Você está na página 1de 3

PROGESTÃO – MÓDULO II Programa de Capacitação a Distância para Gestores Escolares 24ª CRE e SME/R.

Sêca

A escola é mais autônoma e democrática na medida em que ela é mais participativa do que representativa.

Prof. João Carlos Dias Trindade - Gestor de Escola Pública

A Comunidade Escolar é composta por vários segmentos: Os Pais, os Alunos, os Funcionários, os Professores e as equipes diretivas (Direção, CPM, Conselho Escolar, Agremiação Estudantil...). Para que uma comunidade escolar possa atingir os seus objetivos é preciso contar com o apoio de todos os segmentos. Não tem como atribuir mais importância a um segmento do que ao outro. A equipe gestora que não contar com o apoio de um dos segmentos não vai produzir os resultados almejados. O apoio torna-se possível quando a participação de cada pessoa é valorizada dentro do segmento a qual pertence e assim a sua visibilidade para o fim principal que é a instituição Escola. Possibilitar oportunidades para que todos possam ajudar faz a diferença. É preciso, também, saber receber a crítica não como uma visão simples de oposição, mas como uma contribuição para que se estabeleça o necessário debate. É do contraditório que vamos cultivar consciências e vamos caminhar, cada um no seu tempo, mas, certamente na mesma direção, ou seja, com os mesmos propósitos. Respeitar a opinião de todos é para o processo de gestão autônoma e democrática abrir caminhos para a história que será escrita por cada um. As dificuldades vão existir sempre: os desafios de conviver em harmonia, os alunos que não conseguem obter a aprendizagem desejada, os pais que têm dificuldades de ajudar os filhos, os profissionais da escola que se esforçam para ver

Não pelo que fizemos. Temos que questionar a sociedade antes que ela nos questione. em especial os alunos passaram a ser os co-autores das reivindicações. O trabalho na sala de aula da professora com certeza passou a ter mais significado pedagógico e de compromisso com a escola e com a comunidade. Foi emocionante ver as crianças entregar ao poder público as suas reivindicações. Professores. O que fazer para termos uma vida mais saudável? Mais humanizada? Mais solidária? São exemplos de questionamentos. pois o ato foi realizado de forma pública e os alunos que não tem cargos na escola exerceram o papel de representantes da comunidade escolar. Para finalizar escrevo na página seguinte uma escola que pode ser utópica mas que ao menos queremos ter o direito de sonhar.os alunos avançarem etc. Funcionários. mas pela oportunidade que oferecemos. A proposta política-pedagógica deve ser um compromisso coletivo. Em tudo isso.. Estabelecer prioridades para um determinado período. etc. Foi possível verificar a transparência dos recursos financeiros da escola.. Exemplifico a solicitação feita por uma professora para que fosse reformada a pracinha da escola: Primeiramente os alunos foram até uma reunião do CPM (Círculo de Pais e Mestres) e fizeram a reivindicação. Estabelecer planejamentos e parcerias.. Ao propor a participação. Os segmentos da escola. conforme relatei durante o nosso último encontro realizado em 13/12/07 na CRE em Cachoeira do Sul.. Poderíamos citar inúmeros exemplos de situações em que é muito mais importante a sua problematização do que a própria solução. A partir daí os alunos realizaram uma cartinha e desenhos que foram repassados para a Secretária Municipal de Educação em reunião conjunta com o Conselho Escolar. Neste caso valorizamos a participação dos interessados na busca de soluções. coloca-se o desafio da escola que é formar um cidadão livre e responsável.. . Por aqui pode discorrer os conteúdos escolares.. Os pais que o digam. A oportunidade foi muito rica para o exercício da cidadania. percebemos que somos mais valorizados.

Sem sineta: o professor encerra a aula.F. Sem livro ponto e chamadas: todos freqüentam de forma livre e responsável.. Dinâmica: além de ler. Enfim! Uma Escola de Sonhos: as pessoas acreditam no que parece impossível.Escola Desejada. voz e voto. vivem em harmonia. cuidam do meio ambiente e sonham muito. os alunos sabem se deslocar educadamente por todos os espaços... sentir e amar. Dialógica: educa-se para a cidadania.E. Sem muralhas e grades: todos são convidados a participar. João Carlos Dias Trindade – Gestor de Escola Pública E. Plural: rechaça as discriminações e promove a tolerância e o perdão. funcionários e alunos rotulam as “ensinagens” desnecessárias.. escrever e contar é exercitada a afetividade. De pesquisa e soluções: os conteúdos têm sentido e ajudam a resolver problemas da comunidade. . Instigante: os problemas da comunidade são debatidos cotidianamente. mas principalmente na cidadania. Uma Escola Democrática: condena-se o autoritarismo. De aprendizagens: professores. Acolhedora: há determinação de incluir os excluídos. Sensitiva: as emoções acontecem e fazem as pessoas pensar.M. Solidária: ninguém se sente sozinho e desprotegido. Comprometida: todos agem com lealdade e ética. são felizes e ao andar vão fazendo o caminho que é possível! Prof. Uma Escola Humana: as pessoas se respeitam. Autônoma: as pessoas têm iniciativas e se emancipam de forma cooperativa. Sete de Setembro – Vila Rosa – Restinga Sêca/RS. todos têm vez.