FACULDADES SECAL

LUIZ CARLOS DA SILVA MARCOS TORRES DE OLIVEIRA

CONTROLE DE ESTOQUE E SUA APLICABILIDADE DENTRO DA EMPRESA COMERCIAL XYZ DA CIDADE DE TIBAGI

PONTA GROSSA 2011

PONTA GROSSA 2011 . Me.Projeto solicitado pela disciplina de Técnicas de Pesquisa e elaborado para obtenção de nota parcial referente ao segundo bimestre do 3º ano do curso de Ciências Contábeis. Orientador: Prof. Rodrigo Augusto Kovalski.FACULDADES SECAL LUIZ CARLOS DA SILVA MARCOS TORRES DE OLIVEIRA CONTROLE DE ESTOQUE E SUA APLICABILIDADE DENTRO DA EMPRESA COMERCIAL XYZ DA CIDADE DE TIBAGI Pré . turma A.

portanto. o volume de estoque não pode ser tão alto que comprometa a rentabilidade da empresa. FRANCISCHINI) . mas. que haja um fluxo de informações adequado e um resultado esperado de quanto Materiais a de que seu um os comportamento.” (FLORIANO DO AMARAL GURGEL e PAULINO G. Administrador Espera-se usuários tenham fácil acesso aos itens estocados quando eles forem necessários para a elaboração de alguma atividade na empresa.“Para que o controle de estoque seja eficaz é necessário. por outro lado.

............7 METODOLOGIA...................................................................................................................................................................................SUMÁRIO JUSTIFICATIVA..................................8 REFERENCIAL TEÓRICO..................................................................................................................................................................................7 Específico................................................................................................................5 ..............................................................................................................5 PROBLEMA..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................6 HIPOTESES.......7 Geral.........................15 ....................................................................9 REFERÊNCIAS ................6 OBJETIVOS................................................................................

.

O primeiro trata-se das Contas a Receber ou Clientes que é proveniente das vendas a prazo realizado pela empresa. capaz de informar com rapidez as informações desejadas. qual o valor das contas a receber e o que possui de obrigações a serem pagas junto a fornecedores. o segundo representa Fornecedores ou Contas a Pagar que são as obrigações assumidas pela empresa com compras a prazo e o terceiro é a conta Caixa. Quando a empresa comercializa grandes quantidades de produtos/mês. bem como controlar entrada e a saída de produtos. quando foi adquirido e o sua margem de retorno. Isto demonstra que não se deve desprezar um detalhamento dos valores investidos pela empresa no seu estoque. O controle de estoque de mercadorias permite identificar o quanto de capital investido a empresa dispõe. tornar-se . seus respectivos custos. A opção para atender a essa demanda é possuir um controle de armazenamento de dados informatizado e integrado. Destaca-se a necessidade e a importância de se manter um controle interno para saber as reais condições da conta estoque. A conta de estoque movimenta mais três grupos de contas do ativo e do passivo circulante. Assim fica evidente e fácil de serem determinados quais são os produtos que estão dando retorno e gerando receita e quais estão impactando negativamente no resultado operacional da empresa.5 JUSTIFICATIVA É extremamente importante que a empresa tenha um controle de estoque rigoroso de seus produtos disponíveis para venda. Toda empresa nasce essencialmente com o objetivo de ser economicamente rentável. Sabendo com antecedência a quantidade estocada. no controle da rotatividade de produtos e na tomada de decisões. dados estes que são demonstrados no balanço da empresa. Verificando cada produto e analisando o seu tempo de permanência em estoque. O presente trabalho terá como prioridade evidenciar a necessidade de se manter dentro da empresa um controle de estoque capaz de oferecer dados precisos para a tomada de decisão. Isto auxiliará em conferências. torna-se indispensável à existência de um sistema ágil. oferecer serviços de qualidade.

a empresa deve analisar criteriosamente como estão os prazos de pagamento de fornecedores e ajustá-los ao seu fluxo de recebimento de clientes.6 solida no mercado de consumo e se consolidar dentro do seu ramo de atividade. O custo da mercadoria a ser vendida não é somente aquele que está discriminado na nota fiscal. Operando com um sistema de avaliação incompatível com a realidade da empresa. Não há avaliações quanto à rotatividade de seus produtos ou falta uma pesquisa de mercado buscando analisar o comportamento da concorrência. . situação que pode gerar tomada de decisões incoerentes e levar o empresário a onerar seus lucros em decorrência da supervalorização dos custos. Outro fator determinante para a insolvência da empresa encontra-se nas análises financeiras. HIPOTESES A empresa pode estar optando por um método de avaliação de estoque inadequado. e sim a soma dele com os demais gastos necessários para se efetuar uma venda. como por exemplo. O estoque é um dos itens mais importante para o ativo de uma empresa. os quais o obrigam a trabalhar com uma margem muito baixa ou até mesmo formular preços acima da média de mercado. caso contrário a empresa corre o risco de estar financiando seus clientes com capital próprio. é onde está centralizada grande parte dos seus custos. Isto pode ser de certa forma determinante para o desequilíbrio da empresa. PROBLEMA Por ter um valor alto agregado na compra. um produto parado por muito tempo acarreta prejuízo e perda para a reposição do mesmo pela empresa. os custos de fretes.

Analisar minuciosamente os indicadores de prazo médio (PMRE – Prazo Médio de Rotação dos Estoques. PMC – Prazo Médio de Cobrança e PMP – Prazo Médio de Pagamentos) para verificar qual o tempo médio que o estoque levou para ser renovado. Caso esses índices sejam ignorados e haja uma disparidade muito acentuada a empresa pode apresentar uma crise de liquidez. Específico Demonstrar com clareza que sem um controle de estoque implantado na empresa.7 OBJETIVOS Geral Evidenciar a necessidade de ter um controle de estoque que demonstre com rapidez e segurança o valor correto do estoque. É de grande importância manter este controle. o prazo em que a empresa leva para receber suas vendas a prazo e o prazo médio negociado com fornecedores para pagamento de suas mercadorias. quanto que a empresa tem investido no seu estoque bem como mensurar qual é o valor a ser pago junto aos seus fornecedores e investidores em geral. Por ser uma ferramenta gerencial. . facilitar a conferência de todos os itens disponíveis e seu saldo. que busca evidenciar através dos seus dados. será de grande valor para análise e futuras tomadas de decisões. os saldos dos produtos adquiridos podem ser fictícios em relação ao Balanço e o seu resultado final.

8 Verificar qual o critério de avaliação de estoque aplicado. sendo. fazendo um comparativo com outros métodos existentes para encontrar o mais condizente com a realidade da empresa. METODOLOGIA A presente pesquisa será baseada em um estudo de caso. Média Ponderada) foi usada para determinar o custo de cada produto. . Serão utilizados os conhecimentos adquiridos durante o curso e o auxílio de material bibliográfico para fundamentar os pontos de vista e fixar os conceitos acerca do assunto. Não existindo um registro de inventário será proposto um modelo que satisfaça a necessidade da empresa. A pesquisa levará em consideração a situação atual da empresa e como é feito o seu controle interno de estoque. Levantados os dados. serão aferidos os seguintes itens: 1 – O estoque físico será conferido levando em conta o seu armazenamento. quantidade. este realizado junto à empresa XYZ. útil para fins gerenciais. de venda e a quantidade disponível de cada item. pois consiste em manter um controle atualizado dos estoques e do custo das mercadorias vendidas. e como a empresa controla as perdas. Entende-se que o sistema de inventário permanente é o mais apropriado. UEPS. produto. seu preço de custo. localizada na cidade de Tibagi. Serão levantados dados do modelo utilizado pela empresa para controlar o seu estoque e se os números (valores contábeis) são compatíveis com o físico. sugerindo uma readequação se necessário. O planejamento observará qual formula (PEPS. atuante no ramo de venda de mercadorias no varejo. 2 – Será verificado qual o sistema de inventário (permanente ou periódico) foi utilizado para o controle de estoque. tipo e produto. preço unitário. peças com defeito e devolvidas ao fornecedor. portanto.

Isto exige um conhecimento do modelo decisório do usuário e. . defeito. É necessário que haja agilidade e funcionalidade nas devoluções. devolve-se a mercadoria no ato. Não há como definir metas. 3 – Durante a conferência do estoque deverá levar em conta os itens adquiridos. estratégias ou objetivos sem parâmetros e referencias anteriores. p. consignação – como também a contabilização dos descontos e os brindes concedidos para determinados clientes. REFERENCIAL TEÓRICO Toda e qualquer empresa necessita de relatórios gerenciais precisos para embasar sua tomada de decisão. Sem a elaboração de um bom planejamento não há como prever qual a direção que seu negócio irá tomar e não há como medir exatamente se o empreendimento é rentável ou não. de forma mais simples. é preciso perguntar ao mesmo qual a informação que julga relevante ou as metas que deseja maximizar. O objetivo principal da Contabilidade (e dos relatórios dela emanados) é fornecer informação econômica relevante para que cada usuário possa tomar suas decisões e realizar seus julgamentos com segurança. Segundo Iudícibus (2000.9 Dentre as opções pode-se adquirir um sistema comercial de controle interno de estoque já existente no mercado e que possua registro junto aos órgãos reguladores. Os dados extraídos serão condensados.28). Será analisado o prazo que as mercadorias com defeito foram devolvidas para os fornecedores. bem como mercadorias devolvidas para conserto. É de suma importância que a conferência das mercadorias seja feita no momento de sua chegada. analisados e será apresentado aos gestores um relatório da situação atual da empresa com sugestões de melhorias caso seja necessário. mas que ainda não foram entregues. antes do aceite na nota fiscal – havendo quebra. a fim de delinearmos o conjunto de informações pertinentes. Entende-se que estes itens parados em estoque geram prejuízos em virtudes do valor agregado para a sua aquisição.

Deve-se tratar de maneira mais responsável todos os itens que compõem o estoque de uma empresa. isto auxiliará a empresa a detectar quais são os produtos mais rentáveis e quais não são rentáveis. . Por isso o fato de tratar com responsabilidade a manutenção de um controle de estoque que seja funcional e adequado às necessidades da empresa. Vejamos. Quando efetuamos as vendas sem um controle paralelo e concomitante do nosso Estoque e. Quando necessitamos apurar o resultado obtido com as venda de mercadorias. portanto. fazemos um levantamento físico para a avaliação do Estoque de mercadoria existente naquela data. A avaliação do estoque passa por um criterioso controle de custo de cada produto que compõem o estoque de uma empresa. p. Iudícibus completa (1985. nem quanto pagou por ele – não controla o seu preço – como você sabe se teve lucro ou prejuízo? Hoje não se pode deixar de considerar a necessidade de um controle minucioso que vai evidenciar e mostrar um histórico evolutivo de cada produto disponível para venda. se você não conhece quantos produtos há em disponibilidade para ser vendido. uma vez que nos dias de hoje não se pode trabalhar com deduções e sim com um controle criterioso embasado em fatos reais e verdadeiros. o seu preço unitário. é preciso saber quantidade.10 Todas as mercadorias disponíveis na empresa para venda devem estar contabilizadas e devidamente controladas as suas quantidades e os seus custos. levando a empresa a ter os controles das mercadorias e o seu real lucro em cada item. pois são valores investidos que a empresa espera gerar rendimentos e um retorno certamente esperado. sem controlar o Custo das Mercadorias Vendidas. enfim todas estas informações precisam ser claras para que o resultado seja alcançando. e pela diferença entre o total das mercadorias disponíveis para venda durante o período e esse estoque final (apurado extra contabilmente) obtemos o custo das mercadorias vendidas (CVM) nesse período. quais os demais custos a serem incluídos no produto. Isto tornará a parte contábil da empresa mais ágil e de fácil compreensão.110).

p. o que poderia levar a uma preferência por um preço de entrada (ou uma avaliação a valores de entrada). O resultado da empresa será embasado sobre o seu estoque. p. bem como o critério de avaliação adotado (PEPS. conter números que condizem com a realidade da empresa. Sua avaliação a valores de saída. As finalidades ou os objetivos da mensuração e da avaliação dos estoques são de várias ordens. embora possa estar destinada a dificuldades de estimativa dos custos e despesas adicionais. 199). Os custos das mercadorias vendidas (CMV) pela empresa em seu processo de venda precisam ser evidenciados de uma maneira clara. entretanto. A empresa tem que estimar todos os custos de cada item que compõem o estoque. 207). entre as quais a indicação do total de recursos que esperamos receber pela venda dos produtos. ser real o seu resultado. as tomadas de decisões não serão exatas. não . Entre elas. por meio da regra custo ou mercado. Afirma o mesmo (2000. Para os estoques não destinados à venda. Evidenciar o valor de venda será determinante para chegar a um resultado que demonstre a realidade que a empresa está passando. as contas de estoque sofrerão alterações dependendo do sistema utilizado. Entretanto. Esta interpretação conservadora.11 Conforme o mesmo autor (2000. uma base de valor de entrada parece adequada. todavia. a avaliação a preços de saída é razoável. O seu valor de venda deve conter todo o custo estimado e a sua margem de lucro que almeja atingir. UEPS e Média ponderada). é determinante a funcionalidade do estoque. que o princípio geralmente aceito é o custo histórico com base de valor. é justificável nos estoques destinados à venda. O balanço da empresa vai ser prejudicado pelo mau gerenciamento do controle de estoque. modificado ainda pela convenção do conservadorismo. Em certas situações. É preciso entender. o objetivo mais comum refere-se ao esforço de correlacionar a receita com as despesas respectivas no processo de mensuração do lucro. todavia. Os estoques representam um elemento altamente relevante do ativo de muitas empresas e um ponto crítico para a determinação do resultado do período. isto fatalmente acarretará um prejuízo enorme para a empresa que terá de rever todos os seus resultados. a que oferece as maiores vantagens é o custo corrente de reposição. mormente de realização líquida.

A questão estrutural deve-se ao fato de que o estoque tem que usufruir de um sistema rigoroso de controle.12 deve ser levada ao exagero de atribuir sempre o valor de realização líquido menos a margem normal de lucro ao estoque destinado à venda. mesmo que dependem de eventos futuros a serem recebidos. os usuários externos e internos da informação contábil que se utilizam dos relatórios contábeis em suas tomadas de decisões desejam uma relevância cada vez maior das informações contábeis. na tecnologia. Os agentes econômicos. serem revestidos de procedimentos contábeis válidos e aceitos contabilmente. nas escalas de oferta e procura dos bens e serviços. . É de grande importância estar ciente das necessidades dos consumidores. devidos. de outro. a fatores estruturais. Segundo Neto (2010. no sentido de que reproduzam com maior fidelidade possível a realidade empresarial. O estoque possui uma grande participação no ativo circulante. por meio de contínuas flutuações de preços de bens e serviços. a par de outras manifestações e eventos. as informações atuais servem para que decisões como uma compra futura seja baseada nas evidencias de cada produto em estoque. A empresa neste caso pode fazer oferta e liquidar todo o produto ocioso. seu valor de apuração na data do balanço poderá basicamente ser o “Custo Médio Ponderado”. 227). Quando existir em estoques um mesmo item adquirido (ou produzido) em diferentes momentos. mudar a sua estratégia de compra. tais como mudanças nos gostos dos consumidores. Esta realidade se exterioriza. p. a causas puramente monetárias e. Completa Iudícibus (2000. mais condições você terá para vencer a concorrência. saber o que ele precisa e se inteirar das mudanças que vem ocorrendo na economia e o que os seus concorrentes estão fazendo. em uma economia de concorrência imperfeita. o seu controle é essencial para a contabilidade. Quanto mais informação possuir.53). Isto só ocorrerá se dentro da empresa existir um controle de estoque que funcione. As informações necessárias têm que ser rápidas. O elemento básico de avaliação dos estoques é o custo. Qualquer produto que esteja ocioso deve o quanto antes ser trocado por outro que traga um retorno melhor. p. de um lado. conter o que você necessita para tomada de decisões.

Os estoques da empresa: matérias-primas. líquidos de impostos. caso a operação esteja sujeita ao Imposto Sobre as Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre a prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicações (ICMS). ou seja. é o caso do ICMS. se for credora será transferido para o passivo circulante de ICMS a recolher. Além disso. efetuar um balanço das mercadorias e fazer um inventário se não houver um contabilista para acompanhar e condensar as informações de maneira a ajustar os custos aos preços de venda estabelecidos. O custo de aquisição unitário da compra de determinado tipo de estoque é obtido pelo valor total das mercadorias compradas. De nada adianta mobilizar os colaboradores da empresa. p. quando este for inferior. Em determinados momentos. produtos em processo de fabricação e outros bens. sendo deduzida provisão para ajustá-los ao valor de mercado. à medida que ele seja recuperável.28) Representam a aquisição de matéria-prima. A apuração do estoque deve ser efetuada com coerência e analisada por um profissional competente.13 Ainda segue: O mesmo (2010. p. Sobre as Compras diz Schimidt (2003. mas uma conta transitória denominada conta corrente do ICMS. dividido pela quantidade adquirida. Fica evidente que conforme a sua contabilização modificará sensivelmente o resultado da conta estoque. Com relação às compras. Para uma empresa tornar-se rentável é fundamental conhecer bem seus clientes. materiais auxiliares ou mercadorias para revenda. o mesmo é registrado em uma conta denominada transitória. ajustar o seu preço ao do concorrente pode não ser . fornecedores. são avaliados pelo custo de aquisição ou de produção. não deve integrar os estoques. concorrência e saber estabelecer seus preços. há determinados impostos que permitem compensações. caso tenha um saldo devedor será transferido para o ativo circulante de ICMS a recuperar. 201). inclusive seguros e fretes.

sabendo com antecedência como mesmo age e tendo domínio sobre a qualidade de seus produtos. Um bom administrador é aquele que sabe qual a preferência de seus clientes. é de extrema importância saber precificar sua mercadoria não somente tendo como base o comércio da esquina. O empresário deve estar atento a variáveis que podem influenciar no preço final do seu produto (margens diferentes de um estabelecimento para outro. prazo de validade. Por este motivo. mas sim. o comportamento das variações econômicas. quantidades adquiridas junto ao fornecedor. preferência do consumidor) e analisar com calma a equiparação de valores. . o preço não é fundamental e tampouco determinante para o cumprimento das vendas. possui um bom relacionamento junto a fornecedores conseguindo bons prazos e descontos em negociações. o que pesa é a qualidade e a confiança que seu produto transmite ao consumidor. sabendo quantificar com exatidão todos os custos envolvidos desde a aquisição com os fornecedores até a venda efetiva aos seus clientes.14 economicamente viável. Avalia bem o mercado. Dependendo da sua atividade. tempo do produto em permanência no estoque. perecimento do produto.

2006. 2010. VELTER. FRANCISCHINI.15 REFERÊNCIAS GURGEL. São Paulo: Thomson Pioneira. São Paulo: Atlas. 7.. ed. São Paulo: Atlas. ed. Sérgio de. São Paulo: Atlas. IUDÍCIBUS. Curitiba: Xibpex. Luiz Roberto. Contabilidade Intermediária. . José L. 2010. Contabilidade de Custos e Análise das Demonstrações Contábeis. NETO. Estrutura e Análise de Balanços. 2003. SCHIMIDT. IUDÍCIBUS. Alexandre Assaf. Contabilidade Gerencial. GOMES. Rio de Janeiro: Elsevier. Carlos Ubiratan da costa. Sergio de. 1985. Teoria da Contabilidade. Administração de Materiais e do Patrimônio. 2000. São Paulo: Atlas. SANTOS. 2002. Francisco. 1998. Paulo. Floriano do Amaral. IUDÍCIBUS. José Mario M. Gestão de Custos. Sergio de. MISSAGIA. ed. ed. Paulino G. SCHIER. 6. São Paulo: Atlas. 6. 9. Contabilidade Introdutória.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful