Você está na página 1de 3

Tipos de Manutenção

Por: Paulo Henrique Côrtes Lima

Muito se discute sobre os tipos de manutenção existentes e não e difícil encontrar empresas
em que existem tantas derivações que ate confundem os mantenedores, levando-os a
executarem uma tarefa meramente pela ordem sem nem mesmo entender o que estão
fazendo.

Neste artigo tratarei os tipos de manutenção pelo método PEMAT (Planejamento Estratégico
Para Manutenção), método este desenvolvido por mim e minha empresa levando em
consideração a experiência em campo e a cultura das empresas brasileiras.

Planejamento Estratégico e um tema comum da área de administração, nossa desafio se deu


em adaptar este assunto ao espaço de gerenciamento da manutenção, o resultado foi
satisfatório nos levando a um método simples e eficaz, que trata do ambiente externo ate os
dirigentes da empresa, em breve estarei lançando um livro sobre o tema.

Através dos estudos podemos perceber que existem milhares de descrições sobre os tipos de
manutenção, onde varias vezes são semelhantes, mas adaptados de acordo com a cultura da
empresa ou ate mesmo imposta pela diretoria, em grande parte os gerentes de manutenção
não souberam realmente explicar o que cada um significa, ficando varias duvidas e ate mesmo
criando confusão sobre como programar cada tipo de serviço.

De acordo com a metodologia PEMAT (Planejamento Estratégico Para Manutenção),


baseando-se na disponibilidade das instalações e no custo de manutenção, podemos dividir os
tipos de manutenção em:
Natural
Manutenção Preventiva
Emergencial
Manutenção Preditiva
Proveniente de
Manutenção Autônoma
Preventiva
Lubrificação
Proveniente de
Limpeza Preditiva
PEMAT
Calibração Proveniente de
Autônoma
Rota de Verificação

Manutenção Corretiva Proveniente de


Lubrificação
Melhoria
Proveniente de
Novas Instalações
Limpeza

Proveniente de
Rota de Verificação
Manutenção Preventiva: Um dos métodos mais conhecidos e mesmo assim ainda causa
grande confusão entre as gerencias de manutenção. A descrição e bem simples, Manutenção
Preventiva e aquele que se baseia no tempo onde o principal objetivo e se antecipar a falha,
efetuando a troca de componentes baseando-se no tempo. Por exemplo, trocar os rolamentos
de um transportador helicoidal a cada 13 meses. O ponto importante da preventiva se da em
que a troca do componente tem que ser efetuada no período previsto mesmo que esteja em
boas condições, caso necessário o período pode ser revisto após esta troca.

Manutenção Preditiva: Um método que revoluciono a forma de fazer manutenção, mas ainda
não e muito aceita pela gerencia de manutenção, isto acontece, pois existem duvidas sobre
como esta ciência funciona e devido seu custo muitos preferem não arriscar. Posso afirma que
este método de manutenção e o mais eficiente entre os diversos outros e que seu custo pode
ser considerado insignificante, quando utilizado corretamente. Manutenção Preditiva e aquele
em que se consegue detectar uma falha antes que ela acontece através de análises cientificas,
esta análises são efetuadas através de equipamentos específicos onde através de espectros de
vibração temperatura e outros pode-se identificar com clareza uma possível falha apontando
ate mesmo o período em que ira acontecer. O que muitos não sabem e que a manutenção
preditiva pode ser efetuada por qualquer mantenedor e que no dia-a-dia das indústrias ela
acontece todo tempo porem não registrada. O principal método de preditiva “comum” e a
utilização dos 5 sentidos humanos, isso mesmo o corpo humano e um ótimo detector falhas de
equipamentos. Por exemplo quando se coloca a mão em um equipamento e devido a
experiência sabe-se que sua temperatura esta acima do normal, ou a existência de odor
anormal para um determinado equipamento. Outra forma mais barata e simples é a utilização
de equipamentos mais comum mais capazes de antecipar falhas, como termômetros a laser,
multímetros, megômetros, etc.

Manutenção Autônoma: Um dos temas mais recente e muito debatido, Manutenção


Autônoma e aquela em que os operadores de um determinado equipamento executam as
manutenções básicas como limpeza, lubrificação, pequenos reparos ou ajustes, no etanto não
dividimos a manutenção autônoma em outras formas de manutenção, então se o mantenedor
esta executando a lubrificação de um equipamento ele não esta executando uma “Lubrificação
de Manutenção Autônoma” e sim apenas Manutenção Autônoma. O segredo da manutenção
Autônoma esta no envolvimento das gerencias das diversas áreas envolvidas e um bom
treinamento para os operadores e encarregados envolvidos. Indicadores podem mostra a
evolução da manutenção autônoma ou suas falhas.

Lubrificação: Esta forma de manutenção quando bem aplicada pode garantir 50% da vida útil
do equipamento, este método pode ser aplicado através de uma rota de lubrificação que pode
variar de acordo com a característica de cada grupo de equipamento, o mais importante e
entender como lubrificar e qual o tipo de lubrificante e mais adequado.

Limpeza: Um método simples mais bastante eficiente ele deve ser aplicado quando a limpeza
exigi conhecimentos específicos ou auto grau de periculosidade onde a manutenção autônoma
não pode ser aplicada.

Calibração: Utilizando quando sem tem a necessidade de calibrar alguns instrumento ou


equipamento dentro um período especifico.
Rotas de Verificação: Consiste em executar uma serie de procedimentos antes, durante ou
depois da produção, com intuito de detectar se as condições de funcionamento encontradas
estão iguais as programadas.

Corretiva: Este é o método de manutenção mais antigo do mundo e deve ser divido em alguns
tipos específicos para que se entenda a correta natureza das falhas e se consiga elaborar
analises de falhas eficientes. As derivações de corretivas são:

Natural: E aquela em que devido estudos se comprovo que é melhor esperar a falha
acontecer para só depois tomar as ações necessárias, um exemplo clássico e um
lâmpada de uma sala de estar, e muito mais econômico e não vai afetar nenhum
processo espera que ele queime, para apenas depois trocá-la, porem se esta lâmpada
for de uma sala de cirurgia e melhor trocar em um período determinado mesmo que
ela não esteja queima, pois sua falha pode levar a graves conseqüências.

Emergencial: Falha que ocorre fora da programação e que deve ser sanada de
imediato.

Corretivas Provenientes: Estas corretivas acontecem quando da execução de outros


métodos de manutenção como preventiva, preditiva, autônoma, etc. se detectar uma
falha que não pode ser sanada de imediato, mas que poder ser programa para uma
intervenção futura.

Melhoria: Manutenção executada para efetuar uma melhoria em uma instalação, como a
mudança de uma linha de produção visando melhorar a velocidade de produção.

Novas Instalações: Quando existe a necessidade de se efetuar uma nova instalação dentro de
uma planta fabril, seja ela uma sala ou um equipamento.

Com a utilização correta dos métodos de manutenção pode-se gerencia com maior eficiência e
eficácia os serviços executados, entendo melhor onde estão sendo gastos os homens hora do
departamento, e se os planos de manutenção existentes estão surtindo os efeitos esperados,
alem de se ter um ambiente mais preciso para as possíveis análises de falhas que podem vir a
ocorrer. Outro ponto de suma importância e o correto lançamento dos métodos de
manutenção no Software de gerenciamento, para que os resultados apresentados mostrem
realmente a realidade de empresa.

Paulo Henrique C. Lima, proprietário da empresa Sysmantec e tem experiência de mais de 9 anos na área de
manutenção. Contato: paulo.525@hotmail.com, (email pessoal)

Interesses relacionados