Você está na página 1de 125
HERBICIDASHERBICIDASHERBICIDASHERBICIDAS Prof.Prof. Dr.Dr. RICARDORICARDO VICTORIAVICTORIA FILHOFILHO ÁREAÁREA DEDE
HERBICIDASHERBICIDASHERBICIDASHERBICIDAS
Prof.Prof. Dr.Dr. RICARDORICARDO VICTORIAVICTORIA FILHOFILHO
ÁREAÁREA DEDE BIOLOGIABIOLOGIA EE MANEJOMANEJO DEDE PLANTASPLANTAS DANINHASDANINHAS
DEPARTAMENTODEPARTAMENTO DEDE PRODUÇPRODUÇÃÃOO VEGETALVEGETAL
ESALQ/USPESALQ/USP –– PIRACICABA/SPPIRACICABA/SP
rvictori@esalq.usp.brrvictori@esalq.usp.br
HERBICIDASHERBICIDAS 11-- IntroduçãoIntrodução 22-- MecanismoMecanismo dede açãoação 33-- TiposTipos dede
HERBICIDASHERBICIDAS
11-- IntroduçãoIntrodução
22-- MecanismoMecanismo dede açãoação
33-- TiposTipos dede classificaçãoclassificação
44-- ClassificaçãoClassificação dede acordoacordo comcom oo mecanismomecanismo dede
aaçãçãoo
55-- PPrriincnciipapaiiss causascausas ddee ddanosanos
66-- MétodosMétodos dede diagnosediagnose dede danosdanos nasnas plantasplantas

1.1. HERBICIDASHERBICIDAS EE OO MEIOMEIO AMBIENTEAMBIENTE







ÁguasÁguas subterrâneassubterrâneas

MudançasMudanças nana composiçãocomposição florísticaflorística ee resistênciaresistência dede plantasplantas daninhasdaninhas

ResíduosResíduos dede herbicidasherbicidas nono alimentoalimento ee nono ambienteambiente

ControleControle

absolutoabsoluto

xx

controlecontrole

aceitávelaceitável

(considerando(considerando níveisníveis dede danos)danos)

PráticasPráticas dede controlecontrole queque levemlevem emem contaconta aa conservaçãoconservação dodo solosolo

AgriculturaAgricultura sustentávelsustentável

TabelaTabela 1.1. PrincipaisPrincipais gruposgrupos químicosquímicos dede herbicidasherbicidas ee aa épocaépoca dede descobrimentodescobrimento

AnoAno dede descobrimentodescobrimento

GruGru oo

pp

qq

uímicouímico

NúmeroNúmero dede herbicidasherbicidas nono grupogrupo

1945

Fenociacéticos

17

1954

Carbamatos

16

1956

Triazinas

29

1965

Dimitroanilinas

22

1970

Difenileteres

29

1980

Sulfonilureias

16

Tabela 2

- Venda de defensivos agrícolas por classes – 2003-2007

 

Ingrediente ativo

 
 

2003

2004

2005

2006

2007

 

Herbicidas

110.215

124.060

136.853

144.986

189.101

62,19

Fungicidas

19.363

25.631

26.999

24.707

27.734

9,12

Inseticidas

24.422

33.291

36.347

33.750

42.838

14,09

Acaricidas

9.627

9.901

7.416

11.685

14.583

4,79

O

t

18 819

21 842

24 616

23 588

29 775

9 79

u ras

.

.

.

.

.

,

Total

182446

214.2725

232.232

238.716

304.031

 
TabelaTabela 3.3. HerbicidasHerbicidas comercializadoscomercializados porpor culturacultura nono BrasilBrasil
TabelaTabela 3.3. HerbicidasHerbicidas comercializadoscomercializados porpor culturacultura nono BrasilBrasil
dduranteurante oo anoano ddee 19981998 (C(Conceonceiiççãão,o, 2000)2000)
IngridientesIngridientes AtivosAtivos
ValorValor
US$US$
TonTon
%%
%%
milhõesmilhões
SojaSoja
27.88727.887
4040 33
, ,
728728
5353 22
, ,
Cana-de-Açúcar
Cana-de-Açúcar
9.138 9.138
13,2
13,2
173 173
12,7
12,7
Milho
Milho
13.487 13.487
19,5
19,5
146 146
10,7
10,7
Arroz
Arroz
4.296 4.296
6,2
6,2
80 80
5,8
5,8
Café
Café
3.799 3.799
5,5
5,5
43 43
3,2
3,2
Al odão
Al odão
g g
1.663 1.663
2,4
2,4
33 33
2,4
2,4
Citros
Citros
1.936 1.936
2,8
2,8
22 22
1,6
1,6

22 -- MECANISMOSMECANISMOS DEDE AAÇÇÃOÃO

MecanismoMecanismo dede açãoação –– éé oo mecanismomecanismo bioquímicobioquímico ouou biofísicobiofísico afetadoafetado ppeloelo herbicidaherbicida ee qqueue resultaresulta nana alteraalteraççãoão dodo crescimentocrescimento ee desenvolvimentodesenvolvimento normalnormal dada plantaplanta podendopodendo levarlevar aa mortemorte

ModoModo dede açãoação – sequênciasequência dede todastodas asas reaçõesreações queque ocorremocorrem desdedesde oo contatocontato dodo herbicidaherbicida comcom aa pplantalanta atéaté aa suasua açãoação finalfinal qqueue ppodeode levalevarr aa plantaplanta aa mortemorte

PROCESSOSPROCESSOS METABÓLICOSMETABÓLICOS  -- CRESCIMENTOCRESCIMENTO  -- FOTOSSÍNTESEFOTOSSÍNTESE
PROCESSOSPROCESSOS METABÓLICOSMETABÓLICOS
 -- CRESCIMENTOCRESCIMENTO
 -- FOTOSSÍNTESEFOTOSSÍNTESE
 -- DIVISÃODIVISÃO CELULARCELULAR
 -- SÍNTESESÍNTESE DADA CLOROFILACLOROFILA
 -- SÍNTESESÍNTESE DEDE CAROTENOCAROTENO
 -- SÍNTESESÍNTESE DEDE AMINOÁCIDOSAMINOÁCIDOS
 -- SSÍÍNTESENTESE DEDE LIPLIPÍÍDEOSDEOS

InterferemInterferem comcom microtúbulosmicrotúbulos

HerbicidasHerbicidas auxinicosauxinicos

HerbicidasHerbicidas auxinicosauxinicos RNARNA CLOCLO == clorofilaclorofila NuNu ==
RNARNA
RNARNA

CLOCLO == clorofilaclorofila NuNu == núcleonúcleo MtMt == microtúbulosmicrotúbulos

MM

== mitocôndriomitocôndrio

PlPl

== plastídioplastídio

PcPc

== paredeparede dada célulacélula

VVACÚOLOACÚOLO CLOCLO
VVACÚOLOACÚOLO
CLOCLO
CLOCLO
CLOCLO

FotossínteseFotossíntese biossíntesebiossíntese dada clorofilaclorofila carotenos,carotenos, peroxidaçãoperoxidação dede lipídeoslipídeos

,,

,,

SínteseSíntese dede AAc.c. graxograxo

PCPC

DDesesttruruiiççããoo

dede

membranasmembranas

BiossínteseBiossíntese dada celulosecelulose

MetabolismoMetabolismo NHNH 44 biossíntesebiossíntese dede aminoácidosaminoácidos

PRINCIPAISPRINCIPAIS MECANISMOSMECANISMOS DEDE AÇÃOAÇÃO

PRINCIPAISPRINCIPAIS MECANISMOSMECANISMOS DEDE AÇÃOAÇÃO

PRINCIPAISPRINCIPAIS MECANISMOSMECANISMOS DEDE AÇÃOAÇÃO InibidoresInibidores dada divisãodivisão celularcelular

InibidoresInibidores dada divisãodivisão celularcelular

InibidoresInibidores dede crescimentocrescimento inicialinicial

InibidoresInibidores dada fotossíntesefotossíntese InibidoresInibidores dada síntesesíntese dede pigmentospigmentos

InibidoresInibidores dada fotossíntesefotossíntese InibidoresInibidores dada síntesesíntese dede pigmentospigmentos

MimetizadoresMimetizadores dede auxinaauxina

DestruidoresDestruidores dede membranamembrana

IInnibidibidoresores ddaa ALSALS

InibidoresInibidores dada ACCaseACCase

InibidoresInibidores dada EPSPEPSP

LOCALLOCAL DEDE APLICAÇÃOAPLICAÇÃO

SSoolloo

SoloSolo

SoloSolo

SoloSolo

FolhaFolha

Folha/SoloFolha/Solo

FFoolhlhaa

FolhaFolha

FolhaFolha

33 –– TIPOSTIPOS DEDE CLASSIFICACLASSIFICAÇÇÃOÃO

44 –– CLASSIFICAÇÃOCLASSIFICAÇÃO DEDE ACORDOACORDO COMCOM OO MECANISMOSMECANISMOS DEDE AÇÃOAÇÃO

4.1.4.1. HerbicidasHerbicidas reguladoresreguladores dede crescimentocrescimento ouou mimetizadoresmimetizadores dede auxinaauxina

HERBICIDASHERBICIDAS MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAAUXINA

INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO

•• ÉÉ oo grupogrupo químicoquímico dede maiormaior áreaárea utilizadautilizada nono mundo.mundo. •• DécadaDécada dede 19301930 –– pesquisaspesquisas comcom asas auxinasauxinas naturaisnaturais –– AIA.AIA. •• DéDécacaddaa ddee 19401940 –– ááccididoo ffenoxenoxiiacacétiéticoscos erameram mamaiiss aatitivosvos queque oo AIA,AIA, ee nãonão erameram rapidamenterapidamente metabolizadosmetabolizados nana planta.planta. OO

COOHCOOH NN
COOHCOOH
NN
––
––

CHCH

22 --

COCO

AIAAIA

FenoxiacéticoFenoxiacético

CARACTERÍSTICASCARACTERÍSTICAS –– MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAAUXINA  osos herbicidasherbicidas
CARACTERÍSTICASCARACTERÍSTICAS –– MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAAUXINA
 osos herbicidasherbicidas dessedesse ggruruppoo aaggemem emem locaislocais dede liliggaaççãoão dada
auxinaauxina comcom proteínasproteínas nasnas membranasmembranas celulares,celulares,
provocandoprovocando umum desbalançodesbalanço hormonalhormonal ee afetandoafetando aa
síntesesíntese dede pproteínasroteínas

apresentamapresentam
translocaçãotranslocação
predominantementepredominantemente
simplásticasimplástica,, masmas podempodem translocartranslocar pelopelo apoplastoapoplasto

controlamcontrolam plantasplantas daninhasdaninhas dicotiledôneasdicotiledôneas emem culturasculturas
dede gramíneas.gramíneas.

aa vovollaatitivvididaaddee ddepenependdee ddaa fformuormullaçaçãão,o, sensenddoo osos ééssttereseres
maismais voláteis.voláteis. OsOs ésteresésteres comcom pequenopequeno númeronúmero dede
átomosátomos dede carbonocarbono nono radicalradical sãosão maismais voláteisvoláteis (metil,(metil,
etetilil,, proppropilil ee bbututil)il)
MECANISMOSMECANISMOS DEDE AÇÃOAÇÃO •• ProvocamProvocam umum desbalançodesbalanço hormonalhormonal nasnas
MECANISMOSMECANISMOS DEDE AÇÃOAÇÃO
•• ProvocamProvocam umum desbalançodesbalanço hormonalhormonal nasnas célulascélulas comcom conseqüenteconseqüente
crescimentocrescimento desordenadodesordenado dosdos tecidos.tecidos.
•• InterferemInterferem comcom oo metabolismometabolismo dodo ácidoácido nucléiconucléico ee comcom osos aspectosaspectos
metabólicosmetabólicos dada plasticidadeplasticidade dada pareceparece celular.celular.
AltaAlta concentraçãoconcentração nana
regiãoregião merismáticamerismática
BB
aa xaxa concentraçconcentraç oo
ii
ãã
HERBICIDAHERBICIDA
OHOH--
H+H+
AumentaAumenta síntesesíntese dede RNARNA
ATPase
mRNAmRNA
ProteínasProteínas
ForaFora
DentroDentro
ProliferaçãoProliferação dede TecidosTecidos
AcidificaAcidificaççãoão dodo esesppaaççoo livrelivre qqueue pprovocarovoca umum aumentoaumento nana pplasticidadelasticidade dada
paredeparede celular,celular, devidodevido aa ativaçãoativação dede enzimasenzimas queque degradamdegradam aa paredeparede
celularcelular e/oue/ou rompimentorompimento dede pontespontes dede HH ++
CARACTERCARACTERÍÍSTICASSTICAS –– MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAUXINAA  geralmentegeralmente
CARACTERCARACTERÍÍSTICASSTICAS –– MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAUXINAA

geralmentegeralmente sãosão móveismóveis nono solo,solo, ee aa persistênciapersistência nãonão éé altaalta
(e(exxceçãoceção paparraa oo piclopiclorram)am)

devedeve--sese tomartomar cuidadocuidado comcom aa derivaderiva quandoquando existemexistem
culturasculturas sensíveissensíveis próximas,próximas, comocomo algodão,algodão, tomate,tomate, uvauva ee
cucurbitaceascucurbitaceas

devedeve--sese adotaradotar procedimentosprocedimentos dede descontaminaçãodescontaminação dosdos
pulverizadores,pulverizadores, apósapós oo usouso comcom herbicidasherbicidas dessedesse grupo,grupo,
utilizandoutilizando amoníacoamoníaco aa 3%3% porpor 2424 h,h, ee apósapós lavagemlavagem comcom
detergentedetergente
TambémTambém podepode serser usadousado carvãocarvão ativadoativado aa 33g/lg/l
porpor 11 aa 22 diasdias ee apósapós lavagemlavagem comcom detergentedetergente
SELETIVIDADESELETIVIDADE  absorçãoabsorção diferencialdiferencial  metabolismometabolismo
SELETIVIDADESELETIVIDADE
 absorçãoabsorção diferencialdiferencial
 metabolismometabolismo diferencialdiferencial
 proteproteççãoão dosdos feixesfeixes pelopelo esclerenquimaesclerenquima
 exuexuddaaçãçãoo pepellasas raraíízeszes
 alteraçõesalterações dodo locallocal dede açãoação dada auxinaauxina nana
plasmalemaplasmalema
SINTOMASSINTOMAS-- MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAAUXINA  epepiinastnastiiaa nasnas ffoolhlhasas;; 
SINTOMASSINTOMAS-- MIMETIZADORESMIMETIZADORES DEDE AUXINAAUXINA
 epepiinastnastiiaa nasnas ffoolhlhasas;;
 rerettorcorciimenmenttoo ddosos pecpecííoollos,os, pepedúdúncuncullosos ee caucaulleses;;

 proliferaproliferaççãoão dede tecidostecidos nono floema,floema, provocandoprovocando aa
reduçãoredução nana translocaçãotranslocação dede fotoassimilados;fotoassimilados;
 formaçãoformação dede raízesraízes adventíciasadventícias;; mortemorte dede raízesraízes
secundsecundááriasrias

Tabela 4 – Principais herbicidas mimetizadores de auxina

Grupo químico

Ingrediente ativo

Nomes comerciais

Usos agrícolas no Brasil

Fenoxiacidos

2,4-D

DMA 806BR, Herbi D480, Aminol, Capri, U-46 D-Fluid 2,4-D, Navajo

Café, cana-de-açucar, cereais, milho,gramados, pastagens, plantio direto e áreas não agrícolas

Ac.benzoico

Dicamba

Banvel 480

Trigo, arroz, cana- de-açúcar, grama- dos e áreas não agrícolas

Ac. Piridino- carboxílico

Picloram

Padron

Pastagens

 

2,4-D + picloram

Tordon 2,4-D Manejo Dontor

Pastagens

Pastagens

Pastagens,

 

cana-de-açúcar

Tabela 5 – Principais herbicidas mimetizadores de auxina

Grupo químico

Ingrediente ativo

Nomes comerciais

Usos agrícolas no Brasil

Ac. Piridino- carboxílico

Fluroxypir

Starane 200

Pastagens

 

Triclopyr

Garlon 480 BR

Pastagens

 

Fluroxypyr +picloram

Plenum

Pastagens

 

Aminopiralide+2,4-D

Jaguar

Pastagens

 

Aminopiralide + Fluroxypyr

Dominum

Pastagens

Ac.Quinolino

Quinclorac

Facet

Arroz irrigado

carboxílico

44 22

InibidoresInibidores dada fotossíntesefotossíntese

FOTOSSÍNTESEFOTOSSÍNTESE EMEM PLANTASPLANTAS

•• AA folhafolha éé oo tecidotecido fotossintetizantefotossintetizante maismais ativoativo numanuma planta.planta. •• CélCéluullasas ddoo mesmesófilófiloo possuempossuem grangranddee nnúúmeromero ddee cclloroporopllasasttos.os. •• NosNos clorocloropplastoslastos estãoestão osos ppiiggmentosmentos absorvedoresabsorvedores dede luz.luz.

FASEFASE FOTOQUÍMICAFOTOQUÍMICA DADA FOTOSSÍNTESEFOTOSSÍNTESE  FotossínteseFotossíntese significasignifica síntesesíntese utilizandoutilizando aa luzluz  TodaToda aa vidavida nana TerraTerra estáestá intimamenteintimamente ligadaligada aosaos processosprocessos fotossintéticosfotossintéticos  OrganismosOrganismos fotossintetizantesfotossintetizantes usamusam aa energiaenergia dada luzluz solarsolar parapara sintetizarsintetizar composcomposttosos ororgâgânniicos.cos.

composcompos ttosos ororgâgânnii cos.cos. HH 22 OO OO 22 ReaçoesLuminosasReaçoesLuminosas
HH 22 OO OO 22 ReaçoesLuminosasReaçoesLuminosas
HH 22 OO
OO 22
ReaçoesLuminosasReaçoesLuminosas
NADPHNADPH NADPNADP ADPADP ++ PiPi ATPATP ReaçõesReações dede fixaçãofixação dede CarbonoCarbono
NADPHNADPH
NADPNADP
ADPADP ++ PiPi
ATPATP
ReaçõesReações dede fixaçãofixação dede CarbonoCarbono
carboidratocarboidrato
COCO 22

INIBIDORES DO FOTOSSISTEMA II

a) inibem a fotossíntese bloqueando o transporte de elétrons na fase luminosa. A taxa de fixação de CO2 declina poucas horas após a aplicação nas plantas sensíveis.

b) geralmente são aplicados ao solo, mas em alguns casos podem ser aplicados na parte aérea em pós-emergência com a adição de um adjuvante.

c) a translocação predominante é pelo aploplasto.

d) quando aplicados a folhagem atuam como se fossem herbicidas de ação tópica, e necessitam de uma cobertura uniforme nas folhas.

e) Apresentam maior atividade sobre plantas daninhas dicotiledôneas, mas depende do herbicida utilizado

INIBIDORES DO FOTOSSISTEMA II

f) aplicados ao solo necessitam serem mobilizados para a zona de germinação das plantas daninhas, através de chuva, irrigação ou então que o solo esteja úmido por ocasião da aplicação.

g) persistência no solo varia de poucas semanas até mais de 2 anos, dependendo do herbicida da dose aplicada, do tipo de solo e das condições climáticas.

h) em geral são adsorvidos ao solo, tendo baixa a moderada lixiviação, mas depende do herbicida, do tipo de solo e da precipitação pluviométrica no local da aplicação.

i) geralmente são produtos de baixa toxicidade para mamíferos.

j) a resisncia de plantas daninhas tem ocorrido com os herbicidas desse grupo, após repetidas aplicações anuais.

SELETIVIDADE

a) posição no solo – essa seletividade denominada toponômica ou de posição, ocorre devido ao herbicida permanecer na camada superficial do solo, acima do sistema radicular da planta cultivada. O diuron por exemplo é um herbicida seletivo a diversas culturas, pela posição no solo.

b) absorção diferencial pelas plantas – pode ocorrer que devido a morfologia e/ou anatomia das folhas e raízes algumas plantas não absorvem o herbicida em doses suficientes para apresentar efeitos fitotóxicos.

c) translocação diferencial entre as plantas – algumas plantas podem reter os herbicidas em locais como por exemplo glândulas, não permitindo a translocação para os sítios de ação localizados no cloroplasto.

SELETIVIDADE

d) metabolismo diferencial algumas plantas absorvem os herbicidas, mas metabolizam essas moléculas, transformando em produtos não tóxicos. Exemplo é a atrazina em milho que realizada a metabolização através da hidroxilação da atrazina.

e) falha do herbicida

em

atuar na proteína na

membrana do cloroplasto.

Tabela 6.

Principais herbicidas inibidores do fotossistema II, e as

principais marcas comerciais

Grupo

Ingrediente

Nomes comerciais

 

Usos agrícolas No Brasil

 

químico

 

ativo

 

Triazina

Simazine

Gesatop 500, Herbazin 500BR, Sipazina 500

Milho,

sorgo,

café,

sisal, seringueira

 
 

Atrazine

Gesaprim 500, Gesaprim GRDA, Atrazina Nortox, Coyote 500, Herbitrin

500BR

, Atrazina Atanor

Siptram

500

,

Milho,

sorgo,

cana-

de-açúcar

 
 
 

Ametrine

Gesapax 500, Gesapax

GRDA Ametrina A ri- Pec, Herbipak 500 ,

,

g

 

Abacaxi, banana, café cana-de-a úcar citros,milho, uva

,

ç

,

 

C

i

yanaz ne

Bl

a

d

ex

500

Al

go

o, ca

, cana-

   

de-açúcar,

milho

e

soja

 

Prometryne

Gesagard

 

Alho, cebola, cenoura, ervilha, gladíolo

TabelaTabela 77 --

PrincipaisPrincipais herbicidasherbicidas inibidoresinibidores dodo fotossistemafotossistema II,II, ee asas principaisprincipais marcasmarcas comerciaiscomerciais

Grupo

Ingrediente ativo

 

Nomes comerciais

Usos agrícolas no Brasil

químico

 

Triazinona

Hexazinone+diuron

Velpar K, Advance, Hexaron

 

Cana-de-açúcar

 

Metribuzin

Sencor 480

 

Aspargo, batata, café,

 

cana-de-açúcar,man-

dioca, soja, tomate e

trigo

Uréia

Diuron

Karmex 500, Cention SC, Diuron 500 Agripec, Diuron Fersol 500, Diuron Nortox 500, Herburon 500

Algodão, abacaxi, banana, cacau, café cana-de-açúcar,citros, videira

substituída

 

Linuron

Afalon

 

SC,

Linurex

Algodão, alho, batata, cebola, cenoura, ervi- lha, eucalipto, milho, soja e uva

Agricur 500

 
 

Tebuthiuron

Perflan 800 BR, Com – T

bi

500

b

hi

Cana-de-açúcar

 

ne

,

e

ut

uron

Sanachem

 

Tabela 8 - Principais herbicidas inibidores do fotossistema II, e as principais marcas comerciais.

Grupo Químico

Ingrediente

Nomes comerciais

Usos

Agrícolas

no

ativo

Brasil

Uracila

Bromacil+diuron

Krovar

Abacaxi, citros

 

Amida

Propanil

Stam 360, Stam 480, Grassaid,Grassaid 540, Herbipropanim,Propanil 360 Agripec, Propanil Fersol,Propanil Milenia, Spada

Arroz

Benzonitrilos

Ioxynil octonoato

Totril

Cebola, alho

 

Benzotiadiazinas

Bentazon

Basa ran 600 Banir

g

,

Arroz feijão milho soja e trigo

,

,

,

Triazolinona

Amicarbazone

Dinamic

Cana-de-açúcar,

 

milho

FOTOSSISTEMA I (P700)

As principais características do grupo são:

a) são cátions fortes, sendo rapidamente adsorvidos ao solo

b) são usados em pós-emergência, sendo rapidamente absorvidos. Chuvas 30 minutos após a aplicação não tem interferido na eficácia.

c) as plantas são mortas em 1 a 3 dias após a aplicação, devido a ação rápida, principalmente em presença da luz.

d) não são seletivos.

e) Apresentam toxicidade alta por contato ou ingestão.

+

+ +   H 3 C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N
+ +   H 3 C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N

+

+ +   H 3 C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N

+ +   H 3 C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N

H 3 C-N

N-CH 3 + 2e -

 

CH 3 -N

N-CH 3

H 3 C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N N-CH 3
C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N N-CH 3 cation paraquat cation paraquat
C-N N-CH 3 + 2e -   CH 3 -N N-CH 3 cation paraquat cation paraquat

cation paraquat

cation paraquat reduzido

3 -N N-CH 3 cation paraquat cation paraquat reduzido H 2 O 2 2H + 2

H

2 O 2

2H +

3 cation paraquat cation paraquat reduzido H 2 O 2 2H + 2  O 2
3 cation paraquat cation paraquat reduzido H 2 O 2 2H + 2  O 2

2

cation paraquat cation paraquat reduzido H 2 O 2 2H + 2  O 2 +

O 2 + OH + OH -

O 2

= superóxido

H 2 O 2 = água oxigenada

Reações que ocorrem na redução e oxidação do cátion paraquat nas plantas.

O

H 2 O + O 2

• Descoberto
• Descoberto
• Descoberto
• Descoberto
• Descoberto

Tabela 9.

Principais herbicidas inibidores do fotossistema I, e as principais marcas comerciais

Grupo químico

Ingrediente ativo

Nomes comerciais

Usos agrícolas no Brasil

Bipiridilios

Paraquat

Gramoxone 200

Em pré-plantio em culturas anuais e jato dirigido em perenes, e dessecação de culturas

 

Diquat

Reglone

Em pré-semeadura

para

beterraba, cebola e feijão; jato

dirigido para café, citros; dessecante para soja, batata arroz

e

44 33

HerbicidasHerbicidas inibidoresinibidores dada didivviissããoo cecelluullarar

CARACTERÍSTICAS: INIBIDORES DA DIVISÃO CELULAR

paralizam o crescimento, principalmente de radículas das plântulas. As partes das radículas de um modo geral, apresentam um entumescimento e o crescimento é paralizado.

de um modo geral são aplicados ao solo, tendo pouca translocação nas plantas.

controlam plantas daninhas anuais, principalmente gramíneas, e as perenes quando estão iniciando a germinação pelas sementes na camada superficial do solo.

CARACTERÍSTICAS: INIBIDORES DA DIVISÃO CELULAR

apresentam baixa solubilidade, e alta volatilidade, exigindo na maioria dos casos incorporação ao solo para evitar as perdas por volatilização e colocação do herbicida na camada superficial, onde encontra-se o banco de sementes das plantas daninhas.

apresentam de moderada a baixa toxicidade para os mamíferos.

CicloCiclo dede divisãodivisão I n t e r f a s e I n t
CicloCiclo dede divisãodivisão I n t e r f a s e I n t
CicloCiclo dede divisãodivisão I n t e r f a s e I n t

CicloCiclo dede divisãodivisão

CicloCiclo dede divisãodivisão I n t e r f a s e I n t e

InterfaseInterfase

I n t e r f a s e I n t e r f a
I n t e r f a s e I n t e r f a

MetafaseMetafase

r f a s e M e t a f a s e M e t
r f a s e M e t a f a s e M e t
r f a s e M e t a f a s e M e t

AnafaseAnafase

M e t a f a s e M e t a f a s e

ProfaseProfase

M e t a f a s e M e t a f a s e
M e t a f a s e M e t a f a s e

TelofaseTelofase

InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração
InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração

InterfaseInterfase

ProfaseProfase

InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração

AberraçãoAberração

InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração
InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração
InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração
InterfaseInterfase ProfaseProfase AberraçãoAberração

SELETIVIDADE: INIBIDORES DA DIVISÃO CELULAR

posição no solo – as dinitroanilinas são pouco solúveis e posicionam na camada superficial do solo. As culturas dicotiledôneas cujas sementes germinaram mais profundamente no solo, podem não ser afetadas.

metabolismo diferencial entre as plantas - algumas plantas podem ser tolerantes, devido a diferenças na tubulina (Vanghan e Vanghn, 1988), como ocorre no caso da cenoura.

Tabela 10

– Principais inibidores da mitose com as suas p

rinci ais

p

Grupo químico

Ingrediente ativo

Nomes comerciais

 

Usos agrícolas no Brasil

 

Dinitroanilina

Trifluralin

Treflan Trifluralina Nortox

Soja, algodão, amen –

doim, alho, berinjela ,

Trifluralina Nortox Gold

b

i

rass cas,

r

b ó

co

li

s

,

Trifluralina Milenia Premerlin 600 Premerlin NA

couve-flor,repolho, cebola de transplante , cenoura, citros, feijão, girassol, pimentão , quiabo, tomate, cana-

de-açúcar

 
 

Pendimethalin

Herbadox

Algodão, alho, amen doim, arroz, batata, café, cana-de-açúcar, cebola, feijão, milho, fumo, trigo.

Piridina

Thiazopyr

Visor 240

Cana-de-açúcar

 
 

Dithiopyr

Dimension

 

Carbamatos

Chlorpropham

   
 

Propham

   

44 44

InibidoresInibidores dodo crescimentocrescimento

CARACTERÍSTICAS - CLOROACETAMIDAS

a) os herbicidas desse grupo controlam gramíneas anuais e

erminação

al umas no solo.

lantas dicotiledôneas em início de

b) são pouco translocáveis nas plantas.

c) são herbicidas que atuam mais no caulículo das gramíneas, inibindo a emissão da primeira folha a partir do coleóptilo. A inibição de radículas também tem sido verificado em algumas plantas, principalmente dicotiledôneas.

d)

de

condições de umidade e do teor de matéria orgânica no solo.

a

mobilidade

e

efeito

residual

no

solo

depende

SELETIVIDADE - CLOROACETAMIDAS

metabolização pelas plantas – as plantas tolerantes fazem uma rápida metabolização das cloroacetamidas. A principal reação de detoxificação é a conjugação com glutationa ou glicose. As plantas tolerantes de um modo geral tem um nível maior de glutationa .

uso de antídotos ou protetores – o uso desses produtos aumenta a seletividade das cloroacetamidas para o milho e soja.

posição no solo – também é um fator que posiciona o herbicida em relação a semente da planta cultivada

Tabela 11 . Principais herbicidas do grupo dos cloroacetamidas, e suas principais marcas comerciais.

Grupo químico

Ingrediente

Nomes comerciais

Usos agrícolas no Brasil

ativo

Cloroacetamida

Alachlor

Laço Alachlor Nortox

Algodão, amendoim, café, cana-de-açúcar, girassol, milho e soja

 

Metolachlor

Dual

Cana-de-

açúcar,feijão, milho e soja

 

Acetochlor

Fist

Milho, soja, cae cana-de-açúcar

Kadett

 

Butachlor

Machete

Arroz

 

Dimethamid

Zeta

Soja e milho

44 55

InibidoresInibidores dede membranasmembranas celularescelulares (PROTOX)(PROTOX)

 PrincipaisPrincipais característicascaracterísticas

 MecanismoMecanismo dede aaççãoão  SeletividadeSeletividade

INIBIDORINIBIDOR DADA SÍNTESESÍNTESE DADA CLOROFILACLOROFILA (PROTOX)(PROTOX) –– PRINCIPAISPRINCIPAIS
INIBIDORINIBIDOR DADA SÍNTESESÍNTESE DADA
CLOROFILACLOROFILA (PROTOX)(PROTOX)
–– PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:CARACTERÍSTICAS:
 luzluz éé necessárionecessário parapara aaççãoão
 aattuaua emem raradídícucullasas,, caucaulílícucullosos ee ffoolhlhasas
 nãonão temtem translocaçãotranslocação
 morremmorrem rapidamenterapidamente
 fortementefortemente adsorvidoadsorvido pelapela matériamatéria orgânicaorgânica
 poucopouco lixiviáveislixiviáveis
SELETIVIDADESELETIVIDADE::  -- metabolizaçãometabolização  -- molhamentomolhamento  --
SELETIVIDADESELETIVIDADE::
 -- metabolizaçãometabolização
 -- molhamentomolhamento
 -- posiçãoposição nono solosolo
 -- sensibilidadesensibilidade diferencialdiferencial dada PROTOXPROTOX

GLUTAMATOGLUTAMATO

PROTOPORFIRINOGENIOPROTOPORFIRINOGENIO

LocalLocal dede AçãoAção
LocalLocal dede
AçãoAção
LocalLocal dede AçãoAção PROTOPORFIRINAPROTOPORFIRINA IXIX OO 22
LocalLocal dede AçãoAção PROTOPORFIRINAPROTOPORFIRINA IXIX OO 22
LocalLocal dede AçãoAção PROTOPORFIRINAPROTOPORFIRINA IXIX OO 22

PROTOPORFIRINAPROTOPORFIRINA IXIX

dede AçãoAção PROTOPORFIRINAPROTOPORFIRINA IXIX OO 22 PEROXIDAÇÃOPEROXIDAÇÃO DEDE LIPÍDIOSLIPÍDIOS

OO 22

dede AçãoAção PROTOPORFIRINAPROTOPORFIRINA IXIX OO 22 PEROXIDAÇÃOPEROXIDAÇÃO DEDE LIPÍDIOSLIPÍDIOS

PEROXIDAÇÃOPEROXIDAÇÃO DEDE LIPÍDIOSLIPÍDIOS

DESTRUIDESTRUI

ÃOÃO DEDE

ÇÇ

DEDE LIPÍDIOSLIPÍDIOS DESTRUIDESTRUI ÃOÃO DEDE ÇÇ C L O R O F I L A C

CLOROFILACLOROFILA

MEMBRANASMEMBRANAS

MECANISMOMECANISMO DEDE AÇÃOAÇÃO
MECANISMOMECANISMO DEDE AÇÃOAÇÃO

OXADIAZONOXADIAZON

OXIFLUORFENOXIFLUORFEN

SULFENTRAZONESULFENTRAZONE

TABELATABELA 1212

PrincipaisPrincipais herbicidasherbicidas dodo grupogrupo dosdos inibidoresinibidores dada PROTOX,PROTOX, ee suassuas principaisprincipais marcasmarcas comerciaiscomerciais

suas principaisprincipais marcasmarcas comerciaiscomerciais GrupoGrupo químicoquímico Ingrediente Ingrediente ativo

GrupoGrupo químicoquímico

IngredienteIngrediente ativoativo

NomesNomes comerciaiscomerciais

UsosUsos agrícolasagrícolas nono BrasilBrasil

Difenileteres

Acifluorfen

Blazer

Soja e feijão

Formesafen

Flex

Soja e feijão

Lactofen

Cobra

Soja

 

Naja

 

Oxyfluorfen

Goal BR

Algodão, arroz irrigado, café, cana -de -açúcar citros,eucalipto e pinus

Ftalimidas

Flumiclrac -pentil Flumioxazin

Radiant 100 Flumyzin 500 Sumisoya

Soja Soja

oxadiazolinas

Oxadiazon

Ronstar 250 BR Ronstar SC

Algodão, alho, arroz, café, cana -de -açúcar, cebola, cenoura, citros, gladíolo e fumo

Tr iazolinonas

Sulfentrazone

Boral 500

Cana -de -açúcar, soja,

 

Solara 500

eucalipto, áreas não agrícolas.

Sulfentrazone Boral 500 Cana -de -açúcar, soja,   Solara 500 eucalipto, áreas não ag rícolas.

44 66

InibidoresInibidores dada biossintesebiossintese dede carotenocaroteno

 PrincipaisPrincipais característicascaracterísticas

 MecanismoMecanismo dede aaççãoão  SeletividadeSeletividade

INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE CAROTENOCAROTENO –– PRINCIPAISPRINCIPAIS
INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE
CAROTENOCAROTENO
–– PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:CARACTERÍSTICAS:
 povocampovocam oo branqueamentobranqueamento dasdas folhasfolhas
 translocaçãotranslocação apoplásticaapoplástica
 sãosão adsorvidosadsorvidos
 ppoucaouca lixivialixiviaççãoão
 degradaçãodegradação porpor microorganismosmicroorganismos

SELETIVIDADESELETIVIDADE

 MetabolizaçãoMetabolização  diferençasdiferenças nana sensibilidadesensibilidade dada enzimaenzima
 MetabolizaçãoMetabolização
 diferençasdiferenças nana sensibilidadesensibilidade dada enzimaenzima
 posiçãoposição nono solosolo

TABELATABELA 1313

PrincipaisPrincipais herbicidasherbicidas dodo grupogrupo dosdos inibidoresinibidores dada biossíntesebiossíntese dede carotenóidescarotenóides ee suassuas principaisprincipais marcasmarcas comerciaiscomerciais

suas principaisprincipais marcasmarcas comerciaiscomerciais Grupo Grupo químico químico IngredienteIngrediente

GrupoGrupo químicoquímico

IngredienteIngrediente ativoativo

NomesNomes comerciaiscomerciais

UsosUsos agrícolasagrícolas nono BrasilBrasil

Isoxazolidinona

Isoxazolidinonas

Clomazone

Isoxaflutole

Gamit

Gamit 360CS

Provence 750WG

Soja, arroz irrigado, cana-de-açúcar, fumo e algodão

Milho e cana-de-açúcar

o j a , a r r o z i r r i g a d
4.74.7 -- InibidoresInibidores dada síntesesíntese dede aminoácidosaminoácidos 66 7.1.7.1. InibidoresInibidores
4.74.7 -- InibidoresInibidores dada síntesesíntese dede aminoácidosaminoácidos
66
7.1.7.1.
InibidoresInibidores dada síntesesíntese dede aminoácidosaminoácidos dede
cadeiacadeia aromáticaaromática
 PrincipaisPrincipais característicascaracterísticas
 MecanismoMecanismo dede açãoação
 SeletividadeSeletividade
MECANISMOMECANISMO DEDE AÇÃOAÇÃO DOSDOS INIBIDORESINIBIDORES DADA EPSPsEPSPs PEPPEP enzimaenzima EPSPsEPSPs
MECANISMOMECANISMO DEDE AÇÃOAÇÃO DOSDOS INIBIDORESINIBIDORES DADA EPSPsEPSPs
PEPPEP
enzimaenzima
EPSPsEPSPs
GLICOSEGLICOSE
++
DAH7PDAH7P
SHIQUIMATOSHIQUIMATO
++ PEPPEP
EPSPEPSP
E4PE4P
corismatocorismato
FenilalaninaFenilalanina
(Aminoácidos(Aminoácidos
TirosinaTirosina
aromáticos)aromáticos)
TriptofanoTriptofano
CARACTERÍSTICASCARACTERÍSTICAS PRINCIPAISPRINCIPAIS –– GLYPHOSATEGLYPHOSATE -- SOLUBILIDADESOLUBILIDADE
CARACTERÍSTICASCARACTERÍSTICAS PRINCIPAISPRINCIPAIS –– GLYPHOSATEGLYPHOSATE
-- SOLUBILIDADESOLUBILIDADE
12.00012.000 ppmppm
-- TRANSLOCAÇÃOTRANSLOCAÇÃO
SIMPLASTICASIMPLASTICA
-- ADSORÇÃOADSORÇÃO NONO SOLOSOLO
FORTEFORTE
-- SINTOMASSINTOMAS
55 aa 1010 DIASDIAS APÓSAPÓS AA APLICAÇÃOAPLICAÇÃO
AMARELECIMENTOAMARELECIMENTO
<< 6060 DIASDIAS
-- MEIAMEIA VIDAVIDA
-- ÉPOCAÉPOCA DEDE APLICAÇÃOAPLICAÇÃO
PLANTAPLANTA EMEM CONDIÇÕESCONDIÇÕES DEDE
TRANSPORTETRANSPORTE

TABELATABELA 1414

PrincipaisPrincipais herbicidasherbicidas comcom asas suassuas principaisprincipais marcasmarcas comerciaiscomerciais

principaisprincipais marcas marcas comerciaiscomerciais GruGru ppo o químicoquímico In In ggrediente rediente

GruGruppoo

químicoquímico

InInggredienterediente

ativoativo

NomesNomes

comerciaiscomerciais

UsosUsos aaggrícolasrícolas nono BrasilBrasil

Derivado da Glicina

Glyphosate

Roundup Agrisato Glifosato Agripec Glifosato Fersol Glifosato Nortox Glifosato Atanor Glifosato Nufarm Gliphogan Gliz Rodeo Roundup Transorb Roundup WG Scout Trop

Diversas culturas com aplicações dirigidas plantio direto,

Gliz Rodeo Roundup Transorb Roundup WG Scout Trop Diversas culturas com aplicações dirigidas plantio direto,

44 77 22

InibidoresInibidores dada síntesesíntese dede amonoácidosamonoácidos dede cadeiacadeia ramificadaramificada

 PrincipaisPrincipais característicascaracterísticas

 MecanismoMecanismo dede aaççãoão  SeletividadeSeletividade

INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE AMINOACIDOSAMINOACIDOS DEDE CADEIACADEIA RAMIFICADARAMIFICADA

–– PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:CARACTERÍSTICAS:  absorvidosabsorvidos rapidamenterapidamente
–– PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:CARACTERÍSTICAS:
 absorvidosabsorvidos rapidamenterapidamente pelaspelas raízes,raízes, caulescaules ee
folhasfolhas
 dosesdoses baixasbaixas
 dedeggradaradaççãoão porpor hidrhidróóliselise ee microormicroorgganismosanismos
 resistênciaresistência ocorreocorre rapidamenterapidamente comcom usouso
constanteconstante
 mamaiioror momobilidbilidaaddee emem >> ppHH

SELETIVIDADESELETIVIDADE

 MetabolismoMetabolismo  PosiçãoPosição nono solosolo
 MetabolismoMetabolismo
 PosiçãoPosição nono solosolo
BIOSSÍNTESEBIOSSÍNTESE DEDE AMINOÁCIDOSAMINOÁCIDOS DEDE CADEIACADEIA RAMIFICADRAMIFICADAA TREONINATREONINA
BIOSSÍNTESEBIOSSÍNTESE DEDE AMINOÁCIDOSAMINOÁCIDOS DEDE CADEIACADEIA RAMIFICADRAMIFICADAA
TREONINATREONINA
PIRUVPIRUVATOATO
AcetolactatoAcetolactato
SintaseSintase (ALS)(ALS)
 -- CETOBUTIRATOCETOBUTIRATO
PiruvatoPiruvato
 -- ACETOLACTATOACETOLACTATO
LetoLeto--ÁcidoÁcido redutoreduto
isomeraseisomerase (KARI)(KARI)
 -- ACETOACETO --  -- HIHI--
DROXIBUTIRATODROXIBUTIRATO
 -- CETOISOVCETOISOVALERATOALERATO
VVALINAALINA
 ISOISO
PROPILMALATOPROPILMALATO
,, -- DIHIDROXIDIHIDROXI-- 
METILVMETILVALERATOALERATO
ISOLEUCINAISOLEUCINA
LEUCINALEUCINA
ImidazolinonasImidazolinonasImidazolinonasImidazolinonas nononono BrasilBrasilBrasilBrasil
ImidazolinonasImidazolinonasImidazolinonasImidazolinonas nononono BrasilBrasilBrasilBrasil

•• CiCinconco iingrengredidienentteses aatitivosvos regregiissttraraddos:os:

didi enentteses aa titi vosvos regreg iisstt rara ddos:os: ImazamoxImazamox (Swee(Swee er)er) pp ImazaquinImazaquin

ImazamoxImazamox (Swee(Swee er)er)

pp

iisstt rara ddos:os: ImazamoxImazamox (Swee(Swee er)er) pp ImazaquinImazaquin (Scepter)(Scepter) ImazapicImazapic

ImazaquinImazaquin

(Scepter)(Scepter)

(Swee(Swee er)er) pp ImazaquinImazaquin (Scepter)(Scepter) ImazapicImazapic (Plateau)(Plateau) ImazapyrImazapyr
(Swee(Swee er)er) pp ImazaquinImazaquin (Scepter)(Scepter) ImazapicImazapic (Plateau)(Plateau) ImazapyrImazapyr

ImazapicImazapic

(Plateau)(Plateau)

ImazapyrImazapyr (Arsenal(Arsenal,, ChoChopppperer,, Contain)Contain)

ImazapyrImazapyr (Arsenal(Arsenal ,, ChoCho pppp erer ,, Contain)Contain) ImazethapyrImazethapyr (Pivot)(Pivot)

ImazethapyrImazethapyr

(Pivot)(Pivot)

SulfoniluréiasSulfoniluréiasSulfoniluréiasSulfoniluréias nononono BrasilBrasilBrasilBrasil
SulfoniluréiasSulfoniluréiasSulfoniluréiasSulfoniluréias nononono BrasilBrasilBrasilBrasil

•• OnzeOnze ingredientesingredientes ativosativos registrados:registrados:

ativosativos registrados:registrados: AA zimsulfuronzimsulfuron (Gulliver)(Gulliver) Chlorimuron

AAzimsulfuronzimsulfuron

(Gulliver)(Gulliver)

AA zimsulfuronzimsulfuron (Gulliver)(Gulliver) Chlorimuron Chlorimuron- -ethyl ethyl ( C l a s s i c

ChlorimuronChlorimuron--ethylethyl

(Classic)(Classic)

ethyl ( C l a s s i c ) ( C l a s s

EthoxysulfuronEthoxysulfuron

(Gladium)(Gladium)

E t h o x y s u l f u r o n (Gladium)(Gladium) FlazasulfuronFlazasulfuron

FlazasulfuronFlazasulfuron

(Katana)(Katana)

FlazasulfuronFlazasulfuron (Katana)(Katana) NicosulfuronNicosulfuron (Sanson)(Sanson)

NicosulfuronNicosulfuron

(Sanson)(Sanson)

(Katana)(Katana) NicosulfuronNicosulfuron (Sanson)(Sanson) HalosulfuronHalosulfuron (Se(Semmpprr a)a) Iodosulfuron

HalosulfuronHalosulfuron

(Se(Semmpprra)a)

(Sanson)(Sanson) HalosulfuronHalosulfuron (Se(Semmpprr a)a) Iodosulfuron Iodosulfuron- -methylmethyl (Hussar)(Hussar)

IodosulfuronIodosulfuron--methylmethyl

(Hussar)(Hussar)

Iodosulfuron Iodosulfuron- -methylmethyl (Hussar)(Hussar) Metsulfuron Metsulfuron- -methylmethyl (All(All yy ))

MetsulfuronMetsulfuron--methylmethyl

(All(All

yy

))

Metsulfuron Metsulfuron- -methylmethyl (All(All yy )) OxasulfuronOxasulfuron (Chart)(Chart)

OxasulfuronOxasulfuron

(Chart)(Chart)

(All(All yy )) OxasulfuronOxasulfuron (Chart)(Chart) PirazosulfuronPirazosulfuron- -ethyl ethyl (Sirius)(Sirius)

PirazosulfuronPirazosulfuron--ethylethyl

(Sirius)(Sirius)

PirazosulfuronPirazosulfuron- -ethyl ethyl (Sirius)(Sirius) TrifloxysulfuronTrifloxysulfuron- -sodium sodium

TrifloxysulfuronTrifloxysulfuron--sodiumsodium

(Envoke)(Envoke)

UsosUsos ee dosesdoses dede aplicaçãoaplicação dosdos herbicidasherbicidas dodo tipotipo
UsosUsos ee dosesdoses dede aplicaçãoaplicação dosdos herbicidasherbicidas dodo tipotipo sulfoniluréiassulfoniluréias
SulfoniluréiasSulfoniluréias
PrincipaisPrincipais usosusos
DosesDoses (g(g i.a./ha)i.a./ha)
MetsMetsuulflfuuronron--methmethyyll
CereaisCereais
11,,88 –– 99,,00
ChlorimuronChlorimuron--ethethyyll
SoSojjaa
NicosulfuronNicosulfuron
MilhoMilho
88 –– 1313
3535 –– 7070
HalosulfuronHalosulfuron
CanaCana
1818 –– 3535
FlFlazasuazasulflfuronuron
CCanaana
2525--100100
INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE AMINO-AMINO- ACIDOSACIDOS DEDE CADEIACADEIA RAMIFICADARAMIFICADA
INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE AMINO-AMINO-
ACIDOSACIDOS DEDE CADEIACADEIA RAMIFICADARAMIFICADA
IMIDAZOLINONASIMIDAZOLINONAS
–– PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:CARACTERÍSTICAS:
 sãosão utilizadasutilizadas emem prépré ouou póspós--emergênciaemergência nono
controlecontrole dede dicotiledôneasdicotiledôneas ee algumasalgumas
gramíneasgramíneas
 translocamtranslocam--sese pelopelo floemafloema
 persistênciapersistência dede moderadamoderada aa altaalta
 degradaçãodegradação porpor microorganismosmicroorganismos

SELETIVIDADESELETIVIDADE

 MetabolismoMetabolismo  absorçãoabsorção ee translocaçãotranslocação
 MetabolismoMetabolismo
 absorçãoabsorção ee translocaçãotranslocação

TABELATABELA

15.15.

PrincipaisPrincipais

herbicidasherbicidas

comcom

asas

suassuas

principaisprincipais

marcasmarcas

comerciaiscomerciais dosdos herbicidasherbicidas inibidoresinibidores dada ALS.ALS.

herbicidas inibidoresinibidores da da ALS. ALS . Grupo Grupo químico químico Ingrediente Ingrediente ativo

GrupoGrupo químicoquímico

IngredienteIngrediente ativoativo

NomesNomes comerciaiscomerciais

UsosUsos agrícolasagrícolas nono BrasilBrasil

Classic Conquest Smart Twister Clorimuron Master Nortox

Cyclosulfamuron

Invest

Ethoxysulfuron

Gladium

Flazasulfuron

Katana

Halosulfuron

Sempra

Metsulfuron-methyl

Ally

Nicosulfuron

Oxasulfuron

Pirazosulfuron

Sanson Nicosulfuron Nortox

 

Chart

-ethyl

Sirius

Soja

Arroz

Arroz e Cana-de-açucar

Cana-de-açucar e Tomate

Cana-de-açucar

Trigo e arroz

Milho

Soja

Arroz irrigado

Cana-de-açucar T r i g o e a r r o z M i l h

Sulfoniluréias

Chlorimuron eth l

y

TABELATABELA

16.16.

PrincipaisPrincipais

herbicidasherbicidas

comcom

asas

suassuas

principaisprincipais

marcasmarcas

comerciaiscomerciais dosdos herbicidasherbicidas inibidoresinibidores dada ALS.ALS.

herbicidas inibidoresinibidores da da ALS. ALS . Grupo Grupo químico químico Ingrediente Ingrediente ativo

GrupoGrupo químicoquímico

IngredienteIngrediente ativoativo

NomesNomes comerciaiscomerciais

UsosUsos agrícolasagrícolas nono BrasilBrasil

Imidazolinonas

Imazamox

Imazapic

Imazapyr

Imazaquim

Imazethapyr

Sweeper

Feijão e Soja

Plateau

Amendoim

Cana-de-açucar

Arsenal NA

Áreas não agrícolas,

Chopper

Pinus, seringueira,

Contain

Cana-de-açucar

Scepter

Scepter 70DG

Soja

Topgan

Pivot Pivot 70DG Vezir Zethapir 106 SL Dinamaz 70 WDG Imazetapir Plus Nortox

Soja

Topgan P i v o t Pivot 70DG Vezir Zethapir 106 SL Dinamaz 70 WDG Imazetapir

TABELATABELA

1616

PrincipaisPrincipais

herbicidasherbicidas

comcom

asas

suassuas

comerciaiscomerciais (continuação)(continuação)

principaisprincipais

marcasmarcas

principais principais marcas marcas GG ruporupo ququ íímmii coco II ngrengre didi enen tt ee

GGruporupo ququíímmiicoco

IIngrengredidienenttee aatitivovo

NNomesomes comerccomerciiaaiiss

UUsossos agragríícocollasas nono BrasilBrasil

Triazolopirimidina

Pyridimidinyl

Oxibenzoatos

Cloransulam -metil

Pacto

Soja

Diclosulam

Spider

Soja

Flumetsulam

Scorpion

Soja

Bispyribac -sodium

Nominee

Arroz irrigado

Pyrithi obac -sodium

Staple

Algodão

Scorpion Soja Bis py ribac -sodium N ominee Arroz irri gado Pyrithi obac -sodium Staple Algodão
SSSSiiiintomasntomasntomasntomas ImImImImiiiidazoldazoldazoldazoliiiinonasnonasnonasnonas ((((SojaSojaSojaSoja))))
SSSSiiiintomasntomasntomasntomas ImImImImiiiidazoldazoldazoldazoliiiinonasnonasnonasnonas ((((SojaSojaSojaSoja))))
AtrofiamentoAtrofiamento ee cloroseclorose dosdos trifóliostrifólios maismais novos.novos. et a(Brad(Brad aley ley et
AtrofiamentoAtrofiamento ee cloroseclorose dosdos trifóliostrifólios maismais
novos.novos.
et a(Brad(Brad aley
ley et
l., 2007)l., 2007)

2007)l.,

et aley a l., 2007)

(Brad(Brad ley et

SiSiSiSintomasntomasntomasntomas IIIImmmmididididazoazoazoazolilililinonasnonasnonasnonas ((((MilhMilhMilhMilho)o)o)o)
SiSiSiSintomasntomasntomasntomas IIIImmmmididididazoazoazoazolilililinonasnonasnonasnonas ((((MilhMilhMilhMilho)o)o)o)
((((MilhMilhMilhMilho)o)o)o) CloroseClorose internervalinternerval ee mortemorte

CloroseClorose internervalinternerval ee mortemorte eventualeventual dede plântulasplântulas dede milho.milho.

AtrofiamentoAtrofiamento dasdas plantasplantas ee coloraçãocoloração maismais púrpurapúrpura dodo queque oo
AtrofiamentoAtrofiamento dasdas plantasplantas ee
coloraçãocoloração maismais púrpurapúrpura dodo queque
oo normalnormal
SSSSiiiintomasntomasntomasntomas SulSulSulSulffffononononiiiilurlurlurluréiéiéiéiasasasas (Soja)(Soja)(Soja)(Soja)
SSSSiiiintomasntomasntomasntomas SulSulSulSulffffononononiiiilurlurlurluréiéiéiéiasasasas (Soja)(Soja)(Soja)(Soja)
(Soja)(Soja)(Soja)(Soja) S é r i o S é r i o a t r o f
(Soja)(Soja)(Soja)(Soja) S é r i o S é r i o a t r o f
(Soja)(Soja)(Soja)(Soja) S é r i o S é r i o a t r o f
(Soja)(Soja)(Soja)(Soja) S é r i o S é r i o a t r o f
(Soja)(Soja)(Soja)(Soja) S é r i o S é r i o a t r o f

SérioSério atrofiamento,atrofiamento, mortemorte dosdos trifóliostrifólios maismais novos.novos.

PlantasPlantas atrofiadasatrofiadas ee cloroseclorose nosnos pontospontos dede crescimento.crescimento.

nosnos pontospontos dede crescimento.crescimento. (Bradley(Bradley etet al.,al., 2007)2007) CloroseClorose

(Bradley(Bradley etet al.,al., 2007)2007)

(Bradley(Bradley etet al.,al., 2007)2007) CloroseClorose irregular,irregular, veiasveias
(Bradley(Bradley etet al.,al., 2007)2007) CloroseClorose irregular,irregular, veiasveias

CloroseClorose irregular,irregular, veiasveias vermelhasvermelhas ouou pretaspretas nono ladolado abaxialabaxial dada folha.folha.

et aley a l., 2007)

2007)l.,

(Brad(Brad ley et

SSSSiiiintomasntomasntomasntomas SulSulSulSulffffononononiiiilurlurlurluréiéiéiéiasasasas (M(M(M(Miiiilho)lho)lho)lho)
SSSSiiiintomasntomasntomasntomas SulSulSulSulffffononononiiiilurlurlurluréiéiéiéiasasasas (M(M(M(Miiiilho)lho)lho)lho)
dasdas folhasfolhas pp
dasdas folhasfolhas
pp

AtrofiamentoAtrofiamento ee “amontoamento”“amontoamento” dede internódiosinternódios ((foramsulfuronforamsulfuron))

internódiosinternódios ((foramsulfuronforamsulfuron)) CloroseClorose na na roseta roseta e e na na parte parte
internódiosinternódios ((foramsulfuronforamsulfuron)) CloroseClorose na na roseta roseta e e na na parte parte

CloroseClorose nana rosetaroseta ee nana parteparte dede baixobaixo dasdas folhasfolhas ee enrugamentoenrugamento dasdas bordasbordas

róximoróximo dosdos tecidostecidos cloróticoscloróticos

dosdos tecidostecidos cloróticos cloróticos ReduçãoRedução dede colheitacolheita
dosdos tecidostecidos cloróticos cloróticos ReduçãoRedução dede colheitacolheita

ReduçãoRedução dede colheitacolheita (aplicações(aplicações tardiastardias dede nicosulfuronnicosulfuron ee nicosulfuronnicosulfuron ++ rimsulfuron).rimsulfuron).

tardiastardias dede nicosulfuronnicosulfuron ee nicosulfuronnicosulfuron ++ rimsulfuron).rimsulfuron).
4.84.8 -- INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE LÍPÍDIOSLÍPÍDIOS IInnibidibidoresores ddaa AAcecetiltil
4.84.8 -- INIBIDORESINIBIDORES DADA SÍNTESESÍNTESE DEDE LÍPÍDIOSLÍPÍDIOS
IInnibidibidoresores ddaa AAcecetiltil CCoenzoenziimama AA CCararbboxoxililasease
(ACCase)(ACCase)
PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICASCARACTERÍSTICAS  INIBEMINIBEM AA ENZIMAENZIMA ACCACCasease PRESENTEPRESENTE
PRINCIPAISPRINCIPAIS CARACTERÍSTICASCARACTERÍSTICAS

INIBEMINIBEM AA ENZIMAENZIMA ACCACCasease PRESENTEPRESENTE NOSNOS
CLOROPLASTOSCLOROPLASTOS

BLOQUEIAMBLOQUEIAM AA SÍNTESESÍNTESE DEDE LÍPIDEOSLÍPIDEOS EE AFETAMAFETAM AA
FORMAÇÃOFORMAÇÃO EE MANUTENÇÃOMANUTENÇÃO DASDAS MEMBRANASMEMBRANAS LIPOLIPO--
PROTEÍCASPROTEÍCAS DASDAS CÉLULASCÉLULAS EE ORGANELASORGANELAS

SÃOSÃO LETAISLETAIS ASAS GRAMÍNEASGRAMÍNEAS

TABELATABELA 17.17. PrincipaisPrincipais herbicidasherbicidas dodo grupogrupo dosdos inibidoresinibidores dada biossíntesebiossíntese dede lipídeos,lipídeos, ee asas principaisprincipais marcasmarcas comerciais.comerciais.

GrupoGrupo químicoquímico

Grupo Grupo químico químico Ingrediente Ingrediente ativo ativo Nomes Nomes comerciais comerciais Usos Usos
Ingrediente Ingrediente ativo ativo

IngredienteIngrediente ativoativo

Nomes Nomes comerciais comerciais

NomesNomes comerciaiscomerciais

UsosUsos agrícolasagrícolas nono BrasilBrasil

 

DiclofopDiclofop--methylmethyl

IloxanIloxan

Cebola,Cebola, feijão,feijão, sojasoja ee

 

ii

  ii trtriigogo
  ii trtriigogo

trtriigogo

 

FenoxapropFenoxaprop--ethylethyl

FenoxapropFenoxaprop--ethylethyl

FuroreFurore

FuroreFurore

Arroz,Arroz, soja,soja, fumofumo

FenoxapropFenoxaprop--pp--

StariceStarice

Alface, Alface, batata, batata, c cebola, ebola, cenoura,ervilha,cenoura,ervilha, feijãofeijão ee sojasoja ArrozArroz

Alface,Alface, batata,batata, ccebola,ebola, cenoura,ervilha,cenoura,ervilha, feijãofeijão ee sojasoja

ArrozArroz Algodão,Algodão, alface,café,alface,café, cenoura,citrus,soja,cenoura,citrus,soja, tt

omaoma ee,, umoumo,, roserose rara,,

tt

ff

ii

ethylethyl

 
ethylethyl   RapsodeRapsode WhipWhip SS F u z i l a d e F u z

RapsodeRapsode

WhipWhip SS FuziladeFuzilade 125125 FuziladeFuzilade 250EW250EW

 
 

FluazifopFluazifop-p-p--butilbutil

HaloxyfopHaloxyfop-methyl-methyl

HaloxyfopHaloxyfop-methyl-methyl

GallantGallant RR

GallantGallant RR

crisântemocrisântemo Eucalipto,pinusEucalipto,pinus

 
  VerdictVerdict RR SojaSoja

VerdictVerdict RR

VerdictVerdict RR

SojaSoja

  VerdictVerdict RR SojaSoja   QuizalofopQuizalofop-p-p--ethylethyl TargaTarga
  VerdictVerdict RR SojaSoja   QuizalofopQuizalofop-p-p--ethylethyl TargaTarga
 

QuizalofopQuizalofop-p-p--ethylethyl

TargaTarga 50CE50CE

TargaTarga 50CE50CE

SojaSoja

 

QuizalofopQuizalofop-p-p--tefuryltefuryl

 

PantherPanther 120120 CECE

Algodão,Algodão, FeijãoFeijão ee SojaSoja

ll

cc oo

hh

exaexa

nn

ee

didi

oo

nn

aa

bb

uu

trtr

oxyoxy

dimdim

cc oo hh exaexa nn ee didi oo nn aa bb uu trtr oxyoxy dimdim FF

FF SelectSelect 240240 CECE

ll

aa coco

nn

jj Soja,Soja, feijão,feijão, algodão,algodão, tomate,tomate, batata,batata, cebola,cebola, alhoalho ee cenoucenou-

jj Soja,Soja, feijão,feijão, algodão,algodão, tomate,tomate, batata,batata, cebola,cebola, alhoalho ee cenoucenou--rara AlAlggodãoodão,, eucalieucalipptoto,, feijão,feijão, girassol,girassol, glagla––

díolo,díolo, sojasoja ee fumofumo

SS

oo aa

 

ClethodiumClethodium

SetoxSetoxyydimdim

PoastPoast

 
 
 

AxiloxifenoxiAxiloxifenoxi--

PropProp onatoonato

CiCi

55 PRINCIPAISPRINCIPAIS CAUSASCAUSAS DEDE DANOSDANOS

RESÍDUOSRESÍDUOS NONO SOLOSOLO

DOSEDOSE ERRADAERRADA

DERIVDERIVAA

CONTAMINAÇÃOCONTAMINAÇÃO DODO EQUIPAMENTOEQUIPAMENTO

APLICAÇÃOAPLICAÇÃO EMEM ESTÁDIOESTÁDIO INADEQUADOINADEQUADO DADA CULTURACULTURA

LIXIVIAÇÃOLIXIVIAÇÃO DODO HERBICIDAHERBICIDA NONO SOLOSOLO

INCOMPATIBILIDADEINCOMPATIBILIDADE DEDE MISTURASMISTURAS

66 –– DIAGNOSEDIAGNOSE DOSDOS DANOSDANOS CAUSADOSCAUSADOS PELOSPELOS HERBICIDASHERBICIDAS

PRINCIPAISPRINCIPAIS ETAPAS:ETAPAS:

A)A) OBSERVOBSERVAÇAÇÃÃOO DOSDOS SINTOMASSINTOMAS

B)B) CARACTERIZARCARACTERIZAR OSOS SINTOMASSINTOMAS -- FOTOSFOTOS

C)C) COLETACOLETA DEDE INFORMAÇÕESINFORMAÇÕES

APLICAÇAPLICAÇÃÃOO

OBSERVOBSERVAÇÃOAÇÃO DEDE PLANTASPLANTAS NANA VIZINHANÇAVIZINHANÇA

INFORMAÇINFORMAÇÕÕESES CLIMCLIMÁÁTICASTICAS

PADRÕESPADRÕES DEDE INJÚRIASINJÚRIAS

OBSERVOBSERVAÇÃOAÇÃO DEDE SINTOMASSINTOMAS CAUSADOSCAUSADOS PORPOR FATORESFATORES BIOTICOSBIOTICOS (INSETOS(INSETOS EE PRAGAS)PRAGAS) EE ABIÓTICOSABIÓTICOS (MECANICOS,(MECANICOS, AMBIENTAIS,AMBIENTAIS, DESORDENSDESORDENS NUTRICIONAINUTRICIONAI

D)D) COLETACOLETA DEDE AMOSTRASAMOSTRAS

ÉPOCAÉPOCA

QUANTIDADEQUANTIDADE ADEQUADAADEQUADA

EMBALAGEMEMBALAGEM APROPRIADAAPROPRIADA

7.7. METODOMETODO DEDE DIAGNOSEDIAGNOSE DEDE DANOSDANOS NASNAS PLANTASPLANTAS

11 -- DEFINIÇÃODEFINIÇÃO DODO PROBLEMAPROBLEMA

22 -- VERIFICAÇÃOVERIFICAÇÃO DOSDOS PADRÕESPADRÕES DEDE DANOSDANOS

-- DANOSDANOS NÃONÃO UNIFORMESUNIFORMES –– FATORESFATORES BIÓTICOSBIÓTICOS (PRAGAS(PRAGAS EE DOENÇAS)DOENÇAS) -- DANOSDANOS NÃONÃO UNIFORMESUNIFORMES –– FATORESFATORES ABIÓTICOSABIÓTICOS (MECÂNICOS,(MECÂNICOS, FÍSICOSFÍSICOS EE QUÍMICOS)QUÍMICOS)

33

-- EVOLUÇÃOEVOLUÇÃO DOSDOS SINTOMASSINTOMAS

44

-- DETERMIDETERMINNAAÇÇÃÃOO DADASS CCAAUSUSAASS DDOO DADANONO

-- FATORESFATORES BIÓTICOSBIÓTICOS

-- FATORESFATORES ABIÓTICOSABIÓTICOS