Você está na página 1de 52

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO


TEORIA E HISTÓRIA DA FORMAÇÃO DAS CIDADES
PROFESSORAS: Fernanda Furtado, Marlice Nazareth e
Vera Rezende

HALL, Peter - Cidades do Amanhã.

A C ida de da s Torres

Grupo:
Enéas Fernandes
Lianna Nogueira
Michele Coyunji
Introdução
→ De origem suíça e naturalizado francês, Le
Corbusier desenvolveu seu trabalho em Paris,
gerando impacto no planejamento urbano do
século XX.

→ Voltou-se ao estudo sobre Paris, que segundo


ele só poderia ser salva pela intervenção de
grands seigneurs, homens “sem remorsos”, como
Luis XIV, Napoleão e Haussman, cuja atuação
constitui exemplo de espírito apto a dominar e
compelir a plebe.

→ Para Le Corbusier, a casa era uma maquina de


morar.
Plano de Le Corbusier para Paris.
→ Conforme Le Corbusier, “projetar cidades é
tarefa por demais importante para ser entregue
aos cidadãos”.
→ Desenvolveu seus princípios urbanísticos em
La Ville contemporaine (1922) e La Ville
radieuse (1933) , sendo eles:

-Eliminação do excesso populacional dos


centros das cidades, melhorando a
circulação e fornecimento de espaços
livres;
-Construção de edificações com alto
gabarito, que ocupem pequena parte do
terreno;
-O comércio deveria ficar nos centros,
considerando que toda cidade grande
deve reconstruir seus centros;
→ A cidade contemporânea deveria ter uma
estrutura diversificada, com uma organização
social específica, segregada, na qual a moradia
de uma pessoa dependia da atividade
desenvolvida por esta.

→ Na cidade corbusiana, os centros abrigariam


arranha-céus com escritórios de elite e deixariam
95% do terreno reservado com área livre. Fora
desta zona, haveria dois tipos de zonas
residenciais: prédios de seis andares com
apartamentos luxuosos para atender a essa elite
empresarial, e acomodações mais modestas para
os trabalhadores, construídas em volta de pátios.
Ville contemporaine (1922).
Vistas de Ville contemporaine.
La Ville radieuse (1933).
La Ville radieuse (1933).
→ Com relação a unidades habitacionais em
massa desenvolveu um projeto de apartamentos
padronizados, os quais ele denominou de
“células”.

→ Le Corbusier criou um complexo de lazer e


cultura para a classe média, enquanto que para
os operários e comerciantes, tinha-se
apartamentos com jardim, dentro de unidades
satélites, tornando Le Ville Contemporaine uma
cidade classista.
→ Na época da cidade radiosa ocorreram
importantes modificações teológicas, o que
levou Le Corbusier a perder a fé nos
capitalistas, acreditando que seria
necessária a instauração de um sindicalismo
hierárquico. Nesse contexto, em sua nova
concepção de cidade, todos seriam
igualmente coletivizados, e todos iriam morar
em gigantescos prédios coletivos
denominados Unités, tendo acesso aos
serviços coletivos.
O Pla ne jame nto d e Ch and iga r

→ Projetopara a capital de Punjab, na Índia,


desenvolvido pelo planejador Albert Mayer, e
por uma equipe composta por Lê Corbusier,
Jeanneret, Maxwell Fry e Jane Drew.

→ Segundo os preceitos do CIAM, resultou na


troca de um estilo urbanístico por um estilo
arquitetural, voltando-se para o aspecto
estético em detrimento das demandas da
população indiana, culminando em uma
segregação de classes.
Plano para Chandigar.
Br as íli a: A C id ad e Qu as e
Co rb usia na
→ O plano piloto de Brasília constitui um
exemplo de cidade corbusiana, considerada mais
de arquitetos que de planejadores urbanos:

-constitui-se de um eixo monumental


que abriga os principais edifícios
públicos e repartições administrativas,
nas asas ficavam as zonas
residenciais e outras.
-No primeiro setor, blocos uniformes
de escritórios deveriam ladear um
amplo passeio público, que
desembocava num complexo de
edifícios governamentais.
-No segundo setor, prédios uniformes
de apartamentos deveriam ser
construídos em superquadras
corbusianas de frente para uma
imensa espinha de tráfego,
obedecendo à risca a prescrição de La
Ville radieuse, onde todos deveriam
ocupar os mesmos tipos de
apartamentos nas mesmas quadras.

→ Todavia, o plano não objetivava resolver os


conflitos entre pedestre e veículo, muito
menos os sociais e como em Chandigar, houve
o crescimento de uma cidade não planejada ao
lado da planejada, porém, em maior escala: a
cidade-satélite.
Plano Piloto de Brasília.
Brasília
Brasília

Brasília
Os C orbus ian os Che gar am à
Ing later ra

→ Por meio do CIAM de 1928 (“os


jesuítas da fé”) e da formação da
Modern ArChiteture Research Society -
MARS, os Courbisianos conseguiram,
relativamente, impor suas idéias na
Inglaterra. Nos anos 30 só dois
empreendimentos conseguiram
quebrar a barreira dos cinco andares:
Quarry Hill em Leeds e um outro em
Londres.
→ Construção –
1936 a 1938
→ Demolição –
1975 a 1978
→ West Yorkshire
Playhouse(Teatro)
→ Quarry House and the College of
Music
→ Ao final da guerra o panorama mudou. Sob
a influencia do governo, que assumiu a tarefa
de levar o bem estar ao povo,e a necessidade
de tirá-lo dos cortiços urbanos, inicia-se um
grande debate acerca da densidade ocupação
das cidades ou a criação de cidades novas,
tendo sido a primeira corrente aceita, em um
primeiro momento, estabelecendo-se assim
uma densidade intraurbana de Londres em
136 habitantes/acre, obrigando a mudança de
gabarito dos prédios.

→ Mesmo assim, houve a necessidade da


saída de quatro entre dez pessoas que lá
moravam em 1939.
→ A partir da década de 50 a
influencia de Corbusier na
Architetural Association-AA, era
tanta que esta passou a criar
projetos fantasiosos.

Parkhill em
Sheffield(1961)
→ A partir de então, capitaneada pela
Architetural Review a escola
Corbusiana foi criticada ao extremo
chegado-se a compará-la a uma
“Subtopia”.

→ Em 1955 com o apoio do Governo


Britânico, dos fazendeiros que queriam
defender o máximo de terras para si
mesmos, inicia-se uma intensa defesa
da construção de altos edifícios, já que
o governo queria manter a população
nos limites urbanos, para não arcar
com o custo da implantação de novas
cidades.
A Gra nd e Re co nstru ção

→ Em 1955 o governo conservador


inglês executou o programa derruba-
cortiço, que incentivava as autoridades
locais a fixar cinturões verdes em
torno das cidades mais importantes, a
fim de conterem o crescimento urbano.

→ Consequentemente subiu o preço da


terra, e intensificou-se a densidade das
construção, o que junto ao subsídio
governamental levou a um crescimento
superior de prédios altos frente ao de
habitações populares, passando de 7%
no final dos 50 para 26% em meados
dos 60.
→ Todo este movimento foi
acompanhado por contradições, onde a
febre de construir novos prédios fazia
com que se derrubassem casas
recuperáveis.

→ Algumas cidades provincianas


inglesas, investiram na tipologia
residencial multifamiliar, como o
projeto de urbanização para o Park Hill,
ou Gorbals em Glasgow,feito por
profissionais oriundos do AA.
Gorbals anos 60 e atualmente

Park Hill – Sheffield (2006)


→ Em sua grande maioria os
moradores dos apartamentos
viram-se desarraigados,
colocados em unidades
padronizadas, construídas as
pressas pelo sistema, sem
conforto, ambiente e espírito de
comunidade, aceitaveis apenas
para as pessoas que viviam em
situações piores do que esta.
→ Mesmo sofrendo severas criticas o projeto
de reconstrução das cidades teve algum
reconhecimento, porém, as propostas
Corbusianas passaram a ser empregadas
destituídas de espírito crítico, impondo-se
soluções projetísticas às pessoas, sem
considerar suas referências e modo de vida, o
que refletia a insensibilidade dos projetistas
frente ao modo de vida da família operária.

→ A aceleração do fim veio com o


desmoronamento de Ronan Point em 1968 e
com as inúmeras reclamações sobre
vazamentos, elevadores que não funcionavam
e problemas sociais desde as crianças até os
idosos.
Edificio Ronam Point em Newham
→ As criticas culminam com o
relatório feito pelo encarregado
do projeto habitacional, Kenneth
Campbell que elencou três falhas:
-Elevadores – poucos demais,
vagarosos demais, pequenos
demais;
- Crianças – muitas demais;
- Gerenciamento – deficiente
demais.
→ Em defesa dos corbusianos
podemos dizer que:

- Primeiro - nem todos os projetos


foram feitos por discípulos de
Corbusier. Algumas cidades
sequer contrataram arquitetos,
gerando o comentário de
Crossman em 1965 ao visitar
Wigan:
“...seu enorme programa de
construção” é como um sinal de
“uma obscuridade e estupidez
assustadoras. Eles construíram
uma Wigan, que, no ano de 2000,
há de parecer tão ruim como ruim
parece a velha Wigan de 1800 aos
olhos dos anos 60”
-Segundo –Corbusier jamais
advogou a tese de colocar
pessoas em arranha céus, sendo
sua habitação proletária mais
parecia com o Conjunto Hulme, o
maior projeto de remodelação
urbana já realizada na Europa,
que revelou-se também um
desastre.
→ Sem compromissos críticos, os
arquitetos corbusianos impunham
“soluções” à população em geral, mas
habitavam em vilas vitorianas.

→ Assim sendo conclui-se que as


idéias de Le Corbusier aplicavam-se
com mais facilidade as pessoas de
classe média, que poderiam desfrutar
dos serviços da cidade do que a classe
proletária com inúmeros filhos.

→ Corbusier sequer tinha consciência


do problema, já que pertencia a classe
média e não tinha filhos pequenos.
A Remodelação Urbana nos EUA

→ Iniciou-se em 1949 com a lei de Habitação.

→ Sua emenda, em 1954, enfatizava a decadência


urbana causada pela obsolescência dos solos.

→ Estas leis não objetivavam moradia barata mas


sim a reurbanização comercial de áreas
deterioradas, situadas nos limites dos centros
comerciais, gerando uma remodelação urbana.
→“Coalizão de urbanização” = formadas por
empresários mais jovens e prefeitos liberal-
tecnocratas, tendo apoio de conselhos operários,
conselhos do comércio da construção, grupos de
governo constituído, planejadores profissionais
urbanos e outros. Essas coalizões incluem, ainda,
um novo grupo de executivos profissionais da
remodelação urbana: Robert Moses em Nova
York, Ed Logue em New Haven, Boston e Nova
York, Justin Herman em São Francisco

→Mais tarde essa coalizão foi rompida devido a


grande divergência de interesses entre os
mesmos.
→ Robert Moses (1888-1981) foi considerado o
maior construtor da América, cria no crescimento
de cima para baixo, exercido pelo funcionário
incorruptível, imbuído de espírito público.

→Considerando a sua importância nas relações


políticas, foi responsável pela construção de
habitações populares, constituindo um sistema de
poder,influência e clientelismo que o tornou
quase inexpugnável.

→Deixou de ser mestre- construtor em 1968, em


virtude de protestos de pequenos grupos de
cidadãos, já que também utilizava medidas
antidemocráticas.
→Outro exemplo de coalizão encontra-se em New
Haven, onde envolvia líderes democratas,
comerciantes republicanos, o corpo docente e
administrativo da Universidade de Yale e grupos
étnicos sindicatos.

→ Essa coalizão promoveu a demolição de uma


das mais importantes áreas de cortiços para a
construção de escritórios centrais.

→Em São Francisco o argumento da remodelação


urbana partiu do comércio organizado, que ao
objetivar o saneamento das áreas de habitação
popular promoveu a remoção de seus habitantes.
→ Novos processos foram abertos e encerrados
na década seguinte. Enquanto isso acontecia, os
fundos para remodelação urbana foram sendo
substituídos por Quotas Fixas do Tesouro para a
Urbanização Comunitária, espalhando fundos
públicos por toda a cidade.

→ As coalizões deste período destacam-se por


seu êxito, mesmo sendo baseadas em programas
contrários aos interesses dos eleitores.

→Em meados dos anos 60, as críticas à


remodelação urbana se intensificaram,
constatando-se que esta resultava na expulsão de
população que pagava baixos valores de aluguel,
destruía-se mais que se construía, grande parte
das novas construções não eram destinadas a
moradias e as novas edificações por serem em
altos prédios de apartamentos configuraram um
elevado nível dos aluguéis.
Con tr a-a ta qu e: J ac obs e
New man
→ A obra de Jane Jacobs, Death and life of Great
American Cities (Morte e Vida das Grandes
cidades Norte-Americanas), 1961, teve grande
impacto na Inglaterra e nos Estados Unidos.

→Atacou o movimento cidade-jardim em sua


base, pois este objetivava a salvação da cidade
matando a mesma ao definir o conjunto do
problema habitacional apenas em termos de
qualidades físicas suburbanas e qualidades
sociais de cidade pequena.
Cidade Jardim Inglesa
Town country
→ Com relação aos corbusianos, Jacobs os
considerava egoístas: ”Não importa quão vulgar
ou canhestro seja o projeto, quão árido e inútil
seja o espaço livre, quão insossa a paisagem
vista de perto, uma imitação de Le Corbusier
aberra: ‘Vejam o que eu fiz! ’ – à semelhança de
um grande e visível ego, ele apregoa a façanha de
alguém”.

→Para Jacobs, não havia problema com altas


densidades populacionais, acreditava que uma
boa vizinhança urbana precisava de cem
habitações e assim deveriam ser eliminadas as
áreas livres..
→ Jacob propõe a conservação dos bairros da
área intra-urbana, tais como eram antes da
intervenção dos planejadores.

→ Prescrevia a necessidade de ruas


convencionais ao longo de quadras curtas, assim
como uma densa concentração populacional.
  Imp losão de Pru itt -Ig oe

→Projeto, desenvolvido em 1955, premiado em St.


Louis, implodido dezesseis anos depois de construído
e destinava-se a pobreza digna.

→Em 10 anos, um projeto considerado exemplar, se


tornou um dos maiores cortiços urbanos dos EUA,
visto que os aluguéis eram muito caros e os moradores
não podiam arcar. Além disso, o custo de execução
também era elevado demais.

→Para Oscar Newman, o problema estava na


formação do arquiteto que não analisava
devidamente a necessidade de saber o quanto
bem ou mal funcionavam edificações existentes,
e assim melhorar os projetos.
Pruitt-Igoe
Conjunto Pruitt-Igoe, em St. Louis, Missouri, E.U.A.,
em 1972.
O Legado Corbusiano

→A cidade corbusiana das Torres volta-se para


os habitantes da classe média, não contemplando
as camadas menos favorecidas da sociedade.

→ O problema da obra de Le Corbusier e dos


corbusianos está não em seus projetos, mas em
sua forma arrogante de imposição a uma
população que não podia arcar com estes, e de
quem não poderia se esperar tal fato.

→Essa falha foi vinculada ao insucesso do


planejamento, que, por sua vez, significa esquema
ordenado de ação para atingir objetivos fixados a
luz de limitações conhecidas, sendo exatamente,
o que não ocorreu .
Le Corbusier com a maquete de La Ville radieuse.
Fontes Fotográficas
→ ME DI AB ISTRO.COM
→ WORLD ONLI NE.D K
→ UNIAN.IT
→ WORLDONLINE.DK
→ TRA JEKT.ORG
→ VE.S COLA.AC-P ARIS.FR
→ STATIC.FLICKR.COM
→ TREKEARTH.COM
→ WWW.SFU.CA
→ BBC.CO.UK
→ LEODIS.ORG
→ PT.WIKIPEDIA.ORG
→ CITIOFLEEDS.CO.UK
→ CAVS.MID.EDU
→ QUARRYHOUSE.ORG.UK
→ AASCHOOL.CO.UK
→ CITYSNAPPER.ORG
→ LONDON.FOTO.LAP.PL
→ HARDBLOG.BLOGSPOT.COM
→ IBRARY.WUSTL.EDU
→ VITRUVIUS.COM.BR