Você está na página 1de 17

04-04-2011

ESTALEIROS DE OBRA José Amorim Faria

Março 2011

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

ESTALEIROS DE OBRA José Amorim Faria Março 2011 CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 1
ESTALEIROS DE OBRA José Amorim Faria Março 2011 CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 1

1

OBJECTO

1. FORMULAÇÃO E ÂMBITO DO PROBLEMA TRATADO

2. Lista de meios e instalações fixas necessárias a realização de um edifício de habitação com estrutura de betão armado

3. Critérios de escolha do conjunto de meios e instalações fixas

4. Critérios de atribuição de áreas de instalações fixas e de meios de apoio escolhidos para uma dada obra

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

de meios de apoio escolhidos para uma dada obra CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 2
de meios de apoio escolhidos para uma dada obra CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 2

2 2

04-04-2011

1. FORMULAÇÃO E ÂMBITO DO PROBLEMA TRATADO

Fontes de produção num empreiteiro

Estaleiro Central (um ou vários); Organizações produtivas de carácter fixo (carpintarias, centrais betão, centrais

betuminoso,

Estaleiros de obra;

Subempreitadas.

);

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

Estaleiros de obra; Subempreitadas. ); CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 3 3
Estaleiros de obra; Subempreitadas. ); CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 3 3

3 3

1. FORMULAÇÃO E ÂMBITO DO PROBLEMA TRATADO (2)

Definição do problema O arranjo físico do estaleiro de obra consiste na “Disposição das áreas de operação de homens e máquinas interessados na produção da obra em todas as fases do seu desenvolvimento”

ou seja, escolha do tipo de instalações fixas e meios de apoio a deslocar para cada obra e respectivas áreas, respectiva localização física.

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

áreas, respectiva localização física. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 4 4
áreas, respectiva localização física. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 4 4

4 4

04-04-2011

1. FORMULAÇÃO E ÂMBITO DO PROBLEMA TRATADO (3)

Fases num estaleiro

o estaleiro varia ao longo do tempo.

Para cada fase um estaleiro ππππ

Fase mais crítica em edifícios é a fase de execução da estrutura

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

edifícios é a fase de execução da estrutura CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 5 5
edifícios é a fase de execução da estrutura CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 5 5

5 5

1. FORMULAÇÃO E ÂMBITO DO PROBLEMA TRATADO (4)

Variáveis na definição física do estaleiro fases da obra; tipo de obra (edifícios, estradas, portos,…); no caso de construção de edifícios tipo de edifício (habitação, escritórios,…); área disponível para estaleiro e sua relação com o edifício (urbano, rural, com/sem espaço,…); tipo de organização de produção (onde se faz?; quem faz? Ligações produção/obra,…).

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

faz?; quem faz? Ligações produção/obra,…). CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 6 6
faz?; quem faz? Ligações produção/obra,…). CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 6 6

6 6

04-04-2011

1. METODOLOGIA SEGUIDA

1 – Definir INSTALAÇÕES FIXAS DE OBRA (ver pontos 4.1

e 4.2 do cap. 6 para listas de serviços e meios a colocar na

obra) – o quê?

2 – Atribuir áreas, tipo de construção (barraco, coberto,

coberto com estrado, armazém, máquina, armazém ao ar livre) e forma geométrica quando esta for condicionante. -

como?

3 – Implantação física à escala das áreas definidas em 2) sobre planta de implantação da obra a edificar. – onde?

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

de implantação da obra a edificar. – onde? CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 7 7
de implantação da obra a edificar. – onde? CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 7 7

7 7

FASES NUM ESTALEIRO DE EDIFÍCIOS

FASE INICIAL – arranque: primeiros barracos, desmatação, limpeza, início movimento terras, marcações/piquetagem,…

fase 2 – estrutura fase 3 – acabamentos fase 4– arranjos exteriores

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

3 – acabamentos fase 4– arranjos exteriores CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 8 8
3 – acabamentos fase 4– arranjos exteriores CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 8 8

8 8

04-04-2011

GRUPOS de instalações

Em GOSE total de 6 grupos

A) Instalações fixas de PRODUÇÃO

B) Meios de carga descarga e transporte interno

C) Depósitos de materiais directamente aplicados no edifício

D) Vias de Comunicação

E) Instalações de apoio – controlo

F) Instalações de apoio – social

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

– controlo F) Instalações de apoio – social CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 9

9– controlo F) Instalações de apoio – social CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

A) PRODUÇÃO

Alguns exemplos de instalações

Ferramentaria; Carpintaria cofragens; Oficina de armaduras; Oficina mecânica para pequenas reparações; Armazém; Máquinas fixas; Depósitos materiais anexos às unidades de produção.

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

materiais anexos às unidades de produção. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 10

10materiais anexos às unidades de produção. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

04-04-2011

B) Meios de carga descarga e transporte interno

Alguns exemplos de meios a instalar/usar

Gruas fixas; Gruas automóveis; Monta-cargas; Outros meios de movimentação de equipamentos ou materiais pesados (tirefonds, garibaldis).

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

ou materiais pesados (tirefonds, garibaldis). CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 11

11ou materiais pesados (tirefonds, garibaldis). CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

C) Depósitos

Alguns exemplos de meios a instalar/usar

Materiais simples (cerâmicos, mármores, louça sanitária,

Pré-fabricados (placas de betão, portas, escadas, pré-lajes, )

);

Atenção aos materiais perecíveis e não perecíveis (ar livre, armazém aberto – coberto, armazém fechado

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

armazém aberto – coberto, armazém fechado CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 12

12livre, armazém aberto – coberto, armazém fechado CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

04-04-2011

D)

Vias de comunicação

Constituem os caminhos de circulação na obra

 

Terá de haver local para descargas de camiões

Terá de haver local para inversão de marcha ou então hipótese de circular à volta da obra sempre no mesmo sentido

 

Caminhos em geral em bases de AGE permanentemente regularizadas (atenção às águas pluviais – estudar encaminhamento para estaleiro não ficar lamacento)

CECCEC

CECCEC 13
CECCEC 13

13

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

E)

Escritórios - Controlo

Direcção de obra

Fiscalização

Salas de reuniões

Salas de amostras

CECCEC

CECCEC 14
CECCEC 14

14

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

04-04-2011

F) Instalações - social

refeitório, dormitório, posto primeiros socorros – médico/enfermeiro, sanitários, vestiários, lavatórios e duches estacionamentos

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

vestiários, lavatórios e duches estacionamentos CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 15
vestiários, lavatórios e duches estacionamentos CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 15

15

Níveis de arranjo físico

arranjo geral; escalas; 1/200; 1/500; 1/1000 só com indicação das manchas; LAY-OUT GERAL

•concepção interna de unidades de produção

(1:20; 1:50; 1/100). Estudo da carpintaria, da

oficina de armaduras,

; LAY-OUT

•definição do equipamento e ferramentas a afectar a cada instalação fixa do estaleiro (cadeiras, ferramentas, mesas, máquinas, DETALHE

)

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

ferramentas, mesas, máquinas, DETALHE ) CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 16 16
ferramentas, mesas, máquinas, DETALHE ) CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 16 16

16 16

04-04-2011

Como atribuir áreas ?

Definir tipo de instalação

•Definir áreas de depósitos com base em racios de armazenamento e estratégia de gestão de stocks

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

e estratégia de gestão de stocks CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 17 17
e estratégia de gestão de stocks CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 17 17

17 17

Tipos de instalação – exemplos (1)

Armazém / Escritório / Dormitório / Refeitório – Barracos madeira prefabricados (A.M. Mesquita, SOPREM, …) ou

contentores metálicos totalmente amovíveis (A + P , barracos construídos em madeira de pinho e não reutilizáveis.

) ou

As dimensões dos elementos reutilizáveis são as dos elementos disponíveis na empresa. São naturalmente muito variáveis. Os barracos não reutilizáveis terão a forma e dimensões que se adaptarem melhor às necessidades e à obra em questão.

Materiais não degradáveis – Áreas ao ar livre eventualmente protegidas das águas das chuvas que correm no terreno de modo a evitar lamas.

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

que correm no terreno de modo a evitar lamas. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 18
que correm no terreno de modo a evitar lamas. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 18

18 18

04-04-2011

Tipos de instalação – exemplos (2)

Motorizadas / Automóveis – cobertos provisórios sem estrado Carpintarias / Armaduras – cobertos não reutilizáveis com estrado. As chapas da cobertura poderão ser de alumínio, aço, ou outros materiais reutilizáveis Materiais sujeitos a degradação devido à chuva – armazém e/ou cobertos com estrado. Vias de comunicação – em estaleiros implantados em terrenos difíceis é necessário assegurar a drenagem das águas das chuvas para evitar grandes zonas de lamas e assegurar caminhos de circulação com o mínimo de capacidade de suporte. Drenagem e infra-estruturas do estaleiro – é imprescindível planear atempadamente todos os trabalhos necessários de modo a minimizar custos associados a alterações/correcções.

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

custos associados a alterações/correcções. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 19 19
custos associados a alterações/correcções. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 19 19

19 19

Definição de áreas (1)

No caso de barracos as dimensões estarão sujeitas aos meios disponíveis no caso de serem reutilizáveis ou serão livres no caso de não serem reutilizáveis. Em qualquer dos casos será o arranjo de pormenor e a definição do mobiliário e equipamento a instalar que determinará as dimensões.

Notar que em muitas situações o problema vai sendo resolvido por aproximações sucessivas. Mandam-se barracos para a obra logo que disponíveis, enchem-se com equipamento e/ou mobiliário e se necessário constroem-se ou deslocam-se mais barracos de modo a instalar todos os serviços necessários.

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

a instalar todos os serviços necessários. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 20 20
a instalar todos os serviços necessários. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 20 20

20 20

04-04-2011

Definição de áreas (2)

No caso de materiais a área a atribuir dependerá da gestão do respectivo stock.

Define-se o prazo de fornecimento e determina-se o stock consumido nesse prazo. Adiciona-se o stock mínimo para desencadear a encomenda e define-se a quantidade máxima a armazenar a que corresponde uma determinada área. A área é definida assim para o stock mínimo adicionado do stock consumido no prazo de fornecimento.

prazo de fornecimento = prazo entrega + margem + prazo de negociação e contrato

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

+ margem + prazo de negociação e contrato CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 21 21
+ margem + prazo de negociação e contrato CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 21 21

21 21

Definição de áreas (3)

Metodologia:

1)

Definir período de armazenamento - t

2)

Definir racios de armazenamento - ra

3) Area = t*ra

2) Definir racios de armazenamento - ra 3) Area = t*ra Exemplo: 10000 tijolos em 5

Exemplo:

10000 tijolos em 5 meses Período decidido – 2 meses – 4000 tijolos

90 tijolos/palete de 1*1 m2 com 1 metro de altura 3 paletes no máximo em altura –

Área = 4000/270 = 15 m2 …

30 m2

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

altura – Área = 4000/270 = 15 m2 … 30 m2 CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada
altura – Área = 4000/270 = 15 m2 … 30 m2 CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada

22 22

04-04-2011

Definição de áreas (4)

Alguns indicadores:

cimento em sacos dentro de barracos: 17 m 2 / 10 toneladas (pilhas até 1.5 m de altura)

cimento em silos : silos com Ø 3/4 metros; cerca de 10/15 metros de altura total

aço em varão: altura aconselhada 0.5 m devido ao peso,

não deixar o ferro tocar no terreno;

muito variável com os diâmetros utilizados

0.5 m 2 /ton mas

armazém de madeira: altura máxima 2 metros 1.5 m 2 /m 3 madeira

areias e britas: 2 m 2 /m 3 de material

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

e britas: 2 m 2 /m 3 de material CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 23
e britas: 2 m 2 /m 3 de material CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 23

23 23

Método correlações/análise por grupos (1)

O método das correlações / análise por grupos consiste num processo heurístico de implantação.

Não se garante o óptimo mas em cada interacção a solução deverá melhorar em relação à anterior.

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

deverá melhorar em relação à anterior. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 24 24
deverá melhorar em relação à anterior. CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 24 24

24 24

04-04-2011

Método correlações/análise por grupos (2)

1) Definir grandes zonas para cada um dos grupos a partir de critérios lógicos de bom senso, custo mínimo de exploração do estaleiro ou outros (ver lista à frente)

2) Implantar as áreas de cada um dos grupos de uma forma ordenada (por ordem sucessiva de importância e tendo em consideração o tipo de construção)

3) Criticar a solução implantada a partir de:

matriz de correlações critérios de optimização do estaleiro

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

critérios de optimização do estaleiro CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 25 25
critérios de optimização do estaleiro CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 25 25

25 25

Método correlações/análise por grupos (2)

6 Grupos

A – Produção

B – Meios carga, descarga e transporte interno

C – Depósitos

D – Vias de comunicação

E – Instalações apoio – controlo

F – Instalações apoio - Social

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

controlo F – Instalações apoio - Social CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 26 26
controlo F – Instalações apoio - Social CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 26 26

26 26

04-04-2011

Método correlações/análise por grupos (2)

Ordem implantação aconselhada – 2º passo:

entradas e saídas / controlo / electricidade, água, porteiro gruas central betão instalações produção (carpintarias, armaduras, prefabricados, depósitos / armazém / ferramentaria instalações sociais vias de comunicação

)

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

instalações sociais vias de comunicação ) CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 27 27
instalações sociais vias de comunicação ) CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 27 27

27 27

Tabela correlações

Ordem implantação aconselhada – 2º passo:

entradas e saídas / controlo / electricidade, água, porteiro gruas central betão instalações produção (carpintarias, armaduras, prefabricados, depósitos / armazém / ferramentaria instalações sociais vias de comunicação

)

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

instalações sociais vias de comunicação ) CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 28 28
instalações sociais vias de comunicação ) CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 28 28

28 28

04-04-2011

TABELA CORRELAÇÕES

 
Correlações com Sectores Obra A I I I C I I MI A I C
Correlações
com
Sectores
Obra
A
I
I
I
C
I
I
MI
A
I
C
I
C
C
C
Grua
MI
I
I
MI
I
C
C
C
Prep. de Betão
C
C
C
C
C
A
I
C
Prep. de Cofragens
C
C
C
A
I
C
C
C
Prep. de Armaduras
MI
I
C
C
C
Arm. Geral
C
C
I
I
C
C
C
C
I
Dep. p/ pref.
C
I
MI
I
Dep. Mat. diversos
MI
I
I
Montacargas
I
C
Cam. de serviço
MI
I
MI
I I
C
I
I
C
Meios de transporte
I
I
Direcção Obra
C
I I
C
C
C
C
C
Entrada Obra
I C
Estacion. de Autom.
I
C
C
Aloj. p/ Operários
C
C
Fiscalização
C
Sanit. Colectivo
C
C
Enfermaria
C
Pequena Oficina
I
Ferramentaria
A
Absolutamente necessária
MI
Muito Importante
I
Importante
C
A considerar
Obra
Grua
Prep. de Betão
Prep. de Cofragens
Prep. de Armaduras
Arm. Geral
Dep. p/ perf.
Dep. Mat. Div.
Montacargas
Cam. de Serviço
Meios de Transporte
Direcção Obra
Entrada Obra
Estac. de Automóveis
Aloj. p/ Operarios
Fiscalização
Sant. Colect.
Enfermaria
Pequena Oficina
Ferramentaria
 

CECCEC

CECCEC 29
CECCEC 29

29

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

Correlações fundamentais

 

• grua – obra: A

• grua – armaduras: MI

 

• grua – cofragens: MI

• grua – depósitos: I

• grua – local descarga: A

 

• grua – outras unidades produtivas: I

• produção e depósitos – obra: E

• central de betão – vias: A

• obra – vias: A

• instalações diversas – vias: I

 

• armazém – vias: E

CECCEC

CECCEC 30
CECCEC 30

30

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

04-04-2011

Critérios de optimização

 

Principais

• minimização da distância a percorrer em obra;

 

• minimização do número de operações de carga, descarga e transporte dentro de obra;

• minimização do número de montagens e desmontagens;

Outros

• isolamento das áreas sociais do local de construção;

 

• áreas de controlo e estacionamento junto às entradas;

• oficinas de produção em zonas recatadas mas com saídas debaixo da acção da grua ou no limite muito próximo do seu raio de acção.

CECCEC

CECCEC 31
CECCEC 31

31

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

 

Exemplos

• Estaleiro estilizado – 3 iterações

 

• Estaleiros de vias

 

• Barragem do Baixo Sabor

CECCEC

CECCEC 32
CECCEC 32

32

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

04-04-2011

Boas práticas ambientais em estaleiros

• CPRP

• Obrecol

• Edifer

• Relatórios de sustentabilidade

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

• Edifer • Relatórios de sustentabilidade CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 33

33• Edifer • Relatórios de sustentabilidade CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

FIM

CECCEC

CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução

FIM CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução 34

34FIM CECCEC CentroCentro dede EstudosEstudos dada ConstruçãoConstrução