Você está na página 1de 9

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE MACEIÓ

Junta Médica/Secretaria Municipal de Administração

Recursos Humanos e Patrimônio

Fonoaudiólogo LEIA COM ATENÇÃO 01 - Só abra este caderno após ler todas as instruções
Fonoaudiólogo
LEIA
COM
ATENÇÃO
01
- Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala.
02
- Preencha os dados pessoais.
03
- Autorizado o início da prova, verifique se este caderno contém 50 (cinqüenta) questões. Se não estiver
completo, exija outro do fiscal da sala.
04
- Todas as questões desta prova são de múltipla escolha, apresentando como resposta uma alternativa correta.
05
- Ao receber a folha de respostas, confira o nome da prova, e seu nome e número de inscrição. Qualquer
irregularidade observada, comunique imediatamente ao fiscal.
06
- Assinale a resposta de cada questão no corpo da prova e só depois transfira os resultados para a folha de
respostas.
07
- Para marcar a folha de respostas, utilize apenas caneta esferográfica preta e faça as marcas de acordo com o
modelo ( ∑∑∑∑∑).∑∑∑∑∑∑∑∑∑
A marcação da folha de resposta é definitiva, não admitindo rasuras.
08
- Só marque uma resposta para cada questão.
09
- Não risque, não amasse, não dobre e não suje a folha de respostas pois isso poderá
prejudicá-lo.
10
- Se a Comissão verificar
que a resposta de uma questão é dúbia ou inexistente,
a questão será
posteriormente anulada e os pontos a ela correspondentes distribuídos entre as demais.
11
- Os fiscais não estão autorizados a emitir opinião nem prestar esclarecimentos sobre o conteúdo das provas.
Cabe única e exclusivamente ao candidato interpretar e decidir.
Nome:
Inscrição:
Identidade:
Órgão Expedidor:
Assinatura:
COMISSÃO DE PROCESSOS
SELETIVOS E TREINAMENTOS
Fone: (0XX81) 3412-0800
Fax: (0XX81) 3412-0805

Português

TEXTO 1

LÍNGUA E PODER

"A terapia teve um efeito idiossincrático com prognóstico favorável em caso de pronta supressão". Essa frase, enigmática para os não-iniciados nas sendas médicas, não significa muito mais do que "o remédio teve efeito contrário, mas não causará problemas se for suspenso logo". Esse é um dos exemplos de jargão que

consta da reportagem sobre linguagens técnicas publicada

na semana passada no caderno Sinapse.

O jargão é, de fato, inevitável, mas isso não significa que ele deva ser empregado em todas as ocasiões. Com efeito, toda profissão, do telemarketing à física de partículas, acaba por desenvolver um vocabulário específico, muitas vezes impenetrável para o leigo. Não apenas neologismos são criados, como palavras comuns podem ter sua significação alterada. Em alguns casos, trata-se de uma necessidade. O jargão, no mínimo, economiza palavras, concentrando carga informativa em termos específicos. Em determinadas

áreas científicas, os próprios objetos de estudo não passam

de jargão. É o caso, por exemplo, da Lingüística, com seus

morfemas, sintagmas e lexemas, e da física de partículas, com seus quarks, íons e léptons. No limite, sem o jargão, os fenômenos estudados não podem nem ser enunciados. Reconhecer a importância e a necessidade do jargão em certas situações não significa chancelar seu uso indiscriminado. Um médico ou um advogado que se dirijam

a seus clientes em linguagem técnica incompreensível

estão, na verdade, atendendo muito mal ao consumidor, que deve ter, em todas as ocasiões, acesso a uma explicação completa de sua situação em linguagem acessível. Infelizmente, as coisas nem sempre se passam assim.

Desde que o mundo é mundo, profissionais de uma determinada área tendem a unir-se para manter sua arte impenetrável para o público em geral e, assim, aumentar seu poder. Não foi por outra razão que os escribas do antigo Egito complicaram desnecessariamente a escrita hieroglífica: era uma forma de conservarem e até

de ampliarem sua posição hierárquica.

Os tempos e as circunstâncias mudaram, mas o princípio de complicar para valorizar-se permanece em vigor. Não devemos, é claro, ser ingênuos e acreditar que poderemos promover a plena igualdade através da língua. Democracia é, antes de mais nada, a arte de negociar, de aplicar o bom senso na solução de problemas. Nesse sentido, o bom profissional é aquele capaz de comunicar- se, no melhor jargão, com seus colegas, mas que consegue, sem grandes perdas, fazer-se entender pelo leigo. Os que ostensivamente abusam da linguagem técnica tendem a ser os menos capazes, os que mais precisam afirmar-se para não perder poder.

Folha UOL, 29/06/2003.

01. A idéia principal do texto 1 pode ser assim sintetizada:

A)

a linguagem técnica é um instrumento de as profissões mostrarem não apenas suas características, mas também suas necessidades.

B)

a língua, embora seja um instrumento de comunicação, pode ser também utilizada como

instrumento de poder.

C)

desde que o mundo é mundo, o homem vem tentando encontrar meios de complicar a língua, para a manutenção das profissões.

D)

a

humanidade somente chegará à Democracia se

conseguir alcançar a plena igualdade através da língua.

E)

o jargão é absolutamente necessário em

determinadas áreas científicas, como a Lingüística e a Física de partículas.

02. A principal crítica do texto 1 dirige-se:

A)

aos profissionais da área médica, pela linguagem

difícil que usam, em referência às enfermidades.

B)

existência, na língua, de palavras e expressões muitas vezes impenetráveis para o leigo.

à

C)

aos escribas do antigo Egito, por complicarem a escrita para manterem sua posição hierárquica.

D)

à ingenuidade de algumas pessoas em acreditarem numa democracia lingüística.

E)

aos profissionais que abusam da linguagem técnica, na tentativa de demonstrar poder.

03. Em relação ao jargão, pode-se afirmar que o autor do texto 1:

A) demonstra indecisão no que se refere ao seu

benefício para a sociedade.

B) constata sua inevitabilidade, mas critica seu uso indiscriminado.

C) defende seu uso em qualquer ocasião, mas apenas por determinadas áreas científicas.

D) critica aqueles que reconhecem sua importância

e necessidade.

E) demonstra um profundo preconceito em relação ao seu uso por profissionais da área médica.

04. Uma conclusão autorizada pelo texto 1 é:

A) o uso do jargão por um profissional da área médica demonstra incompetência.

B) uso ostensivo do jargão, em qualquer profissão,

o

é

sinal de necessidade de auto-afirmação.

C) profissão do lingüista restringe-se ao estudo do jargão na sociedade.

D) o jargão é o meio pelo qual os profissionais desenvolvem a arte de negociar.

E) o público em geral precisa estudar mais, para dominar a linguagem técnica das profissões.

a

05. No texto 1, são utilizadas expressões que ratificam a pretensão do autor de ser enfático. Esse recurso lingüístico evidencia-se em:

A) "O jargão é, de fato, inevitável, …"

B) "Em alguns casos, trata-se de uma necessidade."

C) "É o caso, por exemplo, da Lingüística, …"

D) "Infelizmente, as coisas nem sempre se passam assim."
E) "

de

profissional

o

bom

é

aquele

capaz

comunicar-se,

no

melhor

jargão,

com

seus

colegas, …"

06. Assinale a alternativa em que os termos sublinhados são semanticamente equivalentes.

A) “ para os não-iniciados nas sendas / artes médicas ”

B) “ muitas vezes impenetrável para o leigo / ”

C) não significa chancelar / reprovar seu uso indiscriminado ” D) “

acesso a uma explicação completa de sua

laico

situação em linguagem acessível / ininteligível”.

E) “Os que ostensivamente / intensamente abusam ”

da linguagem técnica

07. "Os tempos e as circunstâncias mudaram, mas o princípio de complicar para valorizar-se permanece em vigor." Nesse trecho, podem-se evidenciar, respectivamente, as seguintes relações semânticas:

A) oposição e finalidade.

B) causa e tempo.

C) concessão e causa.

D) tempo e oposição.

E) tempo e finalidade.

08. O trecho entre aspas com que o autor inicia o texto 1 tem a função de:

A) exemplificar o que será dito em seguida.

B) sintetizar o pensamento do autor.

C) delimitar o assunto a ser tratado no texto.

D) concentrar a idéia principal do texto.

E) antecipar a conclusão.

09. Assinale a alternativa em que a mudança de posição dos elementos destacados implica alteração do sentido.

A) "A terapia teve um efeito idiossincrático com prognóstico favorável (favorável prognóstico) em caso de pronta supressão."

B) "O remédio teve efeito contrário, mas não causará problemas se for suspenso logo (logo suspenso)".

C) "… que consta da reportagem sobre linguagens técnicas publicada na semana passada no caderno Sinapse (publicada no caderno Sinapse na semana passada)".

D) "… profissionais de uma determinada área tendem a unir-se para manter sua arte impenetrável (para manter sua impenetrável arte) para o público em geral".

E) "Não apenas neologismos são criados, como palavras comuns podem ter sua significação alterada (podem ter alterada sua significação)".

10. Sobre o léxico, o texto 1 afirma que às vezes "neologismos são criados" (2°§). Exemplo de neologismo foi o emprego do termo "imexível", criado por um Ministro há alguns anos. Esse termo foi composto com um prefixo que também está presente em:

A) inábil.

B) imersão.

C) injetar.

D) irromper.

E) iludir.

Conhecimento do Sistema Único de Saúde – SUS / Saúde Coletiva

11. Segundo a Constituição Federal de 1988, em relação às ações e serviços de saúde no Brasil, é correto afirmar que:

A)

Poder Público regulamenta, fiscaliza e controla somente as ações e serviços públicos de saúde.

o

B)

o

Poder Público não controla as ações e serviços

privados de saúde.

C)

todas as ações e serviços de saúde devem ser vinculados ao Sistema Único de Saúde – SUS.

D)

cabe somente ao Poder Público a regulamentação, a fiscalização, o controle e a execução das ações e serviços de saúde.

E)

são de relevância pública as ações e serviços de

saúde, cabendo ao Poder Público dispor sobre sua regulamentação, fiscalização e controle.

12. Em relação ao Sistema Único de Saúde – SUS, é correto afirmar que:

A) as instituições filantrópicas não podem participar do SUS.

B) somente as instituições privadas sem fins lucrativos podem participar do SUS.

C) é permitida a participação de forma complementar das instituições privadas no SUS.

D) é permitida a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas com fins lucrativos.

é

E) vedada a participação de instituições privadas com fins lucrativos no SUS.

13. O controle social no Sistema Único de Saúde – SUS é exercido, inclusive, com a participação da comunidade em instâncias colegiadas. Em relação a essa participação, é incorreto afirmar que:

A)

o Conselho de Saúde, em cada instância de governo, pode extraordinariamente convocar a Conferência de Saúde.

B)

as Conferências de Saúde e os Conselhos de Saúde têm sua organização e normas de funcionamento definidas em regimento próprio, aprovadas pelo respectivo conselho.

C)

a Conferência de Saúde avalia a situação de saúde e propõe as diretrizes para a formulação

da política de saúde nos níveis correspondentes.

D)

a

representação dos usuários nos Conselhos de

Saúde e Conferências é paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos.

E)

a Conferência de Saúde, nas respectivas

instâncias, somente pode ser convocada pelo Ministro da Saúde e pelos Secretários Estaduais

e Municipais de Saúde.

14. Considerando-se somente as causas definidas de

correto afirmar, sobre o atual perfil

óbito,

é

epidemiológico brasileiro:

A)

as

doenças do aparelho circulatório constituem a

primeira causa de óbito no país e em todas as

regiões, exceto no Norte e no Nordeste.

B)

nas regiões Sudeste e Sul, a segunda causa de óbito são as causas externas.

C)

as neoplasias constituem a primeira causa de óbito no país e em todas as regiões, exceto no Norte e no Nordeste.

D)

primeira causa de óbito nas regiões Norte e Nordeste são as doenças infecciosas e parasitárias.

a

E)

segunda causa de óbito na Região Nordeste são as causas externas.

a

15. Dentre as diretrizes abaixo citadas, assinale a que não se vincula ao Programa de Saúde da Família (PSF):

A) atendimento dirigido prioritariamente à demanda espontânea.

B) programação e planejamento descentralizados.

C) integralidade da assistência.

D) abordagem multiprofissional.

E) estímulo à participação e controle social.

Conhecimentos Específicos

16. Sobre os reflexos orais presentes no recém-nascido (RN), é correto afirmar que:

A)

o

reflexo de sucção assegura a alimentação do

bebê desde o nascimento, mas deve desaparecer como reflexo até o 2 o mês de vida.

B)

o reflexo da deglutição é controlado pelos II, III e

VI

pares cranianos.

C)

o reflexo da deglutição é controlado pelo VI e VII pares cranianos e por um centro específico – o

centro romboencefálico, localizado no córtex frontal.

D)

nos RN’s, apenas as fases faríngeas e esofágicas da deglutição são reflexas.

E)

a deglutição do RN passa a ser voluntária quando este adquire um maior controle da sucção e da região anterior da boca.

17. Assinale

a

características da Seqüência de Moebius.

A) Micrognatismo, glossoptose e fissura palatina.

B) Paralisia facial uni ou bilateral e estrabismo convergente.

C) Hipoplasia malar, maxilar superior ou mandibular.

D) Anomalias anatômicas e funcionais da língua e entalhe no lábio superior.

E) Malformações da laringe e incompetência velo- faríngea.

a

alternativa

que

corresponde

18.

A

deglutição consiste em uma atividade neuromuscular

complexa, na qual estão envolvidos músculos da respiração e do trato gastrintestinal. Assinale a alternativa correta quanto aos aspectos envolvidos nessa função.

A) A deglutição está presente desde a 20 a semana de gestação, sendo uma ação automática comandada pelo tronco cerebral.

B) A fase esofágica da deglutição é totalmente involuntária e inconsciente.

C) Na fase faríngea da deglutição, ocorrerá o abaixamento da laringe, facilitando o fechamento das pregas vocais, que será concomitante à abertura do músculo cricofaríngeo, para que o alimento possa entrar no esôfago.

D) Em casos em que a alteração ortodôntica já ocorreu, não é observada mais a deglutição atípica.

E) A deglutição adaptada corresponde à movimentação inadequada da língua e/ou de outras estruturas que participam do ato de deglutir, durante a fase oral da deglutição, sem que haja nenhuma alteração de forma, na cavidade oral.

19.

Sobre a presbifagia, é correto afirmar que:

A) é uma degeneração fisiológica do mecanismo da deglutição decorrente do envelhecimento sadio das fibras nervosas e musculares responsáveis pela função.

B) é uma alteração da deglutição que acomete indivíduos idosos vítimas de AVE’s, TCE’s, doenças neuromusculares (ex: parkinsonismo) e tumores de cabeça e pescoço.

C) as alterações da deglutição, na presbifagia, acontecem apenas na fase oral, em conseqüência da falta de elementos dentários e do aumento da quantidade de tecido conjuntivo da língua.

D) o objetivo principal do tratamento fonoaudiológico na prebisfagia é tentar conter a evolução e o caráter progressivo dessa doença neuromuscular, proporcionando uma melhor qualidade de vida ao paciente.

E) o tratamento fonoaudiológico na presbifagia deve ser mantido durante todo o período em que o paciente possa alimentar-se por via oral, devendo ser suspenso caso o paciente necessite de outra via de alimentação.

20.

Quanto às características orofaciais dos “respiradores orais”, marque V para verdadeiro ou F para falso.

(

)

Maxila

atrésica

e

protrusão

 

de

incisivos

 

superiores.

 

(

)

Mordidas

abertas

e

cruzadas

e

retrusão

do

 

mento.

(

)

Crescimento

facial aumentado sagitalmente e

 

narinas estreitas.

 

(

)

Eversão

de

lábio

inferior

e

lábio

superior

hipodesenvolvido.

A seqüência correta, de cima para baixo, é:

A) F, V, V, V.

B) V, F, V, V.

C) V, V, F, V.

D) V, V, V, F.

E) F, V, V, F.

21. Quanto aos aspectos morfológicos, posturais e funcionais em uma avaliação miofuncional orofacial, marque V para verdadeiro ou F para falso.

(

) A presença de úvula bífida ou sulcada no palato mole, associada a um padrão vocal hipernasal pode ser indicativo de uma fissura submucosa, necessitando de exames otorrinolaringológicos mais específicos.

(

) A avaliação da deglutição não deve limitar-se a observar se existe ou não projeção de língua entre os dentes ou contra os mesmos.

(

) Em um processo de avaliação da respiração, o espelho de Glatzel é utilizado abaixo das narinas do paciente, apenas para visualizar se há ou não passagem de ar pelo nariz.

A seqüência correta, de cima para baixo, é:

A) V, F, V.

B) V, V, F.

C) F, V, V.

D) V, F, F.

E) F, F, V.

22. De acordo com as características funcionais dos pacientes com Disfunções e Alterações da Articulação Têmporo-Mandibular (ATM), assinale a alternativa correta.

A) O estalido é o mais comum dos ruídos, mas, não pode ser considerado um dos sinais de desequilíbrio mecânico da ATM.

B) As queixas de sintomas auditivos costumam ser freqüentes. Sensação de ouvido tapado e/ou pressão são bastante relatadas.

C) No tratamento das disfunções de ATM, a aplicação de compressas frias é uma medida bastante útil, pois aumenta a vascularização das estruturas comprometidas responsáveis pela manifestação dolorosa.

D) Necessitam de intervenção fonoterápica as funções de mastigação e deglutição. A articulação da fala não está relacionada com as disfunções de ATM.

E) Os hábitos parafuncionais orais não são descritos como um dos fatores etiológicos, mas podem ser agravantes dessa patologia.

23. Sobre

a

atuação

fonoaudiológica

nas

disfagias

neurogênicas, é correto afirmar que:

A)

o

refluxo gastresofágico, quando presente, é um

complicador no tratamento fonoaudiológico.

B)

se o paciente estiver internado, em home care ou com dieta enteral ou parenteral, o fonoaudiólogo deve aguardar a evolução do quadro para iniciar

a sua intervenção.

C)

a saturação de oxigênio do paciente não é um

fator relevante para a intervenção fonoaudiológica.

D)

pacientes que permanecem muito tempo deitados devem ser colocados em uma posição que favoreça a hiperextensão cervical.

E)

a ausculta pulmonar e cervical são procedimentos que devem ser realizados apenas pelo médico assistente.

24. Ao realizar o teste de sucção não-nutritiva em um bebê, nascido a termo, portador de Síndrome de Down, foi verificado que o mesmo possuía um reflexo débil. A fim de adequar esse padrão de sucção, recomenda-se:

A) estimular o reflexo de procura e sucção, 3 a 4 vezes antes da mamada.

B) estimular o reflexo de sucção, 3 a 4 vezes antes da mamada e esvaziar um pouco a mama, colocando o bebê quando a ejeção do leite estiver presente.

C) posicionar os lábios do bebê corretamente, puxando-os delicadamente, e estimular o reflexo de sucção, 3 a 4 vezes antes da mamada.

D) segurar o lábio inferior do bebê com o indicador, durante toda a mamada.

E) massagear, com o indicador, a cavidade intra-oral do bebê, antes de cada mamada.

25. São considerados “Centros corticais da expressão e compreensão da linguagem no cérebro”, respectivamente:

A)

O terço anterior do giro frontal superior esquerdo (área de Broca) e o terço anterior do giro temporal inferior esquerdo (área de Wernicke).

B)

O terço posterior do giro frontal inferior esquerdo (área de Broca) e o terço posterior do giro temporal superior esquerdo (área de Wernicke).

C)

A porção anterior do giro parietal superior esquerdo (área de Broca) e a porção anterior do giro temporal superior esquerdo (área de Wernicke).

D)

A porção posterior do giro parietal superior esquerdo (área de Broca) e a porção anterior do giro temporal superior esquerdo (área de Wernicke).

E)

A porção superior do sulco central esquerdo (área de Broca) e o terço anterior do giro temporal inferior esquerdo (área de Wernicke).

26. avaliação dos aspectos “pragmáticos” da linguagem

A

é indicada nos(nas):

A) distúrbios fonéticos.

B) atrasos de linguagem.

C) distúrbios da fluência.

D)

E) distúrbios de aprendizagem da leitura e da escrita.

disartrias.

27. Com base na proposta de Friedman sobre as condições psicossociais que geram a gagueira, indique

a alternativa que corresponde à orientação correta

para os pais e familiares de uma criança de 2 anos

que esteja apresentando uma “gagueira natural”.

A) Aguardar a evolução do quadro para iniciar a escolarização da criança.

B) Iniciar imediatamente a terapia fonoaudiológica.

C) Procurar não interromper o fluxo natural da fala da criança.

D) Retirar a criança de atividades que exijam esforço respiratório.

E) Chamar a atenção da criança para a dificuldade e oferecer-lhe o modelo articulatório correto.

28. Considerando

de

crianças autistas, assinale a alternativa correta.

A) A ecolalia é definida como sendo a repetição de uma palavra ou de um grupo de palavras ditas na fala do outro, e acontece sempre imediatamente após a fala do outro.

B) As principais alterações lingüísticas em indivíduos autistas estão relacionadas aos aspectos morfossintomáticos e semânticos da linguagem.

C) Todas as crianças diagnosticadas como autistas apresentam movimentos estereotipados.

D) Qualquer que seja a abordagem conceitual, a hipótese etiológica e o critério diagnóstico envolvendo autismo infantil, a linguagem sempre representa um aspecto fundamental do quadro clínico.

E) A inversão pronominal consiste em uma dificuldade na utilização da terceira pessoa do singular e uma tendência a sua substituição pela primeira pessoa do singular.

características

de

comunicação

29. Quanto aos Desvios Fonológicos e Desvios Fonéticos, assinale a alternativa correta.

A) Nos desvios fonológicos, os erros de articulação ocorrem em função de uma desorganização em algum nível periférico do processo articulatório.

B) Os erros de distorção dos sons da fala, como por exemplo a produção interdental anterior e/ou palatal para os fonemas /t, d, n, l, s, z/ são muito comuns em casos de desvios fonológicos.

C) Nos desvios fonológicos, a dificuldade de produção de sons está na representação mental da regra fonológica.

D) No desvio fonético, a etiologia pode estar relacionada aos aspectos cognitivo-lingüísticos e psicossociais.

E) Em casos de desvios fonéticos, há sempre integridade anatômica e fisiológica dos órgãos fono-articulatórios.

30. Analise as produções de fala a seguir e estabeleça os processos fonológicos encontrados, respectivamente, de acordo com a Teoria dos Processos Fonológicos.

Sapo - /tapu/

Carta - /kata/

Avião - /afiãw/

A) Plosivisação, apagamento de líquida final e dessonorização de obstruinte.

B) Anteriorização de palatal, dessonorização e substituição de líquidas.

C) Plosivisação, substituição de líquidas e anteriorização de palatal.

D) Dessonorização de obstruinte, apagamento de líquida final e posteriorização de palatal.

E) Posteriorização de palatal, redução de encontro consonantal e dessonorização de obstruinte.

31. Na terapia de pacientes afásicos com discurso fluente, as seguintes condutas podem facilitar a compreensão da linguagem, EXCETO:

A) sempre falar de frente para o paciente.

B) usar enunciados automáticos.

C) usar a repetição e a redundância.

D) usar frases curtas e diretas.

E) reduzir a velocidade da fala.

32. O atraso de linguagem pode ter como fator etiológico a deficiência mental. São características desse quadro:

1)

tendência a ser amigável; procurar contatos sociais.

2)

vocabulário limitado e construção de estruturas frasais mais elementares.

3)

tendência ao uso de gestos com finalidades comunicativas.

4)

uso marcante de inversões pronominais.

Estão corretas, apenas:

A) 1 e 3.

B) 1 e 2.

C) 2 e 3.

D) 2 e 4.

E) 1 e 4.

33. Ao avaliar a leitura e a escrita de uma criança de 7 anos de idade, foi observado, em sua produção textual, a escrita de palavras como “xapéu” e “meza”. Esse tipo de erro pode ser categorizado como:

A) inversões.

B) generalização.

C) confusão entre letras parecidas.

D) apoio na oralidade.

E) representações múltiplas.

34. São aspectos freqüentemente apontados como desencadeadores de problemas de aprendizagem, EXCETO:

A) alterações fonético-articulatórias.

B) transtornos do déficit de atenção com ou sem hiperatividade associada.

C) alterações nas habilidades de processamento auditivo.

D) distúrbios do sono, como os observados em respiradores orais.

E) alterações no sistema fonológico.

35. Com relação às funções da orelha média, é correto afirmar que:

A) compensa a perda de energia sonora através de três mecanismos principais.

B) atenua estímulos acústicos intensos, acima de 70- 90dB, em aproximadamente 35dB, pela contração reflexa e simultânea dos músculos acústicos.

C) recupera a perda de energia sonora em quase 40dB, devido à razão de área entre o tímpano e a platina do estribo.

D) compensa a diferença de impedância, em cerca de 2dB, através do complexo sistema de alavanca que se presume existir entre os ossículos.

E) protege a orelha interna contra a entrada de corpos estranhos.

36. A avaliação audiológica em crianças a partir de 6 meses é geralmente realizada através do condicionamento e da observação comportamental. Considerando-se que essa avaliação seja feita em um ambiente de campo livre, é correto afirmar que:

A) a criança deve ser colocada em uma cadeira ou no colo da mãe, a qual tem que estar entre dois alto-falantes, posicionados em um ângulo de 45º em relação à cabeça da criança.

B) um sinal acústico controlado deverá ser apresentado em um nível bem acima do limiar (75-90 dBNA), e as respostas comportamentais observadas.

C) o sinal acústico deverá ser diminuído em etapas de 25dB para cada resposta positiva observada na criança.

D) deverão ser utilizados, na avaliação, diversos tipos de brinquedos sonoros, uma vez que esses possuem energia sonora em várias freqüências, o que facilita determinar a perda auditiva em função da freqüência.

E) dentre os diversos tipos de sinais gerados eletronicamente, o mais indicado é o tom puro.

37. Paciente de 30 anos apresenta quadro de paralisia facial no lado direito. Relata dor ao redor da orelha direita, no entanto não refere diminuição auditiva. Com base nessas informações, quais os achados audiométricos e imitanciométricos compatíveis com o quadro clínico deste paciente?

A) Audição normal bilateral, LRF (SRT) alterados, IRPF (IRF) alterados, timpanogramas do tipo “A”, reflexos acústicos contra e ipsi-laterais presentes em ambas as orelhas.

B) Perda condutiva leve na orelha esquerda e audição normal na orelha direita, LRF (SRT) compatível com a perda auditiva na orelha esquerda e normal na orelha direita, IRPF (IRF) normais, timpanogramas do tipo “C” para orelha esquerda e “A” para orelha direita, reflexos acústicos contra e ipsi-laterais ausentes em ambas as orelhas.

C) Audição normal bilateral, LRF (SRT) normais, IRPF (IRF) normais, timpanogramas tipo “A”, reflexos acústicos contra-laterais direitos presentes e esquerdos ausentes, reflexos ipsi- laterais ausentes na orelha direita e presentes na orelha esquerda.

D) Perda auditiva condutiva leve bilateral, LRF (SRT) compatíveis com a perda auditiva, IRPF (IRF) normais, timpanogramas do tipo “B”, reflexos acústicos contra-laterais ausentes e ipsi- laterias presentes em ambas as orelhas.

E) Audição normal bilateral, LRF (SRT) normais, IRPF (IRF) normais, timpanograma tipo “Ar” para orelha direita e “A” para orelha esquerda, reflexos acústicos contra e ipsi-laterais presentes em ambas as orelhas.

38. Paciente com 45 anos, do sexo feminino, refere diminuição auditiva na orelha esquerda, percebida ao acordar. Refere, ainda, zumbido, cujo aparecimento se deu antes da diminuição auditiva. Após avaliação audiológica, foi diagnosticada uma perda auditiva unilateral de grau severo na orelha esquerda. Na avaliação vocal, apresentou LRF (SRT) compatíveis com as médias das freqüências da fala em ambas as orelhas, o IRPF (IRF) alterado na orelha esquerda e normal na orelha direita. Esses sintomas e achados audiológicos caracterizam:

A) surdez súbita.

B) caxumba.

C) doença de Menière.

D) sarampo.

E) surdez ototóxica.

39. Paciente com 32 anos, do sexo feminino, refere sensação de zumbido tipo “cachoeira”, diminuição da acuidade auditiva em ambas as orelhas, iniciada há quatro anos, acentuando-se após a gravidez de seu primeiro filho. Diante desse histórico, que achados audiométricos e imitanciométricos são esperados?

A) Curva audiométrica plana, gap aéreo-ósseo máximo de 40dB, valores de complacência baixos, timpanogramas do tipo “B”, ausência de reflexos acústicos contra-laterais em ambas as orelhas.

B) Curva audiométrica descendente, ausência de gap aéreo-ósseo, timpanogramas do tipo “A”, valores de complacência normais, presença de reflexos acústicos contra-laterais em ambas as orelhas.

C) Curva audiométrica ascendente, gap aéreo-ósseo podendo ultrapassar 50dB, ligeira redução da condução óssea na freqüência de 2000Hz, timpanogramas do tipo “Ar”, valores de complacência acentuadamente baixos, ausência de reflexos acústicos contra-laterais em ambas as orelhas.

D) Curva audiométrica em “U”, ausência de gap aéreo-ósseo, timpanogramas do tipo “A”, valores de complacência normais, presença de reflexos acústicos contra-laterais em algumas freqüências e ausência em outras.

E) Curva audiométrica horizontal, ausência de gap aéreo-ósseo, timpanogramas do tipo “C”, valores de complacência baixos, ausência de reflexos acústicos contra-laterias em ambas as orelhas.

40. Pelo fato de poderem ser medidas de maneira não invasiva e por serem sensíveis ao estado coclear, as emissões otoacústicas têm usos clínicos em potenciais que incluem:

A) triagem de disfunção do sistema periférico e central da audição.

B) predição do limiar auditivo.

C) avaliação da integridade neural.

D) monitorizarão dos efeitos de agentes nocivos à cóclea, tais como vírus e bactérias.

E) avaliação de perda auditiva flutuante (Doença de Menière).

41. Além dos parâmetros de estímulos, existem diversas variáveis não patológicas relacionadas ao indivíduo que merecem ser consideradas para que se possa compreender as limitações e interpretações da avaliação realizada através do ABR (BERA). Analise as proposições abaixo:

1)

Mudanças maturacionais precoces do ABR estão completas por volta de dois anos de idade, em crianças, em termos cronológicos, com audição normal.

2)

Na adolescência, os meninos começam a apresentar latências significativamente mais longas que as meninas.

3)

Na idade adulta, a diferença entre os sexos é de aproximadamente 0,2 milissegundos na latência absoluta da onda III.

4)

Com o processo de envelhecimento, as latências de todas as ondas podem aumentar novamente, especialmente após os 50 anos, podendo este achado ser potencializado e/ou confundido com a presença de perda auditiva.

44. Entre as disfonias, estão incluídas as alterações vocais acompanhadas por nódulos vocais. Considerando esse tipo de lesão, assinale a alternativa correta.

A) Os nódulos são lesões de massa, benignas, geralmente unilaterais, de característica esbranquiçada ou levemente avermelhada, que se desenvolvem na região anterior das pregas vocais.

B) Os nódulos localizam-se na camada superficial da lâmina própria, e são constituídos, basicamente, de tecido edematoso e/ou fibras colágenas.

C) A formação dos nódulos vocais ocorre, principalmente, por reação natural do tecido ao trauma fonatório, associado ao consumo de tabaco por longo período de tempo.

D) Na presença do nódulo vocal, o principal sinal perceptivo-auditivo é a voz rouco-áspera, com ressonância alta.

E) A conduta terapêutica nos casos de nódulos vocais é, sempre, cirurgia para retirada da lesão, seguida de fonoterapia.

45. De acordo com os fatores causais das principais lesões abaixo relacionadas, numere a segunda coluna de acordo com a primeira.

 

1) edema de Reinke

(

)

comportamento

vocal

e

2) leucoplasia

(

)

predisposição anatomofuncional fonotrauma e tabagismo

3) nódulo

(

)

genético,

álcool

e

fumo;

 

fonotrauma; refluxo gastresofágico

às

disfonias

4) úlcera de contato

(

)

fonotrauma;

trauma

mecânico

 

pós-cirurgias laríngeas

 

5) granuloma

(

)

trauma

isolado,

fonatório

ou

 

não

Assinale a seqüência correta, de cima para baixo:

A) 3, 1, 2, 5, 4.

B) 4, 3, 5, 2, 1.

C) 3, 5, 2, 4, 1.

D) 2, 4, 5, 1, 3.

E) 5, 1, 3, 4, 2.

46. Quanto ao comportamento da musculatura extrínseca e intrínseca da laringe, assinale a alternativa correta.

A) Os músculos extrínsecos da laringe são primordialmente responsáveis pela produção do som.

B) Os músculos intrínsecos da laringe são primariamente responsáveis pela sustentação da laringe e por seu posicionamento.

C) Os músculos extrínsecos da laringe são os esternotireóideos, tiro-hióideos e tiroaritenóideo superior.

D) Existe apenas um músculo abdutor na laringe, o cricoaritenóideo posterior, um músculo largo em forma de leque.

E) O músculo cricoaritenóideo lateral é um abdutor glótico importante que, em certas circunstâncias, também pode funcionar como relaxador da glote.

Estão corretas, apenas:

A) 1, 3, 4.

B) 1, 2, 3.

C) 1, 4.

D) 3, 4.

E) 2, 3.

42. É

exemplo

de

alteração

relacionada

funcionais:

A) uso inapropriado de registro.

B) alterações estruturais mínimas.

C) paralisia de prega vocal.

D) vasculodisgenesia.

E) laringomalácia.

43. O sistema de ressonância vocal consiste em um conjunto de elementos do aparelho fonador que permite a moldagem e projeção do som no espaço. Quanto ao foco de ressonância, assinale a alternativa correta.

A) Pessoas que apresentam ressonância equilibrada concentram a energia sonora na cavidade da boca, permitindo-lhes a possibilidade de uma articulação bem trabalhada.

B) O uso excessivo da laringe confere à emissão uma característica estridente e metálica, tornando

o foco de ressonância vertical alto.

C) O uso excessivo da ressonância nasal está sempre relacionado a fatores orgânicos, envolvendo alterações de palato mole.

D) Quando há tensionamento conjunto das regiões de laringe e faringe, a ressonância é denominada de laringo-faríngea e a voz apresenta uma riqueza de harmônicos amplificados, de acordo com a análise espectrográfica.

E) O uso excessivo da cavidade da faringe confere à

emissão uma característica tensa, e identifica-se

o foco vertical de ressonância como baixo.

47. Lesões, geralmente unilaterais, sésseis ou pediculadas, de característica gelatinosa, fibrótica ou hemorrágica, com alteração vocal evidente, caracterizada por voz rouca e, muitas vezes, freqüência fundamental dicrótica, ocorrendo na idade adulta e, predominantemente, no sexo masculino, corresponde a:

A) granulomas.

B) leucoplasias.

C) pólipos.

D) úlceras de contato.

E) edemas de reinke.

48. Sobre a atuação fonoaudiológica nas disfonias infantis, é correto afirmar que:

A) em uma criança de 6 anos, a medida do tempo máximo de fonação deve ser semelhante à medida do tempo máximo de fonação encontrado em mulheres.

B) devido à dificuldade de conscientização da criança, o trabalho voltado à higiene vocal deve ser dirigido apenas aos pais.

C) o uso de técnicas vocais, como vibração sonorizada e sons nasais, é indicado nos casos de disfonia organofuncionais e contra-indicado nas disfonias funcionais.

D) a técnica do bocejo-suspiro é indicada em todos os casos de disfonia infantil, pois propicia uma fonação menos tensa, elevando a laringe permitindo uma fonação mais relaxada.

E) é comum observarmos, em crianças, um agravamento abrupto nos finais de suas emissões, decorrente da mudança do registro modal para basal.

49. Paciente, 69 anos, encaminhado pelo setor de Neurologia de um hospital para terapia fonoaudiológica. Na avaliação realizada, foram observadas alterações cognitivas e comportamentais importantes, ficando evidente sintomas de transtorno de memória recente e desorientação temporal. Além disso, foi verificado anomia, manifestada através do uso de termos indefinidos e circunlóquios, no discurso, bem como desorganização de idéias. O quadro é sugestivo de:

A) Doença de Parkinson.

B) Doença de Huntington.

C) Síndrome de Asperger.

D) Seqüência de Pierre Robin.

E) Doença de Alzheimer.

50. O código de Ética da Fonoaudiologia dispõe em um de seus artigos, das Responsabilidades do Profissional para com o Cliente. A este respeito é correto afirmar que o fonoaudiólogo deve:

A) permitir o acesso do cliente ao prontuário, dando- lhe as explicações necessárias à compreensão do mesmo.

B) minimizar o quadro diagnóstico ou prognóstico, diminuindo, assim, o impacto dos mesmos em relação aos aspectos psíquicos e afetivos do cliente.

C) utilizar técnicas específicas no tratamento fonoaudiólogo que tenham ou não eficácia comprovada.

D) fornecer diretamente ao cliente os resultados dos procedimentos realizados, exceto quando o serviço for contratado por terceiros.

E) permitir o acesso do responsável ou representante legal durante a avaliação e tratamento, ainda que sua presença comprometa a eficácia do tratamento.