Você está na página 1de 9

A INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

Robert Cohen,

Um dos maiores esforços do jornalismo investigativo norte-


americano resultou em um livro, Milkin the Public (Extorquindo o
Público), de Michael McMenamin e Walter McNamara, escrito em
1980.3 Essa obra de referência foi publicada por Nelson-Hall em
Chicago e agradeço à editora, principalmente a Steven Long, a
permissão de usar as passagens citadas a seguir. Este livro ainda
está em catálogo e pode ser pedido diretamente à editora pelo
telefone 312-930-5903.
Já foi mencionado como doze membros do Subcomitê de
Laticínios do Comitê de Agricultura da Câmara dos Deputados
receberam US$ 711 mil em subornos, chamados de dinheiro do
CAP, diretamente de vários grupos de interesse na área agrícola.
Esses dólares representam simples gotinhas em um balde de leite
se forem comparados ao total pago a indivíduos influentes pela
coalizão do leite. Se você ler o livro de McMenamin, vai chegar à
conclusão de que Watergate foi um crime de invasão de domicílio
de terceiro grau comparado ao maior roubo da história dos Estados
Unidos. Quem foi a vítima? O povo norte-americano, que pagou
bilhões de dólares mais por seu leite em conseqüência do
“marketing brilhante”. Quem eram os conspiradores? Um deles era
Richard Nixon, que recebeu mais de US$ 3 milhões desse lobby
poderoso.

(trecho, pág 232, do livro “Leite: Alimento ou Veneno?”, de Robert Cohen,


Editora Ground, São Paulo, 2005)

-----------------------------

LEITE: ALIMENTO OU VENENO? - ROBERT COHEN – EDITORA


GROUND – 2005

Comprimidos para dor de cabeça, sprays para nariz entupido,


descongestionantes e anti-histamínicos para aliviar sintomas de
alergias enchem as prateleiras das drogarias e farmácias. São
necessários laxativos para aliviar gases intestinais, inchaço, diarréia
e síndrome do intestino irritado causado por intolerância à lactose,
que incomodam ¾ da humanidade.
Sem o consumo de laticínios, talvez não fossem precisos todos
esses antídotos.
Meticulosamente documentado, escrito num estilo informar e cheio
de vida, pontuado de humor irreverente, este livro vai mostrar que o
leite é um perigo real para a sua saúde.
Não se preocupe com o que você vai por nos flocos de cereais. O
autor oferece muitas sugestões para substituir o leite.

ROBERT COHEN estudou psicologia fisiológica e fez


especialização em psicobiologia no Southampton College da
Universidade de Long Island, além de realizar pesquisas científicas
no campo da psiconeuroendocrinologia onde estudou a influência
dos hormônios sobre a química do cérebro e o comportamento
subseqüente dos mamíferos.
Estudou genética, endocrinologia e fez cursos de histologia e
fisiologia dos mamíferos.
Dedicou vários anos de sua vida à pesquisa do material que
constitui a base principal deste livro, documentou a existência de
permanente lobby político que confundiu a opinião que confundiu a
opinião pública omitindo pesquisas que provaram que o leite não é
um bom alimento.

LEITE: ALIMENTO OU VENENO?

Lendo este livro você vai descobrir que o LEITE contribui para a
doença cardíaca e aumenta o risco de câncer de mama, que ele
não é uma boa fonte de cálcio e porquê, e ainda que é uma das
principais causas de alergias, muco, congestão e dor de ouvido nas
crianças, além de muitos outros problemas.
O LEITE contém poderosos hormônios de crescimento
provenientes de vacas tratadas com proteína bovina geneticamente
modificada. Esta realidade é fruto de séria controvérsia trazida à luz
pela engenharia genética, e colocou a indústria de laticínios
americana sob uma investigação rigorosa.
Fruto de exaustiva pesquisa, este livro investiga como foram
usados bilhões de dólares da indústria de laticínios norte-
americanos para influenciar a FDA e o Congresso americano assim
como a comunidade científica e médica, enganando o consumidor
sobre os perigos do LEITE e produtos derivados.
ROBERT COHEN
LEITE: ALIMENTO OU VENENO?

Tradução
Dinah Abreu Azevedo

Supervisão técnica
Joaquim Ambrosio Trebbi Gonçalves

JOAQUIM ABROSIO TREBBI GONÇALVES é medico homeopata,


ortomolecular, especialista em cardiologia, nutrição e medicina
intensiva. É responsável pelos Serviços de Nutrição das equipes de
Oncologia clínica, Radio-oncologia, Oncologia pediátrica e Geriatria
do Hospital da Beneficiência POortuguesa de São Paulo
e-mail: ambtg@terra.com.br

Editora Ground Ltda.


Rua Lacedemônia, 68 – Vila Alexandria
04634-020 – São Paulo – Brasil
Tel: (0xx11) 5031.1500 / Fax: 5031.3462
editora@ground.com.br
www.ground.com.br

-----------------------------------

NOTA
“As toxinas desempenham um fator muito grande na instalação da
obesidade e várias outras enfermidades. Muitas pessoas fazem
dietas e mais dietas, e até se exercitam um pouco fisicamente,
realizando algumas caminhadas, exercícios, etc, mas, por maior o
esforço e a persistência em algumas dietas de emagrecimento, não
conseguem emagrecer. Ás vezes perdem alguns quilos, e logo
depois, recuperam o peso, e até engordam um pouco mais.

Vamos falar sobre “toxinas”. Vivemos em uma sociedade em que os


alimentos industrializados PREDOMINAM. Ir a um supermercado e
comprar somente alimentos naturais, orgânicos, que realmente
fazem bem para a nossa saúde é como fazer uma excelente
mágica, uma atividade quase impossível.

Pois bem, além dos alimentos industrializados, ainda tem os


remédios, os medicamentos sintéticos, fabricados pelos
laboratórios farmacêuticos, que as pessoas usam e muitas vezes
abusam....

Os medicamentos, sejam os de venda livre ou os receitados pelos


médicos, acabam por fazer mal ao nosso organismo, intoxicam o
nosso organismo, enfraquecem o fígado, diminuem o metabolismo
do fígado (por intoxicação e excesso de trabalho...) o fígado fica
“doido” procurando por todas as maneiras eliminar as toxinas dos
medicamentos e dos alimentos industrializados, do leite e de todos
os seus derivados!.....

Então, vamos falar sério, se você está acima do peso, está obeso,
e deseja realmente emagrecer, ter mais prazer em viver, ter uma
vida mais digna e prazerosa, deve começar por eliminar as toxinas
do organismo.

Corte totalmente os alimentos industrializados, corte totalmente o


leite e seus derivados, corte totalmente os produtos à base de
farinhas brancas refinadas, bolachas e biscoitos industiralizados,
refrigerantes, mesmo os diet ou light, evite ao máximo produtos que
contenham nitritos e nitratos (mortadela, salames, presuntos etc),
elimine por completo o uso de medicamentos, tanto os de venda
livre ou receitados pelos médicos (somente faça uso de
medicamentos se for extremamente necessário e assim mesmo
receitados pelo seu médico de confiança, receitados por um
profissional competente), beba água pura, sem cloro e flúor.
Existem no mercado filtros especiais que podem realizar esta
função.

Faça caminhadas diárias – inicie com poucos minutos (o mais


importante, para quem ainda não tem o costume de caminhar, é
formar o “HÁBITO” de caminhar, portanto, no início, não é
importante a quantidade, mas a freqüência do exercício de
caminhar, de movimentar-se. Gradativamente, aumente o tempo de
sua caminhada, até ficar em torno de 50 a 60 minutos. Isto
gradualmente..... nada de pressa.

Tome sol, bastante sol. A luz solar é vida, dá energia, fortalece o


organismo, o sistema imunológico, auxilia no processo de
desintoxicar o organismo. Hidrate-se corretamente. Nunca faça
exercícios físicos, caminhadas, corridas, sem estar devidamente
hidratado, e com água de boa qualidade.
Modifique os seus hábitos alimentares. Consuma de 5 a 7 porções
diárias de verduras e frutas. Coma diariamente cereais integrais.
Carnes magras em pequenas quantidades. Sucos: seja criativo,
faça sucos de apenas suma fruta e/ou combine duas ou mais
frutas, sucos coloridos, com frutas frescas e saudáveis.

Não vacile, procure a orientação de um professor de Educação


física, para que você possa se exercitar com segurança, não pondo
em risco as suas articulações, o seu corpo. Procure orientar-se com
uma nutricionista ou nutrólogo. Estes profissionais estão
preparados para orientar-lhe sobre a melhor maneira de alimentar-
se, sobre como escolher e fazer uso dos melhores alimentos para o
seu corpo. Cada corpo, necessita de um tipo e de uma quantidade
de alimentos, de acordo com o estilo de vida de cada um.

Utilize os recursos do sono-reparador. Uma boa noite de sono é


fundamental para fortalecer e dar vigor ao nosso corpo, para
fortalecer o nosso sistema imunológico, para reequilibrar o nosso
organismo. É importantíssimo dar atenção ao sono-reparador. Ele é
a base, os fundamentos, o alicerce, para se ter uma boa saúde e
qualidade de vida!

Os alimentos, por vários fatores, nem sempre oferecem as


vitaminas e minerais necessários ao nosso organismo. Se possível,
procure os recursos terapêuticos oferecidos pelos profissionais
médicos ortomoleculares, para fazer uso correto e com critério dos
suplementos alimentares, vitaminas, aminoácidos, minerais,
quando necessário. A “Medicina Preventiva”, é a verdadeira
medicina neste novo século, e todos podemos utilizar os seus
recursos, para o bem de nossa saúde e qualidade de vida!

Fique longe de psiquiatras e de psicólogos. Os remédios receitados


pelos psiquiatras prejudicam a saúde, intoxicam o organismo,
prejudicam o metabolismo, arrasam com o sistema nervoso, “
verdadeiramente não fazem bem”, fazem sim, muito mal para a
saúde. Os medicamentos sintéticos são drogas poderosas.... fique
longe disto!

Informe-se! Leia e analise livros, artigos e as várias pesquisas


sobre alimentos, alimentos inteligentes, alimentos nutracêuticos,
nutrição, nutrologia, saúde em geral, terapias naturais, fitoterapia,
acupuntura, homeopatia, medicina complementar, medicina do
exercício, educação física terapêutica, exercícios físicos,
fisioterapia, caminhada, esporte etc, procurando não se deixar levar
pelas propagandas enganosas, pelo “marketing enganoso!”

Boa Saúde!

-----------------------------------

Leite, leite, leite!


Dr. Wilson Rondó Jr.
é especialista em medicina preventiva, nutrólogo e cirurgião
vascular. Mantenha-se informado sobre seu trabalho e sobre os
serviços oferecidos pela W.Rondó Medical Center pelo site
www.drrondo.com

O leite, alimento destinado pela natureza a alimentar os jovens de


cada espécie, é especialmente designado para o rápido cresci-
mento das crianças. Nenhuma espécie de mamíferos consome leite
na idade adulta.
Para quase 25% das pessoas, a intolerância aos laticínios
pode causar reações alérgicas, digestão pobre e o
aparecimento de alteração de mucosa gastrintestinal. O
organismo humano, em geral, não processa facilmente o leite
de vaca, o creme de leite ou o queijo. Temos a tendência de
ingerir em excesso esse tipo de alimento, o que provoca
contínua e cumulativa tensão nos órgãos de excreção e no
sistema venoso.
Mesmo as pessoas que não apresentam sensibilidade aos
laticínios reportam o aumento de energia a paparem de
consumi-los. Por causa da alta taxa de gordura encontrada
nesses alimentos, a diminuição de seu consumo significa
redução proporcional efetiva na perda de peso, assim como a
diminuição da pressão sangüínea e dos níveis de colesterol.
Há dois elementos no leite e seus derivados que devem ser
quebrados por enzimas orgânicas: lactose e caseína.
A lactose é quebrada pela enzima lactase, e a caseína é quebrada
pela enzima renina. Por volta dos 4 anos, a renina passa a não
existir mais no trato digestivo, assim como a lactase numa parcela
da população. Essa é a forma em que a natureza nos mostra o
momento de descontinuarmos certos alimentos.
A caseína é uma proteína do leite que se encontra trezentas vezes
mais no leite de vaca do que no leite humano. Tem a consistência
de cola, promovendo aderência de muco nas membranas celulares,
especialmente no sistema respiratório.
O corpo humano não possui mecanismo digestivo para degradar
a caseína, promovendo o aumento de secreções, muco, irritações e
obstruções do sistema respiratório, o que induz o aparecimento de
asma, bronquites, sinusites, coriza, infecções de ouvido, etc. O leite
e seus derivados são os principais causadores de alergias.
Os indivíduos com intolerância à lactose apresentam
normalmente gases, distenção abdominal, cólicas e diarréia, que
somem poucas semanas após a suspensão do leite e seus
derivados. Cerca de 40% das crianças abaixo de 6 anos
apresentam otite de repetição, associada ao leite de vaca. Há
evidências de que bebês de até 6 meses que bebem leite de vaca
tem incidência aumentada de diabetes Tipo I. De acordo com o
médico Hans Michael Dosch, da Universidade de Toronto, uma das
proteínas do leite é muito parecida com as moléculas da superfície
das células Beta do pâncreas, que produzem insulina. Quando o
sistem imunológico reconhece a proteína do leite como corpo
estranho, ataca-a, e isso causa ataque similar às células Beta,
destruindo sua habilidade de produzir insulina e eventualmente
causando diabetes.
O leite comercial é conhecido como o maior causador de defi-
ciência de ferro em bebês, não sendo aconselhável o uso de leite
de vaca antes do 1 ano de idade. Somando-se a isso, há o risco
dos pesticidas, antibióticos e resíduos hormonais. Quanto mais
gordurosos são o leite e seus derivados, mais se encontram os pes-
ticidas, pois estes têm afinidade pela gordura.

“Ao contrário do que diz a publicidade, os


laticínios não são a melhor fonte de
cálcio.”
Ao contrário do que diz a publicidade, os laticínios não são a melhor
fonte de cálcio. A absorção é pobre por causa da pasteurização, do
processamento, do alto teor de gordura e da relação de dese-
uilíbrio quanto ao consumo de fósforo. Resíduos hormonais e aditi-
vos encontrados nas pastagens do gado influem na incompleta
absorção de cálcio e outros minerais. Em testes realizados com
animais, os bezerros que foram alimentados com o próprio leite ma-
terno, mas primeiramente pasteurizado, não viveram mais do que
seis semanas.

(trecho do livro “Prevenção: A Medicina do Século XXI”, Wilson


Rondó Jr., São Paulo, SP, Editora Gaia, 2000 – páginas 52 e 53).

-----------------

“Prevenção: A Medicina do Século XXI”, A guerra ao


envelhecimento e às doenças; Dr. Wilson Rondó Jr., São Paulo,
Editora Gaia, 2000.

Para adquirir este livro:

Editora Gaia Ltda


(uma divisão da Global Editora e Distribuidora Ltda)
Rua Pirapitingüi, 111-A – Liberdade
CEP 01508-020 – São Paulo – SP
Tel: (11) 3277-7999 – Fax (11) 3277-8141
e-mail: gaia@dialdata.com.br

Livraria Saraiva
http://www.livrariasaraiva.com.br/index.htm

---------------------

Livros recomendados:

“O Leite que ameaça as mulheres”, um documento explosivo: o


consumo de derivados do leite teria uma influência preponderante
sobre os cânceres de mama; Raphaël Nogier, Ícone Editora Ltda,
São Paulo, 1999.

“As Alergias Ocultas nas Doenças da Mama”, Raphaël Nogier,


Organização Andrei Editora Ltda,1998.

“Leite: Alimento ou Veneno?” do pesquisador e cientista Robert


Cohen, Editora Ground, São Paulo, 2005.

“Alimentação que evita o Câncer e outras doenças”,


Dr. Sidney Federmann/ Dra. Miriam Federmann – Editora
Minuano”

“A dieta do doutor Barcellos contra o Câncer” e todas as


alergias, Sonia Hirsch - uma publicação Hirsch & Mauad, Rio de
Janeiro, 2002, www.correcotia.com

---------------------