Você está na página 1de 3

“...

a escravidão será entendida como contra-senso à civilidade do “Nos achamos em campo a tratar da liberdade”: a
império, enquanto a miscigenação pode ser um fator para promover ou resistência negra no Brasil oitocentista
atrasar o processo civilizador.” João José Reis
Escravidão:
“Úlcera no organismo do governo” “doença social” Contextualização Séc. XIX
Visão as vezes atenuada por entenderem que os escravos eram até bem
Escravidão em expansão Devido a lavoura de exportação, crescimento
tratados por seus senhores. das cidades e intensificação do tráfico.
Visto também como contribuição ao processo civilizador do negro.
Recuperação do açúcar (saída do Haiti)
Escravo era até melhor tratado que os trabalhadores brancos na Inglaterra
Utilização dos escravos na lavoura de café, mas tbm em muitos outros
nas industrias e minas. setores como algodão, na produção do charque e na lavoura de
A impressão da mobilidade social após liberto, pois a Constituição não
subsistência.
descriminava cor... a partir de liberto todos são iguais. Café Vale do Paraíba e Oeste Paulista
isso nos da a impressão que, embora o pais seja escravista, não “...grande celeiro do escravismo na segunda metade do século.” (pg. 243)
há preconceito de raça. Rio Maior cidade do hemisfério em população escrava.
Miscigenação: “...pode-se dizer que a história do século XIX brasileiro, que viu um
“..peculiaridade histórica do povo e da nação brasileira” (pg. 287)
imenso território formar-se nação independente, se confunde com a
Debate sobre os benefícios ou prejuízos.
história do apogeu e queda do regime escravista.”(pg. 244)
Martius - miscigenar para a pele branca fator positivo para civilização
proibição do tráfico em 1831
e formação nacional. fim efetivo em 1850.
Ribeyrolles – fusão das raças, meio para se atingir a civilização.
“O tráfico se constituiu no mecanismo mais usado para repor a mão-de-
Agassiz – mestiços grupo de degenerados.
obra escrava ao longo da história do escravismo brasileiro.” (pg. 245)
A heterogeneidade da população torna-se difícil para a formação da
Rebeliões forma de resistência coletiva dos escravos
nação.
destruição do regime escravocrata
Para a civilidade era necessário: moralizar as instituições publicas e
privadas, melhorara o ensino, desenvolver o comércio, transportes e corrigir excesso de tiranias e a opressão
comunicação, instalar industrias e investir na produtividade agrícola. busca de benefícios
com intuito de reformar a escravidão e não destruí-lo.
“O Brasil imperial mostrou muitas caras aos viajantes estrangeiros. Longe Revoltas mais intensas com a introdução de contingentes africanos
de esgotar a multiplicidade de imagens que eles criaram a respeito da provavelmente porque estavam ligados a uma tradição de guerrilha.
nossa sociedade, nosso governo, nossas instituições e nossa história, é mas tbm ligada as idéias do movimento de independência
notório que o Brasil de 1808 a 1889 desponta como grande terra prenhe de revoltas regionais
potenciais, mais que permanece num constante estado de formação, de circulação de ideologias liberais e mais tarde abolicionistas.
ainda estar por fazer, pelo processo civilizador, um eufemismo para a Idéias das Revoluções Liberais francesas Discussão sobre os direitos
dominação de valores cunhados pelos europeus e transportados ao Novo do homem.
Mundo.” (pg.294) Revolução Haitiana (primeiro estado negro do continente) se tornava
“...um lembrete de que era possível vence a classe senhorial.” (pg. 248)
Na idéia da independência do Brasil onde se libertava dos grilhões entre escritos do novo mundo para o velho.
Portugal e Brasil, onde Brasil era escravo de Portugal. E isso fomentou a Ideário expansionista na Europa
idéia que tbm se conseguiria sua própria liberdade, independência. ”Em suma, nos escritos desses forasteiros estão sendo avaliados
 alguns até acharam que com o desvinculação da Corte já as potencialidades econômicas, sociais e naturais do país.” (pg. 268)
estavam livres. Grande interesse do estrangeiro no Brasil devido a sua variedade em
Os adversários usaram da ideologia de liberdade para conspirar contra o todos os aspectos, além de sua segurança relativa, pois aqui havia mtos
Império. estrangeiros e estabilidade política.
Sabinada (1838) Nas primeiras três décadas questões dos viajantes em volta da idéia
Farropilha (1844) de formação da nação.
Balaiada (1838-1841) 1. Spix e Martius - iniciada com a “ação civilizadora” com a
“Os escravos participaram ativamente, e às vezes mudança da Corte Real para o Brasil;
surpreendentemente, da desorganização e extinção do escravismo 2. Luccock e Rugendas - elevação do Brasil a Reino Unido,
braileiro”. surgimento de um sentimento nacional;
interpretavam os acontecimentos de acordo com seus próprios 3. Armitage - o reflexo da Revolução do Porto e o juramento a
interesses. Constituição.
ex. quando saiu a lei de 1850 que definia o fim real do tráfico, Idéia de que o Brasil era atrasado devido à colonização portuguesa e
eles acharam que com isso o escravismo havia acabado e que seus após o desvinculo colonial, o Brasil se desenvolveu mais em “10 anos que
senhores não obedeceram a lei. em 3 séculos”.
e sempre que possível se utilizaram dos meios legais para Não existia a sociedade na nação que se formava na pós
conseguir o que desejavam. Como na lei de 1871 onde se legalizou, pela independência.
primeira vez, certos direitos dos escravos. líder D. Pedro I não refletia o BRASIL;
Discussão sobre os movimentos da resistência escrava, não só se precisava existir uma união entre “brasileiros”;
dava através do ideário das revoluções liberais, mais tbm segundo a e existir leis que sejam adaptadas a realidade do Brasil
herança africana dos escravos, como, por exemplo, a revolta dos Malês de descompasso entre o político e a realidade social;
herança islâmica. 4. Saint-Hilaire – falta de sociedade causava uma força negativa para
Os escravos vistos como sujeitos históricos ativos. a formaçao dos sentimentos de nacionalidade, unidade, patriotismo
faziam a política a sua maneira, usavam sus ideários próprios e de uma nação civilizadora.
como aramas contra a escravidão. Num geral todos apoiavam a monarquia constitucional como um
instrumento civilizador.
Olhares estrangeiros sobre o Brasil do século XIX Com D. Pedro II, as coisas mudam de figura... pois agora existe um
Karen Macknow Lisboa Rei na liderança do império que é brasileiro.
bem retratado pelo viajantes como o que faria o país caminhar.
1808 abertura dos portos, derrocada dos antigo sistema colonial. Após a queda do Império se viu as debilidades do próprio Império
”internacionalizçao” do Brasil – presença de estrangeiros no visto como “mal construído” onde se desmoronou naturalmente.
país. Mesmo como D. Pedro II no poder q encarnara o propulosr do
Presença principalmente de ingleses processo civilizador.
Problemas como a escravidão e a miscigenação no processo
civilizador: