inteiro: Tudo parece perto. o pronome o de seguiao é. TUFANO. fazer cair). uma vez que se refere a o moço. Logo. Gramática em 44 lições. para designar uma unidade verbal que remete antecipadamente para outra que aparece posteriormente no mesmo texto. Ir para: navegação. no enunciado "O pássaro seguia-o pelo caminho. pesquisa Do grego katafora (kata-ferw: baixar. o termo é utilizado. Moderna. Douglas. 4. Nova Fronteira. reparou o moço". em linguística. Catáfora Origem: Wikipédia. SAVIOLE. no terraço fica todo o luar. Rio de Janeiro. levar para baixo. a enciclopédia livre. [editar] Ligações externas • [1] . considerado uma unidade verbal catafórica. É lá que eu quero morar.” Fontes Literatura em Minha casa: Meus primeiros versos. São Paulo. São Paulo. 2001. Quando faz lua. Estudos de Língua Portuguesa – Minigramática. que aparece posteriormente no enunciado.Todo o céu fica a noite inteira sobre o último andar. por alguns autores. Vol.

Este artigo é um esboço. a expressão que estabelece o referente pode ocorrer no discurso subsequente àquele em que surgem as expressões referencialmente dependentes habitualmente designadas por termos anafóricos (anáfora). No fragmento textual "A irmã olhou-o e disse: . 2008 · Arquivado na categoria Dalton. o pronome pessoal "o" é uma expressão referencialmente não autónoma. cujo valor depende da interpretação de uma expressão presente no contexto discursivo subsequente.João. esboço mais específico. Você pode ajudar a Editor: considere marcar com um Wikipédia expandindo-o. Catáfora designa este tipo particular de anáfora. estás com um ar cansado". de Vinícius de Moraes e Tom Jobim: . em que o termo anafórico precede o antecedente. Exemplos: …O que será que será? Que vive nas idéias desses amantes Que cantam os poetas mais delirantes Que juram os profetas embriagados Está na romaria dos mutilados Está na fantasia dos infelizes Está no dia a dia das meretrizes… Dois exemplos de Anáfora usados por Chico Buarque na composição O Que Será? Outros exemplos mais clássicos de Anáfora podem ser notados na música Eu Sei Que Vou Te Amar. o nome próprio João. Ela pode ocorrer também em pleonasmo. Numa cadeia de referência. Recurso Poético a A Anáfora é um Recurso Sonoro em que o poeta usa da repetição de mesmo vocábulo ou expressão numa mesma posição em sucessivos versos. Anáfora (exemplos) April 6. Quando a cadeia de referência exibe esta ordenação linear. o termo catáfora substitui o termo anáfora.

o pronome o de seguia-o é. considerado uma unidade verbal catafórica. o termo é utilizado. Assim. levar para baixo. para designar uma unidade verbal que remete antecipadamente para outra que aparece posteriormente no mesmo texto. no enunciado «O cão seguia-o para todo o lado. por alguns autores. reparou o rapaz quando se voltou». por alguns autores. que aparece posteriormente no enunciado. em linguística. . uma vez que se refere a o rapaz. fazer cair).Eu sei que vou te amar Por toda a minha vida eu vou te amar Em cada despedidada eu vou te amar Desesperadamente eu vou te amar… …A cada ausência tua eu vou chorar Mas cada volta tua há de apagar O que essa ausência tua me causou Em Pleonasmo: Eu quero porque quero o meu amor E vou que vou com ele atrás do seu CATÁFORA Do grego katafora (kata-ferw: baixar.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful