Você está na página 1de 16

Mestrado em Arquitetura e Urbanismo,

Universidade Federal Fluminense,


1o. Semestre 2007

BILL
Sintaxe
HILLIER
Urbana
PHILIPPE
JEAN
PANERAI
Forma
CASTEX
Urbana
Pesquisa:
Marcio Martins
Nelson Paes Leme de Araújo

Disciplina:
Teoria e História da Formação da Cidade
Prof.: Marlice Nazaré, Vera Rezende e
Fernanda Furtado
BILL
HILLIER
É professor de Morfologia Arquitetônica e Urbana na University of
London e diretor do laboratório Space Syntax, na University College
de Londres.
Hillier é pioneiro nos métodos para análise de padrões espaciais
conhecido como “Space Syntax”. É autor, juntamente com Julienne
Hanson, do livro The Social Logic of Space (Cambridge University
Press, 1984, 1990), que apresenta uma teoria geral de como as
pessoas se relacionam com o espaço em ambientes construídos.
Seu Livro ‘Space is the Machine’ (CUP 1996) trata de uma
substancial pesquisa baseada nestas teorias, além de um grande
número de artigos sobre diferentes aspectos do espaço e seu
funcionamento. Hillier também escreve extensivamente sobre
outros aspectos de teoria em arquitetura.
BILL
HILLIER
Biografia.

O trabalho de Hillier e seu


laboratório é bastante extenso e
possui vertentes como a
apresentada no SPACE SYNTAX
SECOND INTERNATIONAL
SYMPOSIUM, BRASILIA 1999, em
parceria com Margarita Greene,
Pontificia Universidad Católica de
Chile, chamado “SELF-
GENERATED NEIGHBOURHOODS.
The role of urban form in the
consolidation of informal
settlements” que avalia
loteamentos de habitação
popular contemplados pela
iniciativa pública com uma série
de melhoramentos.
BILL
HILLIER
Biografia.

Em seu trabalho “Between Social Physics and


Phenomenology: explorations towards an
urban synthesis?” Bill Hillier trata dos
grandes objetos e a sociedade, componentes
essenciais que integrados formam a cidade.

O laboratório Space Syntax, de Hillier,


trabalha através de avaliações de evidências,
analisando projetos de ambientes
construídos, de planos urbanos para centros
históricos, leiaute de hospitais e shoppings,
fazendo um link entre a maneira que os
espaços são projetados e como são
utilizados.

Suas pesquisas utilizam-se de técnicas de


modelagem de computador na previsão de
efeitos de decisões projetuais e suas
BILL
HILLIER
Produção
Bibliográfica.
Fazem parte da produção bibliográfica de Hillier as seguintes
publicações:

Hillier B., & Hanson, J., 1984. The Social Logic of Space. Cambridge:
Cambridge University Press.
Hillier, B., 1985. The Contingent and the Necessary in Spatial Form
in Architecture. Geoforum.
Hillier, B., Burdett, R., Peponis, J., & Penn, A., 1987. Creating Life:
Or, Does Architecture Determine Anything? Architec¬ture and
Behavior.
Hillier, B., Hanson, J., & Peponis, J., 1987. Syntactic Analysis of
Settlements. Architecture and Behavior.
Hillier, B. & Hanson, J., 1989. Introduction. Architecture and
Behavior.
Hillier, B., 1989. The Architecture of the Urban Object. Ekistics.
BILL
HILLIER
Produção
Bibliográfica.
Fazem parte da produção bibliográfica de Hillier as seguintes
publicações:
Hillier, B., 1993. Specifically Architectural Knowledge. Nordisk
Arkitekturforskning.

Hillier, B. (1996) Space is the Machine, Cambridge University Press.

Hillier, B. (1999) Centrality as a process, Urban Design International 4,.

Hillier, B. (2002) A theory of the city as object, Urban Design International 7,


Also in: Proceeedings of the Third Space Syntax Symposium, Atlanta, 2001.

Hillier, B. (2004) reply to Carlo Ratti, Environment & Planning B 31, Between
Social Physics and Phenomenology: explorations towards an urban
synthesis?

Hillier, B. & Shabaz, O. (2005) High resolution analysis of crime patterns in


urban
street networks: an initial statistical sketch from an ongoing study of a
London
borough, Proceedings of the Fifth Space Syntax Symposium, Delft, 2005.
PHILIPPE PANERAI
É um urbanista francês, tendo sido laureado com o “Grand Prix de
l’urbanisme” de 1999 juntamente com Nathan Starkman.
Panerai tem extensa carreira de professor-pesquisador na Escola de
Arquitetura de Versailles, Paris-Villemin e posteriormente Malaquais.
Panerai trabalha sobretudo na importância dos projetos de
parcelamentos urbanos, tendo trabalhado no projeto de La
Teisseire, redesenho de 1200 unidades de habitação de estilo
Corbuseano e de toda a parte exterior do projeto, incluindo a
criação de novas unidades.
Tem trabalhado na valorização da quadra como determinante da
ambiência da cidade, na relação entre a rua, o lote e a quadra e
também nas origens da habitação em massa.
PHILIPPE
PANERAI
Biografia.

Panerai, juntamente com Castex e Depaule, analisam a questão


urbana de forma diversa à do movimento modernista, que
consideram estabelecer uma inversão do papel da rua na cidade,
retirando-a de sua função de principal agente estruturador do
espaço urbano.
Uma importante contribuição de Panerai e
Castex para a questão urbana é seu livro
“Formes urbaines, de l'îlot à la barre, (1977) ”,
com versão em Inglês, “Urban Forms, the death
and life of the urban block, (2004)”.
O livro argumenta que o urbanismo modernista
deteriorou a morfologia das cidades, abolindo
suas ruas e isolando seus prédios. Apresenta
também a visão de que o tecido urbano, a escala
intermediária entre os edifícios arquitetônicos e
os diagramáticos leiautes dos planejamentos
urbanos, representa a verdadeira moldura para a
vida diária.
PHILIPPE
PANERAI
Biografia.

“Urban Forms” avalia cidades como Paris, Londres, Amsterdã e


Frankfurt em 100 anos (1860-1960). O choque provocado pelo
planejamento e a transformação do estilo de vida nestas cidades foi
tão expressivo que nos pôs a procurar ainda hoje formas urbanas
que nos permitam acomodar o dia-a-dia contemporâneo e manter a
qualidade de vida da cidade tradicional. A versão americana do
livro, de 2004, avalia também o impacto do “New Urbanism” nos
EUA, procurando restabelecer a relação com o tecido urbano.

Panerai trabalhou também questões relativas a projetos urbanos


sustentando que, para além das questões relativas às formas
urbanas, que seriam uma implicação de diversas questões, os
projetos devem considerar questões técnicas e ainda questões de
aspectos econômicos, culturais e sociais.
PHILIPPE
PANERAI
Produção
Bibliográfica.
Fazem parte da produção bibliográfica de Panerai as seguintes
publicações:

Formes urbaines, de l'îlot à la barre, (1997) avec Jean Castex et


Jean-Charles Depaule.
Mangin, D. et Panerai, P. (1999) Projet urbain, Marseille,
Parenthèses, 185 p.
Analyse urbaine, (1999) avec Jean-Charles Depaule et Marcelle
Demorgon
Projet urbain, (1999) avec David Mangin.

Urban Forms by Ivor Samuels, Phillippe Panerai, Jean Castex, and


Jean Charles Depaule (Jun 15, 2004)
JEAN CASTEX
É arquiteto, doutor em urbanismo(Paris VIII) e professor de história
e cultura arquitetônica na escola de arquitetura de Versailles.
Castex trabalha junto ao laboratório de pesquisa LADRHAUSS,
LABORATOIRE DE RECHERCHE HISTOIRE ARCHITECTURALE ET
URBAINE
Apresenta– SOCIETES.
trabalhos de história arquitetônica,
com livros sobre Renascimento, Barroco e
Classicismo, Borromini, A Prairie House de
Frank Loyd Wright e históricos sobre a cidade
de Chicago entre 1910-1930.
Passou algum tempo em Nova York no final do
anos 60, onde ajudou a consolidar laços com
os pesquisadores norte-americanos e
posteriormente foi professor na Universidade
de Washington, Seattle.
JEAN CASTEX
Biografia.

Castex tem colaboração juntamente com Panerai no livro Urban


Form, previamente considerado neste trabalho.

O estudo da morfologia urbana tem sido contemplado por pesquisas


desde M.R,G. Cozen (1907), geógrafo alemão radicado na Inglaterra,
e por Saverio Muratori (1910-1973), arquiteto italiano que ensinou
em Veneza e Roma. Ambos eram homens não usuais e não
conformistas em seus campos de atuação. Muratori realizou estudos
os quais chamou de “operational histories” em Veneza e Roma,
sendo isolado e depreciado por seus colegas modernistas.
Entretanto seus trabalhos inspiraram seguidores interessados em
capturar o “genius loci” das cidades e seu poder mnemônico
enquanto palimpsesto cultural.
Após duas primeiras escolas de morfologia urbana, no final dos anos
60 os arquitetos Philippe Panerai e Jean Castex, juntamente com o
sociólogo Jean-Charles Depaule, fundaram a Escola de Arquitetura
de Versailles, como parte da dissolução da Belas Artes.
JEAN CASTEX
Biografia.

Apoiados então por críticos do


modernismo espalhados pelo mundo,
como o sociólogo Henri Lefebvre e o
então vibrante discurso da vida
urbana, os cientistas franceses
propuseram uma reação contra a
arquitetura modernista e sua rejeição
da história.
Após contato acidental com o trabalho
de Muratori, Castex e Panerai
estabeleceram contatos com escolas
Italianas, bem como espanholas e
latino-americanas no desenvolvimento
de seu trabalho, realizando estudos na
cidade de Versailles, nas Bastides
Francesas, na cidade do Cairo (Egito),
ajudando a preparar uma segunda
geração de morfologistas urbanos na
Cidade do Cairo, Egito
França, em Nantes com Michael Darin
JEAN CASTEX
Produção
Bibliográfica.
Fazem parte da produção bibliográfica de Castex as seguintes
publicações:

Frank Lloyd Wright, le printemps de la Prairie House by Jean Castex


(1985)
Darwin, Wright and the Typology of the Prairie House,” in Rassegna,
74, The Prairie School, 1988
Renaissance, baroque et classicisme, histoire de l’architecture 1420–
1720 (Paris 1990; reissued 2004)
Formes urbaines de l'îlot à la barre by Philippe Panerai, Jean Castex,
and Jean-Charles Depaule (Nov 4, 1997)
Renacimiento, Barroco y Clasicismo by Jean Castex (Sep 2000)
Borromini et Mansart, les règles de l’extraordinaire,” in Borromini en
perspective (2003)
Urban Forms by Ivor Samuels, Phillippe Panerai, Jean Castex, and
Bibliografia
Hillier.
http://www.spacesyntax.com/tool-links/urban-gallery/land-use.aspx
The Life of the Place: A Phenomenological Commentary on Bill Hillier’s Theory of Space
Syntax - David Seamon.
http://www.bartlett.ucl.ac.uk/people/GS_hillier.htm
http://hjem.get2net.dk/gronlund/Life_and_complexity.html#anchor969372
Panerai e Castex
http://www.versailles.archi.fr/LADRHAUS/
Panerai, Philippe et al. Elementos de analisis urbana. Madrid: Instituto de Estudios de
Administracion Local, 1983.
The city of the Chancellor, or the polycentric model of the city within the city for Europe
in the 21st century. by Gabriele Tagliaventi
Atlas of the Dutch Urban Block, Susanne Komossa, Han Meyer, Max Risselada, Sabien
Thomaes, Nynke Jutten / November 2005
FROM URBAN FORM TO URBAN RELATIONS: IN SEARCH FOR A NEW KIND OF REFLEXIVE
AND
CRITICAL KNOWLEDGE IN URBAN GEOGRAPHY AND CITY MONITORING, Jean-Bernard
Racine
Urban Morphology as an emerging interdisciplinary field, Anne Vernez Moudon (1997)
BILL HILLIER

PHILIPPE PANERAI
JEAN CASTEX

Pesquisa:
Marcio Martins
Nelson Paes Leme de Araújo

Disciplina:
Teoria e História da Formação da Cidade
Prof: Marlice Nazaré, Vera Rezende e Fernanda
Furtado

Você também pode gostar