Você está na página 1de 4

Escola Básica e Secundária da Povoação

Ficha de informação e leitura

As Rochas

Rochas Sedimentares
O que são rochas Sedimentares?

Rochas Sedimentares são todas aquelas que passam por dois processos essenciais:

-Sedimentogénese - Desde a formação do sedimento até á sua deposição.

-Diagénese - processos físico químicos que vão constituir uma rocha sedimentar
consolidada.

b) Erosão
Remoção do local dos materiais resultantes dos processos de meteorização.
A remoção pode ser feita por acção da gravidade, pela água (no estado líquido ou no
estado sólido) ou pelo vento.
c) Transporte
Os materiais resultantes da meteorização e removidos do local estão sujeitos a
deslocamento por acção da gravidade, pelo vento ou pela água (no estado líquido ou no
estado sólido).
Existem, no entanto, materiais que permanecem perto do local onde têm origem
formando os ‘depósitos residuais’.
No processo de transporte os detritos experimentam:
- arredondamento, em que a perda das arestas é devido ao atrito com as rochas da
superfície e ao choque entre eles;
- granotriagem, em que as partículas são seleccionadas e separadas de acordo com o
tamanho, forma e densidade.
i) Gravidade
A gravidade faz com que muitos materiais se soltem e se desloquem das zonas mais altas
para as zonas mais baixas.
ii) Vento
O vento é um agente de densidade muito pequena, isto é, o seu poder de transporte
depende da sua intensidade e do tamanho das partículas a transportar.
iii) Água
A água é o principal agente de transporte
dos materiais resultantes da
meteorização das rochas.
Estes materiais podem ser transportados
em solução ou sob a forma de detritos
ou clastos.
O transporte feito pela água pode ser feito quando esta está no estado sólido (glaciares)
ou quando está no estado líquido (águas selvagens, torrentes, rios, lagos, águas
subterrâneas, mares).
d) Sedimentação
Quando a acção dos agentes de erosão e transporte se anula, ou quando é muito reduzida,
dá-se a deposição dos materiais resultantes da meteorização.
Podem-se depositar:
- detritos;
- novos minerais resultantes da meteorização química;
- minerais de precipitação das substâncias em solução;
- matéria orgânica e restos de seres vivos.
Esta deposição pode ocorrer:
- no interior dos continentes (rios, lagos);
- nos limites continente-oceano (praias, deltas)
- em diferentes zonas dos oceanos (plataforma continental,
planície abissal).
A deposição ocorre principalmente em meio aquático originando, normalmente, camadas
sobrepostas de forma horizontal e dispostas paralelamente – os estratos.
Cada estrato é delimitado por um tecto, estrato que se encontra acima, e por um muro,
estrato que fica por baixo. A superfície de separação entre estratos chama-se junta de
estratificação.

Diagénese
Um sedimento já depositado compreende vários processos que definem a diagénese,
entre eles:

Compactação: formam-se camadas de sedimentos em cima de outras camadas mais


antigas, (pincipio da sobreposição horizontalidade de estratos), estas camadas provocam
pressão sobre o estrato de baixo, compactando, ou seja, á uma diminuição dos espaços
vazios da rocha.

Esta diminuição dos espaços vazios, (compactação) provoca a saida de fluidos (ex:.
água), o fenomeno é designado por desidratação.

Cimentação: é o preenchimento de espaços vazios dos sedimentos por minerais.

Os processos da Sedimentogénese e da digénese visam obter, assim, uma rocha


sedimentar consolidada como o arenito, argilito e conglomerado.

Rochas magmáticas
Como já referido, as rochas magmáticas provêm do magma, ou seja, o magma solidifica
e formam-se rochas.

Agora, podem-se formar rochas no interior da crusta ou à superfície terrestre.


Interior da Crusta

todas as rochas magmáticas que solidificaram antes de o magma ser expelido apresentam
as seguintes características:

Solidificação lenta - pois a temperatura na crusta é coincidente com a que permite a


solidifcação do magma

Formação de cristais - o arrefecimento lento do magma é propício ao aparecimento de


minerais. Os minerais são visíveis a olho ou seja os minerais estão muito desenvolvidos.
Dizemos que a textura é fanerítica.

Os minerais mais típicos de uma rocha plutónica são: feldespatos e quartzo.

As rochas formadas no interior da crusta são designadas Intrusivas ou plutónicas.

Superfície Terrestre

Quando o magma é expelido para a superficie terrestre experimenta temperaturas muito


diferentes á que se encontram no interior da crusta, o que leva:

Um Arrefecimento rapido - pois as temperaturas são muito inferiores ás do interior da


crusta.

Não aparecimento de cristais - não se verifica a presença de


cristais pois o arrefecimento muito rápido não proporcionou o
aparecimento do mesmo os minerais são pouco desenvolvidos por
isso diz-se que a textura é afanítica.

Exemplos de minerais típicos de rochas vulcânicas são: olivinas e


piroxenas.

As rochas originadas na superfície terrestre são designadas: Rochas Extrusivas ou


Vulcânicas
Rochas Metamórficas
São rochas que resultam da alteração de outras rochas. As transformações, físicas e
químicas sofridas, passam pela existência de agentes de metamorfismo, estes são
fundamentalmente: a pressão e a temperatura.

O metamorfismo resulta na transformação de rochas preexistentes, quando submetidas


a pressões e temperatura elevadas, associadas ao factor tempo. Este agentes de
metamorfismo actuam sobre as rochas provocando alterações na sua composição
mineralógica. Neste processo, formam-se novos cristais e a orientação dos cristais é
modificada.

Exemplos de rochas metamórficas: ardósia, gnaisse, mármore, micaxisto, etc.

A professora