Você está na página 1de 7

Doc.

XIV B
ANO LECTIVO DE 2008/2009
Avaliação de Desempenho (de acordo com o anexo XIV do Despacho 16872/2008)

Avaliação efectuada pelo Presidente do Conselho Executivo


Docentes Avaliadores e Coordenadores de Departamento

Níveis de Desempenho

A. Nível de assiduidade e cumprimento do serviço distribuído


A.1. Serviço lectivo – grau de cumprimento do serviço e dos respectivos objectivos individuais
10 O docente cumpre 100% do seu serviço lectivo.
8 Cumpre de 98% a 99,9% do seu serviço lectivo.
7 Cumpre de 95% a 97,9% do seu serviço lectivo.
6 Cumpre de 90% a 94,9% do seu serviço lectivo.
3 Cumpre menos de 90% do seu serviço lectivo.
A.2 Empenho para a realização da totalidade das aulas previstas
A.2.1 Compensações, permutas, preparação de substituições
10 O docente assegura 100% das aulas previstas, através das compensações e permutas ou preparação das substituições.
8 Assegura de 98% a 99,9% das aulas previstas, através das compensações e permutas ou preparação das substituições.
7 Assegura de 95% a 97,9% das aulas previstas, através das compensações e permutas ou preparação das substituições.
6 Assegura de 90% a 94,9% das aulas previstas, através das compensações e permutas ou preparação das substituições.
3 Assegura menos de 90% das aulas previstas, através das compensações e permutas ou preparação das substituições.
A.3. Apoio às aprendizagens dos alunos - grau de cumprimento do serviço e dos respectivos objectivos individuais
A.3.1. Apoio às aprendizagens dos alunos: Cumprimento do serviço e dos objectivos do apoio educativo ou individual
10 O docente cumpre de 95% a 100% do serviço de apoio à aprendizagem dos alunos e pelo menos 50% dos alunos que cumprem os planos individual ou de recuperação registam progressos.
8 Cumpre de 85% a 94,9% do serviço de apoio à aprendizagem dos alunos e pelo menos 50% dos alunos que cumprem os planos individual ou de recuperação registam progressos.
7 Cumpre de 75% a 84,9% do serviço de apoio à aprendizagem dos alunos e pelo menos 50% dos alunos que cumprem os planos individual ou de recuperação registam progressos.
6 Cumpre de 60% a 74,9% do serviço de apoio à aprendizagem dos alunos e menos de 50% dos alunos que cumprem os planos individual ou de recuperação registam progressos.
3 Cumpre menos de 60% do serviço de apoio à aprendizagem dos alunos e menos de 50% dos alunos que cumprem os planos individual ou de recuperação registam progressos.
Nota (ao ponto A.3.1.): Independentemente da percentagem da assiduidade do docente, sempre que os resultados dos alunos ultrapassarem ou não atingirem a percentagem de progresso estabelecida, o professor será
integrado no nível imediatamente superior ou inferior.
A.4. Serviço não lectivo – grau de cumprimento do serviço e dos respectivos objectivos individuais
A.4.1. Cumprimento do serviço na componente não lectiva
10 O docente formula objectivos para a componente não lectiva que cumpre e tem uma assiduidade de 95 % a 100%.
8 Formula objectivos para a componente não lectiva que cumpre e tem uma assiduidade de 85 % a 94,9%.
7 Formula objectivos para a componente não lectiva que cumpre e tem uma assiduidade de 75% a 84,9%.
6 Formula objectivos para a componente não lectiva que não cumpre e tem uma assiduidade inferior 75%.
3 Não formula objectivos para a componente não lectiva.
Doc. XIV B
B. Melhoria dos resultados escolares dos alunos e redução das taxas de abandono escolar tendo em conta o contexto sócio-educativo.
B.1. Melhoria dos resultados escolares dos aluno – contributo do docente e cumprimento dos respectivos objectivos individuais
B.1.1. Progresso dos resultados escolares dos alunos no ano / disciplina face ao ano lectivo anterior
O docente tem em conta os resultados obtidos no ano / disciplina / curso face ao ano lectivo anterior: compara os resultados, desenvolve estratégias e supera acima de 15% a taxa de sucesso do ano
10 anterior, iguala-a, caso esta tenha sido de 100%, ou atinge este valor.
Tem em conta os resultados obtidos no ano / disciplina / curso face ao ano lectivo anterior: compara os resultados, desenvolve estratégias e supera até 15% a taxa de sucesso do ano anterior excepto
8 quando esta tenha sido de 100%, caso em que se admite uma regressão de até 10%.
Tem em conta os resultados obtidos no ano / disciplina / curso face ao ano lectivo anterior: compara os resultados, desenvolve estratégias e iguala ou supera até 10% a taxa de sucesso do ano
7 anterior, excepto quando esta tenha sido de 100%, caso em que se admite uma regressão de até 10%.
Tem em conta os resultados obtidos no ano / disciplina / curso face ao ano lectivo anterior: compara os resultados, desenvolve estratégias, mas não atinge a taxa de sucesso do ano anterior; ou não
6 tem em conta os referidos resultados, mas iguala ou superou a taxa de sucesso mencionada.
Não tem em conta os resultados obtidos no ano / disciplina / curso face ao ano lectivo anterior: não compara os resultados, não pensa estratégias e apresenta uma taxa de sucesso inferior à obtida no
3 ano transacto.
Nota (ao ponto B.1.1.): Serão analisadas separadamente as turmas de Ensino Básico, dos cursos profissionalizantes e dos cursos para prosseguimento de estudos.

B.1.2. Progresso das aprendizagens dos alunos relativamente à avaliação diagnóstica realizada no início do ano
10 O docente procede à avaliação diagnóstica de acordo com as indicações do departamento e regista um progresso superior a 7,5%.
8 Procede à avaliação diagnóstica de acordo com as indicações do departamento e regista um progresso de 5,1 a 7,5%.
7 Procede à avaliação diagnóstica de acordo com as indicações do departamento e regista um progresso até 5%.
6 Procede à avaliação diagnóstica de acordo com as indicações do departamento, não se verificando qualquer progresso.
3 Não procede à avaliação diagnóstica dos alunos de acordo com as indicações estabelecidas no departamento.
B.1. 3. Evolução dos resultados escolares dos alunos relativamente à evolução média: a) dos resultados dos alunos do ano de escolaridade ou da disciplina na escola; b) dos
mesmos alunos no conjunto das outras disciplinas da turma.
10 A evolução média de resultados apresenta uma discrepância média até 0,5 valores quer relativamente à disciplina quer ao conjunto das outras disciplinas da turma.
8 A evolução média de resultados apresenta uma discrepância média de 0,6 a 1 valor quer relativamente à disciplina quer ao conjunto das outras disciplinas da turma.
7 A evolução média de resultados apresenta uma discrepância média até 1 valor relativamente à disciplina ou ao conjunto das outras disciplinas da turma.
A evolução média de resultados apresenta uma discrepância média de 1,1 a 2 valores quer relativamente à disciplina quer ao conjunto das outras disciplinas da turma, ou superior a 2 valores num
6 dos conjuntos considerados.
3 A evolução média de resultados apresenta uma discrepância média superior a 2 valores quer relativamente à disciplina quer ao conjunto das outras disciplinas da turma.
B.1.4. Classificações nas provas de avaliação externa e respectiva diferença relativamente às classificações internas (a considerar apenas quando se realizam mais de 5 exames na disciplina,
tendo em conta apenas a classificação interna do ano terminal)
10 Regista, nas provas de avaliação externa dos seus alunos, uma discrepância média até 0,5 valores relativamente à média da classificação interna.
8 Regista, nas provas de avaliação externa dos seus alunos, uma discrepância média de 0,6 a 1,5 valores relativamente à média da classificação interna.
7 Regista, nas provas de avaliação externa dos seus alunos, uma discrepância média de 1,6 a 3 valores relativamente à média da classificação interna.
6 Regista, nas provas de avaliação externa dos seus alunos, uma discrepância média de 3,1 a 5 valores relativamente à média da classificação interna.
3 Regista, nas provas de avaliação externa dos seus alunos, uma discrepância média superior a 5 valores relativamente à média da classificação interna.
B.2. Redução do abandono escolar – contributo do docente e cumprimento dos respectivos objectivos individuais
B.2.1. Contributo do docente para a redução do abandono escolar tendo em conta os elementos fornecidos pela ficha de auto-avaliação
B.2.1.1. Empenho, participação e contributo para a definição e concretização de estratégias para a prevenção e redução do abandono escolar
10 O docente traça um plano de intervenção, cumpre-o e não se regista abandono escolar.
8 O docente traça um plano de intervenção, cumpre-o mas ocorre abandono, embora inferior à meta estabelecida pela escola.
7 O docente traça um plano de intervenção, cumpre-o, mas ocorre abandono superior à meta estabelecida pela escola.
6 O docente não traça qualquer plano de intervenção, embora desenvolva uma ou mais actividades de prevenção do abandono escolar.
3 O docente não traça qualquer plano de intervenção com o intuito de reduzir o abandono escolar.
Doc. XIV B
C. Participação na vida da escola
C.1. Participação nos projectos e actividades previstas no Projecto Educativo, no Plano Anual de Actividades e no(s) Plano(s) Curricular(es) de turma
C.1.1. Avaliação do nível de participação e dinamização de projectos e do cumprimento dos objectivos individuais
C.1.1.1. Empenhamento e qualidade da participação do docente
10 O docente apresenta e desenvolve na totalidade projectos ou actividades no âmbito do PE e do PAAE, cujo mérito foi reconhecido social ou institucionalmente.
8 O docente apresenta projectos ou actividades no âmbito do PE e do PAAE, que desenvolve na totalidade, cumprindo os objectivos individuais definidos.
O docente apresenta projectos ou actividades no âmbito do PE e do PAAE, de acordo com os objectivos individuais definidos, mas não os concretizou, na totalidade ou por motivos que não lhe
7
possam ser imputados.
6 O docente apresenta projectos ou actividades no âmbito do PE e do PAAE, de acordo com os objectivos individuais definidos, mas não os concretizou.
3 O docente não apresenta qualquer projecto ou actividade no âmbito do PE e do PAAE, nem formula objectivos individuais neste sentido.
C.2. Participação no âmbito de outros projectos e actividades extracurriculares
C.2.1. Avaliação do nível de participação e dinamização de projectos e do cumprimento dos objectivos individuais
C.2.1.1. Empenhamento e qualidade da participação do docente
10 O docente apresenta e desenvolve na totalidade projectos ou actividades extracurriculares, cujo mérito foi reconhecido social ou institucionalmente.
8 O docente apresenta projectos ou actividades extracurriculares no âmbito do PE e do PAAE, que desenvolve na totalidade, cumprindo os objectivos individuais definidos.
O docente apresenta projectos ou actividades extracurriculares no âmbito do PE e do PAAE, de acordo com os objectivos individuais definidos, mas não os concretizou, na totalidade ou por
7
motivos que não lhe possam ser imputados.
6 O docente apresenta projectos ou actividades extracurriculares no âmbito do PE e do PAAE, de acordo com os objectivos individuais definidos, mas não os concretizou.
3 O docente não apresenta qualquer projecto ou actividade no âmbito do PE e do PAAE, nem formula objectivos individuais neste sentido.
Nota: É entendimento da comissão que:
a) em C1 serão consideradas as actividades propostas em articulação com o programa da disciplina, integradas na sua planificação anual;
b) em C2 serão consideradas todas as actividades que, articuladas com o P.E., não sejam propostas no sentido de desenvolver conteúdos programáticos da disciplina.

C.3. Participação nas estruturas de orientação


C.3.1. Avaliação da participação nas estruturas de orientação educativa e nos órgãos de gestão e do cumprimento dos objectivos individuais
C.3.1.1. Empenhamento e qualidade da participação do docente nas estruturas de orientação educativa e nos órgãos de gestão
10 Cumpre com excepcional empenhamento e qualidade de participação o(s) cargo(s) para que foi nomeado.
8 Cumpre muito bem, com empenhamento e qualidade de participação o(s) cargo(s) para que foi nomeado.
7 Cumpre com empenhamento e qualidade de participação o(s) cargo(s) para que foi nomeado.
6 Revela pouco empenhamento e fraca qualidade no cumprimento do(s) cargo(s) para que foi nomeado.
3 Não revela empenhamento ou qualidade no cumprimento do(s) cargo(s) para que foi nomeado.
C.3.1.2. Empenhamento e qualidade da participação do docente em outros cargos ou funções de natureza pedagógica
10 Cumpre com excepcional empenhamento e qualidade de participação o(s) cargo(s) para que foi nomeado.
8 Cumpre muito bem, com empenhamento e qualidade de participação o(s) cargo(s) para que foi nomeado.
7 Cumpre com empenhamento e qualidade de participação o(s) cargo(s) para que foi nomeado.
6 Revela pouco empenhamento e fraca qualidade no cumprimento do(s) cargo(s) para que foi nomeado.
3 Não revela empenhamento ou qualidade no cumprimento do(s) cargo(s) para que foi nomeado.
Doc. XIV B
C.4. Participação e dinamização de projectos de investigação, desenvolvimento e inovação educativa
C.4.1. Avaliação da participação e dinamização de projectos de investigação e inovação educativa e do cumprimento dos objectivos individuais
C.4.1.1. Empenhamento e qualidade da participação do docente em projectos de investigação, desenvolvimento e inovação educativa (só para quem desenvolve este tipo de actividades)
A participação do docente em projectos de investigação, desenvolvimento e inovação educativa está documentada, é relevante e avaliada favoravelmente por entidades de reconhecido mérito, e
10
reverte em favor da escola.
8 A participação do docente em projectos de investigação, desenvolvimento e inovação educativa está documentada, é relevante e avaliada favoravelmente por entidades de reconhecido mérito.
7 Formula objectivos (que cumpre) e / ou aceita participar em projectos de investigação, desenvolvimento e inovação educativa.
6 Formula objectivos individuais neste âmbito, que não cumpre na totalidade.
3 Formula objectivos individuais neste âmbito, a que não dá cumprimento.

D. Participação do docente em acções de formação contínua


D.1. Número de créditos de formação contínua no âmbito das áreas prioritárias definidas pela escola / agrupamento ou nas disciplinas que o docente lecciona
(a multiplicar pela classificação uniformizada de 1 a 10)
10 A multiplicação do número de créditos pela classificação obtida é superior a 20.
8 A multiplicação do número de créditos pela classificação obtida situa-se de 18 a 20.
7 A multiplicação do número de créditos pela classificação obtida situa-se de 16 a 17,9.
6 A multiplicação do número de créditos pela classificação obtida situa-se de 12 a 15,9.
0 A multiplicação do número de créditos pela classificação obtida é inferior a 12.

E. Relação com a comunidade


E. 1. Relação com a comunidade
E. 1.1. Avaliação da relação com a comunidade e do cumprimento dos respectivos objectivos individuais
E.1.1.1. Empenhamento e qualidade da participação do docente no desenvolvimento das relações entre a escola e a comunidade
10 O docente propõe e dinamiza actividades que promovem a relação entre a escola e a comunidade, que são reconhecidas como de excepcional relevância.
8 O docente propõe e dinamiza actividades que promovem a relação entre a escola e a comunidade
7 Participa nas actividades promovidas pela escola na sua relação com o meio ou é receptivo às solicitações provenientes da comunidade.
6 Participa apenas quando solicitado nas actividades promovidas pela escola na sua relação com o meio.
3 O docente não participa nas actividades promovidas pela escola na sua relação com o meio.
E.2. Apreciação dos pais e Encarregados de Educação
E.2.1. Formulação de acordo com o estipulado no regulamento interno da escola
E.2.1.1. A formular pela Escola
10 A apreciação dos pais atinge um valor médio igual ou superior a 9 valores.
8 A apreciação dos pais atinge um valor médio de 8 a 8,9 valores.
7 A apreciação dos pais atinge um valor médio de 6,5 a 7,9 valores.
6 A apreciação dos pais atinge um valor médio de 5 a 6,4 valores.
3 A apreciação dos pais atinge um valor médio inferior a 5 valores.
Doc. XIV B
F. Avaliação dos outros docentes
F.1 Função de avaliador dos outros docentes
F.1.1 Planeamento e organização do trabalho de avaliação dos docentes
Esclarece o processo de avaliação e as dúvidas sobre a aplicação dos instrumentos de registo; estabelece um plano de trabalho com os docentes do departamento; calendariza as actividades a
10 desenvolver; envolve individualmente cada um dos docentes em avaliação, promovendo entre os docentes do departamento o debate para superar dificuldades diagnosticadas, num ambiente de
entreajuda.
Esclarece o processo de avaliação e as dúvidas sobre a aplicação dos instrumentos de registo; estabelece um plano de trabalho com os docentes do departamento; calendariza as actividades a
8
desenvolver, envolvendo individualmente cada um dos docentes em avaliação.
Esclarece o processo de avaliação e as dúvidas sobre a aplicação dos instrumentos de registo; estabelece um plano de trabalho com os docentes do departamento; calendariza as actividades a
7
desenvolver.
6 Não esclarece o processo de avaliação e as dúvidas sobre a aplicação dos instrumentos de registo mas estabelece um plano de trabalho com os docentes do departamento.
3 Não esclarece o processo de avaliação e as dúvidas sobre a aplicação dos instrumentos de registo nem estabelece um plano de trabalho com os docentes do departamento.
F.1.2 Rigor e equidade no processo de avaliação dos docentes
Avalia com base em critérios de rigor técnico, transparência, confidencialidade, participação e respeito; observa, pelo menos, três aulas leccionadas por cada docente, correspondentes a diferentes
10
unidades didácticas; preenche os instrumentos de registo aprovados; clarifica, ao longo do processo, os aspectos a melhorar e / ou desenvolver, fundamentando o seu juízo avaliativo.
Avalia com base em critérios de rigor técnico, transparência, confidencialidade, participação e respeito; observa, pelo menos, três aulas leccionadas por cada docente, correspondentes a diferentes
8
unidades didácticas; preenche os instrumentos de registo aprovados; clarifica, ao longo do processo, os aspectos a melhorar e / ou desenvolver.
Avalia com base em critérios de rigor técnico, transparência, confidencialidade, participação e respeito; observa, pelo menos, três aulas leccionadas por cada docente, correspondentes a diferentes
7
unidades didácticas; preenche os instrumentos de registo aprovados.
Avalia com base em critérios de rigor técnico, transparência, confidencialidade, participação e respeito; observa, pelo menos, três aulas leccionadas por cada docente, correspondentes a diferentes
6
unidades didácticas, mas não preenche os instrumentos de registo aprovados.
3 Não avalia com base em critérios de rigor técnico, transparência, confidencialidade, participação e respeito, pois não cumpre os procedimentos instituídos.
F.1.3 Apreciação da efectiva diferenciação do desempenho dos docentes
Identifica os pontos fortes e fracos no desempenho de cada docente; clarifica com ele estes dados, de modo a promover a sua auto-avaliação e as suas necessidades de formação; tem em conta os
10
contextos profissional (do docente) e sócio-educativo (dos alunos e/ou turma); fundamenta, com base nas verificações efectuadas, a proposta de avaliação apresentada.
Identifica os pontos fortes e fracos no desempenho de cada docente; tem em conta os contextos profissional (do docente) e sócio-educativo (dos alunos e/ou turma); fundamenta, com base nas
8
verificações efectuadas, a proposta de avaliação apresentada.
7 Identifica os pontos fortes e fracos no desempenho de cada docente; fundamenta, com base nas verificações efectuadas, a proposta de avaliação apresentada.
6 Identifica os pontos fortes e fracos no desempenho de cada docente, mas não fundamenta, com base nas verificações efectuadas, a proposta de avaliação apresentada
3 Não fundamenta, com base nas verificações efectuadas, a proposta de avaliação apresentada.
F.1.4 Organização de dispositivos de supervisão / acompanhamento das actividades lectivas dos docentes
Mantém actualizado e à disposição de cada docente um dossiê com todos os registos das observações efectuadas e dos contactos mantidos, de acordo com os procedimentos indicados; elabora,
10 após apreciação conjunta com o docente, um instrumento de reflexão sobre os aspectos observados na aula, com identificação dos pontos fortes e dos aspectos a melhorar; aprofunda as suas
competências de supervisão, realizando a auto-avaliação e promovendo a hetero-avaliação.
Mantém actualizado e à disposição de cada docente um dossiê com todos os registos das observações efectuadas e dos contactos mantidos, de acordo com os procedimentos indicados; elabora,
8
após apreciação conjunta com o docente, um instrumento de reflexão sobre os aspectos observados na aula, com identificação dos pontos fortes e dos aspectos a melhorar.
7 Mantém actualizado e à disposição de cada docente um dossiê com todos os registos das observações efectuadas e dos contactos mantidos, de acordo com os procedimentos indicados.
6 Mantém à disposição de cada docente um dossiê com todos os registos das observações efectuadas e contactos mantidos, que, no entanto, não actualiza com regularidade.
3 Não dispõe de registos das observações e contactos mantidos com os docentes.
F.1.5 Outro a estipular pela escola / agrupamento (Nada foi acrescentado)
Doc. XIV B
G. Coordenação do conselho de docentes ou do departamento curricular
G.1. Funções de coordenação
G.1.1. Coordenação e promoção do trabalho cooperativo (Agrupados todos os subpontos 1.1.)
G.1.1.1. Instituição de mecanismos de articulação, de planeamento e trabalho cooperativo entre os docentes do departamento
Promove reuniões de departamento para a articulação pedagógica nas disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; organiza materiais, em dossiê próprio, respeitantes às diferentes
10 disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; acompanha o planeamento conjunto das actividades (lectivas e não lectivas) pelos docentes que leccionam a mesma disciplina ou área
disciplinar, por ano de escolaridade; analisa os resultados da avaliação em cada período lectivo relativos aos docentes que leccionam a mesma disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade;
incentiva práticas de trabalho cooperativo e a utilização dos recursos disponíveis na escola (biblioteca, plataforma moodle, quadros interactivos e outros que desenvolvam a literacia de informação).
Promove reuniões de departamento para a articulação pedagógica nas disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; organiza materiais, em dossiê próprio, respeitantes às diferentes
8 disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; acompanha o planeamento conjunto das actividades (lectivas e não lectivas) pelos docentes que leccionam a mesma disciplina ou área
disciplinar, por ano de escolaridade; analisa os resultados da avaliação em cada período lectivo relativos aos docentes que leccionam a mesma disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade.
Promove reuniões de departamento para a articulação pedagógica nas disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; organiza materiais, em dossiê próprio, respeitantes às diferentes
7 disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; acompanha o planeamento conjunto das actividades (lectivas e não lectivas) pelos docentes que leccionam a mesma disciplina ou área
disciplinar, por ano de escolaridade.
6 Promove reuniões de departamento para a articulação pedagógica nas disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade, mas não organiza materiais, em dossiê próprio, respeitantes às
diferentes disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade.
3 Não promove reuniões de departamento para a articulação pedagógica nas disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade; não organiza materiais, em dossiê próprio, respeitantes às
diferentes disciplinas ou áreas disciplinares, por ano de escolaridade.
G.1.2. Articulação com as outras estruturas (Agrupados todos os subpontos 1.2.)
G.1.2.1. Articulação com o conselho pedagógico, com o órgão de direcção executiva, com os demais coordenadores de departamento e / ou outros cargos de coordenação da Escola
Apresenta propostas, quando solicitado e ouvido o departamento, aos Conselhos Pedagógico / Executivo (nomeadamente sobre o Projecto Educativo, o Regulamento Interno, os Planos Anual e
Plurianual de Actividades e o Plano de Formação dos Docentes); apresenta os relatórios solicitados pelos Conselhos Pedagógico / Executivo nos prazos estabelecidos; dá cumprimento às deliberações
10 dos Conselhos Pedagógico / Executivo, cumprindo os prazos estabelecidos; colabora com outros coordenadores na concretização de projectos (internos e externos à escola) que favoreçam a integração
de saberes transversais e multidisciplinares; articula com o Coordenador de Directores de Turma orientações para combate ao insucesso e ao abandono escolar; articula com a biblioteca os recursos, de
acordo com os planos a desenvolver.
Apresenta propostas, quando solicitado e ouvido o departamento, aos Conselhos Pedagógico / Executivo (nomeadamente sobre o Projecto Educativo, o Regulamento Interno, os Planos Anual e
8 Plurianual de Actividades e o Plano de Formação dos Docentes); apresenta os relatórios solicitados pelos Conselhos Pedagógico / Executivo nos prazos estabelecidos; dá cumprimento às deliberações
dos Conselhos Pedagógico / Executivo, cumprindo os prazos estabelecidos; articula com a biblioteca os recursos, de acordo com os planos a desenvolver.
Apresenta propostas, quando solicitado e ouvido o departamento, aos Conselhos Pedagógico / Executivo (nomeadamente sobre o Projecto Educativo, o Regulamento Interno, os Planos Anual e
7 Plurianual de Actividades e o Plano de Formação dos Docentes); apresenta os relatórios solicitados pelos Conselhos Pedagógico / Executivo nos prazos estabelecidos; dá cumprimento às
deliberações dos Conselhos Pedagógico / Executivo, cumprindo os prazos estabelecidos.
Apresenta propostas, quando solicitado e ouvido o departamento, aos Conselhos Pedagógico / Executivo (nomeadamente sobre o Projecto Educativo, o Regulamento Interno, os Planos Anual e
6 Plurianual de Actividades e o Plano de Formação dos Docentes); apresenta os relatórios solicitados pelos Conselhos Pedagógico / Executivo nos prazos estabelecidos; dá cumprimento às
deliberações dos Conselhos Pedagógico / Executivo, embora não cumpra os prazos estabelecidos.
Não apresenta propostas, quando solicitado e ouvido o departamento, aos Conselhos Pedagógico / Executivo nos prazos estabelecidos (nomeadamente sobre o Projecto Educativo, o Regulamento
3 Interno, os Planos Anual e Plurianual de Actividades e o Plano de Formação dos Docentes); não apresenta os relatórios solicitados pelos Conselhos Pedagógico / Executivo nos prazos
estabelecidos, e / ou não dá cumprimento às deliberações dos Conselhos Pedagógico / Executivo.
G.1.3. Dinamização e acompanhamento do trabalho dos docentes (Agrupados todos os subpontos 1.3.)
G.1.3.1. Promoção da gestão do currículo, acompanhamento e apoio da actividade individual dos docentes (variedade, quantidade e qualidade de materiais disponibilizados) e inventariação das suas
necessidades de formação
Verifica, em reunião de departamento, no final de cada período lectivo, o cumprimento e a gestão dos programas em cada disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade; faculta modelos
10 comuns, por departamento e / ou disciplina, de planificação e registo de avaliação; disponibiliza, quando solicitado, os materiais necessários à consecução das actividades curriculares e
extracurriculares planificadas; diagnostica necessidades individuais de formação dos docentes do departamento; acompanha a actividade profissional dos docentes do departamento, de modo a
responder a eventuais dificuldades individuais; promove a análise do currículo, de modo a facilitar a sua compreensão, gestão e o cumprimento dos programas.
Verifica, em reunião de departamento, no final de cada período lectivo, o cumprimento e a gestão dos programas em cada disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade; faculta modelos
comuns, por departamento e / ou disciplina, de planificação e registo de avaliação; disponibiliza, quando solicitado, os materiais necessários à consecução das actividades curriculares e
8 extracurriculares planificadas; acompanha a actividade profissional dos docentes do departamento, de modo a responder a eventuais dificuldades individuais; diagnostica necessidades individuais
de formação dos docentes do departamento.
Verifica, em reunião de departamento, no final de cada período lectivo, o cumprimento e a gestão dos programas em cada disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade; faculta modelos
7 comuns, por departamento e / ou disciplina, de planificação e registo de avaliação; disponibiliza, quando solicitado, os materiais necessários à consecução das actividades curriculares e
extracurriculares planificadas; acompanha a actividade profissional dos docentes do departamento, de modo a responder a eventuais dificuldades individuais.
6 Verifica, em reunião de departamento, no final de cada período lectivo, o cumprimento e a gestão dos programas em cada disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade; faculta modelos
Doc. XIV B
comuns, por departamento e / ou disciplina, de planificação e registo de avaliação, mas não disponibiliza, quando solicitado, os materiais necessários à consecução das actividades curriculares e
extracurriculares planificadas.
Não verifica, em reunião de departamento, no final de cada período lectivo, o cumprimento e a gestão dos programas em cada disciplina ou área disciplinar, por ano de escolaridade; não faculta
3 modelos comuns, por departamento e / ou disciplina, de planificação e registo de avaliação; não disponibiliza, quando solicitado, os materiais necessários à consecução das actividades curriculares
e extracurriculares planificadas.
G.1.4. Avaliação e diagnóstico
G.1.4.1. Dinamização da avaliação das actividades planeadas
Verifica o cumprimento das actividades realizadas pelos docentes do departamento; apresenta ao órgão de gestão a respectiva avaliação, dentro dos prazos previstos; promove em departamento a
10 análise da avaliação das actividades realizadas, no sentido de diagnosticar eventuais aspectos a melhorar; coordena a reformulação o plano de actividades do departamento, tendo em conta a
avaliação efectuada.
Verifica o cumprimento das actividades realizadas pelos docentes do departamento; apresenta ao órgão de gestão a respectiva avaliação, dentro dos prazos previstos; promove em departamento a
8
análise da avaliação das actividades realizadas, no sentido de diagnosticar eventuais aspectos a melhorar.
7 Verifica o cumprimento das actividades realizadas pelos docentes do departamento; apresenta ao órgão de gestão a respectiva avaliação, dentro dos prazos estabelecidos.
6 Verifica o cumprimento das actividades realizadas pelos docentes do departamento; não apresenta ao órgão de gestão a respectiva avaliação, dentro dos prazos estabelecidos.
3 Não verifica o cumprimento das actividades realizadas pelos docentes do departamento; não apresenta ao órgão de gestão a respectiva avaliação.
G.1.4.2. Promoção / Implementação de estratégias de diagnóstico de dificuldades dos alunos
Define, em colaboração com os docentes do departamento, estratégias de diagnóstico de dificuldades dos alunos; verifica se os docentes consideraram as dificuldades diagnosticadas na
10 planificação e organização das actividades lectivas; apoia os docentes do departamento na promoção de estratégias de superação das dificuldades diagnosticadas; avalia a adequação das estratégias
definidas na detecção das dificuldades dos alunos, tendo em conta a análise dos resultados.
Define, em colaboração com os docentes do departamento, estratégias de diagnóstico de dificuldades dos alunos; verifica se os docentes consideraram as dificuldades diagnosticadas na
8
planificação e organização das actividades lectivas; apoia os docentes do departamento na promoção de estratégias de superação das dificuldades diagnosticadas.
Define, em colaboração com os docentes do departamento, estratégias de diagnóstico de dificuldades dos alunos; verifica se os docentes consideraram as dificuldades diagnosticadas na
7
planificação e organização das actividades lectivas.
Define, em colaboração com os docentes do departamento, estratégias de diagnóstico de dificuldades dos alunos; não verifica se os docentes consideraram as dificuldades diagnosticadas na
6
planificação e organização das actividades lectivas.
Não define, em colaboração com os docentes do departamento, estratégias de diagnóstico de dificuldades dos alunos; não verifica se os docentes consideraram as dificuldades diagnosticadas na
3
planificação e organização das actividades lectivas.
G.1.4.3. Avaliação das necessidades colectivas de formação científica e pedagógica e sua dinamização
Analisa em departamento as necessidades colectivas de formação dos docentes, de acordo com a avaliação do trabalho desenvolvido; apresenta ao órgão de gestão um plano de formação a integrar
10
no Projecto Educativo; dinamiza oficinas ou círculos de estudos, com os docentes do departamento, conducentes à melhoria do desempenho profissional colectivo.
Analisa em departamento as necessidades colectivas de formação dos docentes, de acordo com a avaliação do trabalho desenvolvido; apresenta ao órgão de gestão um plano de formação a integrar
8
no Projecto Educativo; promove a dinamização de oficinas ou círculos de estudos, com os docentes do departamento, conducentes à melhoria do desempenho profissional colectivo.
Analisa em departamento as necessidades colectivas de formação dos docentes, de acordo com a avaliação do trabalho desenvolvido; apresenta ao órgão de gestão um plano de formação a integrar
7
no Projecto Educativo.
Analisa em departamento as necessidades colectivas de formação dos docentes, de acordo com a avaliação do trabalho desenvolvido; não apresenta ao órgão de gestão um plano de formação a
6
integrar no Projecto Educativo.
3 Não analisa em departamento as necessidades colectivas de formação dos docentes, de acordo com a avaliação do trabalho desenvolvido.
G.1.5. Avaliação pelos outros docentes do departamento
G.1.5.1. Avaliação pelos outros docentes do departamento
10 A apreciação dos outros docentes do departamento atinge um valor médio igual ou superior a 9 valores.
8 A apreciação dos outros docentes do departamento atinge um valor médio de 8 a 8,9 valores.
7 A apreciação dos outros docentes do departamento atinge um valor médio de 6,5 a 7,9 valores.
6 A apreciação dos outros docentes do departamento atinge um valor médio de 5 a 6,4 valores.
3 A apreciação dos outros docentes do departamento atinge um valor médio inferior a 5 valores.