Você está na página 1de 60

Universidade Federal de Santa Catarina

Curso: Arquitetura e Urbanismo

Disciplina: ARQ5661- Tecnologia da Edificação 1

Professor:

Anderson Claro

Acadêmicas: Jacqueline Werlich

Luiza Almeida Barroso

Patricia Turazzi Luciano

Simone Bottega

INTRODUÇÃO

CONCEITO/FUNÇÃO

HISTÓRICO

Tema: Muros

PARADIGMAS ESTÉTICOS E SOCIAIS – O MURO EM DIFERENTES CULTURAS

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

MUROS DE CONTENÇÃO/TÉCNICAS

METERIAIS/TIPOS DE MUROS

BIBLIOGRAFIA

CRÉDITOS

CALEIDOSCÓPIO

INTRODUÇÃO

INTRODUÇÃO Este trabalho tem como finalidade a analise e exposição de um elemento arquitetônico tão presente,

Este trabalho tem como finalidade a analise e exposição de um elemento arquitetônico tão presente, tanto funcionalmente como também esteticamente. Veremos aqui entre outras coisas, a técnica construtiva, a função, a constituição, bem como uma diversificada ilustração que ajudara a mostrar um pouco da estética do muro, com suas inúmeras formas, desenhos, texturas e cores.

muro, com suas inúmeras formas, desenhos, texturas e cores. Enquanto arte, a arquitetura é mais do

Enquanto arte, a arquitetura é mais do que a satisfação de exigências puramente funcionais de um programa construtivo. Fundamentalmente, as manifestações físicas da arquitetura acomodam a atividade humana. Todavia, o arranjo e a organização das formas e espaços também determinam a maneira como a arquitetura pode promover iniciativas, trazer respostas e comunicar significados. Dessa forma, embora este estudo se concentre, além da prática construtiva, nas idéias formais e espaciais, não pretende diminuir a importância dos aspectos sociais, políticos e econômicos da arquitetura. A forma e o

espaço são apresentados não como fim em si mesmos, mas como meios para solucionar um problema em resposta a condições de função, propósito e contexto. Um muro, plano vertical, não define apenas uma superfície visível com duas faces; define também a compreensão de um espaço dividido em dois; o lado de lá e o lado de cá.

um espaço dividido em dois; o lado de lá e o lado de cá. CONCEITO/FUNÇÃO O
um espaço dividido em dois; o lado de lá e o lado de cá. CONCEITO/FUNÇÃO O

CONCEITO/FUNÇÃO

O muro é um elemento com certa verticalidade destinado a limitar terrenos, dividindo-os, dar proteção ou defesa, impedindo a entrada de pessoas e animais, aprisionar, proporcionar a privacidade, impedir a visibilidade e fazer a contenção de terra.

HISTÓRICO

HISTÓRICO Os elementos fundamentais e os princípios do projeto de um elemento arquitetônico se manifestam no

Os elementos fundamentais e os princípios do projeto de um elemento arquitetônico se manifestam no decorrer da história humana. Esses modelos históricos transpõem o tempo e atravessam as fronteiras culturais. Embora a justaposição de estilos possa parecer abrupta em alguns momentos, a diversificada gama de exemplos é deliberada.

a justaposição de estilos possa parecer abrupta em alguns momentos, a diversificada gama de exemplos é
Os muros sempre estiveram presentes em nossas arquiteturas, sua existência é tão longa quanto à
Os muros sempre estiveram presentes em nossas arquiteturas, sua existência é tão longa quanto à
Os muros sempre estiveram presentes em nossas arquiteturas, sua existência é tão longa quanto à
Os muros sempre estiveram presentes em nossas arquiteturas, sua existência é tão longa quanto à

Os muros sempre estiveram presentes em nossas arquiteturas, sua existência é tão longa quanto à das paredes, sendo até mesmo confusa. Inicialmente o homem procurou como abrigo uma forma já pronta na natureza, só mais tarde começou a fabricar ele próprio sua casa.

Os muros mostravam-se como uma proteção indispensável para um ser tão indefeso. Assim as diversas civilizações e povos desenvolveram, cada um a seu modo, de acordo a disponibilidade que tinham de materiais e mão de obra, uma solução adequada às respectivas exigências do local, no decorrer dos anos até os nossos dias. O homem à medida que se tornou sedentário e começou a criar seu abrigo, lugar com o fim de satisfazer suas necessidades,

desenvolveu de forma igual, muros ao seu redor para sua proteção e de seus bens. Estes muros inicialmente não passavam de um amontoado de pedras e qualquer outro material que estivesse disponível, madeira, bambu ou argila. Desta forma eles na maioria das vezes não se mantinham erguidos por muito tempo, sendo necessário uma constante reparação e até reconstrução. Possuíam, na maior parte dos casos, a forma de um circulo irregular. O desenho das cidades medievais indicava sua função de defesa. Com becos e ruas tortuosas, as cidades estavam contidas entre muros e voltadas para o seu interior. Elas expressavam um aparato de defesa contra agressões e interferências externas.

de defesa contra agressões e interferências externas. Aos poucos a construção do muro foi se aprimorando.

Aos poucos a construção do muro foi se aprimorando. Os blocos de pedras que antes eram apenas empilhados uns sobre os outros, começam a ser mais estudados, ganham uma massa entre eles para dar maior firmeza e permitir muros mais delgados e desta forma menos custosos, esta massa inicialmente era feita com argila, variando conforme a cultura, chegando a ser usado até mesmo gordura animal. Também a própria pedra começa a ser melhor elaborada, antes usada em seu estado bruto, agora começa a ser lapidada, e os encaixes

começam a receber uma atenção maior, a partir daí o muro agrega um outro valor, o estético.

a receber uma atenção maior, a partir daí o muro agrega um outro valor, o estético.

Muralha Medieval

a receber uma atenção maior, a partir daí o muro agrega um outro valor, o estético.

Muralha Romana

Antigos povos e civilizações desenvolveram, conforme suas necessidades, técnicas de construção de muros cada vez maiores acompanhando o desenvolvimento dos armamentos bélicos. Os muros, cada vez mais símbolo de poder e riqueza de um povo, então cresceram até assumirem a forma de muralhas. Aqui a mão de obra numerosa bem como sua total exploração se torna indispensável à construção destes elementos que podiam se prolongar por dezenas de quilômetros. Os materiais e técnicas desenvolvidas condiziam com o espaço e tempo no qual sua construção era realizada. Os recursos disponíveis, muitas vezes escassos, incentivaram o desenvolvimento das mais diversas tecnologias. Todo este quadro acaba por revelar uma arquitetura totalmente integrada com o local. Desta forma pode-se hoje observar como se deu à construção ao mesmo tempo e diferentes partes do mundo, das mais variadas construções. O grande numero de pessoas a serviço das construções contribuiu enormemente para o surgimento da diversidade de tamanhos, formas, materiais, técnicas. E cada um destes fatores em concordância com as varia culturas, na contribuição para expressar todo o simbolismo exigido.

em concordância com as varia culturas, na contribuição para expressar todo o simbolismo exigido. Muralha da

Muralha da China

Muralha medieval Muro das Lamentações À medida que o contato entre as diversas culturas aumenta,

Muralha medieval

Muralha medieval Muro das Lamentações À medida que o contato entre as diversas culturas aumenta, através

Muro das Lamentações

À medida que o contato entre as diversas culturas aumenta, através de relações comerciais ou através da dominação de uns sobre outros povos, onde as culturas de uma forma geral sofrem influência, começa um processo de miscigenação. As arquiteturas antes totalmente vinculadas ao local de origem começam a competir com as soluções globais. Os mesmos muros, fachadas tão presentes nas construções, agora podem ser encontrados em diversas partes do mundo, degredando de certa forma sua identidade, sua origem, antes facilmente identificável pela sua estética.

.

. A grande parte deles ainda assume sua função mais primitiva, a distinção entre um espaço

A grande parte deles ainda assume sua função mais primitiva, a distinção entre um espaço externo e um espaço interno. Atualmente os muros assumiram as mais diversas posições. Os materiais e técnicas conhecidas são inúmeras e estão em constante renovação.

conhecidas são inúmeras e estão em constante renovação. Dentro, no espaço interno, aquilo que se quer

Dentro, no espaço interno, aquilo que se quer proteger, uma atitude de grande simbolismo, que em certos casos chegou ao extremo.

Muro de Berlim O Muro de Berlim foi um símbolo vivo da divisão da Alemanha

Muro de Berlim

O Muro de Berlim foi um símbolo vivo da divisão da Alemanha em duas entidades, a Republica Federal Alemã e a Republica Democrática Alemã. Para se ter uma idéia, na Mesopotâmia os primeiros tijolos queimados datam de 3000 a.C. e eram empregados para revestimentos externos, e mais freqüentemente como muros de proteção. Já na Roma antiga os materiais de construção mais usados eram o "tufo" (pedra de origem vulcânica) como elemento de construção de paredes e muros. Embora a arte de produção de argila queimada já fosse conhecida na Roma primitiva, após as civilizações assíria, babiloneza e egípcia, os tijolos queimados só foram empregados para a construção de muros, em geral, durante o período imperial (31 a.C. a 476 d.C.).

PARADIGMAS ESTÉTICOS E SOCIAIS – O MURO EM DIFERENTES CULTURAS

Um muro pode ter significados que vão muito além da sua função básica de cercar um terreno. Sua presença nos remonta a aspectos como segurança, privacidade, propriedade e individualidade. Em alguns casos, porém, ele pode ter um significado de discriminação, apartheid e cisão. Na história da humanidade encontramos alguns muros que são considerados marcos pela ruptura que causaram. Dependendo da local do mundo, o muro exerce um papel diferente.

Em uma cidade grande e violenta como São Paulo o muro é um aparato de segurança de primeira necessidade. São altos e muitas vezes conjugados com cercas elétricas em tentativas desesperadas de manter a violência das ruas na rua.

desesperadas de manter a violência das ruas na rua. Já em uma cidade como Lagos na

Já em uma cidade como Lagos na Nigéria, devido à explosão populacional, o muro é uma máquina de proteger o solo da ocupação dos pobres. Em um lugar onde existe mais gente do que lugar para morar, defender sua propriedade é a maior preocupação das pessoas que cercam suas casas com muros. Em um cenário oposto, nos subúrbios americanos, onde vive a classe média das grandes cidades, e não há o problema nem de superpopulação nem de delinqüência, a existência de muros não se faz necessária. Os limites dos terrenos são respeitados e quando muito, demarcados por cercas vivas. O senso de propriedade é compreendido e os muros só existem na mente dos moradores desses bairros.

Os muros históricos têm ainda um significado mais amplo por carregarem em si inscritas partes da nossa história. O Muro de Berlim é um dos maiores exemplos disso. Sua queda marcou a queda do comunismo e seus restos são considerados até hoje testemunhos de uma época de segregação, intolerância e violência. Alguns historiadores lutam para preservá-lo, como patrimônio da humanidade, considerando sua importância como registro histórico.

http://www.dw-

world.de/brazil/0,3367,7181_A_946378,00.html

considerando sua importância como registro histórico. http://www.dw- world.de/brazil/0,3367,7181_A_946378,00.html

Um muro que tem sido comparado ao muro de Berlim é o

da Cisjordânia, que tem sido erguido para evitar o

terrorismo palestino em território israelita, porém tem levantado muitas opiniões adversas. Por ter sido imposto por Israel, muitos palestinos acreditam que ele seja tão terrível como aquele da Alemanha.

http://www.ciadaescola.com.br/zoom/materia.asp?materi

a=200&pagina=6#materia

a=200&pagina=6#materia A muralha da China é uma aula de história a céu aberto.
a=200&pagina=6#materia A muralha da China é uma aula de história a céu aberto.

A muralha da China é uma aula de

história a céu aberto. Suas funções originais

eram demarcar fronteiras e servir de postos

de defesa. Considerada herança do passado

feudal, teve trechos destruídos pelo líder comunista Mao Tse-Tung. Hoje em dia dois terços da construção já estão em ruínas e o que sobrou provavelmente não vai resistir

muito tempo sem os devidos cuidados e a atenção das autoridades. Sendo considerada a única construção capaz de ser vista da Lua, ela adquiriu status de ponto turístico e é o símbolo nacional da China.

única construção capaz de ser vista da Lua, ela adquiriu status de ponto turístico e é

O Muro das Lamentações, em Jerusalém nos mostra ainda que um muro pode ter significados espirituais e religiosos. Este é o lugar mais sagrado e venerado pelo povo judeu por ser a única relíquia do último templo. É um local de jubilo nacional e culto religioso com uma grande carga semântica embutida entre suas pedras.

com uma grande carga semântica embutida entre suas pedras. O Muro e a arte No bairro
com uma grande carga semântica embutida entre suas pedras. O Muro e a arte No bairro

O Muro e a arte

carga semântica embutida entre suas pedras. O Muro e a arte No bairro da Trindade, em

No bairro da Trindade, em Florianópolis artistas plásticos criaram obras de arte em alguns muros através do Projeto Trindarte, que tem como objetivo levar a arte aos bairros.

Trindarte , que tem como objetivo levar a arte aos bairros. Os muros têm uma outra

Os muros têm uma outra função que é a de suporte para a arte de rua. Grafiteiros de todo o mundo expressam sua arte nos muros das cidades.

função que é a de suporte para a arte de rua. Grafiteiros de todo o mundo

Existem também muros que têm como sua função primordial a arte. São muros simbólicos e que fazem parte de memoriais, como o Muro da Paz, situado em Paris, e o Memorial aos Desaparecidos, de Montevidéu, para citar dois exemplos. www.wallforpeace.com

, de Montevidéu, para citar dois exemplos. www.wallforpeace.com M u r o d a P a
, de Montevidéu, para citar dois exemplos. www.wallforpeace.com M u r o d a P a
, de Montevidéu, para citar dois exemplos. www.wallforpeace.com M u r o d a P a

Muro da Paz

, de Montevidéu, para citar dois exemplos. www.wallforpeace.com M u r o d a P a

Memorial aos Desaparecidos

Ainda em Montevidéu, o Memorial ao Holocausto do Povo Judeu é outro muro desempenha uma função dupla, a de monumento e a de muro de contenção.

ao Holocausto do Povo Judeu é outro muro desempenha uma função dupla, a de monumento e
ao Holocausto do Povo Judeu é outro muro desempenha uma função dupla, a de monumento e
ao Holocausto do Povo Judeu é outro muro desempenha uma função dupla, a de monumento e
Jardim Imperial de Kyoto O Jardim Imperial de Kyoto é a área cercada por muros
Jardim Imperial de Kyoto
O Jardim Imperial de Kyoto é a área
cercada por muros tipo "tsuijihei" ,
que é um muro provido de telhado.
Hoje há muitas casas em que há esse tipo de
muro com telha.

Barroco Os arquitetos deixam de lado a simplicidade e racionalidade e insistem nos efeitos decorativos, pois "no Barroco todo muro se ondula e dobra para criar um novo espaço".

TÉCNICAS CONSTRUTIVAS

Duas maneiras de fazer o muro:

1. A fundação direta do tipo sapata corrida é indicada para locais onde o solo firme

está a cerca de 40 cm de profundidade. Executa-se uma espécie de T invertido, de concreto e ferro. Nesta base, apóiam-se os pilaretes em que a alvenaria ficará presa.

2. Se o solo consistente estiver mais fundo, perfura-se o terreno até atingi-lo e

instalam-se brocas. Os orifícios são cavados manualmente e preenchidos de concreto e ferro. Sobre estas estacas, faz-se uma viga baldrame, de onde partem os pilaretes. Nos dois casos, é necessária uma ligação da alvenaria com os pilares no alto do muro (dependendo do peso, a meia altura também). “Pode ser uma cinta, um tipo de viga delgada”, ensina o engenheiro Yopanan Pereira Rebello, de São Paulo, SP.

Outras maneiras: Os muros podem ser feitos com: - blocos de concreto; - placas de

Outras maneiras:

Os muros podem ser feitos com:

- blocos de concreto;

- placas de concreto;

- solo-cimento;

- concreto armado.

Os blocos de concreto são os mais usados. As placas permitem execução rápida e simples. O solo-cimento tem a vantagem do baixo custo. Já o concreto armado é recomendável em caso de necessidade de um muro mais resistente.

Muros de blocos de concreto Em geral, esses muros são feitos com

com blocos de 10cm de largura. Ambos são assentados sobre fundações. Quando

o terreno permitir o uso de uma fundação do tipo baldrame, ela pode ser feita com blocos de concreto, do tipo "canaleta" (bloco canaleta), de 20cm de largura.

A construção de muros de blocos de concreto começa pela abertura da vala de

fundação. A profundidade da vala depende da altura do muro.

blocos de 15cm de largura e as divisórias

ALTURA DO MURO

PROFUNDIDADE DO MURO

até 1m

20cm

até 1,5m

30cm

até 2m

40cm

até 2,5m

50cm

A vala deve ter pelo menos 30cm de largura. O seu fundo deve ser compactado e

receber uma camada de concreto magro de 5cm, sobre a qual se assentarão os blocos de concreto da fundação. Cada fiada de bloco da fundação deve ser preenchida com concreto.

A fiada inicial deve ser armada com 2 vergalhões de 6mm de bitola.

Os blocos de concreto têm 40cm de comprimento. A cada 7 blocos, ou seja, a cada

2,8m, deve ser deixado um espaço de 20cm para fazer um pilarete de concreto

armado, para o travamento do muro.

Os pilaretes são concretados depois de erguidos os diversos trechos do muro. Para isso, basta colocar a armadura na posição e fechar com 2 tábuas (uma de cada lado) o espaço livre de 20cm deixado entre dois trechos do muro. Essas tábuas são amarradas, uma a outra, com arame recozido.Com isso, a fôrma estará pronta. Após a concretagem, a operação deverá ser repetida nos demais espaços. Se o muro tiver mais de 2m de altura, é preciso fazer uma cinta intermediária a meia altura. Também é conveniente construir uma cinta de amarração no topo do muro. Essa cinta pode ser feita com bloco canaleta (da mesma largura do bloco do muro). Depois de armada com 2 vergalhões de 6mm de bitola, ela deve ser preenchida com concreto. Os muros e divisórias do concreto podem ser revestidos com um simples chapisco de cimento e areia ou com diversos tipos de argamassas, cimentado liso, azulejos ou outros acabamentos.

É muito fácil calcular o consumo de blocos de concreto. Para fazer 1 metro

quadrado de muro ou divisória são necessários 13 blocos. Por exemplo, um muro de 20m de comprimento por 2m de altura (40 metros quadrados) vai consumir 520 blocos (40 metros quadrados X 13 blocos). Os blocos de concretos são facilmente encontrados no mercado, inclusive em lojas de material de construção. Na compra, sempre dê preferência àqueles fabricados de acordo com as Normas Técnicas Brasileiras.

Muros de placas de concreto Os muros e paredes divisórias de placas pré-moldadas de concreto têm a vantagem de economizar material e mão-de-obra.

têm a vantagem de economizar material e mão-de-obra. Os muros e divisórias de placas de concreto

Os muros e divisórias de placas de concreto são compostos por dois tipos de peças pré-moldadas: pilares e placas.

Os pilaretes são fabricados com ranhuras laterais para o encaixe das placas. Eles têm seção quadrada variável conforme a altura do muro.

O comprimento de cada placa não deve passar de 1,45m, e altura não deve ser

superior a 60cm. Em geral, a espessura das placas é de 3cm. Uma placa com 1,45m de comprimento, 60cm de altura e 3cm de espessura pesa aproximadamente 62 kg. A armadura pode ser de vergalhões finos colocados no sentido do comprimento e da altura. Também pode ser usada uma tela soldada pronta. As placas odem ser vazadas, com desenhos de diferentes formatos: círculos, retângulos, arabescos, etc. Usadas em balústres, proporcionam aspecto visual diferenciado e economia de material. Também permitem maior ventilação - uma característica técnica fundamental em

certas criações como a suinocultura, por exemplo.

O primeiro passo para montagem de muros e paredes divisórias com placas pré-

moldadas de concreto é abrir as cavas para os pilaretes, co 60cm de profundidade.

A distAncia entre pilaretes deve correspoder ao comprimento das placas. Depois, o

primeiro pilarete deve ser colocado na respectiva cava, aprumado e fixado com

terra bem

primeira placa e o segundo pilarete. Se o muro tiver mais de uma placa de altura,

o certo é colocar primeiro as placas e só depois o segundo pilarete que também deve ser aprumado e fixado. E assim sucessivamente. Quando o muro ou a divisória estiverem montados, os 10cm restantes da cava são preenchidos com concreto magro.

socada, até 10cm da borda da cava. Em seguida, são colocados a

Muros divisórias maciças de concreto Os muros divisórios maciças de concreto são moldadas no local, com o auxílio de fôrmas. A espessura e a armadura dependem da finalidade de uso e devem ser calculadas caso a caso, por um profissional habilitado ( engenheiro agrícola ou civil, agrônomo ou técnico em edificações).

Produção própria Tanto os blocos de concreto quanto as placas pré-moldadas de concreto podem ser produzidos na propriedade. Vale a pena estudar isso, é vantajoso, em caso de grande consumo desses e de outros pré-moldados na propriedade.

MURO DE SOLO-CIMENTO:

UTILIZADO ATÉ NA MURALHA DA CHINA

MURO DE SOLO-CIMENTO: UTILIZADO ATÉ NA MURALHA DA CHINA A idéia do tijolo solo-cimento não é

A idéia do tijolo solo-cimento não é novidade e já foi empregada na construção da Muralha da China, há mais de 4 milênios. De lá para cá, sua utilização sofreu modificações quanto ao uso e formatos, porém em pequena escala, comparado ao processo tradicional de construções. A técnica de construção batizada de solo-cimento é capaz de diminuir o custo de construção de uma casa em até 50%, utilizando o próprio solo e um pouco de cimento nas fundações e na confecção de tijolos. A proporção de cimento varia entre 5 e 10%, dependendo da consistência do solo, logo a massa deve ser corretamente colocada em prensas manuais ou

hidráulicas e compactada. Após serem retirados da prensa, os tijolos devem

permanecer num ambiente úmido, sem vento e sem sol, durante uma semana. As peças são produzidas para serem simplesmente encaixadas uma nas outras, dispensando o uso de argamassa.

A obra leva metade do tempo para ser finalizada em relação à alvenaria

convencional". Segundo um pesquisador, o solo-cimento tem como vantagens adicionais

deixar o local de obra muito mais limpo, pois gera muito pouco entulho. Outro fator que torna o tijolo barato é a economia de energia na sua produção.

O custo do frete também pode ser eliminado, pois o solo do próprio local da

obra pode ser utilizado na confecção dos tijolos. Uma outra vantagem ainda é que ao contrário dos tijolos de argila queimada, que quando quebram têm que ser jogados fora, os de solo-cimento podem ser moídos e reaproveitados.

A receita do tijolo de solo estabilizado é simples: mistura-se solo, água e

uma pitada de cimento e leva-se a massa para uma prensa. Depois de sete dias protegido do sol, está pronto. Há pelo menos dez mil anos o homem utiliza o solo como material de construção. Como evidência destas técnicas, utilizadas intensivamente pelos gregos e difundidas pelos romanos, temos como vestígios edificações que estão de pé até hoje desafiando o tempo após milhares de anos

MUROS DE CONTENÇÃO/TÉCNICAS

Os muros de arrimo ou de gravidade são obras de contenção que tem a finalidade de estabelecer o equilíbrio da encosta através de seu peso próprio, suportando os empuxos do maciço. O atrito de sua base contra o solo deve ser suficiente para assegurar a estabilidade da obra e sua geometria trapezoidal destina-se a evitar o tombamento por rotação em torno da aresta externa da base.

São indicados em situações de solicitações reduzidas já que, para atender a esforços elevados, passam a demandar maior espaço para a implantação da base e podem-se tornar economicamente inviáveis, pelo alto custo de sua execução. Exigem projetos específicos e, em função da complexidade de cada situação, poderão demandar a execução de estudos geotécnicos necessários à escolha e ao correto detalhamento da solução. Em boas condições de fundação, podem-se utilizar muros rígidos (pedra rachão, concreto e outros tipos). Se a fundação pode deformar, é recomendável o uso de muros flexíveis, como gabião.

Cuidados a serem tomados ao fazer um muro de arrimo:

A construção de um muro de arrimo ou muro de contenção deve ser orientado, caso a caso, por um profissional habilitado porque vai depender de vários fatores tais como: capacidade de suporte do solo de fundação, altura do muro, cargas atuantes, localização, etc, o que torna impossível ter-se um projeto padrão. Algumas orientações todavia podem ser dadas:

1º) Fazer um desenho do local a ser construído o muro, em planta e em corte. No caso de muros de grande porte (altura superior a 2m) deverá ser feito um levantamento topográfico. 2º) Verificar a presença de águas e esgotos superficiais a céu aberto ou canalizados. Fazer uma planta indicando a posição destas interferências. 3º) Verificar através de furos de sondagens feitos com cavadeiras ou pá e picareta, a qualidade do solo, particularmente o da fundação e profundidade do nível da água. NOTA: As sondagens devem prosseguir até no mínimo 1,50m abaixo do nível da fundação do muro. 4º) Verificar qual o material adequado disponível na região para a execução do muro (concreto armado, gabiões, solo cimento ensacado, blocos estruturados de concreto, etc). 5º) Verificar qual o tipo de drenagem profunda a ser utilizada e prever sua execução no projeto, bem como a posição dos barbacãs (tubos de saídas de água que atravessam o muro de arrimo) se necessário.

Maciço terreso muro barbacãs fundação
Maciço terreso
muro
barbacãs
fundação
O muro de arrimo é a solução mais comum para segurar um barranco.A função do

O muro de arrimo é a solução mais comum para segurar um barranco.A função do muro de arrimo é substituir a terra que foi removida para a feitura de um platô (uma parte plana) Barrancos de até 2 metros de altura podem ser contidos com um muro de arrimo feito de alvenaria. Barrancos com mais de 2 metros de altura devem ser contidos com um muro de arrimo feito de concreto armado.Neste caso, contratar um Engenheiro Civil, um Geotécnico ou um Técnico de Edificações para fazer o Projeto do Muro. Algumas regras práticas:

1 - O barranco, formado pelo terreno

1

- O barranco, formado pelo terreno

natural, foi formado há muito milhares de anos. Nesse período a terra foi se acomodando e o talude foi se estabilizando.

2 - Nesse barranco, você pretende

2

- Nesse barranco, você pretende

construir um platô (uma parte plana) para poder construir a sua casa. A parte desenhada em cor laranja seria a parte que você pretende remover.

3 - Quando você retira uma parte do

3

- Quando você retira uma parte do

terreno, a parte que fica tem um alívio

de pressão e quer se soltar ou desbarrancar.

4 - Essa tendência a desbarrancar existe porque aquela parte que foi retirada exercia uma

4 - Essa tendência a desbarrancar existe porque aquela parte que foi retirada exercia uma certa pressão sobre aquela parte que ficou.

5 - O muro de arrimo precisa exercer, sobre a parte que ficou, uma pressão

5 - O muro de arrimo precisa exercer, sobre a parte que ficou, uma pressão pelo menos igual àquela que a parte removida exercia antes de ser removida.

Detalhes do muro:

removida exercia antes de ser removida. Detalhes do muro: Todo mudo de arrimo, para funcionar direito,

Todo mudo de arrimo, para funcionar direito, precisa que seja construído entre ele e o terreno, um FILTRO. O filtro tem como função aliviar a pressão neutra (a pressão da água) sobre o muro.Sem o filtro, a água existente dentro do terreno tende a derrubar o muro.Com o filtro, a água é drenada e o muro fica livre da pressão da água.

MURO DE SOLO CIMENTO ENSACADO:

Erroneamente conhecida como Rip-Rap (um tipo de enrocamento usado em barragens), esta é uma técnica
Erroneamente conhecida como Rip-Rap (um tipo de enrocamento usado em barragens), esta é uma técnica

Erroneamente conhecida como Rip-Rap (um tipo de enrocamento usado em barragens), esta é uma técnica alternativa para contenção de encostas que utiliza sacos de solo estabilizado com cimento.Este tipo de muro apresenta como vantagens o seu baixo custo e o fato de não requerer mão-de-obra ou equipamentos especializados. A sua utilização é recomendável para alturas máximas de 4 a 5 metros, e pode ser aplicado em áreas arenosas sujeitas a erosão acentuada, prestando-se para recomposição do relevo afetado voçorocas ou outras formas erosivas menos severas. Antes de se optar pela utilização do solo cimento, deve-se verificar o tipo de solo do local e a ocorrência, nas proximidades de jazidas de material adequado a essa técnica.Em principio, qualquer solo pode ser estabilizado com cimento. No entanto os solos que contenham de 50% a 90% de areia produzem um solo-cimento mais econômico e durável. Os solos finos(argila) apresentam alguns inconvenientes, tais como dificuldade na pulverização e maior consumo de cimento. Nesses casos recomenda-se a mistura do solo argiloso com solos arenosos, em proporções capazes de produzir uma composição que atenda aos requisitos de economia, durabilidade e resistência mecânica. Os solos escuros, com matéria orgânica, mostram grande retardo nas reações de hidratação do cimento, o que reduz gradualmente a estabilidade do solo-cimento resultante, não devendo ser utilizados na mistura.

MURO DE PEDRA SECA (SEM REJUNTE) Canaleta de topo Camada de transição (Areia) Geotêxtil É

MURO DE PEDRA SECA (SEM REJUNTE)

Canaleta de topo Camada de transição (Areia) Geotêxtil
Canaleta de topo
Camada de
transição
(Areia)
Geotêxtil

É o tipo mais simples de arrimo, formado pelo arranjo manual de pedras rachão, cuja resistência resulta unicamente do imbricamento dessas pedras e funciona como carga de compensação no pé do talude. Os blocos devem ter dimensões regulares para sua estabilidade, o que resulta num menor atrito entre as pedras.O muro deve ter espessura mínima de 0,6m e não deve ser usado em taludes com mais de 1,5m de altura.É de fácil construção e de baixo custo, por não exigir mão de obra especializada e, particularmente se houver jazidas próximas ao local.Dispensa a drenagem interna (barbacãs) pela sua

capacidade autodrenante, que evita a ocorrencia de pressões de água contra o muro.

A base do muro deve estar apoiada em terreno firme e situar-se abaixo do nível

da base do talude a ser protegido, evitando que o muro venha a ser arrastado pela movimentação desse espaço e sua construção deve estar associada à execução da microdrenagem(canaletas de borda e de pé).

Muro de concreto ciclópico:

Estes muros são recomendáveis para contenção de taludes com altura máxima

entre 4 e 5m. A mão de obra para sua execução exige alguma qualificação devido

a utilização de fôrmas.O concreto ciclópico utilizado na estrutura deve ser

constituído por 70% de concreto estrutural e 30% de pedra rachão granítica, não intemperizada.O concreto, seus componentes, e as formas devem atender as especificações do projeto.

A pedra rachão deve ser limpa e isenta de impurezas, para não prejudicar a sua

aderência ao concreto. Devem ser previstos dispositivos de drenagem constituídos por drenos de areia ou barbacãs, de acordo com o projeto especifico, para alivio da pressão da água na estrutura. O reaterro deve ser executado em camadas com espessuras de 0,20m, compactadas manualmente com cepos ou através de equipamento mecânico leve, de forma a evitar danos na estrutura.

Em taludes mais altos, é aconselhável o uso de contrafortes na estrutura do muro, aumentando sua resistência, sem demandar maiores volumes de concreto.É indispensável a drenagem com barbacãs e drenos para a redução da pressão da água no muro.A microdrenagem superficial também é imprescindível para garantir

a durabilidade e efetividade da obra.

para garantir a durabilidade e efetividade da obra. Neste caso os muros de concreto ciclópico funcionam

Neste caso os muros de concreto ciclópico funcionam como peitoril.

Muro de solo-pneu:

Nos muros de espera ou de arrimo, também poderão ser utilizados pneus descaratados.São obras de

Nos muros de espera ou de arrimo, também poderão ser utilizados pneus descaratados.São obras de fácil construção e de baixo custo, com boa drenabilidade, que utiliza o solo da proporia encosta associado a uma estrutura montado com pneus inservíveis, amarrados uns aos outros, segundo um arranjo estabelecido em função da altura da encosta e das dimensões do muro. Ao final o muro de solo-pneu deve ser recoberto por uma camada de terra para preenchimento dos vazios formados pelo encaixe dos penus, com semeaduras de gramíneas para sua fixação, evitando que peneus expostos possam representar risco de incêndio. O numero de camadas de pneus é função da altura e da inclinação do talude, bem como das condições de estabilidade do muro. Caso o solo utilizado no enchimento do pneus seja argiloso(má drenagem), deve- se colocar barbacãs para a saída de água do dreno de areia ou de brita.

Vantagens dos muros com pneus usados:

Essa técnica apresenta uma vantagem ecológica, por oferecer destino final aos pneus descartados, os quais causam sérios problemas sanitários pela acumulação de água, com proliferação de mosquitos e outros insetos.

Muro de alvenaria de pedra (com rejunte)

Estes muros possuem uma estrutura rígida, com baixa capacidade de deformação, o que exige bom

Estes muros possuem uma estrutura rígida, com baixa capacidade de deformação, o que exige bom terreno de fundação, drenagem eficiente e prevenção contra tendência ao deslizamento. São estruturas economicamente viáveis para alturas de até 3m e em situações em que há disponibilidade de pedras e mão-de-obra com mínima qualificação. A alvenaria deve ser executada com pedras graníticas, não intemperizadas, malhadas e isentas de impurezas ou detritos, com diâmetro médio superior a 0,30m . O assentamento deve ser executado com argamassa de cimento e areia no traço 1:4, e todos os espaços internos da estrutura devem ficar preenchidos com essa massa. A escolha das pedras deve ser feita de tal forma que possibilite um melhor acabamento para a face externa do muro. A superfície do topo do muro deverá ser revestida com uma camada de argamassa, com espessura mínima de 2cm. Devem ser previstos dispositivos de drenagem constituídos por drenos de areia e barbacãs de acordo com o projeto específico, para alívio da pressão da água na estrutura de contenção. O reaterro deve ser executado em camadas com espessuras de 0,20m compactadas manualmente com cepos ou através de equipamento mecânico leve, de forma a evitar danos na estrutura. Os elementos da microdrenagem deverão ser considerados na obra, para evitar descalçamentos e remoção lateral de solos, reduzindo a sua vida útil. Devem ser adotados em taludes com até 3 metros de altura. É indispensável a execução de dreno de areia grossa e barbacãs para reduzir a pressão da água sobre o muro, aumentando a segurança da obra.

Muro de Concreto armado Os muros de concreto armado podem ser de vários tipos e

Muro de Concreto armado

Os muros de concreto armado podem ser de vários tipos e têm como principal vantagem diminuir o volume da estrutura de arrimo, embora tenham como fator limitante o seu custo, bem mais elevado que as demais modalidades de muros de gravidade. A sua estabilidade é garantida pelo peso do retroaterro, que age sobre a laje da base fazendo com que o conjunto muro-aterro funcione como uma estrutura de gravidade. Os muros utilizam fundação direta, porém em casos especiais poderão ter fundações profundas constituídas por estacas ou tubulões, as quais devem atender às especificações do projeto. Devem ser previstos dispositivos de drenagem constituídos por drenos de areia ou geotêxteis e barbacãs, de acordo com o projeto específico, para alívio da pressão da água na estrutura de contenção. Devem ser previstas juntas estruturais, com espaçamento máximo de 20m. O fechamento das aberturas deve ser feito com juntas de neoprene ou material similar. O reaterro deve ser executado em camadas com espessuras de 0,20m, compactadas manualmente com cepos ou através de equipamento mecânico leve, de forma a evitar danos na estrutura. TIPOS DE MURO DE CONCRETO ARMADO:

muro em “T”invertido ou em “L”:

Os muros em “T”invertido ou em “L”são constituídos por uma laje-base enterrada no terreno e uma face vertical. A sua execução é mais simples e é recomendada para alturas acima de 5,00m.

muro com contrafortes Os contrafortes devem ser inclinados de acordo com projeto específico, que leva em consideração os esforços atuantes e faz variar também a espessura dos contrafortes e do paramento frontal.

também a espessura dos contrafortes e do paramento frontal. Estes muros podem ser adotados para quaisquer

Estes muros podem ser adotados para quaisquer tipos de solicitações, desde que o terreno de fundação seja compatível com as tensões atuantes.

Muro de gabião-caixa

Gabiões são gaiolas formadas por redes de aço zincado preenchidas com pedras de mão, com

Gabiões são gaiolas formadas por redes de aço zincado preenchidas com pedras de mão, com pesos unitários de até 15Kg, com tamanhos entre 10cm e 20cm, não intemperizadas. Esse tipo de muro funciona como muro de gravidade e deve ser executado a partir de um projeto executivo específico, desenvolvido para cada tipo de situação, sendo recomendável para alturas de até 5m.

Vantagens dos muros com gabião-caixa:

alta permeabilidade e grande flexibilidade, permitindo construir estruturas monolíticas altamente drenantes e capazes de aceitar deslocamentos e deformações sem se romperem; rapidez de construção, facilidade de mão-de-obra e utilização direta de material natural; integração com a vegetação local.

Os gabiões-caixas são abertos na obra para a armação das peças uma a uma. O enchimento das caixas deve ser manual para reduzir, para cerca de 30 a 35%, o índice de vazios entre as pedras, já que arranjos muito frouxos podem comprometer a estabilidade do muro. As costuras das caixas são feitas, de modo contínuo, em todas as arestas de contato entre os painéis, bem como na união das caixas laterais, nas superiores/inferiores e nos diafragmas.

As caixas deverão ser bem alinhadas, para dar melhor estabilidade do conjunto. Nas caixas com 2m de comprimento em diante são inseridos, durante o processo de fabricação, diafragmas de metro em metro para dar maior robustez às peças, facilitar o enchimento e melhorar o alinhamento da estrutura na hora da sua execução.

Recomendações

O terreno deve ser previamente limpo e nivelado, antes da colocação da primeira

camada de gabiões- caixas.A tela metálica deve ser protegida contra corrosão e depredações.É recomendável o uso de geotêxtil ou areia, na transição entre os gabiões e o material do corte ou aterro

METERIAIS/TIPOS DE MUROS

Muro curvo com grade: o muro de alvenaria semi circular é alternado com grade, possibilitando a visualização da casa, mas dependendo da posição da pessoa que observa, não é possível essa ter uma vista tão clara:

observa, não é possível essa ter uma vista tão clara: A composição da alvenaria e a

A composição da alvenaria e a grade pode ser de várias formas, basta ter um

pouco de criatividade:

No muro abaixo também reservou-se um lugar para vegetação : A parte do muro de

No muro abaixo também reservou-se um lugar para vegetação :

muro abaixo também reservou-se um lugar para vegetação : A parte do muro de alvenaria pode

A parte do muro de alvenaria pode ocupar uma área relativamente grande, em relação a grade e a fachada, dando maior privacidade para determinados locais da casa.

área relativamente grande, em relação a grade e a fachada, dando maior privacidade para determinados locais

A parte do muro que impede visualização da casa é muito usada onde localiza-se a

área de serviço e piscina.

muito usada onde localiza-se a área de serviço e piscina. Outro detalhe interessante de se observar

Outro detalhe interessante de se observar é o uso da cor que pode enfatizar a fachada da casa, podendo ter cores em comum ou não.

a fachada da casa, podendo ter cores em comum ou não. Há vários muros em que

Há vários muros em que são feitos reentrâncias para colocação de vegetação:

são feitos reentrâncias para colocação de vegetação: O muro pode ter alturas diferentes, criando uma composição
são feitos reentrâncias para colocação de vegetação: O muro pode ter alturas diferentes, criando uma composição

O muro pode ter alturas diferentes, criando uma composição diferente.É sempre

importante observar as relações de cor com a fachada:

Pode-se fazer na forma de uma escadinha em terrenos inclinados.O muro a esquerda tem um

Pode-se fazer na forma de uma escadinha em terrenos inclinados.O muro a esquerda tem um estilo antigo pelo tipo de ornamentação:

inclinados.O muro a esquerda tem um estilo antigo pelo tipo de ornamentação: Para proteger as entradas
inclinados.O muro a esquerda tem um estilo antigo pelo tipo de ornamentação: Para proteger as entradas

Para proteger as entradas da chuva:

inclinados.O muro a esquerda tem um estilo antigo pelo tipo de ornamentação: Para proteger as entradas
Muro revestido de pedra: CERCA DE TRONCO DE EUCALIPTO: É uma cerca que demarca uma

Muro revestido de pedra:

Muro revestido de pedra: CERCA DE TRONCO DE EUCALIPTO: É uma cerca que demarca uma divisão

CERCA DE TRONCO DE EUCALIPTO:

É uma cerca que demarca uma divisão do espaço sem impedir a visibilidade

de pedra: CERCA DE TRONCO DE EUCALIPTO: É uma cerca que demarca uma divisão do espaço

COMPOSIÇÕES COM TIJOLOS APARENTES

Muro com alvenaria de tijolos aparentes vermelhos. Nas colunas, a junta de amarração simples com tijolos inteiros. No rodapé e na moldura superior, a junta a prumo na vertical. E, no centro, espaços vazados obtidos com a junta amarração simples.

espaços vazados obtidos com a junta amarração simples. No muro, as plaquetas de revestimento de 22,5x10,5x3,5cm

No muro, as plaquetas de revestimento de 22,5x10,5x3,5cm formam a junta espinha de peixe. Já nas pingadeiras e nas coluninhas, utilizou-se a cabeça do tijolo na vertical.

nas coluninhas, utilizou-se a cabeça do tijolo na vertical. A mistura das juntas a prumo vertical

A mistura das juntas a prumo vertical e horizontal, junto com os sulcos e recortes em ângulo, dão movimento ao muro, revestido com tijolo na cor palha.

MURO COM PEDRA MADEIRA VERMELHA: MURO DE ALVENARIA COM DETALHES DE PEDRA MADEIRA AMARELA Muro

MURO COM PEDRA MADEIRA VERMELHA:

MURO COM PEDRA MADEIRA VERMELHA: MURO DE ALVENARIA COM DETALHES DE PEDRA MADEIRA AMARELA Muro Curvo:

MURO DE ALVENARIA COM DETALHES DE PEDRA MADEIRA AMARELA

MURO COM PEDRA MADEIRA VERMELHA: MURO DE ALVENARIA COM DETALHES DE PEDRA MADEIRA AMARELA Muro Curvo:

Muro Curvo:

O muro deve ser um elemento que esteja em concordância com a casa. Dentro de um programa básico para residências de médio porte, a casa abaixo diferencia-se em seu aspecto formal. Um volume lateral, um muro curvo e uma inversão do telhado na garagem revelam uma composição simples, mas de grande impacto visual:

Obs: o muro esconde o varal de roupas.

uma composição simples, mas de grande impacto visual: Obs: o muro esconde o varal de roupas.
uma composição simples, mas de grande impacto visual: Obs: o muro esconde o varal de roupas.
Muro com trepadeira:
Muro com trepadeira:

Esteticamente perfeitas, as crecas vivas representam uma forma bonita

e
e

natural

de isolar áreas, disfarçar paredes, muros e formar uma bonita composição no jardim.

uma forma bonita e natural de isolar áreas, disfarçar paredes, muros e formar uma bonita composição
uma forma bonita e natural de isolar áreas, disfarçar paredes, muros e formar uma bonita composição

O muro de pedras foi “suavizado”com a colocação de alguns quadros de bromélias. “O detalhe é que as placas de xaxim não ficam aparentes, pois estão ‘dentro’do muro”.

O muro pode ser feito de pedras como a pedra xistone.

O muro pode ser feito de pedras como a pedra xistone. Combogos Essa é uma questão

Combogos

muro pode ser feito de pedras como a pedra xistone. Combogos Essa é uma questão que,
muro pode ser feito de pedras como a pedra xistone. Combogos Essa é uma questão que,

Essa é uma questão que, sem dúvida, pode melhorar bastante a circulação de ar no ambiente interno da construção. É uma técnica que já vem sendo bastante praticada no Nordeste.

Os muros fazem parte e são necessários na maioria das construções , mas que além de esconderem a beleza interna dos mesmos, conservam o calor interno do ambiente.

Com a utilização do elemento vazado de parede - o combogó - podemos construir muros das mais diversas formas, permitindo uma exposição parcial da beleza do local, onde for necessário, e o mais importante, permitem a penetração da brisa e da luz.

Os combogós podem assumir uma ampla gama de configurações, suas formas e relevos podem ser baseados em estudos de acordo com a disposição

dos septos e a relação dos cheios e vazios, em função da orientação dos locais onde serão empregados e dos níveis de ventilação e iluminação desejados.

Não podemos deixar de citar o fato dos combogós serem projetados, também, em função da arte e imaginação dos arquitetos e de acordo com o local em que serão dispostos.

Combogé, combogó, combomgó, cobomgó e

palavra é formada pela junção das iniciais dos nomes dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos

cobogó
cobogó

são palavras sinônimas. Esta

dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e
dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e
dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e
dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e
dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e
dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e

pedra-madeira e alvenaria

dos sócios da fábrica que produzia os referidos tijolos cobogó são palavras sinônimas. Esta pedra-madeira e
Concreto vasado Neste muro a pedra foi apenas aplicada sobre a alvenaria, dando a impressão

Concreto vasado

Concreto vasado Neste muro a pedra foi apenas aplicada sobre a alvenaria, dando a impressão de

Neste muro a pedra foi apenas aplicada sobre a alvenaria, dando a impressão de que a mesma faz parte da estrutura

madeira (ipê) trançada em tubos de PVC

parte da estrutura madeira (ipê) trançada em tubos de PVC Neste muro as tiras de madeira

Neste muro as tiras de madeira foram passadas duas a duas para privacidade ao interior. Os tubos de PVC foram preenchidos por concreto e ferragens

blocos de concreto e metal

blocos de concreto e metal Neste muro, placas de alumínio foram parafusadas nos blocos de concreto

Neste muro, placas de alumínio foram parafusadas nos blocos de concreto pelas pontas.

tijolos aparentes e blocos de concreto

pelas pontas. tijolos aparentes e blocos de concreto pedras pedra Miracema Estes blocos de concreto branco

pedras

pelas pontas. tijolos aparentes e blocos de concreto pedras pedra Miracema Estes blocos de concreto branco

pedra Miracema

tijolos aparentes e blocos de concreto pedras pedra Miracema Estes blocos de concreto branco são revestidos

Estes blocos de concreto branco são revestidos por malha metálica foram moldadas na obra e foram chumbadas na parede de blocos cerâmicos.

Neste muro as pedras foram coladas de um lado e de outro e no meio enchido por concreto

Os restos da pedra Miracema que foram utilizados para compor este muro, foram colados sobre a alvenaria com argamassa de cimento e areia

tijolos aparentes e alvenaria

tijolos aparentes e alvenaria estacas pré-moldadas Neste muro os pilares foram feitos e cobertos com tijolo

estacas pré-moldadas

tijolos aparentes e alvenaria estacas pré-moldadas Neste muro os pilares foram feitos e cobertos com tijolo

Neste muro os pilares foram feitos

e cobertos com tijolo aparente

Cada uma das peças de concreto, circulares e ocas foi fixada no alicerce. Uma travessa horizontal moldada no local, travou os componentes. A tinta látex acrílica

foi escolhida para colorir o conjunto

e resistir a sol e chuva.

A maneira que o arquiteto paulista José Cláudio Falchi encontrou para integrar o muro à casa foi repetir o acabamento usado na fachada. “Ergui o muro com tijolos comuns e revesti com os aparentes. No centro, repeti o clapboard de massa de cimento e areia, moldado na obra com sarrafos de madeira.”

cimento e areia, moldado na obra com sarrafos de madeira.” Amparo na curva O desenho sinuoso
cimento e areia, moldado na obra com sarrafos de madeira.” Amparo na curva O desenho sinuoso

Amparo na curva O desenho sinuoso deste muro dispensa pilares de apoio. “Esta forma se sustenta sozinha”, explica o arquiteto paulista Cláudio Lerro Pereira dos Santos. Na construção, ele alternou a posição dos tijolos baianos (uma fiada saliente para fora, outra para dentro), compondo frisos horizontais.

Recortes da rua Neste projeto, as grades e o portão exigiram apoio extra. Assim, o muro ganhou cintas de travamento a 60 cm de altura e no alto. “São formadas por blocos-canaleta cheios de concreto e ferro”, conta o arquiteto paulista Décio Rebouças. O acabamento é de massa texturizada Riscatto Kril, da Usina Fortaleza.

é de massa texturizada Riscatto Kril, da Usina Fortaleza. Sobras de miracema Cedidos gratuitamente pela pedreira,
é de massa texturizada Riscatto Kril, da Usina Fortaleza. Sobras de miracema Cedidos gratuitamente pela pedreira,

Sobras de miracema Cedidos gratuitamente pela pedreira, que forneceu peças inteiras para a construção, os restos do corte das lajotas de miracema foram assentados sobre a alvenaria. A superfície cortada (lisa) dos filetes foi colada no muro com argamassa de cimento e areia. O excesso da mistura serviu como rejuntamento. Projeto de Fernando Zacarias/BZA Construções, de São Paulo, SP.

BIBLIOGRAFIA

Fotos tiradas em Florianópolis e Criciúma.

Sites:

http://www.dw-world.de

http://www.ciadaescola.com.br

www.wallforpeace.com

http://planeta.terra.com.br/educacao/inventabrasil/yccivil.htm

http://www.catep.com.br

http://www.pedrasprudente.hpg.com.br/brutas/amarela.html

http://www.infonet.com.br/cgi-bin/

http://www.macpool.com.br/eucalipto3.html

http://www.banet.com.br/construcoes/uso_geral

http://www.pedrasprudente.hpg.com.br/brutas/vermelha.html

http://www.ruralnews.com.br/

http://www.ctc.org.br/Artigos/TijolosBlocos.PDF.

http://www.rekishikaido.gr.jp/time-trip/gengo/por/kyoto.htm

http://www.di.ufpe.br/~if291/galeria/cyberarq/etapas.htm

http://carlota.cesar.org.br/arqbr/newstorm.notitia.apresentacao.ServletDeSecao?c

odigoDaSecao=160&dataDoJornal=atual

http://www.jardimdeflores.com.br/JARDINAGEM/A23cercasviva.htm

http://www.geocities.com/prince_alex_paris/2/Barrocoeuropeu.htm

http://www.proventionconsortium.org/files/morros/Cap11.pdf.

http://www.ebanataw.com.br/roberto/percolacao/perc10.htm

http://www.abcp.com.br/Faq_dcc/RESP-21.pdf.

http://www.arcoweb.com.br/interiores/interiores56.asp

http://www.ciadaescola.com.br/zoom

http://www.ruralnews.com.br/instalacoes/cercas_portoes_porteiras.htm

http://www.jardimdeflores.com.br/JARDINAGEM/A23cercasviva.htm

http://www.fencesbycountryestate.com/portuguese/pgs-residntl/pgs-res3.htm

http://www.mpz.com.br/murompzII.html

http://www.maccaferri.com.br/

http://www.puc-rio.br/sobrepuc/depto/servicosocial/nees/proj2.html

http://www.blokret.com.br/murosde.htm

http://www.bradstonept.com/ideaD1.asp

CRÉDITOS

Trabalho sobre Muros desenvolvido em:

Universidade Federal de Santa Catarina

Curso: Arquitetura e Urbanismo

Disciplina: ARQ5661- Tecnologia da Edificação 1

Professor: Anderson Claro

Acadêmicas: Jacqueline Werlich

Luiza Almeida Barroso

Patricia Turazzi Luciano

Simone Bottega

Semestre 2004-1

Sugestões e Críticas para Anderson Claro (ander@arq.ufsc.br)

Visite também o

Anderson Claro ( ander@arq.ufsc.br ) Visite também o site de p es q uisas da nossa

site de pesquisas da nossa disciplina