Você está na página 1de 10

Instrumento de Registo Avaliação do Desempenho Docente dos 2º e 3ºCiclos

efectuada pelo Coordenador de Departamento


1ºano – 2008/2009
(Artigo 6º, ponto 1 do Decreto Regulamentar n.º 2/2008)

1. Identificação do Avaliado
Nome: _______________________________________________ Grupo Recrutamento: _____
Categoria: __________________________ Departamento: _____________________________

2. Identificador do Professor Avaliador


Nome ________________________________________________ Cargo __________________

Pontuação – I: Insuficiente (3); R: Regular (6); B: Bom (7); MB: Muito Bom (8); Ex: Excelente (10)

A. Preparação e organização das actividades lectivas


A.1 Correcção científico-pedagógica e didáctica da planificação das actividades lectivas P

• A.1.1 Não planificou as suas actividades lectivas.

A.1.2 Planificou, as suas actividades lectivas com lacunas científicas e de forma inadequada sem ter
em conta as características dos seus alunos.

Descritores e indicadores de medida

Os planos de aula revelam conhecimentos pedagógico-didácticos não actualizados e pouco relevantes à


leccionação da disciplina.
A.1.3 Planificou, as suas actividades lectivas, com algumas lacunas científicas e de adequação às
características dos seus alunos.
• Elaborou planos de aula articulados com a planificação de médio/longo prazo, a sua filosofia de ensino e
variáveis contextuais da turma.
A.1.4 Planificou com correcção científica, pedagógica e didáctica e de forma adequada as actividades
lectivas, para as suas turmas e seus alunos tendo em conta as suas características e especificidades.
• Elaborou ou participou na elaboração de planos de longo/ médio prazo que traduzem uma gestão
coerente do programa, em articulação com abordagens actuais da didáctica da disciplina e variáveis
contextuais relevantes.
• Os planos de aula revelam conhecimentos pedagógico-didácticos da disciplina actualizados e relevantes
à sua leccionação.
A.1.5 Planificou com correcção científica, pedagógica e didáctica e de forma adequada as suas
actividades lectivas, promovendo experiências de aprendizagem inovadoras, nas suas turmas.
• Os planos de aula traduzem elevado nível de coerência entre conteúdos, objectivos, estratégias e
avaliação, evidenciando percursos de ensino/aprendizagem dos seus alunos coerentes ao longo do
tempo.

OBS

AVALIAÇÃO DOCENTE1/10
Adequação das estratégias de ensino e aprendizagem aos conteúdos programáticos, ao
A.2 P
nível etário e às aprendizagens anteriores dos alunos

A.2.1 Não adequou as estratégias ao nível etário e às aprendizagens anteriores dos alunos bem como
aos conteúdos programáticos.

A.2.2 Adequou, parcialmente e com lacunas, as estratégias ao nível etário e às aprendizagens


anteriores dos alunos e aos conteúdos programáticos.
• Seleccionou estratégias de ensino/aprendizagem, pouco adequadas à natureza dos conteúdos e das
Descritores e indicadores de medida

competências a desenvolver.
A.2.3 Adequou globalmente e com algumas lacunas científico-pedagógicas, as estratégias ao nível
etário e às aprendizagens anteriores dos alunos e aos conteúdos programáticos.
• Seleccionou estratégias de ensino/aprendizagem, adequadas à natureza dos conteúdos e das
competências a desenvolver.
A.2.4 Adequou especificamente as estratégias ao nível etário e às aprendizagens anteriores dos
alunos e aos conteúdos programáticos cumprindo as orientações curriculares e programáticas
fixadas.
• Seleccionou estratégias de ensino/aprendizagem que favorecem uma abordagem cíclica (não linear e
cumulativa) dos conteúdos e das competências a desenvolver.
• Seleccionou estratégias de ensino/aprendizagem que são adequadas à idade dos alunos, mobilizando e
expandindo aprendizagens anteriores.
A.2.5 Desenvolveu um trabalho de perfeita adequação das estratégias ao nível etário, às
aprendizagens anteriores e aos conteúdos programáticos cumprindo todas as orientações
curriculares e programáticas fixadas.
• Seleccionou estratégias de ensino/aprendizagem que favorecem uma aprendizagem significativa
(gradual, relevante, transferível).
• Identificou factores de sucesso/insucesso e realizou abordagens promotoras do progresso de todos os
alunos, recorrendo à diferenciação pedagógica sempre que necessário.

Adaptação da planificação e das estratégias de ensino e aprendizagem ao desenvolvimento


A.3 P
das actividades lectivas
A.2.1 Não adaptou as estratégias de ensino aprendizagem ao desenvolvimento das actividades
lectivas para as suas turmas.
A.2.2 Adaptou parcialmente e com algumas lacunas científico-pedagógicas, a planificação e as
estratégias de ensino aprendizagem ao desenvolvimento das actividades lectivas para as suas
turmas.
Descritores e indicadores de medida

A.2.3 Adaptou globalmente a planificação e as estratégias de ensino aprendizagem ao


desenvolvimento das actividades lectivas para as suas turmas.
A.2.4 Adaptou especificamente a planificação e as estratégias de ensino aprendizagem ao
desenvolvimento das actividades lectivas, para as suas turmas.
• Rentabilizou as potencialidades dos recursos disponíveis no sentido de promover competências de
construção e partilha do conhecimento (selecção, interpretação, organização, sistematização e
comunicação de informação).
• Renovou progressivamente as estratégias e recursos de ensino/aprendizagem com base na reflexão/
formação profissional e/ou em resultado do feedback dos alunos/ avaliação formativa.
A.2.5 Registou um trabalho de plena adaptação da planificação e das estratégias de ensino ao
desenvolvimento das actividades lectivas, promovendo experiências de ensino/aprendizagem
significativas e inovadoras para as suas turmas.
• Experimentou estratégias e recursos de ensino/aprendizagem dirigidos à resolução de problemas
pedagógicos pela exploração de abordagens alternativas, no sentido de melhorar as aprendizagens dos
alunos.
• Planificou as actividades lectivas tendo em conta a informação resultante da avaliação qualitativa da
eficácia do ensino e das aprendizagens realizadas
• Renovou progressivamente as estratégias e recursos de ensino/aprendizagem com base na reflexão/
formação profissional e/ou em resultado do feedback dos alunos/ avaliação formativa.

AVALIAÇÃO DOCENTE2/10
Obs.

Diversidade, adequação e correcção científico-pedagógicas das metodologias e recursos


A.4 P
utilizados.

A.4.1 Não diversificou nem adequou as metodologias e recursos utilizados sendo evidenciadas
lacunas científico-pedagógicas nas metodologias e recursos utilizados.

A.4.2 Diversificou e adequou, parcialmente, as metodologias e recursos utilizados sendo evidenciadas


lacunas científico-pedagógicas.
Descritores e indicadores de medida

A.4.3 Diversificou e adequou, globalmente, as metodologias e recursos utilizados científico-pedagógicas


para as suas turmas.
• Teve em consideração as avaliações diagnóstica e formativa e feedback dos alunos na selecção das
actividades e recursos a utilizar.
A.4.4 Diversificou e adequou, especificamente, com correcção científico-pedagógica as metodologias
e recursos utilizados, aos seus alunos.
• Seleccionou estratégias e recursos de ensino/aprendizagem diversificados, de forma a responder à
variedade de interesses e necessidades dos alunos e proporcionar diferentes tipos de experiências de
aprendizagem.
A.4.5 Diversificou e adequou com correcção científico-pedagógica as metodologias e recursos
utilizados, promovendo experiências de aprendizagem significativas, diversificadas e inovadoras.
• Definiu estratégias e percursos metodológicos adequados e muito bem fundamentados.
• Teve em consideração as avaliações diagnóstica e formativa e feedback dos alunos na selecção das
actividades e recursos a utilizar.
• Experimentou abordagens alinhadas com propostas emergentes das teorias e políticas educativas
actuais, no sentido de produzir inovação pedagógica relevante à melhoria das aprendizagens dos
alunos.

B. Realização das actividades lectivas

Cumprimento dos objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares


B.1 P
leccionadas

AVALIAÇÃO DOCENTE3/10
B.1.1 Não cumpriu os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas curriculares
leccionadas.

B.1.2 Cumpriu parcialmente os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas


Descritores e indicadores de medida
curriculares leccionadas.

B.1.3 Cumpriu globalmente os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas


curriculares leccionadas.

B.1.4 Cumpriu especificamente os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas


curriculares leccionadas de acordo com as características dos seus alunos.
• Realizou as actividades lectivas tendo em conta as orientações programáticas e as orientações ao nível
da turma, escola, agrupamento (planificações a médio/longo prazo; Projectos Curriculares de Turma;
Plano Anual de Actividades, Projecto Educativo, Regulamento Interno).
B.1.5 Cumpriu plenamente os objectivos, orientações e programas das disciplinas ou áreas
curriculares leccionadas.
• Realizou as actividades lectivas tendo em conta as variáveis dos contextos de cada turma e as
abordagens de ensino/aprendizagem da disciplina.
• Realizou as actividades lectivas tendo em conta as orientações programáticas e as orientações ao nível
da turma, escola, agrupamento (planificações a médio/longo prazo; Projectos Curriculares de Turma;
Plano Anual de Actividades, Projecto Educativo, Regulamento Interno).

Obs.

B.2 Capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela aprendizagem P


B.2.1 Evidenciou incapacidade de comunicação motivando o desinteresse dos alunos pela
aprendizagem.
B.2.2 Evidenciou capacidade de comunicação e estímulo motivando o interesse dos alunos pela
aprendizagem.
• Utilizou um discurso claro e adequado (oral e escrito).
B.2.3 Evidenciou boa capacidade de comunicação e estímulo do interesse pela aprendizagem
Descritores e indicadores de medida

evidenciada no interesse, dos alunos, pelo estudo das matérias leccionadas.


• Utilizou um discurso claro, adequado e eficaz (oral e escrito).
• Dinamizou diversas formas de interacção na aula.
B.2.4 Evidenciou muito boa capacidade de comunicação e estímulo do interesse pela aprendizagem
evidenciada no interesse, dos alunos, pelo estudo das matérias leccionadas.
• Utilizou um discurso claro, adequado e eficaz (oral e escrito).
• Dinamizou eficazmente diversas formas de interacção na aula.
• Estabeleceu com os alunos um diálogo claro, explicitando os objectivos inerentes à realização de cada
actividade.
B.2.5 Evidenciou excelente capacidade de comunicação e estímulo do interesse dos alunos pela
aprendizagem, evidenciada no interesse e trabalho autónomo realizado pelos alunos.
• Utiliza um discurso claro, adequado e eficaz (oral e escrito).
• Facilita aos alunos uma idêntica possibilidade de participação nas actividades realizadas em sala de
aula.
• Utiliza recursos didácticos mobilizadores do interesse e participação do aluno.
• Implementa abordagens promotoras de sucesso, recorrendo a estratégias de diferenciação pedagógica
sempre que necessário.
• Adequa o discurso à faixa etária dos alunos e ao seu nível de aprendizagem.

B.3 Utilização de recursos inovadores incluindo as tecnologias de informação e comunicação. P

AVALIAÇÃO DOCENTE4/10
B.3.1 Não utilizou recursos inovadores nem recorreu às tecnologias de informação e
comunicação resultando, o seu trabalho, em experiências pouco adequadas os seus
alunos.
B.3.2 Utilizou de forma adequada recursos e as tecnologias de informação e comunicação resultando,
o seu trabalho, em experiências positivas para os alunos.
Descritores e indicadores de medida

Forneceu aos alunos instrumentos de pesquisa, organização, tratamento e produção de informação.


B.3.3 Utilizou de forma adequada recursos diversificados e as tecnologias de informação e
comunicação resultando, o seu trabalho, em experiências significativas para os alunos.
Mobilizou para as aulas recursos e materiais do foro das tecnologias de informação e de comunicação,
sempre que possível.
B.3.4 Utilizou recursos diversificados e inovadores incluindo a utilização adequada das tecnologias da
informação e comunicação, resultando em experiências muito significativas para os alunos.
Mobilizou para as aulas recursos e materiais do foro das tecnologias de informação e de comunicação,
sempre que possível.
Incentivou os alunos à utilização das tecnologias de informação e de comunicação.
B.3.5 Utilizou com frequência recursos diversificados e inovadores incluindo diversos recursos das
tecnologias da informação e comunicação, promovendo a utilização autónoma destes recursos na
construção do conhecimento, resultando em experiências muito significativas para o sucesso dos
alunos.
Mobilizou para as aulas recursos e materiais do foro das tecnologias de informação e de comunicação,
sempre que possível.
Incentivou sistematicamente os alunos à utilização das tecnologias de informação e de comunicação.
Recorreu à concretização de actividades de grupo e individualmente implicando directamente a aplicação
dos conhecimentos na disciplina e no domínio das tecnologias de informação e comunicação.

Obs.

B.4 Promoção do trabalho autónomo dos alunos e da aquisição de métodos de estudo. P

B.4.1 Não promoveu, estratégias para realização de trabalho autónomo e aquisição de métodos de
estudo pelos alunos.
B.4.2 Promoveu de forma contextualizada, estratégias para realização de trabalho autónomo e
aquisição de métodos de estudo pelos alunos.
Fomentou a reflexão dos alunos sobre a sua aprendizagem e métodos de estudo.
Descritores e indicadores de medida

B.4.3 Promoveu e estimulou estratégias variadas, com sucesso, para realização de trabalho autónomo
e aquisição de métodos de estudo pelos seus alunos.
Promoveu a aquisição/desenvolvimento de hábitos de estudo.
Demonstrou abertura e capacidade de negociação e de tomar decisões com os alunos.
B.4.4 Promoveu e estimulou estratégias variadas, com muito sucesso, para realização de trabalho
autónomo e aquisição de métodos de estudo pelos alunos.
Demonstrou abertura e capacidade de negociação e de tomar decisões com os alunos.
Criou oportunidades para os alunos experimentarem diferentes estratégias de aprendizagem (cognitivas,
metacognitivas, socio-afectivas.
B.4.5 Promoveu e estimulou com regularidade temáticas e estratégias inovadoras para realização de
trabalho autónomo e aquisição de métodos de estudo pelos alunos.
Criou oportunidades para os alunos experimentarem diferentes estratégias de aprendizagem (cognitivas,
metacognitivas, socio-afectivas.
Implementou estratégias de auto-regulação das aprendizagens, a fim de desenvolver a competência de
aprendizagem dos alunos.
Realizou ou participou na organização de iniciativas relevantes à concretização das actividades lectivas
(por exemplo, pertença a grupos de trabalho, círculos de estudo, oficinas de formação, consulta
de/trabalho com especialistas, observação inter pares, parcerias intra/interinstitucionais, envolvimento
dos alunos na concepção e desenvolvimento de projectos / actividades / clubes a integrar no plano anual
de actividade).

AVALIAÇÃO DOCENTE5/10
Obs.

C. Relação pedagógica com os alunos


Promoção de um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento
C.1 afectivo, emocional e social dos alunos. P

C.1.1 Promoveu um clima de tensão prejudicando as aprendizagens, o bem-estar e o


desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos.
Descritores e indicadores de medida

C.1.2 Não promoveu um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento


afectivo, emocional e social dos alunos.

C.1.3 Promoveu um clima favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo,


emocional e social dos alunos.
Utilizou formas de reforçar positivamente os alunos e aumentar a sua motivação.
Tomou iniciativas no sentido de promover a identidade e coesão do grupo turma.
C.1.4 Promoveu um clima muito favorável à aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo,
emocional e social dos alunos.
Tomou iniciativas no sentido de promover a identidade e coesão do grupo turma.
Demonstrou abertura para discutir com os alunos os problemas/dificuldades da turma.
C.1.5 Conseguiu uma grande empatia com os alunos propiciadora de um clima favorável à
aprendizagem, ao bem-estar e ao desenvolvimento afectivo, emocional e social dos alunos.
Demonstrou abertura para discutir com os alunos os problemas/dificuldades da turma
Procurou incrementar a auto-estima e segurança dos alunos.
Comunicou expectativas de sucesso face aos alunos.

Obs.

Concessão de iguais oportunidades de participação, promoção da integração dos alunos e


C.2 da adopção de regras de convivência, colaboração e respeito P

C.2.1 Não promoveu a concessão de iguais oportunidades de participação e integração dos alunos,
bem como, a adopção de regras de convivência, colaboração e respeito.
C.2.2 Promoveu de forma articulada a concessão de iguais oportunidades de participação e integração dos
alunos, bem como, na adopção de regras de convivência, colaboração e respeito.
Criou situações de debate e de expressão aberta de ideias.
Procurou interagir com todos os alunos, em grande grupo ou individualmente.
Descritores e indicadores de medida

C.2.3 Promoveu de forma bem articulada a concessão de iguais oportunidades de participação e integração
dos alunos, bem como, na adopção de regras de convivência, colaboração e respeito.
Promoveu a criação de grupos de entreajuda de acordo com os interesses e dificuldades dos alunos.
Implementou formas de trabalho colaborativo (em pares, grupos).
C.2.4 Promoveu regularmente e de forma muito articulada a concessão de iguais oportunidades de
participação e integração dos alunos e estratégias que estimulam a adopção de regras de
convivência, colaboração e respeito.
Implementou estratégias e recursos de ensino/aprendizagem diversificados, de forma a responder à
variedade de interesses e necessidades dos alunos e proporcionar diferentes tipos de experiências de
aprendizagem.
Integrou positivamente os saberes/experiências anteriores dos alunos.
Valorizou a diversidade e multiculturalidade na sala de aula (raça, etnia, género, idade, classe social,
religião…), respeitando a individualidade de cada um.
C.2.5 Dinamizou estratégias de promoção de forma sistematizada e de grande equilíbrio na concessão
de iguais oportunidades de participação e integração dos alunos e estratégias que estimulam a
adopção e auto-correcção de regras de convivência, colaboração e respeito.
Utilizou os momentos de feedback/ verificação das actividades para detectar/ remediar dificuldades.
Valorizou a diversidade e multiculturalidade na sala de aula (raça, etnia, género, idade, classe social,
religião…), respeitando a individualidade de cada um.
Utilizou uma linguagem socialmente adequada e inclusiva.

AVALIAÇÃO DOCENTE6/10
OBS

C.3 Disponibilidade para o atendimento e apoio aos alunos P

C.3.1 Não esteve disponível para apoiar os seus os alunos e prestar apoio quando o mesmo lhe foi
solicitado.
Descritores e indicadores de medida

C.3.2 Nem sempre esteve disponível para apoiar os seus alunos e prestar apoio quando o mesmo lhe
foi solicitado.
C.3.3 Mostrou alguma disponibilidade para apoiar os seus alunos e prestar apoio quando o mesmo lhe
foi solicitado.
Forneceu uma forma de contacto (n.º de telemóvel e/ou correio electrónico e/ou plataforma Moodle).
C.3.4 Esteve sempre disponível para apoiar os seus os alunos e prestar apoio sempre que entendeu
necessário ou o mesmo lhe foi solicitado.
Forneceu uma forma de contacto (n.º de telemóvel e/ou correio electrónico e/ou plataforma Moodle).
Integrou as equipas do Gabinete do Aluno (atendimento e acompanhamento dos alunos/ educação para
saúde/ resolução e mediação de conflitos).
C.3.5 Acompanhou os alunos em todas as actividades relacionadas com a sua área disciplinar e
promoveu situações específicas de apoio.
Integrou projectos de tutoria e acompanhamento dos alunos (intervenção sobre casos problemáticos de
dificuldades educativas, sócio-económicas ou familiares)
Integrou as equipas do Gabinete do Aluno (atendimento e acompanhamento dos alunos/ educação para
saúde/ resolução e mediação de conflitos).

Obs

Equilíbrio no exercício da autoridade e adequação das acções desenvolvidas para a manutenção


C.4 da disciplina na sala de aula P

C.4.1 Não exerceu a sua autoridade, e não adequou as acções desenvolvidas para a manutenção da
disciplina na sala de aula permitindo situações de constante indisciplina requerendo a intervenção do
Conselho Executivo.

C.4.2 Exerceu a sua autoridade e adequou razoavelmente as acções desenvolvidas para a manutenção da
Descritores e indicadores de medida

disciplina na sala de aula provocando situações de alguma tensão.

C.4.3 Exerceu bem a sua autoridade e adequou regularmente as acções desenvolvidas para a manutenção
da disciplina na sala de aula e organização do ambiente de trabalho.
Promoveu estratégias de participação organizada.
Contratualizou regras de conduta na sala de aula.

C.4.4 Exerceu com equilíbrio a sua autoridade e adequou as acções desenvolvidas para a manutenção da
disciplina na sala de aula a par de bom ambiente de trabalho.
Contratualizou regras de conduta na sala de aula e na escola.
Incentivou a responsabilização dos delegados de turma e dos alunos em geral tendo resultado mudanças
positivas de comportamento.

C.4.5 Exerceu com muito equilíbrio o exercício da autoridade, verificando-se uma constante manutenção da
disciplina da sala de aula aliado a um clima de bem-estar.
Incentivou a responsabilização dos delegados de turma e dos alunos em geral tendo resultado mudanças
positivas de comportamento.
Implementou estratégias de auto-regulação de atitudes e de comportamentos.

D. Avaliação das aprendizagens dos alunos


Regularidade, adequação e rigor da avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das
D.1 aprendizagens, incluindo a sua apresentação em tempo útil aos alunos. P

AVALIAÇÃO DOCENTE7/10
D.1.1 Não realizou a avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das aprendizagens, incluindo a
sua apresentação em tempo útil aos alunos.

D.1.2 Realizou de forma adequada a avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das aprendizagens,
incluindo a sua apresentação em tempo útil aos alunos.
Descritores e indicadores de medida

Diversificou de forma específica e adequada os instrumentos de recolha de informação avaliativa.


D.1.3 Realizou bem e de forma adequada a avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das aprendizagens,
incluindo a sua apresentação em tempo útil aos alunos.
Implementou diversos tipos de avaliação das aprendizagens, nomeadamente avaliação diagnóstica e
formativa de acordo com a especificidade das características dos alunos.
D.1.4 Realizou muito bem a avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das aprendizagens, incluindo a sua
apresentação em tempo útil aos alunos.
Implementou diversos tipos de avaliação das aprendizagens, nomeadamente avaliação diagnóstica e
formativa de acordo com a especificidade das características dos alunos.
Revelou cuidado com a credibilidade dos instrumentos utilizados na avaliação das aprendizagens.

D.1.5 Realizou com rigor e regularidade e adequação a avaliação diagnóstica, formativa e sumativa das
aprendizagens, incluindo a sua apresentação em tempo útil aos alunos, bem como, a análise dos
resultados e definição de estratégias em função dos mesmos.
Revelou cuidado com a credibilidade dos instrumentos utilizados na avaliação das aprendizagens.
Forneceu feedback atempado aos alunos sobre a avaliação realizada com a frequência necessária à sua
auto-regulação.

Obs.

Utilização dos resultados da avaliação dos alunos na preparação, organização e realização


D.2 das actividades lectivas P

D.2.1 Não utilizou os resultados da avaliação dos seus alunos na definição de estratégias de recuperação e
na organização e realização das actividades lectivas.

D.2.2 Raramente utilizou os resultados da avaliação dos seus alunos na definição de estratégias de
Descritores e indicadores de medida

recuperação e na organização e realização das actividades lectivas.

D.2.3 Utilizou com algum sucesso os resultados da avaliação dos seus alunos na definição de estratégias de
recuperação e na organização e realização das actividades lectivas.
Rentabilizou os resultados da avaliação realizada nas diferentes turmas para reformulação da sua acção
e aumentar o sucesso na sua disciplina.
D.2.4 Utilizou com bastante sucesso os resultados da avaliação dos seus alunos na definição de estratégias
de recuperação e na organização e realização das actividades lectivas.
Elaborou relatórios de análise estatística dos resultados nas suas turmas e modificou o Projecto
Curricular de Turma em função dos resultados dos seus alunos.
Realizou a reflexão dos resultados em cada ficha de avaliação e investiu numa acção direccionada para o
sucesso dos alunos nas áreas mais deficitárias.
D.2.5 Utilizou com muito sucesso os resultados da avaliação de cada um dos seus alunos na definição de
estratégias e elaboração exercícios específicos de recuperação e desenvolvimento, bem como, na
preparação, organização e realização das actividades lectivas do grupo.
Realizou a reflexão dos resultados em cada ficha de avaliação e investiu numa acção direccionada para o
sucesso dos alunos nas áreas mais deficitárias.
Elaborou com objectividade e critério um relatório sobre a evolução da aprendizagem de cada um dos
seus alunos demonstrando que o trabalho por si desenvolvido surtiu efeito.

Obs

Observância na avaliação dos alunos dos critérios indicados pela administração educativa
D.3 P
ou aprovados pelos órgãos competentes do Agrupamento.

AVALIAÇÃO DOCENTE8/10
D.3.1 Não aplicou, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração educativa e os
aprovados pelos órgãos de Agrupamento.

D.3.2 Aplicou parcialmente, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração
educativa e os aprovados pelos órgãos de Agrupamento.
Descritores e indicadores de medida

Deu a conhecer aos alunos os objectivos, conteúdos e critérios de avaliação das provas (escritas e orais).
D.3.3 Aplicou globalmente, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração
educativa e os aprovados pelos órgãos de Agrupamento.
Deu a conhecer aos alunos os objectivos, conteúdos e critérios de avaliação das provas (escritas e orais).
Corrigiu os testes de acordo com os critérios aprovados pelo Conselho Pedagógico.
Discutiu com os alunos todos os aspectos a ter em conta na avaliação final.
D.3.4 Aplicou com rigor, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração educativa e
os aprovados pelos órgãos de Agrupamento.
Elaborou a matriz das fichas de avaliação que analisa e discute com os alunos orientando o seu estudo e
aprendizagem.
Entregou os testes aos alunos com o registo das cotações atribuídas.
Discutiu com os alunos todos os aspectos a ter em conta na avaliação final.
D.3.5 Aplicou criteriosamente, na avaliação dos alunos, os critérios indicados pela administração
educativa e os aprovados pelos órgãos de Agrupamento.
Elaborou a matriz das fichas de avaliação que analisa e discute com os alunos orientando o seu estudo e
aprendizagem.
Elaborou instrumentos de avaliação sumativa com explicitação das cotações e consonantes com os
conteúdos leccionados e a tipologia de exercícios praticada.
Discutiu com os alunos todos os aspectos a ter em conta na avaliação final.

Obs.

D.4 Promoção da auto-avaliação dos alunos P

D.4.1 Não promoveu a auto-avaliação das competências e conhecimentos adquiridos pelos alunos.

D.4.2 Promoveu esporadicamente a auto-avaliação das competências e conhecimentos adquiridos


pelos alunos.
Envolveu os alunos na discussão da metodologia de avaliação.
Descritores e indicadores de medida

D.4.3 Promoveu periodicamente a auto-avaliação das competências e conhecimentos adquiridos pelos


alunos e incentivou a reflexão e a auto-estima.
Envolveu os alunos na discussão da metodologia de avaliação.
Recolheu dados de auto-avaliação das aprendizagens.

D.4.4 Promoveu regularmente a auto-avaliação das competências e conhecimentos adquiridos pelos


alunos e incentivou a reflexão e a auto-estima.
Envolveu os alunos na discussão da metodologia de avaliação.
Tratou os dados da auto-avaliação dos alunos e a partir deles elaborou um plano de acção para
aplicar aos alunos com vista à melhoria do sucesso.
D.5.5 Promoveu com frequência a auto-avaliação das competências e conhecimentos adquiridos pelos
alunos e incentivou a reflexão e a auto-estima.
Levou os alunos a avaliarem com regularidade as suas próprias aprendizagens, os seus pontos fortes e
fracos, os seus progressos, atitudes, de forma a tomarem parte activa na gestão do seu processo de
aprendizagem.
Utilizou diversos métodos de recolha de informação sobre a eficácia da acção pedagógica desenvolvida.
Recolheu dados de auto-avaliação das aprendizagens.
Tratou os dados da auto-avaliação dos alunos e a partir deles elaborou um plano de acção para
aplicar aos alunos com vista à melhoria do sucesso.

AVALIAÇÃO DOCENTE9/10
Obs.

Agrupamento de Escolas de Real, ____/____/_________

O Professor Avaliador

_______________________________________

10/10
AVALIAÇÃO DOCENTE