Especialização em Biocombustíveis e Novas Tecnologias Renováveis

Engº. Agrº. M.Sc. Sebastião P. do Nascimento
Teresina, PI - 24 de setembro de 2011

SUMÁRIO
1. Demografia, Geopolítica e Energia 2. Agroenergia e Agricultura 3. Biocombustíveis x Produção de Alimentos 4. Exercícios: Seminário ( Energéticas)

INTRODUÇÃO

Pobreza 6. Democracia 8. Meio ambiente 5.Geopolítica Os dez maiores problemas para humanidade nos próximos 50 anos ? 1. Doenças 10. Água 3. Alimentos 4. População 9. Educação 7. Energia 2. Terrorismo & guerra a Agricultura .

Dados da FAO . Gazzoni .População Mundial Elaboração: D. L.

População Brasileira Fonte: ONU .

População Urbana e Rural: Mundo Rural Urbana Fonte: ONU .

Islândia. Japão. Suécia. Fonte: ONU . Nova Zelândia.Esperança de Vida Austrália.

Demanda Mundial de Energia * Gigatoneladas de óleo equivalente * Fonte: EIA: “International Energy Outlock 2004” .

Consumo per capita de energia Região Tropical: favorável à produção de cana Fonte: BPStatistical Review of World Energy Elaboração: GV Agro .

Matriz Energética Mundial Fonte: EIA: “International Energy Outlock 2006” Fóssil .

7% Fonte: BEM / EPE / MME .Matriz Energética Brasileira 46.3% 53.

5% 100% Brasil Fontes renováveis: 45.Matriz energética – Brasil e Mundo Mundo Participação no consumo total 2.8% Total do Mundo: 11.434 Mtep Fonte: MME/BEN (2007) Elaboração: GV Agro A cana-de-açúcar passou a ser a 13 2ª principal fonte de energia em 2007.1% 48. .

EIA/USA . 1998 e Energy Information Administration . Fontes: Nakícenovic.Séc. XXI – Ínicio de Nova Era % Desafio para a humanidade: DIVERSIFICAR AS FONTES DE ENERGIA Até 2030. a demanda mundial por energia deverá crescer 58%. Grübler e MaConald.

Linha do Tempo “ER” ER = Energias Renováveis .

Linha do Tempo das “MP” MP = Matérias Primas .

o homem primitivo tinha disponível somente a energia (cerca de 2.000 kcal/dia.000 Kcal) dos alimentos. . agricultura e transporte gira em torno de 250.Agroenergia Sem conhecer o uso do fogo. indústria. comércio. Nos dias atuais. moradia. o consumo global de energia requerido para alimentação.

só gera gases de combustão sem que no processo de fabricação apareça uma fase agrícola de fixação de carbono. pela sua própria natureza. .Agroenergia A crise energética e a necessidade da conservação do meio ambiente estão fazendo com que o bioetanol torne-se uma atrativa fonte de combustível renovável. Na produção de biocombustíveis O “crédito ambiental” será sempre maior que um combustível fóssil que.

O acúmulo destes resíduos gera a deterioração do meio ambiente e perda de recursos.Agroenergia Nas últimas décadas há uma crescente busca da utilização dos resíduos agroindustriais. devido a incessante demanda das atividades agrícolas. com contribuição significante para o problema da reciclagem e conservação da biomassa. .

Agroenergia Trata do conjunto de produtos derivados da biomassa – produzidos ou liberados pela atividade humana ou animal . .que podem ser transformados em fontes energéticas para usos humanos distintos – eletricidade. calor e transporte.

 .Agroenergia Objetivos Gerais  Desenvolver e transferir conhecimento e tecnologias que contribuam para a produção sustentável da agricultura de energia. Uso racional da energia renovável.

Agroenergia
Objetivos Específicos
 Apoio

à mudança da matriz energética;  Propiciar condições para o aumento da participação de fontes de agroenergia na composição da matriz energética;  Permitir a ampliação das oportunidades de renda;

Agroenergia
Objetivos Específicos
 Contribuir  Contribuir

para a redução das emissões de gases de efeito estufa; petróleo; para a redução das importações de

 Contribuir

para o aumento das exportações de biocombustíveis.

Matriz Agroenergética
LENHA CARVÃO BRIQUETES BIOGÁS

FLORESTAS

RESÍDUOS

AGROENERGIA
BIODISEL

BAGAÇO E PALHA

ETANOL

ÓLEOS VEGETAIS GORDURAS ANIMAIS RESÍDUOS DA AGROINDÚSTRIA

CANA, MANDIOCA COGERAÇÃO

Por que biocombustíveis ? .Biocombustíveis .

L. Gazzoni .Biocombustíveis .Dados da FAO .Produção Mundial de Biocombustíveis Elaboração: D.

Biocombustíveis .Consumo de Combustíveis Fonte: ANP .

Agroenergia .Por que biocombustíveis ? .

Falso dilema: Alimentos x Energia .

Elaboração: UNICA. O impacto da produção de biocombustíveis sobre a produção de alimentos é fortemente SUPERESTIMADO Fonte: FAO. Datagro. fibras. Comissão Européia. Nota: “Outros” inclui área colhida de frutas. plantas estimulantes. leguminosas.Falso dilema: Alimentos x Energia Área mundial total ocupada pela agricultura é de 1. raízes e tubérculos. F. UNICA. pimentas e demais vegetais. castanhas.4 bilhões de hectares. Somente 15 milhões de hectares são destinados à produção de etanol.O. USDA.Licht. .

Consumo per capita de alimentos (kg / pessoa / ano) Substituição de cereais e amidos por carnes. lácteos. alimentos processados. Nota: não inclui cereais utilizados para a alimentação animal . 2006. frutas. doces.. Fonte: FAO..

Estoques Mundiais de Grãos Produção x Consumo Mundial de Grãos*: somatório (2000/01-2009/10) Brasil produz excedentes para abastecer os estoques mundiais Fonte: USDA Nota: * Soja. * Em mil toneladas Elaboração: GV Agro . Trigo e Cevada . Milho.

Últimas Fronteiras Agrícolas .

MA MA TO PI TO PI MT MT BA BA GO GO MG MG MS MS SP SP .Expansão Agrícola Brasileira • O Brasil é o único país no mundo com grande capacidade de expandir sua produção de cana-de-açúcar e oleaginosas para a produção de agroenergia.

Expansão Agrícola Brasileira • O Brasil apresenta todas as condições para a criação de um programa nacional de produção de agroenergia sustentável e de grande porte. • Diversidade de regionalização. • Indústria de Óleos Vegetais de grande porte. . • Grande experiência com biocombustíveis – Proálcool. matérias primas - • Grande potencial de expansão agrícola. • “Massa Crítica” para iniciar um programa de agroenergia de grande porte.

Matérias-Primas diferentes locais CANA-DE-AÇÚCAR BABAÇU-MAMONA-PALMA DENDÊ CANA-DE-AÇÚCAR SOJA-MAMONA-ALGODÃO (CAROÇO) CANA-DE-AÇÚCAR SOJA-ALGODÃO-GIRASSOL SOJA-ALGODÃO-GIRASSOL-CANOLA .

• Área com buriti nativo .Potencial Brasileiro • Área com aptidão para dendê .2 milhões de ha.20 milhões de ha. • Integração agricultura/pastagens . .17 milhões de ha. • Área arável não explorada .100 milhões de ha.30 milhões de ha. • Área com babaçu nativo .

resultando em um gás que é condensado em óleo combustível.Fontes de Biocombustíveis Alguns já estão no mercado. que. Criado por pesquisadores da Universidade da Geórgia. por serem subprodutos das madeireiras. . não competem com a produção de alimentos. cortiça e folhas. o novo processo aquece lascas de madeira na ausência de oxigênio. e outros que devem chegar nos postos nos próximos anos: MADEIRA O que é: o diesel de madeira é dos "biocombustíveis de segunda geração". Vantagens: usa resíduos agroindustriais como palha. EUA.

Fontes de Biocombustíveis DIESEL DE CANA O que é: usa a bactéria Escherichia coli para fermentar o açúcar da cana e transformá-lo em hidrocarbonetos. mesma estrutura do petróleo. Vantagens: o diesel de cana emite 80% menos CO² do que o diesel tradicional. A centrifugação dos hidrocarbonetos gasta até 5x menos energia do que a destilação do etanol e tem como subproduto um gás que também pode ser usado como fonte de energia .

transforma esse óleo em biodiesel para aeronaves. Vantagens: O processo é 100% verde.Fontes de Biocombustíveis GORDURA ANIMAL O que é: a gordurinha que dá sabor às carnes pode levantar aviões. Um método desenvolvido por engenheiros da Universidade do Estado da Carolina do Norte. EUA. já que não usa combustíveis fósseis. O produto também pode ser usado como aditivo para automóveis com motores a diesel .

Fontes de Biocombustíveis ALGAS O que é: várias universidades e empresas estudam a alga como matéria-prima de biodiesel. "Ela está entre as plantas mais eficientes na fotossíntese". Em abril foi inaugurada no Texas a primeira usina de biodiesel de alga do mundo . eliminando a concorrência de espaço. da Universidade de New Hampshire. Vantagens: as "fazendas" de alga podem ser instaladas em terras que não servem para o cultivo de alimentos. diz Michael Briggs.

Vantagens: essa oleaginosa é resistente à seca. já usado para automóveis na Índia e testado pela montadora DaimlerChrysler. tem boa produtividade e não requer o uso de agrotóxicos. Em março a BE Agroenergia anunciou que vai instalar uma fábrica de biodiesel de pinhão-manso em Colatina. pouco suscetível a pragas.Fontes de Biocombustíveis PINHÃO-MANSO O que é: uma das sementes que ganha espaço nas pesquisas brasileiras. Espírito Santo .

a mamona ainda é promissora. .Fontes de Biocombustíveis MAMONA O Que é: feito a partir da oleaginosa. Vantagens: apesar de não ter rendido o que se esperava nos últimos anos. serão 5%. Em novembro passado a empresa americana de biotecnologia Terasol LABS instalou-se no Brasil em parceria com o Sebrae do Ceará para pesquisar e desenvolver novas variedades mais produtivas da semente. foi estimulado pela lei que obriga que o diesel brasileiro tenha 2% de biodiesel. A partir de 2013.

Fontes de Biocombustíveis BIOMETANOL O que é: combustível líquido que pode ser usado em motores a diesel e é produzido a partir de biogás coletado de variadas fontes de matéria orgânica. . esgoto e lixo. Vantagens: em 2003. a empresa Smithfield Foods. construiu uma usina experimental para extrair biogás das fezes dos bichos. como esterco. maior produtora de alimentos a base de carne de porco nos EUA.

gramínea de rápido crescimento Vantagens: No Brasil. Mas a produção cara ainda inviabiliza sua comercialização . feito a partir de vários vegetais. A grande promessa na área é o sorgo. O plano é construir uma usina semi-industrial em 2010. a Petrobras montou uma unidade experimental com a UFRJ para produzir etanol de celulose de bagaço de cana.Fontes de Biocombustíveis CELULOSE O que é: outro biocombustível de segunda geração.

já que os países europeus não têm muita área livre para expandir suas plantações.Fontes de Biocombustíveis COLZA O que é: semente das flores desse tipo de repolho é a principal matéria-prima de biodiesel na Europa. Vantagens: apesar de os investimentos serem criticados por especialistas. é importante na rotação de culturas. Além disso. já que torna os nutrientes do solo disponíveis durante várias safras e reduz a incidência de pragas “ . a colza apresenta alta produtividade.

√ Palmiste. √ Canola. √ Caroço de algodão. Jojoba. √ Amendoim. √ Dendê. Nabo forrageiro. √ Girassol. √ Babaçu. Óleos de fritura. Linhaça. Sementes de gergelim. √ Tucumã. Resíduos da indústria de refino de óleo. √Mamona. . Buriti.Outras Fontes: Oleaginosas √ √ √ √ √ √ √ √ √ Pequi. Sebo ou gordura animal.

. como de cobertura (esternal. mas já corresponde a 30% de todo biodiesel produzido no Brasil. o sebo era considerado um subproduto do boi. tanto cavitários (visceral. mesentério.Exemplo Biocombustível SEBO BOVINO DEFINIÇÃO (MAPA): Gordura bovina é o produto obtido pela fusão de tecidos adiposos. previamente lavados e triturados. que servia principalmente para a indústria alimentícia e para a indústria de cosméticos. Até hoje. mediastinal. inguinal e subcutâneo). perirenal e pélvico).

Nascimento: Pecuária. etc. Elaboração: S. uso veterinário.Usos do Sebo Bovino 5 % 10 % 15 % Sabão Combustível 70 % Ração Animal Outros: Lubrificantes.net . P.

3 milhões Rendimento para biodisel de cabeças / ano de 83% Biodisel Potencial Brasileiro – 380 milhões litros de biodisel por ano Elaboração: S. Nascimento .Biodisel Rebanho Bovino 2010 Sebo Bovino Produção de 206 milhões 1 animal produz 15 kg de de cabeças sebo bovino – R$ 1.40/kg Abate de 30.Potencial do uso: Sebo Bovino .Fonte IBGE . P.

Vantagens .

Desvantagens .

Exemplos Veículos 11 marcas e mais de 80 modelos Em 2012.M nos EUA serão flex Japan Automobile Manufacturers Association (JAMA) posicionou-se favorável a adoção de E10 no Japão Source: ANFAVEA . metade dos modelos produzidos pela G.

Exemplos Veículos NOVOS USOS DO ETANOL Ônibus movido a etanol (E95) em São Paulo – projeto piloto Motos flex Honda 150 cc Flex Produção de diesel de cana em escala comercial a partir de 2011 100% etanol Biobutanol Uso do etanol em motores de ciclo diesel .

Bioplástico .Bioleletricidade 276 kg/t 50% umidade 165 kg/t 15% umidade 1/3 Caldo 1/3 Bagaço 1/3 Palha AÇÚCAR ETANOL Lignina BIOELETRICIDADE ALCOOLQUÍMICA Melaço Fonte: UNICA.

e a partir de 2012 incremento de 2000 MW por ano. Poder Calorífico Inferior (PCI) da palha = 1.5 (Koblitz). Cogen. . Considera-se. Até 2010 foi considerada a energia comercializada nos Leilões de Energia no Ambiente de Contratação Regulado. 1 t de cana (bagaço + palha) gera 199. em 2011 foi considerado um incremento de 1600 MW. Fator de capacidade = 0. em 2008/09. utilizando caldeira de 65 bar.Bioleletricidade: Potencial Brasil 2 Itaipus Notas: 1 t de cana produz 250 kg de bagaço e 204 de palha e pontas. a utilização de 75% do bagaço disponível e 5% da palha disponível e. a partir de 2015/16.7 PCI do bagaço. a utilização de 75% do bagaço disponível e 70% da palha disponível.9 KWh para exportação. Koblitz (2009). Fonte: UNICA.

Vantagens da Bioeletricidade  Tempo de construção reduzido  Implantação em 24-30 meses Renovável e limpa  Reduzido impacto ambiental  Proporciona créditos de carbono  Período de safra complementar ao hidrológico í  Bioeletricidade é produzida em período seco (hidrologia)  Projetos de menor porte e espectro mais amplo de investidores  Elimina riscos de atrasos e problemas na construção  Fortalece a indústria nacional de equipamentos e a geração de emprego e renda  Disponível no “coração” do sistema elétrico interligado Fonte: PSR. Unica. . Cogen. Elaboração: Unica.

AVALIAÇÃO DO IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS da orientação .É um instrumento fundamental para o planejamento de longo prazo do setor energético do país. através estratégica da expansão. orientando tendências e balizando as alternativas de expansão do sistema nas próximas décadas.CARACTERIZAÇÃO TÉCNICO-ECONÔMICA 2 . AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DA BIOMASSA COMO RECURSO ENERGÉTICO GERAÇÃO TERMELÉTRICA A PARTIR DA BIOMASSA: 1 .POTENCIAL DE GERAÇÃO 3 .

2. Desenvolvimento de soluções que integrem a geração de agroenergia e a eliminação de perigos sanitários ao agronegócio.Objetivos: 1. Competitividade e agronegócio nacional. 4. racionalidade energética no 5. Geração de emprego e renda . 3. . Sustentabilidade da matriz energética. Aproveitamento de áreas antropomorfizadas.

oportunidade para mais de 1 00 nações em desenvolvimento.  Produção sustentável de etanol representa uma causam o aquecimento global. o etanol contribui enormemente para as metas de redução de emissões de GEE que . Também.Conclusões  Setor agroenergético reconhece as práticas sustentáveis como um novo paradigma. a ser continuamente aperfeiçoado para ampliar a competitividade do setor.

e exageros devem ser  É essencial o trabalho conjunto do setores privado e público. visando ao desenvolvimento dos 3 pilares da sustentabilidade pelo setor agroenergético:  RESPONSABILIDADE AMBIENTAL  EQÜIDADE SOCIAL  EFICIÊNCIA ECONÔMICA .Conclusões  Mitos. preconceitos esclarecidos...

não é necessário que o petróleo acabe para entrarmos em uma nova era de energia” SHELL .“O carvão. o vento e para as ondas do mar” The Economist “A idade da pedra não acabou porque acabaram as pedras. Não é mais uma tolice olhar o sol. e o petróleo não serão os reis da energia mundial para sempre.