Você está na página 1de 3

Cobertura de PET

VII JEPEX
Domingos Sávio Ramalho1, Hugo Leonardo de Albuquerque Lira 2, Maria Luiza da Silva3, Heybe Emmanuelle Cabral
Ferreira da Silva4 e João Gilberto Farias Silva5

Introdução A. Materiais
Segundo Lemos (1999), dos diversos problemas Alicates do bico fino e curvado; alicates de corte médio;
ambientais mundiais, a questão do lixo é das mais grampeadores de papel de grande porte; caixas de grampos
preocupantes. O destino inadequado do lixo provoca resistentes à oxidação; estiletes de médio porte com trava
vários problemas sanitários como poluição dos de segurança; quilos de arames galvanizados finos e
mananciais (chorume), contaminação do ar, grossos; fios finos de veias internas de cabos de telefone;
assoreamentos, presença de vetores, problemas furadores.
estéticos e de odor e problemas sociais; bem como as
doenças ligadas a estes . (MARTINE, 1995). Atualmente B. Métodos
a luta pela preservação do meio ambiente e a própria Foi utilizada uma sala de aula da Escola Alfredo Freire,
sobrevivência do homem no planeta, está diretamente situada no bairro de Água Fria, Recife/PE, onde uma equipe
relacionada com a questão do lixo urbano. A sociedade de 10 alunos realizou atividades de confecção de telhado de
tem como hábito extrair da natureza a matéria-prima e, Garrafas PET, seguindo passo a passo os métodos de corte
depois de utilizada, descartá-la em lixões, caracterizando das garrafas. Primeiramente as garrafas PET tiveram suas
uma relação depredatória com o seu habitat. Assim, extremidades (o bico e o fundo) separadas. Em seguida,
grande quantidade de produtos recicláveis que foram cortados na longitudinal em um dos lados sobre a
poderiam ser reaproveitados a partir dos resíduos são linha da emenda; dobrou-se sobre a linha da emenda do
inutilizados na sua forma de destino final, implicando outro lado, de maneira a formar duas calhas unidas pela
em perdas ambientais comprometendo a qualidade do dobra; encaixou-se uma peça na outra, grampeando-se
ar, do solo e, principalmente das águas superficiais e ambas, primeiro na dobra do meio, depois nas duas
subterrâneas (AZEVEDO, 1996). Neste sentido, este extremidades laterais, tomando-se o cuidado para que
trabalho procura desenvolver ações para preservação ficassem mais unidas, alinhadas e rígidas possíveis , como
do meio ambiente e conservação dos recursos naturais, se formasse um corpo único. Essas são as calhas de bica.
educando e mostrando alternativas de reaproveitar o As calhas de cobertas são construídas de forma
PET na construção de calhas, telhados e cobertas; semelhante, diferindo apenas que em vez de dobrar um dos
resultando assim em favorecimento da comunidade e na lados, os dois lados são cortados formando duas calhas
construção de um comprometimento da mesma com a separadas de cobertas. A união entre as calhas de bica (que
vida e o meio ambiente, ao reconhecer os prejuízos que ficam voltadas para cima) com as de cobertas (que ficam
o acúmulo do lixo traz, bem como, a importância da voltadas para baixo) foi feita encaixando uma ao lado da
redução e reutilização do lixo para a natureza. outra e furando-se cada uma com o furador em dois lugares
Desenvolvendo atividades que possibilitem uma para uni-las através de fios finos que são passados pelos
melhoria das condições de vida da população, furos e enrolados do outro lado. Assim, foi construída a
integrando os problemas ambientais . coberta e a cumeeira. Na montagem do telhado, houve o
cuidado também com a questão da estética. Duas calhas
Material e métodos para cima cuidadosamente aramadas com uma calha
emborcada seguinte, e, para na seqüência ser fixada na
cumeeira, garantindo-se a vedação e ao mesmo tempo a
passagem do ar quente.

_______________
1. Aluno do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n
Dois Irmãos, Recife, PE, CEP 52171-900. E-mail: savior@chesf.gov.br
2. Aluno do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n
Dois Irmãos, Recife, PE, CEP 52171-900. E-mail: hugolira_leo@hotmail.com
3. Aluna do Curso de Economia Doméstica da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n Dois Irmãos,
Recife, PE, CEP 52171-900. E-mail: luizaufrpe@hotmail.com
4. Pós-graduanda do Curso de Especialização em Política e Gestão Ambiental da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom
Manoel de Medeiros s/n Dois Irmãos, Recife, PE, CEP 52171-900. E-mail: heybe7@hotmail.com
5. Professor Doutor, Orientador, Coordenador do Centro de Ensino, Pesquisa e Extensão sobre Desastres-CEPED e Vice Pró-Reitor de
Extensão da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n Dois Irmãos, Recife, PE, CEP 52171-900. E-
mail: gilbertofarias@terra.com.br
do PET, aplicados à vida cotidiana dos alunos
Resultados
Os resultados observados em sala de aula Discussão
demonstraram que os alunos responderam bem quando Este trabalho contribuiu para redução dos Problemas
solicitados a contribuir numa ação voltada para ambientais causados pelo lixo, especificamente pelo PET,
reciclagem de garrafas PET, uma vez que, a finalidade bem como, contribuir para formação de pessoas
da ação seria para que os alunos propagassem a comprometidas e responsáveis em relação ao destino final
possibilidade da construção de cobertas através do do lixo, reutilização de recursos para fabricação de objetos
reaproveitamento de garrafas PET. Os alunos da Escola com baixo custo e preservação ambiental.
Alfredo Freire, familiares e a comunidade de entorno
Agradecimentos
sensibilizaram-se sobre os impactos ambientais
causados pelo destino inadequado do lixo. As Ao Profº Ivaldy Calado, diretor da Escola Alfredo Freire
atividades desenvolvidas em sala de aula foram em Água Fria por ter disponibilizado o espaço e apoio para
importantes para difundir os assuntos ligados à a realização desse trabalho. À Andréa Afonso Ferreira,
educação ambiental e respeito ao meio ambiente de aluna do Curso de Economia Doméstica pelo apoio.
forma interdisciplinar. A problemática não é específica
do local, mas está presente no cotidiano das pessoas e Referências
consequentemente em todo o planeta, existindo, assim [1] AZEVEDO, C. J. C. 1996. Concepção e prática da população
uma enorme quantidade de materiais que podem ser em relação ao lixo domiciliar na área central da cidade de
reciclados e são descartados no meio ambiente. Os Uruguaiana- RS. Uruguaiana, PUCRS- Campus II. Monografia
alunos desenvolveram alternativas de reutilização de de pós-graduação. Educação ambiental. 68p.
garrafas PET, material de baixo custo, para coberturas [2] MARTINE, G. Demanda, oferta e necessidades dos servicos de
saneamento . 1. ed. Brasilia: Ministerio do planejamento e
de casas, estufas, decomposteiras, áreas, calhas, etc.
orçamento, 1995. 219 p.
Esta técnica de reutilização das garrafas PET é uma [3] LEMOS, J.C.; LIMA, S.C.; ALVIM, N. M. C. Segregação de
alternativa de baixo custo e de qualidade, podendo ser resíduos de serviços de saúde para reduzir os riscos à saúde
utilizadas pelos mesmos alunos em suas residências e pública e ao meio ambiente. Bioscience Journal. Vol.15, n°2,.
para geração de renda. Sendo a oficina de reutilização Uberlândia: Universidade federal de Uberlândia, 1999 (p.64-72).
1 2

33 4

5 6

Figura 1. Vista superficial de um telhado de garrafa PET, Recife/PE.


Figura 2. Alunos da Escola Alfredo Freire no processo de confecção das calhas de PET, Recife/PE.
Figura 3. Corte e montagem das calhas de PET, Recife/PE.
Figura 4. Calhas aramadas de PET, Recife/PE.
Figura 5. Vista do telhado (na vertical) e da calha (na horizontal), Recife/PE.
Figura 6. Vista de um ambiente interno coberto por telhado oriundo da reutilização de garrafas PET, Recife/PE.