LETRAS DE HINOS E CANÇÕES

- 13 letras

1
Canção do CBMPE

Olímpio Bonald / Ademir Araújo I. No silêncio sombrio da noite, No obscuro recanto do dia, Quando o inferno de fogo ameaça, progredir provocando agonia. Tua presença Bombeiro é a esperança, De quem sobfre e te aguarda com fé, Na certeza de que és competente, Pernambuco te aplaude de pé. Estribilho "De onde vem tanta força e valor, Que o impele tenaz a lutar?" Denodado pratica o seu lema: "Vida alheia e riquezas a salvar" Quer nas chamas, quer nas águas, Quando tudo se destrói. Não se entregue a desespero Se presente o nosso herói! Salve o Corpo de Bombeiros! II. Na ocorrência das fortes tormentas, Quando a voz da esperança emudece, O teu grito, a sirene, a distância, Traz a paz de que o povo carece. De viver trazes tu a certeza, E a quem salvas o horror do desastre, Nunca mais dessa hora se esquece, Ó soldado de rara destreza. III. Quando os sinos das torres dobravam, Avisando os sinistros de outrora, Já o teu coração nas disputas Proclamava ser tua a vitória. Canta o povo esta história de lutas, Ó guerreiro da paz varonil! Para honra do Leão do Norte, Glórias tens dado sempre ao Brasil!!!

E se um dia houver sangue e batalha. Inflamando em seu peito o valor. na guerra punindo uma afronta Com valor pela pátria lutar. Antônio Pinto Júnior Contra as chamas e lutas ingentes Sob o nobre alvirrubro pendão. Missão dupla o dever nos aponta: Vida alheia e riquezas salvar E. Rija luta aos heróis aviventa. A cidade parece queimar Mas não temem da morte os Bombeiros Quando ecoa d´alarme o sinal Ordenando voarem ligeiros A vencer o vulcão infernal. a sagrada missão. É a paz. Repelindo inimigos canhões voluntários da morte na paz Missão dupla o dever nos aponta: Vida alheia e riquezas salvar E. Missão dupla o dever nos aponta: Vida alheia e riquezas salvar E. Para frente que importa a tormenta Dura marcha de sóis ou rigor? Nem um passo daremos atrás. Aurifulvo clarão gigantesco Labaredas flamejam no ar Num incêndio horroroso e dantesco. Desfraldando a auriverde bandeira. na guerra punindo uma afronta Com valor pela pátria lutar. Dos soldados do fogo valentes. .2 Hino do Soldado do Fogo Letra: Ten. na guerra punindo uma afronta Com valor pela pátria lutar. Sérgio Luiz de Mattos Música: Cap.

de bravos guerreiros! Pernambuco. Sentinela indormida e sagrada Que defende da Pátria os lauréis! Salve! ó terra dos altos coqueiros! De belezas soberbo estendal Nova Roma. imortal! Imortal! . de bravos guerreiros! Pernambuco. Liberdade um teu filho proclama. O primeiro. a esperança. Dos escravos o peito se inflama.3 Hino do Estado de Pernambuco Composição: Oscar Brandão da Rocha Hino de Pernambuco Música: Nicolino Milano Letra: Oscar Brando da Rocha Coração do Brasil. No passado o teu nome era um mito Era o sol a brilhar no infinito Era a glória na terra a brilhar! Salve! ó terra dos altos coqueiros! De belezas soberbo estendal Nova Roma. Desse povo que altivo descansa. No presente és a guarda avançada. Como o atleta depois de lutar. Reproduzem batalhas cruéis.. em teu seio Corre o sangue de heróis rubro veio Que há de sempre o valor traduzir És a fonte da vida e da história Desse povo coberto de glória. Ante o sol dessa Terra da Cruz! Salve! ó terra dos altos coqueiros! De belezas soberbo estendal Nova Roma. imortal! Imortal! Esses montes e vales e rios Proclamando o valor de teus brios. imortal! Imortal! A República é filha de Olinda Alva estrela que fulge e não finda De esplendor com os seus raios de luz. do porvir (estribilho) Salve! ó terra dos altos coqueiros! De belezas soberbo estendal Nova Roma. de bravos guerreiros! Pernambuco.. talvez. imortal! Imortal! Do futuro és a crença. de bravos guerreiros! Pernambuco.

Pelo fogo da metralha! És a eterna majestade. Quando o toque da vitória Marca nossa alegria. No intenso. És a entidade. Que a glória conduz. Com luz. Fuzil! Servil! Meu nobre amigo para guerra! Ó! meu amado pendão. Que em meu peito se encerra. te darei com amor. Nos campos de batalha. Eu cantarei. Sagrado pavilhão. Está contigo. Vivemos. E a glória prometida. Dos mais valentes.4 CANÇÃO DA INFANTARIA Hildo Rangel/Thiers Cardoso Nós somos estes infantes Cujos peitos amantes Nunca temem lutar. Todo roto por balas! REFRÃO { És a nobre Infantaria. Valor imenso. Para o Brasil nos consagrar! Nós. Morremos.} Letra: Hildo Rangel Música: Thiers Cardoso . Sublime Amor se exprime. Das armas a rainha.. No fragor da disputa. Eu gritarei: És a nobre Infantaria! Brasil. Se do alto me falas. etc. De valor. peitos nunca vencidos. desmedidos. Da luta. Ante o inimigo. Por ti daria A vida minha. Mostremos. Toda a seiva e vigor. Que em nossa Pátria temos.. Nas linhas combatentes. REFRÃO És a nobre Infantaria.

Desafia o nosso peito a própria morte! Ó Pátria amada Idolatrada Salve! Salve! Brasil um sonho intenso. Ó Pátria amada Dos filhos deste solo és mãe gentil. um raio vívido. Verás que um filho teu não foge à luta. quem te adora. Brilhou no céu da Pátria nesse instante. E o sol da liberdade. a própria morte. de amor eterno seja símbolo O lábaro que ostentas estrelado. Ó Pátria amada Dos filhos deste solo és mãe gentil Pátria amada Brasil! . Se o penhor dessa igualdade Conseguimos conquistar com braço forte.5 HINO NACIONAL BRASILEIRO Música: Francisco Manuel da Silva (1795-1865) Versos: Joaquim Osório Duque Estrada (1870-1927) Letra de Introdução ao Hino Nacional I Ouviram do Ipiranga às margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante. Brasil. Brasil. E o teu futuro espelha essa grandeza. Em teu seio ó liberdade.paz no futuro e glória no passado Mas se ergues da justiça a clava forte. em raios fúlgidos. Terra adorada! Entre outras mil És tu. "Nossos bosques tem mais vida" "Nossa vida" no teu seio "mais amores" Ó Pátria amada Idolatrada Salve! Salve! Brasil. De amor e de esperança à terra desce Se em teu formoso céu risonho e límpido A imagem do Cruzeiro resplandece Gigante pela própria natureza És belo. ao som do mar e à luz do céu profundo. ó Brasil. Terra adorada! Entre outras mil És tu. Pátria amada Brasil! II Deitado eternamente em berço esplêndido. florão da América. Fulguras. Iluminado ao sol do Novo Mundo! Do que a terra mais garrida Teus risonhos lindos campos tem mais flores. Nem teme. E diga o verde-louro dessa flâmula . és forte. impávido colosso.

(APESAR DE SER A MAIS CANTADA E CONHECIDA CANÇÃO DA MARINHA DO BRASIL. NÃO É SUA CANÇÃO OFICIAL) . O meu navio também flutua Nos verdes mares de Norte a Sul Linda galera que em noite apagada Vai navegando num mar imenso Nos traz saudades da terra amada Da pátria minha em que tanto penso Qual linda garça que aí vai cruzando os ares Vai navegando Sob um belo céu de anil Minha galera Também vai cruzando os mares Os verdes mares. Os mares verdes do Brasil Quanta alegria nos traz a volta À nossa Pátria do coração Dada por finda a nossa derrota Temos cumprido nossa missão.6 CANÇÃO "CISNE BRANCO" Música: Primeiro-Sargento (Exército Brasileiro) Antonio Manoel do Espírito Santo Letra: Primeiro-Tenente (Marinha do Brasil) Francisco Dias Ribeiro Qual cisne branco que em noite de lua Vai deslizando num lago azul.

Parabéns. vossos braços São muralhas do Brasil. temor servil: Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil. ó brasileiro. com garbo varonil. Já raiou a liberdade No horizonte do Brasil.7 HINO DA INDEPENDÊNCIA Música: D. Que apresentam face hostil. Pedro I (1798-1834) Versos: Evaristo da Veiga (1799-1837) Já podeis. Os grilhões que nos forjava Da perfídia astuto ardil. Brava gente brasileira! Longe vá.... temor servil: Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil. Brava gente brasileira! Longe vá... temor servil: Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil. da Pátria filhos. Brava gente brasileira! Longe vá... temor servil: Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil.. Não temais ímpias falanges. . Brava gente brasileira! Longe vá. Vossos peitos. Houve mão mais poderosa: Zombou deles o Brasil.. Já. Ver contente a mãe gentil. Do universo entre as nações Resplandece a do Brasil..

. Paira sempre sagrada bandeira Pavilhão da justiça e do amor. ..8 HINO À BANDEIRA Music: Francisco Braga (1868-1945) Versos: Olavo Bilac (1865-1918) Salve lindo pendão da esperança.... Compreendemos o nosso dever. poderoso e feliz há de ser Recebe o afeto. Querido símbolo da terra Da amada terra do Brasil! Em teu seio formoso retratas Este céu de puríssimo azul A verdura sem par destas matas. Em nosso peito juvenil. Nos momentos de festa ou de dor. Contemplando o teu vulto sagrado. Sobre a imensa Nação Brasileira. E o esplendor do Cruzeiro do Sul. E o Brasil por seus filhos amados. Recebe o afeto.. Recebe o afeto. Salve símbolo augusto da paz! Tua nobre presença à lembrança A grandeza da Pátria nos traz Recebe o afeto que se encerra...

Meu caráter te deve exaltar. Na seara dos certos saberes. O BOMBEIRO. Disciplina. Preparando o aluno em tudo Que lhe possa sobrevir. . feliz. Em meu peito. põe-se à messe. Grandioso pra sempre hás de ser. palavra sagrada. Sempre devo teu nome lembrar. Estribilho PERNAMBUCO está seguro De que sabes instruir Para qualquer incidente. Teorias se ensinam nas salas E a prática ao brio enaltece. tuas sílabas bradam.9 Canção do Aluno Bombeiro Militar Poetas: Maj RR/PM Rildo Barbosa de Almeida e 1º Ten BM Wladimir De Paula Nascimento Coordenador Cel RR/PM Ivan Magno Campus de vera docência! Admiro teu nobre dever! No preparo dos teus instruendos.

Estribilho (Grito de Guerra do Aluno BM) Bombeiro! Bombeiro! Por fé! Por fé! E por tua instrução. se o modo ele aprende. Aos abismos escuros. Ei-los prontos com rara destreza Para vidas alheias salvar. Quando as águas dos rios e mares Intentarem pessoas tragar. Bem treinado na boa instrução. Vai seguro. O inferno aos meus pés vai cair. profundos. Quero o fogo com garra extinguir. Se do mestre o lidar compreende. Estribilho As alturas não teme o aluno. Eu recebo sangue e alma. Sangue e alma de BOMBEIRO E me torno um soldado .Voluntário sou nesta missão.

corajoso Contra todos os rivais.Competente. Leal! Herói! Guerreiro! Guerreiro! Insigne da PAZ! .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful