Você está na página 1de 13

1 ESTADO DA ARTE: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA1 Tânia Maria Stoffel Mestranda UFMT/CUR/PPGEdu Membro do Grupo de Pesquisa

InvestigAção tania.stoffel@terra.com.br EIXO 1: FORMAÇÃO DE PROFESSORES

RESUMO As pesquisas são realizadas visando produzir novo conhecimento e não simplesmente reproduzir o que já se sabe sobre um tema. Nessa perspectiva, o estado da arte se constitui em uma importante ferramenta para conhecer o que já foi produzido num período determinado sobre um tema específico. Pesquisadores recomendam que sua elaboração ocorra antes de iniciar uma nova pesquisa com o intuito de informar o que já se produziu acerca do tema escolhido e ajudar na definição de aspectos inéditos e/ou pouco abordados. Este estudo consiste no meu relato de experiência como discente da disciplina Metodologia de Pesquisa, do Programa de Pós-Graduação em Educação, modalidade Mestrado, da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Rondonópolis, no período de março a julho de 2010, ministrada pela Profª. Dra. Simone Albuquerque da Rocha. Fiz este relato com o intuito de socializar as experiências arduamente adquiridas com a realização do estado da arte sobre formação do professor gestor e partilhar o processo de desenvolvimento da pesquisa que realizei, em especial, sobre o acesso às possíveis bases de dados. Não tenho a pretensão de esgotar o assunto, nem mesmo de tratá-lo profundamente, apenas detalhar os passos seguidos, as sugestões recebidas durante sua execução, os sucessos e insucessos que contribuíram significativamente para minhas aprendizagens sobre pesquisa em educação. Por outro lado, não pretendo escrever uma receita que, seguida passo a passo, seja infalível na elaboração de estudos dessa natureza e sim, introduzir o assunto para que o leitor tenha noção dos conceitos que envolvem esse tipo de estudo, seus objetivos, detalhes de sua feitura e algumas aplicações de seus resultados. Palavras-chave: Estado da arte. Relato de experiência. Formação do gestor escolar.

1 INTRODUÇÃO "Aquele que quer aprender a voar um dia precisa primeiro aprender a ficar de pé, caminhar, correr, escalar e dançar; ninguém consegue voar só aprendendo vôo." Friedrich Nietzsche STOFFEL, Tânia Maria. Estado da arte: relato de uma experiência. In: CONPEDUC 2010 e XVI ENCONTRO DE PEDAGOGIA, 2010, NEATI/UFMT/CUR. Anais...Comunicações – Eixo 1. Rondonópolis – MT: UFMT/CUR, 2010. CD-ROM. ISSN 2179-068x
1

A maioria das pessoas apresenta grande dificuldade em realizar uma tarefa pela primeira vez. seus objetivos. minhas angústias e alegrias.2 Na educação. passamos por um longo processo composto de várias etapas para aprender. dirigir. disposição para vencer o medo do novo. por termos nos acostumado com sua realização. proponho neste estudo relatar minha experiência vivida no Mestrado em Educação da UFMT/CUR ao realizar uma pesquisa denominada estado da arte na disciplina de metodologia da pesquisa. rolar.. percebemos que superamos o medo do novo quando utilizamos modelos como parâmetro para realizar uma atividade pela primeira vez. caminhar. a andar de bicicleta. Por outro lado. defecar. O aprendizado exige que saiamos de nossa zona de conforto e nos lancemos na aventura de conhecer/praticar algo que para nós é novo. sobre o acesso às possíveis bases de dados. tiveram seu início desde o nascimento quando começamos o aprendizado para chorar. A base de dados utilizada . 2 CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO A PARTIR DO ESTADO DA ARTE Inicialmente tentarei responder às questões primárias que o leitor se faz ao deparar com um tema que ainda não domina: o que é Estado da Arte? Qual sua utilidade? Quem o utiliza? Estado da arte é um levantamento do que foi produzido e socializado sobre um tema durante determinado período de tempo em termos de conhecimento.. mamar. força de vontade. em especial. aprendizagens sobre por onde andar.. Fiz este relato com o intuito de socializar as experiências arduamente adquiridas com a realização do estado da arte e relatar o processo de desenvolvimento da pesquisa que realizei. apenas relatar os passos seguidos. Não tenho a pretensão de esgotar o assunto. e. Exige mudança. introduzir o assunto para que o leitor tenha noção dos conceitos que envolvem esse tipo de estudo. detalhes de sua feitura e algumas aplicações de seus resultados. as sugestões recebidas durante sua execução. Ações que quando adultos nos parecem naturais. engatinhar. não pretendo escrever uma receita que seguida passo a passo seja infalível na elaboração de estudos dessa natureza e sim. ver como ele/a faz parece-nos mais fácil. nem mesmo de tratá-lo profundamente. E para mudar precisamos ter coragem. assim como na vida. Nesse sentido. quando um pouco maiores. é um encorajamento para nossa ação. quando podemos imitar alguém. com o passar dos anos. Por experiência própria.

Por seu caráter inventariante e descritivo. o Encontro de Didática e Práticas de Ensino (ENDIPE). (p. . olhar sob pontos de vista diversos dos que já foram até então estudados. evitando perda de tempo com investigações que não acrescentem conhecimento sobre temas abundantemente abordados. Trata-se de uma atividade árdua por ser crítica e reflexiva. trataremos neste artigo do Estado da Arte sobre a formação do gestor escolar. periódicos). André (2009) enfatiza que esses tipos de estudo. como por exemplo. 43). o Congresso de Leitura do Brasil (COLE). b) publicações (livros... publicações em periódicos e comunicações em anais de congressos e de seminários. uma vez que preconizam a realização de levantamentos do que foi divulgado em termos de conhecimento sobre determinado assunto antes de escrever sobre ele. estado da arte e do conhecimento são levantamentos bibliográficos do que foi produzido sobre determinado tema. “[. focados em determinados campos.3 no levantamento é basicamente formada pelos seguintes tipos de documentos: a) teses e dissertações. de que formas e em que condições têm sido produzidas certas dissertações de mestrado. c) comunicações em eventos (congressos e seminários). especialmente os de pós-graduação em educação. denominados de ‘estado do conhecimento’. num espaço de tempo. Sua utilidade reside no fato de.. as técnicas de coleta de dados e os tipos de pesquisa mais utilizados.] têm sido muito úteis ao revelar temáticas e metodologias priorizadas pelos pesquisadores. Sua utilização é abundante nos cursos. No intuito de exemplificar ou expôr o desenvolvimento atual do tema em estudo. Há também. 2). não em todos os meios e tipos de divulgação. fornecendo importantes elementos para aperfeiçoar a pesquisa num determinado campo do saber. bem como as categorias de análise utilizadas na investigação do tema. conhecendo a produção bibliográfica sobre o tema pesquisado. sendo estes.] elas parecem trazer em comum o desafio de mapear e de discutir uma certa produção acadêmica em diferentes campos do conhecimento. Revela ainda a abordagem metodológica. e.. poder-se realizar pesquisas para acrescentar novas abordagens. tentando responder que aspectos e dimensões vêm sendo destacados e privilegiados em diferentes épocas e lugares.. Há também que se destacar seu uso por entidades para analisar sua trajetória de atuação. a Associação Nacional de Política e Administração da Educação (ANPAE). portanto. Nesse sentido Ferreira (2002) preconiza que: [. estudos não tão abrangentes. teses de doutorado. o estado da arte/do conhecimento fornece um retrato da produção acadêmico/científica.” (p. entre outros. Assim esclarecido.

e outras contribuições produzidas no interior dos Coles. Logo no início do semestre a professora explanou sobre este tipo de pesquisa. Apesar de já ter realizado duas pesquisas. Esses dados auxiliam na produção de novos conhecimentos uma vez que evita estudos sobre assuntos abundantemente abordados. . 2010. 1). de antemão. temáticas.1) Há ainda que se destacar que nos últimos anos também os cursos de graduação e pósgraduação começam a inventariar suas produções acadêmicas. p.” (ANPAE. p. Por sua vez o COLE teve como objetivo na realização de sua 17ª edição em 2009 – quando de seu 30º aniversário. Campus Universitário de Rondonópolis (CUR).] e a genealogia do conhecimento da administração da educação brasileira” por meio da produção de estados da arte.. com destaque para a Revista Brasileira de Política e Administração da Educação (RBPAE). A associação apresenta como atividades prioritárias o Simpósio Brasileiro de Política e Administração da Educação e suas pesquisas e publicações especializadas. Dra.4 A ANPAE celebrará 50 anos de atividades em 2011e desde 2009 faz a “avaliação de sua trajetória [.” (COLE. Esta celebra “25 anos de produção e socialização do conhecimento no campo da política e da gestão da educação e seus processos de planejamento e avaliação. assim como os aspectos metodológicos utilizados nos estudos apresentados até então.. 2009. Simone Albuquerque da Rocha. na disciplina de Metodologia de Pesquisa ministrada pela Profª. detalhou sua feitura e solicitou que cada membro da turma realizasse um estado da arte para investigar se já haviam sido publicadas pesquisas semelhantes a que nos propúnhamos fazer neste programa. especialmente para informar aos professores orientadores e aos discentes que farão sua pesquisa os temas mais discutidas. uma na graduação de Ciências Contábeis pela UFMT/CUR e outra pela pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior pela UNIC. 3 RELATO DE MINHA EXPERIÊNCIA SOBRE ESTADO DA ARTE O termo “estado da arte” foi-me apresentado no primeiro semestre de estudos no Programa de Pós-Graduação do Mestrado em Educação (PPGEdu) abrigado pelo Departamento de Educação do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da UFMT (ICHS). Percebemos. a importância de tal investigação que nortearia o encaminhamento de nossas pesquisas. “Produzir um ‘estado da arte’ sobre perspectivas teóricometodológicas.

didática e currículo). ANPAE (gestão). Começava então outro dilema: de quais programas devo pesquisar as produções acadêmicas? Há periódicos e eventos (congressos e seminários) que tratam especificamente desse tema? Quais são? A professora da disciplina. Ao receber as instruções comecei imediatamente a pesquisa. destas. nossa turma foi ao Campus da UFMT em Cuiabá assistir a uma defesa do Programa de Mestado em Educação para irmos nos preparando para a nossa defesa. Senti necessidade de encontrar-me novamente com a orientadora Profª Dra. fui até a biblioteca local para receber instruções detalhadas de como realizar a varredura das obras que tratam sobre o tema do meu projeto. selecionei apenas 3 que realmente tratavam ou da formação do professor gestor ou sobre a gestão escolar. mais uma vez o fiz. Localizei somente 13 obras. Com as informações recebidas sobre quais produções acadêmicas pesquisar comecei a procurar os sites de acesso a elas.os mais célebres da área: Anped (todas as áreas). Cole(leitura e formação).5 senti-me insegura diante do novo.Estes são os poucos que cito.. CEPFE(formação-Congresso de educadores Paulistas USP/UNESP/UNICAMP ) Colóquio ibero-americano (educação. entre outros. Em outro momento do curso. Prontamente ela me ajudou a refletir sobre a abrangência dos propósitos nele contidos e sugeriu-me algumas leituras para clarear melhor o objeto da minha pesquisa. mas seus orientadores deverão saber bem mais sobre os da sua área. ENDIPE (formação. após ler o resumo. 2010. .currículo) Luso-brasileiro (leitura ) em todos os níveis. revistas brasileiras de educação da área.1) (grifos meus) Diante da dica sobre consultar o orientador. Depois desse gasto financeiro e de tempo.. Também os textos selecionados para as disciplinas do semestre ajudaram-me a elucidar o tema. EAD (REDE e outros. Sílvia de Fátima Pilegi Rodrigues para revermos o projeto de pesquisa apresentado quando da disputa da vaga neste programa. Eventos de pesquisa . veja PAPED/SEEd/MEC). tive medo da complexidade dessa atividade e muitas dúvidas sobre exatamente qual era o tema que eu deveria pesquisar. Artigos em periódicos como: Scielo. caderno cedes. ao perceber a angústia da turma. Lá procurei a biblioteca setorial para fotocopiar parte das obras que me interessavam. (ROCHA. enviou um email sugerindo onde pesquisar: Teses e dissertações da CAPES e do site da UFMT. falem com eles. p. Como a UFMT estava naquele momento num processo de digitalização de todas as produções acadêmicas realizadas nos últimos anos. Quando finalmente defini que o tema do meu projeto seria a formação do professor como gestor escolar comecei imediatamente a varredura das obras.

. Ufa! Mais um passo dado. Imagine encontrar esse número de publicações também no mestrado. totalizam 3. significa que. por ano.gov. em nível de doutorado no ano base 2009 foram localizadas 324 teses. também denominadas de descritores. No meu caso. 2010. Imagine trabalhar com um volume desses de informação num curto espaço de tempo. atividade proposta na disciplina que muito contribuiu para incentivar a feitura da pesquisa solicitada. as etapas percorridas.CAPES3. naquela aula que era necessário refinar mais as palavras-chave de minha pesquisa. 2008) onde demonstraram os detalhes da feitura. Objetiva “facilitar o acesso a informações sobre teses e dissertações defendidas junto a programas de pósgraduação do país [a partir de 1987]. “Vivendo e aprendendo”. é que tive oportunidade de ver. no caso delas teorias e práticas de formação de professores e etnografia.jsp> Acesso em 20 out. É preciso combinar a palavra-chave utilizada com outras do tema.6 uma mestranda que cursa o programa em Cuiabá disse-me que a maioria das produções da UFMT está disponível no Portal do Domínio Público2. Numa conta rápida.capes. Inicialmente não encontrei o link para acessá-las. 2010. durante 6 anos. Percebi. Ressalto a importância da partilha de experiências dos egressos com os calouros. Impossível! Eu não tinha condições de ler tantos resumos.br/servicos/banco-de-teses> Acesso em 20 jun. O Banco de Teses faz parte do Portal de Periódicos da Capes/MEC. pela vez primeira. um estado da arte.” Disponível em: < http://www. Elas comentaram ainda que o emprego das palavras formação de professores retorna muitas obras por ser um tema muito abrangente e densamente estudado. O segundo passo foi realizar o levantamento nas teses e dissertações divulgadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior . após preencher o critério assunto com formação do professor. ainda mais por encontrar-me no quarto mês de gestação. Elas demonstraram slides sob o título Pesquisa Etnográfica e formação de professores (VIEIRA e OLIVEIRA.600 obras. . Decidi retirar a palavra professor. Ledo engano. os tópicos analisados nas obras selecionadas e os gráficos com os dados coletados.dominiopublico. No primeiro acesso ao Portal da CAPES levei um susto quando. numa aula ministrada em 20 de abril pelas mestrandas de Educação do programa da UFMT/Campus de Cuiabá.. no total de 6 anos. formação do gestor escolar.gov. Foi então que. 2 3 Disponível em: <http://www. pois o foco de minha pesquisa é o gestor escolar.br/pesquisa/PesquisaObraForm. Foi então que recebi a ajuda da colega Rosemeire A. Marimar Vieira e Valdelice Oliveira. se considerar que há 300 obras que versam sobre o tema procurado em cada nível. Cardoso Correia.

ufmg. médio e atuação disciplinas e do currículo Educação.br/eventos/e http://www.br/prograd/ Endereço ducere/educere2009/anais/ congresso/index_portal. 2010.br/e http://www.htm ANPAE http://www.pucpr. relacionou os mais indicados de acordo com o tema do projeto de cada discente. escolhidas no em Educação da PUCPR Organiza final de cada evento do por: Número Política e Desenvolver e consolidar o ensino Artigos sobre participação na construção. Segundo ela. ela. Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd). posso fazer meu estado da arte. entre outros. práticas de gestão democrática.php Formação docente.unesp. nos níveis de Campo de ensino das diferentes dos ensino fundamental.php# eletrônico ndipe/publicacoes. e a Associação Nacional de Política e Administração da Educação (ANPAE). 1976/ 33ª edição Início/ nº edição Quadro 1 – Informações sobre eventos importantes sobre Educação Fonte: Dados obtidos nos portais dos referidos eventos. 1961 / 25º Simpósio . informação verbal). Congresso Nacional de Educação (EDUCERE). Congresso Estadual Paulista Sobre Formação de Educadores (CEPFE).br/inicio.anped. Campo de atuação de pós-graduação e da pesquisa na execução e avaliação de políticas e área da Educação no Brasil. Percebendo que a turma desconhecia os eventos e periódicos da área.anpae. do Formação inicial e continuada Formação de profissionais da profissionais da educação.br/website/ 1 2 Encontro Nacional de Congresso Nacional de Evento Didática e Prática de Educação Ensino ENDIPE EDUCERE Sigla IES que se propõem Graduação e Pós-Graduação sediá-lo.org.Pró-Reitoria de Graduação http://www. (ROCHA. Quais periódicos e eventos selecionar? Segundo a orientação da professora Simone. “os que mais se relacionam com seu tema”. universitário Início/ nº 1980/ 15ª edição 2001 / 9ª edição 1991/ 9ª edição edição Número Evento Sigla Organizado por: Endereço eletrônico 4 5 (conclusão) Associação Nacional de Pós.org. pacientemente.7 A partir desse momento pensei: “agora sim.” Foi quando esbarrei em outro “detalhe”. para formação de gestores escolares eu poderia escolher entre os eventos: Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino (ENDIPE).Associação Nacional de Graduação e Pesquisa em Educação Administração da Educação ANPEd ANPAE ANPEd http://www.fae. 3 (Continua) Congresso Estadual Paulista sobre a Formação de Educadores CEPFE Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP) e PROGRAD .

fomentando o intercâmbio acadêmico no âmbito nacional e internacional.1989 Editado 1978 1998 desde Quadro 2 – Informações sobre importantes periódicos sobre Educação Fonte: Dados obtidos nos portais dos referidos periódicos.scielo. http://www. Estudos em Avaliação Educacional e a coleção Textos FCC FCC Fundação Carlos Chagas Editado desde Número Periódico Sigla Centro de Estudos Organizado Educação e Sociedade por: (CEDES) http://www.inep.científicos.br/pesq uisa/publicacoes/series.br/scielo. Número Periódico Sigla Organizado por: 1 Cadernos CEDES CEDES Centro de Estudos Educação e Sociedade (CEDES) .fcc. basta clicar no link das reuniões anuais.8 Partilho informações mais detalhadas sobre os eventos no quadro 1. 1980 4 Revista Educação Sociedade Educação & Sociedade & 1944 5 Revista Brasileira de Educação Revista Brasileira de Educação ANPEd em co-edição com a Editora Autores Associados http://www.Unicamp 2 Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos RBEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacinais Anísio Teixeira (INEP) 3 (Continua) Pátio . resultantes de estudos e Divulga questões atuais e pesquisas sobre significativas no campo da conhecimento educacional educação que ofereçam subsídios às decisões políticas na área da educação. php?script=sci_serial&pid= http://www.scielo. para acessar os anais de cada edição do evento.org. .p hp/script_sci_serial/pid_141 3-2478/lng_pt/nrm_iso Publicação de artigos acadêmico. No caso da ANPEd.Revista Pedagógica PÁTIO Editora ARTMED Endereço eletrônico Campo de atuação http://www.br 0101/index.rbep.php/RBEP/search 3262&lng=pt&nrm=iso Publica artigos inéditos de natureza técnico-científica.aspx Socializar conhecimentos de ponta e as experiências bem-sucedidas de autores de renome e grande prática pedagógica em nível nacional e dos grandes centros mundiais 1996 6 (Conclusão) Cadernos de Pesquisa.scielo.ht ml Difusão das pesquisas educacionais desenvolvidas na FCC e também por pesquisadores de outras instituições 1971 .co m.br/arevistaRP.gov. inclusive sobre o endereço eletrônico de acesso.php?script=sci_serial&pid eletrônico =01017330&lng=pt&nrm=iso Divulga artigos e resenhas na área de Ciência da Campo de Educação atuação http://www.revistapatio.br/scielo Endereço .1990 .br/scielo.

Muito contribuiu nesse processo a secretária do programa Sra. Essas palavras deveriam constar no título ou nas palavras-chave da obra. decidi realizar meu estado da arte sobre formação do gestor escolar. Cheguei a enviar email para os organizadores de alguns eventos como CEPFE solicitando os anais de 2001. Faltava um e outro evento. . Como não obtive respostas satisfatórias e em tempo hábil. abarcando as teses e dissertações divulgadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). 2002 e 2004. consegui reunir apenas as produções divulgadas na ANPEd. comecei a varredura.. as publicações sobre a formação do gestor escolar nos periódicos: Revista Educação e Sociedade e Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos e as pesquisas apresentados no Grupo de Trabalho 08 – Formação de Professores da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd). Novamente recorri à orientadora. ou todos simultaneamente.. a professora sugeriu verificar: Cadernos CEDES. descobri que durante a década selecionada (2000-2009) há vários termos que designam o gestor escolar: diretor. Revista Pátio. Embora tivesse acesso a vários outros anais. administrador e administração escolar.9 Quanto aos periódicos. Momento em que percebi que precisava definir quais pontos iria analisar nas obras selecionadas. Baseando-me no trabalho de Vieira e Oliveira (2008) defini como descritores: formação de gestores e gestão escolar. Foi necessário buscar nas coleções pessoais dos docentes do programa. No entanto. após muito vai e vem. gestão. 2003 e 2005 e do ENDIPE sobre os anais de 2000. Assim. A partir dos revezes superados e da demora em localizar os portais de acesso e os anais dos eventos. Revista Brasileira de Educação e as revistas organizadas pela Fundação Carlos Chagas (FCC).1 Segunda tentativa. Anabel Breatriz De Col intermediando os CDs entre eu e os docentes. conforme a ferramenta de busca disponibilizada pelo periódico. gestor. Outra batalha foi reunir os dados do período desejado nos anais dos eventos. Educação & Sociedade. direção. E. por exemplo. não consegui reunir os dados divulgados durante a década selecionada. 3. relativo ao período de 2000 a 2009. utilizava cada um deles. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP). Confira informações mais detalhadas no quadro 2. ao realizar a busca.

nível de ensino envolvido (infantil. superior). objetivos. RBEP e ANPEd). para montar um quadro-síntese descritivo de cada produção. Ao fazer a varredura foram localizadas 916 obras que continham o/s descritor/es selecionado/s. tema: formação (inicial/continuada). O passo seguinte foi ler cada um dos títulos encontrados e fazer uma nova triagem. Ao realizar essa maratona de atividades para concluir o estado da arte sobre formação do gestor escolar adquiri alguns aprendizados que ora partilho: . Após essa etapa li o resumo e/ou texto completo quando necessário. eventos. 3. A apresentação dos resultados foi partilhada com a turma a partir da exposição dos dados em slides. Os resultados encontrados foram apresentados na forma de tabelas e gráficos. sujeitos pesquisados.10 As obras encontradas sob esses descritores foram coladas no editor de textos Microsoft Office Word. Muitas vezes foi necessário ler o resumo para decidir se a obra tinha ou não relação com meu projeto de pesquisa.. natureza da produção (tese. ano da divulgação. UFMT. Revista Educação e Sociedade. autores (nome. técnicas de coleta de dados. Vale ressaltar que Ferreira (2002) considera a leitura apenas dos resumos como fato limitador. tipo de instituição (privada ou pública: federal. médio. Também nessa etapa senti dificuldades devido a ausência de informações sobre as dimensões de análise definidas. ao trabalho completo. dissertação. Após o preenchimento do quadro-síntese. uma vez que estes não são padronizados e que seguem as normas das instituições para as quais foram produzidos.2 Partilhando aprendizados. periódicos). origem do trabalho (CAPES. Selecionei 91 obras. estadual ou municipal). A maioria delas com link de acesso ao resumo e às vezes. Nele foram identificadas as dimensões de análise que categorizam cada uma das produções analisadas classificando-as segundo os seguintes aspectos: área de conhecimento. Fato que motivou a leitura do trabalho na íntegra em alguns casos. Importa salientar que o quadro-síntese acima descrito foi realizado na planilha eletrônica de cálculo denominada Microsoft Office Excel. fiz as classificações de acordo com os aspectos previamente definidos para totalizar os dados e assim iniciar sua análise. abordagem metodológica (qualitativa/quantitativa). fundamental. título da obra. número e gênero). instituição de origem (nome e sigla). 10% do total inicialmente levantado.. tipos de gestão e políticas públicas. especialmente no que tange à metodologia utilizada nas pesquisas analisadas. dependendo do documento.

periódicos). publicações (livros. Descrever com clareza a metodologia a ser seguida na elaboração de seu estado da arte. 6. 7. como a Biblioteca Brasileira de Teses e Dissertações do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (BBTDIBICT). auxiliando no ineditismo de sua pesquisa. Selecionar a base dados a ser utilizada: teses e dissertações de quais programas/portais4. Há base de dados que contém as produções das principais universidades brasileiras. Identificar os endereços eletrônicos de acesso e/ou reunir os anais de eventos e publicações impressas.11 1. e comunicações em eventos (congressos e seminários). com o tempo. 4. pode-se utilizar diferentes nomenclaturas para definir um mesmo objeto.br/>. elas serão utilizadas na varredura das obras. e a CAPES. 3. Observar o uso de sinônimos uma vez que buscamos produções do Brasil inteiro e este é marcado por regionalismos. quadros e gráficos. cujo acesso ao portal é: <http://bdtd. digitar as palavras chave (às vezes precisamos detectar como eles funcionam. O domínio da informática especialmente de planilha eletrônica (Excel) é fundamental para classificação dos dados e consequente montagem de tabelas. o que é muito comum. Esta contém apenas as pesquisas que foram por ela financiadas. é importante ter acesso as produções na íntegra. O estado da arte/conhecimento contribui para identificar produções semelhantes ou muito próximas da sua e se o tema escolhido está ou não densamente abordado permitindo identificar aspectos ainda não explorados. 9. Sugiro o uso do Excel pela facilidade de fazer tabelas. Relacionar as categorias de análise que nortearão a coleta de dados das obras selecionadas.ibict. 5. Pergunte-se sempre: preciso dessa informação para que? 8. Formatar os dados encontrados. Entrar nos sites. Certifique-se do acesso a todas as edições divulgadas no período previamente definido. classificar os dados e montar gráficos. Pergunte-se: o que quero saber sobre o/s tema/s pesquisado/s? 2. se é melhor apenas uma palavra ou várias simultaneamente) e copiar/colar no word/excel os documentos encontrados. 4 . Em casos de omissão nos resumos. Definir os descritores: verificar as palavras-chave que identificam o tema de sua pesquisa. Particularmente identifiquei as colunas com as categorias de análise previamente definidas e utilizei uma linha para colar os dados de cada obra selecionada. E ainda. Definir o período das produções bibliográficas base de sua pesquisa.

com.alb. E.68. ANPAE – Associação Nacional de Política e Administração da Educação. ago. 1999. Acesso em 15 out... Norma Sandra de Almeida.html. et al. quiçá. mas. ANDRÉ. [online]. cada erro reforçou em mim um aprendizado de como “não fazê-lo”. In: Educação & Sociedade.anpae. As pesquisas denominadas "estado da arte".. n. Várias foram as tentativas frustradas.br/website/estudos-e-ensaios. M. 257-272. Estudos e Ensaios. em grande desafio. Agora é com você. 01. A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000. em especial a Norma Brasileira (NBR) 6022 (2003) – Apresentação de artigo em publicação periódica científica impressa. vol.: Revista Brasileira sobre Formação Docente. vol. v. n.12 10. Belo Horizonte. Apresentação.301-309. COLE – Congresso Brasileiro de Leitura. A tarefa de realizar o estado da arte constituiu-se para mim.79. transformá-las num manual a ser utilizado na disciplina de Metodologia da Pesquisa. D.23. mãos à obra! REFERÊNCIAS ANDRE. 17º COLE – 30 anos: “É preciso transver o mundo”. NBR 6023 (2002) – Elaboração de referências. 4 AGORA É COM VOCÊ. FERREIRA. Manoel de Barros. pp. Dez. In.. [online]. Disponível em: http://www. 41-56. Marli.br/portal/17cole/index. Este fato motivou-me a redigir este relato para que outros discentes incumbidos da mesma tarefa não repitam os mesmos erros. 2010. Estado da Arte da Formação de Professores no Brasil. 2009. 2002.org./dez. p. 2010. Analisar os resultados e divulgá-los em forma de apresentação. Espero que possam incrementar as sugestões aqui descritas e. 01. A. In: Educação & Sociedade. Disponível em: http://www. Acesso em 15 out. no. e de artigo. . Deve-se também seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). NBR 10520 (2002) – Apresentação de citações em documentos e NBR 14724 (2005) – Apresentação de trabalhos acadêmicos.. utilizando o Microsof Office PowerPoint. A elaboração de artigo exige o conhecimento das normas da instituição para a qual será submetido.20. p.

. Simone Albuquerque da. 149 p. Valdelice. ed.M. v. [anotações do caderno].com. As publicações da ANPAE e a trajetória do conhecimento em administração da educação no Brasil. 5. Marimar da Silva Barros. Aula proferida para a turma do Mestrado em Educação da UFMT/CUR.stoffel@terra. VIEIRA. jan. Estado da Arte: Teses e Dissertações sobre Pesquisa Etnográfica e formação de professores de 1998 a 2008. Políticas e gestão da educação (1991-1997) 1. 2001.br> em 07 abr. 2003. MAIA. OLIVEIRA. Valdelice. São Paulo: Atlas. P_Est_Arte_ETnografia[1] final. ISSN 1678-166X. n./abr. Marimar da Silva Barros. (Série Estado do Conhecimento n. Regina Vinhaes. 2008.. MARCONI M. Mensagem recebida por <tania. VIEIRA. 1. 04 de maio de 2010. p. Fundamentos de Metodologia Científica. Lauro Carlos.br> em 15 maio 2010 WITTMANN. Porto Alegre.com. OLIVEIRA..stoffel@terra. Sabedoria em gotas.A. ROCHA. 2010 ROCHA. Aula de Metodologia de Pesquisa.: In. Mensagem recebida por <tania. Rondonópolis – MT.). Ed.13 LAKATOS E. Graziele Zambão Abdian . Simone Albuquerque da. GRACINDO. 24. Propeg UFMT. 5) . Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. Brasília : MEC/Inep/Comped. 31-50.ppt [mensagem pessoal]. (Org. julho 2008. Estado da Arte [mensagem pessoal].