Você está na página 1de 4

Graduação em Ciências Sociais – IFCH Teoria e Pesquisa em C.

Política 1º semestre de 2011

Programa Geral Este curso tem como objetivos: 1. apresentar as questões metodológicas envolvidas na produção da pesquisa em ciência política, introduzindo a discussão sobre as principais abordagens da disciplina. 2. apresentar e experimentar métodos e técnicas de pesquisa, utilizar as eleições gerais de 2010 como tema para explorar enfoques de análise.

O curso está organizado em aulas de discussão sobre a produção do conhecimento em C.P,, a apresentação das principais abordagens de pesquisa utilizados na disciplina e o aprendizado de métodos e técnicas de pesquisa.

1. A natureza da ciência política. A produção de conhecimento Hillary Wainwright, Uma resposta ao neoliberalismo, RJ: Jorge Zahar, 1998, cap.3 e 4 Gabriel Almond(a), “Separate Tables: Schools and Sects in Political Science”. in A Discipline Divided. Schools and Sects in Political Science, London: Sage, 1990, (pp 13-31) (Também pode ser encontrado em : Political Science, vol21, n4, 1988) Gabriel Almond (b),“ Clouds, Clocks and the Study of Politics”, in A Discipline Divided. Schools and Sects in Political Science, London: Sage, 1990 (pp.32-65) (Também pode ser encontrado em World Politics, vol29, n4, 1977)

2. As abordagens e seu tratamento Institucionalismo/ neo-institucionalismo

*Peter Hall e Rosemary Taylor, As três versões do neo-institucionalismo, Revista Lua Nova,
n.58,2003 Theda Skocpol, El Estado regresa al primer plano: estrategias de análisis en la investigación social. Zona Abierta n. 50, jan-mar 1989, p. 71-122 Maria do Carmo Campelo de Souza, Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964), Ed.Alfa Omega, 1976. Cap.1.(pp.27-42)

Escolha racional
1

caps. O Rio de Janeiro e a República que não foi.Sociais. 4 e 5 Cultura política *Marcello Baquero. n. vol. Ed. 1988 Adam Przeworski. 1985. 2009. n. pp.15.6. UFRGS. vol. Opin.*Adam Przeworski . 1990. 45. n.T. 1998.1 Luciana Veiga e Sônia Maria Guedes Gondim. n. Cia das Letras. A Decisão do Voto. Franz Hensel. n.1 2 . 380-413 . 1. 1991. Marcus Figueiredo. in Pesquisa Social Empírica: Métodos e Técnicas. Democracia formal. Ed. “A Social Democracia como Fenômeno Histórico”. Opin. Mônica Machado . in De Geisel a Collor: o balanço da transição.Gradiva. IDESP/Anpocs.9. Teoria da Cultura política: vícios e virtudes. Opin. História e Ciência política Ingrid Bolivar. Buenos Aires.º semestre de 1998 Judith Muszynski e Antonio M. n. Paola Castano. Publica 2001. 1987. Publica. Os bestializados. IDESP/Ed.ed. das Letras. cultura política informal e capital social no Brasil.Marxismo e escolha racional. 4ª. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais. Lucio Rennó. caps. vol.2 . William Héctor Gómez Soto. Democratização e opinião pública no Brasil.3 e 4. Publica 2008.14.Mendes. In Capitalismo e SocialDemocracia. A utilização de métodos qualitativos na Ciência Política e no Marketing Político. Cuadernos CEDES. supuestos teóricos y nuevas formas de dar cuenta del estudio del social: las relaciones entre historia y ciencia política. Cadernos de Sociologia. A retórica da reeleição: mapeando os discursos dos Programas Eleitorais (HGPE) em 1998 e 2006. análise de midia Oscar Landi. Rio de Janeiro. A análise do discurso nas Ciências Sociais. * Para compreender métodos e técnicas Raymond Quivy e Luc Van Campenhoudt. Revista Empiria José Murilo de Carvalho.Sumaré.7.BIB. El discurso sobre el posible.Cia. Manual de Investigação em Ciências Sociais. Prácticas académicas. Revista Brasileira de C. 2005 Discurso político. 1985.

and Theories in the Study of Politics. Ed. Vol.1 . presença nas discussões. Drummond. Political Theory 2002. 8:1. 1994. 22 n. Cultura e Política. Jornalismo e Política. Op. 596 3 . A disciplina envolve trabalho em equipe.3-31. Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta É a Questão?. 30. Hartmut Günther. 1 seminário(individual ou grupo) e relatório final com análise dos dados coletados e organizados ao longo da disciplina (em grupo). Os textos para fichamento estão indicados com seminário>2 * Não creio ser preciso mencionar que a freqüência é obrigatória.2004 Pesquisas tipo Survey Earl Babbie. Ensaios sobre Mídia. Hacker Eds. Problems. Ronald L. A ruptura com as pré-construções espontâneas ou eruditas. Pinto (orgs). 2004 AVALIAÇAO A avaliação será composta de 4 fichamentos (individuais). Darlene K. Methods. Segregação. In Champagne. or What's Wrong with Political Science and What to Do About it. No sabe/No opina. and Camara. 2006 Jackson II. Ed. Escândalos e Relações de Poder na Camara Municipal de São Paulo. Cap. Lenoir. Psicologia: Teoria e Pesquisa.Vozes 1988 Fernando Tuesta Soldevilla. Hacker Eds. A construção estatística. Pinto (org) Iniciação à Prática Sociológica.. Robert Keohane and Sidney Verba. 1997/ Dados estatísticos. Ed. Outros textos que desdobram os temas tratados Gary King. Designing Social Inquiry. Merllié.5 cada).cit.pp. Eduardo Marques. Métodos de Pesquisas de Survey. Os pesos de cada item são: relatório> 6 fichamentos> 2 (0. 2. In Marques e Torres (org) São Paulo.Vera Chaia. Qualitative Research Reports in Communication. In Champagne. 2007 Ian Shapiro . Merllié.Senac. da pobreza urbana e da ação do Estado. New Jersey: Princeton UP. What Is Qualitative Research?'. Lenoir. Elementos conceituais da segregação. Dados agregados Dominique Merllié.).Adenauer. Fund.1999 Patrick Champagne. participação no trabalho de análise de coleta e análise dos dados. Universidade de Lima.UFMG. 21 – 28. pobreza e desigualdades sociais.2004 Rubim (org. Encuestas políticas y médios. Sakile . Eleições Presidenciais em 2002 no Brasil.

Political Theory.Ruth W. To explain political processes.6. What Is Political Theory? Special Issue: Thirtieth Anniversary.. 1995 (pp. pp. 2002).100. American Journal of Sociology.82. Why I Am an Historical Institutionalist. 1988 4 .6. Fabio Wanderley Reis. 4.Bras. (Aug. 1988 Harry Eckstein. Identidade. No.Polit.Science Review. Política e a Teoria da Escolha Racional. and Politics. 1 (Autumn. No. Polity. 28. Vol. n3. Vol. 577-595 Charles Tilly . Rev. Grant. Ciências Sociais. Political Science. 30. Americ. 1995). n. A Culturalist Theory of Political Change. vol. n. vol. Political Theory.1590-1610) Theda Skocpol.