Você está na página 1de 10

CRITÉRIOS E INSTRUÇÕES FINA

Não pretendemos dizer como cada um deve apitar, mas sim,


que princípios devem dirigir a forma de cada um apitar.

Este documento, nunca irá substituir a atitude de cada um perante o


jogo, e torna-se imprescindível para a sua correcta aplicação, que seja
utilizado com a única regra que não podemos descrever: BOM
SENSO

Fica assim a cada um de nós, árbitros, o papel de ser capaz de colocar


num jogo de Pólo Aquático, todas estas regras, critérios e instruções,
sem esquecer nunca que o objectivo principal a defender tem de
ser sempre o jogo de Pólo Aquático e os jogadores.

Não é um documento fechado, estanque, com a ajuda de todos,


podemos sempre, e devemos, contribuir para que possa ser
melhorado.

Bons jogos e boas arbitragens

REGULAMENTO DE PÓLO AQUÁTICO FINA 2005-2009


INTERPRETAÇÕES

1- Que acontece se um jogador defensivo, tentar parar um


remate, com os dois braços?

Se um jogador tentar parar um remate com os dois braços, deverá ser


sancionado com pénalti, se a infracção ocorrer dentro dos 5 mts, ou
com uma exclusão, se a infracção ocorrer fora da área dos 5 mts.

2- Um jogador, não sendo guarda-redes, toma o lugar do


guarda-redes excluído. Os privilégios do Guarda-Redes
aplicam-se a este jogador?

Não. Um jogador que não é guarda-redes, mas assume o seu lugar


em caso de exclusão, pode jogar mas sem os privilégios exclusivos do
guarda-redes. Se defender um remate com os dois braços, deverá ser
assinalado um pénalti.

3 – Como se deve sinalizar a reentrada do substituto do


jogador excluído por brutalidade?

Quando um jogador é excluído por brutalidade, o sinal de reentrada


para o substituto deverá ser dado, levantando a bandeira amarela, ao
mesmo tempo que se levanta a bandeira da cor correspondente (azul
ou branca).

4 – Que sucede se um jogador intercepta um passe e envia a


bola pela linha de baliza?

O jogo recomeça com um lançamento de canto. Esta acção é


considerada como envio intencional da bola para fora de campo.

5- Que deverá ser feito se um acto de brutalidade é cometido


durante o intervalo dos períodos, desconto de tempo ou
depois de um golo ser assinalado?

Neste caso o jogo deverá recomeçar de forma normal, através do


apito do árbitro e logo de seguida o pénalti deverá ser efectuado.

6- Que deverá ser feito se existe uma situação de brutalidade


dupla, cometida por elementos de equipas contrárias durante
um intervalo?
O árbitro deverá assinalar a exclusão por brutalidade dos dois
jogadores. O jogo recomeça de forma normal, através do apito do
árbitro, e quando uma das equipas conseguir a posse de bola, os
árbitros param o jogo e assinalam o pénalti, em primeiro lugar, a
favor da equipa que conseguiu a posse de bola. O primeiro pénalti
deverá ser efectuado, sem direito a recarga. A seguir deverá ser
marcado o outro pénalti da mesma forma, sem direito a recarga. Após
a marcação dos pénaltis o jogo deverá retomar a partir da linha do
meio campo, pela equipa que ganhou a posse de bola.

7 – Que deverá ser feito se existe uma exclusão por


brutalidade dupla, cometida por elementos de equipas
contrárias, durante um time-out ou depois de um golo?

O árbitro deverá assinalar a exclusão dos dois jogadores, a seguir o


primeiro pénalti deverá ser marcado pela equipa que estava em
posse de bola, sem direito a recarga. A outra equipa deverá marcar o
pénalti seguinte, também sem direito a recarga. O jogo recomeça na
linha do meio campo, pela equipa que tinha a posse de bola.

8 - Que deverá ser assinalado quando um jogador defensor


entra incorrectamente em campo?

O jogador é excluído por 20” e um pénalti deverá ser assinalado. Ao


jogador só é atribuída uma falta pessoal

9 - Que deverá ser assinalado quando um jogador atacante


entra incorrectamente em campo?

O jogador deverá ser excluído por 20”, e um livre deverá ser


assinalado a favor da equipa contrária

10 - Quando se assinala um pénalti a favor de uma equipa , no


decorre do ultimo minuto, que deverá ser feito por parte do
árbitro?

O árbitro deverá saber junto do treinador da equipa a favor de quem


o pénalti foi atribuído, se deseja marcar o pénalti ou se prefere novo
período de posse de bola de 30”. O treinador deverá indicar
rapidamente a sua intenção, cruzando os braços, sobre os ombros,
para manter uma nova posse de bola, ou com a mão aberta e os 5
dedos abertos, que pretende a marcação do pénalti. Se pretende a
manutenção da posse de bola, o jogo recomeça na linha de meio
campo
11 - Que deverá ser assinalado quando a bola sai pela linha
lateral, depois de ressaltar num jogador defensivo após um
remate à baliza?

Deverá ser assinalado um lançamento livre para a equipa defensiva.


Nesta situação deve ser aplicada a mesma regra sobre os cantos.

12 - Que deverá ser assinalado se um jogador cometer uma


infracção punida com exclusão definitiva com substituição,
durante um intervalo do jogo, desconto de tempos ou após a
marcação de um golo?

O jogador deverá ser excluído da partida com substituição e um


substituto poderá entrar imediatamente antes do recomeço do jogo.
Estas situações são consideradas como intervalo entre períodos

Arbitragem - Comportamento

1- O árbitro muitas vezes desempenha outras funções,


como treinador, jogador, dirigente, etc. Mais do que o
conhecimento das regras, tudo o que faz na modalidade,
enquanto estiver a arbitrar um jogo, tudo isso é
importante, porque só isso será importante para quem
assiste a um jogo. Não ter uma conduta própria, em
qualquer papel que se desempenhe no Pólo Aquático, irá
ser sempre reflectido na aceitação e respeito por parte
de todos os elementos do jogo. É o que as pessoas
podem unicamente avaliar. Podemos ter o total
conhecimento das regras, e podemos ser o melhor
árbitro a colocá-las em prática, se enquanto elementos
da modalidade tivermos outros tipos de comportamento,
nunca poderemos ser um árbitro. Cabe a cada um,
perceber isso e mudar. Cabe a cada um fazer a escolha.

COMPORTAMENTO COM OS JOGADORES,


TREINADORES E PUBLICO
ANTES DO JOGO – Num jogo o nosso papel é o de árbitro,
significa que toda a gente, que todo o trabalho e dinheiro que se
investe na modalidade, depende das nossas decisões.
Não é o desempenho dos jogadores que está em causa, mas sim o
papel do árbitro em todos os aspectos do jogo.

Antes de uma partida, na chegada à piscina o árbitro, apesar de


ter um comportamento cordial com todas as pessoas, deverá
acima de tudo, ser ele a marcar a distância, não se deve ignorar
quem nos cumprimenta, mas devemos manter um certo
afastamento, que pode ser encarado, como uma preparação para
o jogo. É a imagem que se passa, o Pólo Aquático está a crescer e
cada ano surgem pessoas novas na modalidade, mais público,
público diferente, que vem de outros desportos e que não entende
a proximidade com os elementos do jogo e que em alguns casos
até encara essa proximidade como influência. Defendam-se!!!

DURANTE O JOGO – A abordagem a todos os intervenientes do


jogo, independentemente da acção que leva a que ela seja
efectuada, deve ser em 1º lugar, por parte do árbitro, a mais
correcta e educada possível. Quem está dentro de água, tem uma
forma de agir, própria de quem vive o jogo intensamente, mas isso
não implica que a forma de falar, a forma de agir do árbitro seja
idêntica. Devemos ser firmes e correctos, mas nunca deixar que o
que dizemos e como o dizemos, possa dar motivo a mais
problemas e a julgamento de carácter por parte das restantes
pessoas. Não podemos deixar misturar por culpa própria o
comportamento do árbitro com o conhecimento das regras. As
nossas decisões serão sempre aceites, bem ou mal, mas o nosso
comportamento é que pode ajudar a que elas sejam sempre bem
aceites. Escolher o caminho de uma discussão, com termos
incorrectos, só porque temos a razão do nosso lado é
completamente inaceitável. Nós somos o exemplo, lideramos e
conduzimos o jogo com respeito, é a única forma de o poder exigir
aos restantes elementos do jogo.

FINAL DO JOGO – Todo o esclarecimento a ser dado, tem que ser


pedido e nunca pode ser recusado, faz parte do nosso papel.
Contudo devemos evitar que seja feito em público. No caminho
para o balneário, ou até mesmo à porta do balneário é o mais
aconselhável, e só deve ser dado quando pedido em termos
correctos, quem está a terminar um jogo está cansado, sendo
possível surgirem com mais facilidade situações difíceis. Todos os
esclarecimentos têm de ser dados de acordo e tendo por base as
regras do jogo. Não podemos inventar o que não existe. Se a nós,
é pedido um esclarecimento, por uma decisão do jogo que se
baseia em algo que não existe nas regras, estamos terminados.
Mais, o esclarecimento deve ser dado só em situações relativas ao
jogo em questão, e nunca usar outros jogos como termo de
comparação ou explicação

O COMPORTAMENTO DE UM ÁRBITRO, EM TODOS OS


ASPECTOS LIGADOS COM A MODALIDADE DEVE SER
EXEMPLAR E SEMPRE EM DEFESA DO JOGO. TODAS AS
ATITUDES COMO ELEMENTOS LIGADOS à MODALIDADE TÊM
O SEU PESO NA NOSSA ACEITAÇÃO COMO ÁRBITROS E POR
CONSEQUÊNCIA, NAS NOSSAS DECISÕES.

REGRAS DE WP E SUA APLICAÇÃO

Lei da Vantagem – Como deve ser aplicada, onde não deve ser
aplicada. Entender o jogo para melhor aplicação desta regra, o que
devemos fazer antes de aplicar a regra.

Para uma aplicação perfeita a lei da Vantagem devemos considerar


os seguintes pontos, que mentalmente teremos de ser capazes de
aplicar de uma forma rápida.
 O que se está a passar no jogo?

 A falta está fora do local da bola?

 A falta ocorre atrás da linha da bola?

 O jogador que está a sofrer a falta o que pretende fazer?

 Se eu apitar que influência vou ter no jogo?

 Posso atrasar o assinalar da infracção?

CRITÉRIOS

Cada árbitro tem a sua forma de apitar porque vê o jogo à sua


maneira. Não se pretende mudar a forma que cada um ver o jogo,
mas a leitura de alguns pontos tem se der uniforme e praticados
por todos

FALTAS DE EXCLUSÃO

Agarrar, puxar e afundar, deverão ser assinalados em qualquer


parte do campo de jogo, contudo o critério a aplicar deverá recair
nos seguintes pontos
1- Onde é a falta?

Atrás da linha da bola, numa situação de jogo disperso, com a bola


a ser jogada no ataque, esta falta não deverá ser assinalada,
contudo o árbitro deverá mostrar aos jogadores envolvidos que
está a ver a falta e que não a irá assinalar porque não traz uma
vantagem real para a acção de jogo que está a decorrer

O árbitro tem como obrigação ver todas as faltas e mostrar que as


está a ver, que está no jogo, mas só deve assinalar aquelas que
têm influência directa na acção que está a decorrer no momento.
Deve apitar as que ajudam o correcto desenvolvimento do jogo
atacante.

EXCLUSÕES NO ATAQUE
Devem ser evitadas e só devem ser assinaladas para diferenciar
uma situação de comportamento incorrecto

Um jogador atacante que puxe, afunde ou agarre, um outro


jogador, para tirar vantagem numa acção deverá ser punido com
falta de ataque, nunca exclusão, somente se obter uma vantagem
real pela acção faltosa que cometeu.

Vantagem real, é o facto de o jogador se colocar numa posição,


mais clara para finalizar ou para efectuar uma assistência, ou que
com essa acção iniba o jogador defensor de tomar parte na acção
defensiva da sua equipa

O simples facto de empurrar ou afastar o jogador defesa, sem daí


resultar qualquer vantagem real com essa acção não deverá ser
alvo de nenhuma punição.

EXCLUSÕES NA TRANSIÇÃO DEFESA ATAQUE

Devemos ter em conta para uma melhor aplicação deste critério o


seguinte quadro

Zona 2

A saída para o contra-ataque é feita com mais frequência na


tentativa de criar situações de 1 para 0, aqui, tanto a acção do
jogador defesa, como do jogador atacante deverá ser assinalada
de imediato, quer com falta de exclusão, quer com falta de ataque.
ZONA 1

O árbitro nesta zona deverá ter mais atenção na marcação de uma


falta, deverá em 1º lugar aguardar que os jogadores definam a sua
posição e respectiva influencia na jogada de ataque,
principalmente na situação de central – pivot. Depois, antes de
assinalar a infracção deverá certificar que na zona 2, frente de
ataque não existe uma clara situação de vantagem, que pode ser
perdida com o assinalar da falta. O árbitro nesta zona não deve ser
responsável por criar vantagem no jogo visto que as acções
decorrem numa zona sem interferência directa no jogo. Deve
também, mostrar aos jogadores que acompanha a situação.

Tudo isto deve ser aplicado do princípio ao fim do jogo, não


devendo ser alterado só porque as circunstâncias do jogo
se alteraram.

Não devemos procurar as exclusões para as assinalar todas,


devemos sim, ver todas as exclusões e decidir a sua importância
na acção do jogo que está a decorrer.

Deve também ser distinguida pelo árbitro, aquilo que é carência


técnica de um jogador daquilo que é uma infracção.

MÁ CONDUTA

O persistente jogo faltoso e a conduta imprópria, devem ser


imediatamente assinalados pelos árbitros. Situações claras
deverão ser punidas de acordo com as regras. Muitas destas
situações têm como principal culpado o árbitro, devendo este
tomar todas as medidas para que não aconteçam nomeadamente
através:

 Falta de exclusão

 Falta de exclusão com substituição

Um jogador que reclame uma jogada, é algo de natural. O persistir


neste comportamento já não o é. O aplicar de uma exclusão
temporária como primeira medida resulta.

EXCLUSÕES DUPLAS
Antes de ser assinalada o árbitro deverá parar o jogo e pedir a
bola, e depois assinalar a infracção. A LEI DA VANTAGEM deve aqui
ser aplicada.

ANÁLISE CENTRAL-PIVOT

Fruto da mudança da forma de apitar e não das regras, esta


situação surge mais controlada, contudo ainda é o principal
problema do nosso pólo, devido ao nível de todos os seus
intervenientes

O que é permitido?

 Luta pela posição atacante

 Luta pela posição defensiva

 Contacto entre os dois jogadores no desenrolar da luta de


posições

 Movimentos, acções isoladas e não sistematicamente


repetidas por parte dos dois jogadores, contra as regras do
jogo que não resultem numa vantagem real

O que não é permitido

 Usar de forma repetida e continuada as acções de agarrar,


puxar ou afundar

Que fazer?

Jogador atacante – falta de ataque

Jogador defesa - falta exclusão

O importante é travar a acção no seu início e distinguir quem fez a


primeira falta

Algumas ajudas para a análise desta situação

• Olhar para o jogador defesa

• Posição defensiva do jogador defesa, vertical ou horizontal

• O jogador defesa ao tentar jogar a bola, toca na bola ou não?

Interesses relacionados