Você está na página 1de 4

Ar comprimido I:

introdução e outras
Web Este site
informações

Ar comprimido é um insumo ou forma de energia de ampla utilização. Certamente é difícil listar


todas, mas é possível mencionar algumas aplicações: acionamentos e controles industriais,
transporte pneumático, ejetores de fluidos, processos como produção de peças de vidro ou
plástico, jato de areia, pinturas, ferramentas (marteletes, perfuratrizes, furadeiras,
parafusadoras e outras), acionamento de freios, operações submarinas, etc.

As vantagens são evidentes: é fácil de ser conduzido, os equipamentos são compactos e leves,
não há risco de incêndio ou choque elétrico, não gera resíduos prejudiciais, etc.

A contrapartida para vantagens tão claras é o alto custo. A maior parte da energia gasta para a
compressão do ar é perdida na forma de calor e o trabalho útil que ele pode fornecer é muito
pequeno em relação a essa energia gasta. Portanto, em especial na indústria, o uso do ar
comprimido deve ser limitado ao estritamente necessário e o projeto, a operação e a
manutenção dos sistemas devem procurar sempre a maximização da eficiência.

Estudos realizados por algumas empresas nos Estados Unidos demonstraram que,
considerando uma instalação nova de ar comprimido, nos primeiros 5 anos a energia elétrica
representa cerca de 80% dos custos. Os 20% restantes são divididos pelos custos do capital
investido, água e manutenção.

Tópicos: Uma breve história | Produzindo ar comprimido | Estimando consumo | Qualidade do


ar |

Uma breve história (início da página)


A primeira máquina que a espécie humana usou para comprimir ar foram os próprios pulmões.
Aliás, nos dias de hoje, vez por outra ainda usamos para essa finalidade. Os pulmões humanos
podem comprimir até cerca de 0,08 atm, o que é muito pouco para a metalurgia do ouro,
cobre e outros metais, que se estima ter começado por volta de 3000 AC.

Há indícios que egípcios e sumérios usavam tubos para conduzir o vento até seus fornos. O fole
manual foi o primeiro compressor mecânico. Depois de 1500 AC recebeu melhoramentos como
acionamento pelos pés ou por roda d'água. E assim cumpriu seu ofício por mais 2000 anos.

O primeiro cilindro compressor, acionado por roda d'água, foi desenvolvido pelo engenheiro
inglês John Smeaton em 1762. Em 1776, o inventor inglês John Wilkinson o aperfeiçoou,
fazendo um modelo primitivo dos compressores atuais.

Produzindo ar comprimido (início da página)


Compressores são equipamentos que elevam a pressão do ar através de acionamento
mecânico, em geral motor elétrico ou de combustão interna. Não é propósito desta página dar
informações detalhadas. Quase todos os fabricantes de compressores disponibilizam boas e
variadas informações em seus catálogos ou websites. Aqui são comentados apenas os tipos e
dados genéricos dos mais comuns.

Basicamente os compressores de ar se classificam em dois grupos distintos, de forma


semelhante às bombas para líquidos:

Deslocamento positivo: a compressão se dá pela redução física do volume da câmara em


intervalos discretos. O clássico compressor a pistão (também chamado compressor alternativo)
é o exemplo mais evidente. Os compressores chamados rotativos também são de
deslocamento positivo, mas a redução de volume pelo movimento de rotação de um conjunto
de peças. Os tipos mais conhecidos são os de anel líquido, de palhetas, de lóbulos e de
parafusos.
Elaborado 24/05/04Pg 265
Ar comprimido II:
uma instalação típica
Web Este site

O ar que sai do compressor está aquecido, contém umidade, ou seja, está em condições
incompatíveis com a maioria dos equipamentos consumidores. A instalação agrega outros
dispositivos que condicionam a qualidade do ar para a finalidade desejada.

Tópicos: Uma instalação típica | Filtro de ar e linha de sucção | Compressor | Resfriador


posterior | Secador | Reservatório |

Uma instalação típica (início da página)


A Figura 1 abaixo dá o diagrama típico de uma instalação de pequeno/médio porte para ar de
qualidade industrial ou de laboratório. É um esquema básico e variações podem ocorrer
dependendo da aplicação. Os dispositivos não precisam estar fisicamente separados. Vários
fabricantes fornecem conjuntos integrados, contendo todos ou quase todos os dispositivos em
um único bloco.

Nos próximos tópicos, comentários sobre dispositivos do diagrama.

Filtro de ar e linha de sucção (início da página)


O filtro tem a função óbvia de reter partículas de poeira que desgastariam o compressor e
degradariam a qualidade do ar. Existem tipos de papel seco, papel impregnado com óleo, tela
com óleo, feltro, etc. Em geral, os filtros secos são adequados para a maioria das aplicações.
Atenção deve ser dada à limpeza ou troca periódica do elemento filtrante de acordo com
recomendações do fabricante. O aumento da perda de carga reduz a eficiência do compressor
(para cada 25 mbar de perda de carga na sucção, a eficiência é reduzida em cerca de 2%).

A linha de sucção deve ser a mais direta possível, com o mínimo de curvas. A velocidade média
do escoamento não deve ser superior a 6 m/s para compressores alternativos de ação simples
e 7 m/s para os de dupla ação. O cálculo do diâmetro pode se feito facilmente pela relação
entre vazão Q, área S e velocidade v: Q = S v.

Notar que a vazão considerada é na entrada do compressor. Se o fabricante especifica a vazão


em outras condições como, por exemplo, em metro cúbico normal por hora, ela pode ser
calculada considerando uma aproximação com o gás ideal e usando a respectiva equação de
estado. Ver página Termodinâmica I.

Compressor (início da página)


No exemplo da figura, é considerado um compressor alternativo refrigerado a ar. Conforme dito
na página anterior, informações detalhadas sobre compressores não são do escopo desta série.
Elas podem ser obtidas em catálogos ou websites de fabricantes.
Elaborado 24/05/04Pg 266

Você também pode gostar