Você está na página 1de 2

Urie Bronfenbrenner = Abordagem ecológica do desenvolvimento humano

Afirmar que o desenvolvimento humano é um produto da interação entre um organismo


e seu meio ambiente é quase um lugar comum na psicologia. Mas de fato, apesar de
poucos teóricos discordarem dessa premissa, pouco estudo tem sido reservado para
investigação do ambiente e muito se fala sobre as características da pessoa.
• Curiosamente, quando os estudos focalizam sobre o ambiente o fazem de duas
maneiras: ou concebendo o ambiente como algo estático (que não se altera com
os desenvolventes em interação) ou indivíduo é retirado do seu ambiente e
levado a um laboratório.
• Nenhuma dessas metodologias atende a um modelo ecológico de pesquisa.
• Tendo em vista as limitações, citadas acima, ao estudo do desenvolvimento
humano pode-se dizer que atualmente a psicologia do desenvolvimento é a
ciência do comportamento desconhecido da criança em situações desconhecidas
com adultos desconhecidos pelo período de tempo mais breve possível.
• Em contrapartida, o que é proposto tem relação com o uso dos chamados
métodos naturalísticos, sem o uso de qualquer hipótese ou embasamento
científico e não contaminada por planejamentos experimentais altamente
estruturados e impostos antes da coleta de dados, muitas vezes impedindo a
visão de perguntas de pesquisa que acontecem no decorrer da mesma e não
antes.
• Definições importantes:
1- Estudo científico da interação mútua entre um ser humano ativo, em
desenvolvimento, e as propriedades mutantes dos ambientes imediatos em que esta
pessoa vive, avaliando como se dá a interação desses ambientes mais amplos.
- indivíduo como tábula rasa
- meio ambiente concebido com diferentes estruturas
2- Microsistema: padrão de atividades, papéis e relações interpessoais experienciados
pela pessoa em desenvolvimento num dado ambiente com características físicas e
materiais específicas.
- ambiente “experienciado” (percepção individual, visão fenomenológica)
Kart Lewin o ambiente de maior relevância para o entendimento do comportamento e
do desenvolvimento não é aquele que está no mundo objetivo mas conforme ele aparece
na mente da pessoa, ou seja, o importante é como ela percebe o mundo (ambiente
fenomenológico).
3- Mesossistema: inclui as inter-relações entre 2 ou mais ambientes nos quais a pessoa
em desenvolvimento participa ativamente.
- sistema de microssistemas
- ex: casa + escola + amigos na rua
4- Exossistema: ambiente do qual a pessoa em desenvolvimento não participa
diretamente mas que afeta ou é afetado por aquilo que acontece no ambiente direto.
- ex: local de trabalho dos pais da criança
5- Macrossistema: consistências entre sistemas de ordem inferior, que existem a nível de
cultura ou subcultura.
- definem alguns elementos no funcionamento dos sistemas
menores (casas, escolas, igrejas, etc) que podem ser comuns aos membros da sociedade.
Na perspectiva ecológica, as propriedades da pessoa e do meio ambiente, a estrutura dos
ambientes e os processos ocorrendo dentro e entre eles devem ser considerados como
interdependentes e analisados em termos de sistemas. Assim, pesquisas e intervenções
deverão ser feitas com base nessas premissas
• A manifestação principal e imediata do desenvolvimento do indivíduo e também
do ambiente que instiga e influencia o mesmo é a ação das pessoas, também
chamada por B., como atividade molar.
• Atividades molares são comportamentos que possuem um momento próprio e
são percebidas como tendo um significado ou intenção pelo participante.

• Metodologicamente, essas atividades são analisadas em relação a diferentes


tópicos, como: conteúdo, complexidade, nível de funcionamento psicológicos
das pessoas, nível de concentração, etc.
• Em termos quantitativos, o autor aponta para a necessidade de investigação de
comportamentos pouco explorados, como o brincar (jogos e fantasias), para o
entendimento do desenvolvimento infantil
• Uma outra preocupação do autor diz respeito a ausência de experiências
“humanas” vividas na sociedade atual, ou seja, segundo ele, muitos jovens
terminam o ensino médio, muitas vezes a faculdade e a pós graduação sem
nunca terem cuidado de um bebê, um idoso, um colega ou parente doente, etc e
as conseqüências psicológicas desta privação ainda são desconhecidas mas
pode-se imaginar que uma sociedade não tem como se sustentar dessa maneira,
uma vez que todos, um dia ou outro precisarão de ajuda, consolo, auxílio.
• A escola, enquanto local básico de oferecimento de educação formal, deveria ter
esta preocupação também, no sentido de fornecer oportunidades para que
aprendizagens deste tipo possam ocorrer, construindo um verdadeiro
“curriculum de atendimento”, no qual as crianças viveriam situações de
atendimento, com intensa supervisão. Essas atividades seriam realizadas na
comunidade e supervisionadas por membros da mesma. Este projeto sugerido
precisa ser testado empiricamente e constituiria um verdadeiro empreendimento
transformador, uma vez que ele questiona e altera de maneira substancial o
ambiente educacional padrão.
• O estabelecimento deste curriculum proposto por ele pode não provocar
mudanças significativas na concepção prevalente daquilo que as escolas estão
priorizando ensinar, mas, no mínimo, permitiria a avaliação do status
desenvolvimental da pessoa e do poder do ambiente de atividade para estimular
ou abafar o desenvolvimento psicológico.
• “O status desenvolvimental do indivíduo está refletido na substancial variedade
e complexidade estrutural das atividades molares que ele inicia e mantém ma
ausência da instigação e orientação dos outros.”
• Alguma coisa semelhante em relação a esta ponto
com aquilo que já estudamos?