Você está na página 1de 59

A GÊNESE

Allan Kardec
ESQUEMA GERAL DA CODIFICAÇÃO ESPÍRITA

O LIVRO
DOS ESPÍRITOS
Abril / 1857

LIVRO PRIMEIRO LIVRO SEGUNDO LIVRO TERCEIRO LIVRO QUARTO


AS CAUSAS O MUNDO AS LEIS ESPERANÇAS E
PRIMÁRIAS ESPIRITUAL MORAIS CONSOLAÇÕES

O LIVRO O EVANGELHO
O CÉU E
A GÊNESE SEGUNDO
DOS MÉDIUNS O ESPIRITISMO O INFERNO
Janeiro / 1868
Janeiro / 1861 Abril / 1864 Agosto / 1865

(Extraído da Introdução ao “O Livro dos Espíritos”, de Herculano Pires, constante somente nas
edições traduzidas por ele.)
I - HISTÓRICO

• Publicado em 6 de janeiro de 1868 com o


nome:
“A GÊNESE, OS MILAGRES E AS
PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO”

• Representa a cúpula do edifício.

• É o complemento das obras precedentes.


• Seu conteúdo reflete a opinião geral
dos adeptos da Doutrina Espírita, na
época, pois quase todo ele foi
publicado na Revista Espírita, com
antecedência, na forma de esboços,
recebendo o aval de todos.

•Sua publicação foi o coroamento da


missão de Kardec na Terra
II - OBJETIVO

Estudar a Gênese, os Milagres e


as Predições, relacionando-os
com as novas leis que decorrem da
observação dos fenômenos espíritas.
III - CONTEÚDO

Seu conteúdo possui aspectos


Científicos, Filosóficos e
Religiosos
relacionando-se com o livro I,
caps. IX, X e XI do livro II e
partes dos livros III e IV do
“O Livro dos Espíritos”.
“Por seu sentido amplo, que
abrange ao mesmo tempo as
questões da formação e do
desenvolvimento do globo
terrestre e as questões
referentes a passagens
evangélicas e escriturísticas,
esse livro se ramifica de
maneira mais difusa
que os outros, na
estrutura geral da
Codificação Espírita.”

Herculano Pires
IV – ESTRUTURA

A sua estrutura é filosófica


Está dividido em três partes:

A Gênese
Os Milagres
As predições

Possui 18 capítulos
A GÊNESE
Capítulo I
CARÁTER DA REVELAÇÃO ESPÍRITA
Caráter Divino
Caráter Experimental
Caráter Consolador
Caráter Coletivo ou Universal
Caráter Progressivo
“O Caráter essencial da revelação divina é o da
eterna verdade. Toda revelação eivada de erros
ou sujeita a modificação não pode emanar de
Deus.”
“O Espiritismo, dando-nos a conhecer o mundo
invisível que nos cerca e no meio do qual
vivíamos sem o suspeitarmos, assim como as
leis que o regem, suas relações com o mundo
visível, a natureza e o estado dos seres que o
habitam e, por conseguinte, o destino do
homem depois da morte, é uma verdadeira
revelação na acepção
científica da palavra.”
“Como meio de elaboração, o Espiritismo
procede exatamente da mesma forma
que as ciências positivas, aplicando o
método experimental.
Fatos novos se apresentam que não podem ser
explicados pelas leis conhecidas; ele os
observa, compara, analisa e remontando dos
efeitos às causas, chega à lei que o rege;
depois, deduz-lhes as conseqüências e busca
as aplicações úteis.”
“O Espiritismo realiza todas as promessas do
Cristo a respeito do Consolador anunciado.
Como é o Espírito de Verdade que preside ao
grande movimento da regeneração, a
promessa da sua vinda se acha por essa forma
cumprida, porque, de fato, é ele o verdadeiro
Consolador.”
“A terceira revelação é coletiva no sentido de
não ser feita ou dada como privilegio a pessoa
alguma, ninguém pode inculcar-se como seu
profeta exclusivo; foi espalhada
simultaneamente, por sobre a Terra, a milhões
de pessoas, de todas as idades e condições,
desde a mais baixa até a mais alta da escala,
conforme a predição registrada em Atos dos
Apóstolos.”

(Atos, cap. II, vv. 17 e 18 e Joel, cap. II, vv. 28


e 29)
“Caminhando de par com o progresso, o
Espiritismo jamais será ultrapassado, porque,
se novas descobertas lhe demonstrassem estar
em erro acerca de um ponto qualquer, ele se
modificaria nesse ponto.
Se uma verdade nova se revelar,
ele a aceitará.”
Capítulo II
DEUS
• Existência de Deus
• Da natureza divina
• A Providência
• A visão de Deus
“A existência do relógio atesta a existência do
relojoeiro; a engenhosidade do mecanismo lhe
atesta a inteligência e o saber. Assim ocorre
com o mecanismo do Universo:
Deus não se mostra, mas se revela pelas suas
obras.”
Capítulo III
O BEM E O MAL
• Origem do bem e do mal
• O instinto e a inteligência
• Destruição dos seres vivos uns pelos
outros
Capítulo IV
PAPEL DA CIÊNCIA NA GÊNESE

“A Ciência é chamada a constituir a verdadeira


Gênese, segundo a lei da Natureza.”

“A alegoria ocupa considerável espaço na


Bíblia, ocultando sob o seu véu sublimes
verdades, grandes e belas coisas, que se
patenteiam,
desde que se desça ao âmago do pensamento,
pois que logo desaparece o absurdo.”

“Se a Religião se nega a avançar com a Ciência,


esta avançará sozinha.”
Capítulo V
ANTIGOS E MODERNOS SISTEMAS DO
MUNDO

• Teoria Hindu da antiguidade –


O Firmamento
• As águas superiores e as águas
inferiores –
• As chuvas
Capítulo VI
URANOGRAFIA GERAL
(Uranos = Céu + Grafia = Descrição)

O espaço e o tempo - A matéria


As leis e as forças - A criação primária
A criação universal - Os sóis e os planetas
Os satélites - Os cometas - A Via Láctea
As estrelas fixas - Os desertos do espaço
Eterna sucessão dos mundos
A vida Universal - Diversidade dos mundos

(Mensagens do Espírito Galileu)


(Médium: Camille Flamarion)
“Se viajarmos através do espaço durante anos,
séculos, milhares de séculos, milhões de
períodos cem vezes seculares e sempre com a
mesma velocidade do relâmpago, nem um
passo teremos avançado, qualquer que seja o
lado para onde nos dirijamos.”
“O tempo é apenas uma medida relativa da
sucessão das coisas transitórias; a eternidade
não é suscetível de medida alguma do ponto de
vista da duração; para ela, não há começo, nem
fim: tudo lhe é presente.”

“Imensidade sem limites e eternidade sem


limites, tais as duas grandes propriedades
da natureza universal.”
“... esses sistemas de sistemas pareceriam
uma poeira de grãos de ouro levantada em
turbilhão pelo sopro divino, que faz voem nos
céus os mundos siderais, como voam os grãos
de areia no dorso do deserto.”

(referindo-se às estrelas e os sistemas planetários que existem aos bilhões em todas as


galáxias)
“Não concluais que os milhões e milhões
de terras que rolam pela amplidão sejam
semelhantes à que habitais. Longe disso,
aquelas diferem de acordo com as diversas
condições que lhes foram prescritas e de
acordo com o papel que a cada uma coube no
cenário do mundo. São pedrarias variadas de
um imenso mosaico, as diversificadas flores de
admirável parque.”
SISTEMA SOLAR
Andrômeda
Via Láctea
Capítulo VII
ESBOÇO GEOLÓGICO DA TERRA
• Períodos Geológicos
• Estado primitivo do globo
• Período primário
• Período de transição
• Período secundário
• Período terciário
• Período diluviano
• Período pós-diluviano
• Nascimento do homem
Capítulo VIII
TEORIAS SOBRE A FORMAÇÃO
DA TERRA

• Teoria da projeção
• Teoria da condensação
• Teoria da incrustação
• Alma da Terra
Capítulo IX
REVOLUÇÕES DO GLOBO

• Revoluções gerais ou parciais


• Idade das montanhas
• Dilúvio bíblico
• Revoluções periódicas
• Cataclismos futuros
• Aumento ou diminuição do
volume da Terra
Capítulo X
GÊNESE ORGÂNICA
• Formação primária dos seres vivos
• Princípio vital
• Geração espontânea
• Escala dos seres orgânicos
• O homem corpóreo
Capítulo XI
GÊNESE ESPIRITUAL

• Princípio espiritual
• União do princípio espiritual à matéria
• Hipótese sobre a origem do corpo humano
• Encarnação dos Espíritos
• Reencarnações
• Emigrações e imigrações dos Espíritos
• Raça adâmica
• Doutrina dos anjos decaídos e da perda do
paraíso
Capítulo XII
GÊNESE MOISAICA

• Os seis dias
• Perda do paraíso
OS MILAGRES
Capítulo XIII
CARACTERES DOS MILAGRES

• Os milagres no sentido teológico


• O Espiritismo não faz milagres
• Faz Deus milagres
• O sobrenatural e as religiões
Capítulo XIV
OS FLUIDOS

NATUREZA E PROPRIEDADES DOS


FLUIDOS

Elementos fluídicos
Formação e propriedades do perispírito
Ação dos Espíritos sobre os fluidos
Criações fluídicas
Fotografia do pensamento
Qualidades dos fluidos
Os Fluidos Espirituais são a matéria que
constitui o mundo espiritual.

Tendo em vista a facilidade com que os fluidos


espirituais e os Espíritos atravessam a matéria
tangível,
é de se supor que ela só seja compacta
em relação aos nossos sentidos.

Na realidade, a solidificação da matéria não é


mais do que um estado transitório
do fluido universal,
que pode volver ao seu estado primitivo,
quando deixam de existir as
condições de coesão.
EXPLICAÇÃO DE ALGUNS FENÔMENOS
CONSIDERADOS SOBRENATURAIS

Vista espiritual ou psíquica – Dupla vista


Sonambulismo – Sonhos
Catalepsia – Ressurreições
Curas
Aparições – Transfigurações
Manifestações físicas – Mediunidade
Obsessões e possessões –
Capítulo XV
OS MILAGRES DO EVANGELHO

• Superioridade da
natureza de Jesus
• Sonhos
• Estrela dos magos
Dupla Vista

Entrada de Jesus em Jerusalém


Beijo de Judas
Pesca milagrosa
Vocação de Pedro – André – Tiago –
João e Mateus
Curas

Perda de sangue
Cego de Betsaida – Paralítico
Os dez leprosos
Mão seca
A mulher curvada
O paralítico da piscina
Cego de nascença
Numerosas curas operadas por Jesus
Possessos
Ressurreições
A filha de Jairo
O filho da viúva de Naim
Jesus caminha sobre a água
Transfiguração
Tempestade aplacada
Bodas de Caná

Multiplicação dos pães


O fermento dos fariseus
O pão do céu
Tentação de Jesus
Prodígios por ocasião da morte de Jesus
Aparição de Jesus após sua morte
Desaparecimento do corpo de Jesus
AS PREDIÇÕES
Capítulo XVI
TEORIA DA PRESCIÊNCIA
Capítulo XVII
PREDIÇÕES DO EVANGELHO

Ninguém é profeta em sua terra


Morte e paixão de Jesus
Perseguição aos apóstolos – Cidades impenitentes
Ruína do Templo e de Jerusalém
Maldição contra os Fariseus
Minhas palavras não passarão – A pedra angular
Parábola dos vinhateiros homicidas
Um só rebanho e um só pastor
Advento de Elias – Anunciação do Consolador
Segundo advento do Cristo – Sinais precursores
Vossos filhos e vossas filhas profetizarão
Juízo final
Capítulo XVIII
SÃO CHEGADOS OS TEMPOS

Sinais dos tempos


A geração nova
“A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de
transformar-se por meio de um cataclismo
que aniquile de súbito uma geração. A atual
desaparecerá gradualmente e a nova lhe
sucederá do mesmo modo, sem que haja
mudança alguma na
ordem natural das coisas.”
“Somente o progresso moral pode assegurar
aos homens a felicidade na Terra fazendo com
que reinem a concórdia, a paz e a
fraternidade.”
“A unidade de crença será o laço mais forte, o
fundamento mais sólido da fraternidade
universal, fazendo cair todos os preconceitos
de castas e calar todos os antagonismos de
seitas.”
CONCLUSÃO
“Num estudo mais amplo e
profundo
da Codificação Espírita,
seria possível
mostrar o
desenvolvimento de
certos
temas, que apenas
colocados pelo
“O Livro dos Espíritos”
vão ter a
sua solução em obras
posteriores.
O desenvolvimento dessas
questões não
representa modificação
dos princípios
firmados no
“O Livro dos Espíritos”.
Problemas apenas
aflorados nele, vão ser
desenvolvidos de tal
maneira em outras
obras, que, ao lê-las,
temos a impressão
de encontrar novidades.
É o que se verifica, por exemplo,
com as ligações do Cristianismo
e o Espiritismo,que se
definem completamente em
O Evangelho segundo o
Espiritismo, ou com o
problema
controvertido da
origem do homem,
que vai ter a sua
explicação definitiva em
A Gênese, ou ainda
com as questões
mediúnicas, solucionadas
no O Livro do Médiuns,
e as teológicas e
escriturísticas,
no livro
O Céu e o Inferno.
A codificação se apresenta,

pois, como
um todo homogêneo e
conseqüente.
Não podemos separar um
ou outro livro do bloco da
sua estrutura como
possível expressão de uma
forma diferente de
pensamento.

(Introdução ao “O Livro dos Espíritos”, de


Herculano Pires, constante somente nas
edições traduzidas por ele.)