INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ - IFPA

GEOMETRIA ANALÍTICA E VETORIAL

BELÉM-PARÁ Junho - 2011 Anselmo Renato Carlos da Silva MAT. 201084044

2011 Ans l o n to C los d Vetores Grandezas Vetoriais $#   " !      B L . Professor: EMANUEL J Junho . CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PA Á .A Á il A 201084044 & &% ( & '&% © ¥ G A ANAL CA V AL AN MITH ¢ ¥ ¦¨   ¨  ¤ © ¥§ ¥ ¨ ¦     ¡ £ ¢¡ ¡ INS ITUTO F D   A D EDUCA ÃO.Trabalho apresentado para auxiliar nas avaliações Da disciplina: GEOMETRIA ANALÍTICA E VETORIAL. do Curso de Licenciatura Plena em Matemática-IFPa.IFPA .

Chama-se vetor ao conjunto infinito de todos os segmentos orientados eqüipolentes a AB. Observe que o segmento orientado AB é caracterizado por três aspectos bastante definidos: ·MÓDULO (que é dado pelo comprimento). a idéia de vetor nos levaria a uma representação do tipo: Quando você está se deslocando de uma posição para outra. são denominadas grandezas vetoriais. Outras grandezas vetoriais: velocidade. Assim. . basta você dizer que percorreu uma distância igual a 5 m? Você precisa especificar.0 cm). o conjunto infinito de todos os segmentos orientados que possuem o mesmo comprimento. Vetores A representação matemática de uma grandeza vetorial é o vetor representado graficamente pelo segmento de reta orientado (Fig. há necessidade de especificar a direção e o sentido do deslocamento. aceleração. direção e sentido. força. ·SENTIDO. . a mesma direção e o mesmo sentido de AB. além da distância (módulo). DIREÇÃO.para er bem definida precisa -se de módulo. Considere o segmento orientado AB na figura abaixo. 5. que apresenta as seguintes características: . Observe que o deslocamento não fica perfeitamente definido se for dada apenas a distância percorrida (por exemplo. 1). ou seja.Grandeza vet rial. direção e sentido. a direçã o e o sentido em que ocorre este deslocamento. Estas grandezas que são completamente definidas quando são especificados o seu módulo.

re resenta um cruzamento de ruas. ode realizar os deslocamentos indicados elos etores d1.dado elo com rimento do segmento em uma escala ade uada d = cm). Os etores d2 e d4 têm a mesma direção. d3. O deslocamento resultante não sim lesmente uma soma alg rica 3 + 4). geométricos . or ue os dois etores d1 e d2 têm direções e sentidos diferentes. d2. ara realizar a adição dos dois etores. Adição de dois etores Considere ue o PUCK realizou os seguintes deslocamentos: 3. dada ela reta su orte do segmento 30 o com a dado ela seta colocada na extremidade do Sentido do etor segmento.0 cm na direção horizontal d2). Diferenciando estes etores segundo suas características. ue são: .Módulo do etor . e sentidos o ostos. direções e sentidos diferentes. Notação: ou d: etor deslocamento a : etor aceleração V: etor elocidade Exemplo de etores : a fig. ). tem-se ue: Os etores d1 e d3 têm a mesma direção. Os etores d3 e d4 têm módulos. e d4. no sentido da es uerda ara a direita fig. Direção do etor hori ontal). e 4. direções e sentidos diferentes.Vetores deslocamento. H dois m todos. Figura 1 . tal ue ocê. mesmo módulo. dr = d1 + d2. Os etores d1 e d2 têm o mesmo módulo. no sentido de aixo ara cima d1). situado em O. módulos diferentes e sentidos o ostos.0 cm na direção ertical.

Adição de dois etores: etores ig. Aplicação numérica Sendo d1 = 3 cm e d2 = 4 cm. o etor soma ou etor resultante) ser dado ela diagonal do aralelogramo cuja origem coincid e com a dos dois Figura 3 .Adição de dois etores: M todo da triangulação Método do paralelogramo : consiste em colocar as origens dos dois etores coincidentes e construir um aralelogramo. Figura 2 . 4) ara determinar o etor resultante dr. a lica-se o m todo da triangulação ou do aralelogramo fig.Método da triangulação : consiste em colocar a origem do segundo etor coincidente com a extremidade do rimeiro etor. 4 . 2).Adição de dois etores er endiculares entre si Determina-se o módulo do etor resultan te a licando-se o teorema de Pit goras ara o triângulo ABC da fig. 3). A outra diagonal ser o etor M todo do aralelogramo diferença. Figura 4 . Adição de dois etores perpendiculares entre si Geometricamente. o módulo do etor resultante dr su stituindo estes alores em ): dr2 = 32 + 42 = 2 dr = ) dr2 = d 2 + d22 ) calculado cm . e o etor soma ou etor resultante) o ue fecha o triângulo origem coincidente com a origem do rimeiro e extremidade coincidente com a extremidade do segundo) ig.

6 .Os etores dx e dy são as com onentes retangulares do etor d. 6a. ue relações: o do mesmo da fig. Para determinar os alores destas com onentes. 6a. As com onentes do etor d. Resolvendo para dy. Para o triângulo OAB da fig. Figura 6b . roduzindo o mesmo efeito. adota-se um sistema de eixos cartesianos. alem as sen = cateto o osto / hipotenusa = dy / d. estas rojeções são as com onentes retangulares dx e dy do etor d fig. são as rojeções ortogonais do etor nas duas direções. 6a). a licam-se as relações trigonom tricas ara o triângulo retângulo OAB fig. asta fazer a soma do rimeiro etor com o o osto do segundo etor. tem-se ue: . Notação: dx: com onente do etor d na direção x dy: com onente do etor d na direção y Vamos entender o ue seriam estas rojeções. Para rojetar o etor na direção x asta traçar uma er endicular da extremidade do etor at o eixo x e na direção y traça-se outra er endicular da extremidade do etor at o eixo y.6a ou 6 ). Para deter minar as com onentes do etor.Triângulo retângulo OAB. Figura 6a . segundo as direções x e y. ual o significado das com onentes do etor? Significa ue os dois etores com onentes atuando nas direções x e y odem su stituir o etor d. d = d1 + -d2) Componentes de um etor Considere o etor deslocamento d como sendo o da fig.O ser ação: O etor diferença o tido de modo an logo ao etor soma.

0 * 0.50 dx = . cujas propriedades são . determinar as componentes deste vetor.0 m.6 m Subtração de etores Consideremos os vetores e .0 * 0.87 dy 2. dx e dy. e o ângulo ue este deslocamento faz com a direção X igual a 60 o. Su stituindo em 2 ): dx = d cos = 3.5 m Su stituindo em 2a): dy = d sen = 3.0 sen 60 o = 3. A su tração de vetores resulta em um terceiro vetor chamado diferença).0 cos 60 o = 3. Resolvendo para dx . tem-se ue: dx = d cos componente horizontal do vetor d na direção X 2 ) Aplicação numérica Considerando ue o módulo do vetor deslocamento igual a 3.dy = d sen componente vertical do vetor d na direção Y 2a) cos = cateto adjacente / hipotenusa = dx / d.

Por m. Produto Interno O produto interno. O produto interno para vetores A função de propriedades: . uma função ue rece e como entrada dois vetores e de um espaço vetorial e produz um escalar complexo) como saída. Positividade). onde e são vetores no espaço de Hilbert espaço vetorial e uipado com produto interno) e a notação . Reduzimos o pro lema da su tração de dois vetores ao pro lema da soma de e. complexos definido por: obra do vetor . com igualdade se e somente se tem um produto definido por: . tam m chamado de produto escalar. um produto interno se satisfaz as seguintes linear no segundo argumento Linearidade): 2. a notação padrão da mecânica uântica para produto interno . Por exemplo. * o conjugado complexo de um vetor) Simetria). O vetor tem módulo e direção iguais ao do vetor mas tem o sentido oposto.inferidas a partir da soma dos vetores e - ). 3. É fre ente encontrarmos nos livros textos a notação para o produto interno de e .

q e r e quaisquer escalares a e b.y. Comutatividade: p + q= q + p 2.z). Inverso aditivo: p + . b = ±9 e c = 5.1.4. b =(1. p = p Para quaisquer vetores p. EXERCÍCIOS 0 ) Sendo T T = 2.±2) e c =(1.1). Multiplicação por : .±1).O produto interno forma: . onde e .±1. Calcular: T T b) u ± v ) T T c) u + v )2 T T d) 3 u ± 2 v )2 T T e) 2 u -3 v TT a) u y v T T )y( u +2 v ) RESP: a) 19 b)18 c)94 d)66 e) ±205 f)±28 T T T T 02)Sendo a =(2. Distributividade: a+b)p = a p + b p e a p + q) =a p +a q 6. T RESP: v =(3. T T T T T T vy vy vy tal que a = 4. 5) .1) e v = 1. notamos ue as operações de soma e multiplicação por escalar satisfazem as seguintes propriedades: . Associatividade: p + q)+ r= p + q + r) 3. Vetor nulo: p + 0 = 0+ p = p 4.±2. Calcular um vetor v =(x. definido da seguinte Espaços Vetoriais uando observamos os vetores geom tricos apresentados anteriormente.p) = 0 5.3.2) .4.

sabe-se que  a = 3 e T que  b = 2 . calcule: T T T T T T a) u + v  b)  u ± v  c)  2 u +3 v  d) T T 4 u ± 5 v  E ! arccos RESP: a) d) 8 9 9 b)7 c) 72 T T T 07) Os vetores a e b formam um ângulo de 150 0.3) C(3.1. b =(m+3. Sabe-se que  u =8 e  v =5. Em caso afirmativo.3). RESP: x = ±4 T T 09) Determine um vetor unit rio ortogonal aos vetores a =(2.0. Dados: A(1. 21 T T T T 06) Os vetores u e v formam um ângulo de 60 0.T T T 03)Sejam os vetores a =(1.5) e D(2. RESP: a) Paralelogramo b) 21 ! 102 0 36 d .6. de modo que o ângulo  do triângulo ABC.s ¹ ª 3 3 3º 0 .±3).1.2). sejam ortogonais.2 2d 44 .s .±2. RESP: T ¨ 2 1 2¸ c ! © O .2.4±m.±2.1).3).3) e C(a+1.1.±2.1)e c =(m.±1) e b =(0.Determinar m TT T T T para que a y b =( a +b )y c . qual? b) O ângulo entre as retas paralelas aos vetores BD e AC . B(3.1). Calcule: T T TT T T a)  a +b  b)  ± b  c) 3 +2 b  d) T T 5 a ± 4 b  RESP: a) 5  3 2 107  60 2 b) 5  3 2 c) 35  18 2 d) T T T T T TT 08) Determinar o valor de x para que os vetores v 1 = x i ±2 j +3 k e v 2 =2 i ± j +2 T k. Determine: a) se eles foram alguma figura. 13 RESP: ±1 ou 0 ) Dados os pontos A (4.0.7). seja 60 0. B(5. RESP: m=2 04) Determinar a.±m.

1) e ao vetor b =(1.2). v y (i  2 j  7k ) ! 10 . sabendo que ele ortogonal ao vetor a =(2. X RESP: =(4.±3.0) T 11) Determinar o vetor v .T T T T 10)Determinar o vetor x .3) e que satisfaz a seguinte condição. paralelo ao vetor ao vetor w =(2.±1.2.0.±6. onde u =(1.3.0) e v =(0. RESP: v ! .0) e tal que x v u T =v.

1).±1.0.6) T T 14)Determine um vetor unit rio ortogonal aos vetores v 1 =(±1.1 12)Determinar v .1.1) e w ! (2. RESP: s 1 3 .4.1) .sendo RESP: v =(1.±1± 1).2. 3).7. 2 =(2.1. .0) e v 2 =(0.Determine um T T T X X X vetor v.1. 3 RESP: v =(0.0) e =(0. tal que // e v v1= v 2 .1) T T T 13) Dados os vetores v 1 =(0. tal que v seja ortogonal ao eixo dos y e que u ! v v u ! (1.5.0.

0 ¹ ª 5 º 1 (0. . calcular o valor de E para que a T T rea do paralelogramo determinado por u e v seja igual a 2 u. RESP: E=3 16) A rea de um triângulo ABC igual a 6 .0) .1.1.1 T T 15)Dados os vetores u =(2.(unidades de rea).0).2.E).1. Calcule as coordenadas de C. B(±1. RESP: ¨ 1 ¸ ou © 0.1.1) e v =(1.1) e que o vértice C pertence ao eixo OY. Sabe-se que A(2.a.1.3.

1. 7 a altura relativa ao lado BC. obtido pela projeção do vetor BC . BA vetor onde A (5.0.2) à reta determinada pelos pontos M(1. B( 3.1. 7 N(0.c.2.±1. 20)Os vértices de um triângulo são M(1.3).2).1. onde H é o pé da altura relativa ao lado N . RESP: ! Determine 3 35 u.3) e C(1.1) . RESP: T M H =(2.2) . 1). RESP: A ! 128 2 ua 9 19) Calcule a distância do ponto P(±2.3) e (±3.N(5.1) e C(1.0). Calcule as T coordenadas do vetor M .1) RESP: d= e 3 35 u.9. 18) Determine a sobre o rea do triângulo ABD.1.9.1.17)Os vértices de um triângulo ABC são os pontos A (0.c. B(2.2.1.2.3).3).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful