Você está na página 1de 2

A Vida Essencial Atualmente percebemos a vida passar muito rapidamente e sentimos um certo vazio ou frustração por realizações não

concretizadas. Começa o ano e logo é carnaval, mal parou a folia e já chega o inverno e, de repente quando se pisca os olhos, é Natal e então dizemos “Nossa! O tempo voou”. É sempre assim, só nos damos conta do tempo que perdemos quando não há mais tempo. Quantas pessoas no ínicio do ano escrevem suas metas e objetivos, fazem aquela listinha básica de desejos de consumos e coisas a melhorar? Tudo é muito particular e varia desde a dieta para perder os 5 quilos a mais adquiridos nas festas, até o projeto de comprar a tão sonhada casa própria. No entanto, quando param por um momento, percebem que o ano já acabou e não fizeram quase nada do que gostariam de fazer. Todos aqueles projetos, metas e sonhos adiados mais uma vez para quem sabe concluir no ano que vem. Essa é uma situação muito comum, mas por que isso acontece? Isso ocorre porque perdemos o sentido essencial da vida: a morte. A morte pode ser difícil de aceitar e ainda gerar muito medo, isso é normal devido aos tememores que cultivamos quanto ao desconhecido, porém, ela é a única certeza que temos na vida. Tudo se baseia num ciclo onde a morte é certa e inevitável. Todos sabemos que vamos morrer um dia e, no entanto, preferimos acreditar que vamos viver para sempre. Passamos a vida toda disperdiçando o que temos de mais precioso, nosso tempo. Vivenciamos tudo sem a menor preocupação ou comprometimento com nós mesmos. Esqueçemos que a felicidade depende de nossas escolhas, da maneira como vivemos. Somos nós que definimos como vamos utilizar nosso tempo e ainda assim, mesmo sabendo que ele é finito, teimamos em disperdiçar com coisas superficiais que nada nos acrescentarão de bom. Para corrigir esses desvios e colocarmo-nos de volta no caminho, é preciso aprender a morrer. “Somente sabemos viver quando aprendemos a morrer” (...) O segredo é encarar a vida como se estivéssemos apenas “a passeio”, isso não significa sair por aí agindo de maneira irresponsável sem pensar nas consequências, nem quer dizer que não devemos pensar no futuro, fazer planos e coisas assim, significa apenas, que devemos aproveitar plenamente cada momento valorizando as coisas simples da vida, nossas emoções e as pessoas ao nosso redor.

O valor das coisas não está no tempo em que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis". "O tempo é muito lento para os que esperam, muito rápido para os que têm medo, muito longo para os que lamentam, muito curto para os que festejam.

Mas. (Shakespeare) . o tempo é eternidade". para os que amam.

Interesses relacionados