Você está na página 1de 32

Coleção Aventuras Grandiosas

Sir Walter Scott

IVANHOÉ

Adaptação de Ana Carolina Vieira Rodriguez

1 ª edição

Coleção Aventuras Grandiosas Sir Walter Scott IVANHOÉ Adaptação de Ana Carolina Vieira Rodriguez 1 ª edição

Coleção Aventuras Grandiosas

1. O torneio da cavalaria

Por volta dos anos de 1193 e 1194, quando se passa esta história, a Ingla- terra enfrentava vários problemas políticos. O Rei Ricardo fora preso na Áustria por seu próprio irmão, o Príncipe John, e por seus inimigos, o Rei Philip da França e o maldoso Duque da Áustria. Naquela época, os membros da nobreza eram NORMANDOS e domi- navam a Inglaterra desde 1066. Eles estabeleceram que o idioma a ser falado em toda a ilha deveria ser o francês. Além disso, praticamente escravizavam os pobres trabalhadores ANGLO-SAXÕES, cujos antecessores governaram a Inglaterra muito tempo antes. O Príncipe John também era normando e queria tornar-se rei da Inglaterra. Depois de prender seu irmão, conhecido por ser o bravo Ricardo Coração de Leão, ele reuniu um Conselho para ajudá-lo a governar. O povo sofria ainda mais com o despreparo do príncipe diante do comando da nação. Muitos anglo-saxões não aceitavam o domínio estrangeiro. O velho cavalei- ro Cedric de Rotherwood e sua protegida, a bela Rowena, por exemplo, eram descendentes da mais alta sociedade anglo-saxã. Eles cultivavam, intimamente, o desejo de que seu povo voltasse a ter o prestígio tomado a força pelos invasores de língua francesa. Apesar de todos esses problemas, o povo da Inglaterra apreciava os torneios da cavalaria, cujas tradições foram estabelecidas pelos normandos. Os torneios eram marcados por boa música, competições de arco e flecha e disputas entre cavaleiros vestidos com armaduras. Nossa história começa, então, na região de Leicester, mais especificamente na cidade de Ashby, onde o maior torneio da Inglaterra estava prestes a acontecer. Milhares de pessoas entravam em uma ampla ARENA através de dois enormes portões, cada um deles guardado por um grupo de seis homens tocando cornetas. À medida que iam chegando, nobres e burgueses acomodavam-se nas galerias, enquanto o povo tinha que se aglomerar nos morros e nas árvores vizinhas para assistir ao espetáculo. Até mesmo no topo da torre da igreja havia gente tentando se equilibrar.

topo da torre da igreja havia gente tentando se equilibrar. NORMANDO: nascido na Normandia (região da

NORMANDO: nascido na Normandia (região da França) ANGLO-SAXÃO: indivíduo do povo germânico (anglos, saxões e jutos) que invadiram a Inglaterra entre os séculos V e VI, e lá se fixaram. ARENA: terreno circular, fechado, com chão de areia, especial para espetáculos

2

Ivanhoé

Quando a arena parecia praticamente lotada, ouviu-se o rufar de tambores e o toque de várias cornetas em conjunto. Era o anúncio da chegada do Príncipe

John, que adentrou o local do torneio pelo portão Norte, escoltado por vários nobres e membros influentes da Igreja. Seu cavalo estava todo enfeitado e ele vestia um traje feito especialmente para a ocasião. Usava luvas de couro, roupa nos tons vermelho e dourado, e um chapéu adornado com pedras preciosas. Levava um atento falcão na mão esquerda. O pequeno pássaro tinha o olhar tão imponente e desafiador quanto o do próprio príncipe. Antes de dirigir-se ao seu trono, colocado em um palanque mais alto do que as galerias, ele percorreu toda a arena, examinando cuidadosamente os rostos ansiosos pelo início das disputas. De repente, o príncipe parou em uma das galerias. Observou a linda moça sentada ao lado de Isaac de York, um judeu rico que freqüentemente emprestava dinheiro aos nobres. Embora Isaac fosse extremamente importante para eles, nem o príncipe nem os nobres aceitavam- no como membro da sociedade inglesa. Isso ocorria pelo simples fato de ele ter descendência judia. Magnetizado pela beleza da moça, o príncipe aproximou-se de Isaac e perguntou:

Esta é sua esposa ou sua filha, Isaac?

É minha filha Rebecca, Alteza.

O

príncipe quis conduzir Rebecca ao trono que ficava em frente ao dele.

Era todo decorado com tapetes e panos finos e estava reservado à “Rainha do Amor e da Beleza”. No entanto, um dos conselheiros que acompanhava o cavalo do príncipe convenceu-o do contrário.

— Deixe que o trono da “Rainha do Amor e da Beleza” permaneça vazio

por enquanto, Alteza. Aquele que ganhar o torneio de hoje deve escolher a

rainha — disse ele.

O Príncipe John e os outros nobres foram para o palanque, enquanto as

regras do festival eram anunciadas por um dos ARAUTOS em alto e bom som:

— Regra número um: haverá cinco competidores heróicos, famosos por

terem lutado nas CRUZADAS. São os cavaleiros TEMPLÁRIOS. Eles poderão ser desafiados por qualquer cavaleiro que esteja disposto a enfrentá-los.

ARAUTO: oficial que faz proclamações solenes, anúncios CRUZADAS: expedições realizadas pelos cristãos europeus nos séculos XI, XII e XIII para recuperar a Terra Santa tomada pelos muçulmanos. TEMPLÁRIO: cavaleiro do Templo, uma ordem militar religiosa fundada em Jerusalém no século XII pelos cavaleiros das Cruzadas

3

cavaleiro do Templo, uma ordem militar religiosa fundada em Jerusalém no século XII pelos cavaleiros das

Coleção Aventuras Grandiosas

— Regra número dois: o cavaleiro que quiser desafiar um dos cinco heróis

deverá tocar, com sua lança, o escudo do oponente. Se o toque for feito com a parte de trás da lança, o duelo será apenas uma demonstração, uma espécie de treinamento. As duas lanças serão protegidas por uma capa de madeira, que cobrirá o ferro e ajudará a diminuir o impacto dos golpes. Contudo, se o escudo

de um cavaleiro for tocado com a ponta da lança, o duelo será para valer, com as lanças livres para o embate.

— Regra número três: o cavaleiro que conseguir quebrar cinco lanças

será o vencedor do primeiro dia do torneio. Ele não só ganhará um cavalo de

raça, como também receberá o prêmio de poder escolher a “Rainha do Amor e da Beleza”.

— Regra número quatro: amanhã, no segundo dia do torneio, haverá um

duelo coletivo, no qual qualquer cavaleiro poderá se inscrever. Os homens serão divididos em grupos de número igual e lutarão até o príncipe mandá-los parar. A “Rainha do Amor e da Beleza” irá coroar o vencedor escolhido pelo príncipe. Ditas as regras, os cinco cavaleiros templários adentraram a arena. Monta- vam cavalos fortes e suas lanças levavam pequenas bandeiras amarradas na pon- ta. O líder deles cavalgava na frente. Era Brian de Bois-Guilbert, um normando conhecido por ter sangue-frio durante as lutas. Do lado oposto, vários outros cavaleiros agitavam-se sobre seus cavalos, vestiam os capacetes e empunhavam os escudos. Eram homens mais novos ou menos experientes do que os cinco primeiros e estavam ÁVIDOS para ter seus momentos de glória. Quando o príncipe deu o sinal, os primeiros cavaleiros audaciosos tocaram os escudos dos heróis com a parte de trás de suas lanças, o que indicou que o primeiro duelo seria uma bela demonstração, praticamente sem risco de vida para nenhum dos participantes. As pontas das lanças foram cobertas e os cavaleiros se posicionaram em lados opostos da arena. Ao toque breve e seco das cornetas, os dez cavaleiros dispararam ao mes- mo tempo em direção uns dos outros. No encontro deles, ouviu-se um som estridente de metal e madeira se chocando. Muita poeira surgiu do centro da arena, enquanto os espectadores levantaram-se em UNÍSSONO para observar o resultado do embate. Três cavaleiros das Cruzadas, Brian de Bois-Guilbert, Sir Philip Malvoisin e Reginald Fronte-de-Boeuf, derrubaram no chão aqueles que os desafiaram. Um dos cavaleiros anônimos conseguiu desviar milagrosamente da lança de Hugh de

anônimos conseguiu desviar milagrosamente da lança de Hugh de ÁVIDO: ansioso UNÍSSONO: ao mesmo tempo 4

ÁVIDO: ansioso UNÍSSONO: ao mesmo tempo

4

Ivanhoé

Grantmesnil. Um único cavaleiro foi capaz de honrar o grupo dos desafiadores. Ele não derrubou o quinto herói, o Cavaleiro de Saint John, mas quebrou um pedaço de sua lança. Palmas surgiram da platéia, cornetas foram tocadas a todo vapor, enquanto os heróis eram cada vez mais consagrados. O Cavaleiro de Saint John cumpri- mentou aquele que quebrou sua lança, deixando o rapaz, satisfeito, comemorar sua feita junto aos amigos.

2. O Cavaleiro Deserdado

Depois do início do torneio, três outras rodadas parecidas ocorreram. Em todas elas, os templários foram campeões. Bois-Guilbert derrubou todos os seus oponentes, e nenhum dos cinco heróis foi ao chão uma vez sequer. Quando ninguém mais parecia querer desafiar os cavaleiros das Cruzadas e o príncipe preparava-se para declarar Bois-Guilbert vencedor, uma forte corneta começou a soar do portão Sul. Todos se voltaram para lá, pois um novo cavaleiro estava entrando na arena. Ele vestia armadura de aço com costura de ouro e um capacete cobria-lhe o rosto. Parecia baixo e até um pouco magro. Seu escudo tinha a figura de uma árvore com raízes longas estampada. Sob o desenho, a palavra “Deserdado” esta- va escrita. Depois de percorrer todas as galerias observando os espectadores, o ca- valeiro aproximou-se de Bois-Guilbert e tocou-lhe o escudo com a ponta da lança. Um grito de espanto surgiu da platéia.

— Não tem medo de colocar a vida em risco assim, com tanta facilidade? — perguntou Bois-Guilbert.

— Um de nós pode não ver o Sol se pôr hoje — disse o Cavaleiro

Deserdado. — Tenho certeza de que não serei eu. Essas palavras enfureceram o líder dos templários, que se colocou pronto para o duelo quase instantaneamente. Estava louco para mostrar à multidão toda a sua superioridade. Nenhum anônimo havia demonstrado tamanha ousadia ao desafiá-lo para uma disputa. A única precaução que tomou foi trocar o escudo por outro mais forte. No novo escudo havia a figura de um corvo segurando um crânio entre as garras. Embaixo podia-se ler a frase:

“Cuidado com o corvo”. Quando o príncipe autorizou a luta, uma corneta soou e os cavaleiros saí- ram galopando furiosamente em direção um do outro. Ao se chocarem, o impacto foi tão violento que os cavalos tiveram que recuar, equilibrando-se nas patas de

5

um do outro. Ao se chocarem, o impacto foi tão violento que os cavalos tiveram que

Coleção Aventuras Grandiosas

trás. Nenhum dos combatentes caiu, mas as duas lanças se estilhaçaram. A multi- dão aplaudiu entusiasmada.

O príncipe permitiu um novo embate entre eles. Bois-Guilbert e o Cavaleiro

Deserdado trocaram as lanças por outras intactas e posicionaram-se novamente.

Ouviu-se o toque da corneta e o público assistiu a um novo choque ainda mais forte. Quando a poeira se dissipou, todos viram Bois-Guilbert levantando do

chão, enquanto seu cavalo corria sozinho pela arena. Enraivecido, o templário pegou sua lança e apontou-a para o homem que o derrubou.

Isso não fica assim! Você me paga! — gritou.

Quando quiser — disse o Cavaleiro Deserdado.

Nós vamos lutar fora daqui! Esteja certo disso!

O

Cavaleiro Deserdado concordou e depois saiu galopando para come-

morar a vitória. À medida que acelerava o ritmo do cavalo, gritava:

— A todos os verdadeiros ingleses! Que os TIRANOS estrangeiros sejam

derrubados!!! Em seguida, ele desafiou os outros quatro templários. Diante dos olhos dos espectadores, o Cavaleiro Deserdado levou todos eles ao chão, arrancando vivas e palmas da platéia. O príncipe não teve outra escolha, senão declará-lo vencedor do primeiro dia do torneio. Na hora da entrega do cavalo de raça como prêmio, a multidão pediu que o cavaleiro tirasse o capacete para que todos conhecessem sua identidade, mas ele se recusou. O Príncipe John sentiu as pernas tremerem com a aproximação

do Cavaleiro Deserdado. Ele temia que, sob o capacete daquele homem, estivesse seu irmão Ricardo Coração de Leão, o verdadeiro Rei da Inglaterra. Ao ver o cava- leiro mais de perto, no entanto, o príncipe acalmouse um pouco. Ricardo era bem mais alto e dificilmente caberia naquela armadura.

— Aqui está seu cavalo de raça, Cavaleiro Deserdado — disse o príncipe.

— O senhor também terá a honra de escolher uma moça para ser a “Rainha do Amor e da Beleza”.

O cavaleiro agradeceu apenas com um cumprimento de cabeça. Ele es-

tendeu a lança ao príncipe, que colocou sobre ela a coroa de cetim dourado dedicada à rainha do torneio. O cavaleiro agradeceu mais uma vez com um gesto de cabeça e foi percorrer as galerias à procura da mais bela moça que encontrasse. Depois de alguns minutos, o vencedor parou diante da linda Rowena. Seu TUTOR, o velho anglo-saxão Cedric de Rotherwood, havia rejeitado o próprio

Cedric de Rotherwood, havia rejeitado o próprio TIRANO: governante que abusa de sua autoridade TUTOR:

TIRANO: governante que abusa de sua autoridade TUTOR: pessoa legalmente encarregada de tutelar alguém; protetor, defensor

6

Ivanhoé

filho, Ivanhoé, pois este lutara ao lado do normando Ricardo Coração de Leão nas

Cruzadas até a Terra Santa. Cedric almejara, tempos antes, o casamento de Rowena

e Ivanhoé, mas agora a moça estava prometida para Athelstane, um anglo-saxão

como ela, porém um rapaz de inteligência MEDÍOCRE. Rowena foi coroada a “Rainha do Amor e da Beleza” ao som de muitas cornetas. O Cavaleiro Deserdado partiu levando o cavalo que recebera como prêmio. Muitas pessoas foram atrás dele, mas não conseguiram alcançá-lo. Apesar das várias ESPECULAÇÕES a esse respeito, ninguém descobriu a verdadeira iden- tidade do vencedor do primeiro dia do torneio.

3. Uma grande disputa

No dia seguinte de manhã, muitos cavaleiros já estavam inscritos para o duelo do segundo e último dia do festival. Pouco antes da luta, o Príncipe John adentrou a arena ao som de muitas cornetas e na companhia de seus conselhei- ros. Cedric e Rowena chegaram junto com Athelstane, o noivo prometido da nova “Rainha do Amor e da Beleza”. O próprio príncipe recebeu a moça pelas mãos de seu tutor e conduziu-a ao trono em frente ao dele. Athelstane estava enciumado desde o dia anterior. Não gostou de ver sua futura esposa ser coroada rainha por outro homem. Por causa disso, resolveu que precisava impressionar Rowena. Inscreveu-se no duelo para lutar ao lado do templário Brian de Bois-Guilbert. Segundo as ordens do príncipe,

o Cavaleiro Deserdado seria líder de um grupo, enquanto Bois-Guilbert

comandaria o outro. Os dois grupos de cavaleiros posicionaram-se em lados opostos. Os líderes ficavam um metro à frente de seus homens. Ao sinal emitido por cornetas, uma verdadeira multidão de cavalos e homens uniu-se no centro da arena. Ouviram-se gritos na platéia. O centro do espetáculo só pôde ser visto quando a poeira desceu. Muitos homens estavam caídos. Alguns cavaleiros lutavam agora no chão, tendo trocado as lanças quebradas por espadas. Aos poucos o número de participantes foi diminuindo, até que sobraram no meio da arena apenas o Cavaleiro Deserdado, Bois-Guilbert e dois dos seus homens: Athelstane e o templário Reginald Fronte-de-Boeuf. O Cavaleiro Deserdado conseguia lutar contra os três ao mesmo tempo graças ao ótimo cavalo

MEDÍOCRE: mediana, comum ESPECULAÇÃO: tentativa de se descobrir por meio de perguntas indiscretas

7

ótimo cavalo MEDÍOCRE: mediana, comum ESPECULAÇÃO: tentativa de se descobrir por meio de perguntas indiscretas 7

Coleção Aventuras Grandiosas

que ganhara no primeiro dia do torneio. Ele girava o corpo apoiado no lombo do animal e mantinha seus adversários na ponta de uma espada.

De repente, como que por milagre, um cavaleiro que pouco se destacara durante todo o embate veio auxiliar o Cavaleiro Deserdado. Vestia uma armadura preta como carvão e seu escudo não tinha nada escrito ou desenhado. IMPELIDO por uma cavalgada de alta velocidade, o Cavaleiro Negro, como foi chamado, INVESTIU de modo certeiro sobre Athestane e Fronte-de-Boeuf, derrubando os dois quase ao mesmo tempo. Em seguida afastou-se, deixando os dois líderes finalmente se enfrentarem.

A luta estava emocionante e o público mal conseguia se controlar nas gale-

rias. Gritavam e incentivavam os cavaleiros sem parar. Os adversários defendiam-

se como podiam. DE SÚBITO, o Cavaleiro Deserdado desferiu um golpe de mestre em Bois-Guilbert, atingindo o topo do capacete do templário, que se desequilibrou e caiu no chão. Bois-Guilbert ficou indignado. Levantou-se e xingou o Cavaleiro Deserdado com todas as forças, ameaçando-o das mais terríveis vinganças. Os adversários poderiam continuar lutando no chão, mas o príncipe achou melhor terminar a luta. Era preciso evitar que o herói das Cruzadas saísse da arena ainda mais humilhado. Depois de consultar seus conselheiros, o Príncipe John declarou o Cavaleiro Negro como o vencedor do dia, mas o misterioso homem de preto havia desa- parecido. Sem outra alternativa, o príncipe disse à multidão que o Cavaleiro Deserdado deveria ser coroado como o vencedor do festival.

4. Confusão no final do torneio

Rowena, a “Rainha do Amor e da Beleza”, fez sinal para que o cavaleiro vitorioso se aproximasse.

— Como devo coroá-lo, senhor, se sua cabeça está coberta por este ELMO? — perguntou a bela moça.

O Deserdado apenas esticou o braço para receber a coroa em suas mãos.

Neste momento, porém, um auxiliar do príncipe puxou o capacete do vencedor

um auxiliar do príncipe puxou o capacete do vencedor IMPELIDO: impulsionado INVESTIU: atacou DE SÚBITO:

IMPELIDO: impulsionado INVESTIU: atacou DE SÚBITO: repentinamente, inesperadamente ELMO: espécie de capacete que protegia a cabeça nas armaduras antigas

8

Ivanhoé

e, num instante, o rosto de um bonito rapaz de cerca de vinte e cinco anos se mostrou ao público. Rowena precisou sentar-se diante daquela visão.

— Ivanhoé, Wilfred de Ivanhoé! — exclamou ela.

Ivanhoé mal teve tempo de reclamar por ter sua identidade revelada. Assim que recebeu a coroa, caiu desmaiado aos pés da bela moça. Rapidamente,

a armadura do cavaleiro foi retirada e os que estavam em volta dele puderam ver que um golpe de espada havia lhe ferido o peito. A multidão, em POLVOROSA, gritava incessantemente o nome de Ivanhoé, o filho deserdado de Cedric de Rotherwood.

Reconhecendo no rapaz desmaiado o parceiro de seu irmão Ricardo nas Cruzadas, o Príncipe John sentiu um calafrio invadindo-lhe o corpo. Na mesma hora, um de seus conselheiros aproximou-se com um bilhete anônimo.

Alteza, acabaram de jogar este papel aqui no palanque — disse ele.

O

príncipe pegou com avidez o papel nas mãos e leu, escrito em letras

GARRAFAIS, a seguinte mensagem: “CUIDADO, SEU INIMIGO ESTÁ SOLTO!”

— Meu Deus! - disse o príncipe. — Ricardo Coração de Leão está solto!

— Não perca tempo, Alteza — falou um importante membro da Igreja.

— O que devo fazer? — perguntou o inexperiente ASPIRANTE a rei.

— Termine o festival de uma vez. Precisamos reunir o Conselho — respon- deu um de seus auxiliares. — Vamos para York.

A confusão foi geral. O torneio foi dado por terminado antes das últimas

exibições de cavalos de raça e das performances musicais. O povo reclamou, mas foi obrigado a deixar a arena. Cedric, ao ver o filho machucado, teve ÍMPETO de correr até ele e levá-lo

para casa, mas não podia fazer isso. Ele havia prometido aos nobres e ao príncipe que nunca mais se aproximaria do filho que os traíra, indo lutar ao lado do inimigo do príncipe. Já era muito difícil para um anglo-saxão viver entre os normandos, uma vez que os dois povos não se davam bem. O fato de o Cavaleiro Deserdado ter dedicado sua vitória aos “ingleses de verdade” havia enfurecido os invasores da Inglaterra. Cedric temia por sua vida e pela do filho, caso voltasse atrás e o recebesse em casa novamente. No entanto, sua preocupação era imensa. Assim que conseguiu vencer a multidão e chegar até Rowena, perguntou, desesperado, à sua protegida:

— Onde está ele, Rowena? Onde está ele?

POLVOROSA: tomada de grande agitação GARRAFAIS: de tamanho superior ao habitual; grandes, graúdas ASPIRANTE: alguém que pretende, que deseja ardentemente alguma coisa ÍMPETO: impulso, precipitação

9

graúdas ASPIRANTE: alguém que pretende, que deseja ardentemente alguma coisa ÍMPETO: impulso, precipitação 9

Coleção Aventuras Grandiosas

— Isaac de York e sua filha Rebecca o levaram para casa — respondeu ela.

— Isaac, o judeu? Por que ele faria isso?

— Rebecca insistiu. Eles têm uma pequena casa aqui em Ashby. Ela tem

algum conhecimento de medicina e vai cuidar dele. Foi o melhor para Ivanhoé; os homens do príncipe poderiam querer prendê-lo e ele estava perdendo sangue.

Na casa de Isaac, Ivanhoé passou a noite toda delirando e queimando em febre. Rebecca desempenhou o papel da mais ZELOSA enfermeira que já existiu.

Limpou o ferimento do rapaz e envolveu-o em cobertores para que a febre o fizesse suar e eliminar todas as impurezas do corpo. De manhã, quando abriu os olhos, Ivanhoé não sabia o que tinha acontecido.

— Calma — disse Rebecca. — Você está em segurança e, pelo que vejo,

irá recuperar a saúde depressa. Ela contou-lhe o que tinha se passado, pois Ivanhoé não se lembrava de

nada após ter derrubado Bois-Guilbert na arena. A boa moça explicou também que eles deveriam partir para York o mais rápido possível. Ela havia escutado que era lá que o príncipe e seus conselheiros estavam planejando um encontro para arquitetar outra investida contra o Rei Ricardo.

— O rei está solto? — perguntou o rapaz.

— Foi o que se ouviu depois da luta. As comemorações do final do torneio

foram até canceladas para apressar a reunião do Conselho. Isaac e Rebecca esperaram até o fim da tarde, assim Ivanhoé teve mais tempo para se fortalecer. Ao cair da noite, junto com alguns empregados, deixa- ram Ashby e saíram cavalgando pelo meio da floresta a caminho de York.

5. Ataques na floresta

Assim como Isaac, Rebecca e Ivanhoé, os anglo-saxões Cedric, Athelstane e Rowena também abriam caminhos pela floresta. Isaac era nascido em York. Ele possuía uma mansão na cidade. Cedric e Rowena moravam em Rotherwood. Estavam viajando para York em busca de informações sobre Ivanhoé e sobre as decisões do Conselho. Athelstane ainda estava muito abalado pela derrota no torneio, mas quis acompanhar sua amada de perto durante o trajeto. Os dois grupos cavalgavam por terrenos difíceis, atravessavam riachos e andavam sobre pedras roliças. Cerca de duas horas depois de terem partido, Rowena escutou alguma coisa.

sobre pedras roliças. Cerca de duas horas depois de terem partido, Rowena escutou alguma coisa. ZELOSA:

ZELOSA: cuidadosa

10

Ivanhoé

— Esperem — disse ela. — Acho que ouvi vozes.

Todos pararam. Ficaram alguns minutos em silêncio até que Cedric man- dou seu empregado Wamba ir um pouco mais à frente verificar o local. Wamba era um VALETE que trabalhava para Cedric desde criança. Ele caminhou alguns passos pelo mato e ficou À ESPREITA, atrás de uma árvore. De repente, uma

pessoa aproximou-se por trás dele e tampou-lhe a boca. Wamba quase desmaiou de susto. Olhou para trás e

— Gurth! — disse ele. — É você, que alívio!

Gurth era um guardador de porcos, amigo de Wamba há tempos. Traba-

lhava para Ivanhoé desde que o bravo cavaleiro havia sido deserdado pelo pai. Ajudara Rebecca a carregá-lo, ferido, até a casa de Isaac em Ashby no dia anterior.

— O que está acontecendo, Gurth? — perguntou Wamba.

— Estávamos indo para York quando fomos atacados. O senhor Isaac,

Rebecca e meu patrão estão presos. Os outros empregados e eu conseguimos fugir. Neste momento, ouviu-se um grito. Wamba e Gurth correram para espiar

e assistiram Rowena, Cedric e Athelstane serem arrastados pelos normandos. O

valete e o guardador de porcos fugiram assustados, temendo cair nas garras dos bandidos também. Os dois corriam em velocidade pela mata, quando levaram um enorme susto.

— Parem! — gritou um homem vestido de verde, armado com arco

e flecha. A flecha estava apontada para eles, por isso Wamba e Gurth tiveram que interromper a corrida.

— Quem é você? — perguntou Gurth.

— Acalmem-se. Meu nome é Locksley. Sou inglês de corpo e alma e

estou aqui para ajudá-los. Os dois acalmaram-se e o rapaz baixou o arco.

— Vi seus patrões e amigos serem capturados e sei bem que os bandidos

que o fizeram são amigos do Príncipe John. São nobres da Normandia e cavaleiros

templários das Cruzadas.

— O que vão fazer com os presos? — perguntou Wamba.

— Eles costumam mantê-los no castelo de um dos cavaleiros, Reginald

Fronte-de-Boeuf. É um dos maiores castelos de York. Precisamos entrar lá antes

que aqueles bárbaros enforquem seus amigos.

VALETE: bobo da corte, comediante À ESPREITA: de atalaia; em observação ou espreitando, a fim de avistar

11

VALETE: bobo da corte, comediante À ESPREITA: de atalaia; em observação ou espreitando, a fim de

Coleção Aventuras Grandiosas

— Enforcar? O que vamos fazer? Somos só três contra um exército inteiro de normandos — disse Wamba. — Venham comigo - chamou Locksley. Os três percorreram cerca de dois quilômetros a pé até chegarem a uma clareira. Lá estavam muitos amigos de Locksley, anglo-saxões que viviam escondi-

dos para não ter que aceitar a opressão estrangeira. Todos foram logo informados da situação e, rapidamente, organizaram-se em grupos para atacar o castelo de Fronte-de-Boeuf.

O que ninguém esperava era que houvesse mais alguém entre eles. Um

barulho de folhas secas saiu do mato e todos apontaram seus arcos naquela direção. Um homem com armadura preta cobrindo todo o seu corpo e rosto saiu da floresta.

— O Cavaleiro Negro do festival de Ashby! — exclamou Locksley.

— Sim, sou eu mesmo, amigos. Por favor, baixem seus arcos, eu não pre- tendo fazer-lhes mal nenhum.

— O que faz aqui? — perguntou Locksley.

— Quero ajudá-los a recuperar aqueles que estão presos no castelo. Vi

tudo de trás de uma árvore.

— E por acaso você é cidadão inglês? Um inglês capaz de lutar de verdade? Ou será que sua coragem fica só dentro de uma arena?

— Ninguém tem mais amor pela Inglaterra e maior preocupação com a

vida dos ingleses do que eu. Darei meu sangue se for preciso.

— Neste caso, sigamos viagem sem demora. Precisamos salvar o senhor

Cedric, Rowena e os outros. A Lua estava tão cheia, que ofuscava o brilho das estrelas e iluminava o caminho dos homens. Montados agora em cavalos, eles disparavam pelas PICA- DAS a caminho de York.

6. O plano

Dentro do castelo, Isaac fora preso no CALABOUÇO. Rebecca e Ivanhoé foram colocados em uma cela no alto de uma torre. O rapaz ainda precisava dos cuidados da moça, por isso ela implorou para seus captores que os deixassem juntos até Ivanhoé melhorar completamente. Cedric e Athelstane foram separa-

melhorar completamente. Cedric e Athelstane foram separa- PICADA: atalho estreito CALABOUÇO: prisão

PICADA: atalho estreito CALABOUÇO: prisão subterrânea; cárcere, lugar úmido e sombrio

12

Ivanhoé

dos de Rowena. A bela “Rainha do Amor e da Beleza” foi CORTEJADA por um dos nobres amigos do príncipe. Além de o homem parecer-lhe ASQUEROSO, Rowena só conseguia pensar em Ivanhoé. Ela não imaginava que ele estava na torre ao lado, sob os cuidados da filha de Isaac. Do lado de fora, Locksley e o Cavaleiro Negro traçaram um plano. Seguin-

do as orientações deles, Wamba aproximou-se do castelo. Ele vestia um manto escuro com capuz. Os outros homens esconderam-se nas REDONDEZAS.

— Alto lá! Quem é você? — perguntou um guarda, assim que viu a figura de Wamba chegar em um dos portões.

— Que a paz do Senhor esteja convosco — disse o valete. — Sou apenas

um irmão da Ordem de São Francisco. Tenho a missão de trazer conforto aos

prisioneiros deste castelo.

— Como assim? O que quer? — insistiu o guarda.

— Desejo apenas conversar com aqueles que se encontram presos. É preciso levar ALENTO às suas almas, afinal, em breve todas elas terão ido para

o céu.

O guarda olhou desconfiado, depois chamou outro guarda, que, por sua

vez, entrou no castelo e trouxe autorização de um dos nobres para levar o suposto monge até Cedric e Athelstane. Assim que ficou sozinho com os prisioneiros na cela, Wamba tirou o capuz.

— Meu caro valete! — exclamou Cedric.

— Não temos tempo, senhor — disse Wamba. — Troque de roupa comigo

e saia do castelo em meu lugar. Lá fora há um verdadeiro exército de ingleses para

nos ajudar. O senhor sabe onde está Rowena e os outros prisioneiros?

— Outros prisioneiros?

— Sim, o judeu Isaac e sua filha Rebecca estão presos. E

e também

seu filho, senhor.

— Ivanhoé? Meu Deus! Sim, eu acho que sei onde eles estão. Ouvi cor-

rentes subindo a torre vizinha e também escutei vozes vindas do calabouço, que fica bem embaixo de onde estamos.

— Então vá lá fora e avise nossos homens.

— Wamba, nunca vou esquecer esse seu gesto. Você está arriscando sua

vida para me salvar. Prometo que vou lutar até o fim para que todos saiam vivos daqui. Não permitirei que normando nenhum enforque um de nós.

CORTEJADA: paquerada, galanteada ASQUEROSO: nojento REDONDEZA: arredores, locais próximos ALENTO: conforto, consolo

13

paquerada, galanteada ASQUEROSO: nojento REDONDEZA: arredores, locais próximos ALENTO: conforto, consolo 13

Coleção Aventuras Grandiosas

Quando Cedric saiu caminhando, vestido de monge franciscano, um frio percorreu-lhe a espinha. “Será que conseguirei chegar a salvo até o portão do castelo?”, pensou. Ao mesmo tempo que andava rápido, olhava tudo atenta- mente. De repente, um voz feminina o chamou baixinho.

— Senhor Cedric.

Ele não ousou virar para trás e seguiu caminhando, mas a voz insistiu:

— Senhor, por favor, sou Ulrica, filha do falecido Torquil Wolfganger.

Cedric fora reconhecido mesmo naqueles trajes. Ulrica era filha de seu velho amigo anglo-saxão. Ela casara-se, muito apaixonada, com o normando Reginald Fronte-de Boeuf, cavaleiro templário e dono do castelo onde estavam. Depois do casamento, no entanto, Fronte-de-Boeuf pareceu ter perdido a SANIDADE. Matou o pai de Ulrica e mantinha-a prisioneira dentro de casa já havia doze anos.

— Vamos atacar o castelo, Ulrica — disse Cedric.

— Farei o que puder para ajudar. Preciso vingar a morte de meu pai — respondeu.

7. Batalha no castelo

Assim que Cedric saiu, uma enorme agitação ocorreu do lado de dentro.

— Um prisioneiro fugiu! O anglo-saxão fugiu! — gritou o guarda da torre.

Imediatamente, uma verdadeira muralha de normandos colocou-se nos portões. Cedric mal teve tempo de informar seus defensores sobre os caminhos que deveriam percorrer para chegar aos prisioneiros. Era preciso atacar logo, ou perderiam a oportunidade de entrar no castelo. Uma chuva de flechas foi lançada pelos ares, indo parar na parte de den-

tro das muralhas. O primeiro ataque foi REVIDADO e os ingleses precisaram desviar rapidamente das flechas normandas. Do alto da torre, Ivanhoé escutou a agitação e conseguiu escalar a parede de pedras até alcançar uma janela mínima dentro da cela.

— Por favor, Ivanhoé, você ainda está muito fraco. Não deve fazer ne-

nhum tipo de esforço ou meus cuidados terão sido em vão — pediu Rebecca.

— Os ingleses estão lutando, cara Rebecca. Os verdadeiros ingleses estão

lutando para nos salvar! Ainda sinto dores terríveis no peito, mas preciso me

Ainda sinto dores terríveis no peito, mas preciso me SANIDADE: normalidade física e psíquica, saúde mental

SANIDADE: normalidade física e psíquica, saúde mental REVIDADO: respondido, vingado com um ataque maior

14

Ivanhoé

equilibrar aqui na janela o máximo que puder. Quero assistir a tudo e torcer! Eu daria minha vida para estar lá fora! Do alto da torre, Ivanhoé viu quando o Cavaleiro Negro fez uma FENDA comprida em um dos muros e entrou no castelo, seguido por vários homens. Ele EMPUNHAVA um machado, com o qual enfrentava Fronte-de-Boeuf pessoalmente. Normandos e ingleses feriam-se e vários caíam mortos, mas cada vez mais ingle- ses adentravam o castelo.

— Eles vão conseguir, Rebecca, eles vão conseguir! — gritava Ivanhoé. — Meu Deus! Ele caiu!

— Quem? Pelo amor de Deus, quem? — implorava Rebecca.

— O Cavaleiro Negro. Espere

ele

ele conseguiu se levantar!

Nesta hora, o Cavaleiro Negro deu um impulso do chão e pulou em direção

à Fronte-de-Boeuf, cravando-lhe uma machadada certeira. Sangue brotou da ar-

madura do templário. Vários nobres vieram de dentro da casa com espadas apon- tando para o Cavaleiro Negro, que precisou recuar. Fronte-de-Boeuf foi arrastado, morto, para dentro. De volta ao lado de fora, o Cavaleiro Negro conseguiu, junto com outros guerreiros, derrubar o portão principal, fazendo com que a multidão de ingleses que ainda estava fora do castelo conseguisse invadir a FORTALEZA normanda definitivamente. A luta cessou por alguns instantes, pois os combatentes precisavam reor-

ganizar suas estratégias. Ivanhoé, completamente exausto e dolorido, quase des- pencou do alto da janela onde tentara se equilibrar durante todo o tempo. Rebecca

o fez deitar e o rapaz adormeceu rapidamente.

8. Fogo!

Pouco tempo depois da invasão, enquanto o grupo atacante ainda tenta-

va resolver o que fazer para salvar os prisioneiros, ouviu-se um berro estridente saindo de dentro do castelo.

— Fogo! O castelo está em chamas!

Imediatamente, vários soldados normandos correram em direção ao portão

FENDA: abertura estreita EMPUNHAVA: segurava FORTALEZA: fortificação, forte, castelo

15

em direção ao portão FENDA: abertura estreita EMPUNHAVA: segurava FORTALEZA: fortificação, forte, castelo 15

Coleção Aventuras Grandiosas

lateral para tentar fugir. Abriram o cadeado e correram para a floresta. O fogo avançava rápido, queimando tudo o que encontrava pela frente. Um dos nobres, desesperado, gritou aos soldados:

— Vão fugir agora e nos deixar aqui com os ingleses? Covardes! Traidores!

Livre da maior parte dos inimigos, o local ficou mais propício para o resgate dos presos, mas os ingleses precisavam agir rápido, ou morreriam queimados. O primeiro a entrar no castelo atrás de sua protegida foi Cedric.

Encontrou Rowena em um quarto, sentada no chão, assustada. Levou-a para o lado de fora do castelo e voltou atrás de Wamba e Athelstane. Os dois não estavam mais na cela. Eles haviam conseguido fugir. Sem saber que a moça estava a salvo, Athelstane procurava sua amada Rowena pelo meio da fumaça que invadia todos os cômodos. Wamba encontrara Gurth e fora, junto com o amigo guardador de porcos, tirar o judeu Isaac do calabouço. Vendo que não conseguiria chegar até Ivanhoé, Cedric correu até o Cava- leiro Negro e pediu:

— Pelo amor de Deus, salve meu filho. Ele deve estar preso em alguma torre.

Na saída do castelo, Cedric viu Ulrica. Ela estava de cabelos soltos, parada perto de uma janela, observando o fogo avançar. O velho anglo-saxão chamou

por ela, gritou seu nome com força. Ulrica aproximou-se e disse:

— Eu não falei que podiam contar comigo? Fui eu que coloquei fogo

neste lugar que aprendi a odiar.

— Venha comigo, salve sua vida, vamos — falou Cedric, puxando-a pelo braço. Ulrica DESVENCILHOU-SE das mãos de Cedric e caminhou para o interior do castelo, dizendo:

— Não sei mais o que é viver do lado de fora.

Impressionado, mas sem tempo para ir atrás dela, Cedric saiu correndo

no exato momento em que o teto daquele cômodo despencou. O Cavaleiro Negro escalou a torre principal atrás de Ivanhoé. Chamou pelo nome dele várias vezes, mas não teve resposta. De repente, o Cavaleiro Negro ouviu um grito de mulher e uma voz dizendo:

— Salve-se, Rebecca, salve-se.

Identificando o local de onde vinham os sons, o bravo cavaleiro enfrentou

a fumaça e as chamas e conseguiu chegar onde Ivanhoé estava preso, amarrado ao pé de uma cama no alto da torre.

— Cavaleiro Negro! Você novamente chegou para me salvar! — exclamou

o jovem Cavaleiro Deserdado, mal conseguindo falar, tamanha a dor que ainda

sentia no ferimento causado durante o torneio.

a dor que ainda sentia no ferimento causado durante o torneio. DESVENCILHOU-SE: soltou-se, livrou-se, desprendeu-se 16

DESVENCILHOU-SE: soltou-se, livrou-se, desprendeu-se

16

Ivanhoé

— Quem lhe amarrou assim? — perguntou o cavaleiro, desatando o rapaz e colocando-o nas costas, a fim de descer as escadas mais rápido. — Brian de Bois-Guilbert, o templário que eu derrotei no torneio. Ele levou Rebecca com ele e prendeu-me aqui para eu morrer no incêndio. Do lado de fora, Bois-Guilbert subiu em seu cavalo, levando Rebecca na frente dele e segurando uma espada em uma das mãos. Athesltane, vendo aquela cena, imaginou que a donzela seqüestrada era Rowena. Pegou a espada de um soldado morto e um cavalo que andava de um lado para o outro sem saber como escapar do fogo e partiu atrás do templário. Bois-Guilbert, percebendo que estava sendo perseguido, deu uma GUINADA com o cavalo e acertou sua espada diretamente na cabeça de Athelstane. O jovem anglo-saxão caiu morto imediatamente. Minutos depois da saída do Cavaleiro Negro e de Ivanhoé do castelo, as torres começaram a despencar uma a uma. O fogo durou a noite inteira, mas, felizmente, RESTRINGIU-SE a queimar somente a área entre as muralhas, não se ALASTRANDO pela floresta.

9. Rebecca está em apuros

Longe do incêndio, os ingleses encontraram-se na floresta. Como eram pessoas simples e pobres, viviam de doações, de pequenos furtos e daquilo que conseguiam encontrar na mata e nos arredores da cidade. Inconformados com o domínio normando, moravam na floresta para não se sujeitarem à escravidão imposta pelos estrangeiros. Alguns conseguiram saquear algumas coisas de dentro do castelo antes de fugirem do fogo. Sentados em volta de uma fogueira, eles agora dividiam o ESPÓLIO reunido. Ivanhoé fora levado pelo Cavaleiro Negro até um mosteiro próximo. Os monges cuidariam dele e o jovem só deveria sair de lá quando estivesse comple- tamente recuperado dos ferimentos no peito. Depois disso, o bravo homem de preto foi até a clareira onde os ingleses comemoravam o grande resgate dos prisioneiros de dentro da fortaleza de Fronte- de-Boef. Ao chegar, cumprimentou Cedric e Rowena, que partiam para Rotherwood.

GUINADA: virada RESTRINGIU-SE: limitou-se ALASTRANDO: espalhando ESPÓLIO: despojo, resto

17

para Rotherwood. GUINADA: virada RESTRINGIU-SE: limitou-se ALASTRANDO: espalhando ESPÓLIO: despojo, resto 17

Coleção Aventuras Grandiosas

— Adeus, Cavaleiro Negro. Não sei como lhe agradecer por tudo o que

fez por nós - disse Cedric. — Sei que o senhor deixou meu filho em boas mãos.

— Em breve farei-lhes uma visita em Rotherwood — respondeu o cavaleiro.

— Assim poderá me retribuir o favor. Tenho um pedido a lhe fazer, mas só o revelarei quando chegar a hora.

— Nós o aguardaremos com ansiedade. Agora Rowena e eu passaremos

alguns dias no castelo da família do pobre Athelstane. Após as cerimônias fúne-

bres, voltaremos para nossa casa.

— Sendo assim, boa viagem. Por enquanto, peço apenas sua permissão

para levar seu empregado Wamba comigo, caro Cedric. Preciso de alguém para me acompanhar em uma viagem e creio que ele pode ser esta pessoa.

— Não há problema nenhum nisso — respondeu o velho anglo-saxão. — Wamba é fiel e digno. Leve-o consigo e estará protegido.

— Obrigado e, mais uma vez, viajem em paz.

Locksley e seus companheiros insistiram para que o Cavaleiro Negro pegasse um pouco das coisas adquiridas dentro do castelo, mas ele recusou a oferta.

— Agradeço, mas vocês precisam destas coisas mais do que eu. Ajudei-

os por princípios. Nenhum coração inglês há de sofrer enquanto eu puder fazer

alguma coisa por ele — disse o cavaleiro.

— Aceite, então, esta corneta. Se precisar de nossa ajuda, toque-a com

força e ouviremos seu som ECOANDO através das árvores — disse Locksley. O Cavaleiro Negro aceitou e agradeceu. Depois de se despedir, partiu levando Wamba junto com ele. Os dois foram em direção ao mosteiro onde Ivanhoé estava.

— Vou levar Ivanhoé até Cedric, Wamba — disse o Cavaleiro Negro. — É

meu dever fazer a reconciliação entre pai e filho. Enquanto isso, Rebecca fora levada por Bois-Guilbert até o grande castelo dos cavaleiros templários. Desesperado, Isaac resolveu ir até lá para tentar pagar um resgate pela liberdade de sua filha. Ele sabia que os templários tinham um prazer especial em perseguir judeus. Mesmo sabendo que corria o risco de ser morto, foi atrás de Rebecca. Chegando lá, SUBORNOU um guarda e foi levado à presença do Grande Mestre de todos os templários. Era um homem de barba branca e com bastante idade, mas seu olhar tinha uma marca forte e IMPIEDOSA.

idade, mas seu olhar tinha uma marca forte e IMPIEDOSA . ECOANDO: soando, ressoando, repercutindo ou

ECOANDO: soando, ressoando, repercutindo ou se reproduzindo no ar SUBORNOU: deu dinheiro para conseguir alguma coisa IMPIEDOSA: que não tem piedade

18

Ivanhoé

— O que faz aqui, Isaac de York? — perguntou o velho cavaleiro.

— Vim em busca de minha filha.

— Sua filha está aqui, no castelo dos templários?

— Sim, Grande Mestre. Brian de Bois-Guilbert a seqüestrou durante o incêndio entre as muralhas de Fronte-de Boef.

O Mestre mandou um empregado investigar se o que dizia Isaac era ver-

dade. Não era admitida a presença de mulheres dentro do castelo dos guerreiros

das Cruzadas. Assim que o serviçal voltou com a confirmação dos fatos, o Grande Mestre enfureceu-se.

— Sua filha só pode ser uma bruxa! — gritou. — Ela enfeitiçou Bois-

Guilbert!

— Caro Mestre, Rebecca é apenas uma CURANDEIRA. Ela aprendeu a arte

da medicina com Míriam, a famosa sábia judia — disse Isaac.

— Míriam, a feiticeira? Míriam morreu na fogueira e é assim que sua filha

irá morrer. Ela não pode sair por aí enfeitiçando um cavaleiro do Templo Sagrado.

Isaac foi ESCORRAÇADO do castelo e Rebecca foi chamada à presença do Grande Mestre. Bois-Guilbert também estava lá, juntamente com os PRECEPTORES dos templários.

— Brian de Bois-Guilbert, é verdade que você seqüestrou esta moça e trouxe-a para cá? - perguntou o Grande Mestre.

O jovem guerreiro não respondeu e baixou a cabeça, envergonhado.

— Estão vendo? — perguntou o Mestre aos preceptores. — Este não é o

comportamento de um cavaleiro do Templo. Ele foi enfeitiçado por esta bruxa e

por isso ela deverá morrer na fogueira!

— Concordo — disse um dos preceptores —, mas acredito que ela

tenha direito a um julgamento. Rebecca então foi informada de que seria julgada. Se condenada, morre- ria queimada por ter utilizado seus poderes do além contra um cavaleiro templário.

Sem derramar uma lágrima e com o olhar fixo no rosto do Grande Mestre, a doce moça falou:

— Não preciso de um julgamento.

— Prefere morrer sem defesa, feiticeira INSOLENTE? — perguntou o Mestre.

— Quero ter o direito de me defender através de uma batalha — respon- deu a moça.

CURANDEIRA: pessoa que cura sem título nem habilitações ESCORRAÇADO: afugentado, expulso, rejeitado PRECEPTORES: mestres, mentores, professores INSOLENTE: atrevida, arrogante, desaforada, ousada

19

rejeitado PRECEPTORES: mestres, mentores, professores INSOLENTE: atrevida, arrogante, desaforada, ousada 19

Coleção Aventuras Grandiosas

— Muito bem — disse o Mestre. — Sou cavaleiro e soldado desde criança.

Nunca recusarei uma luta. A senhorita terá no máximo três dias para conseguir

alguém disposto a enfrentar Bois-Guilbert. Mesmo enfeitiçado, ele não pode ter perdido sua bravura. Se Bois-Guilbert vencer, a fogueira estará pronta para queimá- la. Caso contrário, o que eu acho muito improvável, nós a libertaremos.

— Preciso escrever uma carta a meu pai, pois é ele quem deverá conseguir um defensor para mim.

— O velho Isaac? — perguntou o Mestre, dando uma boa gargalhada. —

Está bem, escreva a carta. Vamos ver que tipo de homem aquele judeu irá arrumar

para lutar contra um cavaleiro do Templo.

10. Uma importante revelação

Dentro do mosteiro, Ivanhoé recuperou prontamente suas forças. Despe-

diu-se dos monges e, tendo Gurth como companhia, partiu para a floresta. Um dos monges ainda tentou alertá-lo:

— Meu jovem, você não deve sair assim. Lembre-se de que o Cavaleiro Negro virá buscá-lo.

— Agradeço a preocupação, amigo, mas é justamente porque temo pela

segurança do Cavaleiro Negro que desejo ir à sua procura. Sinto que ele possa estar EM APUROS. De fato, Ivanhoé tinha certa razão em se preocupar. A caminho do mos- teiro, Wamba e o Cavaleiro Negro foram atacados por sete homens vestidos com armaduras. Wamba caiu do cavalo e fingiu-se de morto, deixando o Cavaleiro Negro sozinho na luta contra os atacantes. Espadas tocavam-se no ar, cavalos relinchavam, enquanto o bravo homem de negro abatia um a um, tentando ao mesmo tempo ESQUIVAR-SE dos golpes que sofria. Wamba aos poucos arrastou-se para trás de uma árvore e viu a corneta, presente dos ingleses da floresta, jogada no chão. Ela provavelmente caíra em função da luta. Imediatamente, tocou-a com toda força. Cerca de três minutos depois, um verdadeiro exército comandado pelo jovem Locksley apareceu para ajudar o Cavaleiro Negro. O ataque terminou em segundos, com seis homens mortos e um bastante machucado. — Você está bem, Cavaleiro Negro? — perguntou Locksley.

Você está bem, Cavaleiro Negro? — perguntou Locksley. EM APUROS: em situação difícil, em angústia, em

EM APUROS: em situação difícil, em angústia, em miséria ESQUIVAR-SE: escapar, livrar-se, safar-se

20

Ivanhoé

— Sim, só um pouco cansado. Agora me ajudem a tirar o elmo deste

Cavaleiro Azul ferido aos meus pés. Quero saber quem me atacou assim, de repente, no meio da mata.

O único dos atacantes sobreviventes, e que vestia uma armadura toda

azulada, era Waldemar Fitzurse, antigo amigo do Cavaleiro Negro.

— Meu Deus, como pude ser atacado pelas costas desta maneira? Meu

próprio amigo tentou me matar

Vamos acabar com ele! — gritou uma voz, que logo se transformou em

um coro.

Esperem! — pediu o Cavaleiro Negro. — Dêem a este homem um cavalo

e deixem-no ir. Suma daqui, Fitzurse, desapareça da Inglaterra e nunca mais ponha os pés em solo inglês. Os homens de Locksley não concordaram e estavam prestes a acabar com

a vida do traidor, quando o Cavaleiro Negro gritou:

— Ordeno que cumpram a minha vontade, cavaleiros. Não é com mais sangue que resolveremos esta situação.

— E quem é você para nos dar ordens? — perguntou uma voz.

Nesta hora, o Cavaleiro Negro tirou o capacete, revelando:

— Sou Ricardo Coração de Leão, o rei da Inglaterra.

Todos se ajoelharam e deixaram o Cavaleiro Azul partir.

— Também tenho uma revelação a fazer, grande rei — disse Locksley.

— Então faça-o, amigo — pediu o rei Ricardo.

— Meu verdadeiro nome é Locksley, mas sou conhecido na floresta como

Robin Hood, o rei dos ladrões.

— Sim, já ouvi falar de Robin Hood, aquele que rouba dos ricos para dar

aos pobres. Não sou totalmente a favor dos seus métodos, Robin Hood, mas

reconheço que, como eu, você também quer o bem-estar e a felicidade dos

ingleses. Garanto-lhe que não sofrerá nenhuma punição enquanto eu for o rei da Inglaterra. Juntos, conseguiremos REAVER a paz neste reino. Neste momento, Ivanhoé apareceu galopando a toda velocidade junto com Gurth. Eles ouviram o som das espadas e da corneta de longe e vieram o mais rápido que puderam.

— O que está acontecendo? Rei Ricardo? O senhor é o Cavaleiro Negro?

— perguntou o jovem, atônito. Depois de tudo explicado, o rei aceitou fazer uma refeição junto com os homens que o salvaram. Reunidos, fizeram uma fogueira, assaram um porco-do-mato, cantaram

e contaram histórias da floresta. Ivanhoé, ainda confuso com as novidades, perguntou:

REAVER: recobrar, recuperar

21

e contaram histórias da floresta. Ivanhoé, ainda confuso com as novidades, perguntou: REAVER: recobrar, recuperar 21

Coleção Aventuras Grandiosas

— Rei Ricardo, por que o senhor ainda não foi tomar seu lugar no palácio real?

— Caro Ivanhoé, é preciso ter paciência. Estou aguardando o momento

certo de derrubar os traidores que me tiraram o poder. Entre eles está meu irmão, um homem que envergonha toda a nação inglesa com sua tirania. Não pretendo fazer mais ninguém pegar em armas, por isso espero a hora adequada para retomar

o trono que me pertence.

11. O perdão

Na manhã seguinte, o Rei Ricardo Coração de Leão, Ivanhoé, Gurth e Wamba despediram-se de Robin Hood e de seus homens para dirigirem-se ao castelo de Coningsburgh, pertencente à família de Athelstane. Ao entrarem no local onde o antigo noivo de Rowena estava sendo vela-

do, viram diversas famílias anglo-saxãs tradicionais. Algumas pessoas choravam, outras consolavam os pais do jovem morto. Athelstane estava dentro de um cai- xão aberto, no centro da sala principal do castelo.

O rei colocou sua armadura de Cavaleiro Negro e ordenou que Ivanhoé

cobrisse a cabeça com um capuz. Entre os anglo-saxões poderia haver um ou outro normando DELATOR, que fosse contar ao príncipe sobre a presença do filho de Cedric no velório. Depois de percorrerem toda a parte térrea do castelo de Coningsburgh,

o rei finalmente localizou Cedric e Rowena sentados em um sofá de uma saleta

CONJUGADA.

— Cavaleiro Negro, o senhor veio antes do que imaginávamos! É uma

pena não poder recebê-lo em minha própria casa. Seja bem-vindo a Rotherwood.

Vim pedir o favor do qual lhe falei dias atrás.

Por favor, peça o que quiser.

O

Cavaleiro Negro então tirou o capacete e mostrou sua verdadeira iden-

tidade, causando enorme espanto em Cedric e Rowena.

 

É na verdade um pedido do próprio rei da Inglaterra este que tenho

a

lhe fazer.

— Tenho certeza de que o atenderei imediatamente, Majestade — disse Cedric, REVERENCIANDO o rei.

Majestade — disse Cedric, REVERENCIANDO o rei. DELATOR: aquele que delata, denuncia CONJUGADA: ligada,

DELATOR: aquele que delata, denuncia CONJUGADA: ligada, unida (no caso, à sala principal) REVERENCIANDO: fazendo reverência, saudando, cumprimentando respeitosamente, obedecendo, acatando, respeitando

22

Ivanhoé

O rei então aproximou-se do jovem de cabeça coberta e tirou-lhe o capuz.

— Desejo que perdoe seu filho, Cedric. É minha obrigação dizer-lhe que

o jovem Wilfred de Ivanhoé é um dos mais bravos guerreiros que já existiram. Ele

não pode ser punido por ter ajudado o rei de seu país nas Cruzadas à Terra Santa. Com lágrimas nos olhos, Cedric falou:

Eles vão me matar. Jurei que

nunca mais aceitaria meu filho de volta. Eles consideram Ivanhoé um traidor.

— Estou mais perto de voltar ao trono do que imagina, caro Cedric. Não

é preciso temer nenhuma REPRESÁLIA por parte daqueles que me derrubaram, pois eles em breve serão DEPOSTOS.

Rowena chorou de alegria ao ver Ivanhoé são e salvo. Cedric correu para abraçar o filho RENEGADO durante tanto tempo.

— Majestade, mas

e os normandos

?

— Perdoe-me, pai — implorou Ivanhoé.

— Tem meu perdão e é de coração aberto que o concedo, filho —

respondeu Cedric. Neste momento, ouviu-se um grito vindo da sala principal. Algumas mu- lheres desmaiaram de susto, pois ninguém menos do que Athelstane levantou do

caixão e pôs-se a caminhar pelo castelo sem entender o que estava acontecendo.

— Meu Deus! — exclamou Wamba. — Eu mesmo o vi cair morto depois

do golpe que recebeu de Bois-Guilbert. Atordoado, Athelstane explicou que a espada de Bois-Guilbert havia pego de raspão em sua cabeça, jogando-o violentamente ao solo. Todos deduziram que ele tinha ficado desacordado durante três dias, até a hora em que se viu deitado em um caixão no meio da sala de sua casa. Emocionados, os velhos pais do rapaz o abraçaram. Outros convidados abriram garrafas de vinho para comemorar o fato de não precisarem mais velar ninguém. Athelstane foi apresentado ao rei Ricardo, a quem jurou fidelidade. Ao ver Rowena e Ivanhoé perto um do outro, Athelstane foi falar com

Cedric:

— Amo demais Rowena, por isso mesmo quero a felicidade dela. Sei

que ela gosta de Ivanhoé e que seríamos ambos infelizes se nos casássemos.

— Caro Athelstane, prometi a mão de Rowena a você — disse Cedric.

— Desde que acordei, pareço ter me dado conta de muitas coisas. Não quero me casar com Rowena. Ela e Ivanhoé pertencem um ao outro.

REPRESÁLIA: vingança, retaliação, desforra DEPOSTOS: tirados de posição elevada, postos abaixo, destituídos do cargo RENEGADO: rejeitado, desprezado

23

DEPOSTOS: tirados de posição elevada, postos abaixo, destituídos do cargo RENEGADO: rejeitado, desprezado 23

Coleção Aventuras Grandiosas

Em meio às comemorações do retorno do jovem anglo-saxão à vida,

ouviu-se uma forte batida na porta do castelo. Um empregado abriu a porta e a figura exausta e desesperada de Isaac surgiu diante dos convidados.

— Vim em busca do cavaleiro Wilfred de Ivanhoé. Minha filha Rebecca corre perigo — falou, antes de cair desacordado. Algumas pessoas rapidamente fizeram o velho judeu voltar a si dando-lhe comida e bebida. Depois de explicar tudo ao Rei Ricardo

Coração de Leão, que agora já havia revelado sua identidade a todos os presentes, Isaac pediu:

— Por favor, façam alguma coisa. Minha filha será queimada viva se não

se apressarem Menos de uma hora depois de o jovem Athelstane ter levantado do cai- xão, Ivanhoé e o rei Ricardo partiram a galope, junto com Isaac, Gurth e Wamba, em direção ao castelo dos templários.

12. Um golpe do destino

Durante o trajeto, Ivanhoé distanciou-se dos outros. Galopou com todas as

forças para salvar a donzela que havia cuidado dele com tanta dedicação e a quem ele devia sua própria vida. Mesmo assim, quase chegou tarde demais. No castelo dos templários, havia uma arena formada do lado de fora. Nobres aglomeravam-se em uma pequena galeria. O Grande Mestre estava finamente vestido, sentado em um pequeno trono montado sobre um palanque. Rebecca fora colocada perto da fogueira, que estava prestes a ser acesa. Cerca de seis ALGOZES vestidos de preto rodeavam-na, como se a moça fosse tentar fugir. Bois-Guilbert, montado em um belo cavalo, preparava-se para ver sua ama- da morrer. Ele aproximou-se de Rebecca e sussurrou:

— Suba no cavalo. Vamos fugir daqui, só você e eu. Indignada, a jovem disse apenas:

— Sou inocente!

O Grande Mestre, depois de esperar uma hora por alguém disposto a en- frentar Bois-Guilbert, ordenou que todos se preparassem, pois os males da feiti- ceira seriam reparados.

preparassem, pois os males da feiti- ceira seriam reparados. ALGOZ: pessoa cruel, desumana, que mata ou

ALGOZ: pessoa cruel, desumana, que mata ou aflige outras; carrasco

24

Ivanhoé

— Morra, bruxa sem escrúpulo. É com sua vida que pagará por ter se metido com um cavaleiro do Templo Sagrado.

Rebecca não derramou uma lágrima. Olhou para o Mestre com olhar desa- fiador, o que o deixou ainda mais enfurecido. De repente, um arauto tocou sua corneta e um cavaleiro adentrou a arena, ESBAFORIDO.

— Apresente-se — ordenou o Grande Mestre.

— Sou Wilfred de Ivanhoé, filho de Cedric de Rotherwood. Vim a pedido

de Isaac de York, lutar pela vida de sua filha Rebecca. Um sorriso iluminou o rosto da moça. Bois-Guilbert aproximou-se e disse:

— Recuso-me a lutar contra um cavaleiro cansado, cujo cavalo está obvia-

mente em péssimas condições.

— Lute, seu covarde. Lute ou acabarei com sua reputação! — gritou Ivanhoé. Sem saída e enlouquecido de raiva por ter sido chamado de covarde,

Bois-Guilbert rapidamente se posicionou na arena. O Grande Mestre levantou os braços e mandou que soassem as cornetas.

— Lutem cavaleiros! — gritou ele, jogando no chão as luvas de Rebecca, gesto que significava o sinal para o início da disputa.

Ao se chocarem no centro da arena, um golpe levou o exausto Ivanhoé ao chão. Rebecca deu um grito de desespero. Seu berro foi seguido de outro maior, vindo desta vez da multidão que assistia à luta. Estranhamente, Bois- Guilbert perdera o controle das RÉDEAS e, apesar de não ter sido sequer tocado pela lança de seu oponente, caiu desacordado no centro do solo da disputa. Nesta hora, o Cavaleiro Negro adentrou o local a cavalo e aproximou-se do templário caído.

— Este homem está morto — disse ele, enquanto ajudava Ivanhoé a

se levantar.

— Quem é você? — gritou o Grande Mestre. — Com que direito interfere

neste duelo?

— Sou Ricardo, rei da Inglaterra! — disse ele, tirando o elmo que cobria

seu rosto. — Seu homem morreu aparentemente de um ataque cardíaco, pois

não há nenhum tipo de ferimento em seu corpo. O Grande Mestre ficou sem ação diante do rei, que foi logo ordenando:

— Soltem a moça!

Rebecca correu para os braços do pai, que só agora conseguira chegar

ao castelo.

ESBAFORIDO: ofegante, com a respiração cansada RÉDEA: correia para guiar os cavalos

25

chegar ao castelo. ESBAFORIDO: ofegante, com a respiração cansada RÉDEA: correia para guiar os cavalos 25

Coleção Aventuras Grandiosas

— Grande Mestre dos templários, — continuou o rei — o senhor e seus homens têm apenas duas opções: ficam na Inglaterra sob minhas ordens ou somem daqui para sempre.

O Mestre resolveu partir. O Rei Ricardo Coração de Leão recebeu gritos de

“Viva o rei!” e retomou o trono naquele mesmo dia. Seu irmão, o príncipe John,

foi EXILADO juntamente com todos os homens que faziam parte do Conselho.

A partir daquele dia, o Rei Ricardo declarou que todos os que vivessem

na Inglaterra teriam que respeitá-lo. Normandos e anglo-saxões deveriam viver em paz, sem mágoas e sem nenhum tipo de escravidão. Além disso, todos poderiam falar a língua que escolhessem. Tanto o inglês como o francês seriam permitidos.

13. O casamento e a despedida

Depois de sua heróica atitude de lutar pela vida de Rebecca, Ivanhoé, ao lado do rei, também foi aplaudido pela multidão que assistiu à curta batalha no castelo dos templários. Em função de sua lealdade e bravura, Ricardo Coração de Leão tinha um APREÇO especial pelo jovem cavaleiro. Por causa disso, prometeu a Ivanhoé que faria tudo o que estivesse ao seu alcance para convencer Cedric a permitir o casamento dele com Rowena.

Dias depois de Ricardo reassumir sua posição de rei da Inglaterra, Cedric foi chamado ao palácio real.

— Sente-se, meu caro Cedric — convidou o rei Ricardo, ao receber o velho anglo-saxão em uma sala do castelo.

— O que o senhor, um homem tão ocupado, agora que voltou ao poder,

pode querer com uma pessoa comum como eu, Majestade? — perguntou Cedric.

— Tenho um pedido a lhe fazer.

— Mas Majestade, eu já perdoei meu filho. Eu o fiz de coração.

— Sim, trata-se mais uma vez de seu filho Ivanhoé. É meu dever ajudar o povo desta nação a ser feliz. Por isso, chamei-o aqui.

— Não estou entendendo, Majestade.

— Ivanhoé e Rowena se amam. Sei que a bela moça, sua protegida, tem

um compromisso com o jovem Athelstane, mas eu, como rei da Inglaterra, autori-

o jovem Athelstane, mas eu, como rei da Inglaterra, autori- EXILADO: expatriado, desterrado, banido, degredado

EXILADO: expatriado, desterrado, banido, degredado APREÇO: consideração, estima

26

Ivanhoé

zo-a a desfazer este compromisso, se é que minha autorização vale alguma coisa em questões morais como essa.

— Rei Ricardo, o senhor está me pedindo

— Sim, Cedric, gostaria de ver Ivanhoé e Rowena casados. Ivanhoé será

um cavaleiro da guarda real e eu mesmo faço questão de apadrinhar a união entre eles, se você assim o permitir.

Mas

Athelstane

— Ele não quer mais se casar com Rowena, Cedric. E pelo que sei, já

disse isso a você. Permita que todos sejam felizes, aceite meu pedido.

Cedric curvou-se diante do rei e, cerca de um mês depois, Rowena, a bela “Rainha do Amor e da Beleza”, e o corajoso cavaleiro Wilfred de Ivanhoé casaram-se em uma linda cerimônia. A presença do rei e de outros nobres normandos e anglo-saxões deu ainda mais POMPA às festividades.

Dois dias depois do casamento, Rowena recebeu a visita de Rebecca em sua casa.

— Entre, minha cara Rebecca. Que bom que você veio. Há tempos desejo

retribuir, de alguma forma, toda a dedicação que teve com meu marido.

— Vim me despedir — disse Rebecca.

— Despedir-se? Para onde vai?

— Meu pai tem um irmão na Espanha. Vamos para lá. Este país não é seguro para minha gente.

— Não diga isso, Rebecca. Uma pessoa dedicada como você, que salvou

o cavaleiro Ivanhoé da morte, não precisa temer nada. Além disso, o rei deseja que todos os povos se reconciliem.

— Meu pai e eu estamos de partida.

— Fique, Rebecca. Converta-se ao cristianismo. Eu mesma lhe ensinarei os PRECEITOS de nossa religião. Nós duas poderemos ser como irmãs.

— É demais o que me pede, senhora Rowena. Não posso mudar minha

fé como quem troca de roupa. A partir de agora, vou dedicar a vida aos necessitados. Cuidarei dos doentes, darei comida aos que sofrem de inanição, consolarei os infelizes. Diga isso ao cavaleiro Ivanhoé, se por acaso ele perguntar sobre a pessoa que salvou da morte na fogueira.

POMPA: luxo, gala PRECEITO: ensinamento, doutrina

27

ele perguntar sobre a pessoa que salvou da morte na fogueira. POMPA: luxo, gala PRECEITO: ensinamento,

Coleção Aventuras Grandiosas

Rowena ainda tentou argumentar, mas Rebecca partiu como se o vento a tivesse levado em uma única RAJADA. Sua visita foi tão rápida, que deixou Rowena sem ação. Ivanhoé também ficou impressionado com a atitude de Rebecca e seu pai, mas não havia nada que ele pudesse fazer.

Os obstáculos que durante tanto tempo separaram Rowena e Ivanhoé acabaram por unir ainda mais o jovem casal. Ligados por profundos laços de amor e de carinho, os dois foram muito felizes. Cedric continuou morando em Rotherwood. Os amigos Wamba e Gurth trabalhavam para ele.

Ivanhoé tornou-se um importante cavaleiro do rei. Ele poderia ter recebido ainda mais medalhas e menções honrosas, se o bravo Ricardo Coração de Leão não tivesse morrido, ainda jovem, na batalha do Castelo de Chaluz. Infelizmente, a morte do grande rei também pôs fim a todos os bons projetos iniciados por ele.

também pôs fim a todos os bons projetos iniciados por ele. RAJADA: aumento repentino, temporário e

RAJADA: aumento repentino, temporário e forte da intensidade com que o vento sopra; lufada

28

Ivanhoé

Roteiro de Leitura

1)

Sir Walter Scott era um escritor do Romantismo. Com a ajuda de seu (sua) professor(a), faça uma pequena pesquisa e descubra as características dessa escola literária.

2)

No livro, Ivanhoé foi punido pelo pai por ter lutado ao lado do rei nas Cruzadas até a Terra Santa. Junto com seu (sua) professor(a) de História, pesquise mais sobre essa guerra. Por que ela aconteceu? Como foi? Quais as conseqüências que a guerra trouxe para os povos envolvidos nela?

3)

Os judeus Isaac e Rebecca eram discriminados na Inglaterra. Por que isso acontecia?

4)

Em que outra época da História os judeus sofreram uma grande discrimina- ção na Europa?

5)

Como são os costumes da religião judaica? Investigue algumas característi- cas das crenças e hábitos dos judeus fazendo uma entrevista com um co- lega ou amigo que tenha descendência judaica.

6)

Rowena deveria casar-se com Athelstane porque ela estava prometida para o rapaz. Você já ouviu falar de lugares onde, ainda hoje, existam casamen- tos arranjados pelos pais? Em que lugares do mundo isso acontece? O que você acha disso?

7)

Por que você acha que Rebecca cuidou de Ivanhoé? Ela estava simples- mente exercendo seu papel de curandeira ou ela gostava de Ivanhoé? Jus- tifique sua resposta com passagens do próprio livro.

8)

O príncipe John era considerado um tirano. Compare a atitude dele de tomar o poder e prender o irmão com o período de ditadura no Brasil e em outros países da América Latina. Quais as diferenças e semelhanças entre os dois acontecimentos?

9)

Na aula de Geografia, faça um mapa da Inglaterra em papel vegetal e des- cubra os lugares por onde os personagens deste livro passaram.

10)

Rebecca seria morta na fogueira se não tivesse sido salva em uma batalha. Joana D’Arc foi uma personagem famosa da história que morreu na foguei- ra. Por que ela morreu assim? Procure filmes e livros que falem sobre ela e apresente uma pequena explicação para a classe.

29

que ela morreu assim? Procure filmes e livros que falem sobre ela e apresente uma pequena

Coleção Aventuras Grandiosas

11)

No final do livro, o príncipe John foi exilado. Algumas pessoas famosas no Brasil, como os cantores e compositores Chico Buarque e Gilberto Gil, também foram exiladas. Por que e quando isso aconteceu? Para que países eles foram? Descubra alguma música de um desses dois brasileiros que foi feita durante o período do exílio que eles viveram.

12)

Gurth e Wamba eram, respectivamente, um guardador de porcos e um valete que se transformaram em “guarda-costas”. Quais as características comuns entre esses dois personagens?

13)

Robin Hood roubava dos ricos para dar aos pobres. O que você acha disso? O rei estava certo em não puni-lo por roubo? Depois de refletir sobre essa questão, escreva uma pequena redação e leia-a para seus colegas.

14)

Apesar de muito tempo ter se passado, os territórios da Palestina e de Jerusalém ainda não estão em paz. Quais são os principais conflitos que acontecem nessas regiões?

15)

Com qual personagem você se identificou mais? Por quê?

16)

Escolha um trecho do livro que você tenha gostado e, em grupo, faça uma pequena peça de teatro.

17)

Escreva com suas próprias palavras o significado das seguintes palavras:

tirania:

escrúpulo:

18)

Como o povo inglês sentia-se com a invasão normanda? Pensando em ques- tões culturais como linguagem e costumes e em questões de cidadania, como trabalho e liberdade de expressão, na sua opinião, qual a pior coisa que um povo escravizado enfrenta?

19)

Qual foi a estratégia que o Rei Ricardo usou para retomar o poder? Se você estivesse no lugar dele, qual seria a sua estratégia?

20)

Por que você acha que o Rei Ricardo era chamado de “Coração de Leão”? Pensando nas suas qualidades pessoais, invente um apelido semelhante para si próprio. Use sua criatividade.

Leão”? Pensando nas suas qualidades pessoais, invente um apelido semelhante para si próprio. Use sua criatividade.

30

Ivanhoé

IVANHOÉ

Sir Walter Scott

BIOGRAFIA DO AUTOR

Walter Scott nasceu em Edimburgo, na Escócia, no dia 15 de agosto de 1771. Formou-se em Direito na própria cidade natal e trabalhou como advogado durante vários anos, tornando-se, inclusive, juiz de Selkirkshire. Quando criança, contraiu poliomielite e ficou permanentemente manco da perna esquerda.

Embora tenha ficado conhecido como um dos maiores romancistas eu- ropeus, no início de sua carreira literária, Scott fez muitas traduções de poemas e textos em prosa do alemão para o inglês. Muitos desses trabalhos traduzidos estavam relacionados com um tema de muito interesse de Scott: as tradições da fronteira entre Inglaterra e Escócia.

Seu primeiro livro totalmente original foi publicado em 1805 sob o título de The Lay of the Last Minstrel. O livro foi um sucesso de crítica e de vendas. Em 1808, publicou Marmion; em 1810, The Lady of the Lake; e, em 1814, publicou Waverly, um romance de grande sucesso, que gerou o lançamento de várias outras obras subseqüentes.

Todos os seus romances, inclusive Waverly, foram publicados de forma anônima. A verdadeira identidade do autor só foi revelada em fevereiro de 1827, em uma manifestação pública. Mesmo depois da revelação, muitos de seus livros eram publicados sob autoria de “O Autor de Waverly”.

Scott escreveu livros sobre as tradições escocesas em geral, mas também foi um autor muito favorável à existência de um Reino Unido. Alguns de seus livros mais famosos, como este, Ivanhoé (1819), tratam de temas da história da Inglaterra.

31

Unido. Alguns de seus livros mais famosos, como este, Ivanhoé (1819), tratam de temas da história

Coleção Aventuras Grandiosas

Walter Scott morreu no dia 21 de setembro de 1832, na cidade de Abbotsford. O Edinburgh’s Scott Monument, monumento inaugurado em sua homenagem em 1844, e a estação de trem com o nome de Waverly Station demonstram a enorme tradição de Scott na Inglaterra vitoriana. Foi ele que definiu a imagem da Escócia no século XIX. Scott ajudou a inventar, até mesmo, a tradição do tecido quadriculado nos kilts (as saias usadas pelos escoceses) na época da visita de George IV a Edimburgo, em agosto de 1822.

nos kilts (as saias usadas pelos escoceses) na época da visita de George IV a Edimburgo,

32