Você está na página 1de 51
Manual Técnico de Formador Identificação e Correcção de Defeitos de Pintura UNIÃO EUROPEIA Fundo Social

Manual Técnico de Formador

Identificação e Correcção de Defeitos de Pintura

Identificação e Correcção de Defeitos de Pintura

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Produção apoiada pelo Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS), co-financiado pelo Estado Português e pela União Europeia, através do Fundo Social Europeu e Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Colecção Formação Modular Automóvel Título do Módulo Identificação e Correcção de Defeitos de Pintra
Colecção Formação Modular Automóvel Título do Módulo Identificação e Correcção de Defeitos de Pintra
Colecção Formação Modular Automóvel Título do Módulo Identificação e Correcção de Defeitos de Pintra

Colecção

Formação Modular Automóvel

Título do Módulo

Identificação e Correcção de Defeitos de Pintra

Suporte Didáctico

Manual Técnico - Formador

Coordenação Técnico-Pedagógica

CEPRA - Centro de Formação Profissional da Reparação Automóvel Departamento Técnico Pedagógico

Direcção Editorial

CEPRA - Direcção

Autor

CEPRA - Desenvolvimento Curricular

Maquetagem

CEPRA – Núcleo de Apoio Gráfico

Propriedade

Instituto de Emprego e Formação Profissional Av. José Malhoa, 11 - 1000 Lisboa

Edição 1.0

Portugal, Lisboa, 2005/11/21

Depósito Legal

234392/05

Copyright, 2005 Todos os direitos reservados IEFP

234392/05 Copyright, 2005 Todos os direitos reservados IEFP UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Ministério do Trabalho
234392/05 Copyright, 2005 Todos os direitos reservados IEFP UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Ministério do Trabalho

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

reservados IEFP UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Produção

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

Produção apoiada pelo Programa Operacional Emprego, Formação e Desenvolvimento Social (POEFDS), co-financiado pelo Estado Português e pela União Europeia, através do Fundo Social Europeu e Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

ÍNDICE APRESENTAÇÃO DO MODELO OBJECTIVOS GERAIS E.1 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS E.1 PRÉ-REQUISITOS E.2
ÍNDICE APRESENTAÇÃO DO MODELO OBJECTIVOS GERAIS E.1 OBJECTIVOS ESPECÍFICOS E.1 PRÉ-REQUISITOS E.2

ÍNDICE

APRESENTAÇÃO DO MODELO

OBJECTIVOS GERAIS

E.1

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS

E.1

PRÉ-REQUISITOS

E.2

PERFIL DO FORMANDO

E.3

PLANO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DOS TEMAS

E.4

MEIOS NECESSÁRIOS

E.5

EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA

1 - ANTES DE ACTIVAR E DILUIR

1.1

- DESENVOLVIMENTO TEMÁTICO

1.1

- ACTIVIDADES

1.2

- TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS

1.4

2 - DURANTE A APLICAÇÃO DE TINTA

2.1

- DESENVOLVIMENTO TEMÁTICO

2.1

- ACTIVIDADES

2.2

- TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS

2.3

3 - DURANTE A SECAGEM / CURA

3.1

- DESENVOLVIMENTO TEMÁTICO

3.1

- ACTIVIDADES

3.2

- TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS

3.3

4 - APÓS A SECAGEM

4.1

- DESENVOLVIMENTO TEMÁTICO

4.1

- ACTIVIDADES

4.2

- TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS

4.3

AVALIAÇÃO

EXERCÍCIOS PRÁTICOS E GUIAS DE AVALIAÇÃO

A.1

PÓS-TESTE

A.7

CORRIGENDA DO PÓS-TESTE

A.9

APRESENTAÇÃO DO MÓDULO
APRESENTAÇÃO DO MÓDULO

APRESENTAÇÃO

DO

MÓDULO

APRESENTAÇÃO DO MÓDULO
Objectivos Gerais e Específicos

Objectivos Gerais e Específicos

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

No final deste módulo, o formando deverá ser capaz de:

OBJECTIVOS GERAIS

Identificar, detectar a causa e eliminar defeitos de pintura.

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS

1. Identificar defeitos que acontecem antes de activar ou diluir a tinta.

2. Identificar a causa mais provável para os defeitos que acontecem antes de activar ou diluir a tinta (aumento da viscosidade e contaminação).

3. Proceder à eliminação dos defeitos, seleccionando a técnica mais adequada a cada caso.

4. Identificar defeitos de pintura que ocorrem durante a aplicação da tinta (contaminação, desprendimento, enrugamento, escorridos, falta de opacidade, flutuação de cor, pulverização seca, manchado, olhos de peixe, etc.).

5. Identificar a causa mais provável para defeitos de pintura que ocorrem durante a aplicação da tinta (contaminação, desprendimento, enrugamento, escorridos, falta de opacidade, flutuação de cor, pulverização seca, manchado, olhos de peixe, etc.).

6. Proceder à eliminação dos defeitos de pintura, utilizando para cada caso a técnica mais adequada, que ocorrem durante a aplicação da tinta (contaminação, desprendimento, enrugamento, escorridos, falta de opacidade, flutuação de cor, pulverização seca, manchado, olhos de peixe, etc.).

7. Identificar defeitos de pintura que ocorrem durante a secagem / cura da pintura (bolsas de ar, contaminação, escorridos, marcas de mãos, etc.).

8. Identificar a causa mais provável para defeitos de pintura que ocorrem durante a secagem / cura da pintura (bolsas de ar, contaminação, escorridos, marcas de mãos, etc.).

9. Proceder à eliminação dos defeitos de pintura, utilizando para cada caso a técnica mais adequada, que ocorrem durante a secagem / cura da pintura (bolsas de ar, contaminação, escorridos, marcas de mãos, etc.).

10.Identificar defeitos de pintura que ocorrem após a secagem da pintura (amarelecimento, baixo brilho,
10.Identificar
defeitos
de
pintura
que
ocorrem
após
a
secagem
da
pintura
(amarelecimento, baixo brilho, ataque por ácido, bicos de alfinete, etc.).

Objectivos Gerais e Específicos

Objectivos Gerais e Específicos

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS (continuação)

11. Identificar a(s) causa(s) mais prováveis para defeitos de pintura que ocorrem após a secagem da pintura (amarelecimento, baixo brilho, ataque por ácido, bicos de alfinete, etc.).

12. Proceder à eliminação dos defeitos de pintura, utilizando para cada caso a técnica mais adequada, que ocorrem após a secagem da pintura (amarelecimento, baixo brilho, ataque por ácido, bicos de alfinete, etc.).

Pré-Requisitos

Pré-Requisitos

PRÉ-REQUISITOS

Módulo(s)

Competências

 

Módulo(s)

 

Competências

obrigatório(s)

prévias

aconselhado(s)

desejáveis

- Lixas e

- Escolher o tipo de grão adequado ao trabalho.

-

Física, Química e Matemática

-

Desmontar

processos de

montar

lixagem

 

componentes e

- Aplicação de

- Escolher o tipo de lixagem em função do trabalho.

acessórios de

tintas

carroçarias.

Perfil do Formador

Perfil do Formador

PERFIL DO FORMADOR

Habilitações / Certificação profissional

Competências técnicas/ Experiência profissional

 

Competências

pedagógicas

- 9º Ano

-

Experiência profissional mínima 3 anos nas seguintes unidades:

-

Curso de formação pedagógica de formadores

- Certificado de aptidão profissional como formador

 

o

Preparação de superfícies para pintura;

o

Aplicação de tintas;

 

o

Identificação e correcção de defeitos de pintura.

Plano Geral de Desenvolvimento dos Temas

Plano Geral de Desenvolvimento dos Temas

PLANO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DOS TEMAS

Unidades Temáticas (Capítulos)

 

Objectivos

I. Antes de activar e diluir

• Identificar defeitos que acontecem antes de activar ou diluir a tinta.

• Identificar a causa mais provável para os defeitos que acontecem antes de activar ou diluir a tinta (aumento da viscosidade e contaminação).

• Proceder à eliminação dos defeitos, seleccionando a técnica mais adequada a cada caso.

II. Durante a aplicação de tinta

• Identificar defeitos de pintura que ocorrem

durante a aplicação da tinta (contaminação, desprendimento, enrugamento, escorridos, falta de opacidade, flutuação de cor, pulverização seca, manchado, olhos de peixe, etc.).

• Identificar a causa mais provável para defeitos de pintura que ocorrem durante

a

aplicação da tinta (contaminação,

desprendimento, enrugamento, escorridos, falta de opacidade, flutuação de cor, pulverização seca, manchado, olhos de peixe, etc.).

• Proceder à eliminação dos defeitos de

pintura, utilizando para cada caso a técnica mais adequada, que ocorrem durante

a

aplicação da tinta (contaminação,

desprendimento, enrugamento, escorridos, falta de opacidade, flutuação de cor, pulverização seca, manchado, olhos de

peixe, etc.).

Plano Geral de Desenvolvimento dos Temas

Plano Geral de Desenvolvimento dos Temas

PLANO GERAL DE DESENVOLVIMENTO DOS TEMAS (continuação)

Unidades Temáticas (Capítulos)

 

Objectivos

III. Durante a secagem / cura

• Identificar defeitos de pintura que ocorrem

durante a secagem / cura da pintura (bolsas de ar, contaminação, escorridos, marcas de mãos, etc.).

• Identificar a causa mais provável para defeitos de pintura que ocorrem durante

a

secagem / cura da pintura (bolsas de

ar, contaminação, escorridos, marcas de mãos, etc.).

• Proceder à eliminação dos defeitos de pintura, utilizando para cada caso a técnica mais adequada, que ocorrem durante a secagem / cura da pintura (bolsas de ar, contaminação, escorridos, marcas de

mãos, etc.).

IV. Após a secagem

• Identificar defeitos de pintura que ocorrem após a secagem da pintura

(amarelecimento, baixo brilho, ataque por ácido, bicos de alfinete, etc.).

• Identificar a(s) causa(s) mais prováveis para defeitos de pintura que ocorrem após

a

secagem da pintura (amarelecimento,

baixo brilho, ataque por ácido, bicos de alfinete, etc.).

• Proceder à eliminação dos defeitos de pintura, utilizando para cada caso a técnica mais adequada, que ocorrem após

a

secagem da pintura (amarelecimento,

baixo brilho, ataque por ácido, bicos de alfinete, etc.).

Meios Necessários

Meios Necessários

INSTALAÇÕES

- Área oficinal igual ou superior a 180 m 2

- Área da sala de formação igual ou suoerior a 40 m 2

- Existência de separação entre oficina e sala de formação

- Pé direito (área oficinal) mínimo de 4 m

- Dimensões mínimas das portas de entrada (largura x altura) – 0.8 x 2.0 m

- Dimensões mínimas do acesso de veículos (largura x altura) – 2.5 x 3.0 m

- Pavimento de tipo liso (cimento, mosaico)

- Bom estado de conservação do chão, paredes e tecto

- Boa iluminação natural

- Boa iluminação artificial

- Potência eléctrica instalada igual ou superior a 40 KVA

- Número de tomadas monofásicas igual ou superior a 6 unidades

- Capacidade por circuito de tomadas monofásicas de 10 A com ligação terra

- Tomadas monofásicas do tipo CEE

- Número de tomadas trifásicas igual ou superior a 6 unidades

- Capacidade por circuito de tomadas trifásicas de 10 A a 22 A

- Tomadas trifásicas do tipo CEE 32 A 3F+N+T

- Existência de água

- Existência de escoamento de água (área oficinal)

- Existência de instalações sanitárias

- Existência de um bom circuito de ventilação

- Existência de condições de segurança de equipamentos

- Existência de condições de segurança do trabalho

- Existência de acesso para transporte de carga

- Existência de acesso por parte de transportes colectivos de passageiros

- Existência de exaustor de fumos, gases ou poiras

Meios Necessários

Meios Necessários

EQUIPAMENTOS

- Agrafador

- Aparafusadora

- Apagador

- Armários

- Aspirador de fumos

- Aspirador de líquidos e poeiras

- Bancadas de trabalho

- Berbequim

- Cabina

- Cadeiras

- Carro para transporte ferramentas

- Carro para transporte de peças automóvel

- Cavaletes para apoio de peças da carroçaria

- Compressor de ar comprimido

- Computador

- Descravadeira

- Elementos e acessórios da carroçaria para demonstração

- Elevador de veículos

- Equipamentos da rede de ar comprimido

- Equipamento de rezincagem

- Esmeriladora

- Estante para televisão e vídeo

- Extintor

- Lixadeiras mecânicas

- Lupa

- Máquina de lavar pistolas

- Mesas

- Pistola de ar quente regulável

- Pistola de soprar

- Painel infravermelhos

- Plataforma de aspiração com insuflação e extracção de ar

- Quadro didáctico

- Recipientes para o lixo

- Retroprojector

- Suporte metálico para pelas de automóveis

- Suporte para papel de limpeza

- Suporte para papel de mascaragem

- Suporte para pistolas de pintura

- Suporte para retroprojector

- Tela de projecções

- Televisão a cores

- Torno de bancada

- Vídeo

Meios Necessários

Meios Necessários

FERRAMENTAS

- Abre latas

- Alicates (jogo)

- Auriculares de protecção

- Avental

- Balde

- Betumeiras (jogo)

- Caixa de primeiros socorros

- Capas de protecção para o veículo

- Chave de rodas em cruzeta

- Chaves de bocas (jogo)

- Chaves de caixa (jogo)

- Chaves de fendas (jogo)

- Chaves de luneta (jogo)

- Chaves Philips (jogo)

- Chaves Pozidriv (jogo)

- Chaves sextavadas interior (jogo)

- Chaves Torx (jogo)

- Elementos da carroçaria danificados

- Escova de arame de aço inox

- Espátulas (jogo)

- Extractor der molas plásticas (tipo alicate)

- Faca de corte tipo x-acto

- Funil (várias medidas)

- Gambiarra fluorescente 220 V

- Limas (jogo)

- Mangueira para água

- Óculos de protecção

- Pá para o lixo

- Pincéis (jogo)

- Rascador triangular

- Rascador estrela

- Réguas de diluição

- Riscador

- Trinchas (várias medidas)

- Vassoura

Meios Necessários

Meios Necessários

MATERIAIS

- Acetona

- Acelerador

- Aerossol primário rico em alumínio

- Aerossol primário rico em zinco

- Base foscante

- Binder

- Borracha para lápis

- Corantes aquosos

- Corantes bicamada

- Corantes monocamada

- Cordão vedante

- Cordão espuma para mascarar

- Decapante

- Desengordurante

- Desoxidante

- Diluente

- Disco lixa fibra

- Disco nylon

- Disco tipo scotch-brite para despolir

- Esferográficas

- Esfregão de aço

- Esponjas

- Fita de dupla face

- Fita de mascaragem

- Gotas para os olhos

- Insonorizantes

- Liquido de limpeza de mãos

- Liquido de protecção mãos

- Lixas

- Luvas de pano

- Luvas de látex

- Luvas PVC

- Marcador para quadros

- Mascara com filtro

- Massa de polir

- Papel de limpeza e desengorduramento

- Papel de mascaragem

- Pó de talco industrial

- Primário anticorrosivo

- Protector auricular

- Revestimentos antigravilha

- Revestimentos protecção de baixos

- Rosetas de lixagem

- Spray lubrificante penetrante desumidificador

- Tela para apagador de quadro didáctico

- Tela tipo tack-rag

- Trapos limpos para limpeza

- Verniz

MATERIAL PEDAGÓGICO - Recomenda-se a consulta da mediatéca do IEFP MATERIAL DE DEMONSTRAÇÃO - Painel
MATERIAL PEDAGÓGICO - Recomenda-se a consulta da mediatéca do IEFP MATERIAL DE DEMONSTRAÇÃO - Painel

MATERIAL PEDAGÓGICO

- Recomenda-se a consulta da mediatéca do IEFP

MATERIAL DE DEMONSTRAÇÃO

- Painel com sequências de pintura

- Painel com defeitos de pintura

EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA
EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA

EXPLORAÇÃO

PEDAGÓGICA

Antes de Activar e Diluir a Tinta

Antes de Activar e Diluir a Tinta

DESENVOLVIMENTO

TEMÁTICO

1 – ANTES DE ACTIVAR E DILUIR A TINTA

Neste capítulo tratam-se os defeitos de pintura que ocorrem antes de diluir ou activar a tinta, são eles:

- Aumento de viscosidade ou seja, dá-se um endurecimento da tinta na lata.

- Contaminação. A tinta fica com partículas que se encontram em suspensão no ar.

Como tal deve-se ter o cuidado de manter a lata bem fechada e guardar os produtos em local fresco.

Antes de Activar e Diluir a Tinta

Antes de Activar e Diluir a Tinta

ACTIVIDADES

1. Quais os defeitos que podem acontecer durante esta fase? Nesta fase pode ocorrer o aumento da viscosidade da tinta na lata e a contaminação da tinta.

2. Como evitar que a tinta fique contaminada por partículas que se encontram em suspensão no ar? Para que tal não aconteça deve-se manter a lata, sempre, bem fechada.

3. O que se deve fazer se a viscosidade da tinta na lata for muito elevada?

Para voltar a usar esta tinta deve-se adicionar um dissolvente de boa qualidade.

Antes de Activar e Diluir a Tinta

Antes de Activar e Diluir a Tinta

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Antes de Activar e Diluir a Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta

Durante a Aplicação de Tinta

DESENVOLVIMENTO

TEMÁTICO

2 – DURANTE A APLICAÇÃO DE TINTA

O segundo capítulo tem 14 defeitos que podem ocorrer durante a aplicação de tinta. Estes defeitos podem ser ou não devido a erros do pintor. Estes defeitos são:

- Contaminação – uma superfície com este defeito aparenta partículas de diferentes dimensões depositadas no aparelho ou na cor, bem como manchas ou descoloração na superfície de pintura.

- Desprendimento – ocorre devido a uma secagem não uniforme da película de pintura.

- Enrugamento – é uma distorção ou enrugamento durante a aplicação da última demão ou durante a secagem.

- Escorridos – acontecem devido a uma quantidade excessiva de tinta aplicada numa superfície inclinada.

- Estrias / Crateras / Olhos de peixe – neste defeito a tinta é repelida por um contaminante, causando depressões, em forma de cratera, com rebordos salientes.

- Falta de opacidade – aqui as superfícies inferiores ficam visíveis através da película de pintura.

- Flutuação de cor – aparece em acabamentos metalizados quando as partículas de alumínio escorrem num determinado sentido.

- Marcas das mãos – são gorduras e sujidades transportadas pelas mãos e que contaminam a pintura. Assim o pintor deve usar luvas para fazer as tarefas.

- Pulverização seca – a pulverização é acelerada pela corrente de ar que divide a tinta em filamentos que se ampliam e partem.

- Pulverizado em peça contígua – que ocorre devido a uma mascaragem insuficiente, à pressão do ar comprimido demasiado elevada ou a uma ventilação inadequada.

- Sangramento – o pigmento dissolve-se nos solventes do material de repintura e provoca a sua migração para a camada superior, alterando a cor.

- Sombras / manchado – este defeito ocorre, principalmente, devido a falta de técnica de pulverização.

diferentes dimensões, sobre a

- Sujidade / partículas – pequenas saliências irregulares de pintura.

- Superfície rugosa (casca de laranja) – em que a superfície fica ondulada e mal espalhada, semelhante a pele de laranja.

Para a maioria de estes defeitos será necessário lixar e repintar novamente a superfície defeituosa.

Durante a Aplicação de Tinta

Durante a Aplicação de Tinta

ACTIVIDADES

1. Uma secagem não uniforme da película de tinta pode conduzir a que defeito?

A secagem não uniforme pode conduzir a desprendimentos da película de tinta.

2. Quais as razões que levam a que a secagem não seja feita uniformemente?

Esta secagem não é uniforme devido a uma espessura excessiva da película, ao tempo para a secagem entre as demãos ser insuficiente, bem como a temperatura não ser uniforme. Outra razão

é a utilização de diluentes de má qualidade e mistura incorrecta de catalizador.

3. Porque ocorrem escorridos?

Os escorridos acontecem devido a uma quantidade excessiva de tinta aplicada numa superfície vertical ou inclinada.

4. Qual a causa principal de olhos de peixe?

A causa principal é a contaminação da superfície.

5. Como se pode prevenir a ocorrência de olhos de peixe?

Para prevenir a ocorrência deste defeito deve-se limpar convenientemente as superfícies com desengordurante anti-silicone antes de reparar e repintar. Deve-se igualmente certificar que os

filtros estão limpos e que as condutas de ar são objecto de manutenção regular.

Durante a Aplicação de Tinta

Durante a Aplicação de Tinta

Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3

Durante a Aplicação de Tinta

Durante a Aplicação de Tinta
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Durante a Aplicação de Tinta TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Durante a Secagem/Cura

Durante a Secagem/Cura

DESENVOLVIMENTO

TEMÁTICO

3 – DURANTE A SECAGEM / CURA

Neste capítulo aparecem os defeitos que acontecem após o pintor aplicar a tinta. Durante esse período podem ocorrer os seguintes defeitos:

- Bolsas de ar – ocorre principalmente devido à má aplicação de betume ou má preparação da superfície onde se vai aplicar a tinta.

- Contaminação.

- Escorridos.

- Estrias / Silicones / Olhos de peixe.

- Marcas das mãos.

- Sangrado.

- Secagem lenta – quando a pintura requer mais tempo que o especificado pelo fabricante para o endurecimento completo da película de tinta.

- Sujidade / Partículas.

Durante a Secagem/Cura

Durante a Secagem/Cura

ACTIVIDADES

1. Como prevenir o aparecimento de bolhas de ar sob a película de pintura?

Para garantir que não se formam bolhas de ar deve-se:

- Limpar bem as áreas a pintar antes de proceder à lixagem.

- Assegurar-se que a superfície está completamente seca antes de aplicar uma demão.

- Seleccionar o diluente ou o redutor adequado para as condições existentes na oficina.

- Esvaziar e limpar, diariamente, o regulador de pressão.

2. Quais as causas da secagem lenta?

A secagem lenta deriva de uma aplicação demasiado pesada, condições de secagem fracas, diluente demasiado lento, tempo de intervalo entre as demãos insuficiente ou activador em excesso ou pouco.

3. Quais as medidas a tomar quando se apercebe que está a ocorrer secagem lenta?

De um modo geral, o atraso na secagem pode ser ultrapassado se o veículo for deslocado para uma zona com melhores condições de secagem. O processo de secagem pode ser acelerado mediante a aplicação de calor, no entanto deverá ter-se o cuidado para evitar a formação de enrugados.

Durante a Secagem/Cura

Durante a Secagem/Cura

Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Durante a Secagem/Cura TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 3
Após a Secagem

Após a Secagem

DESENVOLVIMENTO

TEMÁTICO

4 – APÓS A SECAGEM

Os defeitos tratados neste capítulo ocorrem depois de o veículo já ter a tinta aplicada e seca e podem ocorrer ainda na oficina ou já fora dela.

- Acabamento com baixo brilho – ocorre, acima de tudo, devido às más condições da estufa.

- Amarelecimento – acontece com pigmentos azuis, marrons e pretos.

- Ataque por ácido ou dissolvente – acontece devido ao derrame de substâncias ácidas, chuvas ácidas ou o uso de detergentes em superfícies frescas.

- Bicos de alfinete – este defeito é causado por vapor de água ou diluente apanhado pela pintura que seca rapidamente.

- Calcinado – para prevenir a ocorrência deste defeito deve-se evitar a exposição da pintura aos raios solares e o uso de detergentes agressivos.

- Contaminação.

- Cor fora da tonalidade – há diferenças de tom entre as diversas áreas pintadas.

- Corrosão / oxidação – danos mecânicos com enferrujamento sob a camada de tinta.

- Defeitos no suporte – irregularidades que aparecem na superfície devido ao molde ou acabamento insuficiente da superfície.

- Descasque e rachamento – rachas junto das junções, frisos e cantos. Junto aos cantos a película pode descascar sem rachar.

- Descoloração – excessiva quantidade de perióxido utilizado no betume.

- Empolamento – devem-se principalmente a humidades ou contaminantes concentrados debaixo da superfície.

- Falta de aderência – nota-se quando se retira a fita de protecção usada na mascaragem.

- Fissuras / Gretas – fendilhamentos com configurações irregulares que se desenvolvem numa das camadas inferiores do sistema de pintura.

- Manchas de água – marcas circulares de uma cor mais clara que a superfície circundante.

- Marcas da lima – marcas da lima que aparecem depois de aplicar o acabamento.

- Marcas de polimento – micro-ranhuras ou manchas na superfície da película.

- Microborbulhas – bolhas de ar que se produzem sobre as massas de betume, aparelho, acabamento ou fibra de vidro.

- Nebuloso / Enevoado – defeito devido a humidade condensada sobre a película de pintura ainda fresca.

- Quartejado – causado por uso incorrecto de aditivos ou a película demasiado espessa.

- Rachamento – Rachas junto das junções e cantos.

- Retenção de cera – as áreas apresentam-se sem brilho na película da pintura e podem-se sentir gordurosas.

Após a Secagem

Após a Secagem

- Riscos / Marcas de lixagem – têm aspecto de sulcos sobre a superfície da pintura.

- Riscos / Marcas de pedras – impacto de pedras ou objectos cortantes que penetram na pintura.

- Superfície irregular – neste defeito a superfície exibe diferentes texturas ou graus de brilho, rodeadas por limites claramente definidos.

Após a Secagem

Após a Secagem

ACTIVIDADES

1. Qual a causa da perda de brilho na última demão?

Este defeito acontece devido a um tempo de secagem insuficiente do aparelho, à aplicação de solventes não apropriados e a uma atmosfera viciada.

2. O amarelecimento é um defeito típico de que pigmentos?

Este defeito ocorre com pigmentos azuis, marrons e pretos.

3. Como prevenir o aparecimento de bicos de alfinete?

Deve-se garantir que a superfície está limpa, utilizar diluentes e redutores de boa qualidade.

4. Como se pode prevenir o calcinado?

Para prevenir o calcinado deve-se evitar a exposição aos raios solares e não utilizar detergentes agressivos.

5. Como se deve corrigir uma área atacada pela corrosão?

Deve-se decapar a zona afectada, retirar a corrosão existente, tratar a superfície com líquido de tratamento de metais, utilizar um primário anti-corrosivo e pintar.

6. Como prevenir o descasque da pintura?

As áreas a pintar devem ser correctamente lixadas e evitar espessuras de tinta elevadas.

7. Qual o defeito que pode ser originado por perióxido em excesso no betume?

O perióxido em excesso irá causar um amarelecimento da tinta.

8. Quais as causas de microborbulhas?

As causas para este defeito são:

- inclusão de ar nas resinas;

- preparação e isolamentos imperfeitos do suporte;

- má qualidade das massas ou dos aparelhos;

- mistura insuficiente das massas de betumar.

Após a Secagem

Após a Secagem
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 4 Defeitos de Pintura
Após a Secagem

Após a Secagem

Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS Defeitos de Pintura 5

Após a Secagem

Após a Secagem
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 6 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 6 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 6 Defeitos de Pintura

TRANSPARÊNCIAS

PROPOSTAS

Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 6 Defeitos de Pintura
Após a Secagem TRANSPARÊNCIAS PROPOSTAS 6 Defeitos de Pintura
AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

EXERCÍCIOS PRÁTICOS E GUIAS DE AVALIAÇÃO

EXERCÍCIO 1

Exemplo de exercícios práticos a desenvolver no seu posto de trabalho e de acordo com a matéria constante no presente módulo.

EXERCÍCIO Nº.1 – ELIMINAÇÃO DE ESCORRIDOS

- Eliminar escorrigidos, realizando as tarefas indicadas em seguida, tendo em conta os cuidados de Higiene e Segurança.

EQUIPAMENTO E MATERIAIS NECESSÁRIO

- 1 PEÇA COM O DEFEITO INDICADO

- 1 SUPORTE METÁLICO PARA PEÇAS

- POLIDORA

- BLOCO

- BETUMADEIRAS

- LIXAS

- BETUME

- MASSA DE POLIR

- “POLISH”

- FLANELA DE LIMPEZA

TAREFAS A EXECUTAR

1. SECAGEM DOS ESCORRIDOS COM INFRAVERMELHOS.

2. LIXAGEM DA ZONA DO ESCORRIDO.

3. APLICAÇÃO DO BETUME “À ESPÁTULA”.

4. LIXAGEM DO BETUME À MÃO COM BLOCO (A ÁGUA).

5. DESPOLIMENTO COM LIXA P1200 NA ZONA DO ESCORRIDO.

6. POLIMENTO À MÁQUINA COM MASSA DE POLIR.

7. APLICAÇÃO DE “POLISH”.

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

GUIA DE AVALIAÇÃO

EXERCÍCIO PRÁTICO N.1 – ELIMINAÇÃO DE ESCORRIDOS

   

GUIA DE

TAREFAS E EXECUTAR

NÍVEL DE

EXECUÇÃO

AVALIAÇÃO

(PESOS)

1 – Secagem dos escorridos com infravermelhos.

 

2,5

2 – Lixagem da zona do escorrido.

 

1,5

3 – Aplicação do betume “à espátula”.

 

1,5

4 – Lixagem do betume à mão com bloco (a água).

 

2,5

5 – Despolimento com lixa P1200 na zona do escorrido.

 

2

6 – Polimento à máquina com massa de polir.

 

3

7 – Aplicação de “polish”.

 

2,5

8 – Utilização das regras de higiene e segurança.

 

2

9 – Qualidade final.

 

2

CLASSIFICAÇÃO

 

20

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

EXERCÍCIO 2

EXERCÍCIO Nº.2 – ELIMINAR O DESCASQUE DA TINTA

- ELIMINAR O DESCASQUE DA TINTA, realizando as tarefas indicadas em seguida, tendo em conta os cuidados de Higiene e Segurança.

EQUIPAMENTOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS

- PEÇA COM DEFEITO

- LIXADEIRA CIRCULAR ORBITAL COM ASPIRAÇÃO

- PISTOLA DE PINTURA

- DISCOS DE LIXA

- FITA DE MASCARAGEM

- PAPEL DE MASCARAGEM

- DESENGORDURANTE

- TELA DE LIMPEZA

- PAPEL DE LIMPEZA

- TINTA DE ACABAMENTO

TAREFAS A EXECUTAR

1. BISELAR A ZONA AFECTADA.

2. DESENGORDURAR A ZONA AFECTADA.

3. DESPOLIMENTO DO SUPORTE.

4. DESENGORDURAMENTO DO SUPORTE.

5. MASCARAGEM.

6. PREPARAÇÃO DA TINTA DE ACABAMENTO.

7. PASSAGEM DA TELA DE LIMPEZA (TAK-RAG).

8. APLICAÇÃO DA TINTA DE ACABAMENTO.

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

GUIA DE AVALIAÇÃO

EXERCÍCIO PRÁTICO N.º 2 – ELIMINAR O DESCASQUE DA TINTA.

   

GUIA DE

TAREFAS E EXECUTAR

NÍVEL DE

EXECUÇÃO

AVALIAÇÃO

(PESOS)

1 – Biselar a zona afectada.

 

2,5

2 – Desengordurar a zona afectada.

 

1

3 – Despolir o suporte.

 

1,5

4 – Desengordurar o suporte.

 

1

5 – Mascarar

 

3

6 – Preparar a tinta de acabamento.

 

2

7 – Passagem da tela de limpeza (tag-rag).

 

1,5

8 – Aplicar a tinta de acabamento.

 

3,5

9 – Utilização das regras de higiene e segurança.

 

2

10 – Qualidade final.

 

2

CLASSIFICAÇÃO

 

20

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

EXERCÍCIO 3

EXERCÍCIO Nº.3 – CORRECÇÃO DA COR

- Correcção de cor fora do tom, realizando as tarefas indicadas em seguida, tendo em conta os cuidados de Higiene e Segurança.

EQUIPAMENTO E MATERIAL NECESSÁRIO

- ARMÁRIO MISTURADOR

- FORNO DE SECAGEM

- LIXADEIRA CIRCULAR ORBITAL COM ASPIRAÇÃO

- PISTOLA

- CABINE DE PINTURA

- CORANTES

- LIXA

- DESENGORDURANTE

- PAPEL DE MASCARAGEM

- FITA DE MASCARAGEM

- PAPEL DE LIMPEZA

- TELA DE LIMPEZA

TAREFAS A EXECUTAR

1. DESPOLIMENTO DA ZONA PINTADA.

2. CORRECÇÃO DA COR.

3. MASCARAGEM DA PEÇA.

4. PINTURA DE UMA CHAPA DE ENSAIO.

5. SECAGEM NO FORNO DA CHAPA DE ENSAIO.

6. COMPARAÇÃO DA COR.

7. PREPARAÇÃO DA TINTA.

8. DESENGORDURAMENTO DA ZONA A PINTAR.

9. PASSAGEM DA TELA DE LIMPEZA (TAK-RAG).

10. APLICAÇÃO DA TINTA DE ACABAMENTO.

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

Exercícios Práticos e Guias de Avaliação

GUIA DE AVALIAÇÃO

EXERCÍCIO PRÁTICO N.º 3 – DESEMPENAR BETUME À MÃO.

   

GUIA DE

TAREFAS E EXECUTAR

NÍVEL DE

EXECUÇÃO

AVALIAÇÃO

(PESOS)

1 – Despolimento da zona pintada.

 

2

2 – Correcção da cor.

 

3

3 – Mascaragem da peça.

 

1

4 – Pintura de uma chapa de ensaio.

 

1,5

5 – Secagem no forno da chapa de ensaio.

 

0,5

6 – Comparação da cor.

 

2

7 – Preparação da tinta.

 

1,5

8 – Desengorduramento da zona a pintar.

 

0,5

9 – Passagem da tela de limpeza (tag-rag).

 

1

10 – Aplicação da tinta de acabamento.

 

3

11 - Utilização das regras de higiene e segurança.

 

2

12 – Qualidade final

 

2

CLASSIFICAÇÃO

 

20

Pós-Teste

Pós-Teste

PÓS-TESTE

1. Quando aumenta a viscosidade das tintas qual a correcção a efectuar para voltar a utilizar essa

tinta:

a)

Não se pode reutilizar após o aumento da viscosidade

a) Não se pode reutilizar após o aumento da viscosidade

b)

Adiciona-se dissolvente

b) Adiciona-se dissolvente

c)

Mistura-se com tinta igual mas com a viscosidade certa

c) Mistura-se com tinta igual mas com a viscosidade certa

d)

A viscosidade não aumenta nas tintas dentro das latas

d) A viscosidade não aumenta nas tintas dentro das latas

2. A figura seguinte corresponde a que defeito?

a) Escorrido

a) Escorrido
 

b) Estria

  b) Estria

c) Sujidade

c) Sujidade

d) Casca de laranja

d) Casca de laranja

3. Superfícies inferiores visíveis através da película de pintura tem o nome de:

visíveis através da película de pintura tem o nome de: a) Falta de aderência b) Flutuação

a) Falta de aderência

b) Flutuação da cor

c) Falta de opacidade

a) Falta de aderência b) Flutuação da cor c) Falta de opacidade
a) Falta de aderência b) Flutuação da cor c) Falta de opacidade

d) Sombras / manchado

d) Sombras / manchado

4. Uma limpeza e desengorduramento inadequados podem causar:

a) Casca de laranja

a) Casca de laranja

b) Falta de opacidade

b) Falta de opacidade

c) Amarelecimento

c) Amarelecimento

d) Desprendimentos e falta de aderência

d) Desprendimentos e falta de aderência

5. Qual destes procedimentos pode levar ao aparecimento de defeitos de pintura?

a) Preparar a tinta segundo a ficha técnica

a) Preparar a tinta segundo a ficha técnica

b) Lavar a superfície com água da torneira para limpar as impurezas

b) Lavar a superfície com água da torneira para limpar as impurezas

c) Utilizar materiais de boa qualidade

c) Utilizar materiais de boa qualidade

d) Usar luvas

d) Usar luvas

Pós-Teste

Pós-Teste

6. A falta de brilho deve-se a:

a)

Secagem em locais húmidos e frios

a) Secagem em locais húmidos e frios

b) Gordura no suporte

b) Gordura no suporte

c) Pistola muito afastada da superfície

c) Pistola muito afastada da superfície

d) Nenhuma das anteriores

d) Nenhuma das anteriores

7. Quais os pigmentos em que acontece o amarelecimento?

a) Azuis, verdes e pretos

a) Azuis, verdes e pretos

b) Amarelos, brancos e marrons

b) Amarelos, brancos e marrons

c) Azuis, amarelos e pretos

c) Azuis, amarelos e pretos

d) Azuis, marrons e pretos

d) Azuis, marrons e pretos

8. Para evitar a corrosão depois de uma reparação, deve-se:

a) Aplicar primário anti-corrosivo

b) Aplicar betume

c) Usar tinta de água

d) Lavar a superfície para retirar as impurezas

9. Uma quantidade excessiva de perióxido no betume pode criar um defeito, qual?

a) Calcinado

a) Calcinado

b) Empolamento

b) Empolamento

c) Descoloração

c) Descoloração

d) Quartejado

d) Quartejado

10. A concentração de humidades ou contaminantes debaixo da superfície causam:

a) Calcinado

a) Calcinado

b) Empolamento

b) Empolamento

c) Descoloração

c) Descoloração

d) Quartejado

d) Quartejado
Corrigenda do Pós-Teste

Corrigenda do Pós-Teste

CORRIGENDA DO PÓS-TESTE

Nº DA QUESTÃO

RESPOSTA CORRECTA

1

b)

2

a)

3

c)

4

d)

5

b)

6

a)

7

d)

8

a)

9

c)

10

b)