Minerais Industriais - Aluminas

Alcoa Latin America
12o Congresso Brasileiro de Mineração
Belo Horizonte, 25 de Setembro de 2007 Jorge Camps Andreu – Gerente Comercial

AGENDA
I. ALCOA NO MUNDO

II.

MINERAÇÃO

III.

REFINARIA

IV.

PRODUTOS, MERCADOS E APLICAÇÕES

OPERAÇÕES ALCOA NO MUNDO
44 Países 44 Países 350+ Localidades 350+ Localidades 124.000 Funcionários 124.000 Funcionários -- 5 Regiões 5 Regiões -- 5 Negócios Globais 5 Negócios Globais -- 7 Áreas Funcionais 7 Áreas Funcionais Receita por Região(2005) Receita por Região(2005) Outros 6% Pacífico 12% Europa 23% EUA 59%

Desde 1888, LÍDER MUNDIAL na produção de alumina, Desde 1888, LÍDER MUNDIAL na produção de alumina, alumínio primário e produtos fabricados de alumínio alumínio primário e produtos fabricados de alumínio
Bauxite, Alumina and Chemicals Primary Aluminum Fabricated Aluminum Products Packaging and Consumer Products Castings and Related Products Related Products Technical Center Corporate

CICLO DE VIDA DO ALUMÍNIO
Mineração Mineração de Bauxita de Bauxita Reabilitação Reabilitação de Áreas de Áreas Mineradas Mineradas Clientes Transportes

Embalagens Alumínio Alumínio Primário Primário

Refinaria Refinaria

Redução Redução

TransforTransformação mação

Constr. Civil Constr. Industrial
Reciclagem

Eletricidade Electrical Energy Energia
Hidrelétrica

AGENDA
I. MINERAÇÃO E REFINO DA BAUXITA – ALCOA NO MUNDO MINERAÇÃO

II.

MINERAÇÃO
- RESERVAS - LOGÍSTICA - PROCESSO - MEIO AMBIENTE - SUSTENTABILIDADE

III.

REFINARIA

IV.

PRODUTOS, MERCADOS E APLICAÇÕES

8 Potencial Em operação Bilhões de tonelad .6 China: 1.9 Camarões: 0.5 India:2.5 Colômbia: 0.5 Madagascar: 0.3 Filipinas: 0.8 Indonésia: 1.0 Guiné: 24.9 Jamaica: 1.8 Grécia: 0. Australia: 9.9 Vietnã: 2.4 Brasil: 5.RESERVAS MUNDIAIS DE BAUXITA Rússia: 0.8 Venezuela: 5.

Extração (Bauxita) .Refinaria (Alumina) .Instalação De Mina de Bauxita Consórcio ALUMAR .Poços de Caldas .518 hectares JURUTI .São Luis .Smelter (Alumínio) MRN – Rio Trombetas .Refinaria (Alumina) .Extração (Bauxita) Santa Isabel UHE Itapissuma UHE Estreito Serra do Facão UHE Global Business Services (GBS) AFL Sorocaba Utinga CSI / Aphaville Tubarão Pai Querê UHE UHE Barra Grande ALCOA .Smelter (Alumínio) .MINA DE BAUXITA Operações e Projetos da Alcoa no Brasil Operações industriais e de mineração em terras abrangem 8.Pó de Alumínio Linha de Transmissão-ETAU Transmissão- UHE Machadinho .

MINA DE BAUXITA Projeto Juruti Porto Trombetas 520miles 840 miles .

suprindo bauxita para o sistema Alcoa Áreas de extração • Nessa primeira fase fornecerá exclusivamente para a expansão da Refinaria de São Luis • A mineração de Juruti e a expansão da refinaria de São Luis são vistas de forma integrada .LOGÍSTICA Projeto Juruti Porto • Grande reserva estimadas 700 milhões de toneladas • Bauxita de alta qualidade • Facilidade de escoamento via transporte fluvial / marítimo Ferrovia • Sólido alicerce na cadeia produtiva do alumínio.

FLUXO DO PROCESSO DE MINERAÇÃO LAVRA BENEFICIAMENTO BRITADOR Bauxita Britada Estrada 3 km Bauxita Lavada PLANTA DE LAVAGEM REJEITOS Ferrovia 55 km PORTO & ÁREA DE MANUSEIO DE MATERIAIS EMBARQUE Virador de Vagões Pátio Bauxita Porto .

5 metro • Extração é geralmente realizada a céu aberto com o auxílio de retroescavadeiras Limpeza de camada Reflorestamento de terra e vegetação Mineração de Bauxita Transporte em caminhão Armazenagem de Bauxita Carregamento em navio . Brasil. que juntos compreendem mais de 70% das reservas mundiais provadas • Formada por um processo químico natural. Países com grandes reservas de bauxita são a Guiné. Jamaica e a Índia.LAVRA DA BAUXITA Extração do Minério • A bauxita é encontrada principalmente em áreas tropicais. Austrália. proveniente da infiltração de água em rochas alcalinas em decomposição • O minério é encontrado próximo à superfície com uma espessura média de 4.

PLANTA DE BENEFICIAMENTO Ferrovia Pilha de bauxita Lavada Britador Pilha de Bauxita Britada Instalações Manutenção Planta de Lavagem .

PORTO Estocagem de Combustíveis Carregador de Navios Porto de Carga Geral Pilhas de Bauxita Ferrovia Área Administrativa .

recolhimento e estocagem do solo orgânico.proteção do aqüífero subterrâneo por uso de bacias para coleta e infiltração de água . possibilitando outros usos no futuro Atualmente mais de 83% da área minerada é recuperada .reabilitação da vegetação usando espécies nativas Mineração de bauxita é um uso temporário da terra. proteção das áreas de erosão . pois após reabilitação ela é devolvida ao meio ambiente.EXCELÊNCIA AMBIENTAL Reabilitação das minas de bauxita Intervenções em áreas naturais feitas de forma planejada: .

redução no consumo de água e energia .reaproveitamento e reciclagem de resíduos . • A Alcoa Inc. adota globalmente a Estratégia de Sustentabilidade 2020.EXCELÊNCIA AMBIENTAL Busca de Ecoeficiência • Investimentos em sistemas de monitoramento e gestão ambiental e no desenvolvimento de novas tecnologias. desenvolvendo trabalhos de preservação da mata nativa e de sua biodiversidade A Gestão responsável dos recursos naturais faz parte da estratégia de negócio da Alcoa . entre as quais: . que estabelece metas claras e ambiciosas a serem alcançadas até o ano de 2020.diminuição de emissões • Criação de Reservas de Proteção do Patrimônio Natural (RPPNs).

SUSTENTABILIDADE .

SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade em Juruti O Modelo de Sustentabilidade do empreendimento da Alcoa em Juruti tem em seu eixo central o desenvolvimento regional sustentável .

Maranhão VivaVida Parque Ambiental de Poços de Caldas Criação do Instituto Alcoa Técnicas de reabilitação de áreas mineradas 1952 Criação da Alcoa Foundation . Relatório de Sustentabilidade .Alcoa Alumínio SA Primeira Certificação SA 8000 (Itajubá) Estratégia Global de Meio Ambiente -Visão 2020 Bravo e Action Primeira Certificação ISO 14001 (Mineração em Poços) Um milhão de árvores Parque Ambiental de São Luis .SUSTENTABILIDADE Marcos de Sustentabilidade na Alcoa no Brasil 2003 2002 2001 2000 2000 1998 1997 1996 1995 1993 1990 1979 2006 Parcerias Insituto Ethos e Rever Consultoria 2005 Juruti : audiências públicas e ONGs 2004 Parceria em Reciclagem – Tetra Pak Diretora Global de Sustentabilidade 1o.

ALUMINA GRAU METALÚRGICO – SGA . MINERAÇÃO III. PRODUTOS.DEFINIÇÕES DE ALUMINAS .PROCESSO BAYER .CONCEITOS TÉCNICOS . MERCADOS E APLICAÇÕES .AGENDA I. MINERAÇÃO E REFINO DA BAUXITA – ALCOA NO MUNDO II.ALUMINA GRAU NÃO METALÚRGICO– QUÍMICOS IV. REFINARIA .

PROCESSO BAYER .

PROCESSO BAYER Moagem da Bauxita Mineração Moagem Digestão Clarificação Adequar a granulometria da bauxita para o ataque com soda caustica Calcinação Precipitação .

PROCESSO BAYER Digestão Mineração Moagem Digestão Etapa do processo onde a gibsita é dissolvida.+2 Na+ Clarificação Calcinação Precipitação . 145ºC Al(OH)3 + 2 NaOH Al(OH)4.

do licor (rico em gibsita dissolvida) Clarificação Calcinação Precipitação . que não foram dissolvidos na etapa da Digestão.PROCESSO BAYER Clarificação Mineração Moagem Digestão Separação dos sólidos (lama).

É uma etapa crítica. Reação inversa à que ocorre na Digestão Clarificação Semente Al(OH)4- +2 Na+ Resfriamento Al(OH)3 + 2 NaOH Calcinação Precipitação . pois toda a qualidade do produto é controlada.PROCESSO BAYER Precipitação Mineração Moagem Digestão Etapa onde ocorre a cristalização da gibsita que foi dissolvida na etapa da Digestão.

PROCESSO BAYER Calcinação Mineração Moagem Digestão É o processo de retirada da água de cristalização do hidróxido de alumínio (Gibsita). transformando-o em alumina <1000ºC 2 Al(OH)3 Al2O3 + 3 H2O Clarificação Calcinação Precipitação 4 ton Bauxita 2 ton Alumina 1 ton Alumínio .

visto ao ao microscópio eletrônico de varredura numa ampliação de 1200 vezes .PROCESSO BAYER Calcinação Hidróxido de Alumínio Alumina de Transição Alumina Alfa Fotos de um único aglomerado cristalino na seqüência de calcinação da alumina .

também chamado coríndon Aluminas de Transição • Tipos Intermediários de óxido de alumínio obtidos antes da alumina alfa Alumina Grau Metalúrgico .DEFINIÇÕES DE ALUMINAS Alumina • Óxido de Alumínio. Al2O3 Alumina Alfa • Forma mais estável do óxido de alumínio com respeito a termodinâmica.SGA • • Utilizada na fabricação de alumínio metálico Contém cerca de 25% de alumina alfa e sua morfologia é semelhante a do hidróxido de alumínio .

etc. teor de sódio e fase de transição. como: velas de ignição. inércia química. resistência ao choque térmico. . isolantes elétricos e circuitos integrados Alumina Tabular ou Sinterizada • • • • Aluminas submetidas a um tratamento térmico a altas temperaturas (~1850°C) 100% fase alfa Cristais grandes (50-500mm) Alta densidade.10% Aplicações elétricas e eletrônicas.Quantidade de alumina alfa. área de superfície. tamanho de cristal primário.DEFINIÇÕES DE ALUMINAS Aluminas Especiais • • Aluminas calcinadas com elevadas quantidades de fase alfa (75 a 100%) e controle específico de alguns parâmetros Parâmetro variáveis: . Aluminas de Baixa Soda • • Na2O<0.

óxido de cálcio (cemento). obtidas a partir de processos especiais de precipitação e moagem Adequadas para produção de cerâmicas com alto grau de densidade e microestrutura homogênea . óxido de magnésio (espinélio). etc.99% Al2O3) e pequeno tamanho de cristal primário (<1mm).7 a 99. Alumina Reativa • • Aluminas de elevada pureza (99. óxido de zircônio.DEFINIÇÕES DE ALUMINAS Alumina Eletrofundida • • Obtida a partir da fusão da alumina grau metalúrgico ou bauxita em fornos elétricos a arco Podem ser fundidas com silício (mulita).

Definida em função da temperatura e atmosfera de calcinação Exemplos: • A-1: 60m2/g • A-2: 1.3m2/g 400 350 ÁREA SUPERFICIAL ( m2 / g ) 300 250 200 150 100 50 0 100 300 500 700 900 O 1100 1300 TEMPERATURA ( C ) .CONCEITOS TÉCNICOS Área de Superfície • • • Proporcional ao percentual de fase alfa.

CONCEITOS TÉCNICOS Densidade (g/cm3) • • • Livre .2%: Lixiviação de una fase de transição com água ou ácidos (ex. APC) 0.massa/volume após compactação Peso Específico .massa/volume sem compactação Compactada ..1 a 0.1%: Extração de sódio volátil por adição de sais de cloro ou boro durante a calcinação Tamanho de Partículas • • Moagem a seco (moinho de esferas + classificação) → mais comum Moagem a úmido ou micronização → processos especiais .densidade real segundo ensaios de picnometria Teor de Na2O • • • >0.02 a 0.2%: Ajustes na precipitação 0.

CONCEITOS TÉCNICOS Tamanho de Cristal x Partícula 3000X 300X Partícula Cristal Primario .

200 (0. D50 e D90 (mm) 90% 50% D10 10% D50 D90 .150mm).075mm) e 325 (0.045mm) • Laser (Coulter): .Série Tyler: 100 (0.CONCEITOS TÉCNICOS Distribuição de Tamanho de Partícula • Peneira: .D10.

mas é adotada para aluminas da Alcoa. que começa a decompor-se a ~280°C • LOI: perda de massa entre 110 e 1000°C . • .É significativa pois corresponde a decomposição de todo o hidróxido.Nota: Como o hidróxido de alumínio é constituído por Al(OH)3.Nota: Esta temperatura não é a mais comum.CONCEITOS TÉCNICOS Umidade e Perda ao Fogo (LOI) • Aluminas Calcinadas • U300: perda de massa entre a temperatura ambiente e 300°C . O mais típico é medi-la a 110°C. • LOI: perda de massa entre 300 e 1000°C Hidróxidos • U110: perda de massa entre a temperatura ambiente e 110°C .

Somente medido no Hydrogard-GP Absorção de Óleo • Quantidade de óleo adsorvido (%) pelo material (é importante para aluminas de polimento). Alvura • Mede a intensidade de luz refletida pela incidência de um feixe policromático de luz. .CONCEITOS TÉCNICOS Insolúveis em Ácido • É uma medida do porcentual de alumina (Al2O3) no hidrato [Al(OH)3] moído (Hydrogard-GP). Norma ASTM D1493.

MINERAÇÃO III. REFINARIA IV.AGENDA I. MINERAÇÃO E REFINO – ALCOA NO MUNDO II. MERCADOS E APLICAÇÕES . PRODUTOS.

tal como a granulometria.Especialidades . o grau de calcinação e o teor de impurezas • Famílias: .MERCADO QUÍMICOS Químicos . ou hidrato) .Hidróxido de Alumínio (Al(OH)3) (ou alumina tri-hidratada.Commodities .Mercado de Aluminas que Não para Produção de Alumínio Metálico Aluminas produzidas em subtipos adequados às necessidades de cada aplicação específica. ou alumina calcinada) • Tipos: .Óxido de Alumínio (Al2O3) (ou alumina. com variação de alguma propriedade relevante.

QUÍMICOS • C-30W • C-30 ESP • C-30 • HYDROGARD GP Moagem • A-2G • APC-G • Série P Bauxita Refinaria Temperaturas Intermediárias Precipitador Eletrostático Calcinação Moagem Altas Temperaturas + Lixiviação • APC • A-50 • A-1 • APF Altas Temperaturas Precipitador Eletrostático • A-2F • A-2 .FLUXO PRODUÇÃO .

HIDRÓXIDOS DE ALUMÍNIO C-30 • • • • Hidróxido de Alumínio seco a 110°C 64.9% Al2O3 / 34.5% LOI Umidade 8.1% 3% maior que #100 / 96% maior que #325 C-30W • • • • Hidróxido de Alumínio filtrado 64.5% LOI Umidade 0.8% Al2O3 / 34.0% 9% maior que #100 / 98% maior que #325 Hydrogard-GP • • • • • Hidróxido de Alumínio seco a 110°C e moído 64.10% 2% maior que #325 .5% LOI Umidade 0.9% Al2O3 / 34.2% Insolúveis em Ácido 0.

ALUMINAS COMMODITY APF (Alumina Para Fusão) • • • • Alumina de Grau Metalúrgico (SGA) Calcinada ~950°C Área de Superfície 70m2/g 4% maior que #100 / 94% maior que #325 A-1 • Processo de classificação com peneira (#60) para retirada de partículas grossas contaminantes .

3m2/g 5% maior que #100 / 90% maior que #325 A-2G (A-2 moída / “ground”) • • Área de Superfície 2.9m2/g 3% maior que #325 .ALUMINAS ESPECIAIS A-2 • • • • Alumina Alfa (Especial) Calcinada ~1250°C com agente mineralizador Área de Superfície 1.3m2/g 5% maior que #100 / 90% maior que #325 APC-G (APC moída / “ground”) • • Área de Superfície 1.0m2/g 3% maior que #325 APC (Alumina para Cerâmica) • • • • • Alumina Alfa (Especial) Calcinada ~900°C / lavada com HCl / calcinada uma vez mais ~1250°C Na2O 0.11% Área de Superfície 1.

11% Área de Superfície 1.9m2/g 3% maior que #325 Absorção Óleo 30% Efeito Corte 3 Efeito Polimento 5 .ALUMINAS ESPECIAIS P-923 • • • • • • • Alumina Alfa (Especial) moída Calcinada ~1250°C com agentes mineralizadores Área de Superfície 1.9m2/g 3% maior que #325 Absorção óleo 31% Efeito Corte 5 Efeito Polimento 5 P-913 • • • • • • • • Alumina Alfa (Especial) moída Calcinada ~900°C / lavada com HCl / calcinada uma vez mais ~1250°C Na2O 0.

cemento. outros APC-G é empregada somente em casos em que há necessidade de um produto com baixa quantidade de álcalis A-2G é o mais comum nesta aplicação • • • • Eletrofusão • Produtos Típicos: APF A-1 Se utiliza aluminas de grau metalúrgico por sua facilidade de fusão: alta área de superfície.APLICAÇÕES Refratários • Produtos Típicos: A-2G APC-G Componentes da matriz (fração fina) Podem ser utilizadas em combinação com aluminas reativas. Características importantes: .Teor de Na2O mais baixo possível A-1 empregada quando se busca um produto mais branco • • • .Baixa quantidade de partículas menores que #325 .Ausência de pontos negros .

APLICAÇÕES Siderurgia • Produtos Típicos: APF A-1 Componente de escorias sintéticas para o tratamento do aço APF e A-1 são utilizadas quando se necessita alta pureza (baixos teores de enxofre e umidade) • • .

opacidade e abrasão Esmalte (vidrado) • • Camada vítrea Alumina A-2G: Aumenta resistência a abrasão. Ajusta o brilho Engobe • • Camada intermediaria que otimiza a união suporte/esmalte Alumina A-1: Atua como agente branqueador e opacificante . ao impacto e química. dureza.APLICAÇÕES CERÂMICA Fritas • • Vidro moído utilizado na composição do esmalte Alumina A-1: Aumenta resistência química.

APLICAÇÕES Polimento • Produtos Típicos: P-923 P-913 Utilizadas em massas de polimento sólidas ou líquidas.Absorção de óleo • • Creme Dental • • • • • Produto Típico: P-913 Atua como agente abrasivo Possui consistência de propriedades químicas e físicas Elevado grau e pureza Controle microbiológico .Composição Química .Grau de Calcinação .Distribuição de Tamanho de Partículas . gerando efeito de corte e/ou polimento Sua principal vantagem é a consistência de características como: .

Resistência mecânica .Resistência química .Diminui a tendência de desvitrificação .Diminui a tendência de separação de fases .Distribuição de tamanho de partículas controlada • .APLICAÇÕES Vidros • • • Produto Típico: A-1 Sua principal função é como estabilizador Melhora propriedades do vidro: .Aumenta a dureza Principais características: .Pureza química .

Baixo teor de partículas insolúveis . Sulfato de Alumínio e Policloreto de Alumínio Principal diferencia entre C-30 e C-30W é a maior umidade deste último Características mais importantes: .Alto grau de pureza (diferencia de matérias primas naturais) .APLICAÇÕES Coagulantes • Produtos Típicos: C-30 C-30W Utilizado para a fabricação de coagulantes.Baixo teor de ferro que leva a uma brancura superior • • • .Consistência de propriedades . ex.

Baixo teor de umidade (<0.Consistência química e física • .Aumenta a densidade .15%) .Controle de qualidade rigoroso .APLICAÇÕES Espumas • • Produto Típico: C-30 ESP Possui a função de carga mineral em espumas de poliuretano: .Diminui a inflamabilidade Principais características: .Melhora a resistência a compressão .

Únicos produtos da decomposição são água e alumina (diferentemente de materiais alternativos como os compostos halogenados) . apagando ou reduzindo a velocidade de propagação do fogo Tipicamente utilizado em polímeros termofixos com temperatura de processamento menor que 230°C.Fina distribuição de partículas . Principais características: .APLICAÇÕES Polímeros • • • • • Produto Típico: Hydrogard GP Atua como retardante de chama e supressor de fumaça Se decompõe endotermicamente a partir de ~230°C.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful