Grislane Civa

Advogada

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CRIMINAL DA COMARCA DE LARANJEIRAS DO SUL - PR

JOSÉ VILSON RIBEIRO DE LIMA, brasileiro, casado, magarefe, portador da C. I RG nº 8.564.028-3, residente e domiciliado na Rua das Garças, nº 79, Vila das Palmeiras, Laranjeiras do Sul – PR, atualmente recolhido à Cadeia Pública desta cidade, por seu advogado regularmente constituído, com escritório profissional à Avenida Tancredo Neves, nº. 2360, CEP 85805-000, Cascavel-PR, onde recebe intimações, vem à presença de Vossa Excelência para requerer PROGRESSÃO DO REGIME DE CUMPRIMENTO DE PENA (FECHADO PARA SEMI-ABERTO) o que faz pelos fatos e fundamentos a seguir expostos.

________________________________________________________________
Rua XV de Novembro, nº 2562, Centro, CEP 85301-050, Laranjeiras do Sul - PR Fone/Fax: 42 3635-5788, Celular: 42 9967-7256

1

Centro. ou seja. a progressão de regime para qualquer crime. conforme cópia da sentença anexa (anexo I). que tramitou perante a Vara Criminal de Formosa do Oeste-PR e foi condenado como incurso nas penas do artigo 121.A pena privativa de liberdade será executada em forma progressiva com a transferência para regime menos rigoroso. §2º. com a transferência do condenado para regime menos rigoroso. o requisito objetivo para obter a progressão de regime. tendo direito a progressão de regime. tem-se que o Requerente já cumpriu mais de 1/6 (um sexto) da reprimenda que lhe fora imposta.164 (um mil cento e sessenta e quatro) dias do total da pena. inciso II. Assim.Grislane Civa Advogada I- SÍNTESE FÁTICA O ora Requerente respondeu à ação penal pública incondicionada autuada sob o nº 2007. respeitadas as normas que vedam a progressão. ambos do Código Penal. já cumpriu mais de 1. a ser cumprido inicialmente em regime fechado. nº 2562.PR Fone/Fax: 42 3635-5788. CEP 85301-050. (g. a pena privativa será executada de forma progressiva.) Todavia. e IV. 112 .464/07. a uma pena privativa de liberdade de 10 (dez) anos. portanto. A lei exige que o sentenciado preencha requisitos objetivos (cumprir uma fração de pena) e subjetivos (ostentar bom comportamento). conforme prova a cópia da denúncia e Inquérito Policial em anexo (anexo II). data de sua prisão em flagrante. O Requerente está preso em regime fechado desde o dia 06 de janeiro de 2007. com o advento da Lei 11. conforme os fatos e fundamentos a seguir aduzidos. Em regra antes de 29/03/2007. Laranjeiras do Sul . a ser determinada pelo juiz. 01 (um) mês e 15 (quinze) dias de reclusão. o requisito subjetivo de ostentar bom comportamento carcerário e o requisito objetivo de cumprir 1/6 (um sexto) da pena. II- DISPOSIÇÃO LEGAL Como é cediço.464/07. §1º.12-0. c/c artigo 29. Celular: 42 9967-7256 2 . que alterou o parágrafo 2º. era regulada pelos requisitos descritos no artigo 112 da Lei de Execuções Penais. do artigo 2º da Lei 8072/90 (Lei de Crimes Hediondos). passou a dispor que para os crimes hediondos e assemelhados.n. quando o preso tiver cumprido ao menos um sexto da pena no regime anterior e ostentar bom comportamento carcerário. ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. seria de cumprir 2/5 (dois quintos) da pena para apenados primários e 3/5 (três quintos) da pena para reincidentes. comprovado pelo diretor do estabelecimento. Desta forma dispõe o artigo 112 da Lei de Execuções Penais: Art. data em que entrou em vigor a Lei 11.

da Lei 8072/90. pela prática do delito de homicídio qualificado. ser cumprido o patamar de 1/6 da pena. o artigo 112 da Lei de Execuções Penais tornou-se a norma legal aplicável a todas as hipóteses de progressão de regime. Desta forma é o entendimento jurisprudencial do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná: RECURSO DE AGRAVO. 890.2008) (g.464/07. do MM.464/2007. tendo em vista ser mais benéfico do que o previsto na Lei 11.464. (Redação dada pela Lei nº 11. TRÁFICO ILÍCITO DE ENTORPECENTES. se o apenado for primário. Nesse passo. no caso dos condenados aos crimes previstos neste artigo. para tanto. (TJPR . No presente caso. é importante destacá-la através dos antecedentes acostados aos autos principais às fls. o qual reconheceu os bons antecedentes e primariedade do Requerente.3ª C. 180 e 184/185 e 188. PROGRESSÃO DE REGIME. conforme dispõe o artigo 1º. sendo que esta não pode retroagir para prejudicar o Réu.n. Juiz quando da análise da 1ª das circunstâncias judiciais.Cascavel .Criminal . darse-á após o cumprimento de 2/5 (dois quintos) da pena. para obter a progressão de regime no tocante ao requisito objetivo deve cumprir ao menos 1/6 (um sexto) da pena. o Requerente foi autuado em flagrante no dia 06 de janeiro de 2007.Rel. e de 3/5 (três quintos).Grislane Civa Advogada Assim. devendo. de 2007) Destarte. §2º.J. 24. PRECEDENTES DOS TRIBUNAIS SUPERIORES.07. por força do princípio da irretroatividade. tendo em vista que o fato ocorreu antes da entrada em vigor da Lei 11. Mesmo nesse caso. RECURSO NEGADO. POSSIBILIDADE. Celular: 42 9967-7256 3 . mesmo sendo este hediondo.). e da disposição em sentença às fls. Marques Cury . nº 2562. PLEITO MINISTERIAL DE REFORMA DA DECISÃO PARA NEGAR A PROGRESSÃO POR AUSÊNCIA DE REQUISITO OBJETIVO DE DOIS QUINTOS DE CUMPRIMENTO DA PENA.PR Fone/Fax: 42 3635-5788.Unanime .: Des. a progressão de regime prisional para apenados por crimes praticados até a data de 29/03/2007 ainda é regulada pelo artigo 112 da Lei de Execuções Penais.RA 0480478-0 . PROIBIÇÃO DO REFORMATIO IN PEJUS. da Lei 8072/90: Art.§ 2o A progressão de regime. Entre as datas de 23/02/2006 e 27/03/2007. inciso I. INADMISSIBILIDADE. CEP 85301-050. PATAMAR DE UM SEXTO UTILIZADO POR SER MAIS BENÉFICO AO RÉU. ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. se reincidente. Laranjeiras do Sul . Centro. passou a ser redação do artigo 2º. o patamar de 1/6 (um sexto) previsto no artigo 112 continua vigente e válido para todos os fatos ocorridos até 29/03/2007. 2º . não sendo necessário comprovar a primariedade do Requerente.

rel. “A remição pelos dias trabalhados. nº 2562. §2º. rel. Nesse sentido é a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça: “O tempo remido pelo trabalho do preso deve ser considerado como pena efetivamente cumprida” (STJ. 22-10-2002. j. tendo direito à progressão de regime. “Tendo a pena criminal.695 (três mil seiscentos e noventa e cinco) dias. 01 (um) mês e 15 (quinze) dias de reclusão.. a remição pelos dias trabalhados deve ser considerada como efetiva execução da pena restritiva de liberdade” (STJ. Sendo assim. DJ. as regras que informam a execução penal devem ser interpretados em consonância com tais objetivos. DJ. consoante dispõe o art.1999 p. à reeducação e à reintegração do condenado.Grislane Civa Advogada O Requerente foi condenado como incurso nas penas do artigo 121. pelo trabalho. rel. pois pena remida é pena cumprida.466/RS. do Código Penal. 20-41999. Vicente Leal. computando-se o tempo remido como tempo de efetiva execução da pena restritiva de liberdade” (STJ. 5ª T. rel. 126 da LEP. Jorge Scartezzini. j. a uma pena privativa de liberdade de 10 (dez) anos. deve ser considerada como pena efetivamente cumprida” (STJ. “O art. §1º. REsp 303. sendo que 1/6 (um sexto) desses dias é igual 615 (seiscentos e quinze dias) dias. 6ª T. Min. Paulo Medina. que dispõe sobre a remição. DJ. 25-8-2003 p. Dentro dessa visão teleológica. deve ser interpretado em consonância com a concepção teleológica do instituto. CEP 85301-050. que esse período de pena já cumprido pelo Requerente. 255). Centro. Edson Vidigal. 378). ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. Pelo fato do Requerente estar preso desde o dia 06 de janeiro de 2007. 5ª T... Celular: 42 9967-7256 4 .PR Fone/Fax: 42 3635-5788. 27-8-2001 p. em nosso sistema. 195). Importante destacar. que visa à recuperação da dignidade.219/RS..460/RS. que o Requerente tinha que cumprir para obter a progressão de regime. 25-11-2002 p. Min. REsp 445. Min. como função precípua a reeducação do condenado e a sua integração no convívio social. 126 da Lei de Execuções Penais. O total dessa condenação corresponde a 3. j. até a presente data já cumpriu 958 (novecentos e cinqüenta e oito) dias de sua pena em regime fechado. 6ª T. Laranjeiras do Sul . 420). 26-6-2003. Min. da Lei de Execução Penal. a remição pelo trabalho. REsp 188. j. segundo o modelo do art. 24. DJ. deve ser compreendida na mesma linha conceitual da detração penal.712/RS. 29-5-2001. 126. deve ser somado aos dias remidos. REsp 200. inciso II e IV c/c artigo 29.5. de parte do tempo de execução da pena.

O condenado que cumpre a pena em regime fechado ou semi-aberto poderá remir. parte do tempo de execução da pena. Gaiotto & Cia Ltda. 126. por acidente. que determinava que a pena deveria ser cumprida integralmente em regime fechado. Celular: 42 9967-7256 5 . CEP 85301-050.Grislane Civa Advogada Conforme consta na Certidão de Permanência e Conduta Carcerária em anexo (anexo III).072/90.PR Fone/Fax: 42 3635-5788. desta forma: Art. tendo em vista que já cumpriu mais de 1/6 (um sexto) da pena cominada. Centro. o Requerente a partir do dia 09 de fevereiro de 2007 passou a realizar trabalhos de artesanato. totalizou a quantia de 620 (seiscentos e vinte) dias trabalhados. Cumpre salientar. pois além de possuir bom comportamento carcerário conforme atestado de boa conduta carcerária (anexo III). § 2º O preso impossibilitado de prosseguir no trabalho. Juiz da Sendo assim. mas agora referido artigo foi declarado inconstitucional. descontados os dias de feriados e finais de semana. na qual trabalhava antes de sua prisão. resultará em 1. V. remiu 206 (duzentos e seis) dias. o que. será remido 01 (um) dia. o Requerente possui todas as condições impostas legalmente para que seja lhe concedida a progressão ao regime semiaberto. o mesmo deveria agora estar cumprindo sua pena em regime semi-aberto. sendo estes somados aos 958 (novecentos e cinqüenta e oito) já cumpridos. A lei de Execução Penal prevê que para 3 (três) dias de trabalho. Por derradeiro. § 1º A contagem do tempo para o fim deste artigo será feita à razão de 1 (um) dia de pena por 3 (três) de trabalho. Nota-se que o Requerente já satisfez o requisito objetivo para obter a progressão. ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. pelo trabalho. III - POSSIBILIDADE DE PROGRESSÃO DE REGIME FECHADO PARA O REGIME ABERTO Há muito se discutia acerca da possibilidade de progressão de regime para crimes hediondos ou equiparados em virtude do que dispunha o parágrafo 1º do artigo 2º da Lei nº 8.164 (um mil cento e cinqüenta e quatro) dias cumpridos. ouvido o Ministério Público. que após a soltura do Requerente. também já cumpriu mais de 1/6 de sua condenação. este continuará a trabalhar na empresa A. conforme declaração em anexo (anexo IV). continuará a beneficiar-se com a remição. D. o Requerente ao trabalhar 620 (seiscentos e vinte dias). Laranjeiras do Sul . § 3º A remição será declarada pelo execução. nº 2562.

1.646/07) ela não poderá retroagir (art. cujo artigo 1º deu nova redação ao parágrafo 1º. PARÁGRAFO 1º.Unanime .POSSIBILIDADE ALTERAÇÃO DO ARTIGO 2º.IMPOSSIBILIDADE REQUISITO TEMPORAL CUMPRIDO AGRAVO DESPROVIDO. Apesar de se ter deferido a progressão direta do regime fechado para o aberto. da Constituição Federal. Reconhecida a inconstitucionalidade do § 1º do art.RECURSO DESPROVIDO. § 1º DA LEI Nº 8. do Código Penal).PROGRESSÃO DE REGIME CRIME HEDIONDO .Rel.ARTIGO 33 DA LEI Nº 11.Cascavel . inciso XL.TRÁFICO ILÍCITO DE ENTORPECENTES .ORIENTAÇÃO DO PRETÓRIO EXCELSO . Centro. devem ser observados. revogar-se a concessão do benefício sob pena de se atribuir indevido efeito retroativo a esta decisão. Conquanto haja lei nova disciplinando a matéria (Lei nº 11. Nos termos do artigo 112.RA 0400882-0 . nº 2562. quando o preso tiver cumprido ao menos um sexto da pena no regime anterior e comprovar o atendimento dos requisitos subjetivos e objetivos. e artigo 2º. bem como que seu parágrafo único dispõe que "A lei posterior.05.Grislane Civa Advogada Nesta oportunidade. 33. do Código Penal.TRÁFICO DE SUBSTÂNCIA ENTORPECENTE PROGRESSÃO DE REGIME PRISIONAL . ainda que decididos por sentença condenatória transitada em julgado".: Juiz Subst.3ª C. Celular: 42 9967-7256 6 . É bom recordar que. do artigo 2º. nos termos do artigo 2º. na fixação do regime. Laranjeiras do Sul .2009) PENAL . Jefferson Alberto Johnsson . XL. a pena privativa de liberdade será executada em forma progressiva com a transferência para regime menos rigoroso.PROGRESSÃO POR SALTO . 2º G. "Ninguém pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime.PR Fone/Fax: 42 3635-5788.343/06 . CEP 85301-050. 2. cessando em virtude dela a execução e os efeitos penais da sentença condenatória". aplica-se aos fatos anteriores. não cabe agora. parágrafo único. 2º da Lei nº 8. da Constituição Federal). do Código Penal. os parâmetros do art.072/90 .464/07. 5º. em razão do tempo decorrido. (TJPR . 14. DA LEI Nº 8. a proibição legal quanto à possibilidade de progressão carcerária aos condenados pela prática de crimes hediondos e equiparados. §§ 2º e 3º.072/90. que de qualquer modo favorecer o agente. da Lei nº 8. ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. é importante destacar que essa discussão já se tornou pacífica em nossos tribunais no sentido de que é possível a progressão de regime. da Lei de Execução Penal. Nesse sentido são as decisões do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná: AGRAVO .DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE DO ARTIGO 2º.J.Criminal .072/90 .072/90. Com a superveniência da Lei nº 11. que determinava que a pena deveria ser cumprida integralmente em regime fechado. norma legal cuja retroatividade é indiscutível em razão do princípio constitucional da retroatividade benigna da lei penal (artigo 5º.

Grislane Civa Advogada (TJPR ." (TJPR .: Des. DO STF) . importante salientar. Celular: 42 9967-7256 7 . Lauro Augusto Fabrício de Melo .ENTENDIMENTO JURISPRUDENCIAL CONSOLIDADO NO SENTIDO DE SER CABÍVEL A PROGRESSÃO DE REGIME.3. "Súmula 716. Processo: 0507467-3. compete ao Juízo da Execução adotar as medidas que se harmonizem com o regime semi-aberto (cf.03. antes do trânsito em julgado da sentença condenatória. esta deverá adotar medidas que harmonizem o cumprimento de pena com o regime imposto em sentença.PEDIDO DE PROGRESSÃO DE REGIME DEFERIMENTO DA BENESSE 'PER SALTUM' IRRESIGNAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO QUANTO À IMPOSSIBILIDADE DE CONCESSÃO DO BENEFÍCIO. 26.Unanime .J. Enquanto não se efetiva a transferência do paciente ao estabelecimento prisional adequado. CONDENADO AGRACIADO COM PROGRESSÃO PARA O REGIME SEMI-ABERTO RECOLHIDO EM CADEIA PÚBLICA. APESAR DE INCABÍVEL A PROGESSÃO 'PER SALTUM'.2 do Código de Normas da Corregedoria-Geral de Justiça).Julgamento: 11/12/2008) ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro.Unanime .Cascavel .5ª C.Rel. ANTES DO TRÂNSITO EM JULGADO DO ÉDITO CONDENATÓRIO (SÚMULA Nº 716.2009) Ademais. que obteve progressão para o regime semi-aberto. Ronald Juarez Moro . Recurso: Recurso de Agravo.1 e 7. Conforme dispõe a jurisprudência do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná: RECURSO DE AGRAVO .ADEMAIS. o condenado em regime fechado. EM OBEDIÊNCIA AO PRINCÍPIO 'NE REFORMATIO IN PEJUS' .AC 0515511-1 .Umuarama . conforme decisão abaixo: RECURSO DE AGRAVO. ADOÇÃO DE MEDIDAS QUE SE HARMONIZEM COM O REGIME SEMI-ABERTO ATÉ A REMOÇÃO PARA O ESTABELECIMENTO PRISIONAL ADEQUADO.3. que a sentença condenatória proferida em desfavor do Requerente ainda não transitou em julgado. CÓDIGO DE NORMAS DA CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA. itens 7. INVIÁVEL PROCEDER-SE À RETIFICAÇÃO DA DECISÃO 'A QUO'.Criminal .RECURSO NÃO PROVIDO. Relator: Rogério Kanayama .: Des. Laranjeiras do Sul . fato este que não obsta o presente pedido de progressão de regime.NÃO ACOLHIMENTO . Centro. RECURSO PROVIDO. deverá cumprir pena em condições que lhe foram impostas.AUSÊNCIA DE INCONFORMISMO MINISTERIAL . NÃO HAVENDO TRÂNSITO EM JULGADO DA SENTENÇA. caso não haja estabelecimento adequado na comarca. 04.Criminal .RA 0538023-4 .Rel. POR CONTA DE RECURSO DA ACUSAÇÃO PENDENTE DE JULGAMENTO .DECISÃO MANTIDA .PR Fone/Fax: 42 3635-5788. (TJPR.CONDENAÇÃO POR CRIME DE TRÁFICO DE ENTORPECENTES EM ASSOCIAÇÃO EVENTUAL .J. nº 2562.06.4ª C. NESTE PARTICULAR. do STF: Admite-se a progressão de regime de cumprimento da pena ou a aplicação imediata de regime menos gravoso nela determinada.2009) Conforme decisões dos nossos tribunais. CEP 85301-050. CONDIÇÕES DO REGIME ABERTO.

nº 2562. Celular: 42 9967-7256 8 . CONDENADO QUE ATÉ SUA REMOÇÃO DEVE CUMPRIR SUA PENA EM REGIME ABERTO PROVISORIAMENTE. CEP 85301-050. Art. DEMORA NA IMPLANTAÇÃO DO PACIENTE. Juiz. até que seja implantando no sistema.participação em atividades que concorram para o retorno ao convívio social. na Comarca do Juízo da Execução. sem vigilância direta.freqüência a curso supletivo profissionalizante.PR Fone/Fax: 42 3635-5788. a progressão para o regime semi-aberto mostra-se necessária pelo menos para que o Requerente tenha direito às saídas temporárias sobre as quais versa o art. Julgamento: 19/02/2009) (g. Apesar de saber que existem poucas vagas em colônias agrícolas ou industriais.visita à família. desde já. bem como de instrução do 2º grau ou superior. Centro. Processo: 0546346-7. COM RECOMENDAÇÃO AO JUÍZO.n. do qual deveria ter sido adaptado em regime semi-aberto. RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO. CONDENADO QUE TEVE DIREITO À PROGRESSÃO DE REGIME PARA CUMPRIMENTO DA PENA EM REGIME SEMI-ABERTO. III . o Requerente tem direito à progressão de regime de cumprimento de sua pena. já que até o presente momento não foi transferido para a Colônia Penal Agrícola do Estado. vez que não há vagas na Colônia Penal e ausente na comarca casa do albergado. 122 da LEP (Lei de execuções Penais). que cumpra temporariamente a pena em regime aberto. Recurso: Recurso de Agravo.Grislane Civa Advogada Portanto. Caso não haja vaga em estabelecimento adequado ao regime semi-aberto.) ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. requer. que lhe seja concedido o benefício do cumprimento de pena em regime aberto. Nesse sentido é a orientação jurisprudencial do Estado do Paraná e São Paulo: RECURSO DE AGRAVO. (TJPR. Relator: Maria José de Toledo Marcondes Teixeira. nos seguintes casos: I . vez que o cidadão não é obrigado a suportar a imposição de um regime mais gravoso em virtude das deficiências do Estado. o mesmo já cumpriu o quantum necessário para a concessão de tal benefício em regime fechado. Os condenados que cumprem pena em regime semi-aberto poderão obter autorização para saída temporária do estabelecimento. Laranjeiras do Sul . do fechado para o semiaberto. 122. É possibilitado ao condenado que obteve o direito à progressão de regime. pois como pode se observar. COMARCA QUE NÃO POSSUI CASA DE ALBERGADO. II . MM.

A adaptação do regime semi-aberto proposto pelo juízo da execução é medida que afasta o constrangimento ilegal a que se sujeitava o réu no regime fechado. Recurso: Habeas Corpus Crime.n. Julgamento: 29/01/2009) (g. Celular: 42 9967-7256 9 . Logo. RICARDO LEWANDOWSKI) (g. aos benefícios ou à espécie de sanção penal (pena ou medida de segurança). III . Configura constrangimento ilegal o fato de o paciente estar cumprindo a sua pena em regime fechado quando lhe foi fixado regime para o semi-aberto para o cumprimento da pena.AUTORIDADE COATORA QUE FIXOU CONDIÇÕES ESPECIAIS DE CUMPRIMENTO DE PENA PROVIDÊNCIA QUE HARMONIZA O REGIME SEMIABERTO ÀS CONDIÇÕES POSSÍVEIS DE CUMPRIMENTO DE PENA REGIME DOMICILIAR .À falta de local adequado para o semi-aberto. no qual a pena não pode ultrapassar em quantidade ou qualidade do estabelecido na sentença condenatória. cabe ao Estado o aparelhamento do Sistema Penitenciário para atender à determinação.CUMPRIMENTO DA PENA EM REGIME MAIS GRAVOSO . quer em relação à quantidade. . EXECUÇÃO PENAL.BENEFÍCIO CONCEDIDO APENAS AOS CONDENADOS QUE FAZEM JUS AO REGIME ABERTO ORDEM DENEGADA. (HC N. REGIME MAIS BENÉFICO. II . há muito. 1. Denomina-se excesso em execução o abuso quantitativo: A execução não pode superar o estabelecido no título executivo. 94. sob pena de ocorrer excesso de execução. Ainda que haja ofensa a preceito legal.Grislane Civa Advogada HABEAS CORPUS . REGIME DE CUMPRIMENTO. HABEAS CORPUS. ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. sob pena de ferir a coisa julgada. ORDEM CONCEDIDA. não há como prejudicar o apenado e remetê-lo ao cumprimento da pena em regime mais gravoso quando. AUSÊNCIA DE VAGAS. Relator: Marcus Vinicius de Lacerda Costa. referido cumprimento de pena terá que ser feito em regime aberto.Ordem concedida. DEFICIÊNCIA DO ESTADO. já possuía o direito para a progressão de regime.Consignado no título executivo o regime semi-aberto para o cumprimento da pena. Esse mesmo entendimento é sustentado pelo Princípio da coisa julgada. Centro.PR Fone/Fax: 42 3635-5788. (TJPR. Relator: MIN. SEMI-ABERTO. nº 2562. os condenados devem aguardar em regime mais benéfico até a abertura de vaga.). CEP 85301-050.DIREITO DE PROGRESSÃO AO REGIME SEMIABERTO . Laranjeiras do Sul .CONSTRANGIMENTO ILEGAL AUSÊNCIA DE CASA DE ALBERGADO NA COMARCA PACIENTE CONDENADO AO REGIME INICIALMENTE FECHADO .n). 2. se faltar vaga para o cumprimento de pena em regime semi-aberto.526-SP. Processo: 05490488. ao regime.

Celular: 42 9967-7256 10 .493 JULIANA PAOLA PINHEIRO OAB/PR 51. b) Caso não haja vaga em estabelecimento adequado ao regime semi-aberto.Grislane Civa Advogada IV- PEDIDO Ante do exposto. Cascavel.214 ________________________________________________________________ Rua XV de Novembro. Nestes termos. para o regime semi-aberto. CEP 85301-050. FABRICIO GRESSANA OAB/PR 44. 24 de agosto de 2009. Centro. requer. c) seja intimado o Ilustre Representante do Ministério Público para que apresente seu parecer.340 SABRINA LIMA DE SOUZA OAB/PR 49. pede Deferimento. requer: a) seja reconhecido ao Requerente o benefício da progressão de regime.PR Fone/Fax: 42 3635-5788. nº 2562.169 DIORGES CHARLES PASSARINI OAB/PR 45. desde já. Laranjeiras do Sul . com saídas temporárias. que lhe seja concedido o benefício do cumprimento de pena em regime aberto.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful