Você está na página 1de 35

O ESPERANTO

NUM RELANCE
Notas Gramaticais


Esperanto en Ekrigardo
gramatikaj notoj


Sylla Chaves
1998


Edição Eletrônica disponibilizada com a
permissão de Sylla Chaves no “site” da

Kultura Kooperativo de Esperantistoj


www.kke.org.br

Versão Eletrônica: 1.0


Rio de Janeiro - Outubro de 2004.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO........................................................................................................................ 1
1. PRONÚNCIA E TERMINAÇÕES
O esperanto.............................................................................................................................. 2
Alfabeto e pronúncia................................................................................................................. 2
Terminações gramaticais......................................................................................................... 2
Kio estas Esperanto?............................................................................................................... 2
Pronúncia: regras e advertências............................................................................................. 3
Terminações O, A, E, I e AS.................................................................................................... 4
A semivogal “J” e os plurais...................................................................................................... 5
2. ALFABETO E NUMERAÇÃO
O alfabeto................................................................................................................................. 6
Considerações adicionais......................................................................................................... 6
Literoj kun ĉapelo / Literoj sen ĉapelo...................................................................................... 8
Sufixos “AĴO” e “ECO”............................................................................................................. 9
Pronomes oblíquos e saudações............................................................................................. 9
Numeração............................................................................................................................... 9
3. TEMPO E OBJETO DIRETO
O tempo: ontem, hoje e amanhã............................................................................................ 11
Sezonoj kaj monatoj............................................................................................................... 11
Tagoj de la semajno............................................................................................................... 11
Partoj de la tago..................................................................................................................... 11
Terminação “N” e objeto direto............................................................................................... 12
4. PRONOMES, ACUSATIVOS E AFIXOS
Afixos: “INO”, “ULO” e “GE”.................................................................................................... 13
Sufixos: “ANTO” e “ISTO”....................................................................................................... 13
“IGI” e “IĜI”............................................................................................................................. 13
Pronomes oblíquos e reflexivos ............................................................................................. 14
Objeto direto, acusativo e declinação..................................................................................... 14
5. PARTICÍPIO E AFIXOS
Verbo MANĜI (comer)............................................................................................................ 15
Particípios: ativo e passivo..................................................................................................... 16
Presente, passado e futuro.................................................................................................... 16
Terminações O, A e E............................................................................................................ 16

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


Comparação com o português............................................................................................... 16
Afixos: “EGO” e “ETO”............................................................................................................ 17
“INO”, “IDO”, “AĴO”, “ARO” e “VIR”........................................................................................ 17
“ARO” e “ERO”....................................................................................................................... 17
“MAL”, “RE”, “EK” e “BO”........................................................................................................ 17
6. CONJUGAÇÃO, DIREÇÃO E AFIXOS
As terminações verbais.......................................................................................................... 18
Acusativo de direção.............................................................................................................. 18
“EJO”, “UJO”, “IO” e “ANO”.................................................................................................... 18
Comparação: “ADO” e “AĴO”................................................................................................. 19
Quadro geral de prefixos e sufixos......................................................................................... 19
7. “KIA”, CORES E AFIXOS
Cores simples (simplaj koloroj)............................................................................................... 20
“EBLA”, “INDA” e “EMA”......................................................................................................... 20
“ILO”, “ISMO”, “ESTRO” e “AĈO”........................................................................................... 20
“ĈEF”, “PRA” e “DIS”.............................................................................................................. 21
8. CORRELATIVOS E PREPOSIÇÕES
Correlativos............................................................................................................................ 22
Preposições............................................................................................................................ 23
9. SUFIXOS, HOMÔNIMOS, POLISSEMIA E CORRELATIVOS
“ONO”, “OBLO” e “OPE”......................................................................................................... 25
“UMO”..................................................................................................................................... 25
Homônimos e polissemia....................................................................................................... 26
Correlativos (quadro resumo)................................................................................................. 26
10. DERIVAÇÃO
Considerações gerais............................................................................................................. 28
Preposições e advérbios como prefixos................................................................................. 29
Uso independente de afixos................................................................................................... 29
Derivados de palavras invariáveis.......................................................................................... 30
Palavras compostas............................................................................................................... 30

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


1

APRESENTAÇÃO

Este livro contém a parte gramatical do RAPIDA KURSO (Curso Rápido), que temos realizado em
quatro períodos de uma hora de duração. Suas explicações são, porém, mais extensas que as
fornecidas em sala de aula. E os exemplos são também mais numerosos. Queremos, assim, facilitar
o acesso do aluno à já valiosa literatura que nos chega de todo o mundo em esperanto.

Alunos de outros cursos e autodidatas talvez também lucrem com este livro. Principalmente se, por
falta de tempo ou exigência metodológica, ainda não tiverem acesso a toda a riqueza fornecida pelos
afixos e pelas regras de formação de palavras em esperanto.

Sylla Chaves
novembro de 1998.

Ãqueles que pretendem utilizar estas notas gramaticais para seu aprendizado sugerimos recorrerem
também ao seguinte material adicional produzido pelo autor e, também, colocado neste “site”:
1. Artigos ESPERANTO E ESPERANTISMO e O ESPERANTO E EU.
2. Leitura fácil: LA JUNA VERKISTO, acompanhada de sua tradução O JOVEM ESCRITOR.
3. Canções fáceis para exercitar a compreensão oral: LITEROJ KUN ĈAPELO, BONAN TAGON,
LERNU ESPERANTON, FLORO KAJ PAPILIO, FAMILIO ESTAS ĈIO, ESTU PACO, TRI
VIRINOJ, KANTO DE L' KAMPARANO, KANTO DE L' MARISTO, KANTO DE L' ADIAŬO etc.

Brevemente, o autor colocará, também, neste “site” seu curso básico KANTU KAJ LERNU, um
pequeno dicionário para principiantes e as GOTAS DE ESPERANTO, que produziu para a televisão
e já foram transformadas em fitas de vídeo e DVD.

Agradeço a colaboração dos meus amigos Carlos Alberto e Maira Nobre na adaptação da primeira
parte do meu livro Esperanto num Relance para inclusão no “site” da Cooperativa Cultural dos
Esperantistas. Espero, porém, que os seus utilizadores não se satisfaçam com estas noções
introdutórias. Elas descrevem, sinteticamente, a perfeição com que Zamenhof elaborou esta língua-
ponte para a aproximação da humanidade. Os detalhes aqui omitidos podem ser encontrados na
bibliografia que sugerimos. Eles mostram que a genialidade com que o Esperanto foi criado é bem
maior que a descrita aqui.
Sylla Chaves
outubro de 2004.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


2

1 – PRONÚNCIA E TERMINAÇÕES

O ESPERANTO.

É a língua internacional criada pelo Dr. Lázaro Luís Zamenhof, da Polônia, em 1887. O seu fim não é
a eliminação dos idiomas nacionais, mas sim a sua utilização como segunda língua de cada
indivíduo. Baseia-se nas línguas culturais modernas, aproveitando de cada uma o que tem de
melhor. E é bastante fácil.

ALFABETO E PRONÚNCIA

A (á) G (gô) K (cô) S (sô)


B (bô) Ĝ (djô) L (lô) Ŝ (xô)
C (tsô) H (hô) M (mô) T (tô)
Ĉ (tchô) Ĥ (khô) N (nô) U (u)
D (dô) I (i) O (ô) Ŭ (uô)
E (ê) J (iô) P (pô) V (vô)
F (fô) Ĵ (jô) R (rô) Z (zô)

O esperanto é um idioma fonético, isto é, todas as palavras pronunciam-se como são escritas e
escrevem-se como são pronunciadas. As 28 letras do alfabeto correspondem, por conseguinte, a 28
sons: 5 vogais, 2 semivogais e 21 consoantes.

TERMINAÇÕES GRAMATICAIS:

O (substantivo)....... AMIKO (amigo) AS (presente)......... MI AMAS (eu amo)


A (adjetivo)............. BONA (bom) IS (passado)........... MI AMIS (eu amei)
E (advérbio)............ BONE (bem) OS (futuro)............. MI AMOS (eu amarei)
I (infinitivo).............. AMI (amar) US (condicional)..... MI AMUS (eu amaria)
U (imperativo)......... AMU (ame) N (acusativo = objeto direto):
J (plural)................. AMIKOJ (amigos) ŜI AMAS MIN (ela me ama)

São apenas essas onze e são sempre regulares.

KIO ESTAS ESPERANTO? QUE É O ESPERANTO?

Esperanto estas la solvo por la grava problemo O ESPERANTO é a solução para o grave
de la tutmonda komunikado. Tiu lingvo estas tre problema da comunicação mundial. Essa língua
bela, tre klara, simila al la Itala, en kiu oni kantas é muito bela, muito clara, semelhante à italiana,
kun granda plezuro. Sed Esperanto estas multe na qual a gente canta com grande prazer. Mas o
pli simpla, multe pli regula. Krome, Esperanto esperanto é muito mais simples, muito mais
apartenas al neniu popolo. Sekve, oni povas diri, regular. Além disso, o esperanto não pertence a
ke nia mirinda lingvo apartenas egale al la tuta nenhum povo. Por conseguinte, pode-se dizer
mondo. Mi tutkore dankas vin, doktoro que a nossa língua admirável pertence, de modo
Zamenhof. igual, ao mundo todo. Agradeço-lhe de todo
coração, Doutor Zamenhof.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


3

PRONÚNCIA: REGRAS E ADVERTÊNCIAS.

O texto acima contém apenas 19 das 28 letras do alfabeto do esperanto: as vogais A, E, I, O, U e as


consoantes B, D, F, G, K, L, M, N, P, R, S, T, V e Z (leia-se; bô, dô, fô, gô, kô, lô, mô, nô, pô, rô, sô,
tô, vô, zô). Essas letras soam como em português, desde que prestemos atenção às seguintes
regras e advertências:

Todas as palavras de mais de uma sílaba têm acento tônico na penúltima.

Assim, temos:
diga diga
ITALA (italiano).............i-tá-la. POPOLO (povo)........... po-pô-lo.
LIBERA (livre).............. li-bê-ra. RAPIDA (rápido)...........ra-pí-da.
LITERO (letra).............. li-tê-ro. REGULO (regra)...........re-gú-lo.
NUMERO (número)...... nu-mê-ro. SIMILA (semelhante)....si-mí-la.

 A cada vogal corresponde exatamente uma sílaba. Duas vogais juntas não formam ditongo.

Temos, pois:
diga
KIU (quem)............... kí-u (duas sílabas).........e não kíu (só uma)
TIU (esse).................tí-u (duas sílabas)......... e não tíu (só uma)
NENIU (ninguém)..... ne-ní-u (três sílabas).....e não ne-níu (duas).

Da mesma forma, não se pode acrescentar, na pronúncia, uma vogal não escrita, como quem
pronuncia: “adevogado” e “abissoluto”. Leia assim:

diga
DOKTORO (doutor) em 3 sílabas (e não 4)................................ dok-tô-ro
LINGVO (língua) em 2 sílabas (e não 3)..................................... lín-gvo
TUTKORE (de todo coração) em 3 sílabas (e não 4).................. tut-kô-re
TUTMONDA (de todo o mundo) em 3 sílabas (e não 4)............. tut-môn-da

 As vogais em esperanto soam sempre Á, Ê, I, Ô, U. Assim, temos:

GRANDA (grande) e MI KANTAS (eu canto).............................. AA abertos


BELE (belamente) e SEKVE (por conseguinte).......................... EE fechados
KORO (coração) e DOLORO (dor).............................................. OO fechados
e ESPERANTO (esperanto). Leia assim..................................... ês-pê-RÁN-tô

Atenção especial deve ser dada às vogais finais O e E. Pronunciá-las como U e I pode causar
grande confusão, como se pode observar nos pares seguintes:

KIO (o que)........................................ e.............. KIU (quem)


NENIO (nada).................................... e.............. NENIU (ninguém)
SEKVE (por conseguinte)..................e.............. SEKVI (seguir)
SIMILE (semelhantemente)............... e.............. SIMILI (parecer)

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


4

 Como as vogais, também as consoantes conservam sempre o mesmo som. Assim, G (cujo nome
é go) é sempre o “guê” de galo e não o “gê” de gelo. Por isso, LEGI (ler) pronuncia-se “lêgui”. E
devemos também prestar atenção ao T e ao D seguidos de I: DIRI (dizer), KANTI (cantar) e TIU
(esse), que não têm o chiado carioca.

TERMINAÇÕES O, A, E, I e AS.

O esperanto tem onze terminações absolutamente regulares. Cinco delas apareceram diversas
vezes no texto acima: O, A, E, I e AS.

O: é a terminação de todos os substantivos comuns; temos no texto, por exemplo: SOLVO


(solução), PROBLEMO (problema), LINGVO (língua), PLEZURO (prazer), POPOLO (povo),
MONDO (mundo).

A: é a terminação dos adjetivos, invariável em gênero: BELA (belo, bela), KLARA (claro, clara),
GRAVA (grave, importante), SIMILA (semelhante), GRANDA (grande), RAPIDA (rápido, rápida),
SIMPLA (simples).

O adjetivo geralmente precede o substantivo. Vejamos alguns exemplos, precedidos do artigo


definido LA (o, a, os, as), que é invariável:

LA ITALA LINGVO ...................a língua italiana


LA RAPIDA KURSO................. o curso rápido
LA TUTA MONDO.................... o mundo todo
LA MONDA PROBLEMO..........o problema mundial

E: é a terminação de todos os advérbios derivados, temos assim:

de RAPIDA (rápido),...... RAPIDE (rapidamente, depressa)


de EGALA (igual),.......... EGALE (igualmente)
de KORO (coração),...... KORE ou TUTKORE (cordialmente)
de SEKVI (seguir),......... SEKVE (por conseguinte)

I: é como vimos acima, a terminação de todos os verbos no infinitivo. Só há uma conjugação, e


todos os verbos são regulares: SIMILI (parecer), SEKVI (seguir), DIRI (dizer), ESTI (ser, estar),
APARTENI (pertencer), DANKI (agradecer), KANTI (cantar), POVI (poder);

AS: é a terminação dos verbos no presente do indicativo, invariável em gênero, número e pessoa.
Para conjugar é necessário usar pronome. Por exemplo, MI (eu), NI (nós), VI (tu, você, o
senhor, a senhora, vocês etc.), ONI (a gente). Temos, assim:

MI ESTAS (eu sou) MI DANKAS (eu agradeço)


NI ESTAS (nós somos) NI DANKAS (nós agradecemos)
VI ESTAS (você é) VI DANKAS (você agradece)
VI ESTAS (vocês são) VI DANKAS (vocês agradecem)
ONI ESTAS (a gente é) ONI DANKAS (a gente agradece)

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


5

O pronome VI, como em francês ou inglês, tanto pode referir-se ao plural quanto ao singular. A
tradução “você” ou “vocês” dependerá do resto da frase, como veremos ao tratar dos plurais. Frases
como ONI podem ser traduzidas com o pronome “a gente” ou com a partícula “se”. ONI KANTAS (a
gente canta, canta-se), ONI POVAS DIRI (a gente pode dizer, pode-se dizer).

MI TUTKORE DANKAS (agradeço de todo coração)


NI MULTE LEGAS (lemos muito)
VI RAPIDE LERNAS (você aprende depressa)
ONI BELE KANTAS (canta-se lindamente)

Podemos transformar uma palavra em outra, mudando sua categoria gramatical. Para isso, basta
mudar sua terminação:

KORO (coração); KORA (cordial); KORE (cordialmente).

NUMERO (número) SIMILO (semelhança)


NUMERA (numérico) SIMILA (semelhante)
NUMERE (numericamente) SIMILE (semelhantemente)
NUMERI (numerar) SIMILI (parecer)

A SEMIVOGAL “J” E OS PLURAIS.

A mais importante das letras diferentes das nossas no alfabeto do esperanto é a semivogal J (iô).
Corresponde ao I breve dos nossos ditongos. É importantíssima por dois motivos. Primeiro, porque
com ela se escreve uma das palavras mais freqüentes em esperanto: a conjunção KAJ (e).
Segundo, porque com ela se formam os plurais de todos os substantivos e adjetivos:

LA MONDA PROBLEMO (o problema mundial)


LA MONDAJ PROBLEMOJ (os problemas mundiais)

PROBLEMO MIA KAJ VIA (problema meu e teu)


PROBLEMOJ MIAJ KAJ VIAJ (problemas meus e teus)

NIA MIRINDA LINGVO (nossa língua admirável)


NIAJ MIRINDAJ LINGVOJ (nossas línguas admiráveis)

KLARA KAJ TRE SIMPLA (clara e muito simples)


KLARAJ KAJ TRE SIMPLAJ (claras e muito simples)

LA UNUAJ TRI NUMEROJ (os primeiros três números)

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


6

2 – ALFABETO E NUMERAÇÃO

O ALFABETO

O alfabeto do esperanto tem 28 letras, que transcrevemos, seguidas do seu nome em esperanto (na
pronúncia figurada em português):

A (á) D (dô) Ĝ (djô) J (iô) M (mô) R (rô) U (u)


B (bô) E (ê) H (hô) Ĵ (jô) N (nô) S (sô) Ŭ (uô)
C (tsô) F (fô) Ĥ (khô) K (cô) O (ô) Ŝ (chô) V (vô)
Ĉ (tchô) G (gô) I (i) L (lô) P (pô) T (tô) Z (zô)

CONSIDERAÇÕES ADICIONAIS.

Teceremos algumas considerações adicionais, com dois objetivos principais:

1º) Responder as perguntas mais freqüentes de nossos alunos de cursos rápidos;


2º) Evitar erros habituais de alunos brasileiros:

1. Sugerimos que nossos alunos pronunciem as vogais E e O sempre fechadas. Entretanto, pode-se,
também utilizar uma pronúncia intermediária entre ê e é, bem como entre ô e ó. Pode-se
observar a falta de uniformidade em nossas gravações. O que repisamos aqui é que é erro
pronunciar essas vogais completamente abertas, ou (pior ainda) com som de I e U, ou variando
de sílaba para sílaba, como em nosso idioma. Digamos, pois:

POPOLO (povo): “pôpôlô”e não “pôpólu”,


BELEGE (belissimamente): “bêlêguê” e não “bêlégui”

2. Em esperanto, cada consoante tem apenas um som, que é aquele indicado no seu nome, como
podemos observar no quadro anterior. Prestemos atenção às letras C (tsô), S (sô), K (cô), G (gô),
T (tô) e D (dô):

C (tsô) – A pronúncia dessa letra em esperanto nada tem a ver com a do C em português. Em
esperanto, CENTO (cento) deve pronunciar-se “tsênto”, PACO (paz) deve pronunciar-se
“pátso”, e BELECO (beleza) deve pronunciar-se “belêtso”. O som do nosso C de “cavalo” e do
nosso QU corresponde ao K (cô) do esperanto, e o som do nosso C de “cebola” e do nosso Ç
corresponde ao S (sô) do esperanto, como se pode ver a seguir:

S (sô) – Corresponde ao nosso S inicial e ao nosso SS. Temos, assim: SES (seis), que se lê
“sês”, e SESA (sexto, sexta), que se lê “sêssa”. O som Z de nosso S intervocálico corresponde
ao Z (zô) do esperanto. Assim, rosa é ROZO (rôzo), com Z.

K (cô) – É a única letra em esperanto que representa os sons ca-que-qui-co-cu. Temos, assim:
KORO (coração), KATO (gato), KURI (correr), KIO (o que), que se pronuncia “quío”, KE
(conjunção integrante QUE), que se lê “quê”, DEK (dez, lê-se “dêc”) e OK (oito lê-se “ôc”),
ambos só com uma sílaba.

G (gô) – É, como já dissemos, sempre o G de “galo”. Temos, assim LEGI (ler), que se diz “lêgui”.
E o som G de “gelo” é escrito sempre com Ĵ (jô), como veremos mais tarde.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


7

T (tô) e D (dô) – Se prestamos atenção às sílabas ta-te-ti-to-tu e da-de-di-do-du de nossos


cursos de alfabetização verificamos que nortistas as pronunciam de maneira uniforme, mas
que os cariocas alteram as sílabas TI e DI, produzindo um chiado: “tchi” e “dji”. Esse chiado
carioca é inadmissível em esperanto, pois torna impossível distinguir a palavras escritas com TI
e DI e as escritas com ĈI e ĜI. Em esperanto só estas duas últimas sílabas devem ser
pronunciadas “tchi” e “dji”. O chiado carioca criaria, por exemplo, a confusão entre as palavras:

TIO (isso), diga “tío” e ĈIO (tudo), diga “tchío”


DIA (divino), diga “día” e ĜIA (dele), diga “djía”

3. Os sons das letras H e Ĥ não existem em português. Usamos para elas as representações que
vemos com maior freqüência em nossos jornais, que são usadas na língua inglesa: “h” e “kh”. H
(hô) é ligeiramente aspirado como um sopro. Esse som está presente numa da primeiras
palavras que se ouvem em inglês – a saudação: “hello!” (olá). Como os ingleses não têm o som
fortemente aspirado, costumam representá-lo como KH. Está presente em muitos nomes próprios
árabes que penetraram em nosso idioma, como Khuri, Khalil e muitos outros. Por não termos o
som correspondente, nós o transformamos em K: Kuri, Kalil. Ĥ é também o som do J castelhano
de “mujer” e do X de México (escrito também Méjico). Esse som fortemente aspirado é muito raro
em esperanto, aparecendo, em nossas leituras iniciais, apenas na palavra ĤORO (coro) que não
deve ser confundida com HORO (hora).

4. O esperanto não possui dígrafos (por exemplo, SS, RR, CH, LH e NH). Como já vimos, o S
intervocálico lê-se sempre com o mesmo som de nosso S inicial, e não deve ser dobrado: SESA
(sexto) lê-se “sêssa”. O R também deve ser pronunciado de maneira uniforme e não deve ser
dobrado. Deve ser sempre dobrado, como o R sulino, de “CARRO” ou “CARO” (sempre igual,
forte ou fraco), e não como R gutural carioca. (Esta última pronúncia não é recomendável, mas é
usada por esperantistas iniciantes influenciados por sua língua natal).

Quando esses grupos consonantais aparecem em esperanto, suas letras devem ser
pronunciadas separadamente. Geralmente, pertencem a elementos vocabulares diversos,
formando uma nova palavra. Assim:

DISSENDI = DIS + SENDI (enviar, distribuindo)


FORRAPIDI = FOR + RAPIDI (ir embora rapidamente)
MALHELA = MAL + HELA (escuro = contrário de hela)
ENHAVI = EN + HAVI (conter, ou seja, ter em si)
PACHORO = PACO + HORO = horo de paco (hora de paz)

Neste último exemplo, suprime-se o O final de PACO e pronuncia-se “páts-hô-ro”, com três
sílabas.

Em português, I e U são vogais (longas) em Jair e Saul, e são semivogais (breves) em Jairo e
Saulo. Em esperanto, I e U são sempre vogais. Correspondem a J (iô) e Ŭ (uô), que sempre
formam ditongo. Temos assim:

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


8

Com I e U:

KUIRI (cozinhar)..............................ku-í-ri
PRAULO (ancestral)....................... pra-ú-lo
IA (de algum tipo)............................ í-a
IAM (em algum momento)...............í-am
IE (em algum lugar).........................í-e

Com J e Ŭ:

ŜAJNI (parecer).............................. chái-ni


FRAŬLO (solteiro, celibatário)........ fráu-lo
JA (de fato)..................................... iá
JAM (já)........................................... iám
JE (preposição que estudaremos).. iê

Mais algumas palavras com J e Ŭ: JARO (ano), MAJO (maio), JUNIO (junho), LITEROJ (letras), AŬ
(ou), AŬDI (ouvir) e AŬGUSTO (agosto), pronunciadas, respectivamente iá-ro, mái-o, iu-ní-o, li-tê-
roi, áu, áu-di e au-gús-to.

Para quem sente dificuldade em memorizar as consoantes com circunflexo em esperanto,


aproveitamos uma canção infantil, que pode ser decorada. Nela mostramos cinco “letras com
chapéu” (LITEROJ KUN ĈAPELO) e cinco sem chapéu (LITEROJ SEN ĈAPELO). Elas se
pronunciam como no exemplo abaixo:

LITEROJ KUN ĈAPELO

letra exemplo tradução pronúncia


Ĉ (tchô).....................DOMAĈO................. casebre.....................DO-MÁ-TCHO
Ĝ (djô)...................... AĜO......................... idade.........................Á-DJO
Ĥ (khô)......................ĤORO.......................coro.......................... KHÔ-RO
Ĵ (jô)......................... ĴAŬDO..................... quinta-feira............... JÁU-DO
Ŝ (chô)...................... ŜIPO......................... navio......................... CHÍ-PO

LITEROJ SEN ĈAPELO

letra exemplo tradução pronúncia


C (tsô).......................PACO....................... paz............................PÁT-SO
G (gô)....................... LEGI......................... ler ............................ LÊ-GUI
H (hô)....................... HORO.......................hora.......................... HÔ-RO
J (iô)......................... JARO ...................... ano........................... IÁ-RO
S (sô) ...................... LASI......................... deixar........................LÁS-SI

Para exercício, podemos acrescentar mais exemplos:

C (tsô).......... : cent (cem), leciono (lição) e certa (certa, certo).


Ĉ (tchô)........ : ĉio (tudo), eĉ (até mesmo) e ĉu (partícula interrogativa).
Ĝ (djô)..........: ĝi (ele, ela, animal ou coisa) e ĝentila (gentil).
Ĵ (jô)............ : novaĵo (noviade), aĵo (coisa).
Ŝ (chô)......... : ŝi (ela, pessoa), ŝajni (parecer).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


9

SUFIXOS “AĴO” E “ECO”

Acrescentam à raiz idéias de coisa (concreta) ou qualidade (abstrata). Temos, assim:

Palavra primitiva.............................. Palavra com sufixo


SIMPLA (simples).............................. SIMPLECO (simplicidade)
GRAVA (grave, importante)...............GRAVECO (gravidade, importância)
REGULO (regra)................................ REGULECO (regularidade)
LEGI (ler)........................................... LEGAĴO (texto de leitura)

Dos adjetivos ALTA (alto, alta), BELA (belo, bela) e NOVA (nova, novo) podemos formar derivados
tanto com AĴO quanto com ECO. As traduções, nos dois casos, podem ser: altura, beleza e
novidade. É que, em português, essas palavras têm dois sentidos:

altura............= ALTAĴO (lugar alto)


altura............= ALTECO (qualidade do que é alto)
beleza.......... = BELAĴO (coisa bonita)
beleza.......... = BELECO (qualidade do que é belo)
novidade...... = NOVAĴO (notícia)
novidade...... = NOVECO (qualidade do que é novo)

PRONOMES OBLÍQUOS E SAUDAÇÕES.

Pronomes oblíquos formam-se com a terminação N: MI VIDAS VIN (eu o vejo), VI VIDAS MIN (você
me vê), LASU MIN! (deixe-me!)

A terminação N também é usada em saudações:

BONAN TAGON!.................. Bom dia! (na chegada, de dia).


BONAN VESPERON!........... Boa noite! (na chegada, de noite).
BONAN NOKTON!............... Boa noite! (na despedida, de noite).

NUMERAÇÃO.

Doze palavras simples e invariáveis proporcionam o essencial da numeração em esperanto:

unu = um, uma kvar = quatro sep = sete dek = dez


du = dois, duas kvin = cinco ok = oito cent = cem
tri = três ses = seis naŭ = nove mil = mil

Os outros números formam-se por justaposição:

10 = dek 11 = dek unu 100 = cent


20 = dudek 21 = dudek unu 202 = ducent du
30 = tridek 32 = tridek du 303 = tricent tri
40 = kvardek 44 = kvardek kvar 400 = kvarcent
50 = kvindek 55 = kvindek kvin 500 = kvincent
60 = sesdek 66 = sesdek ses 605 = sescent kvin
70 = sepdek 77 = sepdek sep 806 = okcent ses
80 = okdek 98 = naŭdek ok 907 = naŭcent sep

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


10

Chamamos a atenção para as dezenas e centenas, que são sempre paroxítonas: dúdek, trídek,
ôksent, náutsent etc. Assim sendo devemos ler:

1887 = mil okcent okdek sep (mil-ôksent-ôkdek-sep)

Atenção: Também com números usam-se as terminações o, a, e. Ex.: unuo (unidade), unua
(primeiro), unue (primeiramente). Nombro e numero têm sentidos ligeiramente diferentes. Usa-se
nombro em contagem e numero em ordenação: numero de la domo = número da casa; nombro
da lecionoj = número de lições.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


11

3 – TEMPO E OBJETO DIRETO

O TEMPO: ONTEM, HOJE E AMANHÃ

Nossa palavra “tempo” tem duas traduções em esperanto: TEMPO e VETERO. A primeira refere-se
ao tempo cronológico; a segunda, ao tempo meteorológico. VETERO pode ser BELA (bonito) e
MALBELA (feio). TEMPO pode ser LONGA (longo) e MALLONGA (curto).

Com as terminações -AS, -IS e -OS temos presente, passado e futuro. E podemos exercitar-nos com
os advérbios HIERAŬ (ontem), HODIAŬ (hoje) e MORGAŬ (amanhã), falando tanto de TEMPO
quanto de VETERO:

Hieraŭ estis bela tago............. Ontem foi um lindo dia.


Hodiaŭ estas bela tago........... Hoje está sendo um lindo dia.
Morgaŭ estos bela tago.......... Amanhã será um lindo dia.

SEZONOJ (4 estações) MONATOJ (12 meses)

printempo (primavera) 1 januaro 5 majo 9 septembro


somero (verão) 2 februaro 6 junio 10 oktobro
aŭtuno (outono) 3 marto 7 julio 11 novembro
vintro (inverno) 4 aprilo 8 aŭgusto 12 decembro

TAGOJ DE LA SEMAJNO (dias da semana, em ordem):

LUNDO (segunda-feira)
MARDO (terça-feira)
MERKREDO (quarta-feira)
ĴAŬDO (quinta-feira)
VENDREDO (sexta-feira)
SABATO (sábado)
DIMANĈO (domingo)

PARTOJ DE LA TAGO (partes do dia):

mateno (manhã) vespero (anoitecer)


tagmezo (meio-dia) nokto (noite)
posttagmezo (tarde) noktomezo (meia-noite)

A palavra TAGO tem dois sentidos. É o oposto de NOKTO (noite) e é também o período de 24 horas
que vai de meia-noite a meia-noite. No segundo sentido, em vez de TAGO, em esperanto diz-se,
também TAGNOKTO: En unu tagnokto estas dudek kvar horoj.

MEZO significa “meio”. Assim, TAGMEZO = mezo de la tago (meio do dia ou meio-dia) e
NOTKOMEZO = mezo de la nokto (meio da noite, ou meia-noite): POSTTAGMEZO é o período
post la tagmezo (após o meio-dia, i.e. de tarde).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


12

MATENO é o começo do dia (de 12 horas). VESPERO é o fim do dia e começo da noite. É o período
em que se vê, no firmamento, a estrela Vésper (planeta Vênus), da qual derivam nossas palavras
“vesperal” e “vespertino”. Em português, nesse período, cumprimentamos as pessoas, desejando-
lhes “boa noite”. Em esperanto, porém, dizemos BONAN VESPERON!

Nomes relativos a tempo são freqüentemente usados em sua forma adverbial: matene (de manhã),
lunde (na segunda-feira), somere (no verão). Podemos dizer, por exemplo, ĝis lunde! (até
segunda!); e mi revenos morgaŭ matene (voltarei amanhã de manhã).

TERMINAÇÃO “N” E OBJETO DIRETO

Já vimos dois casos em que se usa a terminação N: 1) em saudações e 2) em pronomes oblíquos. A


regra é uma só: a terminação N assinala o objeto direto. Temos, assim: mi VIDAS viN (eu o vejo);
mi DEZIRAS al vi bonaN tagoN (desejo-lhe um bom dia); ne PERDU viaN tempoN (não percam o
seu tempo). No próximo capítulo trataremos melhor desse assunto.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


13

4 – PRONOMES, ACUSATIVO E AFIXOS

AFIXOS: “INO”, “ULO” E “GE”

O sufixo -ulo mostra pessoa ou ser caracterizado pela idéia indicada pela raiz. De MILIONO (milhão)
tem-se MILIONULO (milionário); de JUNA (jovem) tem-se JUNULO (rapaz); de MALJUNA (idoso)
tem-se MALJUNULO (ancião); e de DIKA (gordo) tem-se DIKULO (gorducho).

O sufixo -ino identifica seres de sexo feminino:


FILO (filho)........................ FILINO (filha);
PATRO (pai)..................... PATRINO (mãe);
BOVO (boi)....................... BOVINO (vaca).

Freqüentemente juntam-se os sufixos -ulo e -ino: JUNULINO (moça, rapariga), BELULINO (mulher
bonita)

HOMO (pessoa, ser humano) pode ser VIRO (homem, varão) ou VIRINO (mulher). E INFANO
(criança) pode ser KNABO (menino) ou KNABINO (menina).

No plural, o prefixo ge- indica ou enfatiza a presença de ambos os sexos: GEPATROJ (pais, i.e. pai
e mãe), GEEDZOJ (casal, i.e. esposo e esposa), GESINJOROJ (senhoras e senhores),
GEJUNULOJ (rapazes e moças).

SUFIXOS: “ANTO” E “ISTO”

Além de -ulo, também -isto e -anto referem-se a pessoas; -anto indica uma situação passageira:
VOJAĜANTO (viajante), HELPANTO (ajudante, assistente), LERNANTINO (aluna); -isto indica
profissão, ocupação habitual ou adesão: INSTRUISTO (professor), KUIRISTO (cozinheiro),
VENDISTINO (vendedora), PORTISTO (carregador), MARISTO (marinheiro), BELIGISTINO
(esteticista ou embelezadora), ESPERANTISTO (esperantista).

“IGI” E “IĜI”

O sufixo -igi indica fazer, tornar; e -iĝi indica fazer-se, tornar-se. Temos, assim, do adjetivo BELA,
os verbos BELIGI (embelezar, tornar belo) e BELIĜI (embelezar-se, tornar-se belo); de PLI BONA
(melhor) temos PLIBONIGI (melhorar, tornar melhor) e PLIBONIĜI (melhorar, tornar-se melhor).
SIDI é estar sentado, SIDIĜI é sentar-se e SIDIGI é fazer sentar. MORTI é morrer e MORTIGI é
matar (= fazer morrer). SCII é saber e SCIIGI é informar (= fazer saber). DEVI é dever e DEVIGI é
obrigar.

KOMENCO é começo e FINO é fim. Mas precisamos ter cuidado com os verbos KOMENCI e FINI.
Dizemos: mi komencas kaj finas la lecionon (eu começo e termino a lição); mas dizemos: la
leciono komenciĝas kaj finiĝas (a lição começa e acaba, ou melhor, é iniciada e é terminada).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


14

PRONOMES OBLÍQUOS E REFLEXIVOS

Na 1ª e na 2ª pessoa, pronomes oblíquos e reflexivos são iguais: min, vin, nin. Na 3ª pessoa, cada
pronome reto tem seu pronome oblíquo. Mas na 3ª pessoa existem vários pronomes oblíquos e
apenas um pronome reflexivo: sin. Vejamos alguns exemplos:

PRONOME OBLÍQUO PRONOME REFLEXIVO


mi aŭdas ŝin (eu a ouço) mi vidas min (eu me vejo)
ŝi aŭdas min (ela me ouve) vi vidas vin (você se vê)
vi vidas min (você me vê) ni vidas nin (nós nos vemos)
ili vidas lin (eles o vêem) li vidas sin (ele se vê)
li helpas nin (ele nos ajuda) ŝi vidas sin (ela se vê)
mi helpas vin (eu o ajudo) ili vidas sin (eles se vêem)
...en la rivero (no rio)

OBJETO DIRETO, ACUSATIVO E DECLINAÇÃO

Já vimos que, em esperanto, o objeto direto é indicado pela terminação N. Por exemplo:

Mi deziras al vin bonan tagon................. Eu lhe desejo um bom dia.


Mi vidas vin kaj vi vidas min................... Eu o vejo e você me vê.
Mi legas bonan libron.............................. Leio um bom livro.
Vi lernas Esperanton............................... Você aprende esperanto.
Ni vidas florojn......................................... Nós vemos flores.
Ne perdu vian tempon..............................Não percam seu tempo!

Da existência do acusativo em esperanto alguns concluem que ele tem declinações e por isso é
difícil. Essa conclusão é equivocada. Em primeiro lugar, as declinações do latim não impediram que
ele, durante séculos, fosse a língua de entendimento entre os cientistas (que se comunicavam muito
mais facilmente do que na Babel em que o mundo depois caiu). Em segundo lugar, duas das
principais línguas do mundo – o russo e o alemão – têm declinações. E é consenso geral que
qualquer delas é mais fácil do que o nosso português.

Comparemos agora a “declinação” no esperanto e em nossa língua. Em esperanto, nos


substantivos, adjetivos e pronomes distingue-se o acusativo do nominativo pela letra N. E é só, Em
português a declinação (herdada do latim) permanece apenas nos pronomes, mas com quatro
casos: nominativo, dativo, acusativo e um vestígio de ablativo. Vejamos qual das duas línguas é
mais fácil:

Caso Português Esperanto


nominativo........................ eu, você, ele etc................mi, vi, li ktp.
dativo................................ me, lhe etc........................ al mi, al vi, al li ktp.
acusativo........................... me, o etc........................... min, vin, lin ktp.
ablativo............................. comigo etc........................ kun mi ktp (ktp=etc)

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


15

5 – PARTICÍPIOS E AFIXOS

VERBO MANĜI (comer)

presente passado futuro condicional imperativo


(as) (is) (os) (us) (u)

mi manĝas mi manĝis mi manĝos mi manĝus mi manĝu


vi manĝas vi manĝis vi manĝos vi manĝus vi manĝu
li manĝas li manĝis li manĝos li manĝus li manĝu
ŝi manĝas ŝi manĝis ŝi manĝos ŝi manĝus ŝi manĝu
ni manĝas ni manĝis ni manĝos ni manĝus ni manĝu
vi manĝas vi manĝis vi manĝos vi manĝus vi manĝu
ili manĝas ili manĝis ili manĝos ili manĝus ili manĝu

PARTICÍPIOS

PERSONO (pessoa) MANĜAĴO (comida)

NUN MANĜI (comer agora)


la manĝanto la manĝato
(aquele que está comendo) (aquilo que está sendo comido)
manĝanta knabo manĝata fromaĝo
(menino que está comendo) (queijo que está sendo comido)
manĝante manĝate
(comendo) (sendo comido)

ANTAŬE MANĜI (comer antes)

la manĝinto la manĝito
(aquele que comeu) (aquilo que foi comido)
manĝinta knabo manĝita fromaĝo
(menino que comeu) (queijo que foi comido)
manĝinte manĝite
(tendo comido) (tendo sido comido)

POSTE MANĜI (comer depois)

la manĝonto la manĝoto
(aquele que vai comer) (aquilo que vai ser comido)
manĝonta knabo manĝota fromaĝo
(menino que vai comer) (queijo que vai ser comido)
manĝonte manĝote
(pronto para comer) (pronto para ser comido)

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


16

PARTICÍPIOS: ATIVO E PASSIVO

Em esperanto os particípios são mais complexos, porém muito mais regulares do quem em nosso
idioma. Em português “montado” diz-se tanto do cavaleiro quanto da montaria. Em esperanto a
distinção é obrigatória: RAJDANTO é o cavaleiro e RAJDATO é o cavalo (CÊVALO). Em esperanto
os particípios distinguem-se por serem ativos ou passivos; por serem presentes, passados ou
futuros; e por terem terminação substantiva, adjetiva ou adverbial. Ao todo 2 x 3 x 3 = 18 variantes.
Vejamos:

PARTICÍPIO presente passado futuro


ativo -ant- -int- -ont-
passivo -at- -it- -ot- [ -o, -a, -e]

PRESENTE, PASSADO E FUTURO

ESTANTECO ou ESTANTO é o presente, o que está sendo; ESTINTECO ou ESTINTO é o passado,


o que já foi; e ESTONTECO ou ESTONTO é o futuro, o que será. Como nas terminações dos
tempos simples, as vogais A, I e O indicam se se trata de fato presente, passado ou futuro.
VIVANTOJ são os vivos, o que estão vivendo; e MORTINTOJ são os mortos, os que já morreram.

MANĜI é comer. Quem está na fila de um refeitório, aguardando ser servido. é MANĜONTO; os que
estão sentados comendo são MANĜANTOJ; e os que já estão devolvendo sua bandeja são
MANĜINTOJ. Falando-se da refeição, da comida, MANĜOTA é a que está sendo servida;
MANĜATA é a que está nos pratos sobre a mesa. E MANĜITA é a que sai da sala na barriga de
cada um.

TERMINAÇÕES O, A e E

Particípios em esperanto podem ter terminação de substantivo, adjetivo ou advérbio. Com


terminação adverbial equivalem ao nosso gerúndio: LEGANTE (lendo). LEGINTE (tendo lido). LA
LEGANTO (o leitor) é um substantivo, e, em LA LEGATA LIBRO (o livro que está sendo lido),
LEGATA é adjetivo. ĴUS NASKITA BOVIDETO é o bezerrinho recém-nascido. TUJ PAGOTA
AĈETAĴO é a compra que será logo paga. LA VENONTA SEMAJNO é a semana que vem.

COMPARAÇÃO COM O PORTUGUÊS.

Nosso idioma tem ainda vestígios do particípio futuro latino. Nesses casos, nossas palavras
correspondem exatamente às do esperanto. Temos, por exemplo:

PORTUGUÊS................... ESPERANTO....................SIGNIFICADO
nascituro........................... NASKOTO........................ aquele que vai nascer
vindouro............................ VENONTA ....................... que virá
futuro................................. ESTONTA......................... que será

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


17

AFIXOS: “EGO” E “ETO”

EGO indica o aumentativo ou superlativo, e ETO, o diminutivo. Podem ser usados com substantivos,
adjetivos, verbos e até mesmo advérbios: DOMEGO (casarão), DOMETO (casinha), BONEGA
(ótimo), BELETA (bonitinho), MULTEGE (muitíssimo), IOMETE (um pouquinho). De PETI (pedir)
formamos PETEGI (suplicar); de PLORI (chorar), PLORETI (choramingar); de DORMI (dormir),
DORMETI (cochilar); e de RIDI (rir), RIDETI (sorrir) e RIDEGI (gargalhar). ETA, usado sozinho, é
sinônimo de MALGRANDA (pequeno). EGE, usado sozinho, é sinônimo de MULTE (muito). Tanto
uma palavra quanto a outra são muito usadas.

“INO”, “IDO”, “AĴO”, “ARO” E “VIR”

De BESTOJ (animais), como BOVO (boi), ŜAFO (carneiro), BIRDO (ave), KOKO (galo) e FIŜO
(peixe), formamos derivados todos regulares.

O feminino, já vimos, forma-se com ino: BOVINO (vaca), ŜAFINO (ovelha), KOKINO (galinha).

O macho reprodutor forma-se com a anteposição de vir: VIRBOVO (touro), VIRKOKO (galo
reprodutor).

O filhote recebe o sufixo ido: ŜAFIDO (cordeiro), BOVIDINO (novilha), BOVIDETO (bezerro).

O coletivo recebe o sufixo aro: BOVARO (boiada), FIŜARO (cardume), BIRDETARO (passarada).

E até mesmo MANĜAĴOJ (comidas) feitas com eles recebem um sufixo regular – aĵo: BOVAĴO
(carne de vaca), BIRDAĴO (carne de ave), KOKIDAĴO (galeto).

“ARO” E “ERO”

Além dos coletivos de animais, temos outros importantes: JUNULARO (juventude), MARISTARO
(tripulação), ARBARO (floresta) e HOMARO (humanidade). De VORTO (palavra), temos VORTARO
(dicionário); e de LOĜI (morar, habitar), LOĜANTARO (população).

A unidade de uma coleção forma-se com ero: de VORTO (palavra) formamos VORTERO (elemento
vocabular); de ĈENO (cadeia), ĈENERO (elo); e de MONO (dinheiro), MONERO (moeda).

“MAL”, “RE”, “EK” E “BO”

Com mal formamos antônimos: MALALTA (baixo), MALHELA (escuro), MALDIKA (magro).

Com re indicamos repetição ou retorno: REVIDI (rever), REVENI (voltar), REDONI (devolver).

Com ek, ação inicial ou repentina: EKVIDI (avistar), EKDORMI (adormecer), EKKRII (exclamar).

E bo indica parentesco por casamento: BOFILO (genro), BOFILINO (nora), BOGEPATROJ


(sogros).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


18

6 – CONJUGAÇÃO, DIREÇÃO E AFIXOS

AS TERMINAÇÕES VERBAIS
-I...................... infinitivo
-U..................... imperativo
-AS................... presente
-IS.....................passado
-OS................... futuro
-US................... condicional

As seis terminações verbais que já vimos cobrem todas as formas verbais do esperanto, como
podemos ver com alguns exemplos: MI PETAS, KE VI VENU (peço que você venha); MI VOLIS, KE
VI SKRIBU (eu queria que você escrevesse); MI DEMANDIS, ĈU VI IRUS (perguntei se você iria);
MI SENDUS, SE VI PAGUS (eu enviaria se você pagasse); SE VI SERĈOS, VI TROVOS (se você
procurar, encontrará). Mesmo com poucas formas verbais, todas as nuanças do português são
mantidas em esperanto. O mesmo acontece com os tempos compostos e a voz passiva, formados
sempre com o verbo ESTI (ser). KIAM VI PETIS PARDONON, MI JAM ESTIS PARDONINTA
(quando você pediu perdão eu já tinha perdoado = já era alguém que perdoou); TIO ESTAS FARITA
DE MI MEM (isso foi feito por mim mesmo).

ACUSATIVO DE DIREÇÃO
Além dos usos já vistos, a terminação N serve também para indicar direção, como veremos com
alguns exemplos: KIE? (onde?), KIEN? (para onde?) STARU TIE (fique em pé ali); SIDU ĈI TIE
(fique sentado aqui); IRU TIEN (vá ali); VENU ĈI TIEN (venha cá); ESTI HEJME (estar em casa); IRI
HEJMEN (ir para casa); FLUGI EN LA ĈAMBRO (voar dentro do quarto); FLUGI EN LA ĈAMBRON
(voar para dentro do quarto); IE (em algum lugar); IEN (para algum lugar); VOJAĜI IE AJN (viajar em
qualquer lugar); VOJAĜI IEN AJN (viajar para qualquer lugar); FLANKEN (para o lado); ANTAŬEN
(avante).

“EJO”, “UJO”, “IO” E “ANO”


EJO indica o lugar onde alguma coisa fica ou ocorre. De LOĜI (residir) temos LOĜEJO (residência);
de LERNI (aprender) temos LERNEJO (escola); de NECESA (necessário), NECESEJO (WC); de
PREĜI (rezar) temos PREĜEJO (igreja); de LIBERA (livre) temos MALLIBEREJO (prisão); de
KOKO (galo, galináceo), KOKEJO (galinheiro). E SIDEJO é o lugar em que uma organização fica
“assentada”, isto é, sua sede.

UJO indica o recipiente: SUKERUJO (açucareiro), MONUJO (porta-notas), MONERUJO (porta-


níqueis), PAPERUJO (pasta de papéis). Por analogia, indica uma planta partindo da flor ou do fruto:
ROZUJO (roseira), POMUJO (macieira). E também um país do Velho Mundo, a partir do seu povo:
PORTUGALOJ (portugueses), ANGLOJ (ingleses), FRANCOJ (franceses). Neste caso, usa-se
também IO: PORTUGALUJO ou PORTUGALIO (Portugal), ANGLUJO ou ANGLIO (Inglaterra), e
também FRANCUJO ou FRANCIO (França) e ITALUJO ou ITALIO (Itália). E os clubes, congressos
e outros lugares de convivência esperantista podemos chamar ESPERANTUJO ou ESPERANTIO.

Para países novos, parte-se do país e, com o sufixo -ANO, designa-se o habitante: ARGENTINO
(Argentina), ARGENTINANO (argentino), BRAZILO (Brasil), BRAZILANO (brasileiro); USONO
(Estados Unidos), USONANO (estadunidense). É também usado para cidades continentes etc.:
PARIZANO (parisiense), AMERIKANO (norte-americano).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


19

COMPARAÇÃO: “ADO” E “AJO”

Esses sufixos já foram vistos: MANĜADO é o ato de comer; MANĜAĴO, o que se come;
TRINKADO, o ato de beber; TRINKAĴO, o que se bebe; SKRIBADO, o ato de escrever; e
SKRIBAĴO, o que se escreve ou escreveu.

QUADRO GERAL DE PREFIXOS E SUFIXOS:

Neste curso estão sendo ensinados os seguintes afixos (que aqui permitem uma visão conjunta):

AĈ.....popolaĉo (ralé) ID...... bovido (bezerro)


AD.....pafado (tiroteio) IG...... mortigi (matar)
AĴ..... manĝaĵo (comida) IĜ...... naskiĝi (nascer)
AN.....kristano (cristão) IL...... levilo (alavanca)
ANT.. lernanto (aluno) IN...... bovino (vaca)
AR.....arbaro (floresta) IND... mirinda (admirável)
AT..... amato (amado) INT.... fuĝinto (fugitivo)
BO.... bofilo (genro) ISM... pacismo (pacifismo)
ĈEF.. ĉefurbo (capital) IST.... maristo (marinheiro)
DIS....disrompi (espedaçar) IT...... kaptito (prisioneiro)
EBL.. videbla (visível) MAL.. malalta (baixo)
EC.....klareco (clareza) OBL.. trioblo (triplo)
EG.... petegi (suplicar) ON.... duono (metade)
EJ..... preĝejo (igreja) ONT.. venonta (vindouro)
EK.....ekvidi (avistar) OP.... duope (de 2 em 2)
EM.... kredema (crédulo) OT.....naskoto (nascituro)
ER.....ĉenero (elo) PRA.. praavo (bisavô)
ESTR urbestro (prefeito) RE.....revidi (rever)
ET..... rideti (sorrir) UJ..... rozujo (roseira)
GE.... geedzoj (casal) UL..... junulo (rapaz)
I.........Francio (França) UM.... plenumi (executar)

Dos afixos acima, apenas um não é oficial: I, com que formamos nomes geográficos. E aqui foi
também ensinado o substantivo viro (varão), usado como prefixo, v.g. em virbovo (touro). No
capítulo 10 veremos outras palavras usadas como prefixo.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


20

7 – “KIA”, CORES E AFIXOS

CORES SIMPLES (SIMPLAJ KOLOROJ)

A pergunta KIA? (de que tipo? com que qualidade?) admite respostas variadas: ALTA (alto), LONGA
(comprido), NOVA (novo), ĜUSTA (correto). Cabe também responder indicando uma cor
(KOLORO): NIGRA (preto), RUĜA (vermelho) etc. Podemos exercitar-nos perguntando KIA ESTAS
TIO? (como é isso?) e respondendo TIO ESTAS TIA (isso é assim). Por exemplo: LA SUNO (o sol)
ESTAS FLAVA (é amarelo), LA LUNO (a lua) ESTAS BLANKA (é branca), LA KAMPO (o campo)
ESTAS VERDA (é verde) e LA ĈIELO (o céu) ESTAS BLUA (é azul). Como resposta, teríamos a
sua cor. Para variar, usaríamos também palavras como ORKOLORA (dourado) e ROZKOLORA
(cor-de-rosa).

“EBLA”, “INDA” E “EMA”

EBLA indica possibilidade material VIDEBLA (visível), NEVIDEBLA (invisível), TRAVIDEBLA


(transparente, que deixa ver através); LEGEBLA (legível), NEŜANĜEBLA (imutável),
NEKOMPRENEBLA (incompreensível).

INDA indica merecimento: PARDONINDA (perdoável, que merece perdão), VIDINDA (que merece
ser visto), LEGINDA (que merece ser lido), KONSILINDA (aconselhável, que merece ser
aconselhado), RIMARKINDA (notável), MIRINDA (admirável, maravilhoso). Um texto grande e banal
ESTAS LEGEBLA, SED NE LEGINDA (é legível, mas não merece ser lido).

EMA indica tendência, inclinação: LABOREMA (trabalhador), KREDEMA (crédulo). NEROMPEBLA


é inquebrável e ROMPEBLA é quebrável, mas ROMPIĜEMA é mais que quebrável: é frágil (tem
tendência a quebrar-se, quebra-se facilmente).

“ILO”, “ISMO”, “ESTRO” E “AĈO”

ILO indica instrumento. De LUDI (brincar) temos LUDILO (brinquedo); de TENI (segurar), TENILO
(cabo); de LEVI (levantar), LEVILO (alavanca); de MONTRI (mostrar), MONTRILO (ponteiro); de
TRANĈI (cortar), TRANĈILO (faca); de FLUGI (voar), FLUGILO (asa); de FERMI (fechar) e
MALFERMI (abrir), MALFERMILO (abridor).

ESTRO indica chefe, dirigente; de URBO (cidade) temos URBESTRO (prefeito); LABORESTRO é
capataz, e ŜIPESTRO é comandante de navio.

ISMO indica doutrina, modo de pensar ou de agir. De NACIO (nação) temos NACIISMO
(nacionalismo) e INTERNACIISMO (internacionalismo); e temos também ESPERANTISMO
(esperantismo), APARTISMO (doutrina do apartheid), HOMARANISMO (“homaranismo” doutrina de
Zamenhof a quem devemos proceder como pertencentes a uma mesma humanidade ou HOMARO).

E AĈO traz uma conotação depreciativa: POPOLAĈO (populacho, ralé), DOMAĈO (casebre),
DOMAĈARO (favela, mocambo, vila miséria).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


21

“ĈEF”, “PRA” E “DIS”

ĈEF indica o principal, o mais importante: ĈEFANĜELO (arcanjo), ĈEFKRUIRISTO (“chefe”, mestre
cuca, cozinheiro chefe), ĈEFMANĜO (prato principal), ĈEFURBO (capital), ĈEFVERKO (obra
prima).

PRA dá idéia de algo remoto, distante: PRAAVO (bisavô), PRATEMPO (tempo antigo),
PRAARBARO (floresta virgem), PRAHOMO (troglodita, homem primitivo).

DIS dá idéia de distribuição, dispersão: DISDONI (distribuir grátis), DISVENDI (sair vendendo); de
KONI (conhecer) temos DISKONIGI (divulgar, tornar conhecido); de ROMPI (quebrar) temos
DISROMPI (despedaçar).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


22

8 – CORRELATIVOS E PREPOSIÇÕES.

CORRELATIVOS

Nove palavras interrogativas começam por ki e correspondem, em forma e significado, a uma


resposta começada por ti:

KIO?................. TIO................... (o quê? isso);


KIU?................. TIU................... (quem? esse);
KIES?............... TIES................. (de quem? desse);
KIA?................. TIA................... (de que tipo? desse tipo);
KIE?................. TIE................... (onde? lá);
KIAM?.............. TIAM ............... (quando? nessa ocasião);
KIOM?.............. TIOM................ (quanto? nessa quantidade);
KIEL?............... TIEL................. (como? assim);
KIAL?............... TIAL................. (por quê? por isso).

A cada pergunta com ki correspondem ainda mais três respostas. Uma indefinida, com i: IO (alguma
coisa); IU (alguém); IAM (em alguma ocasião). Uma coletiva: ĈIO (tudo), ĈIU, ĈIUJ (cada, todos);
ĈIAM (sempre). E uma negativa: NENIO (nada); NENIU (ninguém); NENIAM (nunca). São, ao todo,
9 x 5 = 45 correlativos, além de seus derivados com n, como KIEN e KION. Aqui foram
apresentados apenas os de uso mais freqüente.

Inventemos, agora, algumas perguntas com esses correlativos e as respectivas respostas:

KIO OKAZIS?.................................. (que aconteceu?)


MANĜADO...................................... (uma refeição)
KIES MANĜADO?.......................... (refeição de quem?)
DE LA DIKULO............................... (do gorducho)
KIU MANĜIS................................... (quem comeu)
LI KAJ KELKAJ AMIKOJ............... (ele e alguns amigos)
KIE ILI MANĜIS?............................ (onde eles comeram?)
EN LIA DOMO................................. (na casa dele)
KION ILI MANĜIS?......................... (comeram o quê?)
ŜAFAĴON........................................ (carne de carneiro)
KIAN SALATON?............................ (de que qualidade?)
TRE BONAN................................... (muito boa)
KAJ KIOM?..................................... (e quanto?)
SUFIĈE........................................... (bastante)
KIAM ILI MANĜIS?......................... (quando comeram?)
ILI ĴUS MANĜIS............................. (acabam de comer)
KIEL? ............................................. (como?)
TRE RAPIDE................................... (muito depressa)
KAJ KIAL?...................................... (e por quê?)
PRO MALSATO.............................. (por causa da fome)

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


23

PREPOSIÇÕES.

Examinemos agora as preposições em esperanto. A maioria delas tem utilização bem mais precisa
do que suas correspondentes em português. Vejamos algumas das mais freqüentes:

AL (a, para)........................... IRI AL LA LERNEJO (ir à escola)


ANTAŬ (antes de).................ALVENI ANTAŬ MI (chegar antes de mim)
ĈE (junto a)........................... DOMO ĈE LA RIVERO (casa junto ao rio)
DA (quantidade).................... IOM DA SUKERO (um pouco de açúcar)
DE (de).................................. LIBRO DE JOHANO (livro do João)
DUM (durante)...................... DORMI DUM LA TAGO (dormir durante o dia)
EKSTER (fora de)................. EKSTER LA DOMO (fora da casa)
EL (de dentro de).................. PRENI EL LA POŜO (tirar do bolso)
EN (em, dentro de)............... RESTI EN LA LERNEJO (ficar na escola)
ĜIS (até)............................... RESTI ĜIS MALFRUE (ficar até tarde)
INTER (entre)........................ INTER DU LECIONOJ (entre duas lições)
KUN (com)............................ VOJAĜI KUN AMIKO (viajar com um amigo)
PER (por meio de)................ SKRIBI PER KRAJONO (escrever com lápis)
POR (para)............................ LETERO POR MI (carta para mim)
POST (depois de)................. IRU POST LA PLUVO (vá depois da chuva)
PRI (a respeito de)................ PAROLI PRI LA VETERO (falar do tempo)
PRO (causa)......................... MORTI PRO MALSATO (morrer de fome)
SEM (sem)............................ VIVI SEN ZORGOJ (viver sem cuidados)
SUR (em cima de)................ DORMI SUR LA PLANKO (dormir no chão)
TRA (através de)...................TRA LA FENESTRO (pela janela)

Nos exemplos acima apresentamos propositadamente algumas aparentes discordâncias entre o


esperanto e o português. Isso ocorre pela maior precisão do esperanto. Analisemos o uso do “de”,
por exemplo. Tem uma infinidade de sentidos em português. E é preciso saber o sentido exato
desse “de” para escolher a tradução adequada em esperanto.
Temos, em português: “um pouco de açúcar”, “livro do João”, “tirar do bolso”, “falar do tempo”
e “morrer de fome”. Evidentemente, cada um desses “de” tem um sentido diferente dos outros.
Podemos considerar o principal deles “pertencente a”. Nesse caso, usa-se DE nas duas línguas. Até
mesmo quando esse “pertencer” tem um sentido mais amplo, como em AMIKO DE JOHANO (amigo
do João). Em “um pouco de açúcar” tratamos da quantidade, e a tradução é DA SUKERO. Em “tirar
do bolso”, queremos dizer “tirar de dentro do bolso”, que requer a tradução EL LA POŜO. Em “falar
do tempo”, fala-se “a respeito do tempo”, por conseguinte PRI LA VETERO. E quem morre de fome,
morre “por causa da fome”, isto é PRO MALSATO.

Também a preposição “com” tem sentidos muito diferentes em “escrever com lápis” e em “viajar com
um amigo”. Quem viaja com um amigo viaja “em companhia de um amigo”, “junto com um amigo”.
Esse é o sentido mais normal de “com”. Diz-se, pois, VOJAĜI KUN AMIKO. Mas quem escreve com
lápis não escreve “junto com um lápis”, mas sim “por meio de um lápis”. Lápis é um instrumento,
não uma companhia. Diz-se, pois, SKRIBI PER KRAJONO. Também é diferente ficar na escola e
dormir no chão. Fica-se “dentro da escola” e dorme-se “em cima do chão”. Por conseguinte, EN LA
LERNEJO e SUR LA PLANKO. O leitor examine as outras traduções acima e verá que o esperanto
é sempre preciso, claro.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


24

Os sentidos das preposições em esperanto são mais precisos que em português. Mas, como em
todas as línguas, muitas preposições em esperanto têm diversos sentidos. Por exemplo:

AL (destino) .................... iri al la preĝejo.............. ir à igreja


(destinatário).............. doni ion al ŝi.................. dar algo a ela

DE (início).........................de unu ĝis dek...............de um a dez


(posse)....................... la domo de Petro...........a casa do Pedro
(agente)...................... domo farita de mi.......... casa feita por mim
(procedência)............. ricevi tion de mi............ receber isso de mim

EL (de dentro de).............preni el la poŝo............. tirar do bolso


(material).................... ĉeno el oro.....................corrente de ouro
(procedência)............. veni el San-Paŭlo.......... vir de São Paulo

É claro que não tratamos de todos os sentidos dessas preposições, o que não caberia em um curso
para iniciantes. Nosso propósito foi mostrar, logo cedo, uma das principais diferenças entre o
aprendizado do esperanto e o das línguas nacionais. Em esperanto guiamo-nos principalmente pela
lógica. Nas línguas nacionais, como a nossa, guiamo-nos principalmente pelos costumes – processo
esse, evidentemente, muito mais trabalhoso.

Concluamos este capítulo com mais alguns exemplos do uso das preposições. E falemos de
LABORO (trabalho): LABORI DE JANUARO ĜIS DECEMBRO (trabalhar de janeiro a dezembro);
IRI ĜIS LA FINO (ir até o fim); STUDI ĜIS NOKTOMEZE (estudar até meia-noite); EKDE
FRUMATENE (desde a madrugada); LABORI PER SIAJ MANOJ (trabalhar com suas mãos); KUN
KELKAJ AMIKOJ (com alguns amigos); POR SIA PATRUJO (por ou para sua pátria); PRO
BEZONO (por necessidade); PLI OL NECESE (mais que o necessário); ANTAŬ OL EKDORMI
(antes de adormecer); POST LA LABORO VENOS LA MERITATA RIPOZO (após o trabalho virá o
repouso merecido).

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


25

9 – SUFIXOS, HOMÔNIMOS, POLISSEMIA E CORRELATIVOS

“ONO”, “OPO” E “OPE”

Estes três sufixos são usados com numerais. ONO forma números fracionários; OBLO forma
multiplicativos; e OPO forma numerais coletivos. Todos três admitem terminações substantivas
adjetivas e adverbiais. E todos três admitem a formação de derivados. Eis alguns exemplos:

DUONO (metade) DUOBLO (dobro)


TRIONO (um terço) TRIOBLO (triplo)
KVARONO (um quarto) KVAROBLO (quádruplo)
CENTONO (centésimo) CENTOBLO (cêntuplo)
DUONA (meio) DUOBLA (duplo)
DUONE (metade) DUOBLE (duplamente)
DUONIGI (reduzir à metade) DUOBLIGI (duplicar)
CENTONIGI (reduzir a 1/100) CENTOBLIGI (centuplicar)
MULTOBLIGI (multiplicar) UNUOPE (de um em um)
DUOPO (dupla) DUOPE (dois a dois, aos pares)
TRIOPO (trio) TRIOPE (três a três)
KVAROPO (quarteto) KVAROPE (quatro a quatro)
PROMENI DUOPE (passear aos pares)

“UMO”

UMO é um sufixo com significado bastante variado, sendo aconselhável estudar seus derivados
como novas palavras:

ALFABETO (alfabeto) ALFABETUMO (cartilha)


AMINDA (amável) AMINDUMI (namorar)
BRAKO (braço) BRAKUMI (abraçar)
KRUCO (cruz) KRUCUMI (crucificar)
PLENA (cheio, pleno) PLENUMI (cumprir, executar)
NOMO (nome) NOMUMI (nomear)

É preciso não confundir palavras com sufixo UMO com outras sem sufixo ou com outro sufixo. Por
exemplo, NOMI, PLENIGI, KRUCIGI:

NOMI KATETON LEONO chamar um gatinho de Leão


NOMUMI IUN SEKRETARIO nomear alguém secretário
PLENIGI SUKERUJON encher um açucareiro
PLENIGI DEMANDARON preencher um questionário
PLENUMI SIAN DEVON cumprir seu dever
PLENUMI TASKON executar uma tarefa
KRUCIGI SIAJN BRAKOJN cruzar os braços
KRUCUMI JESUON crucificar Jesus

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


26

HOMÔNIMOS E POLISSEMIA

Homônimos são palavras iguais na forma e diferentes no sentido. Por exemplo, MANGA (fruta) e
MANGA (de vestuário). Polissemia é o fato de uma mesma palavra ter mais de um sentido, como
ESPERAR (= ter esperança) e ESPERAR (= aguardar). Homonímia e polissemia existem muito mais
em português do que em esperanto. Mas em esperanto também podemos encontrá-las. Por
exemplo, KUBO (Cuba, país) e KUBO (cubo, poliedro) são homônimos. E as preposições AL, DE e
EL, que vimos no capítulo anterior, são casos típicos de polissemia.

Tanto homônimos quanto palavras polissêmicas são pedras no caminho de quem aprende idiomas
estrangeiros e de quem traduz. Em nosso aprendizado encontraremos muito mais “pedras”
produzidas em nosso idioma do que no esperanto, em que são menos freqüentes. Vejamos algumas
confusões que o esperanto não tem.

Em nossa língua podemos dizer “descendo de portugueses” e “descendo do sótão”. Um brasileiro


culto perceberá que, no primeiro caso, há um presente do indicativo do verbo descender, e no
segundo há um gerúndio do verbo descer. Também dizemos “vimos portugueses” e “vimos de
Portugal”. No primeiro caso há um pretérito do verbo ver; no segundo, o presente do verbo vir. Tudo
claro e simples para quem o aprende. Em inglês, diz-se time flies like an arrow (o tempo voa como
uma flecha) e também fruit flies like bananas (moscas drosófilas gostam de bananas). Confusões
deste tipo inexistem em esperanto, por causa da regularidade de suas terminações gramaticais.

Pode-se dizer que só conhece bem uma palavra quem a conhece em todos os seus sentidos usuais
e quem sabe a exata extensão de seus significados. Vejamos alguns exemplos destinados a quem
usa o português para aprender esperanto.

Nossa palavra polissêmica “tempo” tanto pode referir-se à meteorologia quanto à cronologia. O
tempo que passa é TEMPO em esperanto; o que pode ser chuvoso e ensolarado é VETERO.
Também polissêmicas são as palavras “claro” e “juventude”. Um dia claro é HELA TAGO; uma idéia
clara é KLARA IDEO. E cabe observar que os antônimos e os substantivos abstratos derivados de
HELA e KLARA são diferentes também em português. MALHELA TAGO é um dia “escuro”, e
MALKLARA IDEO é uma idéia “obscura”. Num dos casos, referimo-nos a claridade (HELECO); no
outro, a clareza (KLARECO). Também temos diferentes significados na palavra “juventude”. Pode
ser um conjunto de jovens (JUNULARO) e uma fase da vida (JUNAĜO ou JUNECO). JUNULARO
ESTAS SCIVOLA (a juventude é curiosa) e JUNECO ESTAS MALLONGA (a juventude é curta).

CORRELATIVOS (QUADRO RESUMO)

?....................... definido........... indefinido........ total................. negação


coisa................KIO?................ TIO................... IO..................... ĈIO...................NENIO
pessoa.............KIU?.................TIU................... IU..................... ĈIU................... NENIU
qualidade........ KIA?.................TIA................... IA..................... ĈIA................... NENIA
posse...............KIES?.............. TIES................. IES................... ĈIES.................NENIES
lugar................ KIE?.................TIE................... IE..................... ĈIE................... NENIE
tempo.............. KIAM?..............TIAM................ IA..................... ĈIAM................ NENIAM
modo............... KIEL?...............TIEL................. IEL................... ĈIEL.................NENIEL
causa...............KIAL?.............. TIAL................. IAL................... ĈIAL.................NENIAL
quantidade......KIOM?............. TIOM................ IOM.................. ĈIOM................NENIOM

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


27

Muitos idiomas têm formas semelhantes em algumas palavras dessa tabela. Em inglês temos: who,
what, where, when, that, there, then; em russo: κогда, иногда, тогда, всегда, ниκогда; e em
português: que qual, quando, quanto, quem, alguém, ninguém. Só o esperanto, porém, combinou
todas essas 45 palavras em uma única tabela, fazendo corresponder forma e sentido. Metade
dessas palavras estão entre as mais freqüentes de qualquer língua européia, encabeçadas pelas
quatro do ângulo superior esquerdo (KIO, TIO, KIU e TIU). KIO ESTAS TIO? (que é isso?) é fase
indispensável para iniciar qualquer curso de conversação. Outras palavras da tabela, porém, são
bastante raras. Sintetizemos, com suas principais traduções, algumas das mais úteis para as leituras
que pretendemos realizar.

KIO......que................................ TIO...... isso........................... ĈIO.......... tudo


KIU...... quem............................. TIU...... esse.......................... ĈIU.......... todo, cada
KIAM... quando.......................... TIAM .. então.........................ĈIAM....... sempre
KIE...... onde.............................. TIE...... lá, ali......................... NENIO..... nada
KIEL.... como............................. TIEL.... assim........................ NENIU..... ninguém
KIAL.... porque...........................IO........ algo........................... NENIAM...nunca
KIOM...quanto........................... IU........ alguém...................... IOM..........um pouco

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


28

10 – DERIVAÇÃO

CONSIDERAÇÕES GERAIS

O esperanto é extremamente flexível, graças à facilidade de trocar as terminações (KORO, KORA,


KORE) e de usar prefixos e sufixos (BOVINO, BOVIDO, BOVAĴO, BOVARO). Formar advérbios,
por exemplo, é muito comum na língua internacional. Já vimos MATENE (de manhã), UNUE
(primeiramente), SEKVE (conseqüentemente), HEJME (em casa) e outros. Acrescentamos mais
alguns:

De...................................................... formamos
BONA (bom)...................................... BONE (bem)
EKZEMPLO (exemplo)...................... EKZEMPLE (por exemplo)
FAKTO (fato)..................................... FAKTE (de fato)
KURI (correr)..................................... KURE (de corrida)
DUM (durante)................................... DUME (entrementes)
EKSTER (fora de)..............................EKSTERE (do lado de fora)

A regularidade dos afixos em esperanto faz com que cada um deles corresponda a muitos em
português. Um exemplo pode ser ANO (membro, habitante):

AZIANO (asiático) LONDONANO (londrino)


BRAZILANO (brasileiro) PARIZANO (parisiense)
EŬROPANO (europeu) USONANO (estadunidense)
KONGRESANO (congressista) TERANO (terráqueo)

Convém, porém, verificar se esse ANO é mesmo sufixo. Por exemplo, GERMANO (alemão) e
JAPANO (japonês) têm o AN como parte integrante da raiz. Também não devemos supor que
prefixos e sufixos se apliquem a todos os casos semelhantes. Asas são FLUGILOJ (instrumentos
para voar), mas pés são PIEDOJ, e não IRILOJ, como uma criança e um principiante poderiam
supor, IRILOJ são anda ou pernas-de-pau.

O antônimo de ALTA é MALALTA e o de BELA é MALBELA, mas o de KOMENCO (começo) é


FINO (fim) e não MALKOMENCO, e o de MEMORI (lembrar) é FORGESI (esquecer) e não
MALMEMORI.

Devemos ter sempre em mente que o esperanto é uma língua viva com mais de cem anos, cerca de
um milhão de usuários, vocabulário estabilizado e vasta literatura. Para utilizá-lo bem, a solução não
é tentar inventar palavras a cada passo, tirando-as de outras línguas ou formando-as de qualquer
maneira, mas sim ler muito e aprender cuidadosamente as regras já consagradas de formação de
palavras.

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


29

PREPOSIÇÕES E ADVÉRBIOS COMO PREFIXOS

Quase todas as preposições em esperanto são muito usadas como prefixos. As palavras resultantes
podem ser muito semelhantes ao português, como TRANSPORTI (transportar) e podem ser
diferentes, como ELIRI (sair). Examinemos algumas:

ANTAŬ + VIDI = ANTAŬVIDI = prever (ver antes)


ĈE + ESTI = ĈEESTI = presenciar (estar junto)
ĈIRKAŬ + IRI = ĈIRKAŬIRI = rodear (ir à volta)
EL + IRI = ELIRI = sair (ir de dentro)
INTER + VENI = INTERVENI = intervir (vir entre)
KUN + VIVI = KUNVIVI = conviver (viver junto)
SUR + METI = SURMETI = vestir (colocar sobre si)
TRA + IRI = TRAIRI = atravessar (ir através)
TRANS + PORTI = TRANSPORTI = transportar (levar além)
DUM + VIVO = DUM VIVA = vitalício (de durante a vida)
PER + FORTA = PERFORTA = violento (feito pela força)
SEN + UTILO = SENUTILA = inútil (sem utilidade)
LAŬ + VOLO = LAŬVOLE = (conforme a vontade)

No caso abaixo, a formação é menos clara, porém também consagrada pelo uso:

AL + DONI = ALDONI (acrescentar)


AL + PORTI = ALPORTI (trazer)
AL + VENI = ALVENI (chegar)
INTER + PAROLI = INTERPAROLI (conversar)

Como as preposições, também os advérbios são usados freqüentemente como prefixos. Por
exemplo: FOR, NE, PLI, TRO. Temos, assim:

FOR + IRI = FORIRI = ir embora (ir para longe)


NE + KAPABLA = NEKAPABLA = incapaz (não capaz)
PLI + FORT + IGI = PLIFORTIGI = fortalecer (tornar mais forte)
TRO + UZI = TROUZI = abusar (usar demais)

USO INDEPENDENTE DE AFIXOS

Outra forma de derivação muito usada é a partir de prefixos e sufixos, que se tornam palavras
autônomas, como podemos ver nos exemplos abaixo:

AĈA = desprezível ESTRO = chefe


AĴO = coisa ETA = pequeno
ANO = membro IGI = tornar
ARO = grupo IĜI = tornar-se
ĈEFA = principal ILO = instrumento
DISA = disperso INO = fêmea
EBLE = talvez INDA = digno
ECO = qualidade MALE = ao contrário
EGE = muito UJO = recipiente
EMO = tendência ULO = indivíduo

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


30

Há combinações de afixos muito utilizadas, até mesmo com três afixos, como ESTRARANO
(membro da diretoria). Vejamos alguns exemplos:

AĈAĴO (cacareco) EKSIGI (demitir)


ANIĜI (associar-se) ESTRARO (diretoria)
AROPE (em grupo) INECO (feminilidade)
DISIĜI (separar-se) PRAULO (antepassado)
EBLECO (possibilidade)

DERIVADOS DE PALAVRAS INVARIÁVEIS

Palavras invariáveis freqüentemente recebem terminações gramaticais adquirindo novo sentido. E


podem também receber sufixos. Sua derivação torna-se, assim, bastante rica. Já vimos a formação
de DUME e de EKSTERE. Vejamos mais derivações:

De formamos, por exemplo:


AL (a, para)...........................ALIĜI (aderir)
EN (em)................................ ENE (dentro), ENIGI (enfiar)
KUN (com)............................ KUNA (conjunto), KUNULO (companheiro)
JES (sim).............................. JESI (afirmar), JESA (afirmativo)
JEN (eis)............................... JENA (seguinte), JENO (o seguinte)
NE (não)............................... NEI (negar), NEA (negativo)
PER (por).............................. PERI (agenciar), PERANTO (intermediário)
POST (após)......................... POSTE (depois), POSTAĴO (traseiro)
SUB (sob)............................. SUBE (embaixo), SUBULO (subordinado)
TRO (demais)....................... TROIGI (exagerar)

PALAVRAS COMPOSTAS

Há duas maneiras básicas de formar palavras compostas em esperanto. Em LERNOLIBRO o


elemento essencial é o último, LIBRO (livro), explicado pelo primeiro LERNO (POR LERNO = para o
aprendizado). LERNOLIBRO é, por conseguinte, um “livro para aprendizado” ou, como dizemos
habitualmente, um livro didático. Vejamos mais exemplos desse tipo, com dois substantivos, dois
verbos ou um substantivo e um verbo.

AFERVOJAĜO.... viagem de negócios POŜTKARTO.......cartão postal (cartão de correio)


AKVOFALO......... cachoeira (queda d’água) SCIVOLA............. curioso (que quer saber)
BUTERPANO.......pão com manteiga SEMAJNFINO......fim de semana
FERVOJO............ ferrovia (estrada de ferro) SIDLOKO............. assento (lugar de sentar)
FRUKTODONA....fértil (que dá frutos) SOMERDOMO..... casa de veraneio
JARLIBRO........... anuário (livro do ano) SUNFLORO......... girassol (flor do sol)
LIBERTAGO........ feriado (dia livre) TAGLIBRO...........diário (livro sobre cada dia)
LIBERTEMPO......férias (tempo livre) TAGMANĜO........ almoço (refeição do dia)
MATENMANĜO... desjejum (refeição da manhã) TAGMEZO........... meio-dia (meio do dia)
NOKTOMEZO...... meia-noite (meio da noite) TRINKMONO....... gorjeta (dinheiro para a bebida)
PARDONPETI......desculpar-se (pedir perdão) VERŜAJNA.......... verossímil (que parece verdade)
PIEDIRI................ caminhar (ir a pé) VESPERMANĜO. jantar (refeição do anoitecer)

Os parênteses acima acentuam o fato de que o elemento essencial da palavra composta é o último.
Na maioria dos exemplos é um substantivo (dia, livro, refeição etc.) Em PARDONPETI e PIEDIRI é

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


31

um verbo (ir, pedir). E em FRUKTODONA, SCIVOLA e VERŜAJNA é um adjetivo. Na tradução


poderíamos ter posto o elemento essencial como adjetivo (produtor de frutos, desejosos de saber e
semelhante à verdade). Optamos, porém, por uma oração adjetiva, o que vem a dar no mesmo.

Na segunda maneira de formar palavras compostas em esperanto dica mais difícil decompor o
sentido global em duas unidades semânticas. Seus elementos formam um todo. Só no que concerne
à gramática é que podemos considerar essencial a terminação ou o sufixo que se refere a esse
todo. Exemplifiquemos com BONKORA (bondoso). Equivale a uma oração adjetiva (pois usa
terminação é o A dos adjetivos), “que tem bom coração”, ou “de bom coração”, que é uma
expressão também adjetiva. Vejamos alguns outros exemplos:

ALILANDA........... estrangeiro (de outra terra) ĈIUNOKTA.......... que ocorre todas as noites
BELSONA............sonoro (de bonito som) GRANDANIMA.... magnânimo
BLUOKULA......... de olhos azuis (que tem uma grande alma)
BONODORA........ perfumoso (de bom cheiro) KARMEMORA.....saudoso (de cara memória)
BONVENA........... bem-vindo (que é bem vindo) LASTFOJE..........pela última vez
MULTEKOSTA....caro (que custa muito)

Chamamos a atenção para a diferença entre ĈIUTAGA e TUTTAGA. ĈIUTAGA é diário, ocorre em
cada dia, todo dia ou todos os dias. TUTTAGA dura o dia todo, um dia inteiro. A diferença em
português está na posição ocupada pela palavra “todo’ (que pode significar “cada” e “inteiro”,
dependendo da sua posição na frase). Em esperanto a diferença está na palavra usada, pois ĈIU
significa “cada” e TUTA significa “inteiro”.

Há muitas palavras compostas formadas com numerais. Podem ser muito úteis. Examinemos
inicialmente as formadas na primeira por nós descrita.

JARDEKO................ década (dezena de anos)


JARCENTO.............. século (centena de anos)
JARMILO................. milênio (milhar de anos)
MEZURUNUO.......... unidade de medida
MONUNUO.............. moeda (unidade monetária)

A segunda maneira de formar palavras é ainda mais importante e muito mais freqüente que a
primeira. Numerais combinados com unidades de tempo são um modo prático para indicar idade e
duração, respondendo, por exemplo, à pergunta KIOMJARA LI ESTAS? (que idade ele tem?) e a
outras do mesmo tipo.

TRIJARA...................... que tem três anos, de três anos


20-JARA....................... de 20 anos
60-JARULO..................sexagenário
80-JARULO..................octogenário
100-JARULO................centenário (pessoa)
100-JARIĜO.................centenário (data)
SESMONATA............... semestral (que dura seis meses)
DUONJARA................. semestral (que dura meio ano)
KVINMINUTA............... que dura cinco minutos
TRIMONATA................ trimestral
DUMONATA................. bimestral
DUONMONATA........... bimensal (quinzenal, que dura meio mês)
TRIETAĜA DOMO....... casa de três andares

Esperanto num Relance – Sylla Chaves


32

TRIRASA LANDO........ país formado por três raças


TRIDENTO................... tridente (arma com três dentes)
TRIANGULO................ triângulo (polígono de três ângulos)
KVINANGULO............. pentágono (polígono de cinco ângulos)
KVARPIEDULO........... quadrúpede

Não podemos concluir este tema de derivação sem mencionar as palavras com “prefixos” AL, EN,
EL ou SUR e sufixo IĜI, pois são encontradas com muita freqüência:

ALPROKSIMIĜI........................ aproximar-se
ALTABLIĜI............................... sentar-se à mesa
ALTERIĜI................................. aterrissar, aterrar (avião)
ELKARNIĜI.............................. desencarnar
ELLITIĜI................................... levantar da cama
ELREVIĜI................................. desencantar-se
ELŜIPIĜI................................... desembarcar (de navio)
ENDORMIĜI............................. adormecer
ENKARNIĜI.............................. encarnar
ENLITIĜI................................... deitar na cama, acamar-se
ENŜIPIĜI.................................. embarcar (em navio)
SURTERIĜI.............................. = ALTERIĜI

outras derivações, ainda mais freqüentes, começam com EL, SEN ou NE, usados como prefixo, e
terminam com IGI, IĜI, EBLA ou INDA. Não precisam de destaque, pois se assemelham a suas
traduções em português exceto pelo fato de que a escolha entre EBLA e INDA dá maior precisão ao
esperanto. Vejamos alguns exemplos:

ELPOŜIGI................................. tirar do bolso, desembolsar


ELTERIGI.................................. desenterrar
SENKAPIGI............................... decapitar
SENŜELIGI............................... descascar
NEFORGESEBLA.....................inesquecível
NEKLARIGEBLA...................... inexplicável
NESUPEREBLA....................... insuperável
NEKREDEBLA..........................inacreditável, incrível
NEKREDINDA...........................que não merece fé
NEPARDONINDA..................... imperdoável

ESPERANTO NUM RELANCE termina aqui. Com nosso RAPIDA KURSO (ou outro curso qualquer)
e nosso DICIONÁRIO DO PRINCIPIANTE, o novo esperantista já pode iniciar um programa de
leituras.

A Cooperativa Cultural dos Esperantistas agradece ao Prof. Sylla Chaves por


ter, gentilmente, permitido disponibilizar esta Edição Eletrônica na Internet:
Kultura Kooperativo de Esperantistoj
www.kke.org.br

Esperanto num Relance – Sylla Chaves