Você está na página 1de 3

Lixo: responsabilidade de todos Objetivo - Entender os problemas causados decorrentes destino pelo da de excesso de consumo. materiais. sólidos.

Conteúdos Problemas ambientais Composição e

produção de resíduos

Material necessário Cópias da planta baixa de uma casa ou apartamento, reportagens “Um Oceano de Plástico” e “Sopão de Plástico”, vídeo Preserve Seu Planeta, globo terrestre e material para pesquisa (sites da internet, livros, revistas etc.) sobre produção de resíduos, consumo desenfreado e poluição ambiental. Desenvolvimento 1ª etapa Apresente a planta baixa de uma casa ou apartamento para a turma. Organize os alunos em equipes de quatro integrantes e solicite que analisem a imagem, listando os bens de consumo que normalmente estão presentes em cada cômodo, conforme a tabela abaixo. Cômodo Materiais Destino após uso Quantidade descartada todos os dias

Total de materiais descartados todos os dias A intenção é levar a garotada a pensar sobre a quantidade de produtos que uma família consome. Peça que os alunos imaginem que destino é dado a esses produtos e a tudo mais que costumamos jogar no lixo todos os dias. E informe que, durante uma semana, eles farão um trabalho em casa: contar a quantidade de embalagens descartadas nesse período (os dados obtidos devem ser anotados na tabela). Após o levantamento, diga para somarem os números apurados individualmente, chamando a atenção da classe para o fato de que esse total é influenciado por muitas variáveis, como o número de pessoas na casa, os hábitos de consumo e o poder aquisitivo da família, entre outras. Em seguida, solicite que os estudantes discutam dentro de suas equipes quais podem ser os problemas provocados pelo acúmulo dos materiais descartados. Quais seriam as consequências desse acúmulo para o meio ambiente? Ajude-os a organizar as respostas em cartazes e fixá-los em um lugar bem visível na sala, como forma de socializar as informações. Esses cartazes podem estar agrupados por ambiente impactado (urbano, rural, manguezal, ambiente aquático etc.). Exemplo: entre as consequências para o ambiente urbano, espera-se que as crianças citem sujeira espalhada pela rua, entupimento de bueiros e enchentes, entre outras. 2ª etapa Apresente a reportagem “Um Oceano de Plástico”, que trata do acúmulo de resíduos plásticos em uma área remota do Oceano Pacífico. Depois de assistir ao vídeo, questione se os resíduos sólidos que aparecem na matéria estão incluídos na lista de materiais que descartamos todos os dias. Em seguida, peça que os alunos localizem no

globo terrestre a região discutida e pergunte de quem é a responsabilidade pelo acúmulo de sujeira naquele local tão distante. exiba o trecho do vídeo Preserve Seu Planeta que vai de 3min10 a 3min50 para que os alunos identifiquem o caminho percorrido pelo lixo no oceano. divida a turma em oito grupos e peça que quatro deles façam uma pesquisa sobre a poluição provocada pela fabricação de papel. diga para compartilharem as informações apuradas e torne a exibir o vídeo Preserve Seu Planeta. aço. Agora. Registre as respostas no quadro. Avaliação Apresente a seguinte questão: uma sonda será lançada ao espaço e levará informações sobre a Terra. Sopão de plástico . um tema por equipe). Em seguida. agora inteiro. Ao final da exibição. Eles também são provocados pela fabricação desses mesmos materiais. ainda que estejamos tão longe daquele local?”. Às outras equipes. Terminada a leitura. 3ª etapa Distribua os quatro últimos parágrafos da reportagem “Sopão de Plástico” (lembre-se de informar que polímeros plásticos são o resultado de parte da decomposição de plásticos e que disruptoras endócrinas são substâncias nocivas à saúde). solicite que pesquisem causas da poluição do ar. formas de reduzir o consumo de água. pergunte: “Vocês acham que parte da responsabilidade por essa situação é nossa. Você ficou responsável por escrever uma carta sobre os problemas causados pelo consumo exagerado de bens e suas possíveis soluções. 4ª etapa Dê início a esta etapa explicando aos alunos que os problemas ambientais não são causados apenas pelo descarte de materiais. Por fim. explicações para a poluição da água e como evitar a destruição de hábitats (de novo. certifique-se de que os alunos entenderam qual é sua parcela de responsabilidade pela degradação ambiental. mesmo estando a quilômetros e quilômetros de distância do ambiente degradado. vidro e plástico (um tema para cada grupo).

Ele só é quebrado pela luz do Sol. só comendo Por Claudia Carmello Imagine um prato de sopa à sua frente. Ainda não estamos comendo plástico. em pedaços cada vez menores. Foram as próprias correntes marinhas que carregaram tudo para um tipo de redemoinho. Comem os alimentos e engolem junto o lixo sólido que flutua no mar. Mas nenhum é tão entulhado quanto o Grande Lixão. “O oceano fica num nível mais baixo do que qualquer lugar no planeta. Só que para cada pedaço de legume boiando há outros 6 pedaços de plástico. a meio caminho entre a Califórnia e o Havaí. do escoamento dos rios”. 1 caneta. Do esgoto ao sapato largado no bueiro. pelo cientista Charles Moore. a bióloga cutuca e tira de dentro do bicho duas mãos cheias de lixo: 5 tampinhas de garrafa. onde eles ficam presos e se concentram cada vez mais. mas sempre polímeros plásticos. O mais comum é morrerem de desnutrição. de tão entulhado. E. Não. Você seria capaz de comer tudo sem mandar para dentro ao menos uma bolinha de plástico bolha? O albatroz e a tartaruga-marinha. Esses vórtices existem em vários lugares dos oceanos. Estudos feitos na Noruega mostraram que um urso-polar pode ter no organismo contaminação 3 bilhões de vezes mais alta do que a água ao redor dele. ninguém teve a insanidade de despejar conscientemente o entulho lá. assim como nos peixes que as comem. levou os ecologistas a fazer campanhas mais agressivas contra a poluição plástica. daqueles caldos cheios de pedacinhos de legumes diferentes. que se reduz a água e CO2 quando decomposto. A cena de uma necropsia no estômago de um albatroz mostrada num vídeo do YouTube é tão contundente que já devia ter virado campanha anti-saquinho de supermercado. Em todo o mar. fica incapaz de ingerir ou absorver nutrientes. Ela é feita de 3. a ação da natureza sobre ele não o quebra em elementos simples – como o papel. Quando vários deles são ingeridos pelo zooplâncton. que se espalha por uma área pouco maior que o estado de Minas Gerais. de zooplâncton – existe de verdade num canto do planeta. muito lentamente (algo como 450 anos para uma garrafinha de água). É o chamado Grande Lixão do Pacífico. Com o bisturi. em comparação com outras grandes fontes poluidoras dos oceanos. mas do que fazemos na terra. como os vazamentos de petróleo e o despejo de esgoto e de fertilizantes.5 milhões de toneladas de lixo sólido. A descoberta dele. O entulho plástico não vem só da costa. “O oceano é o destino final de todo o nosso lixo. com o estômago que. a culpa não é de como ocupamos o mar. não conseguem. 1 pedaço de tela e até 1 escova de roupa! São os chamados entulhos marinhos. se o oceano virou um enorme lixão. O problema do plástico é que ele não é biodegradável. E essa sopa com 6 nacos de sujeira para cada 1 de legume – quer dizer. medusas e algas no grande sopão dos oceanos do mundo. diz o cientista Charles Moore. O cálculo mais aceito é que 80% da poluição dos mares é produzida no continente. em 1997. que se alimentam de moluscos.” . Para sumir com todo o lixo. mas dos estados do interior.O mar virou a grande lixeira do planeta. a carga suja nessas criaturas aumenta. segundo o Greenpeace. nas focas que comem peixes e no urso que come a foca. Um pedaço de plástico tem uma carga tóxica dezenas de milhares de vezes maior que a da água salgada onde bóia. pedaços de lixos sólidos levados pelas correntes desde a Antártida até a Groenlândia e que vitimaram até agora 267 espécies da fauna marinha. Mas não podemos evitar a ingestão das toxinas do plástico. como os albatrozes. Ou seja. os vórtices. 60 a 80% desse lixo é plástico.