Você está na página 1de 34

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

V á r i a s C u l t u r a s U
V
á
r
i
a
s
C
u
l
t
u
r
a
s
U
m
a
S ó
V i d a

Projeto Educativo

2011-2013

Provisório

Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida”

Setembro de 2011

Elaborado por:

Ingride Rafacinho Joaquim Pedro Pedroso Sofia Cunha Susana Domingos

1

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Índice

 

pág.

1.

Introdução – O que é e para que serve o Projeto Educativo? …

4

2.

Projeto Educativo Participado …

5

3.

Caracterização da Instituição

3.1

Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela …

7

3.1.1

Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida” …

8

3.1.1.1 OTL …

10

3.1.1.2 Ludoteca …

10

3.1.1.3 Projeto “Nun'Alvares a Mudar” …

10

3.1.1.4 Animação de pátios – Escola Básica Nº1 Arrentela …

11

3.1.1.5 Gabinete Antibullying …

11

3.1.1.6 Acolhimento de estágios profissionais …

11

4.

Caracterização do meio envolvente …

12

5.

Recursos

5.1 Recursos Humanos …

15

5.2 Recursos Materiais …

15

6.

Objetivos

6.1 Objetivos Institucionais …

17

6.2 Objetivos Pedagógicos …

17

7.

Planificação da Ação Educativa

7.1 Extensão do Projeto …

19

7.2 Fundamentação …

19

7.2.1 OTL – Ocupação de Tempos Livres …

20

7.2.2 Ludoteca …

21

2

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

7.2.3 Outros Projetos de Educação/Animação …

22

8. Avaliação …

24

9. Bibliografia …

25

10. Anexos A - Regulamentos Internos …

26

3

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

1. Introdução – O que é e para que serve o Projecto Educativo

Antes do inicio da estruturação do nosso Projeto Educativo, questionámo-nos sobre a hipótese de um projeto comum com o Jardim de Infância “O Pica-pau”, que é também valência do Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela. Rapidamente abandonámos essa ideia, uma vez que a realidade de uma e outra valências, são completamente distintas, essencialmente porque estão inseridas em contextos sociais diferentes, o que forçosamente origina respostas diferentes. O Projeto Educativo de uma instituição, é em linhas gerais o documento de compromisso institucional e de orientação da sua ação educativa. Por outro lado, pretende fazer a ponte entre a política educativa do nível nacional, para o nível local, tendo em conta as necessidades dos públicos alvo e dos recursos existentes. O Projeto Educativo deverá também expressar as opções estratégicas da instituição no domínio Educativo. Poder-se-á afirmar que o Projeto Educativo de uma determinada instituição, será uma parte constituinte da sua “personalidade”, e poderá ser a forma como a instituição se afirma perante uma comunidade.

4

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

2. Projeto Educativo Participado

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Após a decisão de formulação de um projeto educativo autónomo, os responsáveis pelo OTL, pela Ludoteca e a Coordenação do Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida”, decidiram compor um Projeto Educativo Participado. A nossa estratégia foi desde o inicio chamar à concretização do projeto o maior numero possível de intervenientes. As equipas que trabalham diretamente com as crianças foram os primeiros a participar e acabaram por ser os principais construtores do projeto. Numa primeira fase, foi apresentada a toda a equipa a ideia de concretização do projeto, num modelo participado. Fez-se um levantamento de expectativas e potencialidades junto dos técnicos, no sentido de se perceber quais seriam os eixos a dar ênfase no projeto. Nesse primeiro momento, os técnicos apontaram a Arte, a Educação para a Cidadania, os Pais/Família, o Conhecimento do Mundo, a Projeção do Futuro, Educação para a Saúde, a Comunidade e a Ecologia, como os principais eventuais temas a ter em conta na elaboração do projeto. Num segundo tempo, pedimos aos Encarregados de Educação das crianças do OTL, que também sugerissem temas a ser tratados no projeto. Foram sugeridas, as Profissões, os Sentimentos e Emoções, o Desporto e os Direitos e Deveres. Depois pontuaram todos os temas. Os mais votados foram os Pais/Famílias com oito pontos e o Conhecimento do Mundo com sete pontos. Seguidamente ouvimos as crianças. Na OTL, depois de explicarmos o que estávamos a fazer e antes de apresentarmos as propostas dos técnicos e pais, pedimos-lhes que sugerissem temas. Algumas das propostas foram repetidas, outras eram novidades: a Arte; a Culinária; a Saúde; Viajar, que propusemos que fosse agrupado ao tema Conhecimento do Mundo; o Ambiente; os Animais; a Saúde; ajudar o bairro/as pessoas, que remetemos para o tema da Comunidade; Ajudar a Ajuda/a Entreajuda, que transformámos no tema Entreajuda/Cooperação; e os Animais. Quando foram chamados a pontuar os temas escolhidos, o grupo escolheu em primeiro lugar a Família com três pontos e com dois votos a Arte, a Saúde, o Desporto e a Reciclagem.

5

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Com as crianças da Ludoteca construímos um quadro usando imagens sugestivas para cada tema, falando um pouco de cada tema, os resultados foram: Educação para a Saúde, que neste caso simplificámos o nome do tema para “Saúde”, 2 votos; Entreajuda/Cooperação traduzido em “Ajuda”, 2 votos; Desporto, 2 votos; Arte, 2 votos; Comunidade, traduzido em “Bairro/Arrentela”, 2 votos; Ecologia, “Ajudar o Planeta”, 2 votos; e os mais votados cada um com 5 votos os Animais e as Famílias. Com os Encarregados de Educação das crianças da Ludoteca, usamos a metodologia do OTL. Os temas sugeridos foram, a Música e a Importância das Profissões. Quando pedimos que pontuassem os temas já sugeridos, votaram da seguinte forma: Sentimentos e Emoções 4 votos; Saúde, Desporto e Arte 2 votos; e os Países do Mundo e Ecologia 1 voto cada. Usámos o mesmo método com a equipa técnica do Centro Comunitário. Os temas sugeridos não fugiram do que tinha sido sugerido anteriormente: a Família; o Conhecimento do Mundo, (sugerido no sentido de alargamento e horizontes); os Sentimentos; e a Comunidade. Como novos temas surgiram as Relações Humanas e os Comportamentos. Na votação o Conhecimento do Mundo foi o mais votado com 6 votos, a Família com 3 votos e o Desporto, a Comunidade, as Profissões, os Sentimentos/Emoções e a Música, com 1 voto cada.

7% 7% 28% 3% Pais/Familia Ecologia Conhecimento do Arte 6% Mundo Música Reciclagem Profissões Animais
7%
7%
28%
3%
Pais/Familia
Ecologia
Conhecimento do
Arte
6%
Mundo
Música
Reciclagem
Profissões
Animais
4%
Sentimentos e
Entreajuda/Cooperação
Emoções
/Comunidade
7%
Educação para a
Saúde
Desporto
20%
6%
7%
1%
3%
Gráfico de pontuações nos temas propostos

6

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

3. Caracterização da Instituição

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

3.1 Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela

O Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela (CPBESA), tem por missão:

… contribuir para a promoção e desenvolvimento das “Respostas Sociais” emergentes das problemáticas sócio-familiares; em parceria com os serviços públicos competentes, e demais entidades com vista à melhor ordenação das vivências em comunidade. (CPBESA, Desdobrável de Apresentação, 2011)

O complemento à família na proteção e Educação de Infância, para cada faixa etária é uma das suas prioridades. No organograma do Centro Paroquial, é possível observar as 3 valências do Centro Paroquial: O Jardim de Infância «O Pica-pau»; o Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»; e o Contrato Local de Desenvolvimento Social «Vida-Emprego».

7

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida» Organograma do Centro Paroquial de Bem Estar Social de

Organograma do Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela

3.1.1 Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Em 1996 o CPBESA, em parceria com o já extinto PAS (Programa Arrentela Saúde e Bem Estar) e com o apoio do Fundo Social Europeu – Programa Integrar e o estado Português, inicia-se

o Projeto «Várias Culturas Uma Só Vida». Em Abril de 1999, este Projeto, constitui-se como como Centro Comunitário, passando a ser uma valência do CPBESA. Nesse primeiro momento o CCVCUSV, tem as suas instalações numa pequena loja na Av. Carlos Oliveira, 50-C na Arrentela, onde desenvolve várias ações: Ação Social; RMG; UNIVA; Apoio Psicológico; Apoio Jurídico; e a Animação Sociocultural. A sua zona de intervenção era nesse momento confinado às áreas da zona da Quinta da Boa Hora e Quinta do Cabral.

8

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Em Abril de 2005, o Centro Comunitário, muda para as atuais instalações na Praceta Gregório Crispim Oliveira na Quinta da Boa Hora - Arrentela, ocupando o R/C de um edifício de habitação. Atualmente, o trabalho desenvolve-se, na área do RSI (Rendimento Social de Inserção), Ação Social e Serviço Educativo: com uma Ludoteca, abrangendo as idades do Pré-escolar; e um OTL, para as idades do 1º e 2º Ciclo Atualmente CCVCUSV é composto pela seguinte equipa de trabalho:

Coordenação Técnica Assistente Social

Equipa RSI (Rendimento Social de Inserção)

1

Assistente Social

1

Técnico de Política Social

2

Psicólogas

8

Ajudantes de Ação Direta

Ação Social

2 Assistentes Sociais

OTL

1

Animador Sociocultural

3

Auxiliares Educativas

Ludoteca

1 Educador de Infância

2 Auxiliares Educativas

A zona de intervenção foi alargada às freguesias de Arrentela e Paio Pires. «Atualmente o número de processos RSI em acompanhamento é de 426» (Domingos,2011, p.2)

9

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

3.1.1.1 OTL – Ocupação de Tempos Livres

No ano letivo 2001-2002, em parceria com o Programa Escolhas, a EB1 Nº2 – Quinta de São João e o CCVCUSV, é criado um espaço de Ocupação de Tempos Livres (OTL), dentro do espaço da escola. Esta parceria mantém-se no ano letivo seguinte, altura em que o CCVCUSV assume unilateralmente a dinamização do OTL nas suas antigas instalações da Av. Carlos Oliveira. Durante o ano letivo de 2004-2005 o CCVCUSV muda para as atuais instalações, ocupando a totalidade de uma das alas do R/C do edifício. No ano letivo de 2010-2011 o ATL, troca de instalações com a Ludoteca, passando a ocupar uma cave térrea do mesmo edifício.

3.1.1.2

Ludoteca

Na génese da Ludoteca do CCVCUSV, está o projeto de animação Ludoteca – Casa do Bairro de 2003. Nessa altura a ideia era ter um posto avançado da Animação, dentro da zona de intervenção, onde os problemas de exclusão social eram mais preocupantes. Alugou-se uma pequena vivenda do IGAPHE na Praceta Pêro Escobar - Quinta do Cabral e iniciou-se o trabalho. Rapidamente percebeu-se que as instalações eram insuficientes para o número de crianças que recorriam à resposta. Então, no ano seguinte, decidiu-se focar o alvo da intervenção na idade do pré-escolar, em virtude de na altura, não haver qualquer resposta a este nível, na zona de intervenção ou nas imediações. Em 2007-2008, por motivos de rentabilização de recursos, a Ludoteca muda-se para a cave térrea do mesmo edifício do Centro Comunitário. No ano letivo de 2010-2011, a Ludoteca troca de instalações com o ATL, passando para o R/C do edifício.

3.1.1.3 Projeto “Nun'Alvares a Mudar”

No ano letivo de 2008-2009, o CLDS - Vida Emprego, inicia este projeto com alunos do 2º e 3º Ciclo da Escola Básica 2/3 de Nun'Alvares. Os objetivos gerais deste projeto, visam a Educação para a Cidadania e a Promoção do Associativismo. O grupo tem-se mantido com alguns elementos desde o inicio, noutros casos a participação tem sido anual.

10

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Diagnóstico exploratório dos problemas da escola, festas de final de período, ações de limpeza da escola, campeonatos, mural da sala do aluno, Gabinete Antibullying, saídas, etc, têm sido algumas das atividades dinamizadas pelo grupo. Este projeto serve em ultima análise de interlocutor entre os alunos e Direção da Escola.

3.1.1.4 Animação de pátios – Escola Básica Nº1 Arrentela

Dando seguimento à parceria entre o Centro Comunitário e o Agrupamento de Escolas de Nun'Alvares, no ano letivo de 2010-2011, iniciou-se este projeto, que tem como objetivo a melhoria do ambiente geral da escola. O projeto fundamenta-se na ideia de que ao promover atividades lúdicas no pátio se possa prevenir alguns comportamentos menos positivos no ambiente geral da escola.

3.1.1.5 Gabinete Antibullying

Este projeto teve inicio no decorrer do ano letivo de 2010-2011, como proposta do grupo “Nun'Alvares a Mudar” à Direção da Escola Nun'Alvares. Na sua essência, este recurso pretende disponibilizar diariamente um espaço, onde os alunos poderão apresentar os seus problemas a este nível e que serão tratados pelos técnicos ou nos casos mais graves, remetidos para a Direção da Escola. Integram o projeto dois Professores, a Equipa do TEIP, e o Animador Sóciocultural do CCVCUSV.

3.1.1.6 Acolhimento de estágios profissionais

Desde o ano letivo de 2008-2009 que o CCVCUSV, tem acolhido tanto no OTL como na Ludoteca, alguns estagiários de cursos profissionais da Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira, da Escola Profissional Bento Jesus Caraça e do Centro de Formação Profissional do Seixal.

11

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

4. Caracterização do meio envolvente

O bairro da Quinta da Boa Hora fica situada na freguesia de Arrentela concelho do Seixal, distrito de Setúbal. É neste local que ficam as instalações do Centro Comunitário. A maioria das crianças do OTL e da Ludoteca, são residentes deste bairro e de um outro a norte deste, a Quinta do Cabral. Estes bairros constituíram no passado, a Zona de Intervenção Prioritária do Centro Comunitário.

, a Zona de Intervenção tem um total de 4890 residentes, 3796 na Quinta da Boa Hora e

1094

na Quinta do Cabral» (CCVCUSV – Caracterização/Diagnóstico, p.10). Estamos na

«população multicultural, predominando as pessoas de origem africana e existindo também um número considerável de origem cigana. (Projeto Educativo 2006, p.3)

presença de uma

Na zona da Quinta da Boa Hora a habitação é predominantemente, própria em prédios. Na Quinta do Cabral existe uma zona de casas térreas e duas zonas de prédios, todas elas de habitação social. Em relação aos recursos, na Quinta do Cabral não existe qualquer instituição de apoio social, nem de saúde, nem de comércio, no entanto a população tem ao seu dispor dois ringues de futebol e a sede do agrupamento de Escolas Nun'Alvares fica situada no limite norte desta zona. Está prevista também a construção de um posto de Policia nesta zona. Na Quinta da Boa Hora existe algum comércio na rua principal, bem como um pequeno parque infantil. Nos limites desta zona ficam situadas duas escolas do mesmo agrupamento, a EB1 de Arrentela e a EB1/JI da Quinta de São João, esta com duas salas de pré escolar e oito de 1º Ciclo. Existe um Complexo Desportivo, pertencente ao Arrentela Futebol Clube e as instalações da Sociedade Filarmónica União Arrentelense, que dispõe de um pequeno auditório, onde funciona para além de outras atividades, uma Escola de Música.

12

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

A nível sócio-económico considera-se que estes dois bairros são socialmente desfavorecidos. Segundo os Censos de 2001 existiam 1567 famílias clássicas. Neste momento existem 99 famílias na mesma zona em acompanhamento de RSI (Rendimento Social de Inserção), o que equivale a 6,31% das famílias em processo de RSI. Por outro lado, estamos numa comunidade multicultural, com a presença de muitas nacionalidades, nomeadamente, muitos emigrantes dos PALOPs, onde se destaca a comunidade Cabo-verdiana, uma forte presença Brasileira, Angolanos, Guineenses, Moçambicanos e um número considerável de pessoas de origem Cigana. Podemos também destacar nesta caracterização, as idades, sendo evidente que a população é bastante jovem. Segundo os dados dos Censos de 2001, «A percentagem de Crianças e Jovens (0 aos 24 anos) é de 40,35%» (CCVCUSV – Caracterização/Diagnóstico, p.32). De realçar que esta taxa ao nível nacional, era de 30,28%. Ao nível da educação pública, como já referimos a cima, temos na zona da Quinta do Cabral, a Escola sede do Agrupamento de Escolas de Nun'Alvares e mais duas escolas básicas pertencentes ao mesmo agrupamento na Quinta da Boa Hora: a EB1 de Arrentela e a EB1/JI Quinta de São João. A sede dá resposta ao Pré-escolar, 1º, 2º e 3º Ciclo de estudos. Segundo os dados gentilmente cedidos pela Direção do Agrupamento, no ano letivo de 2010-2011, o Pré-escolar da EB1/JI Nun’Álvares é composto por 3 salas, dando resposta a 75 crianças, o mesmo acontecendo na EB1/JI Quinta de São João. Nestas duas escolas que estão dentro da zona de ação próxima do CCVCUSV, existem 150 crianças em pré-escolar. Ao nível do 1º Ciclo, a EB1/JI Quinta de São João tem 8 salas: No ano letivo de 2010-2011 eram duas salas de 1º ano, uma de 2º ano, 3 de 3º ano e 3 de 4º ano. Esta escola tinha um total de 250 alunos. A EB1 Arrentela tem um total de 4 salas. No ano letivo de 2010-2011, existia uma sala de cada ano letivo, com 94 alunos. Quanto à EB1/JI Nun'Alvares, existem 3 salas de Pré-escolar, que tinham 25 alunos cada e mais 7 salas de 1º Ciclo. No ano letivo de 2010-2011, existia uma turma de 1º ano, duas de 2º ano, duas de 3º ano e 2 de 4º ano, perfazendo um total de 240 alunos. Na totalidade das 3 escolas de Pré-escolar e 1º ciclo, que dão resposta à nossa zona de influência, existia no ano letivo de 2010-2011 um universo de 584 alunos. De salientar que o 2º e 3º Ciclo da Nun'Alvares estava no ano letivo a que se referem os dados, segundo a Direção deste agrupamento, a dar resposta a um número de alunos superior ao que

13

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

as suas reais possibilidades permitem – 702 alunos. Por outro lado, é importante referir que, pelas características do território onde está inserido, este agrupamento de escolas está abrangido pelo projeto TEIP (Territórios Educativo de Intervenção Prioritário), que lhe possibilita ter recursos humanos para trabalhar alguns problemas educativos e dinamizar determinadas ações que promovem em ultima análise o maior sucesso educativo.

14

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

5. Recursos

5.1 Recursos Humanos

OTL

Um Animador Sóciocultural

Três Auxiliares de Ação Educativa

Ludoteca

Um Educador Infantil

Dois Auxiliares de Ação Educativa

5.2 Recursos Materiais

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

OTL

Sala 1: quatro computadores (três deles com ligação à internet); um armário com livros juvenis; duas mesas e cadeiras

Sala 2: uma televisão; um leitor de DVD; um rádio-leitor de Cds; jogos lúdicos e didáticos; brinquedos; e material de expressão plástica

Sala 3 (refeitório): mesas e cadeiras; um quadro vertical com tripé – ardósia/branco de marcadores

Uma máquina fotográfica

Duas casas de banho

15

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Ludoteca

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Sala 1: Livros infantis; estantes com jogos lúdicos e didáticos

Sala 2: Mesas e cadeiras; material de Expressão plástica

Duas casas de banho

Institucionais

Equipamento de Som (Mesa de mistura, amplificador, um par de colunas, um microfone; um tripé de microfone)

Uma carrinha de nove lugares

Dois carros ligeiros de 5 lugares

Uma fotocopiadora

Um paraquedas pedagógico

Vários Instrumentos musicais

16

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

6. Objetivos

6.1 Objetivos Institucionais

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Complementar a família na proteção e educação da infância, nas respostas competentes, para cada faixa etária;

Responder socialmente a várias situações de desproteção sócio económica, pela resposta de Centro Comunitário;

Atuar em conformidade com o sistema de gestão de qualidade, visando uma melhoria contínua dos processos e serviços prestados, proporcionando condições que remetem para o melhoramento do nível de vida das crianças e famílias;

Fidelizar as famílias e as crianças prestando um serviço de qualidade, indo ao encontro das suas necessidades e garantindo a sua satisfação. (CCVCUSV - Natureza e Objectivos – Regulamentos Internos)

6.2 Objetivos Pedagógicos

Os objetivos específicos para a Ludoteca e a OTL, são definidos nos regulamentos internos do CCVCUSV:

Para alcançar os objetivos de desenvolvimento integral das crianças, a Ludoteca e a OTL

atenderão de modo específico às áreas do desenvolvimento psico-motor, psico-social, cognitivo, comunicação e construção dos códigos formais de aprendizagem da criança. A resposta de Ludoteca tem como objetivos específicos:

a) Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base em experiências de

vida democrática numa perspetiva de educação para a cidadania;

b) Fomentar a inserção da criança em grupos sociais diversos, no respeito pela pluralidade de

culturas, favorecendo uma progressiva consciência como membro da sociedade;

c) Contribuir para a igualdade de oportunidades no acesso à escola e para o sucesso da

aprendizagem;

d) Estimular o desenvolvimento global da criança no respeito pelas suas características

individuais;

e) Desenvolver a expressão e a comunicação através de linguagens múltiplas como meio de

17

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

relação, informação, sensibilização estética e de compreensão do mundo;

f) Despertar na criança curiosidade e o pensamento critico;

g) Proporcionar à criança situações de bem-estar e segurança

h) Proceder à despistagem de inadaptações, deficiências ou precocidades promovendo uma

boa orientação e encaminhamento da criança;

i) Incentivar a participação das famílias no processo educativo da criança e estabelecer

relações de colaboração com a comunidade.

A O.T.L. Tem como objetivos específicos:

a) Permitir a cada criança ou jovem, através da participação na vida em grupo, a oportunidade da sua inserção na comunidade;

b) Contribuir para que cada grupo encontre os seus objetivos, de acordo com necessidades,

aspirações e situações próprias de cada elemento e do seu grupo social, favorecendo a adesão aos fins livremente escolhidos;

c) Criar um ambiente propício ao desenvolvimento pessoal de cada criança ou jovem, de

forma a ser capaz de se expressar num clima de compreensão, respeito e aceitação de cada um;

d) Favorecer a inter-relação família/escola/comunidade/estabelecimento, em ordem a uma

valorização, aproveitamento e rentabilização de todos os recursos do meio.(CCVCUSV - Natureza e

Objectivos – Regulamentos Internos)

18

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

7. Planificação da Ação Educativa

7.1 Extensão do Projeto

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Considera-se que o presente Projeto Educativo terá a validade de dois anos letivos, ou seja, entra em vigor a partir de Setembro de 2011 e termina em Agosto 2013. Optou-se por reduzir o âmbito do Projeto para dois anos, uma vez que a realidade sócio-educativa na zona, altera-se todos os anos.

7.2 Fundamentação

Do levantamento feito junto dos agentes intervenientes no processo educativo do grupo alvo da intervenção, o tema mais pontuado foi o tema Pais/Famílias, com 28% dos votos. Será esse o tema central da intervenção pedagógica da Ludoteca, do OTL e de outros projetos educativos ou de animação que possam ser desenvolvidos. O tema dos Pais/Famílias, deverá ser o impulsionador de algumas ações e atividades a serem desenvolvidas. Para além da política de proximidade com as necessidades da família, que aliás sempre foi uma das componentes trabalhadas no OTL e Ludoteca, agora tentaremos explorar dimensões menos trabalhadas anteriormente: melhorar a comunicação com a família núcleo, no sentido de encontrar melhores respostas educativas concertadas, deverá ser o grande objetivo do trabalho. Deverão ser repensadas todas as estratégias e formas de comunicação, com o objetivo de incrementar e melhorar a nossa relação com as famílias. Este tema tem toda a pertinência, na realidade onde está inserido, uma vez que sentimos um afastamento muito grande das famílias, face ao percurso educativo dos filhos. O tema Pais/Famílias, não deverá ser absorvente de todo o trabalho a desenvolver durante o biénio, o eixo da Educação para a Cidadania é incontornável face aos objetivos do Centro Comunitário e face às necessidades que a população apresenta. De qualquer forma, algumas das atividades e ações deverão trabalhar o tema: por uma lado poderão e deverão ser desenvolvidas atividades sugeridas pelas famílias, com as famílias e para as famílias. Por outro lado, o tema deverá ser tratado pedagógicamente junto dos grupos em que intervimos. Um dos temas sugeridos e pontuado em segundo lugar no levantamento para a escolha do

19

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

tema do presente Projeto Educativo, foi o Conhecimento do Mundo, que deveremos também ter em conta nos nossos planos de atividades. Com o objetivo de melhorar a comunicação com a família e divulgar o nosso trabalho, será criado um sitio eletrónico, onde os utilizadores poderão descarregar este projeto, os projetos das salas, os regulamentos da instituição e onde poderão ter acesso a informações sobre o decorrer das atividades. Servirá também como plataforma para a exposição de trabalhos realizados pelas crianças, artigos sobre educação úteis aos pais e famílias, bem como ligações a outros sítios eletrónicos que possam ser pertinentes para o trabalho a desenvolver. A relação com a comunidade e os seus recursos, jamais deverá ser esquecida e inclusivamente deverá ser incrementada. Neste sentido deveremos criar ações para a comunidade, com a comunidade, ou usufruir e participar sempre que possível nas ações, atividades e eventos realizados na comunidade. Desta forma damos um sinal e um exemplo de participação ativa no processo de mudança. Uma das formas de exercer essa participação e contribuir neste processo, é a nossa intervenção nas escolas da zona envolvente ao Centro Comunitário. Neste sentido o Centro Comunitário continuará a intervir neste âmbito, consolidando o trabalho já desenvolvido e porventura intensificando-o. A ligação próxima já existente num passado recente, entre o Centro Comunitário e o Agrupamento de Escolas Nun'Alvares, revelou-se muito eficaz e sólida, trazendo proveitos para ambas instituições e em ultima análise para a comunidade. Ainda em relação à intervenção com as Escolas, é nosso intuito continuar com a nossa política de acolhimento de Estágios Profissionais ou Académicos, nomeadamente com a Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira, Escola Profissional Bento de Jesus Caraça, ou com o Centro Profissional do Seixal. Esta relação, terá sempre de ser encarada numa ótica pedagógica e para o Centro Comunitário o único objetivo será o da participação no processo educativo dos jovens da nossa população. 7.2.1 O.T.L.

O O.T.L., irá definir um projeto para cada ano letivo do biénio, que será avaliado no final de cada ano. As linhas orientadoras destes projetos deverão ter em conta os objetivos do Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Arrentela e do Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida”. A Educação para a Cidadania deverá continuar a ser o eixo central da intervenção e deverão sempre que possível ser desenvolvidas ações e atividades que trabalhem o tema Pais/Família. A

20

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

elaboração do Projeto, será realizada após um primeiro contacto com o grupo, com as suas

necessidades e com a constatação da realidade sócio-educativa. Não adianta elaborar previamente um projeto, sem conhecer o grupo que muda de ano para ano e sem conhecer a a realidade sócio- educativa, que também se altera a cada ano letivo

A ligação às Escolas é incontornável, por esse motivo a relação deverá também ser

repensada. Habitualmente a relação OTL/Escolas é a de exclusivamente ir levar ou trazer alunos ao portão da Escola. Este tipo de relações poderão ser repensadas. Existe a vontade expressa pelos responsáveis do O.T.L. e da Ludoteca de fazer um trabalho

em parceria, que será articulado durante o ano. Poderão ser atividades em grupo, visitas aos espaços mútuos, apresentações de trabalhos de um grupo ao outro, ou uma troca pontual de dinamizadores de atividades.

O O.T.L., funcionará das 7H30 até às 18H, podendo o horário ser estendido até às 19H,

quando os pais apresentem uma declaração da entidade patronal em como não podem recolher os educandos até às 18H.

A equipa será constituída por 4 elementos: um Animador Sóciocultural, que acumulará a

função da Coordenação Pedagógica e 3 Auxiliares de Ação Educativa, um deles apenas em regime

de part-time, podendo esta situação ser repensada em caso de necessidade.

7.2.2 Ludoteca

A Ludoteca, irá definir um projecto para cada ano do biénio, que irá complementar o tema do Projecto Educativo. As linhas orientadoras destes projectos deverão ter em conta as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar do Ministério Da Educação. Deverá também desenvolver-se consoante os objectivos do Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Arrentela e do Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida” . Um dos principais valores da Ludoteca consiste na Educação para a Cidadania, onde se dá grande importância ao trabalho com as famílias e com a comunidade envolvente, trabalhando assim o tema Pais/ Família. No que diz respeito à avaliação, no início de cada ano lectivo é feita uma reunião geral de pais, onde são dadas as informações de funcionamento da Instituição, procedendo-se também à

21

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

entrega do Regulamento Interno, à apresentação do projecto curricular de sala e onde se esclarecem questões que as famílias tenham. Fazem-se também reuniões de desenvolvimento individual, onde estão presentes apenas a educadora e o encarregado da criança em questão. Nestas reuniões a educadora, faz um balanço do desenvolvimento individual da criança e troca experiências com a família da mesma. Na Instituição realizam-se também festas e momentos de convívio com as famílias, que são dados a conhecer a estas numa calendarização anual.

A equipa técnica reúne semanalmente para avaliar o trabalho realizado e para planificar o

que se vai realizar.

A avaliação do projecto pedagógico da sala vai também sendo feita ao longo do tempo nas

reuniões semanais de equipa. Como metodologia de trabalho existe três tipos de planificação sendo estas:

Planificação Anual, onde se trabalha as Épocas Festivas;

Planificação Mensal onde cada mês será trabalho um tema do Projecto;

Planificação Semanal, onde será trabalhado a área de conteúdo da “Formação Pessoal e Social”, “Expressão e Comunicação” e “Conhecimento do Mundo”.

Durante este projecto, a Ludoteca e o O.T.L irão trabalhar em conjunto, havendo assim, uma articulação do trabalho com a equipa pedagógica e com as crianças.

A Ludoteca, funcionará das 8H00 até às 18H30. Caso haja necessidade do educando entrar

mais cedo ou seja às 7H30 e sair às 19H os encarregados de educação deverão apresentar uma declaração da entidade patronal.

7.2.3 Outros Projetos de Educação/Animação

Os projetos de Educativos/Animação referenciados anteriormente: Projeto Nun'Alvares a Mudar; Animação de Pátios EB1 – Arrentela; e o Gabinete Anti-bullying, dinamizados em parceria com o Agrupamento de Escolas de Nun'Alvares e o CLDS – Vida Emprego, são projetos que daremos continuidade no caso de haver vontade das três instituições. Neste caso, o tema Pais/Famílias será mais difícil de implementar, porque existe aqui uma implicação com o Projeto Educativo da Escola e uma vez que estes projetos são dinamizados dentro

22

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

do território escolar, esse será o projeto que teremos de ter em conta. No entanto, o presente projeto não é de forma alguma incompatível com o projeto escolar e haverá certamente disponibilidade da escola se for apresentado alguma proposta neste âmbito.

23

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

8. Avaliação

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

No final dos dois anos de vigência deste Projeto Educativo, deverá ser produzido um documento, cruzando os objetivos específicos definidos neste projeto, com os resultados obtidos. Os projetos anuais da Ludoteca, do OTL e dos restantes projetos dinamizados durante estes dois anos letivos, deverão contemplar e definir os seus próprios instrumentos de avaliação.

24

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

9.Bibliografia

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

Bertrand, Yves – Teorias Contemporâneas da Educação. Instituto Piaget. Lisboa. 2001

Centro

Comunitário

“Várias

Culturas

Uma

Caracterização/Diagnóstico. 2003.

Vida”

(CCVCUSV).

-

Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida”. - Projeto Educativo 2006-2008. 2006.

Centro

Paroquial

de

Apresentação. 2011

Bem

Estar

Social

de

Arrentela

(CPBESA)–

Desdobrável

de

Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela – Manual do Colaborador. 2010.

Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela – Manual do Colaborador. 2011.

Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela – Natureza e Objectivos – Regulamentos Internos – Setembro 2011

Domingos, Susana/Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida”. Plano de Acção dos Protocolos de RSI da área de intervenção do Centro Distrital de Segurança Social de Setúbal - 2009

Domingos, Susana/Centro Comunitário “Várias Culturas Uma Só Vida”. Plano de Acção dos Protocolos de RSI da área de intervenção do Centro Distrital de Segurança Social de Setúbal – 2010.

25

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

ANEXO A

Regulamentos Internos

26

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

CAPITULO I - NATUREZA E OBJECTIVOS

ARTIGO 1º CARACTERIZAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DO C.P.B.E.S.A.

O Centro Paroquial de Bem Estar Social de Arrentela (CPBESA) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, propriedade da Igreja Católica da Diocese de Setúbal, Paróquia de Arrentela; que se encontra registada na Direcção Geral da Segurança Social, desde 16/03/83, no Livro de Fundações da Solidariedade sob o nº20/83. Na sede do CPBESA (Quinta do Álamo) funciona o Jardim de Infância “Pica-Pau”, onde se encontram as respostas de creche, jardim-de-infância e Centro de Actividades de Tempos Livres (CATL), bem como a coordenação da Creche familiar. No Centro Comunitário de Arrentela (localizado em Boa-Hora), encontram-se as respostas de Ludoteca, Ocupação de Tempos Livres (OTL) e acompanhamentos de agregados familiares em Acção Social e RSI.

ARTIGO 2º POLITICA DA QUALIDADE

MISSÃO: O CPBESA propõe-se contribuir para a promoção e desenvolvimento de “Respostas Sociais” emergentes das problemáticas sócio-familiares, em parceria com os serviços públicos competentes, e demais entidades com vista a melhor ordenação das vivências em comunidade. O CPBESA compromete-se também a prestar um serviço com qualidade e rigor na Área da Infância, acolhendo, acompanhando, educando e formando pedagogicamente crianças até aos 12 anos, cumprindo os requisitos legais aplicáveis; compromete-se igualmente, na Área Social, a responder a situações de desprotecção sócio-familiar, em parceria com o Ministério da tutela e as Autarquias.

VISÃO:

Complementar a família na protecção e educação da infância, nas respostas competentes, para cada faixa etária; Responder socialmente a várias situações de desprotecção sócio económica, pela resposta de Centro Comunitário; Actuar em conformidade com o Sistema de gestão da Qualidade. visando uma melhoria contínua dos processos e serviços prestados, proporcionando condições que remetam para um melhoramento do nível de vida das crianças e famílias; Fidelizar as famílias e as crianças prestando um serviço de qualidade, indo ao encontro das suas necessidades e garantindo a sua satisfação.

VALORES:

Priorizar as missões, na concretização das acções em espírito de solidariedade cristã e humanista; Satisfazer as crianças e famílias através dos serviços prestados; Proporcionar um melhor nível de vida à comunidade; Criar e manter um bom-nome e imagem do CPBESA.

ARTIGO 3º CARACTERIZAÇÃO E LOCALIZAÇÃO - O Centro Comunitário de Arrentela, define-se como um serviço à sociedade e família, aberto a todos os níveis sociais, uma comunidade educativa em que todos participam (direcção, pais, educadores, pessoal não docente e crianças) cada um do seu modo, na vida da Instituição.

27

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

ARTIGO 4º ÂMBITO DE INTERVENÇÃO

1. A Ludoteca é um serviço vocacionado para o desenvolvimento da criança, com idades compreendidas entre os 3 aos 5anos, proporcionando actividades educativas e de apoio à família.

2. A Ocupação de Tempos Livres (OTL) proporciona actividades no âmbito da animação sociocultural a crianças entre os 6 e os 12 anos, nos períodos disponíveis das responsabilidades escolares.

ARTIGO 5º OBJECTIVOS ESPECÍFICOS

1. Para alcançar os objectivos de desenvolvimento integral das crianças, a Ludoteca e o OTL atenderão de modo específico às áreas do desenvolvimento psico-motor, psico-social, cognitivo, comunicação e construção dos códigos formais de aprendizagem da criança.

2. A resposta de Ludoteca tem como objectivos específicos:

a) Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base em experiencias de vida democrática numa perspectiva de educação para a cidadania;

b) Fomentar a inserção da criança em grupos sociais diversos, no respeito pela pluralidade de culturas, favorecendo uma progressiva consciência como membro da sociedade;

c) Contribuir para a igualdade de oportunidades no acesso à escola e para o sucesso da aprendizagem;

d) Estimular o desenvolvimento global da criança no respeito pelas suas características individuais;

e) Desenvolver a expressão e a comunicação através de linguagens múltiplas como meio de relação, informação, sensibilização estética e de compreensão do mundo;

f) Despertar na criança curiosidade e o pensamento crítico;

g) Proporcionar à criança situações de bem-estar e segurança;

h) Proceder à despistagem de inadaptações, deficiências ou precocidades promovendo uma boa orientação e encaminhamento da criança;

i) Incentivar a participação das famílias no processo educativo da criança e estabelecer relações de colaboração com a comunidade.

3. A O.T.L. tem como objectivos específicos:

a) Permitir a cada criança/jovem, através da participação na vida em grupo, a oportunidade da sua inserção na comunidade;

b) Contribuir para que cada grupo encontre os seus objectivos, de acordo com as necessidades, aspirações e situações próprias de cada elemento e do seu grupo social, favorecendo a adesão aos fins livremente escolhidos;

c) Criar um ambiente propício ao desenvolvimento pessoal de cada criança ou jovem, de forma a ser capaz de se situar e expressar num clima de compreensão, respeito e aceitação de cada um;

d) Favorecer a inter-relação família/escola/comunidade/estabelecimento, em ordem a uma valorização, aproveitamento e rentabilização de todos os recursos do meio.

CAPÍTULO II PROCESSO DE INSCRIÇÃO, ADMISSÃO E COMPARTICIPAÇÃO FAMILIARS

ARTIGO 6º CONDIÇÕES GERAIS

1. Na Ludoteca admitem-se crianças de ambos os sexos, residentes na freguesia de Arrentela, com idades compreendidas entre os 3 e os 5 anos;

2. Na OTL, admitem-se crianças que frequentam as Escolas Básicas de Arrentela e da Qtª S. João, bem como da Escola Nuno Álvares, com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos de idade

28

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

(1º e 2º ciclo de estudos).

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

ARTIGO 7º CRITÉRIOS DE PRIORIDADE PARA A ADMISSÃO - A admissão da criança realizar-se-á de acordo com os seguintes critérios de prioridade:

1. Crianças que tenham frequentado no ano transacto uma Resposta do CPBESA;

2. Crianças com Necessidades Educativas Especiais;

3. Crianças com irmãos a frequentar uma Resposta do CPBESA;

4. Filhos dos colaboradores do CPBESA;

5. Crianças cujos pais trabalhem em regime de tempo inteiro, e que não tenham a quem confiar os filhos durante o horário de trabalho;

6. Situações sociais especificas para as quais este serviço seja a resposta mais aconselhável, visando as necessidades da criança;

7. A ordem de inscrição;

8. A não existência de dívidas ao CPBESA.

Artigo 8º INSCRIÇÕES E LISTA DE ESPERA

1. Os interessados deverão dirigir-se ao Centro Comunitário para realizar as inscrições para Ludoteca ou OTL, durante todo o ano.

2. Durante os meses de Junho e Julho a Coordenação do Centro Comunitário contacta todos os inscritos para confirmação do interesse na frequência da Ludoteca e do OTL.

3. Para o acto da inscrição será necessário o preenchimento da ficha e os documentos pessoais do encarregado de educação e da criança/utente.

4. A organização do processo de admissão é da competência dos serviços administrativos do Centro Comunitário e da respectiva equipa técnica da resposta.

ARTIGO 9º DOCUMENTOS A APRESENTAR PARA A ADMISSÃO

1. Para efeitos de admissão, deverão ser apresentados os seguintes documentos da criança:

a) Cédula Pessoal, B.I. ou cartão do cidadão;

b) Boletim de saúde infantil;

c) Boletim de vacinas actualizado ou declaração do Centro de Saúde de como tem a

vacinação obrigatória actualizada;

d) Cartão de Utente do SNS;

2. Para efeitos de admissão, deverão também ser apresentados documento de identificação do Encarregado de Educação (B.I.; A.R.; cartão do cidadão).

3. A coordenação do Centro Comunitário reserva-se no direito de exigir a apresentação de qualquer outro documento, sempre que seja identificada essa necessidade para a instrução do processo de admissão.

4. Durante o mês de Julho os pais que confirmaram o interesse da frequência da criança na Ludoteca e/ou OTL serão contactados pela equipa técnica para uma entrevista individual.

ARTIGO 10º COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR

1. A comparticipação familiar será definida no início de cada ano lectivo. Não serão aceites revisões da comparticipação familiar durante o ano, excepcionando situações pontuais graves.

2. Se existirem um ou mais irmãos a frequentar a mesma resposta em simultâneo, a partir do segundo da-se-á um desconto de 25 % na comparticipação familiar.

3. O utente paga onze comparticipações familiares, entre Setembro e Julho.

4. O pagamento da comparticipação familiar deverá ser efectuado na recepção/secretaria do Centro Comunitário entre os dias 1 e dia 8 do mês a que respeitam.

29

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

5.

Sempre que os pais queiram rescindir o contrato pela frequência da criança, deverão fazê-lo com

o

mínimo de 30 dias de antecedência. Pelo não cumprimento deste prazo, terão que liquidar a

comparticipação familiar do mês seguinte (caso não haja uma criança para entrada nesse mês).

6.

Se a criança faltar, por qualquer motivo, durante 15 ou mais dias num mês, ser-lhe-á descontado na comparticipação familiar 25%.

7.

Nas ausências superiores a 90 dias, por motivo de doença grave, devidamente justificada, o lugar ficará garantido mediante o pagamento de 15% da comparticipação familiar.

8.

Se a criança faltar consecutivamente mais do que um mês, sem justificação válida, considerar-se-

a não necessidade de frequentar a Resposta, podendo o seu lugar ser eventualmente preenchido por outra criança em lista de espera.

á

9.

É

de salientar que não poderão ocorrer desistências referentes ao mês de Julho, ou seja este mês

será sempre obrigatoriamente pago.

10.

Perante ausências de pagamento superiores a 30 dias a Instituição poderá vir a suspender

frequência da criança até regularização das comparticipação familiares, após ser realizada uma análise individual do caso.

a

ARTIGO 11 º SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS

1.

A

Instituição contrata anualmente um seguro de acidentes pessoais que abrange todas as crianças

que frequentam a Ludoteca e o OTL.

2.

O

pagamento do referido seguro é da responsabilidade dos pais, no início de cada ano lectivo.

3.

O

referido seguro não abrange objectos pessoais que as crianças possam utilizar ou trazer, como

por exemplo: óculos, aparelhos, objectos de ouro. Deste modo, a Instituição não se responsabiliza por perda ou dano de qualquer objecto pessoal da criança.

ARTIGO 12º DEVERES E DIREITOS DAS CRIANÇAS E FAMILIARES

1. Deveres das Crianças

a) Devem cumprir as normas de comportamento e de segurança da Ludoteca e OTL;

b) Devem respeitar e cumprir o Regulamento.

c) Devem seguir as indicações dos colaboradores responsáveis.

d) Devem manter em bom estado físico e de higiene os materiais e locais utilizados.

2. Direitos das Crianças

a) Têm o direito a frequentar as da Ludoteca ou OTL por vontade própria.

b) Têm o direito à prestação dos serviços e cuidados necessários à garantia do seu bem-estar físico e psicológico.

3. Deveres e Direitos dos Familiares

a) Todos os pais são obrigados a reunir com a coordenação pedagógica, pelo menos uma vez por período, preferencialmente na reunião geral de pais. O não cumprimento desta regra implica a suspensão da frequência da criança.

b) Os pais deverão respeitar e fazer cumprir este Regulamento.

c) Os pais têm direito à prestação dos serviços e cuidados necessários à garantia bem-estar físico e qualidade de vida da criança.

d) Os pais têm direito a ver respeitada a sua intimidade e privacidade;

e) Os pais têm o direito a reclamar, verbalmente ou por escrito.

CAPÍTULO III - SERVIÇOS E HORÁRIOS

ARTIGO 13 º FUNCIONAMENTO: LOCAL E HORÁRIO

30

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

1. A Ludoteca e o TOL do Centro Comunitário:

a) Funcionam de Segunda a Sexta-Feira no Centro Comunitário de Arrentela, situado

em Praceta Gregório Crispim Oliveira, 1 A/B;

b) O horário de funcionamento é entre as 7h30m e as 18h30.

2. As horas de entrada e saída de actividades deverão ser respeitadas a fim de não prejudicar o funcionamento.

3. Em caso de acidente dentro do recinto das Escolas cabe às mesmas a responsabilidade de

acompanhar a criança ao Centro de Saúde/Hospital.

ARTIGO 14º INTERRUPÇÃO DAS ACTIVIDADES / ENCERRAMENTO

1. O Centro Comunitário o “Pica-Pau” encerra durante todo o mês de Agosto, para manutenção e limpeza das instalações e férias do pessoal;

2. O CPBESA encontra-se também encerrado durante as seguintes datas: sábados e domingos; encerra nos feriados nacionais e municipais (29 de Junho); 24,26 e 31 de Dezembro (Natal); 2ª e 3ª de Carnaval e 5ª Feira Santa (Páscoa).

ARTIGO 15º REGISTOS DE PRESENÇAS E DAS ENTRADAS E SAÍDAS DAS CRIANÇAS

1. A Ludoteca e OTL dispõem de registo de presenças (entradas e saídas das crianças), que são preenchidos diariamente pelo colaborador responsável.

ARTIGO 16º AUSÊNCIAS DAS CRIANÇAS - JUSTIFICADAS E INJUSTIFICADAS

1. Consideram-se justificadas as ausências resultantes de doença, devidamente comprovada, ou de outro motivo relevante, que a Equipa venha a considerar justificativo.

2. As ausências não justificadas, podem determinar o cancelamento da respectiva frequência, sem prejuízo da exigibilidade das correspondentes comparticipações familiares devidas até à data do cancelamento.

ARTIGO 17º ENTREGA E RECOLHA DE CRIANÇAS

1. No momento da entrada, devem ser comunicados os cuidados especiais a ter com a criança, se for o caso.

2. A entrega e recolha das crianças só podem ser realizadas pelos encarregados de educação. Se não for o caso o nome da pessoa indicada por este terá de constar, obrigatoriamente, na ficha de inscrição. Caso tal não seja cumprido, o utente não poderá sair das instalações.

3. Em caso algum será permitido a recolha de crianças, por menores de 16 anos, sem que os pais ou encarregados de educação tenham assinado um termo de responsabilidade.

4. Para os utentes do OTL, que estejam autorizados a sair sozinhos, os encarregados de educação terão de apresentar uma autorização por escrito.

5. O encarregado de educação deverá informar o CPBESA de véspera ou no próprio dia até as 9h, caso o seu educando vá entrar mais tarde, sair mais cedo, se encontre doente ou tenha de faltar por outro motivo.

6. Quando de forma reiterada, o encarregado de educação se atrase na recolha da criança, será aplicada uma multa de 10% relativa à comparticipação familiar.

ARTIGO 18º SERVIÇOS PRESTADOS

1. Na Ludoteca são prestados os seguintes serviços (incluídos na comparticipação familiar):

a)

Acolhimento diurno das crianças, dentro do horário anteriormente indicado.

d)

Ateliês recreativos e lúdicos.

c)

Alimentação (merenda da manha, almoço e lanche).

31

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

2. Nas OTL são prestados os seguintes serviços (incluídos na comparticipação familiar):

a) Acolhimento diurno das crianças, dentro do horário indicado.

b) Acompanhamento da escola para as Actividades Extra Curriculares e vice-versa à hora do

almoço, excepto em dias de visita de estudo promovidas pela escola.

c) Alimentação (lanche).

d) Ateliês recreativos e lúdicos.

e) Espaço para realização dos Trabalhos Para Casa

1. Na Ludoteca e OTL são prestados os seguintes serviços suplementares (não

incluídos na comparticipação familiar):

a) Actividades que acarretem custos extra para a Instituição, tais como ginástica, museus, alugueres de autocarros, etc.

ARTIGO 19º MATERIAL

1. Os utentes ao iniciarem a sua frequência na Ludoteca/OTL deverão trazer o seguinte

material: uma muda de roupa completa; saco-cama ou lençóis e cobertor; escova de dentes e copo.

2. Os utentes da Ludoteca deverão utilizar o uniforme estipulado, que este fornecerá,

mediante o pagamento do mesmo.

3. O fornecimento do material necessário e adequado ao acolhimento das crianças é da

responsabilidade do CPBESA.

ARTIGO 20º CONTACTO COM OS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

1. A Ludoteca e OTL têm todo o interesse no contacto pessoal com os encarregados de educação. Assim, os assuntos relacionados com a criança deverão ser tratados directamente com a equipa responsável;

2. No inicio e no final do ano lectivo dar-se-á lugar a reuniões com os encarregados de educação, que serão convocados atempadamente pelas Educadoras responsáveis.

CAPÍTULO IV - RECURSOS HUMANOS E INSTALAÇÕES

ARTIGO 21º RECURSOS HUMANOS

1. O CPBESA é presidido por uma Direcção e orientado por uma Direcção Técnica, que delega funções técnicas na Coordenação do Centro Comunitário e nos respectivos Técnicos responsáveis ao nível pedagógico.

2. Os recursos humanos existentes nas equipas de trabalho da Ludoteca e OTL serão definidos no início de cada ano lectivo.

3. O apoio administrativo a estas duas respostas é garantido pelos serviços administrativos do Centro Comunitário.

ARTIGO 22º INSTALAÇÕES E MATERIAIS

1. O Centro Comunitário dispõe várias salas onde funcionam as respostas de Ludoteca e de OTL. Incluem-se nas instalações: salas de actividades, sala polivalente, copa e sanitários.

2. As respostas dispõem de material didáctico adequado às diferentes faixas etárias das crianças.

CAPÍTULO V - ALIMENTAÇÃO, SAÚDE E COMPORTAMENTO

ARTIGO 23º ALIMENTAÇÃO

1. Na Ludoteca são diariamente fornecidas às crianças seguintes refeições: merenda da manha;

32

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

almoço e lanche;

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

2. Na OTL é fornecido às crianças a refeição do lanche (exceptuando-se as pausas lectivas e férias escolares em que o CPBESA fornecerá alimentação mediante pagamento diário da mesma).

3. As crianças deverão tomar o pequeno-almoço em casa antes de entrar para a Ludoteca/OTL. Só em casos extraordinários, autorizados pelo responsável que poderá ser dada esta refeição de pequeno-almoço durante o período de estadia da criança.

ARTIGO 24ºCUIDADOS DE SAÚDE

1. Não será permitida a entrada de crianças na Ludoteca/OTL:

a) Que apresentem sintomas e sinais de doença;

b) Que apresentem, falta de higiene e existência de parasitas;

c) Que não façam apresentação de uma declaração médica, depois de estarem doentes mais o

que 3 dias.

2. Se ao receber a criança o colaborador notar sinais de doença que vá prejudicar a própria, ou outras crianças, não permitirá que esta fique no estabelecimento.

3. Sempre que se note, na criança, algum sinal de falta de saúde, os pais serão informados, o mais brevemente possível, para que tomem as providências necessárias, devendo comparecer sem demora, no local, a fim de tomarem conta do menor.

4. Os pais deverão informar dos casos de indisposições nocturnas e outras perturbações que tenham notado na criança.

5. No caso de acidente ou doença súbita que necessite de tratamento imediato, tomar-se-ão as seguintes medidas:

a) Recorrer-se-á ao médico, ou a serviços hospitalares;

b) Fazer-se-á a comunicação imediata aos pais que devem comparecer, de imediato, no local

indicado.

6. Só se administram medicamentos, segundo prescrição/receita médica.

7. Caso a criança tenha de ficar em casa por motivo de doença deverá, quando voltar a Ludoteca/OTL deverá, vir acompanhada da respectiva declaração médica comprovando o seu total restabelecimento e a ausência de perigo de contágio, no caso de doença infecto-contagiosa;

8. Todos os medicamentos que a criança tenha de tomar durante as horas de permanência na Ludoteca/OTL, deverão vir acompanhados da respectiva prescrição médica, tendo de ser identificados com o nome da criança e as horas de administração.

ARTIGO 25º COMPORTAMENTO

1. Considera-se “mau comportamento” quando a criança ofende, por palavras ou actos, os colegas e os colaboradores ou quando não segue ostensivamente as indicações dadas e este regulamento.

2. Em caso de mau comportamento os pais serão informados do sucedido.

3. Caso o mau comportamento se mantenha, o colaborador responsável informa os encarregados de educação e a equipa técnica, a fim de avaliar as atitudes a tomar, que poderão originar a interrupção temporária ou definitiva da frequência da criança.

CAPÍTULO VI - DISPOSIÇÕES FINAIS

ARTIGO 26º ASPECTOS DE ORDEM GERAL

1. O Centro Comunitário (nas respostas de Ludoteca e OTL) não se responsabiliza pela perca ou danos de objectos pessoais (tais como pulseiras, fios, brinquedos, etc).

2. O desrespeito pelas normas deste regulamento poderá levar a suspensão da criança.

3. A instituição fica na incumbência de alertar a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens

33

Projeto Educativo 2011-2013 (PROVISÓRIO)

Centro Comunitário «Várias Culturas Uma Só Vida»

sempre que seja detectada uma situação de negligência ou maus-tratos nas crianças.

ARTIGO 27º APROVAÇÃO E ENTRADA EM VIGOR

Este regulamento interno entra em vigor a partir de Julho de 2011 e vigorará até existir outro que o substitua.

CONTACTOS ÚTEIS

até existir outro que o substitua. C ONTACTOS ÚTEIS C ENTRO P AROQUIAL DE B EM

CENTRO PAROQUIAL DE BEM ESTAR SOCIAL DE ARRENTELA RESPOSTAS: CRECHE FAMILIAR, CRECHE; P-ESCOLAR E CATL

Morada: Av. dos Metalúrgicos, Quinta do Álamo, 2840-266 Seixal Telefone: 21 221 62 90; Fax: 21 227 75 18 e-mail: cpbes.arrentela@gmail.com

62 90; Fax: 21 227 75 18 e-mail: cpbes.arrentela@gmail.com C ENTRO C OMUNITÁRIO DE A RRENTELA

CENTRO COMUNITÁRIO DE ARRENTELA RESPOSTAS: LUDOTECA, OTL, ACÇÃO SOCIAL E ACOMPANHAMENTO EM RSI

Morada: Praceta Gregório Crispim de Oliveira n 1 A/B Arrentela, 2840 Seixal Telefone: 21 222 30 51 Fax: 21 221 90 20 e-mail: variasculturas@gmail.com

34