http://ntmad.blogdrive.

com

trás Montes &alto douro
de

notícias

-os-

105ºaNiVersário

Director: Jorge ValaDares /// Director-aDJUNto: aNtóNio armaNDo Da costa /// aNo XVi /// N.º 123

publicação regionalista propriedade da casa De trás-os-moNtes e alto DoUro

da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro
a
ctMad esteve durante os primeiros meses deste ano de 2011 muito ativa: foi em primeiro lugar a assembleia geral ordinária, em 14 de Janeiro para aprovação do relatório de contas; foi depois, em 31 de Janeiro, assembleia geral eleitoral; e no dia 14 de Março, nova assembleia geral para aprovação do orçamento e plano de atividades para o ano em curso. todas estas ações exigem muito trabalho e muita dedicação e muito discernimento aos elementos nelas envolvidos. tudo correu bem graças ao empenhamento de toda a equipa e da capacidade que todos demonstraram no cumprimento de todas as tarefas de que estavam incumbidos e sempre em regime de voluntariado. estão todos de parabéns. infelizmente só apareceu uma lista e, embora este fato facilite o trabalho, por outro lado desmobiliza muito os associados. a lista única está eleita e os eleitores deixam de aparecer, até para pôr as quotas em dia e há algumas, muitas bem atrasadas a direção teve de escolher o Mandatário que recaiu no antónio chaves, e depois a comissão eleitoral formada por três elementos, um em nome da direção, outro em nome do conselho Fiscal e o terceiro em nome da assembleia geral: o duarte guedes Vaz, o armando Jorge e o serafim de sousa. esta comissão teve de estudar a legislação, aplicá-la nos atos que se iam realizando e nas dúvidas fazer algumas perguntas sobre a interpretação das leis. nestas coisas é considerada lei o uso e costume de quase todas as associações. desta vez temos uma direção com grande força dos lados de chaves, com duas senhoras. na assembleia geral e conselho Fiscal temos uma senhora. penso que esta diversidade louvável vai permitir um maior diálogo com os sócios e uma interatividade mais eficiente na realização dos eventos da casa. agora só temos de arregaçar as mangas e trabalhar muito para que esta equipa possa levar a bom termo tudo o que se propôs no seu plano de atividades e se possível ir ainda muito mais além. tudo depende de nós e deles, pois todos temos de colaborar naquilo que a direção sem acanhamentos nos pedir como ajuda para tudo quanto precisarem. solicitados, creio que não haverá ninguém capaz de dizer que não, de acordo com o seu estado de saúde e as suas capacidades. a mim já me pediram par colaborar no jornal e fá-lo-ei sempre com muito gosto. Milagres não conseguiremos fazer, mas faremos, se for o caso, o impossível para conseguirmos levantar os ânimos a ponto de chegarmos todos onde queremos. um apelo final, deixemo-nos de quezílias, confiemos todos uns nos outros, demos as mãos por esta casa comum, procuremos atrair os jovens até junto de nós e chegaremos longe, muito mais do que até pensamos. bom trabalho. Serafim de Sousa

Novos Corpos Sociais (2011-2013)

Mais uma etapa do percurso

Próximas actividades ctmaD
17 de abril: Festa do Folar e do azeite (Ver última página) 27 de abril: Jantar do 25 de abril 14 de maio: dia de Mirandela na ctMad (Ver página 6)
reuniões de Direcção: 11 de abril e depois de 2 em 2 semanas às 2as Feiras
Nota: É necessário inscrição prévia para as actividades de 27 de Abril e 14 de Maio até 48h antes

Outras actividades futuras:
aniversário: 24 de setembro; Magusto: 6 de novembro; ceia de natal: 19 de dezembro

om a cadência ritmada dos acontecimentos previstos, na crónica da ctMad ficou o registo de mais uma reunião. Foi dia 9 de Fevereiro. Foi feita a apresentação dos elementos para cada um dos Órgãos sociais (assembleiadirecção-conselho Fiscal) conforme a lista que tinha sido eleita no dia 31 de Janeiro. assinou-se o compromisso da sua prestação. Foi uma cerimónia singela, em ambiente familiar – a família da ctMad – onde não faltou, depois, o convívio no bar, seguido de uma típica refeição regional, e que motiva algumas considerações. na qualidade de presidente da Mesa, elemento cessante e em renovação de mandato, coube-me a grata tarefa de proferir algumas palavras. não quis que destoassem da simplicidade, nem minimizassem o tom ‘oficial e solene’ que envolve uma tomada de posse dos órgãos sociais de qualquer instituição. com a convicção de quem finda uma etapa, disposto a arrancar para outra, fez-se deste ponto de chegada um ponto de partida. tal consciên-

c

Tomada de posse dos Órgãos Sociais da CTMAD
cia implica a obrigação de se promover novo impulso com aguerrida vontade para prosseguir, para que se leve e se transmita o espírito da estafeta ao longo do mandato. a ctMad merece. e a causa é pessoal, é dos elementos empossados, e em posição de corrida..., é dos membros associados (e é dos simpatizantes espectadores). ninguém ignora a realidade do associativismo, nem as barreiras e obstáculos do percurso, bem como as potencialidades e as limitações (virtudes e defeitos) dos que se movem para lograr objectivos concretos, ainda que seja correr contra os ventos... Foi este o sentido das palavras dirigidas na sede da casa a um bom número de consócios e amigos presentes e daqui endossadas aos que não puderam estar. referiram-se dois verbos ‘sentimentais’ que se complementam, no presente, avaliando o passado, com olhos no futuro: agradecer e felicitar. primeiro, a felicitação aos membros empossados, que, numa atitu-

»02

A Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro é a mais antiga Associação Regionalista de Lisboa (alvará de 23 de Setembro de 1905) – Condecorações: Membro Honorário da Ordem do Infante Dom Henrique (21 de Abril de 2005); Ordem de Benemerência (5 de Outubro de 1931); Medalha de Honra da Cidade de Lisboa (20 de Julho de 2005) Pessoa Colectiva de Utilidade Pública (D.R. n.° 117, 11 Série de 22-05-1990) Campo Pequeno, 50 3.0 Esq. – Tel. e Fax 21 793 93 11 – 1000-081 Lisboa – E-mail: ctmad.lisboa@gmail.com

abril 2011

02

trás Montes &alto douro
de

notícias

N.º 123 /// abril 2011

-os-

A CTMAD depende de todos os associados e não só dos seus órgãos sociais
Jorge ValaDares
omaram posse recentemente novos órgãos sociais da nossa vetusta instituição. os membros dos órgãos sociais e em particular os da direção vão ter que governar em tempos difíceis, dada a crise que o nosso país atravessa. uma crise em que nos dispensamos de apontar as causas pois elas são por demais conhecidas. não será de certeza pelas mesmas causas que a nossa respeitável mas nem sempre respeitada casa irá entrar em crise, pelo menos enquanto a atual direção estiver à frente dos destinos da mesma. Mas alguém estar à frente significa estar acompanhado com outros ou muitos outros por trás e é óbvio que os destinos possíveis da nossa associação passam por todos os seus associados e, de um modo geral, pelos transmontanos que vivem na grande lisboa, cuja atitude de dedicação ou indiferença contribui e muito para o futuro dela. a ctMad já passou por períodos piores e melhores, de desafogo e de grandes necessidades, e sobreviveu pois diversos transmontanos optaram por a apoiar nos momentos piores. estamos conscientes de vários constrangimentos que existem ao desenvolvimento da ctMad, humanos, legislativos e estruturais e estamos a desenvolver esforços por ultrapassálos o mais depressa possível. Mas é

»01

Tomada de posse (cont.)

editorial

t

difícil quando por exemplo se organiza uma visita à nossa região e os associados se mostram indiferentes a ela. ainda agora tivemos de desistir por desinteresse dos associados de um passeio às amendoeiras em flor anunciado no Magusto, no jornal e em dois e-mails enviados a centenas de associados. e isto para dar apenas um exemplo. se não se organizam atividades não temos mais associados com quotas em dia, mas se os associados voltam as costas às atividades para que o trabalho e despesa de as organizarmos? a direção terá de fazer tudo o que está ao seu alcance, mas em pouco resultará se não contar com a dedicação, adesão, colaboração, comunhão de sentimentos e o apoio crítico construtivo de todos os associados. em vez de associados que se revelam sistematicamente indisponíveis para ajudar seja no que for e participar nas atividades da casa e apenas sabem denegrir e criticar destrutivamente, a ctMad precisa de associados que compareçam, sugiram, convençam outros transmontanos a fazerem-se associados, a participar das suas atividades, a oferecerem a sua experiência para bem dela, a adquirirem experiência e conhecimento da casa, para darem o seu contributo para que ela tome o melhor dos rumos.

de generosa, com coragem, aceitaram dar o nome para a constituição da lista a. atento o resultado das eleições, a felicitação foi directa ao Mandatário, à comissão eleitoral, aos que votaram e aos que não puderam comparecer à votação. e foi, obviamente, para os eleitos, augurando-lhes sucesso. e o agradecimento impunha-se. Qualquer serviço, gratuita e voluntariamente prestado, induz ao reconhecimento dos beneficiários. a cada uma das pessoas dos Órgãos Sociais cessantes – promotores-realizadores do que esteve ao seu alcance, sem isenção de erros próprios da natureza humana, mas com iniciativas relevantes de incontestável mérito. estendi o agradecimento ao Mandatário, a cada elemento da Comissão Eleitoral, aos Membros do Conselho Regional e também a quem esteve a trabalhar nos ‘bastidores’, assegurando o apoio logístico imprescindível. sublinhado que fica o sentido de ‘serviço’, considero honra e privilégio poder continuar a fazer parte da equipa empossada. senti-me perfilado com todos, na perspectiva de um horizonte toldado de nevoeiro, com exigência de trabalho continuado. a referência está no ‘plano de actividades’ como projecto do triénio que agora começa. cada ponto é um programa. postula-se o desafio de polir a imagem da casa, afirmar a sua presença aqui, e projectá-la para fora, acertar estratégias em diálogo democrático para preservar e proclamar os valores regionais da cultura e tradições, dando testemunho deles, e ser o cartaz e a voz dos que por lá e por cá ainda a não têm ou não a usam. É imperativo da coerência de vida e do padrão de interesses de cada um, pela participação no debate de ideias propulsoras do desenvolvimento da ctMad, em todos os sentidos. também, e sobretudo, perante os empresários, as respectivas au-

tarquias e os órgãos do poder central – os persistentes cegos e moucos - por não quererem ver nem ouvir as gentes das nossas terras. com fé e muita esperança -“A esperança é um sonho que caminha” (escreveu aristóteles). e, com o desejável espírito de equipa, esteja presente a cada passo, o que escreveu John Quincy adams: “Paciência e perseverança, têm o efeito mágico de fazer as dificuldades desaparecerem, e os obstáculos sumirem”. para se celebrar entre nós o ano europeu do Voluntariado, faça-se o passo em frente e disponham-se os sócios, capazes de darem um pouco de si, como voluntários, participando com a estrutura da casa-de-todos para se melhorar o que seja susceptível de aperfeiçoamento. e é bastante! Vamos fazer a diferença. É uma nova etapa. ganhará quem fizer por isso. A. Guilhermino Pires

Caro leitor, forneça o seu endereço de email à Casa É mais fácil e económico entrar em contacto consigo

Assembleia Geral (AG) de discussão e aprovação do plano de atividades e do orçamento para 2011
eve lugar no dia 18 de Março, pelas 18,30 horas, esta assembleia-geral (ag). o plano teve por base o programa eleitoral e assentou em linhas gerais de atuação que lá foram explicadas. a direção realçou a necessidade de os associados mais experientes e com melhor conhecimento da realidade da ctMad se envolverem ativamente numas jornadas de reflexão – ação a realizar e que terão como objectivos: • Aprofundar o acompanhamento prospetivo e proativo do desenvolvimento de trás-os-montes e alto Douro, em ligação com as suas autarquias, em iniciativas que beneficiem a região. • Potenciar a ligação à comunidade transmontana e alto-duriense da região da grande lisboa, de modo a alterarmos significativamente a dimensão e natureza da nossa massa associativa. o presidente afirmou estar a legislação da ctMad desatualizada e com ambiguidades e a direção, seguindo uma proposta aprovada do dr. armando Jorge, comprometeu-se a desde já preparar, discutir e levar à discussão e aprovação em ag de novos estatutos. como em muitas outras organizações semelhantes, a receita permanente só cobre uma uma pequena parte da despesa total, pelo que a direção manifestou a absoluta necessidade de se prosseguir o esforço de reduzir despesas, captar apoios e produzir receitas extraordinárias. eliminar-se-ão também atividades que dão prejuízo, por não terem o apoio dos associados e investir nas que são suscetíveis de trazerem outros novos e o aumento dos que atualizam as suas quota, gerando receitas. o presidente da direção fez um

ctmad.lisboa@gmail.com

t

ESTIMADO ASSOCIADO
VeNHA FAZer o SeU JANTAr De CoNVÍVIo NA NoSSA SeDe. eMeNTAS TrANSMoNTANAS

divulgue a sua actividade a todos os nossos leitores
aNUNcie No Nosso JorNal

caro associaDo comerciaNte/iNDUstrial

Precisamos de quotas pagas. Envie o talão de transferência para a CTMAD. Apoie a Nossa Casa

0035 0001 0001 3051 5305 6

Deposite as suas quotas e os seus donativos na conta da CGD com o NIB

apelo à militância dos associados, para que participem nas atividades da casa e levem consigo os seus familiares e amigos. o relatório refere-se também á necessidade de rejuvenescer a massa associativa e garantir o futuro da nossa casa, o que exige, para além do empenhamento da direção, a colaboração de todos os que têm um sentimento de pertença e de dedicação à instituição que nos une. a direção também mostrou a sua firme determinação de prosseguir as diligências possíveis para que se concretize, no prazo mais curto possível, a troca efetiva do direito de superfície de um terreno que possuímos pelo direito de ocupação de um palacete proposto pela cM de lisboa. direção prometeu ainda todo o apoio à realização de almoços, lanches ou jantares durante os mais variados eventos, tertúlias, palestras, lançamentos de livros, eventos familiares, etc. comprometeu-se também a reforçar os meios de comunicação tradicionais e modernos e através deles divulgar a ctMad como instituição, os seus valores e as suas atividades. e, caso tenha a adesão e estímulo de associados em número suficiente, irá desencadear atividades diversificadas tais como as tradicionais festas populares, tertúlias, dias dedicados a regiões do país, passeios e visitas culturais, a comemoração condigna do aniversário da casa e a tradicional Festa de natal. Face a um programa sério, realista e bem elaborado e contas justificadas e fundamentadas, o relatório e o plano foram aprovados por unanimidade. A Direcção

notícias

N.º 123 /// abril 2011

trás Montes &alto douro
de

-os-

03
Murça chaves

Quando os factos falam por si

corpos sociais
(triÉnio 2011-13)
cargo

Dizemos nós que ‘contra factos não há argumentos’
a
ctMad reuniu em assembleia-geral para apreciação e votação do relatório das actividades levadas as cabo pela direcção em 2010. igualmente se apreciaram o balanço, as contas e o parecer do conselho Fiscal. na sequência do encerramento da sessão a que tive a honra de presidir, pareceu-me dever destacar para público conhecimento algumas das actividades mais significativas. a reunião decorreu com a habitual harmonia e bastantes intervenções. o presidente da direcção, no uso da palavra, projectou em pps os conteúdos da relação com slides elucidativos comprovantes do ‘feito em 2010’. outros directores intervieram com achegas do respectivo pelouro, mostrando espírito de equipa, com humildade no discurso. alguns, dos diversos acontecimentos relatados, são de destacar da rotina de uma gestão corrente, onde, a criatividade, podendo ser melhor, não faltou. a existência de algum défice das estruturas, decorre de reconhecidas falhas humanas, a implicarem disponibilidade e dedicação sem medida, para o cumprimento de um ambicioso programa. À apresentação seguiu-se o debate: participativo, reflexivo, construtivo. Votou-se. aprovouse tudo. sem dúvida: contra factos não há argumentos. do que foi feito a síntese possível: 39 eventos em 11 meses úteis, significa quase uma actividade por semana. os membros dos Órgãos sociais estiveram oficialmente em 26 representações circunstanciais. algumas das mais gratificantes foram as presenças no doutoramento Honoris Causa do associado Mestre nadir afonso, na universidade lusíada; na abertura da sua exposição no casino do estoril e no jantar comemorativo dos seus 90 anos, bem assim na homenagem que lhe foi prestada e na condecoração no palácio de belém, pelo presidente da república. Houve ainda presença no encerramento das comemorações do centenário da república, com a confederação portuguesa das colectividades de cultura, recreio e desporto, em porto salvo; na homenagem ao professor adriano Moreira, promovida pela autarquia de bragança; e na projecção do documentário “Pare, escute e olhe” sobre a linha do tua na autarquia de Mirandela. apostara-se na realização de todas as tradicionais grandes Festas da casa, aonde nunca faltou a típica animação sócio-recreativa-cultural, com alegria, cantos e música através da colaboração de vários associados e grupos culturais, fomentando a cultura musical transmontana e alto-duriense, redundando em excepcionais oportunidades da sua divulgação junto dos lisboetas, transmontanos e alto-durienses ou não. a actividade cultural com lançamento de livros, homenagem a várias personalidades da nossa região, a organização de debates sobre a “educação e Desenvolvimento de TMAD”, a comemoração do 105.º aniversário da ctMad na sede. Fez-se a conveniente divulgação de cada evento. lamentou-se que nem sempre o número de participantes foi o esperado. Mesmo assim alguns constituíram importantes fontes de receita, dada a exiguidade das verbas da quotização. tudo isto sem contar com 30 encontros-convívio, informais, de pequenos grupos e ‘núcleos concelhios’. discutiu-se a irregular periodicidade do ‘Notícias de trás-os-montes e alto Douro’; o problema da nova sede, e houve referências ao conselho regional e aos Núcleos locais. Falou-se do bom relacionamento que a direcção manteve com as “casas regionais transmontanas e alto Durienses” espalhadas pelo país e no estrangeiro; do espírito de cooperação com as casas concelhias e com o conselho Nacional das casas regionais de lisboa; e da inscrição na confederação Portuguesa das colectividades de cultura recreio e Desporto. simultaneamente procurouse um bom relacionamento com a administração Pública e órgãos autárquicos. Foram garantidos os mais variados serviços, nomeadamente na comunicação com os associados, processada de dois modos: pelo correio (cartas e jornal) e por via informática aos que disponibilizaram os seus endereços de e-mail. a ctMad já está no FaceBook, complementando assim a presença na internet. com ou sem apelos, aqui fica o resumo de quanto se fez ou se deixou por fazer num ano de mandato... em prestação de serviço dedicado, gratuito e voluntário. para viabilizar as solicitações, excedeu-se o número de reuniões da direcção previstas nos estatutos. objectivamente, e com algumas lacunas, houve equipa colaborante que, em diálogo possível e no respeito democrático pela diferença, se comprometeu a levar por diante as causas da ctMad. e fê-lo. alguns dos membros alistaram-se, disponíveis, para novo mandato. não se trata de repetirem a prova por terem ‘chumbado’ mas de aceitarem o desafio para reassumirem a responsabilidade em atitude generosa para melhorar a prestação. bem-hajam. um aplauso e votos de bom trabalho. A. Guilhermino Pires, Presidente da Mesa da A.G.

Mesa da asseMbleia geral
noMe concelHo

antónio guilhermino pires Mª de lourdes Marques alberto pires José M. Jerónimo teixeira

presidente 1º secretário

Vice-presidente alfândega da Fé 2º secretário torre de Moncorvo

direcção
noMe cargo concelHo

Jorge antónio Valadares ana sara brito José teixeira e castro antónio Medeiros amaro antónio armando da costa Manuel augusto Martins carlos alberto cordeiro teófilo da silva bento teresa sarmento craveiro Jorge pereira gomes João antónio tomás

presidente

chaves

Coordenação Geral, Relações Externas Jornadas de Reflexâo-Acção Vice-presidente torre de Moncorvo secretário Secretariado tesoureiro Vogal Vogal Vogal Vogal Conselho Regional Vogal Vogal suplente Vogal suplente Mogadouro chaves chaves Ligação às Autarquias boticas Mirandela Vila real Mirandela Miranda do douro Tesouraria, Orçamento e Investimentos Comunicação e Informação Actividades Sociais e Recreativas Actividades Culturais chaves Coordenação Geral (Substituta), Relações Internas e Património

conselHo Fiscal
noMe cargo concelHo

daniel Justino santos Maria laura Maia e silva leonardo Fernandes antão elsa Moreira

presidente 1º Vogal 2º Vogal Vogal suplente

Moncorvo alfândega da Fé Miranda do douro Mogadouro

Extratos do Plano de Atividades para 2011
introdução esta é a súmula do plano de actividades da nova direcção no seu primeiro ano de mandato, aprovado em assembleia-geral. a direcção trabalhará na base da responsabilização individual e cooperação dos seus membros em áreas de trabalho a seguir indicadas. 1) relações externas e internas. Jornadas de reflexão-acção reactivar os contactos com as autarquias de tMad tendo em vista conseguir mais sócios extraordinários para a casa, no contexto de conseguir apoios diversificados às actividades da casa e compensar as despesas. proceder à realização de umas Jornadas de Reflexão – Acção, a realizar sem grandes demoras, com conclusões e propostas bem fundamentadas e amplamente consensuais. 2) Nova sede Manter o contacto com a cMlisboa no sentido de obtermos o imóvel sito nos paços da rainha nº 92 (compromisso assumido pelo presidente da câmara - dr. antónio costa). 3) secretaria e secretariado para além do trabalho normal da secretaria, garantir uma maior eficiência das actividades de secretariado. 4) tesouraria e orçamento efectuar um levantamento da situação financeira da ctMad e definir as medidas a seguir tanto no sentido da angariação de Fundos como na orçamentação e racionalização de custos. 5) comunicação criar um departamento de comunicação e informação (dci), superintendendo o âmbito da internet e do Jornal Notícias de Trás-os-Montes e Alto Douro (ntMad), procurando garantir os mais elevados padrões de qualidade de informação, e a sua mais ampla circulação entre os sócios e o público em geral. criar um portal único com o endereço http:// www.ctmad.pt, centralizando toda informação de e sobre a ctMad, incluindo o acesso à versão electrónica do ntMad. garantir a manutenção do grupo Casa de Trásos-Montes e Alto Douro (Lisboa) no FacebooK. a secretaria continuará a informar os sócios das realizações da ctMad por via do e-mail. 6) atividades culturais procurar-se-á proporcionar todo o tipo de actividades culturais promovendo a cultura de tMad, nomeadamente em colaboração com as Juntas de Freguesia da grande lisboa. 7) atividades sociais e recreativas Manter e porventura aumentar o regular funcionamento dos eventos na sede, dando todo o apoio à realização de refeições durante os mais variados eventos. também dinamizar e apoiar outras iniciativas para mais convívio na sede, tais como p. ex. uma grande noite de Fados. 8) conselho regional dinamizar o processo de constituição e funcionamento do conselho regional, e manter uma ligação efectiva com este Órgão consultivo. 9) ligação às autarquias, associações, escolas e outras entidades de tmaD divulgar a ctMad junto das autarquias e outras entidades. procurar divulgar o que se passa na região de tMad, fomentando para tal a troca de informações com as mais variadas entidades da região. simultaneamente através das autarquias, contactar postos de turismo e agências de viagens locais, facilitando a organização dos passeios à nossa região natural. Teófilo Bento

04

trás Montes &alto douro
de

notícias

N.º 123 /// abril 2011

-os-

Retalhos... de Burel e Ouro
Armando Jorge e Silva
na quinta do douro, concelho de alijó, lançou simbolicamente a primeira pedra da construção da barragem do tua, na presença do presidente da câmara de alijó e do presidente da edp. É um investimento de 305 milhões de euros e, prevê-se, começará a produzir energia em 2015. antes destes dois actos inaugurais, já tinha visitado o túnel do Marão, para se inteirar do andamento das obras. angolana da lunda em todas as direções, escreve esta notícia com grande esperança no futuro, misturada com um monte de recordações.

Notícia introdutória

É

com pesar que informamos associados e leitores de que o nosso milhanho, ou milhafre, cessou os voos observatórios. o seu criador José luís castor decidiu-se pela “reforma antecipada” e o milhano acompanhouo na sua decisão. nós ficamos mais empobrecidos, pois perdemos a sua capacidade de voar alto, de ver melhor, e de, em voo picado, rapidamente captar a presa desejada. Fizeram bom trabalho o milhano e quem o soube criar e domesticar, e o nosso jornal, para memória futura, aqui deixa exarados os devidos agradecimentos. esta é uma secção de notícias, uma das prediletas dos leitores de acordo com sondagens “científicas” feitas boca a boca. sem o apoio do milhano vai ser mais difícil trabalhá-la. iremos por aí fora ao rebusco, procurando colher nas paisagens, no património construído, na história, nas lendas e mitos, e sobretudo nas gentes, retalhos, feitos de burel ou de ouro, que nos dêem a panorâmica da identidade e das vivências da nossa região muito querida: trás-os-Montes e alto douro. Quem quiser ajudar envie-nos notícias, para que tenhamos das nossas terras e das actividades das suas gentes um conhecimento verdadeiro e completo. tentaremos ser equilibrados e justos na sua divulgação, dando relevo àquelas que em cada momento nos parecerem mais honrosas e importantes, com prontidão, entusiasmo, dedicação.

Sabrosa, terra de Magalhães

s

Comissão parlamentar no Alto Tâmega
comissão parlamentar de agricultura, desenvolvimento rural e pescas visitou recentemente os concelhos de boticas, chaves, Montalegre, Valpaços e Vila pouca de aguiar para conhecer situação real da agricultura na região. e viu o que já se sabia: desânimo nos agricultores, empobrecimento, êxodo rural, falta de estímulos e apoios por parte do poder central ao associativismo agrícola, preços baixos na produção, dificuldades e chantagens nas redes de distribuição. a comissão prometeu levar estas preocupações à assembleia da república. um elemento da comissão, o presidente, disse: “ o país não é só constituído pelas grandes áreas metropolitanas. todas as regiões do interior têm de manter as suas populações e sem rendimento, nem riqueza, será muito difícil que as populações se mantenham.” Que lhes parece?

a

anlúcar de barrameda é a terra espanhola de onde zarpou Fernão de Magalhães em 1511 para a sua viagem marítima à volta do mundo. como este ano se comemoram 500 anos dessa aventurosa e histórica viagem, uma delegação daquela povoação espanhola composta por algumas dezenas de pessoas, visitou sabrosa no passado mês de Fevereiro, esteve na casa de Fernão de Magalhães, em s. Martinho de anta, na aldeia vinhateira de provesende que a encantou, como encantada ficou com as maravilhosas paisagens durienses. sabrosa, graças ao grande navegador, cada vez mais se internacionaliza.

gionais organizaramse as habituais Feiras do Fumeiro, do presunto, da carne dos lameiros, nas feiras de Vinhais, Montalegre, boticas, chaves, s. João da corveira (Valpaços), bragança, Mirandela, que transaccionaram milhares de quilos de produtos diversos. com o desabrochar das flores das amendoeiras, as alcantiladas serranias das terras quentes do douro superior parecem jardins floridos e as autarquias de alfândega da Fé, carrazeda de ansiães, Freixo de espada à cinta, Mogadouro, torre de Moncorvo, Vila Flor e Vila nova de Foz côa organizaram festividades com programas especiais com muitos nacionais, sobretudo da zona norte.

Ribeira de Pena
m ribeira de pena, com 90% do seu território coberto de árvores, a semana de 19 a 25 de Março foi dedicada à floresta. Houve no lindo parque ambiental da Vila um conjunto alargado de atividades destinadas a promover e preservá-las. com a colaboração das populações e das crianças das escolas foram plantadas mil novas árvores que farão de ribeira de pena, uma região ainda mais verde e encantadora.

Carnaval e amendoeiras em flor
ouve na nossa região, um pouco por todo o lado, carnaval para os mais diversos gostos e feitios, levando às aldeias, vilas e cidades um número crescente de turistas. salientaramse as iniciativas das crianças que orientadas e enquadradas pelas suas professoras e educadoras fizeram festas de convívio, encenaram teatros, mascararam-se, desfilaram pelas ruas em luzidios cortejos emprestando ao ambiente cor e muita animação. em Vila boa/Vinhais e santulhão/Vimioso o carnaval foi gozado à maneira antiga. no campo da etnografia e do turismo o carnaval chocalheiro da freguesia de podence, Macedo de cavaleiros, com os seus exóticos e vistosos caretos continua a somar pontos positivos. Mostrando as certificadas qualidades dos produtos re-

e

H

Primeiro Ministro em Trás-os-Montes e Alto Douro

UTAD faz protocolo com a Lunda Sul/Angola
universidade de trás-os-Montes e alto douro estabeleceu um protocolo de cooperação com a recém-criada universidade lueji a´nkonde, da lunda sul, com uma população de 2.000 estudantes. a cooperação restringe-se à área do desporto, mas abre janelas para uma colaboração futura mais alargada. a capital da lunda sul é saurimo, geminada com a nossa vila de alijó. o redator desta secção nascido no concelho de alijó e que durante vários meses, no ano de 1967 percorreu a vasta região

A banda de Parafita inaugura sede

J

osé sócrates, primeiro Ministro, inaugurou no dia 18 de Fevereiro o centro escolar de Murça, exemplo para o país e a primeira em tMad a ser dotada de rede de comunicações de nova geração. esta rede ligará os serviços públicos, particulares e escolas de todo o país. nas palavras do primeiro-Ministro “nada diferencia esta escola primária de qualquer escola na Europa”.

a

o

concelho barrosão de Montalegre tem 133 aldeias espalhadas pela área dos 822 Km2 concelhios, uma das quais, parafita, localizada na borda norte da barragem do alto rabagão, faz parte da freguesia de Viade de baixo. desde há muitas e muitas décadas que mantém viva uma banda Filarmónica, a única do concelho, tornando-se por esse facto um valor real e simbólico. Falar de parafita é falar da banda de parafita. pois esta banda, viu concretizado o sonho de ter uma sede própria e condigna para as suas

Especialista em utensílios hoteleiros
Rua dos Anjos, 13-B Tel. 21 882 37 70/9 Fax. 21 882 37 77 1550-033 L isboa Avenida 5 de Outubro, 47 r/c Tel. 289 393 612 Fax. 289 393 613 8135-100 a LmanciL a rmazém : Estrada Nacional 10 Edifício Edipad, Armazém B1-B2 2685-671 s ão J oão da T aLha Tel. 21 994 8370 Fax. 21 994 8379 www.nortelsul.pt

notícias

N.º 123 /// abril 2011

trás Montes &alto douro
de

-os-

05

Retalhos... de Burel e Ouro
De Mirandela, a princesa do Tua
cada turma escolar plantou uma árvore ficando responsável pelo acompanhamento do seu crescimento. no decorrer da acção foram feitas e recitadas poesias alusivas à árvore e ao ambiente. e 11 de setembro, na vila de alijó. o país convidado será o brasil e Manoel de oliveira o homenageado. É criado o prémio casta douro Manoel de oliveira para premiar o melhor filme que se refira ao douro e ao Vinho do porto. recorde-se que no ano passado, o festival ocorreu em Vila real, lamego, Freixo de espada à cinta e sabrosa, teve a argentina como país convidado e homenageou a atriz sofia loren. o festival foi distinguido com uma menção honrosa pelo turismo de portugal. se gosta de vindimas e cinema reserve já na sua agenda os primeiros dias de setembro para uma estadia turística no douro.

e
actividades. obra de toda a comunidade, nela participaram com a sua generosidade personalidades da terra e, naturalmente, a câmara Municipal de Montalegre. a inauguração ocorreu no dia 12 do passado mês de Fevereiro num ambiente festivo. teve a presença do governador civil de Vila real, do presidente da câmara de Montalegre, do bispo coadjutor da diocese. o presidente da associação, avelino gonçalves, expressando o sentir das gentes da parafita manifestou a sua alegria declarando que “tinha a alma cheia”. parabéns à banda de parafita.

Couto de Dornelas/Boticas

d

ornelas é o nome oficial desta freguesia do concelho de boticas, mas o povo continua a chamar-lhe couto de dornelas, o nome de antigamente. Foi constituído couto do arcebispado de braga por d. afonso Henriques, a mando do seu pai o conde d. Henrique. o nome dornelas deriva de dorna pequena. uma dornela de mel ou cera era o contributo anual do couto para o arcebispado de braga. o ntMad tem de referir uma tradição que nesta freguesia é religiosamente cumprida, única no país. É uma enorme romaria, este ano a 20 de Janeiro, com gente vinda da região, do país e até do estrangeiro, sobretudo emigrantes. Honrou-se o mártir s. sebastião, com missa e servindo gratuitamente um almoço, após serem abençoados os alimentos, a todos os residentes e forasteiros presentes sentados numa mesa estreita com 700 metros de comprimento. Foram distribuídas 1200 broas e, em 21 potes de ferro, cozidos 100 quilos de arroz, 500 quilos de carne. e tudo para cumprir a tradição. diz-se que por altura da 2ª invasão francesa, em 1809, os soldados de napoleão entrados pelo norte destruíam e roubavam os haveres sujeitando as populações locais a grande tormento e fome. sentindo a ameaça, as gentes do couto de dornelas recorreram ao mártir s. sebastião, protector dos homens nestas calamidades, e prometeram ao santinho que se ele os livrasse da passagem dos franceses pelas suas terras e aldeia, no futuro matariam a fome a quem por lá aparecesse necessitado. o “milagre” aconteceu, os franceses mudaram de rumo e os transmontanos de couto de dornelas, fiéis à palavra dada, cumpriram e continuam a cumprir o que então prometeram. um exemplo heróico de seriedade. como bem sabemos, nem todos os transmontanos assim procedem, mas isso são outras histórias, outros tempos e, provavelmente, outras gentes. • Para comemorar os 175 anos de vida como concelho, boticas organizará ao longo do ano de 2011 várias iniciativas que terminarão com a festa de encerramento em 06 de novembro, dia do Feriado Municipal. para começar, um grupo de jovens estudantes em Janeiro encenou e representou no auditório municipal o que teria sido a primeira sessão da câmara.

m Mirandela, linda e progressiva cidade transmontana, o ctM (clube de ténis de Mesa) é uma associação desportiva muito prestigiada e muito querida. a educação desportiva ministrada, a ocupação que proporciona a crianças e jovens, os excelentes resultados obtidos estão na base do carinho e admiração que despertam. ultimamente, no início deste mês de Março, aqui, em lisboa, durante os campeonatos nacionais, as atletas do ctM ana torres e ana esteves ganharam medalhas de bronze na prova seniores de pares Femininos e ana torres classificou-se também em 3º lugar nas provas individuais reafirmando as qualidades que fazem dela uma das melhores atletas portuguesas da modalidade. o ctM classificou-se, em seniores Femininos, no primeiro lugar da 1ª fase do campeonato nacional desta temporada sem derrotas posicionando-se para mais uma conquista do campeonato nacional, que já ganhou por seis vezes. o ctM honra a cidade, a região e todos os transmontanos.

Boletim Municipal da C.M. de Bragança

Viajando no metro

e d
a câmara Municipal da bragança recebemos dois exemplares do boletim Municipal, nº 26, que abarca o 2º semestre do ano de 2010 e está na sede. É um excelente trabalho gráfico dando especial relevo à imagem, onde são vistas e explicadas, em legendas curtas, as inúmeras, variadas e importantes actividades efectuadas pelo executivo camarário na cidade e concelho de bragança. pela primeira vez, o boletim foi transcrito em braille para que cegos e amblíopes o possam consultar. No passado dia 20 de Fevereiro, a cidade de bragança fez 547 anos. ParabÉNs a todos os brigantinos.

m viagem no de lisboa, tivemos conhecimento que no concelho de Vimioso, bem no nordeste transmontano, um jovem empresário vai investir cerca de €300.000 no setor da apicultura montando uma unidade transformadora para produção de mel, e produtos derivados, que deseja internacionalizar. aguardamos. também ficámos a saber no que o hotel aquapura douro Valley, localizado no concelho de lamego, é uma das 14 unidades hoteleiras da croácia, França, itália, islândia, suiça e turquia a concorrer ao título de o “Melhor Hotel europeu” nos prémios do World travel awards 2011, os Óscares do turismo internacional. até dia 5 de agosto, se pretender, já pode votar em http://worldtravelwards.com

Uma vista panorâmica da cidade de Mirandela Foto AJS

• A tradicional Feira da Alheira, do Turismo e azeite foi este ano e, pela primeira, vez realizada no parque de exposições da reginorte.

Sousa Costa homenageado em Vila Pouca de Aguiar
o passado dia 22 de Março, por iniciativa da câmara Municipal e o apoio do grémio literário Vilarrealense, sousa costa foi justamente homenageado. antónio Mário de sousa costa (1879-1961 foi um ilustre transmontano nascido em Vila pouca, que tirou o curso de direito em coimbra e desempenhou relevantes cargos nacionais no campo da Justiça. conferencista, estudioso das questões do direito, teatrólogo, foi também escritor “um dos melhores escritores do século XX português”, como afirmou pires cabral, diretor do grémio literário, no dia da homenagem. sousa costa era uma figura muito querida na sua Vila pouca de aguiar porque ele amou esta terra, e a ela voltava sempre que os seus afazeres profissionais lho consentiam. para recordar a sua vida e obra está patente no Museu Municipal de Vila pouca, instalado no casa que foi sua, uma exposição que permanecerá aberta até ao fim do mês de abril. soberana oportunidade para melhor conhecer este ilustre transmontano.

Retalhos de Trás-os-Montes e Alto Douro em Lisboa

p

Escola de teatro em Alfândega da Fé
câmara Municipal satisfazendo desejos manifestados por vários munícipes que gostariam de ver restaurados velhos hábitos de representação teatral, fundou uma escola de teatro, provavelmente a primeira escola teatral instalada na nossa região e, nesse sentido, merecedora de laudatório registo. a escola vai funcionar na casa cultural Mestre José rodrigues, será orientada e dirigida pela companhia teatral Filandorra, de Vila real, que para o efeito estabeleceu um protocolo com a câmara, e patrocinado pela edp. no auditório dr. Manuel Faria, foi apresentada a peça teatral de gil Vicente, o auto da barca do inferno, para solenizar o acto da criação da escola.

n

a

or iniciativa do Museu do douro realizouse na loja Fnac do centro comercial Vasco da gama, parque das nações, o lançamento dos dois livros já publicados sobre o património imaterial do douro que o investigador da utad alexandre parafita anda a recolher e a trabalhar. para uma assembleia onde se encontravam vários transmontanos e altodurienses, entre os quais o actual presidente do psd, dr. passos coelho, falaram os membros da mesa, director do Museu do douro, o editor, o dr. amadeu Ferreira que apresentou o autor e explicou o sentido da obra e, por fim, o dr. alexandre parafita que prometeu continuar a recolher e catalogar as tradições orais de todos os concelhos de trás-os-Montes e alto douro.

Miranda do Douro celebra o dia mundial da Árvore

a

câmara Municipal em colaboração com os agrupamentos escolares, resolveu comemorar o dia Mundial da árvore para despertar o interesse das crianças e, através delas, os adultos, pelos problemas do meio ambiente. em Miranda do douro, sendim e palaçoulo

Festival de cinema do Douro

aspeto parcelar da exposição “arquiteturas da paisagem vinhateira” no cais do sodré Foto AJS

e

ste festival, denominado douro Film Harvest (vindima) que começa a afirmar-se como realização importante no campo cinematográfico, vai entrar na 3ª edição e já tem local e data marcadas. ocorrerá entre os dias 5

ainda em lisboa, na estação do cais do sodré no Metropolitano, encontram-se expostos vários painéis com fotografias muito sugestivas do douro, subordinadas ao tema “arquiteturas da paisagem vinhateira”. a iniciativa é do Museu do douro.

06
o

trás Montes &alto douro
de

notícias

N.º 123 /// abril 2011

-os-

O dia de Mirandela na CTMAD
pelouro cultural da ctMad está firmemente empenhado em proporcionar aos sócios diversas actividades de índole cultural, seja por realizações dentro de portas (sede da ctMad), seja no exterior. essas actividades passarão por lançamento de livros, visitas a museus e a grandes empreendimentos, idas a sessões de teatro, concertos, etc. e para abrir esses eventos, a ctMad vai instituir aquilo a que daremos o no nome de “dia de….”. em consiste? pois bem, será um dia dedicado a uma das cidades, vilas ou aldeias da nossa querida província de tMad. e vamos começar pelo Dia De miraNDela. conhece esta linda cidade? a maior parte dirá que sim, mas provavelmente pouco ou nada sobre a sua origem, a sua história ao longo dos séculos, dos távoras, etc. pois para falar deste tema teremos na nossa sede um mirandelense, o tenente-coronel engº Jorge golias, investigador e estudioso destas matérias, das quais deu umas pinceladelas num programa de tV sobre a festa do azeite, transmitido, no passado mês de Fevereiro, directamente daquela cidade. contamos ainda ter a presença de dois autores, naturais de Mirandela, uma poeta e outro polivalente, que irão falar um pouco das suas obras. Mas ao falar de Mirandela quase toda a gente a associa às alheiras, sendo então este o prato principal do almoço desse dia, obviamente acompanhado com batatas cozidas e grelos, acompanhadas de um bom vinho tinto. claro que haverá as chamadas “entradas” com produtos de Mirandela (de que destacamos uma ProVa De aZeite com técnicos especialistas vindos directamente daquela localidade) e, claro, as inevitáveis sobremesas típicas. devemos referir que a câmara Municipal de Mirandela, na pessoa da vereadora da cultura, drª Maria gentil, abraçou com entusiasmo a ideia de se fazer na ctMad um dia de Mirandela, sendo que nos deverá honrar com a sua presença e deverá ser portadora de ofertas de livros, propaganda turística, filmes etc. abramos aqui um parênteses para agradecer ao tenente-coronel Jorge golias, as démarches que tem feito neste sentido junto da cMM. também contamos ter nessa festa alguns momentos musicais. esta é, em linhas muito gerais, o que a ctMad pensa fazer nesse 14 de Maio (sábado), dia de Mirandela. o programa definitivo está, nesta altura, a ser elaborado e será, oportunamente, enviado aos sócios que tenham fornecido o seu e-mail à ctMad. os que não têm correio electrónico e estiverem interessados deverão informar-se do mesmo na secretaria. estamos certos que não deixará de participar com os seus familiares e amigos nesta grande jornada, que para além do excelente convívio, ficará a conhecer muito mais sobre a princesa do tua (Mirandela). para além disso poderá colher ideias para a realização da dia da sua terra natal. sim, porque depois de Mirandela, outras se seguirão e vai ser necessário a sua imprescindível colaboração, pois certamente não quererá deixar em mãos alheias tudo o que o estimado sócio terá a dizer sobre a sua terra. Quem se seguirá? chaves, Vila real, bragança, a sua cidade/ vila /aldeia? participe, a ctMad dará o apoio. Mas vamos por partes. para o dia de Mirandela, (14 de Maio), deverá obrigatoriamente fazer a sua inscrição (indicando o nº de adultos e crianças até 10 anos) pelo meio que lhe for mais conveniente (mail, telefone, fax ou pessoalmente) até ao dia 10 de Maio (2ª feira). contamos consigo! Carlos Cordeiro
prograMa - sábado (14-05-2011)

12:00h 12:30h 13:00h 13:15h 14:45h 15:00h

recepção prova de azeites. Visualização, em simultâneo, do dVd “ terra Ólea”(cMM). aperitivos e entradas. almoço,tendo como prato principal o produto típico de Mirandela : alheira com batatas e grelos. apontamento musical apresentação do dia de Mirandela na ctMad introdução—presidente da ctMad apresentação da cMM—presidente ou Vereadora da cultura da cMM síntese histórica de Mirandela —tenente – coronel engº Jorge golias

15:45h 16:00h

apontamento musical lançamento e venda dos livros de dois autores mirandelenses “passos e laços”—poemas de Mª augusta ribeiro “relatos nebulosos”—contos de nuno nozelos

16: 45h passagem do testemunho para comemoração, em data a definir, de “dia de outra cidade/vila /aldeia “ de tMad---engº carlos cordeiro 17:00h continuação do convívio, com vários números musicais 18: 30h encerramento da festa do “ dia de Mirandela”.

onforme se pode ler nas páginas centrais foi lançada a 1ª pedra da nova barragem do tua com a bênção do primeiro-Ministro demissionário, José sócrates. pretende a edp e o governo demissionário que esta barragem faz parte do plano nacional de barragens, é muito necessária para reforçar a produção da energia eléctrica do país, que isto constitui um importante investimento de 305 milhões de euros, e criará 4000 postos de trabalho. porém esta barragem que vai cobrir cerca de 16 quilómetros de linha ferroviária, tem sido contestada por movimentos cívicos nomeadamente o Movimento de Cidadãos em defesa da Linha do Tua, A Associação dos Amigos do Vale do Tua, Quercus, partidos políticos, nomeadamente o partido ecologista “os Verdes”, bloco de esquerda e partido comunista português, e autarcas locais. os opositores da barragem referem entre muitos outros argumentos contra a destruição da identidade da região e dum património irrecuperável, insubstituível e único: o usufruto da beleza o vale do tua e da sua linha ferroviária, impedindo que ela se torna na espinha dorsal do desenvolvimento de trás-os-Montes e alto douro, e o seu prolongamento e a ligação da linha do douro à estação espanhola de pueblo de sanábria. também, afirmam, que o projecto inquinará a água que todos bebemos, não estando avaliadas as consequências climáticas sobre a região demarcada do dou-

c

A Saga da Linha do Tua
ro, e sobre a produção do Vinho do douro. o turismo, a agricultura e o bem-estar das populações estão também seriamente ameaçadas. tudo isto sabendo-se que a novel barragem só satisfará apenas 1% (!!!) das necessidades da energia eléctrica do país. no passado dia 27 de Março 7 organizações cívicas estiveram presentes na Foz do tua numa acção de protesto a que deram o nome “Abraço ao Tua”. estão já em andamento 4 providências cautelares, não só contra este projecto mas também contra as restantes barragens a construir do plano nacional de barragens. É que mesmo o grande argumento de que criará 4000 postos de trabalho é uma grande fábula: sê-lo-ão no curto prazo para a construir, pois uma barragem e sua central eléctrica não precisa de tanta gente para funcionar. entretanto a recém-criada agência de desenvolvimento regional do Vale do tua (adrVt) o organismo intermunicipal dos municípios atingidos (alijó, carrazeda de ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor) que supervisionará e gerirá o desenvolvimento deste vale, fica instalada no prédio da associação dos Municípios da terra Quente, em Mirandela. deverá posteriormente transferir-se para a antiga estação do comboio quando for recuperada. a adrVt vai gerir de início um fundo de 20 milhões de euros. António Armando da Costa

confederação portuguesa das colectividades de cultura, recreio e desporto tem recebido diversas comunicações de intervenções inspectivas da asae nas colectividades, que têm sido tratadas pelo respectivo gabinete Jurídico em tempo útil e com bons resultados. numa reunião realizada a 22 de outubro com a asae, a direcção da confederação acordou com o senhor inspector-geral da asae a realização se reuniões de sensibilização para boas práticas com a colaboração de membros da asae por regiões, abrangendo todo o país, aonde os dirigentes associativos pudessem ser esclarecidos acerca destas matérias com implicações obvias na saúde publica. na sessão realizada no passado dia 22 de Janeiro em lisboa na casa do alentejo participaram aproximadamente 220 dirigentes associativos Voluntários, entre os quais Manuel Martins e antónio da costa da direcção da ctMad, tendo sido apresentadas várias questões a que os elementos da asae responderam na íntegra. os temas tratados envolveram entre outras questões espaços desportivos e culturais, bares e

A Reunião da CPCCRD com a ASAE a

restaurantes associativos, incluindo concessionários. Foi claro a grande diversidade de situações, que a não serem tidas em conta poriam em perigo a sobrevivência económica do Movimento associativo. Ficou clara a abertura da asae para essa diversidade, e a disponibilidade para ajudar as associações a ultrapassar situações eventualmente gravosas. duas iniciativas foram afloradas que muito ajudarão a resolver problemas: a elaboração dum caderno com situações típicas que não devem existir; e a possibilidade de as colectividades poderem solicitar vistorias sem fins policiais para melhorar as condições de prestação dos seus serviços. entre as condições que têm de ser melhoradas encontra-se a necessidade de pôr fim à existência de fumadores no interior das colectividades, e à clara separação entre actividades económicas públicas e estritamente para sócios, para evitar o estigma da concorrência desleal. em face desta reunião a direcção da ctMad irá proceder a uma inspecção da bar e restauração visando o total cumprimento das normas sanitárias vigentes. Manuel Martins

notícias

N.º 123 /// abril 2011

trás Montes &alto douro
de

-os-

07

Mestre Nadir Afonso
adir afonso rodrigues nasce em chaves a 4 de dezembro de 1920. em 1938 ingressa no curso de arquitectura na escola de belasartes do porto. durante estes anos a pintura de nadir cruza influências do surrealismo com uma progressiva abstracção. parte para paris em 1946 onde se inscreve em pintura na École des beaux-arts e obtém por intermédio de portinari uma bolsa de estudo do governo francês. colabora, de 1946 até 1948 e novamente em 1951, com le corbusier. um projecto desenvolvido sob orientação deste que estará na base da tese A Arquitectura não é uma Arte, que defende no porto em 1948. paralelamente trabalha na pintura, servindo-se do atelier de Fernand léger. no final de 1951

Personalidades de Trás-os-Montes e Alto Douro

n

desloca-se para o brasil onde trabalha, nos anos seguintes, com Óscar niemeyer. em finais de 1954 está de regresso a paris. participa no movimento da arte cinética, expondo na galeria denise rené em 1956 e 1957 e em colectivas com Vasarely, Herbin e Mortensen. neste âmbito efectua a série Espacillimité que apresenta no salon des réalités nouvelles de 1958. publica a obra de reflexão estética La Sensibilité Plastique (1958). na vanguarda da arte mundial apresenta no ano seguinte a sua primeira grande exposição antológica, na Maison des beaux-arts de paris. em 1967 recebe o prémio nacional de pintura e, passados dois anos, o prémio amadeo de souza-cardoso. a Fundação calouste gulbenkian dedica-

lhe uma exposição retrospectiva que será apresentada em 1970 no centre culturel portugais, em paris, e posteriormente em lisboa. publica Les Mécanismes de la Création Artistique (1970). a partir de então nadir acentua uma dedicação exclusiva à criação artística, desenvolvendo uma extensa obra plástica e teórica centrada na busca do absoluto na arte e além dos títulos mencionados e publica: Aesthetic Synthesis (1974); Le Sens de L’ Art, (1983); Monografia, (1986); Da Vida à Obra de Nadir Afonso (1990); Monografia (1994); Monografia (1998); Obra Gravada Nadir Afonso (1999). O Sentido da Arte (1999); O Universo e o Pensamento (2000); O Porto de Nadir (2000); Sobre a Vida e Sobre a Obra de Van Gogh (2002); Da Intuição Artística ao Raciocí-

nio Estético (2003); O Fascínio das Cidades (2003); As Artes - Erradas Crenças e Falsas Críticas (2005); Nadir Face a Face com Einstein, (2008); Manifesto: O Tempo não Existe, (2010); O Universo e Pensamento (2010); outras publicações: Nadir Afonso por Fernando Guedes, (1968); Nadir Afonso: O Futuro Renascimento; coord. sara silva (2008); Nadir Afonso: Itinerário (com) sentido, coord. agostinho santos, porto, (2009). realiza mais de uma centena de exposições individuais. em 2010, é realizada uma grande exposição da sua obra «nadir afonso sem limites», comissariada por adelaide ginga, no Museu nacional soares dos reis, porto, e, seguidamente, no Museu nacional de arte contemporânea do chiado, lisboa.

o Museu da presidência da república dedica-lhe uma exposição, «absoluto 2010» onde predominam os estudos. recebe o prémio nacional de pintura (1968), prémio amadeu de souza – cardoso (1969); condecorado com a ordem Militar santiago de espada em 1984 e 2010. Jorge campos realiza o filme Nadir, da autoria de para a radiotelevisão portuguesa. o livro «sobre a Vida e sobre a obra de Van gogh» (2002) é escolhido para melhor livro de arte da Feira de Frankfurt de 2003 e figura no Museu do livro em leipzig. artista homenageado na Xii bienal internacional de Vila nova de cerveira, onde apresenta uma exposição antológica em 2003. artista homenageado na 2.ª Feira internacional do estoril (2004) e

atribuição do prémio nadir afonso. doutor Honoris Causa pela universidade lusíada (2010). está representado no centre george pompidou, colecção berardo, colecção caixa geral de depósitos, colecção citibank, colecção Jp Morgan chase, Fundação calouste gulbenkian, Fundação Milleniumbcp, Museu de arte Moderna de s. paulo, Museu de arte Moderna do rio de Janeiro, Museu nacional de arte contemporânea do chiado, Museu nacional soares dos reis, Museum im Kulturspeicher, szépmüvészeti Múzeum. Fundação Nadir Afonso

O Canto do Editor
António Armando da Costa
o assumir a responsabilidade de produzir este jornal, fizemo-lo partindo dum amplo património de mais de 15 anos de publicação, e na sequência do trabalho de renovação realizado pela anterior gerência, e criativamente conduzida pelo anterior director adjunto José luís castor. o objectivo é continuar e aprofundar esse trabalho, procurando realizar um sonho: que este jornal para alem da voz da ctMad, seja mais do que isso, a voz de trás-os-Montes e alto douro em lisboa. assim vamos procurar que os artigos sejam mais curtos; que a mancha seja mais gráfica; e cada vez mais procurar trazer para lisboa o pulsar da vida das gentes da nossa terra. para isso contamos com a colaboração dos associados que deve-

a

rão contribuir com artigos de natureza vária, não só virados para a temática e problemática transmontana e altoduriense, mas também abrangendo uma problemática sociocultural mais vasta. competirá à redacção fazer as escolhas que garantam os necessários equilíbrios, mas sempre no respeito pelo amplo debate entre os associados e destes com o poder regional, e a necessária informação nos dois sentidos entre a região e a comunidade da diáspora. para além do noticiário vamos criar secções que correspondam ao sentir dos associados. a secção Retalhos... de Burel e Ouro constitui a sucessora do Voo do Milhano. iniciamos aqui a secção Personalidades de TMAD com a incontroversa figura de Mestre nadir afonso; e outras secções se seguirão. esperamos as vossas sugestões e a vossa crítica, que desejamos construtiva, pois delas beneficiarão todos.

Visita à Sede da CTMAD de um grupo de 60 pessoas
uma excelente iniciativa de proporcionar um melhor conhecimento do nosso país, os serviços sociais da administração publica (ssap), através da sua divisão de atividades sócio-culturais, decidiu promover uma série de visitas às diversas casas regionais com sede em lisboa. tanto quanto julgo saber, a nossa casa foi a segunda a ser contactada, a seguir à casa do Minho. compreende-se que tenham começado por regiões mais longínquas de lisboa, portanto menos conhecidas pela generalidade das pessoas que recorreram a esses serviços para se ocuparem e socializarem, o que é extremamente benéfico para as suas mentes. acedemos com muito gosto ao pedido e a visita concretizou-se no dia 17 de Fevereiro. nesse dia, cerca de meia hora antes das 15 horas, a hora combinada para o início da visita, começaram a chegar as primeiras, das 60 pessoas que nos visitaram oriundos do centro de convívio Filipe Folque e centro de convívio guerra Junqueiro, pertencentes aos serviços sociais da administração pública, divisão de actividades sócio-culturais. Foram recebidas pelo presidente da assembleia geral, pelo presidente da direção da ctMad e pelos membros da direção Manuel Martins, carlos cordeiro e antónio da costa. após algumas

n

palavras de boas vindas do presidente da assembleia geral, o presidente da direção fez uma descrição de duas realidades. primeiro debruçou-se sobre a casa de trás-os-Montes e alto douro, a sua história, os seus desígnios e as suas atividades. depois falou sobre a região natural de trás-osMontes e alto douro, mostrando diversa documentação e realçando a sua riqueza natural, as suas encantadoras paisagens, os usos e costumes do povo que lá viveu e vive. Falou um pouco de tudo desde a sua riqueza termal até ao folclore, às festas tradicionais, ao tipo de construções, aos costumes, aos transportes, à beleza do rio douro, aos vinhos e gastronomia da região. o discurso foi sendo intercalado pela recitação notável, do nosso estimado associado dr. serafim Falcão, de poesias de autores transmontanos e alto-durienses dedicadas à sua e nossa terra. seguiu-se um pequeno passeio pelas diversas partes da sede com respostas ás perguntas que iam sendo feitas e o evento terminou com um lanche onde os visitantes puderam saborear alguns dos deliciosos produtos na nossa terra. e saíram, ao que nos manifestaram, satisfeitos com a visita que lhes proporcionámos. Jorge Valadares

08
d

trás Montes &alto douro
de

notícias

N.º 123 /// abril 2011

-os-

Visita guiada à Sociedade de Geografia de Lisboa
e acordo com o plano de actividades, vai a direcção da ctMad promover algumas visitas de carácter cultural. Vamos iniciá-las a uma prestigiada instituição fundada por um ilustre mirandelense, luciano cordeiro. trata-se, como sabem, da sociedade de geografia de lisboa, paredes meias com o coliseu, portanto de facílimo acesso por transportes públicos. Já apalavrámos essa visita com o prof. catedrático João neto, que se mostrou disponível, bem como os seus assessores, para proporcionar uma excelente e útil visita àquela casa. caro consócio achamos, sinceramente, que não deve perder a oportunidade deste evento. a sala, estilo inglês, onde está instalado o bar, a biblioteca, os mapas, os museus, um de pedra outro de arte africana, a belíssima sala onde às vezes há concertos, são apenas algumas achegas para lhe aguçar o apetite desta visita que, obviamente, é gratuita. Que deve fazer? Faça uma pré inscrição na sede da ctMad no prazo máximo de 8 dias a contar da recepção deste jornal, indicando o número de pessoas e os seus contactos, de preferência e-mail e telefone fixo. depois de sabermos o número de inscritos e vermos a disponibilidade da sociedade de geografia, entraremos em contacto consigo a indicar dia e hora. terminada a visita e como estamos ali mesmo ao pé da casa do alentejo, podemos lá ir beber um copo e comer um petisco. caro associado: a nova direcção da ctMad, está a envidar esforços no sentido de dinamizar as actividades da casa de modo a lhe proporcionar convívio, cultura, etc. está nas suas mãos colaborar, participando nas que entender e dando-nos sugestões para as discutirmos e as pormos em prática. Mas vamos por partes, step by step, com dizem os ingleses. Ficamos na expectativa de, para já, ver quantos sócios se inscrevem na referida visita. É óbvio que se não estiver minimamente interessado, não vá, mas esteja atento ao seu e-mail, pois outras actividades deste ou doutro género se seguirão; se não tiver e-mail informe-se das mesmas na secretaria. Carlos Cordeiro

noVos associados
noMe concelHo

ricardo cardoso Martins Margarida Maria Félix de Morais p. rato antero gonçalves Moreira Miguel Jacinto pires Manuel antónio costa serapicos artur de carvalho Martins Maria dulce amaro gil Manuel augusto Morais Maria eufémia geraldes Jorge Óscar sales golias antónio João lima rocha

Vila real chaves ribeira de pena Vinhais torre de Moncorvo Vila real Montalegre Mirandela Macedo de cavaleiros Mirandela Mirandela

graNDe Festa Do Folar e Do aZeite traNsmoNtaNo
colÉgio Marista – benFica (17 de abril de 2011)

08.00h entrada dos Feirantes 13.00h almoço (10€) Jardineira 14.30h actuação da banda Filarmónica de tabuaço, sendim 15.30h grupo de danças e cantares dos professores de almada 16.00h inicio do serviço de Merendas. alheira, Folar, pão de centeio, Vinho e água preço sócios – 5€ preço não sócios – 6€ 16.30h palavras de saudação pelo presidente da ctMad 17.00h grupo de Violas “os Maranus” 19.00h encerramento da Feira transportes metro: Alto dos Moinhos • carris: 16,34,746,758 e 768

Exposição fotográfica sobre Nadir Afonso
o dia 11 de Feveereiro, sexta-feira, o espaço Memória - teatro experimental de cascais abriu ao público uma exposição com fotografias da vida do pintor nadir afonso. a ctMad foi convidada e fez-se representar pelo presidente da direção. estiveram presentes o atual e o anterior presidentes da câmara de cascais e foram lidos poemas de artur Maria afonso, pai do pintor. estão patentes diversas fotografias sobre as várias fases da vida do pintor, desde a sua

n

infância e juventude com os seus familiares mais próximos à sua turma do antigo liceu de chaves, incluindo os últimos eventos em que esteve envolvido, tais como a homenagem e condecoração pelo presidente cavaco silva no palácio de belém e a exposição coletiva de homenagem levada a cabo na galeria de arte do casino do estoril inaugurada em 4 de dezembro em comemoração do seu 90º aniversário. JV

ESSÃO I M PR

a

MUDOU

ES

FF SE T OO AC

A

Vá ao Teatro… de borla
o
grupo de teatro do clube pt leva a cena a peça de teatro “o meu filho chama-se laura”. trata-se de uma hilariante comédia da autoria de dois americanos, com adaptação para português do profissional do ramo, Francisco brás sobre o tema da homossexualidade. a peça faz referência, muitas vezes, a baúlhe, do distrito de Vila real. os sócios da ctMad, seus familiares e amigos são convidados a assistir a esta comédia, gratuitamente, devendo para tal inscrever-se na secretaria da ctMad pessoalmente, por telefone ou e-mail, com pelo menos, dois dias em relação à data, informando o número de lugares pretendidos. a peça será exibida no auditório do clube pt, sito na alameda da linha das torres, 98 em lisboa, frente ao Hospital pulido Valente. os dias e horas de representação são, até à páscoa, os seguintes: dias 2, 9 e 16 – sábados às 21horas dias 3, 10 e 17 – domingos às 16 horas as datas de exibição depois da páscoa ainda não estão, nesta altura, definidas mas poderá informar-se posteriormente, na secretaria da ctMad. dado que o auditório fica relativamente perto da Quinta das conchas, sugerimos-lhe que vá desfrutar com a família deste belíssimo parque e depois vá assistir à peça de teatro. esqueça a crise pelo menos durante as duas horas de exibição e divirta-se! se optar pela utilização de transportes públicos, os autocarros da carris são, entre outros, os números 7, 36, 701, 747; as estações de metro mais próximas são o campo grande e a Quinta das conchas. apareçam! todos serão bem vindos! Carlos Cordeiro

B
A

ME

NTOS

Mudou para que o cliente possa receber sempre a melhor qualidade de impressão e acabamento. Mudou para novas instalações para que estas possam servir melhor as necessidades do cliente.

Heidelberg Speedmaster, XL 105-5+LX 70 x 100 cm, 5 cores + verniz com saída alongada

Ao mudar para instalações mais funcionais, a Textype passou a oferecer:

Aumento da qualidade de impressão e acabamento, através da instalação de novas máquinas e equipamentos tecnologicamente avançados; Rapidez de entrega das encomendas, com prazos mais curtos que se ajustam à urgência do cliente; Preços muito mais competitivos que permitem dar resposta às necessidades dos diferentes mercados.
Linha de Encadernação Heidelberg Eurobind 4000

notícias

POR ISSO, MUDAMOS... PARA O SERVIR MELHOR.
www.textype.pt I email: dir.comercial@textype.pt Condomínio Cacém Park I Armazém 25 Estrada de Paço d’Arcos, 88 I 2739-512 CACÉM

PR

É

-I

M

PR

Tal como a escolha de lentes requer a intervenção de um médico oftalmologista, a escolha de uns óculos requer a técnica e os cuidados de um bom oculista. Nesta casa, são concedidos descontos de 20% sobre os produtos em venda, aos sócios da CTMAD. VISITE -NOS!
av. João XXi, 23-b, lisboa tel. 21 8401436

trás Montes &alto douro
de

-os-

Propriedade: casa de trás-os-Montes e alto douro contribuinte 500 788 863 n.º de registo no i.c.s. 11389 Redacção, Administração e Publicidade: campo pequeno, 50-3.º e – 1000-081 lisboa

Director: Jorge Valadares // Director-adjunto: antónio armando da costa // Colaboram nesta Edição: antónio armando da costa, antónio guilhermino pires, armando Jorge e silva, carlos cordeiro, Jorge Valadares, Manuel Martins, serafim de sousa e teófilo bento // coordenação gráfica: antónio armando da costa // Paginação: nuno leite // Projecto Gráfico e Consulturia de Design: nuno leite // Revisão de Textos: antónio armando da costa e serafim de sousa // Impressão: textype, artes gráficas, lda // Tiragem desta edição: 2000 exemplares // Depósito legal: 178581/02

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful